Você está na página 1de 5

IT 057

Rev. 00
Data: 21/02/2011

Página 1 de 4

________________________________________________________________________

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

Critérios de aceitação e periodicidade de


calibração p/ equipamentos de inspeção, medição
e ensaios.

Rev. Data Descrição


00 16/02/2011 Emissão Inicial

Elaborado Aprovado
Coordenador do Sistema de Gestão da Qualidade Diretor Geral

1. OBJETIVO

Este documento é propriedade da Guilherme Camargo Franciulli EPP, sendo vetada sua reprodução sem nossa prévia autorização.
IT 057
Rev. 00
Data: 21/02/2011

Página 2 de 4

________________________________________________________________________

Definir critérios de aceitação quanto aos resultados de calibrações de equipamentos de


inspeção, medição e ensaios e a periodicidade de calibração.

2. CAMPO DE APLICAÇÃO
Aplica-se a todos os equipamentos de inspeção, medição e ensaios calibrados
externamente, conforme “Form. 022 Plano de Calibração de Equipamentos”

3. PROCEDIMENTO

3.1. PAQUÍMETRO
3.1.1. Precisão e tolerância admissível
O termo precisão, realmente, define o grau de erro máximo característico do instrumento.
Especificamente no caso do paquímetro, este erro tem sua origem na soma total ou
parcial de dois tipos de erros: os objetivos e os subjetivos.
Os erros objetivos são os inerentes ao instrumento (planeza e paralelismo das superfícies
de medição, divisão da escala principal e do nônio e ajuste do zero).
Os erros subjetivos têm relação com a utilização do instrumento (diferença na pressão
aplicada na medição e leitura afetada por acuidade visual e erro de paralaxe).
A fórmula a seguir define o valor tolerável de acordo com a capacidade de leitura do
paquímetro:
A norma NBR 6393/1980 (compatível com a norma DIN 862), calcula os valores
admissíveis empregando a fórmula:

1. TABELA - TOLERÂNCIAS ADMISSÍVEIS


Fórmula Precisão de Leitura
± (50 + 0,1 x 2L) µm Paquímetro de 0,05 mm
± (20 + 0,1 x 2L) µm Paquímetro de 0,02 mm e 0,01 mm
L=Comprimento medido dentro da capacidade de medição em milímetros (mm

3.1.2. Critério de aceitação


Em medições externas e de profundidade é aceitável ter uma posição de medição fora da
precisão citada, em até 50% no desvio admissível dessa tabela.
Em medições internas é aceitável ter a posição de medição fora de precisão citada, em
até 100% apenas na ponta, pois do fundo segue-se o critério acima.
No caso de reprovação do equipamento ver item 4.

3.1.3. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.2. MICRÔMETROS
3.2.1. Precisão e tolerância admissível
Este documento é propriedade da Guilherme Camargo Franciulli EPP, sendo vetada sua reprodução sem nossa prévia autorização.
IT 057
Rev. 00
Data: 21/02/2011

Página 3 de 4

________________________________________________________________________

A precisão instrumental é o desvio máximo entre a medição real e aquela fornecida pelo
instrumento com suas características técnicas, independentemente de qualquer fator
externo.
Referindo-se ao micrômetro, a sua estrutura e funcionalidade, podemos afirmar que suas
principais
fontes de erro são as seguintes:
- paralelismo das superfícies de medição;
- passo da rosca micrométrica;
- leitura do ajuste de zero;
- flexão do arco;
- pressão de medição.
A tabela a seguir define os valores admissíveis para os micrômetros de acordo à sua
capacidade.
Capacidade de Medição Erro Máximo “F max. ” Paralelismo das
(mm) (µm) Superfícies de medição ±
(µm)
0 - 25 4 2
25 - 50 4 2
50 - 75 5 3
75 - 100 5 3
3.2.2. Critério de aceitação
Em medições de “F max.” é aceitável ter as posições de medições com desvio máximo
fora da precisão citada em até 50 % do valor admissível
Em medições de paralelismo é aceitável ter uma posição de medição fora da precisão
citada, em até 50% do valor admissível.
Em medições de ajuste de zero é aceitável ter as posições de medições com desvio
máximo fora da precisão citada em até 50 % do valor admissível
No caso de reprovação do equipamento ver ítem 4.

3.2.3. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.3. MANÔMETROS

3.3.1. Critério da aceitação


Desvio ± 3% fundo de escala

3.3.2. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.4. - ESCALA METÁLICA

3.4.1. Precisão e tolerância admissível

Este documento é propriedade da Guilherme Camargo Franciulli EPP, sendo vetada sua reprodução sem nossa prévia autorização.
IT 057
Rev. 00
Data: 21/02/2011

Página 4 de 4

________________________________________________________________________

O erro neste instrumento interfere diretamente na reprodutibilidade dos resultados dos


ensaios, este deve atender o critério de aceitação determinado fim de obtermos um
ensaio de maior confiabilidade.
A precisão da escala metálica esta definida como sendo o desvio máximo entre a
medição real e as medidas realizadas no instrumento com suas características técnicas.

3.4.2. Critério de aceitação


O desvio máximo permitido é ± (0,1 + 0, 0003. L) mm, da medida real ou do comprimento
lido.
Onde, L = Comprimento medido dentro da capacidade de medição em milímetros (mm).

Exemplo: Calibração de uma escala metálica no comprimento de 1000 mm, o desvio


permitido será de: ± 0,4mm.

No caso de reprovação do equipamento ver ítem 4.

3.4.3. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.5. TERMOPARES E TERMORESISTÊNCIAS

Os termopares e termoresistências são calibrados pelo Laboratório de Termometria


Alutal.

3.5.1. Precisão e tolerância admissível


O termo precisão define o grau de erro característico do sensor de cada instrumento.
Este erro interfere diretamente nos resultados dos ensaios, por isso a importância do
conhecimento da variação de leitura do instrumento a ser utilizado.

3.5.2. Critério de aceitação


Conforme normas: ASTM-E-230 (standard) / IEC 751.

3.6. CALIBRADORES ROSCADOS


3.6.1. Critério de aceitação
Conforme IT XXX

3.7. THERMOHIGRÔMETRO
3.7.1. Critério de aceitação
± 5% do fundo de escala para temperatura e umidade.

Este documento é propriedade da Guilherme Camargo Franciulli EPP, sendo vetada sua reprodução sem nossa prévia autorização.
IT 057
Rev. 00
Data: 21/02/2011

Página 5 de 4

________________________________________________________________________

3.7.2. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.8.2. CALIBRADOR PORTÁTIL MICROPROCESSADO - MODELO CAPPO


3.8.1. Limite de erro

Para as faixas dos termopares utilizar o limite de erro do termopar classe especial dividido
por três conforme norma ASTM-E-230 e para as demais faixas utilizar o limite de erro que
vem no certificado de calibração.
3.8.2. Periodicidade de calibração
A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

3.9. MEDIDOR DE ESPESSURA ULTRA-SÔNICO

3.9.1. Critério de aceitação

Indicação Desvio
Instrumento Máximo
0 a 1 mm ± 0,05 mm
1,1 a 20 mm ±0,10 mm
20,1 a 50mm ±0,30 mm
50,1 a 70mm ±0,50 mm
70,1 a 100mm ±0,90 mm

3.9.2. Periodicidade de calibração


A periodicidade de calibração desse equipamento é de 365 dias

Este documento é propriedade da Guilherme Camargo Franciulli EPP, sendo vetada sua reprodução sem nossa prévia autorização.

Você também pode gostar