TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO _ CURSO DE EDIFICAÇÕES _ CEFET-MG _ Prof.

ª: RACHELL MEDRADO

ELEMENTOS ESTRUTURAIS BÁSICOS Os principais tipos de elemento estrutural, de acordo com a geometria e o tipo de esforço suportado, são: 1.1. CABO O cabo, geralmente feito de aço, é uma barra cujo comprimento é predominante, o que o torna flexível, ou seja, não apresenta rigidez nem à compressão nem à flexão. O cabo apresenta resistência apenas quando tracionado, devendo ser usado em situações em que ocorra esse tipo de esforço, como em pontes (REBELLO, 2000). A Figura 1 demonstra como uma estrutura flexível, como um cabo, muda drasticamente de forma, ao variar do carregamento.

FIGURA 1: Estruturas flexíveis (adaptado de SHODEK, 1992) 1.2. ARCOS Arcos são elementos estruturais bastante usados em obras da engenharia civil devido à sua capacidade de vencer grandes vãos sem colunas intermediárias. Pontes, galpões, hangares e ginásios são alguns exemplos de construções onde se verifica a aplicação desse elemento estrutural (REBELLO, 2000). 1.3. VIGAS As vigas são os elementos da estrutura que recebem as reações das lajes, e eventualmente de outras vigas, e as transmitem para os pilares. São elementos geralmente horizontais, sujeitos a cargas transversais ao seu eixo longitudinal, trabalhando essencialmente à flexão. As vigas numa estrutura de concreto armado podem ser revestidas ou aparentes. Para edifícios residenciais e comerciais, com freqüência opta-se por esconder a estrutura, ou seja, o revestimento cobre as vigas e pilares. Há alguns anos atrás, era comum projetar vigas em quase todas as posições de paredes, o que levava a um grande consumo de fôrmas. Atualmente, dado ao custo das fôrmas e à agilidade construtiva, é comum se considerar paredes descarregando seu peso próprio 1

(REBELLO. vigas biengastadas. Toda a carga recebida é transmite a um único ponto de fixação. que diferem na forma em que são ligados aos seus apoios. o que conduz a estruturas menos recortadas. A viga de maior altura. Dessa forma. o que não ocorre no cabo e no arco. podendo existir apoio de viga sobre viga. 2000) As edificações basicamente apresentam três tipos de vigas.ª: RACHELL MEDRADO diretamente sobre lajes. como a da Figura 2. As vigas não precisam descarregar diretamente sobre pilares. que podem ser simples e/ou engastados. vigas com apoio simples e engaste. o vão sob a viga é totalmente livre e aproveitável. 2 . FIGURA 2: Viga em balanço (Fonte: autoria própria). lajes maiores e menos vigas. representada na Figura 3. gerando-se vigas do tipo simplesmente apoiadas. As vigas podem ser: • Viga em balanço ou em console: é uma viga de edificação com um só apoio. de modo que a menor se apoia na maior. • Viga biapoiada ou simplesmente apoiada: diz-se das vigas com dois apoios.TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO _ CURSO DE EDIFICAÇÕES _ CEFET-MG _ Prof. denominada viga principal (UFV. Graças a essa virtude. 2010). cujos eixos são curvos e limitam parte do espaço sob eles. a viga é o sistema estrutural mais usado. tem rigidez muito superior àquela de menor altura. sendo a de menor vão. A viga é um elemento estrutural que se caracteriza por transmitir cargas verticais ao longo de um vão através de um eixo horizontal.

Viga contínua: diz-se da viga com múltiplos apoios. assim como as treliças. ilustrada na Figura 5. • (WIKIPÉDIA). de acordo com a Figura 4 FIGURA 4: Viga contínua (Fonte: autoria própria) Há. As barras horizontais da viga Vierendeel são chamadas de membruras e as verticais. montantes. um tipo especial de viga. ainda.TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO _ CURSO DE EDIFICAÇÕES _ CEFET-MG _ Prof. A viga Vierendeel consiste num sistema estrutural formado por barras que se encontram em pontos denominados nós.ª: RACHELL MEDRADO FIGURA 3: Viga biapoiada (Fonte: autoria própria). 3 . chamada Viga Vierendeel.

ª: RACHELL MEDRADO FIGURA 5: Viga Vierendeel. é considerado o elemento estrutural de maior importância dentro do sistema de estruturas (VIDEO LIVRARIA). PILARES Um pilar é um elemento estrutural vertical usado normalmente para receber os esforços verticais de uma edificação e transferi-los para outros elementos. 4 . uma estrutura pode se tornar antieconômica e.4. Desta forma. (Fonte: REBELLO. caso sejam projetados pilares muito próximos uns dos outros. como as fundações. até mesmo. Entretanto. 2000). A princípio. (Fonte: MUBE) 1. restritiva sob o ponto de vista funcional. o que faria com que as cargas percorressem o caminho mais curto entre o ponto de aplicação e a fundação. A distribuição do carregamento nos pilares de um edifício ocorre conforme a representada na Figura 6. seria interessante colocar pilares em todos os cruzamentos de vigas. FIGURA 6: Distribuição do carregamento nos pilares de um edifício.TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO _ CURSO DE EDIFICAÇÕES _ CEFET-MG _ Prof.

uma montanha russa. 2000). 1. Por este motivo. é um sistema estrutural formado por barras que se unem em pontos denominados nós. Normalmente se apresentam na posição horizontal. salas. FIGURA 7: Modelo de treliça (Fonte: FEC). o alumínio. pilotis. A treliça pode ser feita com qualquer material que ofereça alguma resistência mecânica como o aço.ª: RACHELL MEDRADO Os pilares devem se localizar em pontos que não interfiram no conjunto arquitetônico e não comprometam a circulação de halls. TRELIÇA A treliça. Constitui um sistema estrutural muito econômico em termos de consumo de material. portanto. útil para vencer grandes vãos.6. sendo. como num suporte de parede para vasos de flores. 5 . As lajes podem ser tetos e pisos (CESEC). a treliça é muito empregada em coberturas e pontes (REBELLO. 2010). o plástico rígido. garagens.5. e são elas que recebem as cargas que agirão sobre a estrutura. 1. Até com tubo de papelão é possível construir uma treliça.TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO _ CURSO DE EDIFICAÇÕES _ CEFET-MG _ Prof. torre de transmissão de energia elétrica. etc. a madeira. representada na Figura 7. LAJES São elementos estruturais planos onde as dimensões em duas direções prevalecem sobre uma terceira. etc. (UFV. Encontramos a treliça nas coisas mais simples.