P. 1
Revisão de Histologia I - 1a Prova

Revisão de Histologia I - 1a Prova

5.0

|Views: 3.561|Likes:
Publicado porNina Marcs
Material elaborado pelas alunas Carolina Marques e Sabrina Karla, monitoras da disciplina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), para auxiliar nos estudos para a 1a prova de Histologia I.
Material elaborado pelas alunas Carolina Marques e Sabrina Karla, monitoras da disciplina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), para auxiliar nos estudos para a 1a prova de Histologia I.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Nina Marcs on Feb 24, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/19/2015

pdf

text

original

Revisão de Histologia I

1ª Prova Prática

Por Carolina Marques e Sabrina Karla

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado

queratinizado ou não-queratinizado 

Cúbico (cubóide)
± ±

Simples Estratificado (raro) Simples Estratificado (muito raro) 

Cilíndrico (colunar ou prismático)
± ±

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
±

Simples

camada única de células achatadas, com núcleo saliente

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado

queratinizado ou não-queratinizado

várias camadas de células, com a primeira camada achatada

a distinção com o epitélio de transição aqui é feita pelo fato de a camada de células em contato com a luz (da qual deriva o nome do tecido) é achatada

essa camada se assemelha à queratina, mas não é; notem que as células não estão mortas, pois mantêm seus núcleos. a camada faz parte do tecido, mas se soltou com o corte

há uma camada de células mortas e anucleadas sobre o tecido: é a queratina

notem o início da queratinização

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado Simples

queratinizado ou não-queratinizado 

Cúbico (cubóide)
±

camada única de células cubóides, com núcleo grande, arredondado e central

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado

queratinizado ou não-queratinizado 

Cúbico (cubóide)
± ±

Simples Estratificado (raro)

camada dupla de células cubóides

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado

queratinizado ou não-queratinizado 

Cúbico (cubóide)
± ±

Simples Estratificado (raro) Simples 

Cilíndrico (colunar ou prismático)
±

camada única de células de altura maior que a largura

a confusão de núcleos aqui não deve confundir o diagnóstico com o de epitélio pseudoestratificado; notem que a camada está dobrada e que, na parte mais retilínea, os núcleos estão melhor organizados e é possível distinguir que a camada é única

Tecido Epitelial
De Revestimento:  Pavimentoso (escamoso)
± ±

Simples Estratificado

queratinizado ou não-queratinizado 

Cúbico (cubóide)
± ±

Simples Estratificado (raro) Simples Estratificado (muito raro) 

Cilíndrico (colunar ou prismático)
± ±

camada dupla de células, cuja camada em contato com a luz é de células cilíndricas

Tecido Epitelial
De Revestimento Especial:  Pseudoestratificado cilíndrico  De transição

Tecido Epitelial
De Revestimento Especial:  Pseudoestratificado cilíndrico

as células são cilíndricas e apresentam núcleos amontoados e em alturas diferentes, a ponto de parecer existir mais de uma camada de células

esse epitélio costuma ser ciliado, como nesse caso, mas pode apresentar estereocílios no lugar

estereocílios são mais longos que os cílios, além de serem menos numerosos

Tecido Epitelial
De Revestimento Especial:  Pseudoestratificado cilíndrico  De transição

o epitélio é dito de transição porque suas células mudam de forma conforme a distensão do órgão

são várias camadas de células, que são globosas quando o órgão está vazio (o que sempre ocorre no corte histológico) ou achatadas quando o órgão está cheio

este epitélio é encontrado em órgãos do sistema urinário; o órgão mais visualizado é a bexiga

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples Ramificada 

Tubulosa (tubular)
± ± 

 

Túbulo-alveolar Cordonal (cordonada) Vesiculosa

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
±

Seroso

note também a presença de uma ilhota de glândula cordonal

o ácino apresenta células em disposição radial; a célula acinar se cora com facilidade e seu núcleo é arredondado e central

aqui também existem ácinos mucosos, em menor quantidade ducto

ácino

não confunda ácinos com ductos de glândulas; o ácino não apresenta luz central visível, portanto desconsidere-a; ela só aparece bem pequena, quando o zoom é muito grande; já o ducto tem luz bem evidente

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ±

Seroso Mucoso

as células acinares não se coram com facilidade e seus núcleos são deslocados para a periferia devido ao alto peso da secreção mucosa

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso)

o ácino misto apresenta células mucosas e serosas, sendo que as serosas se agrupam em uma estrutura que lembra uma meia-lua

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples 

Tubulosa (tubular)
±

em forma de dedo de luva, com células que secretam para um ducto que se abre para a luz de um órgão

presença de células caliciformes, de formato redondo e cheias que muco que não se cora facilmente

em cortes transversais, a diferenciação da glândula tubulosa simples para um ducto qualquer pode ser feita pela presença de células caliciformes

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples Ramificada 

Tubulosa (tubular)
± ±

a glândula é tubulosa e se subdivide em ramos também tubulosos

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples Ramificada 

Tubulosa (tubular)
± ± 

Túbulo-alveolar

ao corte longitudinal, apresenta uma forma tubulosa que se ramifica em formas irregulares (como um saco alveolar)

ao corte transversal, apresenta tanto estruturas tubulares quanto irregulares

formas irregulares com secreção ainda evidente

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples Ramificada 

Tubulosa (tubular)
± ± 



Túbulo-alveolar Cordonal (cordonada)

as células ficam muito próximas, têm núcleos redondos e grandes, e formam ³cordões celulares´, espaçados entre si por pequenas lacunas

aqui os cordões celulares seguem em direção a um ducto

Tecido Epitelial
Glandular:  Ácino
± ± ±

Seroso Mucoso Misto (sero-mucoso) Simples Ramificada 

Tubulosa (tubular)
± ± 

 

Túbulo-alveolar Cordonal (cordonada) Vesiculosa

as células secretoras formam folículos de forma ovalada que secretam colóide

a distinção para a parte tubulosa de uma glândula túbulo-alveolar pode ser feita pela presença de colóide preenchendo todo o lúmen e pela pouca quantidade de conjuntivo entre os folículos

Tecido Conjuntivo (propriamente dito) 


Frouxo Denso
± ±

Modelado Não-modelado

Tecido Conjuntivo 

Frouxo

tem mais células e substância fundamental do que fibras, não havendo predomínio de nenhuma dessas fibras

as células típicas do tecido conjuntivo são os fibroblastos

coloração e aumento que evidenciam as fibras colágenas (mais grossas e rosadas) e elásticas (mais finas, escuras e retilíneas); só uma coloração com prata mostraria as fibras reticulares

* Fibras reticulares
Presentes em vários tecidos

as fibras reticulares são escuras, finas e muito ramificadas, se assemelhando a um arame farpado; diferenciam-se das elásticas, que são mais retilíneas

Tecido Conjuntivo 


Frouxo Denso
±

Modelado

a quantidade maior de fibras colágenas é evidente e elas se organizam em feixes paralelos, assemelhando-se a um tecido muscular

Tecido Conjuntivo 


Frouxo Denso
± ±

Modelado Não-modelado

aqui também há predominância de fibras colágenas, mas elas não têm arranjo definido, se espalhando de forma caótica

Tecido Cartilaginoso
Cartilagem:  Hialina  Elástica  Fibrosa (fibrocartilagem)

Tecido Cartilaginoso
Cartilagem:  Hialina

os condrócitos ficam aprisionados em lacunas e são arredondados, enquanto condroblastos ficam na periferia e são alongados

a matriz da cartilagem hialina se cora fracamente e tem aspecto perolado

o pericôndrio é uma camada de conjuntivo denso que envolve a cartilagem e produz condroblastos

podem haver ³grupos isógenos´, com 2 a 8 condrócitos

Tecido Cartilaginoso
Cartilagem:  Hialina  Elástica

é semelhante à hialina, mas apresenta fibras elásticas na sua matriz, que perde o aspecto perolado e claro

Tecido Cartilaginoso
Cartilagem:  Hialina  Elástica  Fibrosa (fibrocartilagem)

há fibras colágenas entre as fileiras de condrócitos, o que faz com que a fibrocartilagem seja considerada uma transição entre a cartilagem hialina e o tecido conjuntivo denso modelado

os condrócitos se organizam em colunas paralelas entre si

a fibrocartilagem não tem pericôndrio

transição entre cartilagem hialina, com os grupos isógenos coronários

e a cartilagem fibrosa, com os grupos isógenos axiais

não precisa botar essa classificação dos grupos isógenos na prova!

Tecido Ósseo
Osso:  Compacto  Esponjoso

Tecido Ósseo
Osso:  Compacto

o osso compacto apresenta ³sistemas de Havers´, com lamelas de osteócitos concêntricas a um canal vascularizado osteócito é uma célula alongada e cheia de prolongamentos que se comunicam com os osteócitos vizinhos

canal de Havers

os ³canais de Volkmann´ conectam os canais de Havers, sendo transversais a eles

o periósteo é o equivalente ósseo do pericôndrio da cartilagem, sendo uma camada de conjuntivo com células osteoprogenitoras e colágeno (fibras de Sharpey) que reveste o osso externamente

Tecido Ósseo
Osso:  Compacto  Esponjoso

o osso esponjoso forma trabéculas ósseas

há grandes espaços, que são preenchidos por medula óssea vermelha

com o avançar da idade, a medula óssea vai sendo substituída por tecido adiposo

nos ossos em formação, os osteoblastos são visíveis, sempre na periferia do osso esponjoso já formado, prontos para serem aderidos como osteócitos nas lacunas

Ossificação Endocondral
Cinco zonas:  Repouso (1)  Proliferação (2)  Cartilagem hipertrófica (3)  Cartilagem calcificada (4)  Ossificação (5)

1 - a zona de repouso tem cartilagem hialina inalterada

2 - a zona de proliferação apresenta condrócitos em divisão se organizando em fileiras

3 - a zona de cartilagem hipertrófica contém condrócitos em crescimento por aumento de volume

4 - a zona de cartilagem calcificada tem condrócitos em mineralização, sendo envoltos pela matriz óssea

5 - a zona de ossificação já apresenta o osso recém-formado

1

2

3

4

5

Dicas!
Na hora da prova, não perca tempo com nomenclaturas: 
  



Use ³epitélio´ no lugar de ³tecido epitelial´ Use ³cartilagem´ no lugar de ³tecido cartilaginoso´ Use ³glândula´ no lugar de ³tecido epitelial glandular´ Use ³osso´ no lugar de ³tecido ósseo´ Para tecido conjuntivo não há abreviação!

Dicas!
Não esqueça de: 
  

Especificar se um epitélio pavimentoso estratificado é queratinizado ou não-queratinizado Escrever o ³cilíndrico´ quando o epitélio for pseudoestratificado Escrever ³ciliado´ se o epitélio tiver cílios; se não tiver, ou se você não tiver certeza, não escreva nada! Especificar se um osso é compacto ou esponjoso

Dicas!
Mais... :   

O nome da glândula vesiculosa é ³vesiculosa´ mesmo e não ³vesicular´ Não coloque observações entre parênteses se não tiver certeza; seja o mais objetivo possível no diagnóstico De epitélio queratinizado só existe o pavimentoso!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->