Você está na página 1de 5

1

UNISUAM LEITURA, INTERPRETAÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS I


Prof.ª Lucineide Lima

Aula 6: Coesão e Coerência

TEXTUALIDADE E COESÃO, MECANISMOS DE COESÃO TEXTUAL


Um texto não é uma unidade construída por uma soma de sentenças, mas pelo encadeamento
semântico delas, criando, assim, uma trama semântica a que damos o nome de textualidade. O
encadeamento semântico que produz a textualidade se chama coesão. Podemos definir, mais
especificamente, a coesão, dizendo que se trata de uma maneira de recuperar, em uma sentença B,
um termo presente em uma sentença A.
A maior parte das pessoas constrói razoavelmente a textualidade na língua oral, mas, quando
se trata de escrever um texto, as únicas palavras para coesão são mesmo e referido, produzindo
seqüências do tipo
(1) Pegue três maçãs. Coloque as mesmas sobre a mesa.
(2) João Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Na referida cidade, o mesmo disse que a Igreja
continua a favor do celibato.
(2a) João Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Lá, ele disse que a Igreja continua a favor do
celibato.
Em (2a), o termo Varsóvia está recuperado pelo advérbio lá e o termo João Paulo II, pelo
pronome ele. Este processo de coesão se chama coesão por referência.
Uma outra alternativa para fazer a coesão da seqüência (2) seria
(2b) João Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Lá, disse que a Igreja continua a favor do celibato.
Em (2b), João Paulo II se acha retomado na segunda sentença por ausência, ou seja, o leitor, ao ler
a segunda frase, se depara com o verbo disse e, para interpretar seu sujeito, tem que voltar à senten-
ça anterior e descobrir que quem disse foi João Paulo II. Este processo de coesão tem o nome de
elipse.
Outra possibilidade seria utilizar palavras ou expressões sinônimas dos termos que deverão ser
retomados em sentenças subseqüentes:
(2c) João Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Na capital da Polônia, o papa disse que a Igreja
continua a favor do celibato.
As palavras mais utilizadas neste processo de coesão são os chamados sinônimos
superordenados ou hiperônimos, ou seja, palavras que correspondem ao gênero do termo a ser
retomado, em coesão. Como exemplos de sinônimos superordenados podemos ter séries como:
mesa....................... móvel
faca.......................... talher
termômetro.......... instrumento

EXERCÍCIOS
Para cada um dos exercícios, você terá um "texto básico", no qual não está ainda realizada a
coesão. Esta tarefa caberá a você, na medida em que for capaz de substituir os termos repetidos pelos
elementos constante dos mecanismos de coesão explicitados neste capítulo.
Você deverá, em primeiro lugar, fazer um levantamento de sinônimos ou expressões
adequadas e substituir os termos que se repetem. Assim, no exercício 1, é importante saber que
baleias podem ser chamadas de cetáceos, grandes animais marinhos; que China, no exercício 2,
pode ser chamada de grande país amarelo, gigante amarelo etc. Esse levantamento permitirá um
maior agilidade no uso da coesão lexical. A seguir, apresentamos um modelo. Suponhamos que o
texto básico ou não-texto (é não-texto porque ainda não apresenta coesão) fosse o seguinte:
As revendedoras de automóveis não estão mais equipando os automóveis para vender os
automóveis mais caros. O cliente vai à revendedora de automóveis com pouco dinheiro e, se
tiver que pagar mais caro o automóvel, desiste de comprar o automóvel e as revendedoras de
automóveis têm prejuízo.
2

Sabemos que automóveis podem também ser chamados de veículos, carros, e até mesmo de
mercadoria ou produto, quando exposto em uma revendedora. Uma revendedora de automóveis
pode também ser chamada de concessionária, agência etc. Uma possível versão coesiva do não-
texto acima, utilizando os vários mecanismos de coesão, poderia ser, por exemplo,
As revendedoras de automóveis não estão mais equipando os carros para vendê-los mais caro.
O cliente vai lá com pouco dinheiro e, se tiver que pagar mais caro o produto, desiste e as
agências têm prejuízo.

1. Construa uma nova versão do texto abaixo, utilizando, em relação palavra baleia, os mecanismos
de coesão que julgar adequados.

Todos os anos dezenas de baleias encalham nas praias do mundo e até há pouco nenhum
oceanógrafo ou biólogo era capaz de explicar por que as baleias encalham. Segundo uma hipótese
corrente, as baleias se suicidariam ao pressentir a morte, em razão de uma doença grave ou da
própria idade, ou seja, as baleias praticariam uma espécie de eutanásia instintiva. Segundo outra, as
baleias se desorientariam: por influência de tempestades magnéticas ou de correntes marinhas.
Agora, dois pesquisadores do Departamento de História Natural do Museu Britânico, com sede em
Londres, encontraram uma resposta científica para o suicídio das baleias. De acordo com Katharine
Parry e Michael Moore, as baleias são desorientadas de suas rotas em alto-mar para as águas rasas
do litoral por ação de um minúsculo verme de apenas 2,5 centímetros de comprimento.

2. Faça o mesmo exercício em relação à palavra China no texto abaixo.

A China é mesmo um país fascinante, onde tudo é dimensionado em termos gigantescos. A China é
uma civilização milenar. A China abriga, na terceira maior extensão territorial planetária (com 9 960
547 km2), cerca de l bilhão e 100 mil habitantes, ou seja, um quarto de toda a humanidade. Mencionar
tudo o que a China, um tanto misteriosa, tem de grande ocuparia um espaço também exagerado.

ARTICULAÇÃO SINTÁTICA DO TEXTO: USO DOS OPERADORES ARGUMENTATIVOS

• Articulação sintática de oposição: Esse tipo de articulação se faz por meio de dois processos: a
coordenação adversativa e a subordinação concessiva.

A coordenação adversativa implica a utilização dos articuladores mas, porém, contudo, todavia,
entretanto, no entanto. Tomemos como ponto de partida um texto simples.
A polícia conseguiu prender todos os ladrões, mas as jóias ainda não foram recuperadas.

O segundo processo de realização da articulação sintática de oposição acontece, como dissemos,


por meio da subordinação concessiva, utilizando articuladores como embora, muito embora, ainda
que, conquanto, posto que, que são conjunções ou locuções conjuntivas concessivas, e também
apesar de, a despeito de não obstante, que são locuções prepositivas.
Embora a polícia tenha conseguido prender todos os ladrões, as jóias ainda não foram recuperadas.

• Articulação sintática de causa


Os principais articuladores sintáticos de causa são:
conjunções e locuções conjuntivas: porque, pois, como, já que, visto que, uma vez que;
preposições e locuções prepositivas: por, por causa de, em vista de, em virtude de, devido a, em
conseqüência de, por motivo de, por razões de.

Não fui até Roma porque estava com pressa de regressar ao Brasil.
Não fui até Roma, em virtude de estar com pressa de regressa ao Brasil.
3

Como estava com pressa de regressar ao Brasil, não fui até Roma,
Não fui até Roma, pois estava com pressa de regressar ao Brasil

• Articulação sintática de condição


O principal articulador sintático de condição é o se. É o único que leva o verbo ao futuro do subjuntivo,
quando a oração princípio está no futuro do presente ou no presente do indicativo com vale de futuro:
Se você viajar hoje à noite, poderá descansar mais amanhã.
Se você viajar hoje à noite, pode descansar mais amanhã.
Os outros articuladores são: caso, contanto que, desde que, a menos que, a não ser que.
Esses outros articuladores, na mesma condição, levam o verbo da oração que introduzem ao
presente do subjuntivo:
Caso você viaje hoje à noite, poderá descansar mais amanhã.

• Articulação sintática de fim


A maneira mais comum de manifestar finalidade é utilizando a preposição para, em seqüências
como
Os salários precisam subir para que haja uma recuperação do mercado consumidor.
Os salários precisam subir para haver uma recuperação do mercado consumidor.
Entre os outros articuladores de finalidade, destacam-se: a fim de, com o propósito de, com a
intenção de, com o fito de, com o intuito de, com o objetivo de.

• Articulação sintática de conclusão


Os principais articuladores de conclusão são logo, portanto então, assim, por isso, por
conseguinte, pois (posposto ao verbo), de modo que, em vista disso.
Sidney vendeu sua moto prateada, logo só poderá viajar de carro.
Agnaldo comprou um capacete, de modo que usará sua mote com maior segurança.
Agnaldo comprou um capacete, usará, por isso, sua moto com maior segurança.
Agnaldo comprou um capacete, usará, pois, sua moto com maior segurança.

Exercícios
I – Substitua os conectivos de transição e palavras de referencia (conjunções, advérbios, locuções
adverbiais, pronomes) que sejam inadequados às relações de idéias que pretendem estabelecer:

1. Levantei-me às seis horas, pois me tinha deitado às 3h30; dormi, aliás, pouco mais de três horas.

2. Não nos entendíamos, embora falássemos línguas diferentes.

3. O livro é muito volumoso, porquanto é muito interessante.

4. A empregada foi despedida, posto que se tivesse negado a ir à feira em conseqüência da chuva.

5. Ele mora em São Paulo há mais de dez anos, ao passo que não conhece ainda o Butantã.

6. Quando eu era criança, ganhei de meu avô um violino; de fato, eu não tinha nenhuma vocação

musical.

II – Preencha a lacuna com o conectivo adequado e pontue:


1. Telefonou-me várias vezes.............. não conseguiu comunicar-se comigo .............. eu estava fora,
de férias.
2. .............. me tivesse telefonado várias vezes, não conseguiu comunicar-se comigo ..............
estava fora, de férias.
4

3. Ele estudou com afinco.............. ao verificar que tinha sido reprovado, ficou muito abatido.
4. Não foram publicados os proclamas .............. não podem ainda casar-se.
5. Não há razão para que te queixes .............. te preveni das conseqüências.
6. Aceito sua decisão .............. não me pareça justa.

III – Os seguintes grupos de frases não mostram, com a necessária clareza e ênfase, a verdadeira
relação de sentido entre os períodos que os compõem. Dê-lhes nova estrutura, fazendo as
necessárias adaptações para reduzir cada grupo a um só período.

1. O presidente do Grêmio encontrou-se ontem com o Diretor. Ele apresentou ao Diretor o relatório

das atividades durante o primeiro semestre.

2. Meu irmão gosta muito de matemática. Eu prefiro literatura.

3. Nós temos um cão policial. Chama-se Flash. É um animal muito inteligente.

4. Ricardo só tem sete anos. Ele dá respostas ou faz perguntas de “gente grande”.

5. O Flamengo está sempre bem colocado na disputa dos campeonatos da cidade. Este ano é um

dos últimos. O Bonsucesso é dos times mais fracos. Este ano está entre os primeiros.

6. Carlos reformou o apartamento. Ele comprou um carro novo também. Ficou cheio de dívidas.

7. Moramos no mesmo edifício. Então nos encontramos freqüentemente. Mal nos cumprimentamos.

8. Moramos no mesmo edifício. Raramente nos vemos. Saio sempre muito cedo.

COERÊNCIA

Vamos partir de exemplos de incoerências, mais simples de perceber, para mostrar o que é
coerência.

1) Coerência Narrativa
É incoerente narrar uma história em que alguém está descendo uma ladeira num carro sem
freios, que pára imediatamente, depois de ser brecado, quando uma criança lhe corta a frente.
A titulo de exemplo, vamos citar um desses equívocos cometidos em redação, relatado pela
Profª Diana Luz Pessoa de Barros num livro sobre redação no vestibular:

Lá dentro havia uma fumaça formada pela maconha e essa fumaça não deixava que nós
víssemos qualquer pessoa, pois ela era muito intensa.
Meu colega foi à cozinha me deixando sozinho, fiquei encostado na parede da sala e fiquei
observando as pessoas que lá estavam. Na festa havia pessoas de todos os tipos: ruivas, brancas,
pretas, amarelas, altas, baixas, etc.

Nesse caso, o sujeito não podia ver e viu. O texto tornar-se-ia coerente se o narrador dissesse
que ficara encostado à parede imaginando as pessoas que estavam por detrás da cortina de fumaça.
Outro tipo de incoerência narrativa pode ocorrer em relação à caracterização dos personagens
e às ações atribuídas a eles.
No percurso da narrativa, os personagens são descritos como possuidores de certas
qualidades (alto, baixo, frágil, forte), atribuem-se a eles certos estados de alma (colérico, corajoso,
5

tímido, introvertido, apático, combativo). Essas qualidades e estados de alma podem combinar-se ou
repelir-se, alguns comportamentos dos personagens são compatíveis ou incompatíveis com
determinados traços de sua personalidade.
A preocupação com a coerência e a unidade do texto pressupõe que se conjuguem
apropriadamente esses elementos.
Dizer, por exemplo, que um personagem foi a uma partida de futebol, sem nenhum entusiasmo,
pois já esperava ver um mau jogo e, posteriormente, afirmar que esse mesmo personagem saiu do
estádio decepcionado com o mau futebol apresentado é incoerente. Quem não espera nada não pode
decepcionar-se.

2) Coerência argumentativa
Se o texto parte da premissa de que todos são iguais perante a lei, cai na incoerência se defender
posteriormente o privilégio de algumas categorias profissionais não estarem obrigadas a pagar imposto
de renda.
O argumentador pode até defender essas regalias, mas não pode partir da premissa de que todos
são iguais perante a lei.
Assim também é incoerente defender ponto de vista contrário a qualquer tipo de violência e ser
favorável à pena de morte, a não ser que não se considere a ação de matar como uma ação violenta.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Leia a tira a seguir:

O terceiro quadrinho é coerente com o primeiro?

2. Quando o treinador Leão foi escolhido para dirigir a Seleção Brasileira de futebol, o jornal Correio
Popular publicou um texto com muitas imprecisões, do qual consta a seguinte passagem.

Durante sua carreira de goleiro, iniciada no Comercial de Ribeirão Preto, sua terra natal, Leão,
de 51 anos, sempre impôs seu estilo ao mesmo tempo arredio e disciplinado. Por outro lado,
costumava ficar horas aprimorando seus defeitos após os treinos. Ao chegar à seleção brasileira em
1970, quando fez parte do grupo que conquistou o tricampeonato mundial, Leão não dava um passo
em falso. Cada atitude e cada declaração eram pensadas com um racionalismo típico de sua família, já
que seus outros dois irmãos, Edmilson, 53 anos, e Édson, 58, são médicos.
(Correio Popular, Campinas, 20 Out. 2000)

a. O que aconteceria com Leão se ele, efetivamente, ficasse “aprimorando seus defeitos”?
Reescreva o trecho de maneira a eliminar o equívoco.
b. A expressão por outro lado no início do segundo período, contribui para tornar o trecho incoerente.
Por quê?
c. Por que o emprego da palavra racionalismo é inadequado nesta passagem: “cada atitude e cada
declaração eram pensadas com um racionalismo típico de sua família, já que seus outros dois irmãos,
Edmilson, 53 anos e Édson, 58, são médicos”?