P. 1
Geografia - Suplemento de Apoio do Professor - Manual geo geral

Geografia - Suplemento de Apoio do Professor - Manual geo geral

4.67

|Views: 39.123|Likes:
Publicado porGeografia_Moderna

More info:

Published by: Geografia_Moderna on Aug 16, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/06/2014

pdf

text

original

Sections

1. Objetivos

A atmosfera, o tempo e o clima apresentam uma
dinâmica própria com leis específicas, mas que se inter-
relacionam com os processos de modelagem do relevo,
de formação das rochas e dos solos, assim como com a
disposição das bacias hidrográficas e com o regime dos
rios. Todos esses processos resultam em diferentes pai-
sagens vegetais.

Neste capítulo, inicialmente caracterizamos a atmosfe-
ra, sua composição e os principais fenômenos atmosféricos
que ocorrem em suas camadas, e diferenciamos os fenôme-
nos e as escalas temporais que definem o tempo e o clima.
Os alunos deverão, no final do estudo deste capítu-

lo, ser capazes de:

•identificar as camadas da atmosfera e os princi-
pais elementos do clima;
•compreender os fatores responsáveis pela varia-
ção da temperatura de um lugar para outro, como
também num mesmo lugar no decorrer de um dia;
•relacionar altitude, latitude, distribuição de mas-
sas líquidas, rotação da Terra e massas de ar com
a variação da temperatura;
•identificar as principais zonas climáticas da Terra;
•reconhecer a influência das correntes marítimas
sobre o clima;
•compreender o ciclo hidrológico que se verifica
na circulação da umidade na Terra;
•entender o papel da umidade atmosférica como
regulador térmico da Terra e suas classificações
(umidade relativa, absoluta e ponto de saturação);
•identificar as principais nuvens, distinguir os ti-
pos de precipitações atmosféricas e conhecer a
distribuição geográfica mundial das chuvas;
•relacionar variação da pressão atmosférica com
altitude e temperatura, e áreas ciclonais e anti-
ciclonais com a movimentação do ar;
•entender a dinâmica dos ventos e diferenciar seus
tipos;
•compreender a formação de massas de ar e a di-
nâmica responsável pela circulação geral da at-
mosfera;
•entender as causas naturais e antrópicas das mu-
danças climáticas de média ou longa duração.

2. Conceitos e temas desenvolvidos

Poluição do ar; atmosfera; camadas da atmosfera
(exosfera, ionosfera, mesosfera, estratosfera, troposfera,
tropopausa); tempo; clima; temperatura atmosférica; ir-

Rocha ígnea

Sedimentos

Intemperismo,
transporte e deposição

Resfriamento e solidificação

(cristalização)

Magma

Fusão

Rocha metamórfica

Calor e pressão
(metamorfismo)

Rocha sedimentar

Calor e pressão (metamorfismo)

Intem

perism

o, transporte e deposição

Intemperismo, transporte e deposição

Compressão e cimentação (litificação)

Fonte: A Terra. Série Atlas visuais. São Paulo, Ática, 1998. p. 20.

6.Rochas: basalto, sienito, diabásio, mármore, granito.
Minerais: quartzo, diamante, ferro, prata, mica, felds-
pato.
7.a)estanho

c)chumbo

b)manganês

d)cobre
8.Impactos ambientais: desflorestamento, destruição de
ecossistemas e do relevo, erosão do solo, poluição dos
solos, das águas e do ar.
Impactos sociais: invasão de terras indígenas, colo-
cando em risco nações inteiras e seu meio de sub-
sistência; contaminação de pessoas por metais pe-
sados.

Complementação e orientação didática

O(A) professor(a) poderá pedir para os alunos que
tragam amostras de rochas e minerais e utilizar uma lupa
ou um microscópio para analisar as partículas que os com-
põem. A maioria das rochas contém mais de um mineral,
porém algumas, como o quartzito (quartzo puro) e o már-
more (calcita pura), contêm apenas um mineral. Os alu-
nos perceberão até a olho nu as diferenças na forma, cor
e tamanho dos grãos entre os minerais constituintes das
rochas.

Em pauta: vestibulares e Enem (p. 433)

1. e 2. d 3. b 4. d

4. Sugestões de questões para avaliação

•Como podemos diferenciar os minerais por sua
dureza? (p. 120)

•Cite as diferenças nos processos de formação das
rochas magmáticas intrusivas ou plutônicas e das
extrusivas ou vulcânicas. (p. 121)

Manual-Parte 1 fonte nova

07/04/2005, 17:38

26

27

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

radiação; amplitude térmica; friagem; umidade (absoluta,
relativa, ponto de saturação, ponto de orvalho, conden-
sação); correntes marítimas; altitude; massas de ar; con-
tinentalidade térmica; zona climática; média térmica; iso-
terma; ressurgência; plâncton; ciclo hidrológico (vapor de
água, evaporação, evapotranspiração); biosfera; oceano;
água subterrânea; lençol subterrâneo; lago; biosfera; nu-
vens; precipitação atmosférica (chuva, neve, granizo, ne-
voeiro, neblina, orvalho, geada); isoietas; isóbaras; barô-
metro; correntes convectivas; nuvens (cirros, cúmulos,
estratos, nimbos); precipitações superficiais e não-super-
ficiais; chuva (convectiva, frontal, orográfica); pressão
atmosférica; áreas ciclonais e anticiclonais; vento (fura-
cão, tornado, tufão, ciclone); monções; ventos alísios e con-
tra-alísios; brisa; frente (fria, quente); circulação geral da
atmosfera; El Niño; microclimas; ilhas de calor; período
glacial; classificações climáticas.

3. Encaminhamento das atividades e resolução

dos exercícios

Avalie seu aprendizado (p. 142)

Fixando o conteúdo

1.

determinado lugar em um dado momento. O tempo
representa fenômenos mais momentâneos e o clima
reflete um padrão mais duradouro.
4.O Sol aquece diferentemente as diversas regiões da Terra.
As áreas equatoriais são as mais aquecidas e os pólos,
as que recebem menos irradiação. Os ventos resultam
da existência de diferentes temperaturas, originando
pressões atmosféricas diferenciadas. As precipitações
ocorrem devido à evaporação e à condensação (ciclo hi-
drológico) provocadas pela energia solar.
5.a)Na parte leste e oeste da América do Sul, na linha do
Trópico de Capricórnio, aparecem os climas Cw (com
verão quente e chuvoso), Aw (de savana), Cw (com
verão quente e chuvoso), ET (de tundra), BS (de este-
pe e de montanha), ET (de tundra), BW (desértico).
b)Apesar de situada em área tropical, a parte oeste des-
sa região apresenta clima modificado pela presença de
altas montanhas (Cordilheira dos Andes), pois a tem-
peratura diminui com a altitude, e de áreas desérticas
(Deserto de Atacama), explicadas pela atuação da cor-
rente fria de Humboldt. As massas de ar quente prove-
nientes do Pacífico se resfriam ao passar sobre essa
corrente, ocasionando condensação e chuvas sobre o
oceano, que nunca atingem o litoral da região.
6.a)latitude: quanto maior a latitude, menor a tempera-
tura;
b)distribuição de oceanos e mares: as variações de
temperatura são mais acentuadas nos continentes
(que se aquecem e se esfriam mais rapidamente) do
que nos oceanos;
c)correntes marítimas: as correntes quentes irradiam
calor para o ar atmosférico e as frias provocam a
queda da temperatura;
d)relevo: além de a temperatura diminuir com a alti-
tude, ele facilita ou dificulta a entrada de massas de
ar, provocando chuvas ou secas.
7.A chuva frontal ocorre com o encontro de uma massa
de ar frio com uma massa de ar quente. A chuva de con-
vecção resulta da ascensão vertical do vapor que, ao entrar
em contato com a camada de ar frio, sofre condensação
e se precipita. A chuva de relevo decorre do encontro
do ar (que se desloca horizontalmente) com o relevo.
8.a)As temperaturas devem ser baixas, o ar é rarefeito
e a pressão baixa, características do clima frio de
montanha.
b)Resposta esperada: Por ser uma área montanhosa. A
temperatura diminui com a altitude e a quantidade de
ar também (ar rarefeito), portanto, a pressão é baixa.
c)Resposta pessoal. Professor(a), os alunos devem ter
em conta que no Brasil não ocorre o clima e o rele-
vo montanhoso. Ocorre neve, eventualmente, ape-
nas nas regiões mais ao sul.

Complementação e orientação didática

Os alunos poderão fazer um levantamento, duran-
te o ano, das principais ocorrências de fenômenos natu-
rais climáticos, como furacões, tempestades, secas, for-
tes geadas, marés altas (ressacas), e pesquisar suas con-
seqüências catastróficas, como grandes inundações, perda
da safra agrícola, alterações da vida econômica e cotidiana
(paralisação das cidades), e o atendimento à população
atingida.

Características das camadas atmosféricas

CamadasAltitudeComposiçãoFenômenos

Ocorrem

Concentra

perturbações

TroposferaAté 10 km75% dos gasesatmosféricas.
e 80% da

A temperatura

umidade do ardiminui em mé-

dia 6,5 °C/km.

Pouco vapor deTemperatura

Estratosfera10 a 50 kmágua, presençasobe, chega a

de ozônio

2 °C

,

inexistên-

cia de nuvens.

A temperatu-

Mesosfera

50 a 80 kmAr rarefeito

ra diminui com

a altitude.

Meteoros se

80 a

Ar carregado

desintegram,

Ionosfera

600 km

de íons e

grande

rarefeito

aumento de

temperatura.

Mais ou

Inexistência

Temperaturas

Exosfera

menos a

de ar

elevadas.

600 km

2.a)A troposfera, porque contém a maior parte dos ga-
ses, da umidade e dos fenômenos atmosféricos.
b)A temperatura aumenta na exosfera, na ionosfera e
na estratosfera, e diminui na mesosfera e na tro-
posfera.
3.Clima: sucessão habitual dos tipos de tempo, num de-
terminado lugar. Tempo: condições atmosféricas de um

Manual-Parte 1 fonte nova

07/04/2005, 17:38

27

28

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

A pesquisa deve basear um trabalho escrito, ao fi-
nal do qual devem ser consideradas as seguintes ques-
tões: Em que medida foi culpa da natureza ou culpa hu-
mana? O que pode ser feito socialmente para atenuar as
catástrofes?

Na abordagem da primeira questão os alunos de-
vem demonstrar a compreensão de que os fenômenos na-
turais ocorrem independentemente da vontade humana,
e que a natureza tem sua dinâmica e não muda seu com-
portamento em função da ocupação humana dessas loca-
lidades, mas muitas vezes as ações das sociedades acen-
tuam ou até provocam os fenômenos naturais.
Quanto à segunda questão, os alunos devem ter en-
tendido que a organização social, tanto no plano da pro-
dução econômica como na vida cotidiana, deve levar em
conta as leis naturais para evitar ou amenizar as calami-
dades, e também que as ações coletivas e/ou políticas são
importantes para a resolução dos problemas.

Em pauta: vestibulares e Enem (p. 434)

1. b 2. a 3. c 4. e 5. e 6. a 7. d 8. c

4. Sugestões de questões para avaliação

•O que são amplitude térmica, média térmica e iso-
termas? (p. 133)

•Quais fatores são responsáveis pela formação de
correntes marítimas? Explique a circulação das
correntes frias e quentes e cite um exemplo de
cada uma. (p. 133)

•Elabore uma frase utilizando as palavras: corren-
tes marítimas, plâncton, ressurgência, áreas pes-
queiras. (p. 133-134)

•Faça um esquema do ciclo hidrológico citando as
formas de circulação da água pela biosfera. (p. 134)

•Relacione a umidade absoluta, relativa, ponto
de saturação com a ocorrência de precipita-
ções. (p. 135)

•Determine as condições necessárias para que ocor-
ra o nevoeiro, o orvalho e a geada. (p. 135)

•Cite uma característica de cada tipo básico de
nuvem. (p. 135)

•Que aparelho é utilizado para medir a temperatu-
ra atmosférica (p. 131), a umidade (p. 135), a chu-
va (p. 136) e a pressão (p. 137)?

•Explique as condições para a formação de ciclo-
nes e os nomes regionais que esse fenômeno re-
cebe. (p. 137)

•Faça um esquema explicando o funcionamento das
brisas marítimas e continentais. (p. 137-138)

•Explique o mecanismo de desvio dos ventos na
circulação geral da atmosfera. (p. 138)

•O que são massas de ar? Qual a influência que
têm sobre o clima? (p. 138)

•O que são frentes? Que tipo de alterações climá-
ticas podem provocar? (p. 138)

•Quais são as condições para a ocorrência do El
Niño? Que conseqüências esse fenômeno acarre-
ta para o clima no mundo? (p. 139)

•O que você entende por microclima? Cite exem-
plos. (p. 139)

Capítulo 13As grandes paisagens naturais
da Terra e a destruição dos
ecossistemas florestais,
fluviais e marítimos

1. Objetivos

Ao estudarem este capítulo, os alunos deverão com-
preender a influência do clima na formação das paisagens
e na construção do espaço geográfico, começando pela
percepção da ligação existente entre os seres e o ambien-
te, em que são fundamentais as noções de biodiversidade
e ecossistema.

Outros objetivos que os alunos deverão alcançar com

o estudo do capítulo:

•compreender a interação entre os fatores ambi-
entais: solo, clima, relevo e vegetação;

•identificar e localizar as principais paisagens ve-
getais do mundo;

•reconhecer as paisagens naturais características
das áreas polares e a presença humana nessas
regiões;

•relacionar o movimento de translação da Terra e a
inclinação do eixo terrestre com a iluminação e os
climas da Terra;

•situar as regiões temperadas, reconhecer suas
características naturais e caracterizar a ocupação
do espaço e as atividades econômicas nessas re-
giões;

•delimitar as áreas tropicais e reconhecer suas prin-
cipais características climáticas, populacionais e
econômicas, além de analisar climogramas dessa
região;

•caracterizar a precipitação, a temperatura e a co-
bertura vegetal das regiões desérticas e reconhe-
cer sua diversidade, ocupação e distribuição ge-
ográfica;

•compreender como o fator altitude determina ca-
racterísticas de vegetação, temperatura, pluvio-
sidade (neve) das regiões montanhosas e analisar
os obstáculos à ocupação humana e exploração
econômica dessas regiões;

•constatar a divisão das massas líquidas em ocea-
nos e mares e caracterizá-las;

•localizar os principais canais oceânicos, estreitos
e áreas estratégicas do planeta;

•perceber as implicações socioambientais do des-
florestamento;

•avaliar a importância do desenvolvimento susten-

tável;

•reconhecer os principais problemas provenien-
tes da destruição de ecossistemas florestais e da
evasão de riquezas vegetais por meio da biopi-
rataria;

•identificar os principais rios e bacias hidrográfi-
cas e reconhecer a importância da presença da
água e os problemas em razão de sua escassez e
poluição;

•analisar a biodiversidade presente nos oceanos,
identificar ecossistemas marítimos e compreen-
der sua utilização e ameaças.

Manual-Parte 1 fonte nova

07/04/2005, 17:38

28

29

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

2. Conceitos e temas desenvolvidos

Biodiversidade; diversidade genética; diversidade de
espécies; diversidade ecológica; evapotranspiração; ecos-
sistema; biosfera; banquisa; tundra; Protocolo de Madri;
clima temperado (continental, mediterrâneo, marítimo);
coníferas; taiga; hábitat; savana; cerrado; climograma; cli-
ma subtropical úmido; deserto; rios temporários ou inter-
mitentes ou ueds; dunas ou ergs; hamadas; assoreamento;
desenvolvimento sustentável; manejo sustentável da floresta;
recursos genéticos; leis de patentes; biopirataria; fontes;
nascentes; cursos dos rios (superior, médio e inferior); ba-
cia hidrográfica; afluentes; divisores de águas; disperso-
res de águas; irrigação agrícola; oceanos; mares (costei-
ros, mediterrâneos e fechados); estreitos; canais; salinida-
de; maresia; mangues; pântanos; recifes de corais; canais
naturais; estreitos naturais; desflorestamento; áreas e pas-
sagens estratégicas; Istmo do Panamá.

3. Encaminhamento das atividades e resolução

dos exercícios

Avalie seu aprendizado (p. 159-160)

Construindo conhecimento

1.Resposta pessoal. Ver seção Complementação e orien-
tação didática.

Fixando o conteúdo

2.Por causa do movimento de translação e da inclinação
do eixo da Terra, um dos pólos permanece iluminado
durante seis meses, enquanto o outro pólo permanece
na escuridão pelo mesmo período. A inclinação do eixo
terrestre (os raios solares chegam aos pólos muito in-
clinados) e a maior distância percorrida pelos raios
solares nessa região são responsáveis pelo clima po-
lar. Professor(a), utilizar a figura 3, “Incidência dos raios
solares sobre a Terra”, do capítulo anterior (p. 132), para
explicar melhor essa questão.
3.Climograma 1: clima árido, inexistência de chuva du-
rante esse ano, temperaturas baixas, paisagem desér-
tica fria.
Climograma 2: clima temperado continental, úmido e
frio com inverno rigoroso e elevadas amplitudes tér-
micas, paisagem temperada.
4.Clima tropical úmido ou equatorial: temperatura ele-
vada, chuvas abundantes e vegetação abundante do
tipo da Floresta Amazônica. Clima tropical árido:
embora as temperaturas sejam altas (entre as mais altas
do mundo), as precipitações são baixas e mal distri-
buídas e a vegetação característica é a desértica ou
xerófita.
5.a)Nas áreas desérticas: clima muito quente, falta de
água, solos arenosos com reduzida matéria orgâni-
ca. Nas regiões polares: temperaturas muito baixas,
solos cobertos de gelo.
b)Os obstáculos nos desertos podem ser superados
por meio de técnicas como irrigação, construção
de poços profundos, chuvas artificiais, adubação
etc. Por exemplo, nos desertos de Negev (Israel),
do Colorado (EUA) e do sul da Rússia. Nas regiões
geladas são utilizadas técnicas especiais nas cons-

truções (calefação, aquecimento central etc.), rou-
pas especiais, veículos próprios para terrenos con-
gelados etc.
6.As causas do desflorestamento são, entre outras: cria-
ção de gado, extração comercial de madeira, avanço
das áreas agrícolas e da urbanização. O manejo sus-
tentável das florestas permite suprir as necessidades
da população sem destruição das florestas, maior ren-
tabilidade e preservação dos recursos necessários à vida
de gerações futuras.
7.a)O texto se refere à biopirataria.
b)Resposta pessoal. Os alunos devem ter tido a com-
preensão de que leis, como a de patentes, além de
fiscalizar e controlar, podem regulamentar o aces-
so à biodiversidade.
8.Os rios são correntes líquidas que resultam da concen-
tração de água em vales. Podem se originar de fontes
subterrâneas, que se formam com as águas das chu-
vas, do transbordamento de lagos, ou da fusão de ne-
ves e geleiras.
9.Resposta pessoal. Sugestão: a necessidade de abaste-
cimento de água nas áreas urbanas cresce cada vez mais.
A oferta de água diminui e a demanda aumenta tam-
bém para a agricultura moderna que desvia parte dos
cursos de água em canais de irrigação. A degradação
das águas é tão intensa que em certas regiões ela não
pode nem mesmo ser utilizada para a indústria. A utili-
zação de água para geração de energia e transporte
também pode agravar os impactos sobre o meio am-
biente, causando desflorestamentos, inundações de
áreas, vazamentos etc.

Complementação e orientação didática

Orientação para seleção e leitura de texto

Na realização de suas pesquisas os alunos devem
recortar os artigos de jornais e revistas e colar cada um
em uma folha. O(a) professor(a) deverá orientar para que
façam a leitura detalhada dos artigos selecionados, pro-
curando palavras desconhecidas no dicionário e desta-
cando as principais idéias dos textos. É importante que
anotem, em cada folha, o nome da publicação e do jorna-
lista, e a data.

Cada aluno deve, primeiro, elaborar o relatório, com
base numa seleção de idéias, para depois responder às
perguntas.

A última etapa consiste em reuni-los em grupos, para
a discussão e a elaboração de um texto com as conclu-
sões tiradas, e exposição para a classe, socializando as
informações obtidas.

Em pauta: vestibulares e Enem (p. 436)

1.a)O aluno pode citar a ampliação das áreas destinadas
às pastagens e ao plantio agroindustrial, a ação pre-
datória das madeireiras e das empresas mineradoras
e do garimpo, a expansão urbana, entre outras.
b)Entre as conseqüências desse processo, incluem-se
a eliminação de espécies nativas e das que poderi-
am ser utilizadas como fitoterápicos; os processos
de desertificação, lixiviação, assoreamento dos rios,
laterização do solo etc.
2.e 3. b 4. b 5. e 6. c 7. a) V, b) F, c) V, d) V, e) V
8.e 9. c 10. a

Manual-Parte 1 fonte nova

07/04/2005, 17:38

29

30

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

UNIDADE

I V

ESPAÇO MUNDIAL
DA PRODUÇÃO

As transformações no espaço decorrentes da modernização dos processos econômicos serão assunto da
Unidade IV, na qual os alunos estudarão as mudanças na vida econômica a partir da era da tecnologia, que gerou
novos arranjos espaciais, modernizando e alterando as atividades produtivas (indústria, agropecuária, energia),
o modo de organização do trabalho, as relações sociais e as relações com o meio ambiente no mundo e no país.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->