Você está na página 1de 3

Rotação de um Fluido

Engenharia de Petróleo
Mecânica dos fluidos
Prof.: Ricardo Giumelli Marquezan
Aluno: Guilherme Narciso Medeiros

Movimento de Fluido
Analisando um Fluido em movimento deve-se levar em consideração as forças
envolvidas no escoamento do mesmo, em particular as suas frações menores, em
particular as suas partículas, as quais resumem o movimento de um fluido em continuo,
o fluido pode apresentar movimentos como mostrados na figura 1.1 abaixo.

Figura 1.1-Analise do movimento geral


dos fluidos
Rotação de um fluido
No escoamento de fluidos os movimentos realizados por suas partículas são os
descritos na figura acima sendo eles ocorrendo separadamente ou em conjunto, nesse
trabalho analisaremos somente o movimento de rotação do fluido, ou seja, de suas
partículas como mostra a figura 1. 2.

Figura 1.2- analise do movimento em áreas de um fluido,


partículas acima translação e abaixo translação + rotação.

Como podemos ver na figura 1.2 o movimento de rotação pode ser resumido por
um movimento que ocorre pelo movimento da partícula sobre um de seus eixos (x, y, z),
igualmente a translação não há mudança na massa ou na área da partícula que está
sendo submetida a este movimento, mas na rotação há o deslocamento angular
diferentemente da translação em que ocorre o movimento linear.

Componentes da Rotação

Figura 2- Componentes envolvidos na rotação


Os componentes envolvidos na rotação são basicamente forças exercidas nos
vértices das partículas se analisarmos como se fosse um paralelepípedo, as forças são
aplicadas em A e B, sendo que em posição diferente do ponto O e com um ângulo
diferente de 0o para que haja atuação de a força exerça um momento de giro no centro
da partícula.

Equações da Rotação
A fim de obtermos uma expressão matemática para a velocidade de rotação em z
devemos considerar o movimento de um fluido nos planos xy. As componentes de
velocidade em cada ponto do campo de escoamento são dadas por u (x, y) e v (x, y).
A rotação de um corpo só pode ocorrer com a velocidade nos pontos A e B não
nula e diferente da velocidade em O. Além disso é medido conforme a variação de
tempo dt.
A velocidade angular da linha OA é dada por:

Consideremos que o comprimento da linha AO é dx. A rotação dessa linha deve-se as


variações da componente y da velocidade no ponto a.
Já a velocidade angular da linha OB é dada por:

Consideremos que o comprimento da linha OB é dy. A rotação dessa linha deve-


se as variações da componente x da velocidade no ponto a.
A Velocidade em z então é definida por:

Definição: a velocidade angular do elemento em torno de z, ωz , é a média das


velocidades angulares de OA e OB e (considerando-se os sinais da rotação).
Utilizando o mesmo método similarmente para x e y temos que:

Levando em conta que a velocidade total é definida por:

Vórtice
Um vórtice é um escoamento giratório onde as linhas de corrente apresentam um
padrão circular ou espiral. São movimentos espirais ao redor de um centro de rotação.
Ele surge devido a diferença de pressão de duas regiões vizinhas. Quando isso
ocorre o fluido tende a equilibrar o sistema e flui para esta região mudando,
eventualmente, a direção original do escoamento e, com isso, gera vorticidade.
A direção de rotação que um vórtice adota, sentido horário ou anti-horário,
depende da força que o provocou. Em condições autônomas, sofre influência da rotação
do planeta, chamado força de Coriolis, e faz com que os vórtices naturais do hemisfério
norte girem no sentido anti-horário, e os do hemisfério sul no sentido horário.
Tecnicamente um vórtice pode ser qualquer escoamento circular ou rotacional
que possui vorticidade.

Vorticidade
Vorticidade é um conceito matemático utilizado na dinâmica dos fluídos, e pode
ser resumida como a quantidade de circulação ou rotação de um fluido por unidade de
área de um ponto no campo de escoamento.
A Vorticidade é definida como o dobro da velocidade angular tridimensional
(rotação).

Figura 3-Vórtice Figura 4-Vortice causando


vorticidade