Você está na página 1de 5

1.

INTRODUÇÃO
A amamentação é de fundamental importância durante a maternidade.
Contudo, as taxas de aleitamento materno exclusivo encontram-se bem
inferiores ao considerado ideal pela Organização Mundial de Saúde (OMS),
sendo apenas 35% da população mundial infantil alimentada, exclusivamente,
pelo leite materno do 0 a 4 meses de idade, sendo ainda considerado desmame
precoce.
No Brasil, se tem buscado a intervenção nas taxas de aleitamento
materno através, entre outras, do desenvolvimento de programas que incentivem
a amamentação exclusiva até os seis meses de idade, a exemplo o Programa de
Apoio ao Aleitamento Materno Exclusivo (PROAME).
Neste trabalho vamos falar sobre o PROAME e a importância desse
programa às mães, crianças, familiares e sociedade em geral. Abordando sobre
sua função, objetivos, funcionamento, entre outros.
2.VANTAGENS DO ALEITAMENTO MATERNO
É necessário conhecermos a importância do aleitamento materno, não só para o
bebê, mas também, para a mãe, familiares e sociedade em geral.
2.1Vantagens para a mãe
O aleitamento materno exclusivo contribui em diversos aspectos, sendo eles,
fisiológicos, psicológicos e econômicos.
a) Aspectos fisiológicos:
 Proporciona rapidez na diminuição do útero;
 Contribui para que não haja hemorragia pós-parto;
 Diminui a incidência de câncer de mama e ovário;
 Atua como método contraceptivo, espaçando os intervalos das gestações;
 Auxilia na volta mais rápida do peso normal.
b) Aspectos psicológicos:
 Fortalece a relação entre mãe e filho;
 Diminui a ansiedade.
c) Aspectos econômicos:
 Há uma economia de tempo e dinheiro;
 O leite sempre está pronto;
 Praticidade e higiene.
2.2Vantagens para o bebê
a) Aspectos nutricionais:
 Proporciona uma alimentação adequada, pois possui todos o nutrientes
necessários, em quantidade e qualidade que o bebê precisa para o seu
crescimento e desenvolvimento;
 Ajuda na digestão, fazendo com que ocorra um aumento das eliminações
intestinais.
b) Proteção contra doenças:
 Infecciosas;
 Prevenção de alergias;
 Prevenção de obesidade e de doenças crônicas como diabetes,
 hipertensão e arteriosclerose.
c) Proteção contra alterações psicossociais:
 O aleitamento estabelece um vinculo afetivo entre mãe e filho, ajudando
no desenvolvimento da criança e no seu relacionamento com outras
pessoas.
d) Prevenção de problemas motor-orais:
 Contribui para o desenvolvimento da estrutura facial e de suas funções,
mastigação, fala, respiração e alinhamento dos dentes.
2.3Vantagens para a família, estado e nação
 Diminuição do índice de doenças, internações e mortes infantis;
 Melhora no rendimento escolar;
 Planejamento familiar;
 Mais economia.
3. IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO PARA O DESENVOLVIMENTO
DA FACE DO BEBÊ E DAS FUNÇÕES BUCAIS

O aleitamento materno tem uma importância fundamental não só para a nutrição,


desenvolvimento e crescimento infantil e proteção contra doenças, ele também é
fundamental para o desenvolvimento harmonioso da face e das funções bucais da
criança.
A pratica do aleitamento materno exclusivo atua na prevenção dos fatores que
venham a prejudicar o desenvolvimento correto da relação maxilar-mandíbula, por isso,
contribui para o crescimento mandibular, influenciando no desenvolvimento
craniofacial. Quando as crianças tem a pratica de chupar os dedos e chupeta por tempo
prolongado, é um fator que pode provocar defeitos e o desenvolvimento incorreto.
O bebê amamentado nos seio de forma exclusiva começa a exercitar a respiração
nasal adequada, dilatando as narinas, forçando o ar nas cavidades paranasais bilaterais,
contribuindo para o crescimento de 1/3 médio da face.
Conforme o manual de aleitamento materno, os exercícios contínuos e
repetitivos que o bebê faz durante a ordenha( abaixamento, protrusão, elevação e
retrusão da mandíbula), proporcionam o melhor exercício ortopédico para o crescimento
mandibular e o desenvolvimento adequado dos órgãos fonoarticulatórios. Quando o
bebê adquiri hábitos longos de sugar chupeta ou dedos, desde os primeiros anos de vida,
além de provocar mal posicionamento dos dentes anteriores, podem prejudicar
sensivelmente o crescimento mandibular e o desenvolvimento normal das estruturas do
sistema estomatognático.
O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida, além de
oferecer nutrição adequada, também proporciona ao bebê momentos de prazer.
Aconchegado ao seio materno, o bebê relaxa como se a felicidade deste momento
levasse de volta à paz do útero materno. Neste momento de união entre mãe e filho, a
respiração do bebê se amplia oxigenando as células do cérebro em desenvolvimento,
beneficiando todo o organismo do bebê.
4. HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA
O estabelecimento de saúde para ser habilitado pelo gestor estadual/municipal na
Iniciativa Hospital Amigo da Criança deverá atender a certos critérios. Existem mais
ações e critérios que os hospitais devem obedecer, porém aqui foram colocadas apenas
algumas dessas normas estabelecidas, como:
1. Comprovar cadastramento no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de
Saúde-CNES;
2. Comprovar cumprimento à Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos
para Lactentes e Crianças na Primeira Infância;
3. Não está respondendo à sindicância no Sistema Único de Saúde- SUS;
4. Não ter sido condenado nos últimos dois anos, em processos relativo à
assistência prestada no pré- parto, parto, puerpério e período de internação em
unidade e cuidados neonatais;
5. Dispor de profissional capacitado para a assistência à mulher e ao recém-
nascido no ato do parto;
6. Garantir, a partir da habilitação, que pelo menos 70% dos recém- nascidos saiam
de alta hospitalar com o Registro de Nascimento Civil; comprovado pelo
Sistema de Informações Hospitalares, mediante incentivo instituído pela Portaria
nº 938/GM, 20 de maio de 2002;
7. Realizar os ‘’Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno’’, proposto
pela Organização Mundial de Saúde e pelo Fundo das Nações Unidas para a
Infância;
8. Apresentar taxa percentual de cesarianas conforme a estabelecida pelo gestor
estadual/municipal, tendo como referência as regulamentações procedidas do
Ministério da Saúde- MS;
9. Encorajar o aleitamento sob livre demanda;
10. Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas no peito.

Você também pode gostar