Você está na página 1de 3

DETERMINANTES DA INDENTIDADE E DA FORMAÇÃO DO

PROFESSOR.

Eni de Oliveira

RESUMO: Trata-se de um estudo sobre as exigências da formação profissional


do professor que deve deter os conhecimentos especializados de sua área de ensino e de
sua atuação didático- pedagógica. Quanto as suas habilidades n necessárias ao exercício
das relações professor e aluno e professor escola para a formação á cidadania. A
investigação biográfica teóricas é do ponto de partida de Jaime Cordeiro sobre a
formação do professor e sua identidade assumindo uma nova ótica que implica uma
revisão de propostas pedagógicas.

Palavras- chaves: Formação do Professor- identidade-social e cultural

Todos profissionais da educação são importantes para a realização dos objetivos,


cujo papel fundamental é o processo educativo. E para que se tenha um bom resultado é
preciso tomar atitudes certas, pois esse processo não depende só do professore da sala
de aula, mas, também da vivência do cotidiano da escola. É importante garantir uma
qualidade na educação, garantindo uma formação adequada e continuada aos
professores, dando também outras condições, tais como estabilidade, salários adequados
com a importância do trabalho.

A educação hoje não é mais vista como geradora de profissionais para o


mercado de trabalho, mas, também geradora de qualidade de vida e dacidadania. E para
que a educação possa atender a este objetivo é preciso dar qualidade ao professor, que é
a primeira garantiada qualidade de uma educação.A formação de educadores necessita
de componentes orientados para o tratamento sistemático da prática pedagógica, no qual
se destaca a didática como processo de ensino e aprendizagem.

As responsabilidades do educador provem da compreensão de que é necessário


estar em permanente processo de aprendizagem e interação com outros profissionais. O
papel do professor em sala de aula como motivador, deve ressaltar a importância da
disciplina na formação acadêmica, bem como na sua vida profissional, o educando deve
criarestratégias, recursos para fazer com que o aluno aprenda.

A formação do professor existente hoje não tem condições de responder


satisfatoriamente ás novas exigências criadas pela função de dirigente que o educador
escolar deve atualmente assumir. Os cursos de formação do educador escolar estão
calcados pela visão estreita de educação e de professor que sua reformulação curricular
perdeu a urgência que tivera em momentos anteriores e cedeu o lugar prioritário para a
revisão de conteúdos de uma formação que possibilitasse ao professor um novo
comportamento.

Dessa maneira de acordo com Tardif, os docentes estabelecem uma relação


alienada com os profissionais que fornecem as bases da sua profissão. Por isso
mesmo, os professores e professoras das escolas são pensadose tratados pela
administração dos sistemas escolares como meros executores ou técnico, e
muitas vezes acabam se comportando dessa maneira.( CORDEIRO, 2007)

Há professores que se contentam com seu compromisso com o conhecimento,


com resultados mais ou menos mecânicos e que estariam fora do âmbito de suas
preocupações culturais e sociais e políticas, hoje em dia não há lugar para esses
professores autônomos, considerando que no momento atual as tendências de propostas
é para se ter uma educação de qualidade, a formação e a função do professor assume
uma nova ótica.

O professor que tem a clareza do sentido de sua atividade própria como


educador, compreende as exigências de marcar essa atividade com sua profissão ele tem
consciência da dimensão da atividade educativa e compromete sua prática nesse sentido.
Adentrar-se por esse caminho implica para o professo, revestir-se do significado de sua
tarefa definida em vista do ideal de construção de uma nova sociedade. Ai é possível
recupera, de maneira concreta, o sentido de vocação e utopia do educador.

O primeiro agente de formação do professor é a escola, no âmbito das relações


escolares, a prática educativa é também elemento importante da formação do professor.
Especificamente a relação professor aluno, onde os encontros das experiências definem
uma concepção critica e unitária do mundo. O aluno pode ser o elo por ser o portador
das experiências populares que ligam imediatamente ao professor.

A prática pedagógica é indispensável ao processo de formação do professor, ela


não deixa de ser para ele um elemento ambíguo que pode distancia-lo de sua proposta
de avanço e empenho profissional, arrastando-o para a monotonia da prática iterativa e
desorientando-o com a cotidianidade e do ritual burocrático da escola. Por isso somente
o educador capaz de discernir criticamente saberá como assumir sua prática como
elemento positivo da educação

CONCIDERAÇÕES FINAIS

As reflexões aqui expostas nasceram da necessidade de buscar novos rumos para a


formação do professor. Partiram da influência, já amplamente constatada, da atual
formação desenvolvida nos eventuais cursos de pedagogia e licenciatura. A
compreensão da educação profundamente inserida nas escolas concreta e por ela
determinada, mostra que a formação do professor precisa orientar-se no sentido do
desenvolvimento da sua prática.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.

CORDEIRO, Jaime. Didática-1 ed. São Paulo. Contexto, 2007