Autodesk Official Training Guide

Princípios Básicos

Autodesk Inventor
®

®

2010

Aprendizado do Autodesk Inventor 2010, Volume 1
® ®

Os exercícios práticos demonstram os princípios fundamentais do projeto paramétrico de peças 3D, do projeto de montagens e da criação de desenhos prontos para produção.

Autodesk Certification Preparation
527B1-580000-CM00A Agosto 2009

© 2009 Autodesk, Inc. All rights reserved.
Except as otherwise permitted by Autodesk, Inc., this publication, or parts thereof, may not be reproduced in any form, by any method, for any purpose. Certain materials included in this publication are reprinted with the permission of the copyright holder.

Trademarks
The following are registered trademarks or trademarks of Autodesk, Inc., and/or its subsidiaries and/or affiliates in the USA and other countries: 3DEC (design/logo), 3December, 3December.com, 3ds Max, ADI, Algor, Alias, Alias (swirl design/logo), AliasStudio, Alias|Wavefront (design/logo), ATC, AUGI, AutoCAD, AutoCAD Learning Assistance, AutoCAD LT, AutoCAD Simulator, AutoCAD SQL Extension, AutoCAD SQL Interface, Autodesk, Autodesk Envision, Autodesk Intent, Autodesk Inventor, Autodesk Map, Autodesk MapGuide, Autodesk Streamline, AutoLISP, AutoSnap, AutoSketch, AutoTrack, Backburner, Backdraft, Built with ObjectARX (logo), Burn, Buzzsaw, CAiCE, Can You Imagine, Character Studio, Cinestream, Civil 3D, Cleaner, Cleaner Central, ClearScale, Colour Warper, Combustion, Communication Specification, Constructware, Content Explorer, Create>what’s>Next> (design/logo), Dancing Baby (image), DesignCenter, Design Doctor, Designer’s Toolkit, DesignKids, DesignProf, DesignServer, DesignStudio, Design|Studio (design/logo), Design Web Format, Discreet, DWF, DWG, DWG (logo), DWG Extreme, DWG TrueConvert, DWG TrueView, DXF, Ecotect, Exposure, Extending the Design Team, Face Robot, FBX, Fempro, Filmbox, Fire, Flame, Flint, FMDesktop, Freewheel, Frost, GDX Driver, Gmax, Green Building Studio, Heads-up Design, Heidi, HumanIK, IDEA Server, i-drop, ImageModeler, iMOUT, Incinerator, Inferno, Inventor, Inventor LT, Kaydara, Kaydara (design/logo), Kynapse, Kynogon, LandXplorer, Lustre, MatchMover, Maya, Mechanical Desktop, Moldflow, Moonbox, MotionBuilder, Movimento, MPA, MPA (design/logo), Moldflow Plastics Advisers, MPI, Moldflow Plastics Insight, MPX, MPX (design/logo), Moldflow Plastics Xpert, Mudbox, Multi-Master Editing, NavisWorks, ObjectARX, ObjectDBX, Open Reality, Opticore, Opticore Opus, Pipeplus, PolarSnap, PortfolioWall, Powered with Autodesk Technology, Productstream, ProjectPoint, ProMaterials, RasterDWG, Reactor, RealDWG, Real-time Roto, REALVIZ, Recognize, Render Queue, Retimer, Reveal, Revit, Showcase, ShowMotion, SketchBook, Smoke, Softimage, Softimage|XSI (design/logo), Sparks, SteeringWheels, Stitcher, Stone, StudioTools, Topobase, Toxik, TrustedDWG, ViewCube, Visual, Visual Construction, Visual Drainage, Visual Landscape, Visual Survey, Visual Toolbox, Visual LISP, Voice Reality, Volo, Vtour, Wire, Wiretap, WiretapCentral, XSI, and XSI (design/logo). All other brand names, product names, or trademarks belong to their respective holders.

Disclaimer
THIS PUBLICATION AND THE INFORMATION CONTAINED HEREIN IS MADE AVAILABLE BY AUTODESK, INC. “AS IS.” AUTODESK, INC. DISCLAIMS ALL WARRANTIES, EITHER EXPRESS OR IMPLIED, INCLUDING BUT NOT LIMITED TO ANY IMPLIED WARRANTIES OF MERCHANTABILITY OR FITNESS FOR A PARTICULAR PURPOSE REGARDING THESE MATERIALS. Published by: Autodesk, Inc. 111 Mclnnis Parkway San Rafael, CA 94903, USA

. . . 86 Exercício: criar esboços 2D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8 Interface do usuário . . . . . . . . . . . . 62 Ambiente de projeto de peça . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72 Sobre a criação de esboços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Ferramentas de órbita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 Sobre vários ambientes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Uso da ferramenta Home View . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 Exercício: manipular vistas do modelo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Ferramentas sensíveis ao contexto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54 Sobre modelos de peça paramétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 Exercício: criar uma peça paramétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69 Capítulo 2: Técnicas básicas de criação de esboços. . . . . . . . . . 71 Lição: Criação de esboços 2D . . . . . . . . . 21 Exercício: explorar a interface do usuário do Autodesk Inventor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30 Sobre a janela de desenho . . . 73 Alinhamento de pontos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 Lição: Interface do usuário do Autodesk Inventor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Conteúdo Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Lição: Manipulação de vista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 Sobre o ViewCube . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 Ajuda online e tutoriais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3 Sobre arquivos de projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87 iii . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55 Captura da intenção do projeto . . 50 Lição: Projeto de peças paramétricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . xii Capítulo 1: Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Restauração de vistas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . 77 Reorientar o esboço inicial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Tipos de arquivo do Inventor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78 Ferramentas de esboços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Uso do ViewCube. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . vii Protótipo Digital. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81 Diretrizes para esboços bem-sucedidos . . . . . . . 58 Criação de modelos de peça paramétrica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . 209 Utilização da ferramenta 3D Grips . . . . . . . . 174 Exercício: criar uma peça usando geometria de construção e de referência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108 Lição: Cotagem de esboços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238 Exercício: criar pontos de trabalho . . . . . . . . . . . . . . 185 Edição de esboços . . . . . . . . . . . . . 160 Lição: Esboços intermediários. . . . . . . . . . . 103 Ativar e desativar a exibição do glifo de graus de liberdade do esboço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132 Sobre operações de esboço. . . . 135 Criação de operações de revolução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Lição: Restrições geométricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 211 Exercício: editar com 3D Grips. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 228 Criar pontos de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105 Exercício: restringir esboços. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 208 Sobre a edição de alças 3D. . . 97 Exibição e exclusão de restrições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 180 Lição: Edição de peças paramétricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 139 Especificação de operação e extensões. . . . . . . . . 184 Edição de operações. . . . . . . . . 91 Sobre inferência e persistência de restrição. . . . . . . . . . . . 126 Exercício: cotar esboços . . . . . . . . . 218 Sobre operações de referência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 204 Lição: Edição de alças 3D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151 Exercício: criar operações de extrusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130 Capítulo 3: Projeto de formas básicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 128 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 215 Lição: Criação de operações de referência . . . . . . . . 154 Exercício: criar operações de revolução. . . . . . . . 90 Sobre restrições geométricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230 Exercício: criar planos de trabalho . . . . . . . . . . . . . 166 Criação e utilização de geometria de construção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101 Diretrizes para restrição bem-sucedida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 242 iv ■ Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133 Criação de operações com extrusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223 Criar eixos de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114 Sobre exibição de cota e relações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 189 Utilização de parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 235 Exercício: criar eixos de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201 Exercício: criar parâmetros e equações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 170 Criação e utilização de geometria de referência. . . 93 Aplicação de restrições geométricas . . . 111 Sobre restrições cotacionais . . . . . 219 Criar planos de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 121 Diretrizes para a cotagem de esboços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 112 Criação de restrições cotacionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 193 Exercício: editar peças paramétricas . . . . . . . . . . . . . . 143 Orientação de esboços . . . . . . . . . . . . . . 165 Sobre tipos de linha de esboço. . . . . . . . . . . . . . . 131 Lição: Criação de operações básicas de esboço . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de roscas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre formas de varredura . . . . . . . . . . . . Fluxo de trabalho de projeto de montagem recomendado. Sobre projeto de peça de parede fina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: espelhar operações de peça. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar filetes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: Criar furos e roscas . . . . Recomendações para arquivos de projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar e editar operações de revestimento . . . . . 259 Lição: Criação de chanfros e filetes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de furos . . . . . . . . . . . . . . . . 346 347 349 353 355 357 359 360 363 370 372 375 377 379 Conteúdo ■ v . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Espelhamento de operações . . . . . . . . . . . . Criação de padrões retangulares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de operações de revestimento . . . . . . . . . . . . . . . Lição: Criação de furos e roscas . . . . . . Exercício: criar chanfros . . . . . . . . . . . . . Diretrizes para a criação de formas de varredura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre operações de furo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260 261 263 267 270 271 273 276 277 279 292 298 305 306 309 315 320 327 331 335 336 337 341 344 Capítulo 5: Visao geral do projeto de montagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar operações de padrão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 345 Lição: Projeto de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de filetes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: usar o ambiente de montagem. . . . . . . . Criação de um arquivo de projeto . . . . . Abordagens do projeto de montagem . . . . . . . . . . Criar chanfros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre arquivos de projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar um arquivo de projeto . . . Resumo do capítulo . . . . . . . . . Lição: Padronização e espelhamento de operações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar operações de varredura . . . . . Lição: Criação de peças de parede fina . . . . Edição de arquivos de projeto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Lição: Uso de arquivos de projeto em projetos de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre o projeto de montagem . Ambiente do projeto de montagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre chanfros e filetes . . . . . . . . Diretrizes para a criação de chanfros e filetes . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo do capítulo . . . . . . . . . . . . . . . Resumo do capítulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre a reutilização de operações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Lição: Criação de formas de varredura básicas . . . . . Configuração de arquivos de projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de padrões circulares . . . . . Criação de operações de varredura. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 246 247 248 253 255 258 Capítulo 4: Projeto de formas detalhadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6 Exercício: posicionar componentes em uma montagem . . . . . . . . . . . . 32 Exercício: restringir componentes . . . 40 Posicionamento de componentes padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Lição: Restrição de componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . 14 A ferramenta Constraint . . . . . 13 Sobre as restrições de montagem . . . . . 83 Exercício: identificar peças em uma montagem . . . . . . . . . . . . . 38 Sobre o Content Center. . . . . . 24 Técnicas adequadas de restrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56 Criação de componentes no local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74 Selecionar componentes . . . . . . . . . 79 Sobre filtros do navegador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 86 iii . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Sobre os consumidores do Content Center . . . . . . . . . . . 54 Sobre o projeto e a edição em uma montagem . . . 62 Diretrizes para o projeto de componente no local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Conteúdo Capítulo 6: Posicionamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82 Criação de cortes de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75 Sobre o isolamento de componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 Exercício: criar componentes em uma montagem . . . . . . . . . . . . . . 2 Sobre o posicionamento de componentes em uma montagem . . . . 41 Usar o Manufacturing Community . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 Lição: Posicionamento de componentes padrão usando o Content Center . . . . . 21 Exibição e edição de restrições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81 Sobre a localização de componentes no navegador e na janela de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50 Lição: Projeto de peças básico em uma montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . criação e restrição de componentes . . . . . . 58 Edição de componentes no local . 16 Posicionamento de restrições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 Lição: Posicionamento de componentes em uma montagem . . . . 55 Captura da intenção do projeto . . . . . . . . . . . . 73 Lição: Identificação de peças em uma montagem. . 71 Capítulo 7: Interação com uma montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48 Exercício: usar dados do Content Center. . . . . . . . . . . . 3 Posicionamento de componentes em uma montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195 Criação de vistas recortadas com esboços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 110 Sobre apresentações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95 Direcionamento de restrições para simples análise e movimento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 183 Exercício: criar e editar vistas de detalhe. . . . . . . 192 Exibições e tipos de vista com suporte . 104 Exercício: direcionar restrições . 173 Lição: Vistas de detalhe . . . 111 Criação de vistas de apresentação. . . . . . . . . . . 193 Criação de vistas recortadas rápidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 126 Exercício: criar uma apresentação explodida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123 Animação de apresentações . . . . . . . . 159 Lição: Vistas de corte . 163 Editar vistas de corte. . . . . . 157 Exercício: criar e editar vistas de base e projetadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 154 Propriedades da edição de vistas de base e vistas projetadas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Lição: Ferramentas de análise e movimento . . . . . . . . . . . . . 187 Exercício: criar e editar formas de aresta e conexões de vista de detalhe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 179 Criar vistas de detalhe . . . . . . . . . . . . . 171 Exercício: criar e editar vistas de corte . . 178 Sobre as vistas de detalhe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197 Exercício: criar e editar vistas recortadas . . . . . . . . . . . . . . . . . 107 Lição: Apresentação da montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132 Exercício: animar uma vista de apresentação explodida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 180 Movimentação e edição de vistas de detalhe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 139 Criar desenhos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 189 Lição: Recorte de vistas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 113 Criar ajustes de posição e caminhos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136 Capítulo 8: Criação de vista básica . 134 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 142 Uso do ambiente de desenho . . . . . . . 149 Criar vistas base . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 162 Criar vistas de corte. 119 Sobre animação de apresentações . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91 Verificação de interferências . . . . . . . 141 Sobre o ambiente de criação de desenho. . . . . . . . . . . . 137 Lição: Ambiente de criação de desenho . . . . . . 90 Cálculo de propriedades físicas . . . . . . . . . . . . . 99 Exercício: calcular propriedades e analisar interferência . . . . . . . . 167 Propriedades de vistas de corte de montagem . . . . . . . . . . . . . 147 Lição: Vistas de base e projetadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 150 Criação de vistas de desenho explodidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 199 iv ■ Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 153 Criar vistas projetadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145 Exercício: usar o ambiente de criação de desenho . . 138 Sobre a criação de desenhos . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: cotar uma vista de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar e editar tabelas de furos . . Sobre tabelas de furos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre cotas gerais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 202 203 204 205 215 216 221 224 Capítulo 9: Cotas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . edição e alinhamento de vistas. . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de cotas de ordenada . . . . . símbolos e linhas de chamada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . marcas de centro e símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . anotações e tabelas . . . 226 227 229 232 237 239 240 242 243 247 250 252 254 256 257 258 261 264 266 277 280 283 284 285 292 293 301 303 307 309 Conteúdo ■ v . . . . . Edição de cotas de modelo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de cotas de linha de base . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Movimentação. . . . . . . Lição: Anotação de furos e roscas . . . . . . . . . . . Sobre a organização da vista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 225 Lição: Técnicas de cotagem automatizadas . . . . . . . . . . . . Exercício: gerenciar vistas . . . . . . Controle da visibilidade da linha em desenhos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: adicionar linhas de centro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Lição: Técnicas de cotagem manuais . . . . . . . . . . . . . . . Como trabalhar com tabelas de furos . . . . Como trabalhar com notas de furo e de rosca. . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de cotas gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar cotas de linha de base. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre a visibilidade da linha . . . . . . . . . . . . . . . Adição de linhas de chamada e de texto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . edição e o alinhamento de vistas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre notas de furo e de rosca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre a movimentação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . de linha de base e de ordenada . . . Recuperar cotas do modelo . . Documentação de vistas com símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Criar notas de rosca de cota linear. . . Exercício: criar e editar notas de furo . . . Sobre linhas de centro e marcas de centro. . . . . . . . . . . . . . . . Lição: Criação de linhas de centro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo do capítulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sobre linhas de chamada e texto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Edição de linhas de chamada e de texto . . . . . . . . . . Sobre cotas posicionadas automaticamente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar cotas gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exercício: criar cotas de ordenada . . . . Criação de linhas de centro e marcas de centro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Lição: Gerenciamento de vistas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . 363 Lição: Criação de balões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 372 Posicionar balões automaticamente . . . . . . . . 347 Lição: Criação e personalização de listas de peças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 340 Manipulação de números de item. . . . . . . . . . . . . . . . 353 Sobre as listas de peças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 335 Capítulo 10: Anotação de desenhos de montagem. . . . 436 Apêndice A: Recursos adicionais. . . 315 Estilos de tabela de revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 430 Exercício: usar recursos de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 370 Posicionar balões manualmente . . . . . 356 Edição de listas de peças. . . . . . . . . . . . . 388 Capítulo 11: Normas e recursos de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 421 Criação de folhas . . . . . . . . . . . . . . 321 Adição e edição de identificadores de revisão . . . 319 Sobre a edição de tabelas de revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 410 Exercício: definir normas de desenho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313 Sobre tabelas e identificadores de revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 390 Sobre estilos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 339 Usar a lista de materiais . . 434 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 337 Lição: Lista de materiais centralizada na montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 407 Utilização de camadas . . . . . . . . . . . . . 328 Resumo do capítulo. . . . . . . . 354 Criação de listas de peças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 325 Exercício: configurar. . . . . . . . . . . . . 400 Propriedades de normas de desenho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 369 Sobre os balões . . . . . . . . . . . 393 Sobre normas de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 432 Exercício: personalizar um bloco de título . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 314 Processo do trabalho com tabelas e identificadores de revisão . . . . . . . 344 Exercício: editar a lista de materiais de uma montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 338 Sobre a lista de materiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 422 Sobre bordas e blocos de título personalizados. . . . . 417 Lição: Recursos de desenho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 316 Adição da tabela de revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 376 Editar balões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . adicionar e editar tabelas e identificadores de revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 420 Sobre folhas de desenho. . . . . . . . . . . . 437 vi ■ Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 391 Criação de estilos com o Style Editor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 359 Exercício: criar e personalizar uma lista de peças . . . . . . . . . . 426 Criação de bordas personalizadas . . . . . 384 Resumo do capítulo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 428 Criação de blocos de título personalizados . . . . . . . . . . . . . . . . . . 389 Lição: Configuração de normas de desenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 401 Definir a norma ativa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 380 Exercício: criar balões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Lição: Tabelas e identificadores de revisão. . . . . . . . .

cada um deles com uma bagagem excepcional de conhecimentos e habilidades especializadas no setor. LP começou a publicar cursos para o Autodesk® Inventor® em 2001. o Mechanical Desktop® e o Autodesk® Impression. instrutor e engenheiro de aplicativos. usa os produtos Autodesk desde 1989. escritores técnicos e especialistas em artes gráficas trabalhando em tempo integral. Ron Myers. Ron Myers cria cursos e outros materiais de treinamento para a Autodesk desde 1996. Desde então. o AutoCAD® Mechanical. em especial. LP. permitindo que a CrWare crie um conteúdo perfeito e relevante para atender as necessidades de aprendizagem de seus leitores e clientes. às colaborações autorais e especializadas na matéria de Ron Myers e da CrWare. especialistas no assunto. sua carreira de autor. a empresa cresceu e agora inclui desenvolvedores de currículos. O fundador e sócio geral da empresa. tendo escrito e criado materiais para o AutoCAD®. em 1996. Nesse período.Agradecimentos A equipe do Autodesk Learning deseja agradecer a todos que participaram do desenvolvimento desse projeto e. vi ■ Agradecimentos . A CrWare. Ron Myers trabalhou em todas as disciplinas de desenho e projeto até iniciar. o Autodesk Inventor.

Authorized Training Center). Criar chanfros e filetes em uma peça. Para obter explicações detalhadas sobre operações e funcionalidades. vii . usar o navegador e os menus de atalho para editar peças paramétricas. Embora este guia se destine a cursos ministrados por professores. Usar ferramentas de esboço para criar geometria de esboços 2D. consulte a Ajuda no software. Descrever as características e os benefícios de um modelo de peça paramétrica e de que modo é possível exibir todos os aspectos do projeto navegando de forma eficiente em espaço 2D e 3D. criar padrões retangulares e circulares e espelhar operações existentes e criar peças de parede fina.Introdução Bem-vindo ao guia de treinamento Aprendizado do Autodesk Inventor 2010. localizar e utilizar operações de trabalho para realizar tarefas de modelagem e criar formas de varredura ao varrer um perfil junto a um caminho 2D ou 3D. também pode ser usado no aprendizado individual. usar a ferramenta 3D Grips para editar a geometria da peça no contexto de uma montagem e em uma peça independente. aplicar restrições geométricas para controlar geometria de esboços e adicionar cotas paramétricas à geometria de esboços. ambientes de treinamento corporativos e outros ambientes de sala de aula. para ser usado no Centro de Treinamento Autorizado (ATC® . Criar operações usando as ferramentas Extrude e Revolve. criar. Esta introdução aborda os seguintes tópicos: ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Objetivos do curso Pré-requisitos Uso deste guia Conteúdo do CD Conclusão dos exercícios Instalação dos arquivos de dados de exercícios a partir do CD Projetos Observações. Objetivos do curso Após a conclusão deste guia. você poderá: ■ ■ ■ ■ Identificar os principais componentes da interface do usuário que são comuns a todos os ambientes de projeto do Autodesk Inventor e descrever como acessar diferentes ferramentas. usar geometria de referência e de construção. Ele incentiva o autodidatismo por meio do sistema da Ajuda do Autodesk® Inventor® 2010. usar as ferramentas Hole e Thread para posicionar operações de furo e de rosca. dicas e avisos Comentários Este guia é complementar à documentação do software.

Definir normas de desenho para controlar a aparência de operações de desenho. localizar e selecionar componentes em uma montagem. marcas de centro e símbolos aos desenhos e configurar. usar recursos de desenho para criar várias folhas e adicionar bordas e blocos de título a seus desenhos. recuperar informações de análise importantes de montagens e modelos paramétricos e criar animações de vistas explodidas em um arquivo de apresentação. criar e editar vistas de corte. Posicionar componentes em uma montagem. a menos que você já esteja familiarizado com os conceitos e a funcionalidade nelas descritos. Pré-requisitos Este curso foi projetado para usuários iniciantes do Autodesk Inventor que desejam aprender sobre as ferramentas e os princípios fundamentais do projeto de peças paramétricas 3D e do projeto de montagem e sobre como é possível criar desenhos de montagem e peças prontas para produção usando o Autodesk Inventor 2010. é recomendável concluí-las na ordem em que são apresentadas. criar e personalizar listas de peças para documentar os componentes na sua montagem e analisar os balões e sua finalidade em processos de anotação em desenhos. vistas de detalhe e vistas recortadas. No entanto.■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Descrever o processo de modelagem de montagem. Uso deste guia As lições são independentes. adicionar linhas de centro. criar e editar notas de furo e de rosca nos desenhos. viii ■ Introdução . Cada capítulo contém: ■ ■ Lições Normalmente duas ou mais lições em cada capítulo. Exibir e editar dados da lista de materiais. adicionar e editar tabelas e identificadores de revisão. Exercícios Exemplos práticos e reais para você treinar a funcionalidade que acabou de aprender. Cada exercício contém gráficos e procedimentos passo a passo para ajudá-lo a concluir o exercício com êxito. Experiência com Microsoft® Windows® XP ou Microsoft® Windows® Vista. usar o Content Center para posicionar componentes padrão em uma montagem e criar novos componentes no contexto de uma montagem. Usar ferramentas e métodos diferentes para identificar. criar vistas de base e vistas projetadas de peças e montagens 3D. bem como de que modo é possível usar os arquivos de projeto do Autodesk Inventor para gerenciar projetos. adicionar restrições a componentes. É recomendável que o aluno tenha: ■ ■ Conhecimentos básicos sobre projeto ou desenho mecânico. Navegar na interface do usuário do Autodesk Inventor ao criar e editar folhas de desenho. Cotar desenhos com técnicas automatizadas e manuais. o ambiente de modelagem de montagem do Autodesk Inventor e os fluxos de trabalho de projeto de montagem recomendados. além de gerenciar vistas de desenho.

Se você não especificar uma pasta diferente. Introdução ■ ix . Insira o CD. Nessa versão. Os exercícios na tela são iguais aos do livro. Instalação dos arquivos de dados de exercícios a partir do CD Para instalar os arquivos de dados referentes aos exercícios: 1. ■ ■ Usando o livro Siga os exercícios passo a passo no livro.exe. Na tela Na área de trabalho. Clique duas vezes no arquivo auto-extraível setup. você tem a vantagem de poder se concentrar na tela sem precisar consultar o livro. Após iniciar os exercícios na tela. Conclusão dos exercícios É possível fazer o exercício de duas maneiras: usando o livro ou na tela. instalado com o CD. clique no ícone do curso Aprendizado do Autodesk Inventor 2010. os arquivos do exercício serão instalados nesta pasta: C:\Autodesk Learning\Inventor 2010\Learning Após a instalação dos dados a partir do CD.Conteúdo do CD O CD anexado à quarta capa do livro contém todos os dados e desenhos necessários para concluir os exercícios deste guia. 2. essa pasta conterá todos os arquivos necessários para a conclusão de cada exercício deste guia. e siga os exercícios passo a passo na tela. redimensione a janela do seu aplicativo para alinhar as duas janelas.

Na caixa de diálogo Projects. 2. Na caixa de diálogo Choose Project File. Iniciar o Autodesk Inventor. Este guia tem um arquivo de projeto que armazena os caminhos para todos os arquivos relacionados aos exercícios. clique duas vezes em Learning Autodesk Inventor 2010 para ativar o projeto. É possível usar projetos do Autodesk Inventor para organizar arquivos relacionados e manter vínculos entre os arquivos. clique em Browse. navegue para C:\Autodesk Learning\Inventor 2010\Learning.ipj. é preciso ativar um novo projeto no Project Editor. Clique em Open. No menu Application. o Autodesk Inventor usa os caminhos no arquivo de projeto atual para localizar outros arquivos necessários. x ■ Introdução . ■ ■ ■ ■ Na caixa de diálogo Projects. 1.Projetos A maioria dos engenheiros trabalha em diversos projetos ao mesmo tempo. Clique em Done. e cada projeto pode conter vários arquivos. Siga as instruções no guia para localizar o arquivo de projeto do curso e ativá-lo. Selecione Learning Autodesk Inventor 2010. Observação: A marca de seleção indica o projeto que está ativo. clique em Manage > Projects. Siga as instruções abaixo para localizar o arquivo de projeto do curso Aprendizado do Autodesk Inventor 2010 referente a esse guia e ativá-lo. Quando um arquivo é aberto. Para trabalhar em um projeto diferente. 3.

as dicas e os avisos encontram-se realçados em todo o guia. Após a conclusão deste curso. Introdução ■ xi . dicas e avisos As observações.com.Observações. As observações contêm diretrizes. Comentários Seus comentários sobre os Guias de Treinamento Oficiais do Autodesk são sempre bem-vindos. falhas do sistema ou outras conseqüências graves. Os avisos fornecem informações sobre ações que podem resultar em perda de dados. se você tiver sugestões para aprimoramentos ou quiser relatar um erro no livro ou no CD. restrições e outras informações explicativas. envie seus comentários para learningtools@autodesk. As dicas fornecem informações para melhorar a produtividade.

Protótipo Digital Um protótipo digital é criado com o software Autodesk Inventor e é uma simulação digital de um produto que pode ser usado para testar forma. mecânicos e industriais associados são integrados. Com o Protótipo Digital. xii ■ Introdução . reduzindo a necessidade de se criar protótipos físicos caros. aumentando a comunicação com diferentes acionistas. O protótipo digital fica cada vez mais completo à medida que todos os dados de projeto elétricos. o que evita depender de protótipos físicos. O que é Protótipo Digital? O Protótipo Digital oferece aos departamentos de produção. Um protótipo digital completo é uma representação digital perfeita do produto final inteiro e pode ser usado para visualizar e simular um produto. os fabricantes podem projetar. ajuste e função. engenharia e projeto conceitual a possibilidade de explorar um produto completo virtualmente antes que ele se torne real. visualizar e simular produtos desde a fase de projeção conceitual até o processo de fabricação. enquanto lançam no mercado produtos mais inovadores de forma mais rápida. Ao usar um protótipo digital criado no Inventor. os fabricantes podem visualizar e simular o desempenho real de um projeto digitalmente. que têm um custo alto.

Introdução ■ xiii . muito mais dispendiosas se tornam as solicitações de alterações do cliente. O Inventor permite que os fabricantes criem um protótipo digital. O resultado é uma grande dependência de protótipos físicos e o conseqüente impacto na produtividade e inovação. visualizar e simular seus produtos: ■ Projete: integre todos os dados de projeto em um único modelo digital. A falta de dados digitais. os engenheiros elétricos e mecânicos usam formatos e sistemas diferentes. otimizando o processo de projeto e aumentando a comunicação. A fabricação se encontra no final da cadeia de todos os processos digitais interrompidos—a falta de conexão entre a fase do projeto conceitual e os componentes elétricos e mecânicos de engenharia—e recebe essas informações analógicas na forma de desenhos. ■ Visualize: crie uma representação virtual do produto final. Quais são os pontos nevrálgicos tratados pelo Protótipo Digital? O processo de desenvolvimento de produtos manufaturados hoje é dominado por ilhas de competência. proteger a validação do cliente desde o início e comercializar produtos antes que eles sejam criados. tornando necessária a criação de vários protótipos físicos de alto custo. você pode criar um único modelo digital. ajudando a reduzir a dependência de protótipos físicos dispendiosos e introduzir produtos mais inovadores mais rapidamente no mercado. Quanto mais o produto estiver adiantado no processo de fabricação. O resultado: as empresas precisam criar vários protótipos físicos para validação do cliente. Com o Inventor. Na fase de engenharia. Os dados do projeto conceitual precisam ser recriados digitalmente até o ponto de produção. os fabricantes vão além do 3D com o Protótipo Digital. A incapacidade de envolver o cliente no início do processo de desenvolvimento do produto significa que ele não pode validar um projeto antes de o produto ir para a fabricação. resultando em perda de tempo e dinheiro. ■ Simule: simule digitalmente o desempenho real de seu produto. cada uma com seus desafios técnicos: ■ ■ ■ ■ Na fase do projeto conceitual.O que é a solução da Autodesk para Protótipo Digital? Com o software Autodesk Inventor. a fim de revisar a finalidade do projeto. formatos compatíveis e automação mantém essa ilha separada da engenharia. os projetistas e engenheiros industriais costumam usar métodos impressos ou formatos digitais que são incompatíveis com os dados digitais usados nas fases de engenharia. Outro problema da fase da engenharia: o foco geométrico de softwares CAD 3D típicos dificulta a criação e o uso de um protótipo digital para validar e otimizar produtos antes de serem criados. economizando tempo e dinheiro necessários para criar vários protótipos físicos. que lhe fornece a capacidade de criar. e a falta de automação dificulta o recebimento de solicitações de mudanças do processo de fabricação e a resposta rápida a essas solicitações. A solução da Autodesk® para Protótipo Digital agrupa dados de projeto de todas as fases do processo de desenvolvimento de produto em um único modelo digital criado no Inventor. Processos desconexos de desenvolvimento de produtos dificulta a consideração das necessidades de clientes e do mercado antes do estágio final para que os clientes possam ver exatamente como será o produto e validem seu funcionamento antes de ele ser entregue.

As soluções de Protótipo Digital são normalmente instalações caras. a fim de criar e manter um único modelo digital que pode ser usado em todas as fases de produção. engenharia e projeto conceitual.O conceito de Protótipo Digital não existe há anos? Embora se tenha falado há anos sobre os benefícios do Protótipo Digital. xiv ■ Introdução . A solução da Autodesk para Protótipos Digitais permite que grupos de trabalho de fabricação desenvolvam um único modelo digital. os fabricantes podem verificar os benefícios dos Protótipos Digitais em seu próprio ritmo. A maioria dos aplicativos de modelagem 3D prontos para uso oferece somente parte dos recursos necessários para se criar um protótipo digital completo. Atingível: a solução da Autodesk para os Protótipos Digitais fornece uma forma fácil de implantar e gerenciar soluções para fabricantes mainstream. Como a tecnologia e os produtos de fabricação da Autodesk tratam o Protótipo Digital? O Inventor vai além do 3D no Protótipo Digital. Usando o Inventor para criar um único modelo digital. O que é exclusivo em relação ao Protótipo Digital da Autodesk? Dimensionável: a solução da Autodesk para Protótipos Digitais é dimensionável. Esse modelo digital único simula o produto completo e fornece aos engenheiros a possibilidade de melhor projetar. criado no Inventor. A Autodesk fornece as ferramentas interoperáveis necessárias para criar um protótipo digital completo da fase conceitual de um projeto até a fabricação. uma solução de Protótipo Digital com base no Inventor fornece o caminho mais rápido para ROI. personalizadas para grandes empresas. visualizar e simular seus produtos com menos dependência de protótipos físicos dispendiosos — melhorando assim o tempo para introdução no mercado e aumentando a vantagem competitiva. flexível e fácil de integrar em processos comerciais existentes. Econômico: fornecendo software econômico para grupos de trabalho de projeto e fabricação. A Autodesk tem um registro comprovado de tecnologia avançada de desktop disponível para fabricantes mainstream. com interrupção mínima em fluxos de trabalho produtivos existentes. que pode ser usado em cada fase de produção — eliminando as lacunas que geralmente existem entre as equipes de fabricação. o orçamento para as ferramentas necessárias para criar e testar um verdadeiro protótipo digital sempre esteve fora do alcance para a maioria das empresas fabricantes.

portanto. A família de software Autodesk Inventor fornece a tecnologia de desktop avançada. O software Autodesk Inventor permite que os engenheiros integrem dados 3D e desenhos do AutoCAD® em um único modelo digital. você pode criar. O software Autodesk Inventor leva os engenheiros para além do 3D e permite que eles desenvolvam protótipos digitais completos de seus produtos.A linha de produto Autodesk® Alias® permite que você trabalhe digitalmente no início do projeto usando as melhores ferramentas de projeto industrial da classe. Usando esse modelo digital único. não na criação de geometria — permitindo à unidade de software a criação automática de componentes inteligentes. criando uma representação virtual do produto final. então. ajudando a reduzir a dependência de protótipos físicos e minimizar custos de fabricação. o custo e a necessidade de criar protótipos físicos. você pode avaliar rapidamente diversas variações de projeto criando imagens realistas. precisas e atrativas de dados CAD 3D — ajudando a reduzir o tempo. O modelo serve como um protótipo digital refinado e usado para validar funções de projeto. permitindo que os dados de projeto industrial de um produto sejam incorporados no protótipo digital criado no Inventor. além de econômica e fácil de aprender. visualizar e simular produtos digitalmente. Com o software Autodesk® Showcase®. fácil e menos dispendioso tomar decisões de projeto. exibir interativamente o protótipo digital em ambientes realistas. tornando mais rápido. Você pode. Atualmente. os engenheiros e designers industriais devem compartilhar interfaces de usuário e hospedagem no início do processo. que os engenheiros precisam para aproveitar o Protótipo Digital. ■ Projeto funcional: os produtos de software Autodesk Inventor combinam um ambiente de projeto mecânico 3D intuitivo com ferramentas de projeto funcional que permitem que os engenheiros se concentrem em uma função do projeto. Capture idéias digitalmente — de esboços iniciais para modelos de conceito 3D usando produtos na linha de produto Alias — e compartilhe esses projetos com a equipe de engenharia usando um formato de arquivo comum. a aparência de uma máquina ou dispositivo é mais importante do que nunca para os clientes. como peças Introdução ■ xv .

estruturas de aço. As ferramentas de simulação dinâmica no Inventor permitem que os engenheiros avaliem possíveis soluções para um problema de movimento. possibilitando as melhores tomadas de decisões e evitando riscos dispendiosos. que validam e ajudam a otimizar custos de fabricação. maquinaria de rotação. Documentação: o software Autodesk Inventor inclui ferramentas abrangentes para gerar documentação de engenharia e fabricação diretamente de um protótipo digital 3D validado. deflexão e simulação de movimento possibilitam que os engenheiros otimizem e validem um protótipo digital antes de o produto ser criado. Com bilhões de arquivos DWG circulando em cada setor. Reduzir a carga de geometria ajuda os engenheiros a gastar mais tempo rapidamente na criação e no aprimoramento de protótipos digitais. de modo que você saiba que pode contar com os resultados da simulação. mantém total associatividade ao modelo 3D sem conversões imprecisas de risco. Ferramentas extremamente integradas para cálculo. bem como cabos e fiação elétrica.■ plásticas. A simulação é realizada com base em restrições do mundo real. ao mesmo tempo. ■ ■ Simulação dinâmica: o Autodesk Inventor fornece as melhores ferramentas de simulação integradas do setor. ajudando as equipes de projeto a comunicar-se com mais eficiência.) Isso fornece aos engenheiros a liberdade para reutilizar com segurança arquivos DWG 2D valiosos. a fim de criar modelos de peças 3D precisos e então comunicar idéias obtidas de Protótipo Digital com parceiros e fornecedores que contam com o software AutoCAD. (O DWG da Autodesk é o formato original para armazenar e compartilhar dados de projeto ao trabalhar com o software AutoCAD. O Inventor combina os benefícios de exibições de desenho associativas. esforço. de modo que quaisquer alterações feitas no modelo sejam refletidas no desenho — com a potência e a aceitação disseminada do formato DWG para ajudar a reduzir erros e fornecer o projeto em menos tempo. é um dos formatos de dados de projeto mais comumente usados. xvi ■ Introdução . tubos e canos. Interoperabilidade DWG™: o Inventor fornece leitura e gravação direta de arquivos DWG nativos e.

permitem que você crie e valide um protótipo digital mais completo. e projeto de fiação e cabos elétricos. um dos softwares líder mundial em esboço profissional e design. reduzindo erros e melhorando o desempenho do molde. exerce uma importante função em fluxos de trabalho de Protótipo Digital. documentar e comunicar idéias. parceiros e fornecedores que contam com o software AutoCAD. a fim de gerar com rapidez e precisão projetos de molde diretamente de um protótipo digital. ferramenta e moldagem podem validar a forma. o ajuste e a função de um projeto de molde antes de sua criação. que ajuda a reduzir erros e ECOs antes da fabricação e lançamento mais rápido no mercado. Introdução ■ xvii . que permitirá o aprimoramento da solução da Autodesk para Protótipo Digital. Detalhe rapidamente desenhos de produção usando as ferramentas de fabricação específicas do setor. Para ajudar a validar e otimizar projetos antes da fabricação. reduzindo erros e economizando horas. incluindo tubos e canos complexos. análise de elemento finito) no software de simulação Algor®. O AutoCAD. os fabricantes de molde. Ferramenta: as capacidades de ferramenta do software Inventor fornecem aos designers e engenheiros ferramentas inteligentes e catálogos base de molde.■ ■ Sistemas de roteamento: as ferramentas automatizadas do software Inventor. você pode usar a ampla variedade de ferramentas de simulação e FEA (finite element analysis. aprimorando a produtividade. Usando o protótipo digital do Inventor. O AutoCAD fornece a você a potência e a flexibilidade para explorar. O software AutoCAD® Mechanical foi desenvolvido para ajudar designers mecânicos e peritos em esboços a simplificar trabalho complexo de projeto mecânico. O software AutoCAD Mechanical e AutoCAD permitem que os engenheiros documentem com precisão protótipos digitais criados no Inventor e comuniquem idéias obtidas de Protótipo Digital com colegas. para a criação de sistemas roteados.

A integração perfeita entre o Inventor e o AutoCAD Electrical ajuda suas equipes elétricas e mecânicas a trabalhar de modo colaborativo e com eficiência em projetos de produtos mecatrônicos 2D e 3D. engenharia e fabricação podem gerenciar o processo de Protótipo Digital ajudando a reduzir o tempo na organização de arquivos. modelagem e preparação de dados CAD. independentemente do tamanho ou formato de arquivo. Os usuários do Inventor podem passar informações de conectividade com fio para o AutoCAD Electrical e criar automaticamente os esquemas 2D correspondentes. gerenciar listas de material e promover a colaboração desde o início com as equipes de fabricação e clientes. use o software de simulação de moldagem por injeção Autodesk® Moldflow®. a fim de criar visualizações animadas e ativas estilizadas e fotorrealísticas de alta qualidade. Com a família Autodesk® Vault de aplicativos de gerenciamento de dados. evitar erros dispendiosos e liberar e revisar projetos com mais eficiência.O software AutoCAD® Electrical passa informações destinadas ao projeto elétrico para cabos e condutores diretamente para o software Autodesk Inventor. O 3ds Max contém um conjunto completo de ferramentas de processamento. As ferramentas de dados da Autodesk permitem que grupos de trabalho de projeto gerenciem e controlem todos os componentes do projeto para um protótipo digital. O software é compatível com a visualização e a otimização de montagem completas. medir. ajudando você a reutilizar melhor dados de projeto. o modo completamente digital para revisar. maquinaria industrial. modelos de chão de fábrica e linhas de produção em um único ambiente. os grupos de trabalho de projeto. xviii ■ Introdução . O software Autodesk® 3ds Max® permite que você aproveite dados de engenharia para criar visualizações animadas e processadas por software de protótipos digitais criados no Inventor. efeitos. Você pode facilitar ainda mais os fluxos de trabalho de Protótipo Digital com o software Autodesk® Design Review. e permite que você combine dados de CAD de vários sistemas de projeto. O software Autodesk® Navisworks® para fabricação permite que as empresas de fabricação visualizem instalações completas de fabricação. Para otimizar projetos de molde por injeção e peças plásticas. marcar e controlar alterações em projetos — tudo sem o software de criação original. agregando dados de projeto de controles elétricos valiosos ao protótipo digital criado no Inventor.

As equipes de fabricação se beneficiam do acesso aos dados mais atuais e precisos (desenhos de liberação. os melhores fabricantes da classe usam o Protótipo Digital para criar metade do número de protótipos físicos em relação ao fabricante médio. Eles podem fornecer expertise no início do processo de engenharia ao compartilhar o protótipo digital com a tecnologia DWF™ (Design Web Format™) da Autodesk. além de criar modelos de conceito digital 3D para validação que podem ser compartilhados com equipes de engenharia ou fabricação. Introdução ■ xix .O que os clientes podem fazer hoje com a solução Autodesk para protótipo digital? Os designers industriais usam produtos Alias da Autodesk para esboçar digitalmente idéias de projeto. modelos e BOMS) — evitando enganos causados pelo uso de documentos desatualizados. Os engenheiros usam o Autodesk Inventor para explorar idéias com representações simples e funcionais que ajudam a gerar um protótipo digital. marcar e medir projetos — se aproximando dos verdadeiros processos de fabricação sem papel. a fim de comunicar. A solução da Autodesk para Protótipo digital ajuda os clientes a atingir resultados como esses. além de confirmar se os requisitos do cliente foram atendidos mesmo antes de um produto ser criado. levam 58 dias a menos do que a média para lançamento no mercado. A simulação de movimento e análise de esforço integradas ajudam os engenheiros a otimizar e validar projetos completos digitalmente. por fim. estimulam mais inovação em seus produtos. Quais são os benefícios comerciais do Protótipo Digital? De acordo com um estudo independente do Aberdeen Group. O software Inventor fornece a melhor interoperabilidade bidirecional no mercado entre aplicativos de projeto eletrônico e mecânico 2D e 3D. têm 48% menos custos de protótipo e.

a Autodesk o ajuda a criar menos protótipos físicos — além de lançar produtos mais inovadores no mercado antes da concorrência. No atual mercado global cada vez mais competitivo. A Autodesk fornece essa funcionalidade por meio de um conjunto completo e de fácil aprendizado de aplicativos de projeto. xx ■ Introdução . ser o melhor na classe significa usar tecnologia para permanecer à frente da concorrência — incorporando o Protótipo Digital no processo de desenvolvimento de produto que lhe dá margem. A posição da Autodesk é que migrar para 3D é apenas a primeira etapa na criação de um protótipo digital. além de uma ampla variedade de parceiros para consulta em relação ao que é necessário para tornar o Protótipo Digital uma realidade.Como a solução da Autodesk para Protótipo Digital ajuda os clientes a fazer o melhor na classe? Ao lhe fornecer as ferramentas para desenvolver um protótipo digital completo.

afirma: “O software de análise de movimento e elemento finito permitiu que eu praticamente eliminasse os protótipos físicos. o Autodesk Inventor. como o 777 antes dele. foi digitalmente desenvolvido.” — The Manufacturer “A abordagem de Protótipo Digital é agora adotada por alguns importantes fabricantes que já promoveram o PLM corporativo." — Gisela Wilson e Michael Fauscette. de modo que o processo demorado de protótipo físico fosse reduzido ou eliminado. na verdade. bem como lhes fornecerá processos e ferramentas funcionais necessários para atingir a excelência de produto e a lucratividade por anos. Inc. eles podem reduzir o protótipo físico e. mas a definição digital da engenharia foi inserida na fabricação por meio de novos processos que substituíram o DCAC/MRM.” Os recursos de CAE do Inventor Professional permitiram que a Faircloth produzisse vários “protótipos digitais”.O que o mercado está dizendo sobre o Protótipo Digital? ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ “Para ser o melhor na classe não basta migrar de 2D para 3D. Seu novo 787 Dreamliner. eu geralmente levava 18 meses para lançar um novo projeto no mercado”. Como resultado. designer e gerente de produto da Marin Bikes. assim. — Engenharia de desktop Introdução ■ xxi . que o uso de protótipos digitais para empresas com excelente desempenho reduz seus custos de desenvolvimento de produtos e acelera o lançamento dos produtos no mercado.” — IndustryWeek “As soluções mais recentes de fabricação da Autodesk redefinem o processo de projeto do produto ao oferecer suporte e conectar todas as disciplinas de desenvolvimento de produto. Ele elimina a idéia de "caro" do PLM e o oferece para todos os outros usuários.” — Rachael DaltonTaggart. agora são nove meses e está cada vez mais rápido — e o produto é melhor.” —Start-IT “O IDC acredita que com sua nova definição de protótipo digital. engenharia de desktop “A Autodesk está fazendo algo no qual sempre foi boa — aproveitando uma idéia de tecnologia e lhe fornecendo 80% de funcionalidade a 20% do preço. O Protótipo Digital não é diferente. Com o software. engenharia elétrica e fabricação. Esse é o nosso futuro. incluindo sua importante oferta de projeto 3D. do projeto industrial ao projeto mecânico. IDC “Um dos principais motivos pelos quais os fabricantes buscam capturar mais informações de produto eletronicamente é o protótipo digital de seus produtos. a Autodesk está oferecendo uma solução de desenvolvimento de produto para SMBs que fortalecerá sua competitividade. As soluções redefinem o processo de projeto do produto ao oferecer suporte e conectar todas as disciplinas de desenvolvimento de produto. marketing e negócios de CAD “Antes do Inventor. A pesquisa da empresa de consultoria Aberdeen Group mostra. do projeto industrial ao projeto mecânico. engenharia elétrica e fabricação.” — Nancy Rouse-Tally. incluindo a Boeing. mas usar o protótipo digital para responder a dúvidas sobre seu produto antes de começar a criá-lo. PR.” — Design News “A capacidade de visualizar não apenas o desenvolvimento de produto em 3D. economizar tempo e custos de desenvolvimento. mas também de simular como esse produto teria desempenho no mundo físico estão entre os benefícios atribuídos ao protótipo digital.” — Aberdeen Group “A Autodesk fornece uma ampla variedade de soluções de software para a indústria de fabricação. Jason Faircloth.

xxii ■ Introdução .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful