TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009

Aço-carbono

Aço é a liga ferro-carbono que contém geralmente entre 0,008% até 2,11% de carbono, além de outros elementos que resultam dos processos de fabricação.

O aço é obtido a partir do ferro-gusa líquido, produzido nos altos-fornos das usinas siderúrgicas, no setor denominado aciaria.

Na aciaria, o gusa líquido passa por um processo de descarbonetação, ou seja, remoção, por oxidação, de parte do carbono existente no gusa. Além do carbono, outros elementos tais como o enxofre (S), o fósforo (P), o silício (Si) e o manganês (Mn), presentes no gusa, são reduzidos a quantidades mínimas por oxidação.

Esses elementos residuais têm influência no desempenho do aço e, por isso, devem ter suas quantidades controladas. Veja quadro a seguir.

Elemento

Influências dos elementos nos aços-carbono Em aços com pouco carbono, a presença do manganês em pequenas porcentagens, torna-os mais dúcteis e maleáveis. Em aços ricos em carbono, o manganês endurece-os e aumenta-lhes a resistência aos choques. Contribui para o aumento da dureza e da tenacidade. O silício evita a porosidade e influi para que não apareçam falhas ou vazios na massa do aço, É prejudicial em teores elevados, pois torna o aço frágil e quebradiço. Sua presença deve ser reduzida ao mínimo possível, já que não se pode eliminá-lo por completo. É prejudicial ao aço tornando-o granuloso e áspero, devido aos gases que produz na massa metálica. O enxofre enfraquece a resistência do aço e deve ser reduzido ao mínimo.

Manganês (Mn)

Silício (Si)

Fósforo (P)

Enxofre (S)

Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda

1

curvado. Soldado Forjado O aço é ainda o material mais usado na indústria mecânica e pode ser trabalhado pelos mais diversos processos de fabricação. forjado.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 Apesar da presença desses elementos.3%.7%.3% e 0. trefilado. Quanto mais carbono um aço contiver. na resistência à tração e na maleabilidade dos aços. dobrado laminado curvado trefilado (transformado em fios) usinado repuxado A quantidade de carbono tem influência decisiva nas propriedades dos aços.7% e 2. laminado e trabalhado por meio de ferramentas de corte. 2 Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda . • aços com altos teores de carbono: entre 0.008% e 0. dobrado. Ela influi na dureza.11%. dependendo do teor de carbono. Assim. Suas propriedades mecânicas permitem que ele seja soldado. • aços com médios teores de carbono: entre 0. mais duro ele será. esses aços subdividem-se em três classes: • aços com baixos teores de carbono: entre 0. os aços-carbono são especificados apenas em função do teor de carbono que apresentam.

Vanádio (V). porcentagens variáveis de cromo. • aumentar a capacidade de corte. Por exemplo. • conferir resistência ä corrosão. • conferir resistência ao desgaste. são mostrados os efeitos dos elementos de liga mais comuns. cobalto. ao introduzir elementos de liga nos aços visa-se aos seguintes objetivos: • Alterar as propriedades mecânicas. Silício (Si). Esses aços apresentam. cobalto (Co) e tungstênio (W). cobre (Cu). considerando a influência que eles exercem em algumas propriedades que os aços especiais devam apresentar.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 Aço-liga Os aços-liga ou aços especiais são obtidos mediante a adição e dosagem de certos elementos ao aço-carbono quando esse está sendo produzido. Os principais elementos que adicionam-se aos aços são os seguintes: alumínio (Al). manganês (Mn). • conferir resistência à oxidação (ao calor). • modificar as características elétricas e magnéticas. que são incorporados nos aços especiais. de forma isolada ou combinada em porcentagens variáveis. Por sua vez. os aços inoxidáveis apresentam de 12 a 17% de cromo em sua composição. a seguir. manganês e molibdênio. além de porcentagens variáveis de silício. Com a adição desses elementos. os aços normalmente utilizados para fabricar ferramentas de corte são conhecidos pelo nome de aços rápidos. cada qual com suas características e aplicações. Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda 3 . molibdênio (Mo). • aumentar a usinabilidade. manganês e níquel. níquel (Ni). • conferir dureza a quente. cromo (Cr). vanádio. tungstênio. Na tabela. fabrica-se uma enorme variedade de aços-liga. • aumentar a temperabilidade. em sua composição. De um modo geral.

Utensílios domésticos. Ferramentas de corte. Estabiliza os carbonetos. Aço inoxidável. Ferramentas de corte. Resistência à fadiga à abrasão. Substituto do tungstênio em aços rápidos. Maior tenacidade e temperabilidade. Alta ductilidade. Aços-ferramenta. talheres. Aumento da resistência a altas temperaturas. Aumento da dureza. Aços-ferramenta. Aplicações Aço para construção mecânica. Peças fundidas. Aço resistente a altas temperaturas. Aumento da resistência a altas temperaturas. Resistência à tração. Diminui a velocidade de resfriamento. Inibe o crescimento dos grãos. Produtos Peças para automóveis. Aço cromo-níquel. Aço para construção mecânica. que é um processo físico. Resistência ao choque. Produtos para a indústria química. Forma carbonetos. os aços-carbono e os aços-liga podem ser identificados por processos químicos (análises químicas) ou por meio da prova da centelha. Influências nas propriedades Aumento da resistência à tração. Lâminas de turbina de motores a jato. Aços para fundição em areia. Cromo Aços para construção mecânica.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 Elementos de liga Níquel Influência na estrutura Refina o grão. Forma carbonetos. Aços com alto teor de carbono. Aços rápidos. Auxilia na desoxidação. Silício Identificação dos aços Os ferros fundidos. Caixas para tratamento térmico. Resistência à corrosão e à erosão. Diminui a velocidade das transformações. Aços rápidos. Aumento da resistência à oxidação em temperaturas elevadas. Manganês Aumento da resistência mecânica e temperabilidade da peça. Maior resistência mecânica. Peças para automóveis e peças para uso geral em engenharia mecânica. Ferramentas de corte. Diminui a velocidade de transformação na estrutura do aço. Aços inoxidáveis. Aços-ferramenta. Inibe o crescimento dos grãos. 4 Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda . Aumento de temperabilidade. Acelera o crescimento dos grãos. Aços cromo-vanádio. válvulas e peças para fornos. Molibdênio Vanádio Ferramentas de corte. Influência na estabilização do carboneto. Ajuda a criar microestrutura dura por meio de têmpera. Aumento de resistência à tração. Elemento de liga em aços magnéticos. Aumenta a fluidez. Tungstênio Cobalto Forma carbonetos muito duros. Aumento da dureza. Alta dureza ao rubro. Forma carbonetos (fracamente). Melhora da temperabilidade e de resistência à tração. Aumento da resistência à corrosão e à oxidação. Auxilia na grafitização.

os feixes são curtos e pouco brilhantes e de cor vermelho-escuro. Aço-carbono com baixo teor em carbono . de preferência no escuro. formando estrelas. o aspecto e a luminosidade das centelhas. Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda 5 . Aço-carbono com médio teor em carbono . Sistema de classificação dos aços Dada a grande variedade de tipos de aço. levemente. Aço inoxidável .TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 A prova da centelha consiste em encostar.os feixes são curtos.os feixes são curtos. criaram-se sistemas para a sua classificação. de cor vermelho pardo e sem estrelas. Aço-carbono com alto teor em carbono . mais brilhantes e abertos. Exemplos são dados a seguir.os feixes são curtos. a amostra de ferro ou aço no rebolo de uma esmerilhadeira em funcionamento. formando grande quantidade de estrelas. Ferro fundido cinzento .os feixes são compridos e brilhantes.a cor das centelhas é amarelada e o feixe é moderado. Isso permite ao operador observar a cor. Aço rápido . alaranjados e estrelados. o que exige bastante habilidade e prática.

desprezando-se seus teores mínimos de manganês. entre os sistemas de classificação conhecidos. além do sistema da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). aproximadamente. o mesmo método numérico de identificação e que. é o seguinte: • são designados quatro algarismos para designar os aços.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 A classificação mais generalizada é a que considera a composição química dos aços e. silício. esses teores são considerados iguais a zero. os aços são simplesmente aços- • carbono. em linhas gerais. • quando o primeiro algarismo for: 2 ¡ trata-se de aço ao níquel 3 ¡ trata-se de aço ao níquel-cromo 4 ¡ trata-se de aço ao molibdênio 5 ¡ trata-se de aço ao cromo 6 ¡ trata-se de aço aocromo-vanádio 7 ¡ trata-se de aço ao tungstênio 8 ¡ trata-se de aço ao níquel-cromo-molibdênio 9 ¡ trata-se de aço ao silício-manganês 6 Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda . os dois últimos algarismos especificam o teor de carbono. destacam-se o do American Iron and Steel Institute (AISI) (Institudo Americano de Ferro e Aço) e o da Society of Automotive de Engineers (SAE) (Sociedade Automotiva de Engenheiros). Essas associações seguem. os dois primeiros algarismos indicam o tipo e o teor aproximado dos • • elementos da liga. as letras XX correspondem aos algarismos indicativos dos teores de • • • • carbono. a letra B designa aço ao boro. Inicialmente veremos as classificações AISI e SAE. fósforo e enxofre. quando o primeiro algarismo é 1. a letra C (na classificação AISI) indica que o aço foi produzido pelo processo Siemens-Martin. a letra E indica aço produzido em forno elétrico[. Nesse caso.

10% de carbono.05% de Ni.25% de Mo aços-níquel-cromo-molibdênio com 1.45% de Cr aços-cromo-vanádio com 0.45% de Cr e 0. 0.87% de Mn. 1. 0.12% de Mo aços-níquel-cromo-molibdênio com 1% de Ni. É um aço ao carbono SAE pertencente à categoria 10 XX. 0%.15% de V no mínimo aços-níquel-cromo-molibdênio com 0.32% ou 0.20% de Mo aços-silício-manganês com 0.20% de Cr e 0.25% de Mo aços-cromo-molibdênio com 0. ou seja. • Aço 2350. 1.40% ou 0.85% ou 0.80% ou 0.20% ou 0.50% ou 0.50% de Ni e 0. Ela deve ser consultada quando necessário. 0. Observe que os elementos de liga foram desprezados.5% de Ni aços-níquel com 5% de Ni aços-níquel-cromo com 1.55% de Ni. 0.82%.65%.82% de Ni.5% de Ni e 1.80% de Cr e 0.75% de Mn aços-níquel com 3.25% de Ni e 0.65% de Cr aços-níquel-molibdênio com 3. SAE 10 XX 11 XX 13 XX 23 XX 25 XX 31 XX 33 XX 40 XX 41 XX 43 XX 46 XX 48 XX 50 XX 51 XX 511 XX 521 XX 61 XX 86 XX 92 XX 93 XX 98 XX XX B XX Designação AISI C 10 XX C 11 XX 13 XX 23 XX 25 XX 31 XX E 33 XX 40 XX 41 XX 43 XX 46 XX 48 XX 50 XX 51 XX E 511 XX E 521 XX 61 XX 86 XX 92 XX 93 XX 98 XX XX B XX Tipo de aço aços ao carbono comuns aços de fácil usinagem com alto teor de enxofre aços ao manganês com 1.50% ou 0.12%.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 A tabela a seguir mostra classificação dos aços. 0.20% de Mo aços-níquel-molibdênio com 3. 0.57% de Cr aços-molibdênio com 0.02% de Cr aços de alto cromo para rolamentos com 1.27%.50% de Cr aços-cromo com 0.95% de Cr e 0.17%.25% de Mo aços-níquel-cromo-molibdênio com 1.65% de Cr aços-níquel cromo com 3.25% de Mo aços-cromo com 0.10% ou 0.0005% de B no mínimo • Aço 1010. 0.12% de Mo aços-boro com 0.50% ou 0.80% a 1.25% de Ni. É um aço ao níquel SAE ou AISI pertencente à categoria 23 XX 23 XX indica os teores de carbono indica a 3% de níquel significa aço ao níquel Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda 7 .05% de Cr aços de médio cromo para rolamentos com 1. segundo os sistemas SAE e AISI. 10 XX indica os teores de carbono indica a % de elementos de liga significa aço ao carbono Portanto.20% de Cr e 0.65% de Cr e 0. 0.95% de Cr e 0.40% ou 2% de Si. 0. foram considerados iguais a zero. 1. um aço 1010 é um aço ao carbono com aproximadamente 0.

15% min.40 .10 0.70 0.0.20 0.0.48 .0.15 0.35 .70 .15 0.70 .0.20 0.0.1.20 0.40 .90 0.75 .0.0.0.0.% 0.45 .20 0.45 0.0.25 .17 0.0.0.48 0.0.0.15 0.0.43 .40 .35 .20 0.65 Si.38 0.40 .40 .TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 Logo.1.0.0.35 .48 0.40 .0. 8 Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda .0.33 .0.35 .1.70 0.20 0.20 0.0.0.1.35 .0.20 0.0.70 .05 0.80 .20 0.10 0.65 .0.0.65 .60 .15 0.38 0.0.35 .40 .60 0.1.20 .1.0.2.70 .25 . A seguir.75 . na tabela.15 0.35 .25 .80 0.38 .65 0.0.35 .13 0.2.0.25 .70 .18 .0.80 .1.0.60 0.00 . Veja. É um aço ao cromo com aproximadamente 1% de cromo e 0.30 .% 0.0.10 0.0.0.0.0.0.0.0.65 .90 0.75 .08 O tipo 6150 tem 0.0.3.33 . um aço 2350 é um aço ao níquel com aproximadamente 3% de níquel e 0.70 3.0.70 0.10 0.20 0.38 0.28 0.0.55 0.33 0.10 0.20 0.1.15 0.20 0. que esse aço é do tipo 51 XX SAE ou AISI.90 0.80 .55 0.0.75 .25 .0.60 .35 .20 0.0.0.35 .00 0.60 0.53 .20 0.70 .38 0.% 1.0.90 0.0.43 .45 .15 0.50% de carbono.0.53 .0.2% de carbono.90 0.35 .35 .23 .1.1.% 0.80 .35 .30% de carbono.25 . O sistema brasileiro da ABNT baseou-se nos sistemas SAE e AISI para elaborar seu sistema de classificação.0.90 0.0.25 .13 0.00 0.0.0. Em ambas estão a porcentagem aproximada dos elementos de liga.0.40 .40 .0.35 .00 0.00 0.00 .70 .40 .30 .50 Mo.70 .0.33 .25 .1.70 .20 .30 .0.40 0 0.0.43 .0.00 0.35 .20 0.25 .75 .0.35 .25 .90 0.0.33 0.90 1.0.40 .20 0.75 .0.1.80 .0.0.18 .0.80 0.00 1.00 0.0.70 .43 . • Aço 9220.0.0.1.28 0. De vanádio.60 .0.15 0.35 .80 .90 0.28 0.00 .0.0.60 0.70 .0.0.0.0.15 0.35 .35 .20 0.60 0. • Aço 5130.40 .0.18 Mn.65 .60 1.25 .40 Ni.0.70 0.20 0.95 0.90 0.0.0.70 .0.20 0. Classificação ABNT de aços-liga Designação 1340 4130 4135 4140 4320 4340 5115 5120 5130 5135 5140 5160 E52100 6150 8615 8620 8630 8640 8645 8650 8660 E9315 C.90 0. são apresentadas duas tabelas da ABNT: uma para a classificação dos aços-liga e outra para a classificação dos aços-carbono.0.40 .60 0.0.25 .90 0.70 0.35 Cr.20 0.60 0. É um aço silício-manganês com aproximadamente 2% de silício e manganês e 0.40 .90 0.15 0.90 0.1.70 0.15 0.35 .0.0.43 .1.0.60 0.43 0.20 0.% 1.40 .00 0.0.38 0.18 0.22 .70 .% 0.20 0.70 .22 .1.90 0.13 .17 0.1.60 0.38 .

040 0.050 0.30 .050 0.90 0.0.0.93 0.1.050 0.15 .38 0.050 0.70 0.1.1.0.20 0.0.18 .0.70 .06 máx.0.050 0. submarinos.0.0.30 .70 .040 0.0.13 0. caminhões.70 .60 0.0.1.050 0.050 0.90 0.30 .040 0.48 .0.050 0.0.43 .0.050 0.0.0.60 .040 S máx.22 .050 0.0.00 0. engrenagens.0.040 0.44 0.040 0.60 0.60 0.050 0.50 0.050 0.18 .040 0.90 0.040 0.050 0.0.050 0.0.08 .40 .040 0.0.80 0.0.20 0.040 0.60 . utensílios domésticos e uma imensa variedade de objetos que a sociedade moderna utiliza no dia-a-dia.050 1006 1008 1010 1012 1015 1016 1017 1018 1019 1020 1021 1022 1023 1025 1026 1030 1035 1037 1038 1039 1040 1042 1043 1045 1046 1049 1050 1055 1060 1064 1065 1070 1070 1078 1080 1084 1086 1090 1095 1005 1006 1008 1010 1011 1012 1013 1015 1016 1017 1018 1019 1020 1021 1022 1023 1025 1026 1029 1030 1035 1037 1038 1039 1040 1042 1043 1044 1045 1046 1049 1050 1053 1055 1060 1064 1065 1069 1070 1074 1075 1078 1080 1084 1085 1086 1090 1095 0.65 .90 0.13 0.80 .050 0.0.43 .050 0.60 0.040 0.60 .040 0.050 0. Com eles constroem-se: edifícios.90 0.050 0.60 .18 0.23 0.050 0.60 .18 .0.90 0.30 .60 0.050 0. % na análise de panela C Mn 0.75 0.70 .0.55 0.040 0.70 .47 0.0. máquinas operatrizes.040 0.50 .16 0.0.37 . barras laminadas a quente e acabadas a frio.040 0.80 . barras laminadas a quente.75 0.050 0.040 0.60 .0.28 0.0.0.60 .90 0.040 0.TECNOLOGIA EM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA 2009 Aço-carbono conforme ABNT ABNT Limites de composição química.0.60 .60 . 0.040 0.93 0.60 .70 .30 .050 0.050 0.040 0.050 0.90 0.00 0.040 0.50 .1. 0.40 .31 0.80 0.22 .0.50 0.0.040 0.40 .0.050 0.0.47 0.50 0.70 .80 0.43 .050 0.60 .60 .80 0.0.80 .90 0. 0.70 .0.040 0.0.0.040 0.44 0.90 0.65 0.050 0.90 .0.60 .040 0. 0.85 0.0.0.30 .00 0.0.050 0.13 .90 0.46 .0. 0.0.040 0.0.0.15 0.0.0.0.50 . fio-máquina.050 0.08 máx.00 0.70 .0.040 0.03 Observação: Aplicável somente a produtos semi-acabados para forjamento.1.0.0.040 0.42 0.1.0.0.10 .30 .32 .50 0.00 0.040 0.050 0.55 .040 0.15 .0.0.60 0.50 .60 .18 0.00 0.040 0.34 0.37 .050 0.0.0. pontes.050 0.40 .040 0.60 0.10 máx.70 0.90 0.90 0.90 0.60 .28 0.25 .0.0.60 .80 0.60 . podemos dizer que os aços-carbono e os aços-liga ocupam um lugar de destaque em termos de aplicações.0.23 0.0.050 0.0.0.90 0.050 0.88 0. Tecnologia dos materiais: Aço – carbono Alcides Gavenda 9 .90 0.60 0.040 0.040 0.60 .60 .30 .050 0.0.70 0.90 0.40 0.050 0.30 .0.98 0.050 0.75 .13 .050 0.11 .1.72 .85 .050 0.0.93 0.32 .0.00 0.60 .040 0.90 0.0.70 0.040 0.30 .90 0.38 0.0.20 .0.040 0.23 0.050 0.050 0.050 0.70 .90 0.0.1.050 0.08 .60 .040 0.0.60 .60 .0.0.0.53 0.0.28 .0.040 0.050 0.040 0.30 .48 .60 0.050 0.040 0.0. navios.0. Para finalizar.040 0.040 0.35 máx.0.050 0.65 .25 .50 SAE P máx.0.60 0.35 .50 0.0. automóveis.040 0. 0.60 0.30 .040 0.040 0.040 0.050 0.15 .25 0.55 0. motores.040 0.00 0.90 0.040 0.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful