Você está na página 1de 27

O PLANO DE AULA

Mas afinal de contas


o que é um plano de aula
e pra que serve?
Bom, uma coisa
sabemos,
não há uma regra ou
uma ‘receita’ para se
fazer
um plano de aula...
Acorda
menino,
Clique para editar os estilos do texto mestre
Segundo nível
● Terceiro nível acorda menina!
Quarto nível

Vamos
Quinto nível
preparar um

PLANO DE
AULA!!!
Um plano de aula começa definindo qual será o tema,
o assunto a ser tratado em aula. Em seguida vem os
objetivos e os conteúdos envolvidos para alcançá-los.

Para evitar maiores imprevistos o professor pode


constar em seu plano de aula as intervenções que ele pode
fazer no decorrer da aula, o material que será utilizado e
o tempo previsto para cada etapa.

Mas como saber se suas atividades estão sendo


eficientes?

É aí que entra um dos itens mais básicos de um plano


de aula...
a AVALIAÇÃO!
A avaliação é um item com critérios bem flexíveis.
Modelos de plano de aula

O professor pode fazer um plano de


aula para uma semana, um bimestre,
semestre, ano, ou como ele achar melhor.
Segue-se um modelo de um plano de
aula, cujo planejamento é de quatro aulas e
aplicado para a sétima e sexta série.
Assunto:
Espaço e Forma

Objetivos:
 -Observar e discutir características dos sólidos geométricos. 
-Explorar a representação plana de objetos tridimensionais. 

Conteúdos: 
-Características dos corpos geométricos. 
-Vocabulário específico da área de espaço e forma. 
-Relações entre faces de polígonos (figuras bidimensionais
planas), poliedros (sólidos geométricos de faces planas) e corpos
redondos (sólidos curvos ou que combinam planos e curvas). 

Anos: 6º e 7º. 

Tempo estimado: Quatro aulas. 


Material necessário: 
Conjunto de sólidos geométricos variados (esferas, cubos,
Conteúdos
 
1ª etapa: 

Comece a atividade com um jogo de adivinhação. Disponha


um conjunto de sólidos geométricos em uma mesa no centro da
sala de aula. Peça que um aluno escolha secretamente um dos
sólidos. O restante da turma deve tentar descobrir a figura
selecionada fazendo perguntas que tenham sim ou não como
resposta. Aquele que adivinhar o sólido será o próximo a
escolher.
Para sofisticar a atividade, não permita que seja utilizado o
nome dos corpos geométricos, estimulando a utilização de
descrições dos sólidos e do vocabulário específico da área de
espaço e forma. Assim, em vez de perguntar: “É a esfera?”,
os alunos teriam que se indagar: “É um corpo redondo?”, “Tem
arestas?”, “Possui faces planas?”...
E assim por diante. 
2ª etapa
 
A sequencia prossegue com um segundo jogo: separe os
alunos em grupos e entregue a eles um conjunto de sólidos
geométricos. Uma equipe deve usar os sólidos para construir
uma figura (uma torre usando dois cubos e uma pirâmide no
topo, por exemplo), ditando aos outros grupos a forma como
os sólidos estão posicionados.
Os outros grupos, que não devem ver a montagem, tentam
imitar a construção descrita aquele que construir uma figura
semelhante à original será o próximo a ditar.

Novamente, para incentivar o uso do vocabulário


específico, pode-se pedir para a garotada dizer “peguem a
figura de seis faces idênticas”, em vez de “peguem o cubo”,
por exemplo.
3ª etapa
 
Um terceiro jogo explora a relação entre bi e
tridimensionalidade. Leve diferentes planificações de
poliedros e corpos redondos, como o cone e o cilindro.
Algumas devem apenas se assemelhar às reais, mas não
podem permitir a montagem dos sólidos.
Por exemplo, no caso do cubo, leve várias planificações
que possibilitem a montagem do cubo e outra figura formada
por seis quadrados que, embora semelhante, não fecha, ou
seja, não dê origem ao cubo quando montado. Os alunos
devem analisar as planificações
e selecionar quais permitem a construção do sólido. 
Avaliação 

Observe o desempenho dos alunos ao longo dos jogos,


prestando especial atenção na correta identificação das
características de cada grupo de figuras (veja se percebem as
diferenças entre polígonos, poliedros e corpos redondos) e no uso
do vocabulário da área.
Especialmente nas primeiras atividades, a intervenção do
professor é essencial para mostrar diferentes maneiras de
descrever uma figura geométrica sem necessariamente precisar
chamá-la pelo nome.
Visualização completa do plano de aula...
Mais um modelo de plano
de aula, dessa vez, para
5º e 6º série, de duração
de 2 a 3 aulas.
Conteúdo:

Espaço e Forma
Objetivos:
Levar os alunos a explorar figuras poligonais através da visualização,
construção e classificação através do reconhecimento de atributos. 

Estudos sobre a aprendizagem de conceitos geométricos recomendam


implicar os alunos em ações de natureza cognitiva, para o desenvolvimento
sólido do pensamento geométrico, e isto passa pela exploração,
visualização, manipulação, construção, representação, classificação
e análise de formas. 

Conteúdos 
- Polígonos, área, convexidade, simetria. 

Ano: 5º ou 6º anos 

Tempo estimado 
2 a 3 aulas 
Desenvolvimento das atividades 

1ª Etapa: preparação do material: 

a) Delimitar numa folha de papel quadriculado uma grade 6x6 


b) Pontilhar a grade. 
  

Importante: Esta rede pontilhada também é conhecida como geoplano


de papel. O geoplano clássico é um tabuleiro de madeira com
pinos (pregos) eqüidistantes, em que os alunos formam figuras
com elásticos ou barbantes. 
2ª Etapa: 

Formar figuras fechadas formadas por segmentos de reta,


que tenham como extremidades os pontos da grade pontilhada.

  
3ª etapa:

Socialize as produções dos alunos e gerencie uma discussão


sobre as características das figuras obtidas. 

  Quem
Quem desenhou desenhou
Quem uma uma
umadesenhou
figura figura
figura
Alguém desenhou uma
com menos com
lados?
com 6 lados?
figura simétrica?
entradas(reentrâncias)?
O processo de discussão das figuras é uma oportunidade
de o professor, introduzir uma nomenclatura, assim os alunos já terão visto
e desenhado uma figura de 6 lados, antes de terem que memorizar o nome
hexágono. Outras propriedades surgem naturalmente a partir das construções,
como, por exemplo, a noção, e não uma definição formal, de figura convexa,
não convexa, simétrica e não simétrica. 

Os alunos podem pintar as figuras e o professor pode fazer um


jogo de classificação em que o conjunto das figuras (que são polígonos),
é decomposto em duas famílias (partição), em que em cada família estão todas
as figuras que tem uma certa propriedade (atributo), e na outra família
todas as figuras que não tem a propriedade determinada. 
Produto final:
 
O produto final são as figuras construídas pelos alunos seguidas por uma ficha
técnica com os dados e atributos das figuras geométricas. 

Por exemplo, a figura:

É um pentágono porque tem 5 lados, não convexo, porque tem uma reentrância e
não simétrico. 

A figura: 

É um triângulo, porque tem 3 lados; 


Convexo - e todos os triângulos são convexos e não simétrico, trata-se de
um triângulo escaleno, porque não tem lados iguais. 
Avaliação: 

Há várias maneiras de se avaliar em geometria, em especial,


em relação à atividade proposta, o professor pode dar algumas pistas sobre
uma figura e solicitar que os alunos desenhem o polígono que satisfaz as
condições, como por exemplo: 

Desenhe uma figura de sete lados (um heptágono portanto), que não
seja convexa, mas seja simétrica. Há infinitas soluções, como por exemplo
a seta abaixo: 
Visualização completa do plano de aula...
E por último um plano de aula
anual elaborado para 7º série
FI
Bibliografia

BURIASCO, R. L. C. de Didática da Matemática: 2º ano


da licenciatura em Matemática . Londrina, 2009.

GEOMETRIA ELEMENTAR NO GEOPLANO DE PAPEL,


Produzido por 1.Bigode A. J. L. Disponível em : <
http://revistaescola.abril.com.br/ matematica/
pratica-pedagogica/geometria-elementar-geoplano-papel
-429069.shtml > Acesso em 08 de novembro de 2009.

EXPLORANDO CORPOS GEOMÉTRICOS, Produzido por 1.


Padovan D.
Disponível em:<http://
revistaescola.abril.com.br/matematica/pratica-pedagogica/geometri
> Acesso em 08 de novembro de 2009.