P. 1
Livro_Processos_Industriais_aula01

Livro_Processos_Industriais_aula01

|Views: 688|Likes:
Publicado porLevi Genuino

More info:

Published by: Levi Genuino on Mar 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/29/2013

pdf

text

original

Tecnologia em Gestão Ambiental

Processos Industriais
Autoria

Alessandra Lee Barbosa Firmo
Coautoria

Eusileide Suianne Rodrigues Lopes de Melo

Instituro Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Recife-PE 2010

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES

Este Caderno foi elaborado em parceria entre o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE e a Universidade Aberta do Brasil - UAB

Equipe de Elaboração Coordenação do Curso José Severino Bento Supervisão de Tutoria Erica de Carvalho Paz Logística de Conteúdo Clayson Pereira da Silva Giselle Tereza Cunha de Araújo Maridiane Viana Verônica Emília Campos Freire Coordenação Institucional Reitoria Pró-Reitoria de Ensino Diretoria de Educação a Distância Pró-Reitoria de Extensão Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação Pró-Reitoria de Administração e Planejamento

Projeto Gráfico Eduardo Meneses e Fábio Brumana Diagramação Rafael Henrique da Silva Santos Rafaela Pereira Pimenta de Oliveira Edição de Imagens Magnun Estalonne Araújo de Amorim Rafaela Pereira Pimenta de Oliveira Verônica Emília Campos Freire Revisão Conteúdo Karin Elisabeth Von Schmalz Peixoto Revisão Linguística Ivone Lira de Araújo - Aulas 01 e 02 Alice Paula Bastos Chagas - Aulas 03 e 04 Fátima Suassuna - Aulas 05 e 06

.

Sumário Sumário Apresentação da Disciplina Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4 Aula 5 Aula 6 5 7 9 31 55 77 99 119 .

.

Apresentação da Disciplina Prezado aluno (a)! Com a ideia de melhorar a qualidade de sua formação. aprimorar e gerenciar diversos processos produtivos industriais. o aumento da capacidade de produção e a minimização de poluição ambiental. Um gestor ambiental possui um mercado bem diversificado. Processos Industriais 7 UAB . damos início a mais uma disciplina de grande importância do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental. Nesse contexto. Dessa forma. além de ter a capacidade de tratar as variáveis ambientais num contexto socioeconômico. principalmente. esta disciplina contribui diretamente para aumentar o mercado de trabalho desse profissional. esse profissional pode desenvolver. abordando conhecimentos técnicos e práticos de diversos processos industriais clássicos existentes. visando. com área de atuação em empresas públicas e privadas.

.

manuais e cronogramas. projeto e operação. de cerveja e refrigerante. um gestor ambiental adquire uma visão global de vários processos produtivos em termos de transfor- Processos Industriais 9 UAB . conservação e sustentabilidade ambiental na gestão de processos industriais.Conhecer os aspectos teóricos e práticos de processos químicos industriais.Aula 1 . . Assunto Os processos industriais requerem o conhecimento de algumas definições envolvidas em um processo de transformação da matéria-prima em bens de consumo. Com essas definições básicas bem consolidadas.Aplicar instrumentos de qualidade. tipos de fluxogramas. estado de equilíbrio de um processo químico. vários processos químicos clássicos como a fabricação de amônia. processos industriais contínuos e descontínuos e também de alguns critérios relacionados à seleção do projeto industrial. serão apresentados.Indústria Química: História e Conceitos Básicos Objetivos Os objetivos estratégicos desta disciplina são: . Além disso. Tais definições serão apresentadas ao longo das 6(seis) aulas existentes neste material didático. e alguns processos industriais envolvidos no refino de petróleo e gás natural. tecnologias limpas.Interpretar fluxograma de processo. fabricação de açúcar e álcool. operações unitárias. . Os conteúdos aqui abordados envolvem a diferenciação de rendimentos e conversões. produtividade. conversões químicas. ao longo da disciplina.

a indústria química nasceu da necessidade de complementação das atividades básicas ligadas à preservação da vida humana. em UAB 10 Tecnologia em Gestão Ambiental .mação de matérias-primas em produtos. passou a dispor de recursos teóricos que permitem prever resultados e as condições nas quais se processam certas transformações químicas. Isso é consequência da geração de seus produtos finais. 2005). iniciou-se a Idade do Bronze e do Ferro. permitiu notável crescimento à indústria química ao longo dos anos (CREMASCO. a Indústria Química é um dos setores mais dinâmicos e vitais de qualquer economia industrializada. amplamente. demandados por consumidores finais. Introdução Um dos indicadores de desenvolvimento e de riqueza de um país é o seu grau de industrialização. oferecendo sempre novos produtos e modificando processos.1. 2003). a química está presente em todos os momentos na vida do homem. No mundo Impossível comentar sobre o desenvolvimento tecnológico sem citar a evolução da humanidade.. Nesse sentido. além de vários outros consumidores intermediários. devido às necessidades dos seres humanos é que surgiram as invenções. experimental. Assim. Em um sentido mais amplo. e só. 1. Em seguida o homem passou a utilizar a pedra polida e por volta de 3. essencialmente. desde o homem primitivo ao homem moderno (PASSOS.C. a capacidade de inovar mais rapidamente do que os demais setores. Histórico do Desenvolvimento da Indústria 1. Nesse contexto. A química é uma ciência.000 a. representados por outras indústrias. muito modernamente. que revolucionaram e continuam revolucionando o mundo. aprende a interpretar fluxogramas e entende a aplicação dos mesmos. O início do desenvolvimento da humanidade se deu no instante em que ocorreu a utilização de uma “pedra lascada” como instrumento utilizado para garantir a sobrevivência. descobertas de produtos e processos. pois.

onde hoje se concentra a maior produção de petróleo do mundo. como os Incas. 2002). Conforme Cremasco (2005). Esses mesmo egípcios desenvolveram a produção de cerveja em pequena escala além de diversos outros corantes. ácidos.000 anos. os seres humanos já desenhavam animais e cenas de caça nas paredes das cavernas. aquecimento. É fácil perceber que o homem transformou a matéria-prima (pedra) em um bem de consumo (produto) para uma determinada finalidade. de sabões. de vidro e siderúrgicas. já se conheciam muitos produtos químicos e muitas técnicas de transformação química (fusão.. teve seu desenvolvimento baseado em duas fontes distintas: Processos Industriais 11 UAB . utilizados na indústria de tecidos e no embalsamento de múmias (CREMASCO. etc. álcalis e outras. os povos antigos se preocupavam apenas com a prática de transformação da matéria-prima em bem de consumo. que de maneira simplificada. a moderna indústria mundial. utilizavam o petróleo como agente ligante no calçamento das estradas (CREMASCO. iniciou-se na Inglaterra a Revolução Industrial a qual.que foi possível a fabricação de armas e utensílios domésticos mais leves e resistentes. em uma visão sintética. O uso do petróleo também não é recente. pela existência de indústrias de diversos ramos como têxteis. a confecção de pinturas foi aprimorada pelos egípcios e favoreceu o desenvolvimento dos principais componentes dos vernizes atuais. essa é a atividade básica de uma indústria. usando resinas naturais ou cera de abelha..C. utilizando-se de materiais coloridos extraídos de plantas e argilas com a utilização de água. foi o fator que mais ocasionou o desenvolvimento da tecnologia moderna de todos os tempos.C. houve a utilização do petróleo na construção das pirâmides. em meados do século XVIII. 2005). 2005). Já os antigos habitantes da América do Sul. manufatura e industrial (ou mecanizada). e ignoravam as teorias e explicações dos porquês dos fenômenos acontecerem.000 a. Têm-se datações dos assírios. Há mais de 20. Todavia.). Por volta de 400 a. Conforme Wongtschowski (2002). filtração. Por volta de 1. Criavam-se assim as técnicas metalúrgicas (WONGTSCHOWSKI. Nos países árabes. sem dúvida. apresenta-se na história da indústria química sob a forma de artesanato. dissolução. utilizando o petróleo como material vedante em embarcações. Entretanto.

a industrialização entre os países. proliferação de cartéis e avanços no desenvolvimento de novos produtos químicos. envolvendo o desenvolvimento mundial de corantes. extração. assim. destilação e a fluidodinâmica. desde a segunda metade do século XIX. em unidades de pequeno e médio porte. mundialmente houve o desenvolvimento da indústria automobilística e. No período de 1918 a 1939. predominando por quase um século. fibras. indústria têxtil. borracha sintética.i) Indústria química alemã. barrilha. Alemanha e Inglaterra participavam ativamente dos mesmos. Nessa época. medicamentos. consequentemente. praticamente. dentro do território. combustíveis sintéticos. além de algumas operações unitárias mais definidas e aplicadas como a troca térmica. ii) Indústria química norte-americana. as indústrias em geral assistiram a grandes modificações. firmas nos Estados Unidos. as nações envolvidas na guerra foram obrigadas a desenvolver. crises financeiras. compostos de potássio. fibras e tintas. as matérias-primas e os produtos necessários para a sobrevivência UAB 12 Tecnologia em Gestão Ambiental . Com a impossibilidade de acesso às principais fontes de matérias-primas. houve também o crescimento da gasolina sintética. em unidades de grande porte. um cartel para cada produto químico ou grupo de produtos químicos similares como os explosivos. aos quais ficou de certa forma. metais. É curioso notar que. envolvendo políticas protecionistas. mesmo tendo legislações proibitivas em relação à formação e participação de cartéis. Havia. fertilizantes. corantes e outros. em geral de produção contínua. desenvolvida a partir da química derivada do petróleo. provenientes do refino de petróleo. em geral descontínuas. Nesse mesmo período. ligada econômica e industrialmente. formação de empresas gigantes. que conheceu um avanço sem precedentes no desenvolvimento da indústria química mundial. Isso durou até o início da Segunda Guerra Mundial. indústrias fermentativas e outras. O período da Primeira Guerra Mundial (1914 a 1918) corresponde a grandes transformações nas indústrias químicas dos países envolvidos. predominando desde a segunda metade do século XX. abrindo. de explosivos e armas. de solventes. desenvolvida a partir da química derivada do carvão. a Alemanha recebeu grandes empréstimos de capital dos Estados Unidos.

Houve um grande desenvolvimento e aprimoramento no processo produtivo dos polímeros (principalmente com a inserção. de vidros e cerâmicas. alimentícias. Com isto. 1. de polímeros. Processos Industriais 13 UAB . em nosso país. É importante ressaltar que. ou seja. a partir do final do século XVI. No final do século XVI. Entretanto. Durante bastante tempo.da nação e para os esforços da guerra. podendo assistir à diminuição da dependência das indústrias norte-americanas e o nascer de diversas tecnologias como a indústria automobilística. tinha-se a produção de aguardente. os portugueses trouxeram também um pouco de seus costumes e tecnologias. onde passava por uma operação de refino antes de ser distribuído aos consumidores. somente o açúcar bruto era aqui produzido e exportado para a Europa e Estados Unidos. aviação. sendo este enviado para Portugal a partir de 1500-1530. petroquímica. a produção anual de açúcar na colônia chegava a 4. rapidamente. associada à fabricação do açúcar. metalúrgica. quanto em estabelecimentos exclusivos (chamados também de engenhocas). além de diversas outras tecnologias. como o cultivo da cana-de-açúcar que se adaptou. O período Pós-Segunda Guerra Mundial é conhecido como os anos dourados das indústrias. o açúcar caracterizou-se por ser o produto mais importante de nossa exportação. no mercado. No Brasil O Brasil se desenvolveu através da política de colonização. 2008). resíduos e efluentes. o cultivo da cana-de-açúcar e a fabricação do açúcar tornaram-se as principais atividades econômicas no Brasil. Dessa forma. Nenhuma grande usina de açúcar existiu no Brasil antes do final do século XIX. tratamento de água. sendo a primeira experiência industrial brasileira. ao solo e clima do Nordeste brasileiro. economicamente.2. em 1520 já haviam instalado o primeiro engenho de açúcar. e no setor de telecomunicações. do PVC. farmacêutica. polietileno. eletrônica. principalmente. tanto em instalações anexas aos engenhos. em que houve a exploração de um corante vermelho presente na árvore do pau-brasil. náilon e outras fibras). foi a primeira atividade de transformação da matéria-prima em um produto viável. Entretanto. da construção civil. naval. em Pernambuco e na Bahia (SIMÃO.500 toneladas. geradas em 117 engenhos. localizados. de papel e celulose.

perfumes e outros). e de vários outros produtos químicos inorgânicos e orgânicos. óleos lubrificantes. de adubos. água sanitária. salitre (nitrato de potássio). essa proibição foi revogada devido à transferência do governo central português para o Brasil. em Sorocaba-SP. indústria siderúrgica. de vidro. principalmente açúcar. a incipiente indústria brasileira ressentiu-se muito da ausência de matérias-primas e produtos. medicamentos. velas de parafinas. Desse modo. argamassa e cerâmica. Com a Segunda Guerra Mundial. 30 fábricas de sabões e velas e dez fábricas de produtos químicos diversos (alimentos. Indústrias Votorantim. extração de minérios. de papel. É importante ressaltar que grande parte das indústrias que surgiram no período da Primeira Guerra Mundial continua em funcionamento até a data atual. houve a proibição desse desenvolvimento no Brasil. Entretanto. quase todas importadas.O sabão (produzido a partir de cinzas e de sebo de boi ou carneiro). Durante o período da Primeira Guerra Mundial (1914 -1918). de sabões. aqui se produziam. medicamentos. sabão. barrilha (carbonato de sódio). fertilizantes e inseticidas. Em 1889 houve a Proclamação da República. para a produção de artigos da construção civil como cimento. de velas. o óxido de cálcio e o hidróxido de cálcio também eram fabricados no país. utilizando tecnologia nacional. tintas. aguardente. cloreto de amônio e cal (óxido de cálcio). Apenas em 1808. Apenas em 1884 iniciou a exploração de petróleo nacional no sudeste do país onde havia a produção de querosene. iniciaram-se vários estudos imediatos com o objetivo de suprir a ausência de UAB 14 Tecnologia em Gestão Ambiental . Dessa forma. ácidos. carbonato de potássio. novamente as indústrias brasileiras viramse destituídas de sua fonte de matérias-primas importadas. e o Brasil já possuía indústrias de cimento. de fermentação (com a produção de álcool etílico). que foi fundada em 1918. ao invés de acompanhar o ritmo acelerado da evolução da tecnologia do processo produtivo europeu.A. Várias indústrias também surgiram nesse período. a Europa experimentava o auge da Revolução Industrial. Entre 1808 e 1844 foram fundadas no país cinco fábricas de pólvora. sabão. com a presença de Dom João VI (Rei de Portugal). Nesse mesmo período. porém em escala muito menor quando comparada ao açúcar e à aguardente. Como exemplo tem-se a S. O desenvolvimento de tais indústrias proporcionou o crescimento de diversas outras.

fiação. ocorreu a 1ª Guerra Mundial. houve o desenvolvimento acelerado das atividades petroquímicas. etc. no Rio de Janeiro e em São Paulo. farmacêuticos. • Revolução Industrial Brasileira (1930 a 1956). Como exemplos dessa época. havendo a necessidade do desenvolvimento interno do país. como algumas indústrias de autopeças e alimentos. ocorreu o fim do tráfico de escravos e. Na década de 50 do século XX. siderúrgicos e metalúrgicos (produção de automóveis). No final da Guerra. além disso. construção naval e outros. com resultados econômicos muitas vezes. principalmente. já existiam indústrias com capital e tecnologia nacional. a indústria bélica e da construção civil. • Internacionalização da economia (após 1956). em que tinha início a 2ª Guerra Mundial e o Brasil não conseguia importar/exportar matéria-prima e equipamentos. devido à distância entre a metrópole e a colônia. • Implantação (de 1808 a 1930). em que havia pequenas indústrias (sapatos. principalmente.) apenas produzindo para o consumo interno. quando foi desenvolvida. principalmente. havendo o estabelecimento de várias refinarias.matérias-primas importadas por substitutas nacionais. têxtil. duvidosos. foram quatro principais períodos marcantes da evolução industrial no Brasil. 2. no qual houve o crescimento de indústrias. Logo os empresários e técnicos do setor observaram que era preciso desenvolver e estabelecer bases definitivas da indústria nacional e não só promover a substituição das matériasprimas em situações emergenciais. Conceitos Básicos Antes de descrever os processos industriais químicos. carvão combustível por algodão e diversos outros. faz-se necessário introduzir diversos conceitos básicos que devem ser assimilados para que seja Processos Industriais 15 UAB . em que houve uma forte concorrência dos produtos nacionais com os produtos ingleses que tinham invadido o mercado consumidor local. • Proibição (de 1500 a 1808). têm-se as tentativas de substituir o enxofre importado por piritas brasileiras. químicos. Dessa forma. nos setores petroquímicos.

Como matéria-prima principal tem-se o algodão que é produzido através de práticas agrícolas. pode-se citar a fabricação de calça jeans. O algodão que foi colhido é transportado para a indústria de tecidos. o produto formado é matéria-prima para a fabricação de roupas como as calças jeans. Figura 1. 2005) Classificação de Bens de Consumo i) duráveis: produzem mercadorias que não são trocadas com frequência como automóveis e eletrodomésticos. A indústria química. sapatos. (FONTE: CREMASCO. tem-se a compra desses produtos por comerciantes que enfim chegarão ao consumidor. até o planejamento para a venda do produto final (Figura 1). visando à manipulação e à exploração de matérias-primas e UAB 16 Tecnologia em Gestão Ambiental . Então. etc. de modo geral. ii) não-duráveis: produzem mercadorias de necessidade primária e de rápida reposição como alimentos. roupas. Após a transformação. pode ser entendida como um conjunto de atividades. Observe que existem diversas etapas em diversos setores que participam da transformação do algodão em calças jeans. que compreendem desde a retirada da matéria-prima de algum recurso da natureza. são necessárias diversas etapas de produção. os quais podem ser novamente transformados através da utilização de corantes. sofrerá várias transformações até a formação de fios e tecidos. Como exemplo. Para que um material seja produzido industrialmente e vendido no comércio. Esquema básico de transformação da matéria-prima em produto.possível a compreensão das operações existentes nas diversas etapas de um processo.

etc. Ferro.Elementos básicos da transformação de matéria-prima em bens de consumo. pode-se obter diversos tipos de produtos. Matéria-prima Cana-de-açúcar Petróleo Leite Hematita Areia Produtos Açúcar. Em contrapartida. em geral. as indústrias metalúrgicas utilizam as chapas de metal para a produção de peças que serão também utilizadas por outras indústrias. diretamente. aço. Queijo. Tabela 1. como pode ser visualizado na Tabela 1. Já a indústria química. é intermediária de diversas atividades. álcool Gasolina. com o consumidor final. etc. produtos petroquímicos e outras. roupas. bem como a transformação de produtos semiacabados em bens de produção ou bens de consumo. As indústrias de bem de consumo são responsáveis pela transformação de bens que serão comercializados. contendo metais encontrados no ambiente natural (minério de ferro) em chapas de metal (chapas de ferro). coalhada. iogurte. alimentos e outros. Podem se dividir em bens de consumo duráveis e não duráveis. Como exemplo tem-se o caso das indústrias siderúrgicas e metalúrgicas.fonte energéticas. como sapatos. automóveis. tais como construção civil. como a fabricação de máquinas industriais e automóveis. Dependendo da matéria-prima e da tecnologia utilizada para a transformação desta. gás natural. As indústrias de bens de produção (ou de capital) transformam os recursos extraídos de alguma forma da natureza em matérias-primas que serão utilizadas por outras indústrias. etc. querosene. As siderúrgicas são responsáveis pela transformação dos minérios. Vidro Processos Industriais 17 UAB . eletrodomésticos.

tais como instrumentação de controle da produção. adequadamente. etc. vapor aquecido.. que envolvem modificações da composição química. líquidos ou gasosos. Como exemplos têm-se as indústrias navais. esses resíduos podem ser utilizados como matéria-prima em outras indústrias.obra qualificada para a sua elaboração. de aviões. sejam sólidos. também são formados por subprodutos ou pela própria matéria-prima que não formou o produto. os recursos podem ser apresentados como insumos (água. Esses processos consistem em um conjunto de ações executadas em etapas. conhecimento específico e mão-de. ou separado ou purificado (FOUST et al. Em contrapartida. dependendo da característica dos resíduos gerados. tem-se também a geração de resíduos.Glossário As Indústrias de Alta Tecnologia são assim chamadas. que incluem certas alterações físicas no material que está sendo preparado. de equipamentos industriais elétricos entre outras. • Processo Unitário ou Conversão Química: pode envolver reações químicas simples que alterem a natureza atômica da matéria-prima ou reagente. Figura2. de computadores. energia elétrica. 2009). propriamente. Os processos industriais são métodos e procedimentos específicos que transformam a matéria-prima através da utilização de mão-de-obra. Muitas vezes. dito envolve conversões químicas e operações físicas. pois necessitam de tecnologia avançada. que é um dos maiores passivos ambientais. Dependendo do processo químico. Consiste na aplicação de princípios físicos. Em um processo produtivo qualquer. ou processado. de jogos eletrônicos. Esquema de um processo químico geral (FONTE: FIRMO. 1982). químicos e físico-químicos para a transformação das matérias-primas em produtos. Algumas vezes. gases. manutenção corretiva e preventiva dos equipamentos. temse a necessidade de tratar ou destinar. energia e tecnologia em bens de consumo (figura 2). equipamentos. O processo industrial. Exemplo de reações químicas simples: obtenção de ácido sulfúrico (H2SO4) a partir do enxofre: UAB 18 Tecnologia em Gestão Ambiental .) ou como outros recursos. esses resíduos.

Tabela 2. Principais conversões químicas (Fonte: SHREVE & BRINK JR.S + O2 SO2 SO2 + ½ O2 SO3 SO3 + H2O H2SO4 Exemplos de reações químicas mais complexas podem ser visualizados na tabela 2. 2008) Acilação Alcoolise Alquilação Aminação por redução Aromatização Calcinação Carboxilação Caustificação Combustão Condensação Desidratação Diazotação e acoplamento Eletrólise Esterificação Fermentação Formação de silicato Halogenação Hidrólise e hidratação Hidrogenação Isomerização Neutralização Nitração Oxidação Pirólise Polimerização Reações de Friedel-Crafts Redução Saponificação Sulfonação Troca iônica Processos Industriais 19 UAB .

há uma tendência de ocorrerem modificações no sistema que provoquem uma aproximação no sentido da condição de equilíbrio e é a força motriz que provoca essa modificação. Por exemplo. trituração). 2. conversões. o calor e a eletricidade fluem das regiões de altas para as de baixas concentrações nas situações mencionadas acima. sistemas sólido-sólidos (peneiração. a energia térmica flui de uma região de concentração elevada de calor (corpo quente) para uma região de concentração baixa de calor (corpo frio). geração e transporte de calor.. processos de separação (lixiviação. as substâncias também fluem das regiões de elevadas concentrações para as de baixas concentrações. dois corpos num mesmo potencial elétrico (voltagem). Logo. filtração. Equilíbrio e Força Motriz Para qualquer sistema. evaporação) e outros. de forma geral. Podem envolver o transporte e armazenamento de fluidos (líquido e gás) e sólidos. UAB 20 Tecnologia em Gestão Ambiental .1. E quando isso acontece. absorção. existe pelo menos uma condição em que a taxa de troca de certas grandezas (massa ou energia) é igual a zero. cristalização. misturadores. Rendimento x Conversão Química A Química é a ciência básica para o desenvolvimento dos processos químicos industriais. pode-se dizer que o sistema está em equilíbrio. A condição de equilíbrio é familiar no que diz respeito à energia elétrica ou térmica e a “concentração” dessa energia é expressa em voltagem ou temperatura. Então. sistemas líquido-sólidos (filtros. tempos de residência e outros. ou numa mesma temperatura. velocidade de reação. Tais operações serão descritas de forma mais detalhada na aula 2 desse módulo. sublimação). Por isso. sistema líquido-gás (destilação. da mesma forma que. constantes de equilíbrio. faz-se necessário o conhecimento de aspectos econômicos de um processo. 2. agitadores). quando duas substâncias não estão em equilíbrio.Operações Unitárias ou Operações Físicas: ocorrem quando não há alteração na constituição atômica do material. A diferença entre a condição de equilíbrio e a condição existente em um sistema é a força motriz. tais como rendimentos. centrífugas. a energia elétrica tem a tendência de fluir de uma região de potencial elevado para outra de potencial baixo. Assim. Analogamente. estarão em equilíbrio em relação a esses tipos particulares de energia.1.

nos experimentos em pequena escala (ou escala de laboratório) é possível obter o rendimento da reação. obtendo dessa forma a previsão e solução de problemas na indústria. Isso ocorre devido ao fato de. raramente. rendimentos das reações e das condições físicas ideais de trabalho (temperatura. quantidade de reagentes. Desenvolvimento do produto em escala semi-industrial ou escala piloto que permite reproduzir o comportamento dos equipamentos utilizados. Desenvolvimento do projeto e estudo da viabilidade de implantação do processo em escala industrial. catalisadores. Desenvolvimento em escala de laboratório. Entretanto. III. ou seja. no qual se têm um estudo detalhado das reações químicas. a transformação máxima dos reagentes em produtos sob determinadas condições. pode-se obter também a conversão química do processo e prever a utilização de operações físicas necessárias. A produção em escala industrial envolve. 3(três) fases: I.A eficiência operacional de uma indústria é interpretada em termos de rendimento e conversão. se encontrar circunstâncias em que se consigam obter uma quantidade de produto correspondente à conversão total de um reagente nesse produto. utilizando experimentos em escala piloto. Como se pode observar. tem-se o desenvolvimento de experiências práticas. o rendimento de uma reação é a relação entre a quantidade real de produto obtido em condições definidas e a quantidade teórica esperada de formação (obtida através da estequiometria da reação).). é possível estimar a conversão química da reação em um determinado processo. porém numa escala bem menor que a industrial. é diferente do rendimento da reação. Ou seja. II. que em geral. Para a determinação desses parâmetros. Processos Industriais 21 UAB . etc. em geral.

(FONTE: CURSO DOM BOSCO. O rendimento da reação é. conforme reação abaixo. por ser judeu. Inicialmente. onde o NH3 passa do estado gasoso para o estado líquido (liquefação) e assim. o que significa que 86% da carga dos reagentes não reagem. essa mistura é transferida para um condensador. é retirado do sistema. introduz-se a mistura gasosa de N2 e H2 no reator e após o estabelecimento do equilíbrio. Além disso. 1/2 N2 (g) + 3/2 H2(g) NH3(g) ΔH18ºC = -11. acima de 98%. produz o ácido nítrico (HNO3) – essencial para a produção de pólvora. por oxidação. a amônia é produzida a uma temperatura de 400 a 600ºC e pressão absoluta de 150 a 250 atm a partir da reação do nitrogênio gasoso (N2) com hidrogênio gasoso (H2). esses materiais podem coexistir no sistema.3 Kcal Fritz Haber (1868-1934) ganhou o Prêmio Nobel de Química em 1918. sendo uma das cinco substâncias mais produzidas em termos de quantidade no mundo. no qual houve uma demanda muito grande da amônia devido à fabricação de explosivos. para não ser morto por seus compatriotas. durante o período da 1ª Guerra Mundial. uréia e outros). apresenta um esquema do processo químico utilizado para a síntese da amônia. foi desenvolvido por Fritz Haber e Willian Carl Bosch em 1898. Sua invenção permitiu que a Alemanha reduzisse os custos na produção de explosivos durante a 1ª Guerra Mundial. chamado de Haber-Bosch. foi perseguido pelos nazistas. Esse produto químico pode ser utilizado. nos processos químicos industriais que apresentam um elevado rendimento de reação e uma baixa conversão química.Glossário Exemplo: Fabricação da Amônia (NH3) A amônia (NH3) é um dos produtos químicos fundamentais utilizados na civilização moderna. o qual supriu a escassez de fertilizantes nitrogenados. fabricação de barrilha (carbonato de sódio . tendo de fugir da Alemanha. Geralmente. por ter desenvolvido um método eficaz de síntese da amônia. em 1933. a conversão do processo é. polímeros. Entretanto. cerca de 14%. No processo de Haber-Bosch. diretamente. a amônia também pode ser utilizada na produção de explosivos. Ele observou que a amônia. ou seja. Haber. fosfato de amônio. em média. 2010) A figura 3. Apesar dos serviços prestados à pátria. A existência de um equilíbrio químico em reações reversíveis significa que nem sempre ocorre a transformação completa dos reagentes em produtos. principalmente. abaixo. sulfato de amônio. corantes entre outros. tem-se a necessida- UAB 22 Tecnologia em Gestão Ambiental . sobre o solo como fertilizante ou pode ser utilizado como matéria-prima para a fabricação de outros fertilizantes nitrogenados (nitrato de cálcio e sódio. frequentemente. O processo de síntese da amônia (NH3).NaCO3).0 Kcal ΔH659ºC=-13.

Dessa forma. Processos Industriais 23 UAB . (FONTE: CURSO DOM BOSCO. caso as conversões fossem mais próximas do rendimento. novamente.de de recuperação e recirculação dos reagentes que não convergiram no processo. é inserida no reator e será submetida. à conversão química para a formação da amônia. principalmente por necessitar de uma maior área de produção e a utilização de uma maior quantidade de material para a confecção desses equipamentos. os equipamentos utilizados no processo são de quatro a cinco vezes maiores do que seria preciso. Atenção! Reações exotérmicas são aquelas que liberam calor e possuem entalpia de reação negativa (ΔH<0). Reações endotérmicas são aquelas que absorvem calor e possuem entalpia de reação positiva (ΔH>0). uma parte do N2 e H2. Processo de Haber-Bosch de síntese da amônia. Aumentando o volume dos equipamentos. tem-se um elevado custo. Figura 3. 2010) Devido às conversões baixas da obtenção da amônia. Esse volume torna-se maior pela necessidade de aumentar o tempo de contato dos reagentes no reator (também chamado de tempo de residência) para que seja atingido o equilíbrio. O objetivo do profissional responsável pela operação do processo industrial é fazer a conversão se aproximar ao máximo do rendimento. ocasionando uma diminuição dos custos da empresa. que não reagiu.

um processo de fluxo constante de matéria-prima. é alto. para grandes produções. mais intensamente o equilíbrio será deslocado para a formação dos produtos (direita da reação).2. deslocando o equilíbrio para o lado direito (formação dos produtos). sem ocasionar elevação significativa no seu preço. permitindo que o equilíbrio químico seja alcançado mais rapidamente. Para controlar procedimentos de elevada complexidade em processos contínuos. lado de menor volume. pressão. III. Processos Contínuos e Descontínuos O processo contínuo consiste no fluxo constante de matéria-prima e de produtos em todos os equipamentos existentes no processo produtivo de uma indústria. IV. Remoção do NH3 formado: quanto mais intensa e rápida for a retirada do NH3 formado. industrialmente. mas também requer o máximo de controle de desvios e a correção automática de afastamentos indesejáveis frente a padrões estabelecidos de qualidade dos produtos. tem-se a utilização de computadores automáticos. em processo de baixas conversões. Diminuição da temperatura: como a reação é exotérmica (ocorre a liberação de calor). através da utilização de Ferro (Fe) como catalisador da reação. Entretanto. esse custo se dilui no valor do produto.Porém. UAB 24 Tecnologia em Gestão Ambiental . O custo em implementar. para pequenas produções. 2. vazão. II. que economizam o trabalho do operador e o tempo de correção. Utilização do catalisador: aumento da velocidade da reação. são elas: I. podem-se realizar algumas modificações nas condições de operação do processo químico para elevar a taxa de conversão. em geral. Envolve uma instrumentação de processo que não apenas registra a temperatura. diminuir a temperatura favorece a formação da amônia. Aumento das pressões: ocorre uma diminuição do volume e aumenta a probabilidade de colisão entre as partículas gasosas reagentes. Grande parte das indústrias de grande porte tem o processo produtivo contínuo. como é o caso das indústrias de petróleo e petroquímicas. pois desloca a reação para a direita (formação dos produtos).

frequentemente. Quando ocorre a expansão do mercado. torna-se o processo descontínuo em contínuo. Nas etapas iniciais. de cada vez. exigem que se operem. Fluxogramas Os fluxogramas apresentam a sequência coordenada das conversões químicas e operações unitárias. principalmente. Um fluxograma detalhado deve contemplar uma quantidade maior de informações principalmente no que se refere às operações unitárias. quando a produção é pequena ou quando. a entrada de matéria-prima e saída de produtos em um único equipamento. como na fabricação de explosivos. os processos descontínuos propiciam uma cinética ótima para as reações lentas (como a fermentação) e são. Além disto. detalhes dos equipamentos utilizados. mão-de-obra. e posteriormente.Processo contínuo: tem-se. ocorre a conversão em algum produto ou subproduto após algum tempo. todo o produto formado no interior do equipamento é descarregado. utilidades e parâmetros controlados. tornando-se mais detalhados e com maior número de informações à medida que o projeto vai se desenvolvendo. Indicam os pontos de entrada das matérias-primas. Alguns processos industriais iniciam mediante operações descontínuas. conversões químicas. Processos Industriais 25 UAB . utilidades. 2. um aumento do volume de produção e diminuição de despesas com mão-de-obra. tem-se. balanço de massa e energia. Servem de base para o projeto e operação da planta-piloto e da indústria como um todo. expondo os aspectos básicos do processo químico e a ordem de processamento das matérias-primas em produtos. constitui um dos principais fatores para essa mudança. por razões de segurança. com pequenas quantidades. A redução dos custos da fábrica. no mesmo instante. principalmente.3. Os processos descontínuos (também chamados de bateladas) ainda são extremamente usados. Processo descontínuo: um equipamento é carregado com as matérias-primas. mais fáceis de controlar. insumos e também os pontos de saída (ou retirada) do produto e dos subprodutos formados. por unidade de produto produzido. Em um processo contínuo. tem-se um fluxograma grosseiro (fluxograma de blocos).

Fluxograma detalhado do processo de tratamento de esgoto com detalhe no filtro a vácuo. 2008) Figura5. A figura 5 representa um exemplo de um fluxograma mais detalhado de um sistema de tratamento de esgoto. Figura 4. que será descrito na Aula 4.Como exemplo de fluxograma de blocos. tem-se a figura 4 que representa o processo de fabricação do açúcar. (FONTE: SILVA. Fluxograma em blocos do processo de fabricação do açúcar. (DALEFFE. 2008) UAB 26 Tecnologia em Gestão Ambiental .

(6) Investimento em pesquisa e desenvolvimento constante para garantir o progresso da indústria. tais como: Processos Industriais 27 UAB . foi abordado o desenvolvimento das Indústrias e seus avanços tecnológicos. estadual e municipal. propiciar lucros continuados e substituir processos e equipamentos com baixos rendimentos. (3) Parâmetros a serem controlados e equipamentos a serem instrumentalizados para um controle adequado. Para melhorar o aprendizado nas aulas posteriores. Resumo Nessa aula.2.4. (7) Controle de qualidade das matérias-primas recebidas e produtos formados. Projeto e Operação O projeto inicial de um processo industrial envolve diversas etapas desde pesquisas em laboratório até estudos de pesquisa de viabilidade do mercado. até o atendimento às normas e legislações ambientais vigentes no âmbito federal. foram definidos os principais conceitos básicos aplicados na área de processos industriais. Algumas dessas etapas são de extrema importância. desde a escolha da área no qual a indústria vai se estabelecer e controle da poluição em todo o processo industrial. (8) Atendimento às normas de meio ambiente. (5) Proteção e segurança aos possíveis trabalhadores da indústria e do próprio processo industrial. principalmente no que se refere a: (1) Levantamento dos equipamentos mínimos e ideais necessários. (4) Sistemas de acondicionamento das matérias-primas e produtos. (2) studos de corrosão do material e estrutura mínima necessária para a implantação da indústria. Seleção do Processo Industrial. tanto no Brasil como no Mundo. relacionando com os principais acontecimentos históricos que marcaram a economia e a política.

FOUST. Editora Edgard Blucher. P.. pressão. SHREVE. É sempre desejável que a conversão de um processo industrial. tem-se a necessidade da existência de uma força motriz.. A.S. Gestão Ambiental e Competitividade: um Estudo do Setor Químico Brasileiro. esteja sempre próxima do seu rendimento. R. 2005. Centro Universitário UNIFAE. 2008. A.Riscos e Oportunidades. PASSOS.N. existem diversas técnicas. W. Editora Guanabara Koogan S. Princípios das Operações Unitárias. M. 2º edição. Para avaliar a eficiência de transformação de uma matéria-prima em produtos. Dissertação de Mestrado. Indústria de Processos Químicos. Para isso. WONGTSCHOWSKI. Ou seja.. Referências CREMASCO.– tipos de indústrias: de bens de consumo e de produção. NORRIS. Além disso. utilizando como matéria-prima os gases H2 e N2. C. Editora Edgard Blucher. líquido e gasoso. Universidade Estadual de Maringá. L.Indústria Química . – tipos de fluxogramas: de blocos ou detalhados.A.B. 4ª edição. 1982. J. Vale a Pena Estudar Engenharia Química.A. L. SIMÃO. com. CURSO DOM BOSCO. é necessário entender que. Curitiba-PR. 2002. CLUMP. que pode ser a diferença de temperatura.A.. Rio de Janeiro-RJ. frequentemente são utilizados os conceitos de rendimento e conversão..A. 2008. ANDERSEN. que nessa aula foram citadas. Rio de Janeiro. – diferença clássica entre processos unitários (conversão química) e operações unitárias (modificações físicas). RJ. 2ª edição. L.. é necessário que o sistema não esteja em equilíbrio. MAUS. – tipos de matérias-primas que podem estar no estado sólido. 2003. para que uma reação ocorra. como as utilizadas na síntese da amônia.A.dombosco. Editora LTC. BRINK JR.G. Disponível em:<http://www.br/curso/estudemais/quimica/amonia. para ocorrer uma modificação física ou química de uma matéria-prima em produto. Dissertação de Mestrado. UAB 28 Tecnologia em Gestão Ambiental . WENZEL. Indústria Química e Meio Ambiente: Estudo das Percepções de Profissionais que Atuam em Indústrias Químicas Instaladas em um Município Paranaense. etc. php> acessado em fevereiro de 2010. – tipos de processos químicos: contínuos ou descontínuos. concentração. L. Pós-graduação em Administração. Amônia: Obtenção e Uso.

V. R. Processos Industriais 29 UAB .DALEFFE.C. SILVA. São Carlos . Introdução às Operações Unitárias. Notas de Aula da Disciplina de Processos Químicos Industriais. 2008. 2008.SP. Departamento de Engenharia Química. Departamento de Engenharia Química. Universidade de São Paulo. Universidade Federal de São Carlos. A.

UAB 30 Tecnologia em Gestão Ambiental .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->