Você está na página 1de 19

3/4/2010

Disciplina de Farmacologia

TRATAM DE DROGAS QUE ANTAGONIZAM A AÇÃO


DAS DROGAS ADRENÉRGICAS .

TAMBÉM SÃO CONHECIDOS COMO


SIMPATICOLÍTICOS OU AGENTES
BLOQUEADORES ADRENÉRGICOS

Os Redutores da Função Simpática

PERTENCEM A CLASSES
FARMACOLÓGICAS DIFERENTES

AGONISTAS CENTRAIS

BLOQ. GANGLIONAR

ANTI ADRENÉRGICOS

ANTAG. DO SNS
(PRINCIPAL OBJETIVO DE HOJE)

efetor

1
3/4/2010

Antagonistas adrenérgicos de ação direta

bloqueadores alfa Bloqueadores beta

Não seletivos Seletivos Não seletivos Seletivos

α1 α2 β1 β2

Irreversíveis Reversíveis

1. Alcalóides do ergot
Ação Naturais 2. Ioimbina

reversível Sintéticos 1. Fentolamina


2. Tolazolina
3. Prazosin
Ação Sintético 1. fenoxibenzamina
irreversível
SELETIVIDADE
FÁRMACO ALFA 1 ALFA2
ALC. ERGOT + + ++
YOIMBINA + +++
FENOXIBENZAMINA +++ +++
DIBENAMINA +++ +++
FENTOLAMINA ++ ++
PRAZOSIN +++ +

2
3/4/2010

OS BLOQUEADORES ALFA NÃO SELETIVOS


POSSUEM LIMITADAS APLICAÇÕES NA CLÍNICA
ATUAM PRINCIPALMENTE NO SISTEMA CV

A MAGNITUDE DE SUAS AÇÃO É PROPORCIONAL AO GRAU


DO TONUS SIMPÁTICO

Resumo dos principais efeitos


observados com bloqueadores alfa
EFETOR AGONISTA ANTAGONISTA
Músc. radial íris Contrai (midríase) Miose
Tonus simpático Alfa 2 central diminui Aumenta
Arteríolas Contrai (aumenta RVP) Relaxa (diminui RVP)
Veias Contrai ( ⇑ pré-carga) Relaxa (⇓ pré-carga)
Pâncreas ⇓ Secreção de insulina ⇑ Secreção insulina
Plaquetas agregação Inibe
Liberação do NHA diminui Aumenta
Motilidade GI diminui Aumenta
Mucosa nasal Retração cornetos Expansào (congestão)
genitália ejaculação Pode ocorrer inibição

▼ DC
▼ PA

▼ RV
RVP

ESTAGNAÇÃO SG NOS
VASOS DE
CAPACITÂNCIA

CONSEQUÊNCIA:
1. ACENTUADA HIPOTENSÃO POSTURAL PODENDO CAUSAR TONTURA E
SÍNCOPE
2. ACENTUADA TAQUICARDIA

3
3/4/2010

TESTE CONTROLE FENTOLAMINA

Oclusão
carótida
adrenalina
noradrenalina
isoproterenol
fenilefrina
tiramina

NO PACIENTE DEITADO QUASE NÃO INTERFERE COM A PRESSÃO


ARTERIAL
MAS NO INDIVÍDUO DE PÉ CAUSA MARCANTE QUEDA DA PRESSÃO
ARTERIAL (hipotensão postural acompnahada de taquicardia reflexa)

Toxicidade
1. A MAIS IMPORTANTE TOXICIDADE OBSERVADA C/ BLOQ. ALFA
SÃO SIMPLES EXTENSÕES DE SEU EFEITO ALFA
2. PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES:
- HIPOTENSÃO ORTOSTÁTICA PRINCIPALMENTE C/
- TAQUICARDIA REFLEXA OS NÃO SELETIVOS
- ISTO OS TORNAM CONTRAINDICADOS EM PACIENTES C/
DOENÇA CORONARIANA (CRISE DE ANGINA PODE SER PRECIPI-
TADA C/ A TAQUICARDIA REFLEXA)
- PODEM CUSAR NÁUSEAS E VÔMITOS QUANDO ADMINISTRA-
DAS POR V.O.
- AUMENTO MOTILIDADE GI
- INIBE A EJACULAÇÃO
- RETENÇÃO HÍDRICA (AUMENTA VOLEMIA)

4
3/4/2010

1. Hipertensão
2. feocromocitoma
Antagonista 3. Doenças vasoespástica
alfa periférica
adrenérgico i.e. Doença de Raynaud
usos - aumentar perfusào
terapêuticos 4. Hipertofia prostática benigna
gerais - causa retenção urinária
- o bloqueador alfa relaxa
o esfincter

• FENTOLAMINA

1. É CONSIDERADA DROGA PROTÓTIPO


2. É MAIS SELETIVA PARA RECEPTORES ALFA ADREN.
3. EXERCE UMA AÇÃO REVERSÍVEL E ATUA C/ ANTAGON. COMPETITIVO
4. SUA AÇÃO É DE CURTA DURAÇÃO
5. É USADA POR VIA EV
6. INDICAÇÃO:
• NO TESTE DIAGNÓSTICO PARA FEOCROMOCITOMA
• NA HIPERTENSÃO DE REBOTE PÓS SUSPENSÃO DO Tto. COM CLONIDINA
• NO CONTROLE DA HIPERTENSÃO CAUSADA PELA INTERAÇÃO IMAO + TIRAMINA
• USO PARA INFILTRAÇÃO EM ÁREAS ONDE OCORREU O EXTRAVASAMENTO DE
VASOCONSTRICTORES

•FENOXIBENZAMINA

1. NÃO É SELETIVA BLOQUEIA RECEPTORES ALFA ADREN. E


RECEPTORES PARA HISTAMINA E SEROTONINA
2. APRESENTA AÇÃO IRREVERSÍVEL (LIGAÇÃO COVALENTE)
3. O EFEITO PODE DURAR DIAS (NECESSITA SÍNTESE DE NOVOS
RECEPTORES)
4. PODE SER USADA POR VO OU EV
5. É USADA PRIMARIAMENTE NO PREPARO PRÉ-CIRÚRGICO DE
PACIENTES COM FECROMOCITOMA
OBJETIVO: ATENUAR POSSÍVEIS CRISES HIPERTENSIVAS DURANTE
A REMOÇÃO DO TUMOR
6. Tto. DE OVERDOSE DE DROGAS C/ COCAINA E ANFETAMINA QUE
PROMOVEM SEVERAS CRISES HIPERTENSIVAS.
7. Tto. DE PACIENTES COM SÍNDROME DE RAYNAUD

5
3/4/2010

PRAZOSIN
1. É O PROTÓTIPO DE UMA FAMÍLIA DE ANTAGONISTAS ALFA 1
SELETIVOS
Atenção: esse antagonismo seletivo é relativo pois com altas doses a
seletividade é perdida
2. O PRAZOSIN POSSUI UM A AFINIDADE 1000x MAIOR PARA RECEP.
ALFA 1 DO QUE PARA O ALFA 2.
3. APRESENTA UMA LATÊNCIA PEQUENA E EFEITOS QUE DURAM EM
MÉDIA DE 4-6h
4. EFEITO PRINCIPAL É A REDUÇÃO DA RVP POIS DILATA MAIS AS
ARTERÍOLAS DO QUE AS VEIAS

Efeitos da adrenalina na pressão arterial e frequência cardíaca


Doses usadas: 0.1 – 1 – 10 – 100 – 1000 µg/kg de adrenalina

ação beta
Alfa beta
resposta
resposta
hipotensora
bi-fásica

Os efeitos da ADR na pressão arterial são dose-dependentes.


As doses pequenas exibem mais efeitos beta do que alfa
Com as doses maiores predominam os efeitos alfa.
Assim a ADR ao contrário da NOR produz um efeito bifásico.

INFLUÊNCIA DO PRAZOSIN NOS EFEITOS DA ADRENALINA

Premedicação: prazosin (α1-bloqueador) na dose de 1000 µg/kg


Doses de adrenalina usadas: 0.1 – 1 – 10 – 100 – 1000 µg/kg

Após administração de prazosin (pré-medicação), a ADR em baixas dose causou significativa


queda da PA aumento da frequência cardíaca (β1, β2 receptores).
Na presença de prazosin aumento da PA com ADR só foi conseguido com doses elevadas
que são capazes de reverter o bloqueio (competição) causado pelo antagonista utilizado.

6
3/4/2010

OS BLOQUEADORES ALFA SELETIVOS


TÊM INDICAÇÃO CLÍNICA

1. A PRAZOSINA FOI A PRIMEIRA DROGA BLOQ . ALFA 1 SELETIVA


DESENVOLVIDA PARA O TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL
2. BEM ABSORVIDO APÓS ADMINISTRAÇÃO VO
3. BIODISPONIBILIDADE DE 50 – 70% E MEIA VIDA DE 2-3 HORAS
4. CIRCULA ALTAMENTE LIGADA AS PROTEÍNAS DO PLASMA
5. ELIMINAÇÃO : PRINCIPALMENTE POR METABOLISMO HEPÁTICO E
POSTERIOR EXCREÇÃO RENAL

6. ATENÇÃO: DOXAZOSINA E TERAZOSINA TÊM A VANTAGEM DE


PERMITIR A ADMINISTRAÇÃO EM DOSE DIÁRIA ÚNICA

Prazosin: reações adversas

• A reação adversa mais comum é o


fenômeno de primeira dose
– caracteriza-se por marcada
hipotensão postural que ocor-
re dentro de 30-90min após
sua ingesta
– Recomenda-se iniciar o Tto. c/
doses pequenas ingeridas à
noite ao deitar
– Aumentar a posologia pro-
gressivamente
– Ao contrário dos demais blo-
queadores alfa a taquicardia
reflexa não representa uma
reação importante

Prazosin: indicação clínica

1. Tto. DA HIPERTENSÃO ARTERIAL


2. Tto. HIPERTROFIA PROSTÁTICA BENIGNA * A TANSULOSINA É UM
RECEPTOR ALFA 1A SELETIVO QUE ATUA MAIS NO MÚSCULO LISO DA
BEXIGA DO QUE DOS VASOS SANGUÍNEOS E CAUSA MENOS HIPOT.
POSTURAL E ASSIM SERIA MAIS INDICADA NO TRATAMENTO DA HIPER-
TROFIA BENIGNA DA PRÓSTATA DO QUE A PRAZOSINA QUE ATUARIA
MAIS NOS RECEPTORES ALFA 1B

7
3/4/2010

Prazosin does NOT block presynaptic α2 receptors,


does not cause increased NE release,
and therefore it does NOT cause tachycardia

Yoimbina::
Yoimbina

1. Produto natural ((yohimbe


yohimbe))
2. Antagonista alfa 2 seletivo
3. Atua no snc e aumenta o tonus
simpático e aumenta PA
4. No passado foi muito usada como
afrodisíaco masculino

Histórico - ALCALÓIDES DO ERGOT


responsáveis pela intoxicação
conhecida como ergotismo ou
síndrome de Santo Antônio

1. GANGRENA NAS EXTREMIDADES


2. ABORTAMENTOS
3. ALUCINAÇÕES

• são efeitos não


ligados ao bloqueio
alfa adrenérgico

8
3/4/2010

Os alcalóides do ergot
Principais derivados
1. Ergotamina
2. Ergotoxina
3. Ergonovina
4. Sintético: bromoergococriptina

têm em comum o núcleo do


ácido lisérgico que está
presente no LSD

PROPRIEDADES GERAIS

1. AÇÃO COMPLEXA: ATUAM COMO ANTAGONISTAS COMPETITIVOS


E E COMO AGONISTAS POR AÇÃO DIRETA.
2. COMO ANTAGONISTAS NÃO SÃO SELETIVOS, ATUAM
BLOQUEANDO OS RECEPTORES:
* ALFA ADRENÉRGICOS
* SEROTONINA
OS DERIVADOS DO ERGOT NÃO SÃO
* DOPAMINA
USADOS, CLINICAMENTE , COMO
BLOQ. ALFA ADRENÉRGICOS, MAS,
SÃO USADOS BASEADOS EM
OUTRAS PROPRIEDADES

farmacodinâmica

1. Ergotamina:
* VC >> ocitócico > bloq. Alfa
* indicação: tratamento da enxaqueca

2. Ergotoxina:
* bloq.alfa >> VC >> ocitócico
* indicação: como vd melhorar circulação
cerebral

9
3/4/2010

farmacodinâmica

3. Ergonovina
Ergonovina::
* ocitócico >> VC
* indicação: ocitócico
4. Bromoergocriptina
* ação dopaminérgica
* indicação: tratamento da galactorréia
parkinson
acromegalia.
* reação adversa: náuseas e vômitos

HISTÓRICO:
HISTÓRICO:
O primeiro bloqueador beta descoberto foi o DCI ( dicloro-
dicloro-
isoproterenol) por Powell e Slater em 1958.
controle Bloq. beta

noradrenalina

adrenalina

isoproterenol

10
3/4/2010

Beta Bloqueadores

• Clinicamente dividem-se em dois grupos:


• NÃO SELETIVOS
• Bloqueiam os receptores beta 1 e beta 2

• SELETIVOS – Seletivos para Βeta 1


• Em doses terapêuticas bloqueiam somente
receptores beta 1
• Com doses elevadas não são seletivos

BLOQUEADORES BETA

1. NÃO SELETIVOS: 2. BETA 1 SELETIVOS:


• PROPRANOLOL • ACEBUTOL
• ALPRENOLOL • ATENOLOL
• NADOLOL • PRACTOLOL
• PINDOLOL • METOPROLOL
• TIMOLOL 3. BETA 2 SELETIVO
• SOTALOL BUTOXAMINA
4. AGONISTAS PARCIAIS: BLOQUEIAM RECPTORES
ALFA 1 – BETA 1 – BETA 2
LABETALOL E CARVEDILOL

ANTAGONISMO COMPETITIVO

11
3/4/2010

antagagonistas AGONISTA ANEST Lipo- Biodis- Metabo- Meia vida


PARCIAL
NÃO LOCAL solubili- ponibilida- lismo (h)
SELETIVOS dade de oral
( α1 e β 1 β 2)

CARVEDILOL NÃO NÃO ELEVADA 25 - 35% Hepático 7 – 10h

Labetalol * SIM SIM MODE- 30% Hepático 5h


RADA

12
3/4/2010

Processo Ciliar:
Ciliar:

Músculo ciliar:
ciliar:
o uso de bloq
bloq.. Beta
pouco afeta.
Produz humor aquoso
Os bloq.
bloq. Beta são úteis no tratamento
do glaucoma

teste controle propranolol


Oclusão
carótida
adrenalina
noradrenalina
isoproterenol
fenilefrina
tyramina

Beta bloqueador na PA

Beta bloqueadores no SCV

• Diminuem todas as propriedades cardíacas,


volume sistólico e débito cardíaco.

• Inicialmente aumentam a RVP pelo bloqueio dos


receptores beta vasculares que promovem VD

13
3/4/2010

Propriedades farmacológicas dos beta


bloqueadores no coração
1. Com a ação estabilizante de membrana inibem a rápida fase
0 do potencial de ação resultando em:
1. retardo na despolarização espontânea das células marca
passo do nódulo SA (bradicardia)
2. Diminui a velocidade de condução átrio-ventricular que
pode ser evidenciado pelo prolongamento do complexo
QRS. Eventualmente pode causar bloqueios de 1-2-3 grau
3. Diminuem a fequência
4. Diminuem a força de contração
5. Débito cardíaco
6. Diminuem o consumo de O2

1. NOS INDIVÍDUOS NORMAIS EM REPOUSO OS BETA BLOQUEADORES


EM GERAL NÃO ALTERAM:
- FREQ. CARDÍACA
- O DÉBITO CARDÍACO
- OU NA PRES. ARTERIAL
2. A TOLERÂNCIA MÁXIMA AO EXERCÍCIO EM INDIVÍDUOS NORMAIS É
DIMINUIDA PELO...
- REDUÇÃO DA ATIVIDADE CARDÍACA
- PELA DIMINUIÇÃO DA AÇÃO VD NOS MÚSCULOS ESQUELÉTICOS
3. EMBORA O FLUXO CORONARIANO SEJA DIMINUIDO A REDUÇÃO DO
CONSUMO DE O2 OS TORNAM ÚTEIS NO TRATAMENTO DA ANGINA
4. NA HIPERTENSÃO PROMOVEM UMA GRADUAL QUEDA DA PA
- REDUÇÃO DO DC
- REDUÇÃO DA LIBERAÇÃO DE RENINA
- REDUÇÃO DA ATIVIDADE SIMPÁTICA POR AÇÀO CENTRAL

BETA BLOQUEADORES NA ANGINA PECTORIS

Embora se admita que os beta bloqueadores diminuam a


circulação coronariana eles têm se mostrados úteis
porque reduzem os fatores que aumentam a demanda
metabólica...
1. Diminuem a frequência cardíaca
2. Diminuem a força de contração
3. Diminuem a pressão intraventricular

Atenção: no feocromocitoma são úteis mas somente devem


ser empregados após um tratamento prévio com um
antagonista alfa

14
3/4/2010

Efeitos pulmonares dos beta bloqueadores

Os agonistas beta produzem broncodilataçào

• Pouco efeito pulmonar em indivíduos normais


• Podem produzir broncoconstricção em indivíduos
portadores de asma.
• Os bloqueadores beta 1 seletivos são menos
propensos a causar transtornos pulmonares em
asmáticos - devem ser empregados com cautela

EFEITOS METABÓLICOS DOS BETA


BLOQUEADORES

1. Afetam a recuperação de uma hipoglicemia nos


pacientes diabéticos insulinodependentes.
2. Mascaram os sinais e sintomas de um quadro de
hipoglicemia e que são úteis para os pacientes
diabéticos reconhecerem que estão fazendo um quadro
de hipoglicemia tais como…
3. Palidez – sudorese – taquicardia – fraqueza, etc.
4. A maioria dos bloq. Beta não atuam nos receptores beta
3 de sorte que não Inibem a lipólise

Antagonistas beta adrenérgicos


mastócitos

• Previnem a degragulação de mastócitos


induzida por catecolaminas

15
3/4/2010

Antagonistas beta adrenérgicos


músculo esquelético

• Inibem o tremor muscular observados no stress ou


nas situações de perigo ou alto grau de ansiedade
• diminui a captação de potássio

Propranolol

• É o beta bloqueador PROTÓTIPO


• Após administração por VO é quase que completa-
mente absorvido
• Apresenta um sigificaticvo efeito de primeira
passagem.
• 90% do propranolol circula ligado as proteínas do
plasma
• Possui uma meia vida de 4 horas
• Como antihipertensivos seus efitos pleno só serão
observados após algumas semanas de tratamento

carvedinol

1. antagonistas adrenérgicos mistos: atuam como antagonistas


competitivos em receptores alfa 1 e beta não seletivo
2. se mostra mais eficaz no Tto. Da insuficiência cardíaca do que
outros beta bloq. Convencionais.

16
3/4/2010

Reações Adversas

Reações adversas e estratégia para minimizá-


minimizá-las

Claudicação – extremidades frias – Reduzir posologia ou tentar um agente com


Síndrome de Raynaud ASI = acebutol – pindolol
beta seletivo: metoprolol – atenolol – esmolol – acebutol
Distúrbios do sono: insônia, beta bloqueador mais hidrossolúvel
pesadêlos, depressão, cefaléia atenolol – nadolol
Bradicardia + Hiperlipidemias Tentar bloqueador com ASI: acebutol – pindolol

Queixa gastrointestinal Ingerir com alimentos


Doença renal metabolizado fígado:labetalol – metoprolol -propranolol
Doença hepática eliminado pelos rins: atenolol – nadolol –esmolol
broncoespasmo ASI: acebutol – pindolol
Beta1 seletivo: metoprolol – atenolol – esmolol –
acebutol
diabetes Bloqueador com ASI: acebutol – pindolol

17
3/4/2010

Antagonistas beta adrenérgicos


indicações clínicas

1. Hipertensão (leve) – ↓ CO ↓ renina


2. Doença coronariana (angina)
- reduz trabalho cardíaco e consumo de O2.
- reduz a frequência das crises de angina.
- no infartado o uso prolongado profilaticamente previne
recorrência de um segundo ataque fatal num paciente que
sobreviveu ao primeiro infarto.

ANTAGONISTAS BETA ADRENÉRGICOS


USOS TERAPÊUTICOS

3. Arritmias cardíacas
- usar drogas com ação estabilizante de membrana:
propranolol – metoprolol – acebutol

4. Aneurisma

5. Estenose aórtica
.

ANTAGONISTAS BETA ADRENÉRGICOS


Usos Terapêuticos:

6. Reduz sinais e sintomas do hipertiroidismo


* Bloqueia a aumentada responsividade as catecolaminas
* Inibe a conversão periférica de T4 para T3

7. Profilaxia da enxaqueca
atenção: não é usado no tratamento da crise instalada

8. Glaucoma
- diminui a taxa de produção de humor aquoso
droga mais usada: timolol

18
3/4/2010

Antagonista Beta Adrenérgico


uso terapêutico:
9. Tremor essencial

10. Controla os sinais e sintomas das crises de abstinência


ao álcool etílico

11. Controla sinais e sintomas da ansiedade e a síndrome


do pânico

Disciplina de Farmaclogia

19