P. 1
Profae 6 Saúde Coletiva

Profae 6 Saúde Coletiva

|Views: 14.525|Likes:
Publicado porLuca Santoro
Profissionalização de Auxiliares de Enfermagem
Cadernos do Aluno

Auxiliares de Enfermagem

SAÚDE COLETIVA

6

Ministério da Saúde
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem
P A E
Cadernos do Aluno

uxiliares de

Enfermagem

Série F. Comunicação e Educação em Saúde 2a Edição 1a Reimpressão

SAÚDE COLETIVA
Brasília - DF 2003

6

Ó2001. Ministério da Saúde. É permitida
Profissionalização de Auxiliares de Enfermagem
Cadernos do Aluno

Auxiliares de Enfermagem

SAÚDE COLETIVA

6

Ministério da Saúde
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem
P A E
Cadernos do Aluno

uxiliares de

Enfermagem

Série F. Comunicação e Educação em Saúde 2a Edição 1a Reimpressão

SAÚDE COLETIVA
Brasília - DF 2003

6

Ó2001. Ministério da Saúde. É permitida

More info:

Published by: Luca Santoro on Mar 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/22/2013

pdf

text

original

A melhor arma na defesa contra as DST/ Aids é a informação.
Considerando tal fato, todas as oportunidades que surgirem para a rea-
lização de atividades junto à população exposta ao risco de contrair e/
ou transmitir essas doenças devem ser aproveitadas.

Devemos desmistificar a idéia de que apenas alguns grupos
populacionais, como homossexuais, profissionais do sexo ou usuários
de drogas injetáveis, estão expostos às DST/ Aids. Também não é ver-
dade que uma pessoa não possa ter DST mais de uma vez.

Algumas condutas devem ser recomendadas, por serem seguras e
proporcionar a prevenção das DST/ Aids:

– uso de preservativos, em todas as relações sexuais que envol-
vam sexo oral e penetração vaginal ou anal. Além de serem de
fácil utilização, encontram-se disponíveis nas unidades de saú-
de e apresentam baixo custo quando adquiridos em estabeleci-
mentos comerciais;

– redução de parceiros sexuais, para diminuir as chances de trans-
missão de DST;

– auto-exame dos genitais, com o auxílio de um espelho. Em caso
de detecção de alguma alteração, deve-se procurar os serviços
de saúde;

– fazer higiene após o ato sexual, objetivando diminuir o risco de
contaminação de DST/ Aids;

– não compartilhar seringas e agulhas com outros usuários de
drogas injetáveis, procurando utilizar apenas materiais
descartáveis.

Instruções para o uso correto de preservativos masculinos

1. Retirar a camisinha da embalagem somente na hora de usá-la,
sem rasgar o invólucro com os dentes ou tesoura, para não
correr o risco de estragar a camisinha.

2. Apertar a ponta da camisinha, para não formar bolha de ar
durante sua colocação, o que pode causar seu rompimento.
Essa ponta é que vai acumular o sêmen expelido durante a
ejaculação.

3. Encaixar a camisinha na ponta do pênis ereto, desenrolar a
camisinha até a base do órgão e largar sua ponta. Nesse mo-
mento, o ato sexual já pode ser iniciado. Não usar cremes ou
loções, a não ser aqueles à base de água.

102

Saúde Coletiva

4. Após a ejaculação, enquanto o pênis ainda estiver ereto, reti-
rar a camisinha e dar um nó em sua abertura, descartando-a
no lixo.

Para cada ato sexual, utilizar uma nova camisinha.

Instruções para o uso correto de preservativos femininos

1. Retirar a camisinha da embalagem somente na hora de usá-
la, sem rasgar o invólucro com os dentes ou tesoura, para não
correr o risco de estragar a camisinha.

2. Apertar o aro interno (o mais estreito) e introduzi-lo no canal vagi-
nal. Esse aro é que vai ser encaixado em volta do colo uterino,
impedindo o deslocamento da camisinha durante o ato sexual.

3. Ajustar o aro externo (mais largo), segurando-o até a primeira
penetração. Durante o ato sexual, não é mais necessário se-
gurar o aro externo da camisinha.

4. Após a ejaculação do parceiro, retirar a camisinha, descartan-
do-a no lixo. É importante trocar a camisinha em cada rela-
ção sexual.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->