Você está na página 1de 6

NA GIRA DE EXÚ

001
OMULÚ

Meu Pai Oxalá,


É o Rei,
Venha me valer... (bis)
E o Velho Omulú,
Atotô Obaluaê. (bis)

Atotô Obaluaê,
Atotô Babá,
Atotô Obaluaê,
Atotô é Orixá.

002
Seu Omulú a ê,
Seu Omulú a á,
Atotô das Almas,

Seu Omulú a ê,
Bis
Oi salve, salve,
Salve a calunga,
Salve, salve,
Salve a calunga,
Bis
Eu vinha caminhando,
Eu lhe pedi benção,
Era o Velho Omulú,
Atotô Obaluaê,
Mas eu vinha caminhando,
Eu lhe pedi benção,
Era o Velho Omulú,
Atotô Obaluaê.

Atotô Obaluaê, Atotô Babá...

Atotô Obaluaê, Atotô é Orixá. (bis)

004

Portão de ferro,
Cadeado de madeira,
No portão do cemitério,
Quem manda é o Exú Caveira

Na direita ele é maneiro,


Na esquerda ele é pesado. Bis
Cuidado meu camarada,
Não meta a mão em cambuca,
Quem mexer com Zé Pilintra,
Vai ficar lélé da cuca. Bis
Sou filho de Zé Pilintra,
Tenho que me orgulhar,
Pra me livrar de mandinga.
Carrego o meu patuá. Bis

028
PONTO NA VIBRAÇÃO DE CATIMBÓ – PARA DESMACHAR FEITIÇO

Meu galo preto


Do pé amarelo,
Canta meu galo
Só faz o que eu quero... Bis

Na direita tenho Deus,


Porque Nele tenho fé,
Na esquerda tenho meu galo,
Que desmancha tudo com o pé.

Meu galo preto


Do pé amarelo,
Canta meu galo
Só faz o que eu quero... Bis

No pino da meia-noite,
Um galo preto cantou,
Ele veio tirar despacho,
Que você pra mim botou.

029

EXÚ BOIADEIRO QUERÊNCIO


Boa noite, meus senhores !
Zá, izá, izá,
Boa noite, venham cá !
Eu me chamo Boiadeiro,
Zá, izá, izá,
Querêncio do Gravatá !
Zá, izá, izá.

030
SUBIDA DE EXU

Adeus, já é hora grande,


Adeus!...
Adeus que eu já vou embora...
(bis)
Sigo o meu caminho,
Girando na linha das almas,
Um adeus para quem fica,
Boa-noite, eu já vou embora... (bis

EXÚ VENTANIA

Deu meia noite,


Na terra e no mar!...
No mato e na calunga,
Em todo lugar!...
Bis
Seu Ventania
Não tem hora pra chegar!
Bis
Depois da meia noite,
Chega em qualquer lugar!...
Bis
Deu meia noite...

066
EXÚ VENTANIA

Venta a noite, venta o dia,


Sou Exú da ventania!...
Bis
Na companhia de Exú Rei,
Ventania!... (bis)

067

EXÚ MARABÕ

Marabô ae, Marabô de ba o exú.

Marabô ae, Marabô de ba o exú.


Olha a ginga de malandro e,
Olha a ginga de malandro a...

Cruz de ferro, pó de mico,


Saravá seu Marabô!
Ele é chefe de terreiro,
Na linha de Nagô. Bis

068
SETE ENCRUZILHADA

Aonde mora Encruzlhada,


Seu Sete Encruza já chegou.
Bis
Foi na porteira da calunga,
exú,
Ele é exú de Marabô. (bis)

069
EXÚ JOÃO CAVEIRA

Ele mora na pedra dourada,


Onde não passa água,
Onde não brilha o sol...
Bis
Mas ele é João Caveira é,
É o exú das almas,
Da calunga auê... (bis)
Caveira, Caveirinha,
Quem te pede te paga

Caveira, Caveirinha,
No portão da meia noite. (bis)
Aonde vai exú,
Vai correr carreira,
Lá no cimitério,
Ele é o Exú Caveira. (bis)

Caveira, Caveira!...
Olha o teu povo te chamou,
Pra trabalhar. (bis)

Portão de ferro,
Cadeado é de madeira.
O dono da calunga,
Ainda é o Exú Caveira. (bis)

Olha lá quem vem lá,


Descendo a ladeira,
Olha lá quem vem lá,
É o Exú Caveira. (bis)

Bis

Cajueiro bento, )
D'aonde nasceu Jesus, )
Oh Virgem Imaculada, )
Ora, nos pés da cruz; ) bis

Abre as portas, Senhor São Pedro, )


Deixa as almas, trabalhar; ) bis
Oh, Virgem Imaculada, )
Ora, nos pés do altar. ) bis

Congo com Cabinda,


Quando vem pra trabalhar,
Congo vem por terra,
Cabinda vem pelo mar.

Eu já plantei café de meia,


Eu já plantei canaviá,
Café de meia,
Não dá certo, Sinhá Dona,
Mas a Umbanda é que vai dar.

Lá no cruzeiro divino,
Aonde as almas vão rezar,
As almas choram de alegria,
Quando os filhos se combinam;
Também choram de tristeza,
Quando não que combinar.

Eu andava perambulando,
Sem ter nada pra comer,
Eu pedi às Santas Almas,
Para vir me socorrer;
Foi as almas que me ajudou,
Foi as almas que me ajudou,
Meu Divino Espírito Santo,
Viva à Deus, Nosso Senhor.

Vovó não gosta,


De casca de coco, no terreiro,
Pois lhe faz lembrar,
O tempo do cativeiro.

Lá vem vovô, descendo a serra,


Com sua sacola,
Com seu patuá,
Ele vem de Angola;
Eu quero ver vovô,
Eu quero ver,
Se filho de Umbanda, tem querer.
(para tirar o medo da incorporação)

Pai João cadê vó Maria ?


Foi no mato apanhar guiné
Pai José cadê vó Luzia ?
Foi no mato apanhar guiné
Diga a ela quando vier
Que suba as escadas
E não bata o pé
Diga a ela quando vier
Que suba as escadas
E não bata o pé

===============================

Nessa casa tem quatro cantos


Cada canto tem um santo
Pai e filho, Espirito Santo
Nessa casa tem 4 cantos
Zum zum zum
Olha só Jesus quem é
Eu rezo para santas almas
Inimigo cai
Eu fico de pé

============================

O preto por ser preto


Não merece ingratidão
O preto fica branco
Na outra encarnação
No tempo da escravidão
Como o senhor me batia
Eu chamava por Nossa Senhora, Meu Deus!
Como as pancadas doíam