Você está na página 1de 13

setor • B2 • R2

Aulas 1 a 6

3. (UNICAMP) Os dois gráficos abaixo referem-se à velocida-


Exercícios de da reação
1. Em um segmento de DNA que codifica determinada proteína, → C + D,
A + B ←
considere duas situações: que ocorre em animais de uma mesma espécie, quando suas
a) um nucleotídeo é suprimido; temperaturas variam. O gráfico número 1 representa a reação
b) um nucleotídeo é substituído por outro. A situação “a”, em um indivíduo que, além dos reagentes A e B, possui o poli-
geralmente, é mais drástica que situação “b”. Explique peptídeo E, que não ocorre no indivíduo do gráfico número 2.
por quê.
1 2
A substituição de um nucleotídeo por outro mudará, no má- V V
2.000 0,002
ximo, o significado de um códon, e portanto, haverá no máxi-
mo a troca de um aminoácido. A supressão de um nucleotí- 1.500 0,0015
deo, no entanto, altera a leitura de todos os códons, da-
quele ponto em diante, implicando a possível troca de todos 1.000 0,001
os aminoácidos correspondentes.
500 0,0005

30 32 34 36 38 40 temp. 30 32 34 36 38 40 temp.
2. (FUVEST) Certos mutantes nutricionais do fungo Neurospora °C °C
só conseguem crescer quando aminoácidos são adicionados
ao meio de cultura. Na tabela abaixo, o sinal + significa V = velocidade de formação do produto C em mg/hora.
crescimento, e o sinal – significa ausência de crescimento. Baseado nos gráficos, responda:
a) em que grupo de substâncias pode ser classificado o
Meio Meio simples Meio simples Meio simples
Mutante polipeptídeo E?
simples mais ornitina mais citrulina mais arginina b) dê duas justificativas para a sua classificação.
x – + + + a) o polipeptídeo E pode ser classificado como uma enzima.
y – – + + b) 1- A velocidade da reação, em 1, é da ordem de um mi-
z – – – + lhão de vezes maior do que em 2.
Sabe-se que as etapas que levam à síntese da arginina são: 2- À temperatura acima de 40°C, em 1, a velocidade da
Gene 1 Gene 2 Gene 3
SUBSTRATO → ORNITINA → CITRULINA → ARGININA
reação diminui, denotando a possível desnaturação da
proteína enzimática.
Supondo que em cada mutante há apenas um gene altera-
do, explique o porquê do mutante Z só crescer quando se
adiciona arginina ao meio de cultura.
Deve faltar, no mutante Z, o gene 3, que transforma a citru-
lina em arginina. Isso é deduzido pelo fato de a adição de ci-
trulina ao meio de cultura não ser efetiva, condição que de-
nuncia a incapacidade de transformá-la em arginina. Os de-
mais genes devem estar presentes (o enunciado propõe que
cada mutante tem apenas um gene alterado).

BIOLÓGICAS-R2 144 ANGLO VESTIBULARES


4. (FUVEST/2003) O kwashiorkor e o marasmo são doenças in- 6. (UNIFESP) Observe atentamente os dois gráficos apresentados.
fantis por deficiência nutricional encontradas em regiões sub-
GRÁFICO 1: COBERTURA DA VACINAÇÃO CONTRA SARAMPO
desenvolvidas. Kwashiorkor é uma palavra de origem africa-
EM MENORES DE UM ANO NO BRASIL, DE 1980 A 1997.
na que significa “doença que afeta uma criança quando nasce
outra (uma irmã ou um irmão)”. A doença caracteriza-se por %
100
retardo de crescimento, cabelos e pele descoloridos e inchaço 90
do corpo, principalmente da barriga, devido ao acúmulo de lí- 80
70
quido nos tecidos. Esse quadro decorre da falta quase com- 60
pleta de proteínas na dieta, a qual é constituída essencialmen- 50
40
te por carboidratos. 30
20
O marasmo, fraqueza extrema, caracteriza-se por atrofia dos 10
músculos, ossos salientes e fácies de um velho; é um quadro 0
80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97
de subnutrição completa causada por deficiência calórica e ano
protéica. GRÁFICO 2: TAXA DA INCIDÊNCIA ANUAL DE SARAMPO EM
a) Explique a relação entre a causa do kwashiorkor e o sig- MENORES DE UM ANO NO BRASIL, DE 1982 A 1997.
nificado atribuído a essa palavra africana. %
b) Por que alimentos protéicos são fundamentais na com- 100
posição da dieta das crianças?
80
c) Explique por que a deficiência calórica faz a criança ema-
grecer. 60

a) O kwashiorkor se caracteriza, como a questão menciona, 40

por uma deficiência de proteínas na dieta. Essa situação 20

decorre do nascimento de um segundo filho, fato que leva 0


82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97
a mãe a deixar de amamentar o primeiro, que, assim,
passa a receber uma dieta pobre em proteínas. (Programa Nacional de Imunização, Ministério da Saúde)

b) Proteínas são substâncias plásticas ou estruturais, a) O gráfico 2 indica claramente a ocorrência de epidemias
fontes de aminoácidos, componentes fundamentais para de sarampo em dois anos distintos no Brasil. Para reduzir
o crescimento do organismo. rapidamente e de imediato o número de doentes durante
c) A deficiência calórica é conseqüência de uma ingestão in- uma epidemia, é mais suficiente o uso do soro ou da vaci-
suficiente de alimentos. Para se manter vivo, o organismo na? Justifique.
recorre à utilização de suas próprias reservas celulares b) Considere, nos gráficos, o ano de 1997. É mais correto
— carboidratos, lipídios e proteínas —, o que leva ao supor que, ao longo desse ano, os resultados representa-
dos no gráfico 1 tenham influenciado os resultados repre-
emagrecimento.
sentados no gráfico 2 ou o inverso? Justifique.
5. (UNESP/2006) Em algumas marcas de refrigerante, consta a) No caso de uma epidemia, seria mais eficiente a utiliza-
na embalagem a advertência: Atenção fenilcetonúricos: con- ção do soro terapêutico. Isso porque, no soro, existem
tém fenilalanina. anticorpos específicos que irão promover a imediata
a) A fenilalanina é um aminoácido natural ou um aminoáci- neutralização dos antígenos presentes no organismo do
do essencial? Explique o que é um aminoácido natural ou doente.
explique o que é um aminoácido essencial. b) É mais razoável supor que, para o ano de 1997, os resul-
b) Por que razão a fenilalanina não é indicada para pessoas tados representados no gráfico 2 (incidência de cerca de
portadoras de fenilcetonúria?
20% da doença) tenham influenciado os resultados
a) A fenilalanina é um aminoácido essencial. Aminoácidos representados no gráfico 1 (cobertura de vacinação
essenciais são aqueles que não são produzidos pelo or- próxima a 100%). Isso porque a eclosão de um grande
ganismo, devendo obrigatoriamente ser obtidos através número de casos da doença, ao longo do ano, pode ter
dos alimentos. Aminoácidos naturais são aqueles produ- estimulado as pessoas — alertadas ou não por campa-
zidos no organismo. nhas públicas — a uma maior procura de proteção para
b) Os fenilcetonúricos não possuem a enzima necessária ao seus filhos, por meio da vacinação.
metabolismo da fenilalanina; dessa forma, se esses in-
divíduos ingerirem grande quantidade desse aminoácido,
o excesso resultante poderá causar danos ao organismo.

BIOLÓGICAS-R2 145 ANGLO VESTIBULARES


7. (UNESP/2006) Leia os seguintes fragmentos de textos: b) Quantos aminoácidos deverão compor a cadeia de poli-
1. Edward Jenner, um médico inglês, observou no final do peptídeos que será formada? Justifique sua resposta.
século XVIII que um número expressivo de pessoas a) O RNA mensageiro transcrito da cadeia ativa deverá
mostrava-se imune à varíola. Todas eram ordenhadoras
apresentar 12 uracilas e 10 guaninas.
e tinham se contaminado com “cowpox”, uma doença
do gado semelhante à varíola pela formação de pústulas,
b) Haverá 24 aminoácidos na cadeia polipeptídica. Cada
mas que não causava a morte dos animais. Após uma trinca de bases (códon) determina a colocação de um
série de experiências, constatou que estes indivíduos aminoácido específico na cadeia. Assim, as 72 bases pre-
mantinham-se refratários à varíola, mesmo quando sentes no RNA mensageiro codificarão uma molécula de
inoculados com o vírus. polipeptídio com 24 aminoácidos.
(www.bio.fiocruz.br)
9. (FUVEST/2003) Considere uma levedura, que é um fungo
2. A 6 de julho de 1885, chegava ao laboratório de Louis
unicelular, multiplicando-se num meio nutritivo, onde a úni-
Pasteur um menino alsaciano de nove anos, Joseph
ca fonte de carbono é a sacarose, açúcar que não atraves-
Meister, que havia sido mordido por um cão raivoso.
sa a membrana celular.
Pasteur, que vinha desenvolvendo pesquisas na atenua-
ção do vírus da raiva, injetou na criança material pro- a) De que processo inicial depende o aproveitamento da
veniente de medula de um coelho infectado. Ao todo, sacarose pela levedura?
foram 13 inoculações, cada uma com material mais b) Que composto de carbono é eliminado pela levedura ca-
virulento. Meister não chegou a contrair a doença. so ela utilize os produtos originais da sacarose nas rea-
(www.bio.fiocruz.br) ções de oxidação que ocorrem em suas mitocôndrias?
a) Qual dos fragmentos, 1 ou 2, refere-se a processos de a) O aproveitamento da sacarose depende da ação de uma
imunização passiva? Justifique sua resposta. enzima de ação extracelular, a sacarase, produzida e
b) Que tipos de produtos (medicamentos) puderam ser pro- secretada pela levedura.
duzidos a partir das experiências relatadas, respectiva- b) O composto de carbono eliminado pela levedura é o gás
mente, nos fragmentos de texto 1 e 2? Que relação exis- carbônico (CO2), produzido na respiração aeróbia, pro-
te entre o fenômeno observado no relato 1 e as chama-
das células de memória? cesso de oxidação dos açúcares, que ocorre, em sua
maior parte, nas mitocôndrias.
a) Embora a formulação da questão induza a crer que um
dos fragmentos trate de processos de imunização pas- 10. (FUVEST) Uma doença genética de herança dominante é cau-
siva — nos quais se introduzem no indivíduo a ser imuni- sada por mutações em um gene localizado em um autosso-
mo. Os indivíduos A, B e C têm mutações em um segmento
zado anticorpos produzidos por outro organismo —, am-
de DNA desse gene, cuja seqüência normal está representada
bos relatam, na verdade, situações que caracterizariam abaixo. Usando a tabela que relaciona alguns códons aos res-
a vacinação, pois mostram casos em que a entrada de pectivos aminoácidos e considerando que a fita molde a ser
antígenos levou à produção de anticorpos (imunização transcrita é aquela assinalada com a letra m, responda:
ativa).
b) A partir das experiências relatadas, a Medicina pôde ela- códon aminoácido códon aminoácido
borar vacinas. No fenômeno observado em 1, houve a sele- AAA lisina CUA leucina
ção clonal de células produtoras de anticorpos capazes AAC aspargina GAU ácido glutâmico
de reconhecer tanto o antígeno da “cowpox” como o da AAG lisina GCC alanina
varíola humana. Essas células (de memória) se multipli-
ACU treonina GUA valina
cam e permanecem no organismo, permitindo uma rápida
resposta caso haja nova exposição ao mesmo antígeno. AGU serina GUU valina
Cabe notar que o fragmento 2 refere-se a um caso de vaci- AUG metionina UAA de parada
nação posterior à penetração do antígeno (pela mordida), o CAA glutamina UAC tirosina
que não caracteriza um caso de imunização passiva, em CAU histidina UGA de parada
que são inoculados anticorpos prontos. CCU prolina UUG leucina

8. (UNESP/2003) Em um segmento da cadeia ativa de DNA, Seqüência normal


que servirá de molde para a fita de RNA mensageiro, há 30
CAA AAC TGA GGA ATG CAT TTC (m)
timinas e 20 guaninas. No segmento correspondente da fita
GTT TTG ACT CCT TAC GTA AAG
complementar do DNA há 12 timinas e 10 guaninas. Levan-
do-se em consideração essas informações, responda. Indivíduo A
a) Quantas uracilas e quantas guaninas comporão a fita do CAA AAC TGA GGA ATT CAT TTC (m)
RNA mensageiro transcrito do DNA ativado? GTT TTG ACT CCT TAA GTA AAG

BIOLÓGICAS-R2 146 ANGLO VESTIBULARES


Indivíduo B a) Sendo a duplicação do DNA semiconservativa, todas as
CAT AAC TGA GGA ATG CAT TTC (m) moléculas presentes na amostra B terão uma fita com
GTA TTG ACT CCT TAC GTA AAG nitrogênio pesado (15N) e uma fita com nitrogênio normal
Indivíduo C (14N).
CAA TAC TGA GGA ATG CAT TTC (m) b) Haverá, na faixa superior, uma quantidade de DNA igual
GTT ATG ACT CCT TAC GTA AAG à da faixa inferior, ou seja, X.
a) Quais serão os segmentos de proteínas produzidos,
respectivamente, pelos indivíduos A, B e C? 12. (UNICAMP/2006) As macromoléculas (polissacarídeos, pro-
b) Como será o fenótipo (normal ou afetado) dos indiví- teínas ou lipídios) ingeridas na alimentação não podem ser
duos A, B e C? Por quê? diretamente usadas na produção de energia pela célula. Essas
macromoléculas devem sofrer digestão (quebra), produzindo
a) Os segmentos produzidos serão: moléculas menores, para serem utilizadas no processo de
A: Valina – Leucina – Treonina – Prolina – ponto de pa- respiração celelular.
rada a) Quais são as moléculas menores que se originam da diges-
B: Valina – Leucina – Treonina – Prolina – Tirosina – Valina tão das macromoléculas citadas no texto?
– Lisina b) Como ocorre a “quebra” química das macromoléculas in-
C: Valina – Metionina – Treonina – Prolina – Tirosina – geridas?
Valina – Lisina c) Respiração é um termo aplicado a dois processos distin-
b) Os indivíduos A e C serão afetados porque apresentarão tos, porém intimamente relacionadas, que ocorrem no or-
proteínas diferentes daquela determinada pela seqüên- ganismo em nível pulmonar e celular. Explique que rela-
cia normal (A apresentará uma proteína menor, e C terá ção existe entre os dois processos.
um aminoácido trocado em relação à proteína normal). O a) As moléculas resultantes em cada caso são, respectiva-
indivíduo B será normal porque a mutação não altera o mente: monossacarídeos; aminoácidos; ácidos graxos e
aminoácido codificado pelo códon afetado (tanto CAA glicerol.
como CAT codificam o aminoácido Valina). b) As macromoléculas ingeridas são submetidas, durante o
11. (FUVEST) Bactérias (Escherichia coli ) foram cultivadas du-
processo digestivo, à hidrólise enzimática.
rante várias gerações em um meio de cultura na qual toda a c) A respiração pulmonar (trocas gasosas) permite a ocor-
fonte de nitrogênio era o isótopo pesado 15N. rência da respiração celular aeróbica. Os pulmões cap-
De uma amostra dessas bactérias (amostra A), extraiu-se tam o oxigênio necessário e eliminam o gás carbônico
o DNA que foi submetido a uma técnica de centrifugação produzido nas células.
que permite separar moléculas de DNA de acordo com sua
densidade. O restante das bactérias foi transferido para um
meio de cultura em que todo o nitrogênio disponível era o 13. (UNICAMP/2006) Fibroblasto é um tipo de célula do tecido
isótopo normal 14N. Retirou-se uma segunda amostra conjuntivo que sintetiza e secreta glicoproteínas como o colá-
(amostra B), quando as bactérias completaram uma divisão geno. Algumas organelas citoplasmáticas, como o retículo en-
celular nesse novo meio e uma terceira amostra (amostra C), doplasmático rugoso, o complexo de Golgi e as vesículas, par-
quando as bactérias completaram duas divisões celulares. ticipam de forma interativa nessas funções.
O DNA das bactérias das amostras B e C foi também ex- a) Qual é o papel de cada uma das organelas citadas?
traído e centrifugado. b) Indique duas funções do tecido conjuntivo.
a) Retículo endoplasmático rugoso: síntese das proteínas
Densidade do DNA que irão fazer parte das glicoproteínas, como o colágeno.
apenas com 14N Complexo de Golgi: recebe as proteínas sintetizadas
pelo retículo rugoso e as une a polissacarídeos por ele
Densidade do DNA
apenas com 15N
sintetizados, originando as glicoproteínas propriamente
ditas. Além disso, empacota a substância produzida em
A B C
vesículas, liberadas no hialoplasma.
A figura mostra o resultado da centrifugação do DNA das Vesículas: deslocam-se pelo hialoplasma, fundindo-se à
três amostras de bactérias. membrana plasmática, o que permite a secreção (ex-
a) Por que, na amostra B, todo o DNA tem uma densidade portação) da substância para o meio.
intermediária entre o que é constituído apenas por 14N e b) No caso do tecido conjuntivo, poderiam ser citadas duas
o que contém apenas 15N? das seguintes funções: união de outros tecidos, nutri-
b) Considerando que, na amostra C, a quantidade de DNA ção do tecido epitelial, sustentação (no caso de ossos
separada na faixa inferior é X, que quantidade de DNA há e cartilagens), transporte (no caso do sangue), etc.
na faixa superior?

BIOLÓGICAS-R2 147 ANGLO VESTIBULARES


14. (FUVEST/2003) Certas doenças hereditárias decorrem da 16. (FUVEST) Em que células do corpo humano podemos encon-
falta de enzimas lisossômicas. Nesses casos, substâncias orgâ- trar as estruturas abaixo e quais são suas funções?
nicas complexas acumulam-se no interior dos lisossomos e
formam grandes inclusões que prejudicam o funcionamento Célula onde
das células? Estrutura pode ser Função
a) O que são lisossomos e como eles contribuem para o bom encontrada
funcionamento de nossas células?
b) Como se explica que as doenças lisossômicas sejam here- Células da Aumento da
ditárias se os lisossomos não são estruturas transmissíveis a microvilo- mucosa superfície de
de pais para filho? sidades intestinal absorção
a) Os lisossomos são organelas citoplasmáticas mem-
branosas que contêm, em seu interior, enzimas diges- Células do
tivas. Assim, são fundamentais no processo de diges- Movimentação
epitélio que (remoção)
tão intracelular e na reciclagem de materiais celulares. b cílios
reveste a do muco
b) As enzimas lisossômicas são proteínas que são pro- traquéia
duzidas a partir da informação contida nos genes.
Um defeito num gene que condicione a produção de uma
Esperma-
enzima lisossômica (mutação) de um ou ambos os pais c flagelos Locomoção
tozóides
pode ser transmitido a seus descendentes.

Alguns Fagocitose,
15. (UNIFESP) O esquema representa parte da membrana plas- d pseudópodos leucócitos para defesa
mática de uma célula eucariótica.

Y
123 17. (UNICAMP) Foi feito um experimento utilizando a epiderme
de folha de uma planta e uma suspensão de hemácias. Es-
ses dois tipos celulares foram colocados em água destilada
123

e em solução salina concentrada. Observou-se ao micros-


X
cópio que as hemácias, em presença de água destilada, es-
touravam e, em presença de solução concentrada, mur-
chavam. As células vegetais não se rompiam em água des-
tilada, mas em solução salina concentrada notou-se que o
a) A que correspondem X e Y?
conteúdo citoplásmatico encolhia.
b) Explique, usando o modelo do “mosaico fluido” para a
membrana plasmática, como se dá a secreção de produtos a) A que tipo de transporte celular o experimento está re-
do meio intracelular para o meio extracelular. lacionado?
b) Em que situação ocorre esse tipo de transporte?
a) X corresponde a uma camada dupla de fosfolipídeos, c) A que se deve a diferença de comportamento da célula
enquanto Y representa uma molécula de proteína. vegetal em relação à célula animal? Explique a diferença
b) As vesículas de secreção têm seu conteúdo delimitado de comportamento, considerando as células em água des-
por uma membrana lipoproteína, semelhante à mem- tilada e em solução concentrada.
brana plasmática. A vesícula se desloca até a superfície a) Osmose.
da célula, onde ocorre a fusão entre as camadas bilipídi- b) Esse tipo de transporte, onde apenas o solvente se movi-
cas da membrana da vesícula e as da membrana plas- menta, ocorre entre duas soluções de concentrações di-
mática. Como resultado, o material de secreção pas- ferentes, separadas por uma membrana semipermeável.
sa para o meio extracelular. c) Em água destilada, as células vegetais não estouram
com a entrada de água, devido à presença de uma mem-
brana esquelética de celulose, resistente e elástica. Em
solução concentrada, os dois tipos de células perdem
água. As células murcham, reduzindo-se seu volume, en-
quanto as células vegetais sofrem retração de seu va-
cúolo e de seu citoplasma, não havendo, no entanto, re-
tração da parede celular (plasmólise).

BIOLÓGICAS-R2 148 ANGLO VESTIBULARES


18. (FUVEST) As leveduras podem viver tanto na presença quan- 20. (FUVEST) Um pesquisador forneceu a uma cultura de algas
to na ausência do gás oxigênio. gás carbônico marcado com o isótopo 18O do oxigênio. A
a) Que processos de obtenção de energia as leveduras reali- uma segunda cultura de algas foi fornecida água com esse
zam em cada uma dessas situações? mesmo isótopo. As culturas foram mantidas iluminadas por
b) Em qual das situações a atividade metabólica das levedu- um certo tempo, após o que as substâncias químicas pre-
ras é mais alta? Por quê? sentes no meio e nas células das algas foram analisadas.
a) Em presença de oxigênio, as leveduras realizam a respi- a) Além de gás carbônico, que outras substâncias apresen-
ração aeróbica; na sua ausência, fazem fermentação tarão o isótopo 18O na primeira cultura? Justifique sua
resposta.
alcoólica.
b) Além da água, que outras substâncias apresentarão o isó-
b) A atividade metabólica é mais alta no caso da respira-
topo 18O na segunda cultura? Justifique sua resposta.
ção aeróbia, que libera maior quantidade de energia (38
ATP) do que a fermentação (2 ATP), por molécula de gli- a) O isótopo 18O aparecerá na glicose e na água produzida
cose consumida. na reação. Isso porque, como se sabe, o oxigênio produ-
zido na fotossíntese provém da água, enquanto os dois
átomos de oxigênio do gás carbônico vão, respectivamen-
19. (UNESP/2006) Um pesquisador montou um experimento te, um para a glicose e o outro para a molécula de água
com 3 recipientes de vidro transparente: A, B e C. Em cada que a reação produz.
um deles, colocou uma planta de mesmo tipo e tamanho e, b) Além da água, encontraremos o isótopo no oxigênio mole-
ao lado da planta, um chumaço de algodão embebido na
cular liberado, conforme justificamos em a.
solução vermelho de cresol, que indica, por mudança de
cor, alterações na concentração de CO2 no ambiente. Os
recipientes foram lacrados, e cada um deles permaneceu
por algumas horas sob diferentes condições: o recipiente
A foi mantido sob luz solar intensa; o recipiente B foi 21. (FUVEST/2000) Foi realizado um experimento com o ob-
mantido sob luz de intensidade suficiente para que a planta jetivo de verificar o efeito da intensidade luminosa sobre a
se mantivesse em seu ponto de compensação fótico; o massa de carboidratos produzida e armazenada por deter-
recipiente C foi mantido no escuro. minada espécie de plantas, mantida em um ambiente com
a) Em qual(is) recipiente(s) ocorreu fotossíntese? Em temperatura constante. Os resultados obtidos foram os
qual(is) recipiente(s) ocorreu respiração? seguintes (unidades arbitrárias):
b) Em quais recipientes a solução de vermelho de cresol
mudou de cor? Justifique. Intensidade 10 13 15 18 20 25 30 34
a) Ocorreu fotossíntese apenas nas plantas dos recipien- luminosa
tes A e B; o processo da respiração ocorreu em todos Carboidrato 3 5 7 8 9 10 10 10
os três recipientes. armazenado
b) A solução de vermelho de cresol deverá mudar de cor nos
recipientes A e C. No recipiente A, a planta estava a) No quadriculado impresso na folha, desenhe um gráfico
acima de seu ponto de compensação fótico, reali- que mostre a relação entre a intensidade luminosa e o
armazenamento de carboidrato.
zando a fotossíntese com maior intensidade do que a
respiração. Nesse caso, a concentração de CO2 no
interior do recipiente diminuiu. No recipiente C, ocorreu
apenas a respiração, com o conseqüente aumento no
teor de gás carbônico em seu interior. No recipiente B,
a planta está em seu ponto de compensação e, por-
tanto, não se altera a concentração de gases (O2 e
CO2) ao seu redor.

BIOLÓGICAS-R2 149 ANGLO VESTIBULARES


b) Indique a posição provável do ponto de compensação d) Quando as plantas atingem seu ponto de compensação
fótico, ou seja, o valor de intensidade luminosa em que as fótico (PCF), sua taxa de fotossíntese é exatamente
taxas de fotossíntese e de respiração se equivalem. igual à taxa de respiração. Isso se justifica pelo fato de
a) não haver, nesse ponto, liberação ou absorção de gás
carbônico do ambiente, como se pode verificar no gráfico.
13 No ponto de saturação luminosa (PSL), as plantas atin-
Unidades de carboidrato armazenado

gem a taxa máxima de fotossíntese. Nesse caso, outros


11 fatores, que não a luz (como a água e o gás carbônico),
passam a limitar o processo.
9

23. (FUVEST/2006) No desenho abaixo, estão representados


5
dois cromossomos de uma célula que resultou da 1ª- divisão
da meiose de um indivíduo heterozigótico AaBb.
3

1
A A
0 2 6 10 14 18 22 26 30 34
Unidades de intensidade luminosa

b) O valor provável de intensidade luminosa em que ocorre


o ponto de compensação fótico fica em torno de 5 uni- B B
dades.

22. (UNICAMP/2006) O gráfico abaixo mostra a variação da ta- Esquematize esses cromossomos, com os genes mencio-
xa de fotossíntese de duas espécies de árvores de uma flo- nados,
resta. Uma espécie é de ambiente aberto, enquanto a outra
a) no final da interfase da célula que originou a célula do
vive sob outras árvores.
desenho.
b) nas células resultantes da 2ª- divisão meiótica da célula
Consumo de CO2

b do desenho.
c) em todas as células resultantes da meiose que originou
a célula do desenho.
a
a)

intensidade
Produção de CO2

PSLa PSLb
luminosa A A a a
PCFb

PCFa
B B b b

a) Indique qual das curvas (a ou b) corresponde à variação


da taxa de fotossíntese das árvores de ambientes som-
breados. Justifique, utilizando os dados apresentados no b)
gráfico.
b) O que acontece com as plantas em geral, quando atingem
o seu ponto de compensação fótico (PCF)? E quando atin- A
gem o ponto de saturação luminosa (PSL)? Justifique as
duas respostas.
a) A curva a corresponde à variação da taxa de fotossínte-
se das árvores de ambientes sombreados. Isso porque o B

ponto de compensação luminoso dessas plantas é atin-


gido em menor intensidade luminosa do que o da espécie
da curva b.

BIOLÓGICAS-R2 150 ANGLO VESTIBULARES


c) 25. (FUVEST) No heredograma abaixo estão representados indi-
víduos afetados pelo albinismo, que tem herança autossômica
recessiva.
A A
NORMAL
ALBINO

B B I
1 2 3 4

II
1 2 3
a a ?

a) Sabendo-se que, na população, a freqüência de heterozi-


gotos para o albinismo é 1/50, qual a probabilidade de
que o casal II-2 × II-3 tenha uma criança albina?
b b b) Se o primeiro filho desse casal for albino, qual a probabili-
dade de que a próxima criança do casal também seja albina?
a) A probabilidade de a mulher II-2 ser heterozigota é cal-
24. (UNESP/2006) Em uma das brincadeiras feitas com os par- culada através dos dados de sua família, e é igual a
ticipantes do programa Big Brother Brasil VI, dois irmãos 2/3 (já que nasceu normal).
gêmeos monozigóticos apresentaram-se como se fossem A probabilidade de o homem II-3 ser heterozigoto, em
uma única pessoa, revezando-se nos contatos com os par- termos populacionais, é de 1/50.
ticipantes. Nenhum dos participantes do programa descobriu A probabilidade de um casal de heterozigotos ter filho
a farsa. Na final do programa, o apresentador referiu-se ao albino é de 1/4.
episódio da seguinte forma:
Assim, efetua-se
Dois espermatozóides mais um óvulo: ... dá uma encrenca
2 1 1 1
univitelínea. × × =
3 50 4 300
a) Em relação à origem dos gêmeos monozigóticos, o co-
mentário do apresentador está correto? Justifique. b) Se o primeiro filho do casal for albino, ficamos sabendo,
b) Por que razão os gêmeos monozigóticos são tão pare- com certeza, que os pais são heterozigotos. Assim, a pro-
cidos fisicamente? Quando diferem em características babilidade de uma próxima criança nascer albina é de 1/4.
físicas, qual a razão dessa diferença?
26. (UNICAMP) A herança da cor do olho na espécie humana ge-
a) Não. Gêmeos monozigóticos originam-se a partir de
ralmente é representada simplificadamente como um par de
um único zigoto, ou seja, de um óvulo que foi fecunda- alelos, A (dominante, determinando cor castanha) e a (reces-
do por um único espermatozóide. Se, em algum mo- sivo, determinando cor azul). Baseando-se nessa explicação,
mento do desenvolvimento inicial do embrião, ocorrer analise as afirmações abaixo, proferidas por casais em relação
a separação de duas massas celulares distintas, es- à cor dos olhos de seu bebê, verificando se elas têm funda-
sas poderão dar origem a dois indivíduos idênticos. mento. Justifique sua resposta.
b) Os gêmeos monozigóticos são geneticamente idênticos a) Afirmação de um casal de olhos azuis: “nosso bebê poderá
(clones), já que provêm de um mesmo patrimônio ge- ter olhos castanhos porque as avós têm olhos castanhos”.
nético contido no zigoto do qual se originaram. Quan- b) Afirmação de um casal de olhos castanhos: “nosso bebê
do há pequenas diferenças físicas entre eles, elas de- poderá ter olhos azuis porque o avô paterno têm olhos
correm de fatores ambientais, e não genéticos. azuis”.
a) Essa afirmação é falsa. Tendo o casal olhos azuis, o ge-
nótipo de ambos é aa e não poderão ter filhos de olhos
castanhos (A–).
b) Essa afirmação também é falsa. O fato de o avô paterno
ter olhos azuis garante que o pai da criança possui o
gene a. Isso, no entanto, não é condição suficiente para o
nascimento de uma criança de olhos azuis (aa). O gene
a, afinal, não está necessariamente presente no genótipo
da mãe da criança.

BIOLÓGICAS-R2 151 ANGLO VESTIBULARES


27. (FUVEST) Um tratamento utilizado para certos tipos de b) O segmento seria o seguinte: “Os cientistas... coletaram
doenças do sangue é a destruição completa da medula óssea sangue da menina, separaram os linfócitos (células bran-
do paciente e implante de células medulares sadias provenien- cas) e usaram um retrovírus para introduzir uma cópia
tes de um doador. correta do gene nestas células. Então eles reintrodu-
Eugênio, cujo grupo sangüíneo é A, recebeu um transplante ziram os linfócitos na paciente. As células alteradas
de medula óssea de seu irmão Valentim, cujo grupo sangüí-
produziram a enzima que faltava...”
neo é B, e a operação foi bem sucedida.
a) Qual será o grupo sangüíneo de Eugênio após o transplan-
29. (FUVEST) Em uma espécie de planta a forma dos frutos
te? Por quê?
pode ser alongada, oval ou redonda. Foram realizados quatro
b) Sabendo-se que a mãe e a esposa de Eugênio têm sangue
tipos de cruzamento entre plantas dessa espécie e obtidos os
do tipo O, qual será a probabilidade de um futuro filho do
seguintes resultados:
casal ter sangue do tipo A? E do tipo B?
a) O grupo sangüíneo de Eugênio passará a ser B, após o Tipos de planta Descendência
Cruzamento
transplante. Isso porque as células da medula transplan- cruzados obtida
tada passarão a produzir hemácias do tipo B. Fruto longo
b) A probabilidade de o futuro filho do casal ser do grupo A I × 100% fruto oval
é de 50% (1/2). A probabilidade de o filho ser do tipo B é fruto redondo
zero. Fruto longo 50% fruto longo:
É bom lembrar que o genótipo de Eugênio continuará sen- II × 50% fruto oval
do I Ai (o gene i provém de sua mãe), já que o transplante fruto oval
de medula não altera a carga genética do indivíduo.
Fruto redondo 50% fruto redondo:
III × 50% fruto oval
28. (UNESP) O primeiro teste de terapia gênica humana utilizou
fruto oval
célula sangüíneas, pois estas são de fácil obtenção e de fácil
reintrodução no corpo. A paciente foi uma menina com a Fruto oval 25% fruto longo:
doença da imunodeficiência combinada severa. Esta criança IV × 50% fruto oval:
possuía um sistema imune extremamente deficiente e não fruto oval 25% fruto redondo
podia defender-se contra infecções. Sua doença era a mesma
que a do “menino da bolha” que viveu sua curta vida em um a) Formule uma hipótese consistente com os resultados obti-
ambiente estéril. A causa da doença da menina era um defei- dos para explicar a herança da forma dos frutos nessa
to em um gene que codifica a enzima adenosina desaminase espécie.
(ADA). Os cientistas do National Institute of Health dos Esta- b) Represente os alelos por letras e indique os genótipos dos
dos Unidos coletaram sangue da menina, separam os linfóci- indivíduos parentais e dos descendentes no cruzamento IV.
tos (células brancas) e usaram um retrovírus para introduzir
uma cópia correta do gene nestas células. Então eles reintro- a) Os resultados obtidos permitem formular a hipótese de
duziram os linfócitos na paciente. As células alteradas produ- que se trata de um caso de herança determinada por um
ziram a enzima que faltava e, hoje, a menina é mais saudável par de genes alelos, sem dominância (codominantes). Um
que antes. dos alelos determinaria, em homozigose (LL), o fenótipo
(Kreuzer, H.; Massey, A. Engenharia Genética e Biotecnologia. “fruto longo”. O outro alelo, também em homozigose (RR),
Porto Alegre. Artmed, 2002.)
causaria o fenótipo “fruto redondo”. Esses genes, quan-
a) A partir do exemplo apresentado no texto, explique em do em heterozigose (LR), condicionariam o fenótipo inter-
que consistem, de maneira geral, os tratamentos deno-
mediário “fruto oval”. Essa hipótese é corroborada pelos
minados “terapia gênica”.
b) Selecione e transcreva o segmento do texto que justifica resultados obtidos nos 4 cruzamentos propostos.
a afirmação de que a terapia gênica é um exemplo de en- b) Alelos: L para fruto longo e R para fruto redondo.
genharia genética. Genótipos no cruzamento IV:
a) Os tratamentos de terapia gênica consistem, simplifica- * Parentais — LR × LR
damente, na introdução de cópias corretas de um deter- * Descendentes — LL (25%), LR (50%) e RR (25%)
minado gene nos tecidos de um indivíduo no qual o gene
original apresenta um defeito. Essa introdução pode ser
feita por meio de um vetor, como um retrovírus, por exem-
plo. Daquele momento em diante, o gene passará a pro-
duzir a substância adequada — uma enzima, por exem-
plo —, cuja falta era responsável pela manifestação da
doença.

BIOLÓGICAS-R2 152 ANGLO VESTIBULARES


30. (FUVEST) O cruzamento AaBb × aabb produziu a seguinte 3) Prega transversal contínua na palma da mão.
descendência: 4) Língua fissurada.
genótipos freqüências
AaBb 48% 33. (FUVEST) Em uma gravidez gemelar, o par de gêmeos é do
aaBb 2% sexo masculino.
Aabb 2% a) Estes gêmeos devem ser monozigóticos ou dizigóticos?
aabb 48% Por quê?
b) Se um dos gêmeos herdou o alelo dominante A de sua
a) Qual a distância entre os genes em questão, em unidades
mãe heterozigótica Aa, qual é a probabilidade de que esse
de recombinação?
alelo também esteja presente no outro gêmeo?
b) Qual a posição dos genes nos cromossomos do hetero-
zigoto utilizado no cruzamento? a) Os gêmeos podem ser tanto monozigóticos quanto dizi-
a) A distância é de 4 unidades. góticos. No primeiro caso, teria ocorrido a fecundação de
um único óvulo por um espermatozóide portador de cro-
A B mossomo Y. No segundo caso, a fecundação simultânea
b) A posição dos genes é , no heterozigoto, ou seja,
a b de dois óvulos, cada um deles fertilizado por um esper-
trata-se de um heterozigoto CIS. matozóide contendo o cromossomo Y.
b) Caso os gêmeos sejam monozigóticos, essa probabilidade
31. (FUVEST) O daltonismo é uma característica de herança é igual a 1 (100%, ou certeza absoluta). Se os gêmeos fo-
recessiva ligada ao X. Uma menina tem síndrome de Tur- rem dizigóticos, a probabilidade é igual a 1/2 (50%).
ner (cariótipo 45, X) e é daltônica. Seus pais têm visão
normal para cores. 34. (UNESP/2003) José é uma pessoa muito interessada na cria-
Qual dos genitores deve ter contribuído com o gameta sem ção de gatos. Um de seus gatos apresenta hipoplasia testicu-
cromossomo sexual? Explique por quê. lar (testículos atrofiados) e é totalmente estéril. José procu-
Foi o pai quem contribuiu com o gameta sem cromossomo rou um veterinário que, ao ver as cores preta e amarela do
sexual. Isso porque, sendo o pai normal para o daltonismo, animal, imediatamente fez o seguinte diagnóstico: trata-se de
teria fornecido o cromossomo X com gene para a normalida- um caso de aneuploidia de cromossomos sexuais. As cores
nos gatos domésticos são determinadas por um gene A (cor
de, e neste caso, a menina não seria daltônica. Na realidade,
amarela) e outro gene P (cor preta), ambos ligados ao sexo,
a mãe deve ser heterozigota para o daltonismo, e foi res- e o malhado apresenta os dois genes (A e P).
ponsável pela transmissão do gene.
a) O que é e qual o tipo de aneuploidia que o gato de José
apresenta?
32. (UNICAMP) No cariótipo humano abaixo existe uma dada al- b) Qual a explicação dada pelo veterinário relacionando a
teração cromossômica. Identifique-a e explique um mecanis- anomalia com as cores do animal?
mo que poderia levar à sua formação, citando 3 característi-
cas clínicas decorrentes desta alteração. a) Aneuploidia é uma alteração do número de cromossomos
de uma célula, sem envolver, porém, aumento ou diminui-
ção de conjuntos haplóides. A aneuploidia apresentada
1 2 3 4 5 pelo gato de José é uma trissomia dos cromossomos
sexuais (XXY).
b) O gato tem um gene A num de seus cromossomos X e
6 7 8 9 10 11 12
um gene P no outro. O seu genótipo, portanto, será
XAXPY. Em algumas de suas células o XA se apresenta
desespiralado e ativo, condicionando a produção de pig-
13 14 15 16 17 18 19 20 mento amarelo. Em outros grupos celulares, isso ocorre
com o cromossomo XP, que produz pigmento preto.
X
21 22
35. (FUVEST/2003) Uma espécie de lombriga de cavalo possui
A alteração é uma trissomia do cromossomo 21, conhecida apenas um par de cromossomos no zigoto (2n = 2). Um ma-
como síndrome de Down (ou mongolismo). Pode ocorrer o cho dessa espécie, heterozigótico quanto a dois pares de ale-
problema se houver uma não-disjunção do par 21, por exem- los (Aa Bb) formou, ao final da gametogênese, quatro tipos
de espermatozóides normais com diferentes genótipos quan-
plo, na meiose I.
to a esses genes.
As características que decorrem da alteração poderiam ser:
a) Qual é o número de cromossomos e o número de mo-
1) Q.I. baixo.
léculas de DNA no núcleo de cada espermatozóide?
2) Prega nas pálpebras. b) Quais são os genótipos dos espermatozóides formados?

BIOLÓGICAS-R2 153 ANGLO VESTIBULARES


c) Por que, a partir das informações fornecidas, não é possí- b) Quantos indivíduos são homozigotos?
vel estimar a proporção em cada um dos quatro tipos de c) Suponha que nessa população os cruzamentos ocorram ao
espermatozóides aparece? Explique. acaso, deles resultando, em média, igual número de des-
cendentes. Considere, também, que a característica em
a) Cada espermatozóide apresentará um cromossomo e,
questão não altera o valor adaptativo dos indivíduos. Nes-
portanto, terá uma única molécula de DNA. sas condições, qual será a porcentagem esperada de indi-
b) AB, Ab, aB e ab. víduos de fenótipo dominante na próxima geração?
c) Trata-se de um caso de linkage — ou ligação gênica —,
Justifique suas respostas, mostrando como chegou aos re-
já que os loci A e B estão obrigatoriamente no mesmo sultados numéricos.
cromossomo. No entanto, não é conhecida a disposição
dos genes nos cromossomos, nem sua distância, infor- a) A freqüência do gene dominante (A) é de 0,4, enquanto a
mações que permitiriam estimar as proporções de cada freqüência do gene recessivo (a) é de 0,6. Isso pode ser
um desses tipos de gametas. justificado da seguinte forma:
Nesta população, 36% dos indivíduos (ou 0,36) apresen-
36. (UNESP) Considere duas populações diferentes, 1 e 2, ca- tam o fenótipo recessivo, tendo como genótipo aa.
da uma com 200 indivíduos diplóides, portanto, com 400 Considerando que
alelos. A população 1 apresenta 90 indivíduos com genóti- f (aa) = q 2 = 0,36, então
po AA, 40 indivíduos com genótipo Aa e 70 indivíduos com
genótipo aa. A população 2 apresenta 45 indivíduos com f (a) = q
2 = 0,60 e, portanto,
genótipo AA, 130 indivíduos com genótipo Aa e 25 indiví-
duos com genótipo aa.
f (A) = 1 – 0,60 = 0,40.
a) Qual a freqüência dos alelos A e a em cada uma das popu- b) Haverá nesta população 52 pessoas homozigotas (AA e
lações? aa). Isso porque, nesta população, há 36 indivíduos aa, co-
b) Qual delas tem a maioria dos indivíduos homozigotos? mo dado do problema. Por outro lado, a freqüência de indiví-
Explique. duos AA = p 2 = 0,16, ou seja, 16 indivíduos.
a) População 1 c) Estando essa população em equilíbrio, as freqüências gê-
nicas e genotípicas não mudam de uma geração para ou-
Quantidade de
indivíduos com
Total de Total de tra. Por esse motivo, espera-se que a freqüência de indiví-
genes A genes a duos de fenótipo dominante seja de 64% (100% menos a
certo genótipo
90 AA 180 freqüência de recessivos, que é de 36%).
40 Aa 40 40
70 aa 140
Total de genes 220 180
Freqüência 220/400 = 0,55 180/400 = 0,45 Tarefa
1. (UNESP) Com o título “Boca Livre”, a Revista VEJA, Edição 1298,
População 2 Ano 26, nº 30, de 28 de julho de 1993, página 55, publicou artigo so-
bre uma nova droga ainda em testes, o Orlistat, desenvolvido pelo la-
Quantidade de boratório Hoffmann-La Roche. A reportagem diz que esta droga ”…
Total de Total de
indivíduos com bloqueia (uma fatia dessas) enzimas, impedindo que elas desdobrem
genes A genes a as enormes moléculas de gordura em fragmentos menores. Assim,
certo genótipo
a gordura não tem como atravessar as paredes do intestino e não
45 AA 90 chega à corrente sangüínea“. As enzimas que o Orlistat bloqueia cor-
130 Aa 130 130 respondem às
a) proteases. d) lactases.
25 aa 50 b) lipases. e) peptidases.
Total de genes 220 180 c) amilases.
Freqüência 220/400 = 0,55 180/400 = 0,45 2. (FCC) Considere os seguintes esquemas representando células co-
locadas em solução de diferentes concentrações
b) É a população 1, na qual existem 90 indivíduos AA e
70 aa, num total de 160 homozigotos.

37. (FUVEST) Numa população de 100 pessoas, 36 são afetadas I II III


por uma doença genética condicionada por um par de alelos
de herança autossômica recessiva.
a) Expresse, em frações decimais, a freqüência dos genes
dominante e recessivo.

BIOLÓGICAS-R2 154 ANGLO VESTIBULARES


A seqüência que representa a transformação de uma célula túrgida, 10. (FUVEST) Tem-se observado que células em grande atividade apre-
que sofre plasmólise ao ser colocada numa solução de diferente sentam muito retículo endoplasmático rugoso e nucléolos muito de-
concentração é: senvolvidos. Relacione essas duas estruturas com a atividade celular.
a) I, II, III. d) I, III, II.
b) II, I, III. e) II, III, I. 11. (FUVEST) Um estudante escreveu o seguinte em uma prova: ”as
c) III, II, I. bactérias não têm núcleo nem DNA“. Você concorda com o estu-
dante? Justifique.
3. (FUVEST) Considere uma população em que metade dos indivíduos
mantêm-se heterozigota para um dado gene (Aa), enquanto que a 12. (FUVEST) No processo de fabricação do pão, um ingrediente indis-
outra metade é composta por indivíduos duplo-recessivos (aa). pensável é o fermento, constituído por organismos anaeróbicos
Nessa população, a freqüência do alelo A é facultativos.
a) impossível de se determinar. a) Qual a diferença entre o metabolismo energético das células
b) 1,00. que ficam na superfície da massa e o metabolismo energético
c) 0,75. das células que ficam no seu interior?
d) 0,50. b) Por que o fermento faz o pão crescer?
e) 0,25.
13. (FUVEST) Dois casais desconfiavam da troca de seus bebês no ber-
4. (FUVEST) O daltonismo é de herança recessiva ligada ao X. Uma mu-
çário de um hospital. Os casais e os bebês foram submetidos à ti-
lher de visão normal, cujo o pai é daltônico, casou-se com homem pagem do sangue quanto ao sistema ABO.
de visão normal. A probabilidade de crianças daltônicas na prole des-
sa mulher é de; Os resultados obtidos estão mostrados na tabela:
a) 1/4 dos meninos. bebê nº 1 O
b) 1/4 das meninas. bebê nº 2 A
c) 1/2 dos meninos.
Sra. Lucchesi B
d) 1/8 das crianças.
e) 1/2 dos meninos e 1/2 das meninas. Sr. Lucchesi AB
Sra. Hart B
5. (UNESP) Uma mulher com útero infantil, RH + homozigota, casa-se Sr. Hart B
com um homem RH –. Impedida de ter filhos, o casal decide ter um
“bebê de proveta” e contrata uma “mãe de aluguel” para receber a) Explique como foi possível resolver a troca dos bebês.
em seu útero o zigoto formado por aquele casal. O que o casal não b) Qual a probabilidade de que um futuro irmão do bebê nº 2 ve-
sabia é que a “mãe de aluguel” tivera três filhos, sendo que o último nha ter o mesmo tipo de sangue que ele?
apresentara a doença hemolítica do recém-nascido. A probabilidade 14. Numa determinada espécie animal, o gene ”L “ , dominante, deter-
de o “bebê de proveta” nascer com a doença hemolítica do recém-
nascido é mina pêlo crespo; seu alelo recessivo ”l“ condiciona pêlo liso. O
gene ”C“ condiciona pata normal enquanto o recessivo ”c“ deter-
a) mínima, visto que seu pai é RH –.
mina pata curta. Um macho com pêlo crespo e patas normais, hete-
b) mínima, visto que sua mãe genética é RH +.
rozigoto para ambos os caracteres, foi cruzado várias vezes com
c) alta, já que o “bebê de proveta”, com absoluta certeza, será RH +. uma fêmea de pêlo liso e patas curtas. O resultado total dos cruza-
d) nula, visto que a doença hemolítica do recém-nascido só ocor- mentos está na tabela abaixo.
re quando a mãe é RH – e o pai RH +.
e) alta, pois a “mãe de aluguel” é RH +. 37 Pêlo crespo, pata normal
6. (FUVEST) Quantos cromossomos existem em cada um dos seguin- 33 Pêlo liso, pata curta
tes tipos de células humanas normais, muscular, nervosa, esperma- 16 Pêlo crespo, pata curta
tozóide e zigoto? Justifique a resposta.
14 Pêlo liso, pata normal
7. (FUVEST) Se quisermos provocar uma imunização específica e dura-
doura de uma pessoa, em relação a um determinado antígeno, qual a) Que tipos de gametas formam o macho, e em que porcentagens?
dos dois procedimentos a seguir é mais adequado? b) Que tipos de gametas produziu a fêmea, em que porcentagens?
(1) Injeção do próprio antígeno no indivíduo a ser imunizado. c) Como você denomina o tipo de herança descrito acima?
(2) Injeção de soro sangüíneo de um animal previamente inoculado d) Que conclusão pode ser tirada acerca da disposição dos genes
com o antígeno. para tipo de pêlo e tipo de pata nessa espécie?
Justifique sua resposta. e) Qual é a distância entre os loci “L” e “C”?

8. (UNESP) A membrana plasmática que delimita a célula permite a


passagem seletiva de substâncias do meio externo para o meio
interno da célula e vice-versa. O que se entende por transporte ati- Respostas da Tarefa
vo e por difusão facilitada?
1. B
9. (PUC-SP) No esquema abaixo, temos representado, de forma sim- 2. B
plificada, um espermatozóide:
3. E
4. C
Núcleo
5. C
1
6. Célula muscular: 46 cromossomos (se for uma célula da musculatura
3
lisa, que possui apenas um núcleo). Célula nervosa: 46 cromosso-
2 mos. Espermatozóide: 23 cromossomos. Zigoto: 46 cromossomos.
As células musculares e nervosas, por serem somáticas, são diplói-
a) Analisando o esquema, indique o papel do componente 1 e a des. O espermatozóide é uma célula haplóide originada por meiose.
origem do componente 3. O zigoto, por fim, origina-se da fusão de dois gametas haplóides, e é,
b) Qual a relação funcional existente entre os componentes 2 e 3? portanto, diplóide.

BIOLÓGICAS-R2 155 ANGLO VESTIBULARES


7. Deveremos injetar o próprio antígeno. Dessa forma, o organismo 12. a) As células que estão na superfície da massa respiram, isto é,
produzirá lentamente anticorpos contra o dito antígeno. A imunização transformam a glicose e o oxigênio em gás carbônico e água. As
será duradoura, já que haverá uma ”memória imunitária“ que permi- internas, por não estarem em contato com o oxigênio, fermen-
tirá uma rápida produção de anticorpos, caso o antígeno invada nova- tam, transformando a glicose em gás carbônico e álcool.
mente o organismo. b) O fermento faz a massa crescer através da produção de gás car-
8. No transporte ativo, há participação de transportadores de membra- bônico.
na, o transporte é realizado contra o gradiente de concentrações, e 13. a) O bebê número 1, de grupo O, nunca poderia ser filho do Sr. e
ocorre consumo de energia. Na difusão facilitada, também participam Sra. Lucchesi, já que o Sr. Lucchesi é do grupo AB, não apresen-
transportadores de membrana; no entanto, o transporte se faz a favor tam o gene i, necessário em dose dupla para determinar o grupo
do gradiente de concentrações e não ocorre consumo de energia. O. Por outro lado, ele pode ser filho dos Hart, ambos B, e que po-
9. a) o componente 1, o acrossomo, contém enzimas que digerem as dem ser portadores do gene i. Já o bebê 2, por ser A, pode ser fi-
membranas ovulares, no momento da fecundação. O componen- lho dos Lucchesi.
te 3, o flagelo, origina-se de um dos centríolos da espermátide, b) a probabilidade é de 1/4.
antes de ela se transformar em espermatozóide. 14. a) O macho produz os seguintes tipos de gametas:
b) No local 2, há mitocôndrias abundantes que liberam a energia ne- LC: 37%
cessária para o movimento do flagelo.
lc: 33%
10. Células em grande atividade devem também estar produzindo gran- Lc: 16%
des quantidades de proteínas. O retículo rugoso, através de seus ri- lC: 14%
bossomos, produz proteína. Por outro lado, os nucléolos podem ser
b) A fêmea produz 100% de gametas lc.
considerados armazéns de futuros ribossomos. Assim, é razoável
que uma célula que produza muitas proteínas possua retículo rugoso c) É um caso de linkage, com crossing-over.
e nucléolos desenvolvidos. d) Os genes para tipo de pêlo e tipo de pata, nessa espécie, estão li-
gados, isto é, ficam no mesmo cromossomo.
11. Não concordo. A bactéria, de fato, não apresenta um núcleo diferen- e) a distância é de 30 morganídeos.
ciado; no entanto, ela possui DNA, que fica diretamente no seu cito-
plasma.

BIOLÓGICAS-R2 156 ANGLO VESTIBULARES