P. 1
Topografia_Aplicada_-_Aula_1

Topografia_Aplicada_-_Aula_1

|Views: 1.597|Likes:
Publicado porGONÇALVES LEVI

More info:

Published by: GONÇALVES LEVI on Mar 03, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/26/2013

pdf

text

original

Centro Universitário UNIVATES Curso de Graduação em Engenharia Civil Topografia Aplicada

Aula 1 - Introdução à Topografia Aplicada
Professor: Rafael Rodrigo Eckhardt
Biólogo e Ms. em Sensoriamento Remoto e-mail: rafare@univates.br

© RRE

TOPOGRAFIA APLICADA - 2010/B

1

Conteúdo Programático
Ementa: Métodos de levantamento planimétrico. Sistema de coordenadas. Divisão de terras. Determinação da meridiana. Locação de curvas. Levantamento hidrográfico. Terraplenagem. Divisão de terras e loteamentos. Locação de obras. Objetivos: promover a compreensão teórica e prática da topografia e planimetria em projetos e aplicações dos cursos da Engenharia Civil, da Engenharia Ambiental, da Arquitetura e Urbanismo e da Biologia.
Interpretação de cartas topográficas; Levantamento planimétrico; Levantamento topográfico com GPS Diferencial; Interpolação e locação de curvas de nível; Geração de altitude da área; Cálculo da declividade da área; Integração das curvas de nível com imagens de satélite; levantamento hidrográfico e delimitação de APPs visando a locação de obras, entre outros assuntos.

© RRE

TOPOGRAFIA APLICADA - 2010/B

2

Conteúdo Programático
Aula 1 - 31/07: Apresentação da disciplina e introdução à Topografia Aplicada; Aula 2 - 07/08: Sistemas de coordenadas Geodésicas e UTM; Aula 3 - 14/08: Sistemas de Referência Terrestres - DATUM; Aula 4 - 21/08: Exploração de informações topográficas para grandes áreas – Cartas Topográficas e Missão SRTM; Aula 5 - 28/08: Conceitos de GPS e GPS Diferencial; Aula 6 - 04/09: Atividade Prática em Campo de Levantamento Topográfico com GPS Diferencial - Parque do Imigrante; Aula 7 - 11/09: Pós-processamento dos dados de campo; Aula 8 - 18/09: Interpolação da nuvem de pontos e traçado das curvas de nível; Aula 9 - 25/09: Avaliação Teórica Individual I;

© RRE

TOPOGRAFIA APLICADA - 2010/B

3

27/11: 04/12: Aula não presencial e entrega da atividade Trabalho Discente Efetiva. Aula 18 .09/10: Recursos hídricos e apps.2010/B 4 . Aula 11 .27/11: Apresentação de seminário.Conteúdo Programático Aula 10 .30/10: Geração da altitude e declividade da área. Aula 13 .06/11: Avaliação Teórica Individual II.02/10: Interpretação de imagem de satélite de alta resolução espacial.20/11: Apresentação de seminário. Aula 12 . Aula 17 . planta topográfica e memorial descritivo da área. Aula 16 .13/11: Preparo da planta de situação. Aula 14 . © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . Aula 15 .23/10: Integração das curvas de nível com a imagem de satélite.

Conteúdo Programático Metodologia: O programa será desenvolvido através de aulas teóricas. O envolvimento dos alunos será estimulado em trabalhos. Surfer. atividades em campo e PRÁTICAS DE LABORATÓRIO. Softwares que serão utilizados: Google Earth. expositivas. Autocad. pesquisas e apresentação de seminários em grupo que reflitam a atuação acadêmica e profissional nesta área do conhecimento. GPS Trackmaker. IDRISI Taiga. Ezsurv.2010/B 5 . Mapgeo. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

a apresentação de dados e resultados de atividades propostas e as contribuições dadas às apresentações e aos debates. trabalhos em grupo. 5 e 6: 27/11. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .06/11 .Peso 1. seminários.Conteúdo Programático AVALIAÇÃO SUBJETIVA: acompanhamento do desempenho individual e grupal.2010/B 6 .25/09 .4). Avaliação III: Planta de Situação. Grupo 1. Será considerado o envolvimento nas atividades propostas. Avaliação II: Prova Teórica Individual . a qualidade da produção oral e escrita. Planta Topográfica e Memorial Descritivo (Peso 0. 2 e 3: 20/11. AVALIAÇÃO OBJETIVA: os instrumentos de avaliação utilizados serão: avaliações teóricas escritas. a pontualidade na execução e entrega das tarefas.Peso 1. Avaliação I: Prova Teórica Individual . Grupo 4.6) + Seminário em grupo (Peso 0.

a vegetação. loteamento / parcelamento do solo. estará APROVADO (Conforme Regimento Interno da UNIVATES).0 e o exame final foi abolido. A referida atividade visa servir de base para a instalação de obras de pavimentação de rodovias. Desde o semestre 2010/A. descrevendo os elementos planialtimétricos. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .0 entre as notas N1. instalação de indústrias. a nota mínima para aprovação na Univates é 6. entre outros. O aluno que atingir média simples igual ou superior a 6. N2 e N3 e tiver frequência não inferior a 75%. planta topográfica e o memorial descritivo.2010/B 7 .Conteúdo Programático Atividade de Trabalho Discente Efetiva Como "atividade de trabalho discente efetiva" os alunos irão finalizar e proceder à entrega da planta de situação. as áreas de preservação permanentes e a situação de uso do local de determinada área. os elementos naturais.

Topografia geral. Gilberto. Topografia. Topografia. Rio de Janeiro: LTC. 2007. da UFSC. Alberto de Campos. ROCHA. 2006. GPS: uma abordagem prática. MARCHETTI.. Topografia: aplicada à engenharia civil. Delamar. 2008. 2007. Jack. São Paulo: Edgard Blucher. José Antônio M. Salvador: UFBA. Rio de Janeiro: LTC. Topografia planimetria. LOCH. CORDINI.2010/B 8 . 1989. contemporânea: MCCOMARC. 1977. 2003. R. São Paulo: Edgard Blucher. Recife: Bagaço. Princípios de fotogrametria e fotointerpretação. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . João Martins. Florianópolis: Ed. PINTO. Jucilei. BORGES. Bibliografia Complementar: BORGES. Alberto de Campos. GARCIA.Conteúdo Programático Bibliografia Básica: CASACA. Curso de topografia. 1995. Luiz Edmundo Kruschewsky. Carlos. São Paulo: Nobel.

APLICABILIDADE: a disciplina visa desenvolver aplicações da topografia plana e tridimensional em projetos de várias áreas do conhecimento com base no uso de recursos computacionais e imagens de satélite.2010/B 9 . © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . serão realizadas algumas atividades com esse objetivo. INTEGRAÇÃO: possibilidade de integração dos alunos dos diversos cursos matriculados na execução de atividades e tarefas. Mas. APROVEITAMENTO: aproveitamento das técnicas e práticas em projetos profissionais no mercado de trabalho.FOCOS DA DISCIPLINA LEVANTAMENTO DE DADOS: o foco da disciplina não é a coleta de dados topográficos (planimetria e altimetria). TRANSDISCIPLINARIDADE: aproveitamento dos conceitos e práticas por várias áreas de conhecimento. FORMAÇÃO DE BASE: desenvolver uma base de conhecimentos com reduzida complexidade e com facilidade de execução.

visando simplificar os procedimentos de processamento dos dados levantados em campo. Isto é. em topografia se considera a Terra plana. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . portanto.INTRODUÇÃO A palavra "Topografia" deriva das palavras gregas "topos" (lugar) e "graphen” (descrever) significando. a representação exata de um lugar.2010/B 10 . Forma => Contorno + ângulos + relevo Dimensão => distâncias + área Posição relativa => norte + distância até esquina + endereço Porção limitada => até 80 Km de extensão máxima = plano ou superfície topográfica. A limitação da aplicação da topografia sobre uma porção limitada da superfície terrestre permite menosprezar a curvatura da Terra sem causar distorções significativas.

planejar sistemas de esgotos. Tipos de Levantamentos mais comuns: Levantamento de Terras => locação dos limites de propriedades. plantas industriais e a maioria dos trabalhos topográficos. Outros. Levantamentos Municipais => projetar ruas. de modo que a curvatura da Terra pode ser negligenciada. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . etc.2010/B 11 . OS LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS PLANOS = realizados em pequenas áreas. edificações. Ex. preparar mapas.Introdução TERRA => SUPERFÍCIE CURVA = ajustamentos para compensar a curvatura da Terra para mapeamento de grandes áreas.: Levantamento topográficos para fazendas. subdivisões de terras. Levantamento Topográfico => locação de objetos e medição das alterações tridimensionais da superfície do terreno (relevo).

2010/B 12 . Método Fotogramétrico: informação recolhida através da análise de fotogramas do terreno. obtidos através de fotografia aérea ou de imagens enviadas por satélites artificiais. 2007). que automatizam várias etapas ligadas ao processo topográfico. equipamentos eletrônicos. através da medição de distâncias. direções e altitudes (McCormac. níveis ópticos. volumes e preparação de mapas e diagramas (McCormac. estações totais. a partir de instrumentos simples de medição como é o caso dos teodolitos.Topografia Ciência que trata da determinação das dimensões e contornos (ou das características tridimensionais) da superfície da Terra. ou seja. Método Clássico de Levantamento: informação direta do terreno. 2007). GPS. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . Utilização do meio digital. Ainda inclui cálculo de áreas. TOPOGRAFIA: Grande avanço nas últimas décadas em todas as formas de levantamento de campo até a elaboração do produto final.

Divisão do Levantamento Topográfico Planimétrico: representação bidimensional Altimétrico: representação tridimensional © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 13 .

Ligados à rede geodésica: No campo. estaciona-se o aparelho no Marco Geodésico pretendido. Identifica-se a coordenada da origem do levantamento com GPS. Através da bússola. São introduzidas no aparelho coordenadas fictícias. Não ligados à rede geodésica: É considerado um referencial arbitrário.Levantamentos Topográficos Os levantamentos topográficos podem ser efetuados com ou sem ligação à rede geodésica nacional.2010/B 14 . © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . direciona-se o norte.

Topografia Automatizada GPS Topográfico. Entre outros. Trenas eletrônicas. Níveis eletrônicos.2010/B 15 .Instrumentos Topográficos Estação Total. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

2010/B 16 .Principais Softwares Topográficos A existência de softwares topográficos facilitou para o profissional de topografia. Surfer. TopoGraph. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . pois desenhar uma área. ficou mais fácil a partir da computadorização. DataGeosis. além da realização de cálculos instantâneos. Geo Office. TopoEVN.

2010/B 17 .Aplicações da Topografia PLANIMETRIA © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

Aplicações da Topografia ALTIMETRIA © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 18 .

2010/B 19 .Aplicações da Topografia PLANI-ALTIMETRIA © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

2010/B 20 .Aplicações da Topografia Projetos de Loteamento: Planimetria e Topografia: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

Aplicações da Topografia Projetos de Loteamento: Declividade do terreno: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 21 .

2010/B 22 .Aplicações da Topografia Projetos de Loteamento: Recursos Hídricos e APPs: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

Aplicações da Topografia Projetos de Loteamento: Recursos Hídricos e APPs: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 23 .

2010/B 24 .Aplicações da Topografia TOPOGRAFIA PARA INSTALAÇÃO DE PLANTAS INDUSTRIAIS © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

Aplicações da Topografia Topografia para Projetos de pavimentação de estradas © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 25 .

Aplicações da Topografia Modelo Digital do Projeto de pavimentação de vias © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 26 .

Aplicações da Topografia VIZUALIZAÇÃO TRIDIMENSIONAL: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 27 .

Aplicações da Topografia VETORES DE ESCOAMENTO DE ÁGUA: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 28 .

2010/B 29 .Aplicações da Topografia MAPA TOPOGRÁFICO DE UM MORRO: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

Aplicações da Topografia MAPA TOPOGRÁFICO DE UM VALE: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 30 .

2010/B 31 .Aplicações da Topografia PERFIS TOPOGRÁFICOS: © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .

© RRE TOPOGRAFIA APLICADA . Escala 1:2000 => escalas topográficas (GRANDE ESCALA) = denominador pequeno => representação gráfica detalhada. Múltiplos de dez: 1:100. 1:500. Assim: Escala = = Onde N indica um fator de redução entre a grandeza gráfica e sua homóloga no terreno. De maneira geral. 1:50000. 1:2000. UMA ESCALA 1:2000 indica que o comprimento de uma linha medida no terreno é 2000 vezes maior que sua representação em planta. A razão da escala é adimensional já que relaciona quantidades físicas idênticas de mesma unidade. Escala 1:1000000 => escala cartográficas (PEQUENA ESCALA) = denominador grande => representação gráfica geral ou com menor detalhe. 1:1000. Múltiplos de vinte: 1:200. 2000). 1:5000000.REVISÃO ESCALA NUMÉRICA: relação matemática constante entre o comprimento de uma linha medida na representação cartográfica (d) e o comprimento de sua medida homóloga no terreno (D) (Loch e Cordini.2010/B 32 . 1 cm no papel representa uma linha de 2000 cm (200 metros) no terreno. 1:200000. Múltiplos de cinquenta: 1:50. 1:5000. 1:100000. 1:1000000. OU SEJA. podemos ter os seguintes valores para 1/N.

REVISÃO ESCALA GRÁFICA: É representada por uma barra graduada com subdivisões que indicam a relação entre a dimensão do elementos no mapa em relação ao tamanho real. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .2010/B 33 .

2010/B 34 .REVISÃO NORTE: Norte geográfico ou verdadeiro (NG): é aquele indicado por qualquer meridiano geográfico. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . Norte Magnético (NM): é a direção do polo magnético e indicado pela agulha imantada de uma bússola. Declinação Magnética (δ): ângulo formado entre o Norte Geográfico e o Magnético expresso em graus. na direção da rotação da Terra. Convergência meridiana (γ): diferença angular entre o Norte Geográfico e o Norte da Quadrícula.

60 metros Cálculo da Declinação Magnética: http://www. Suas medidas são determinadas por uma agulha magnetizada que indica. Cuidados no emprego da bússola: Evite aproximar-se de campos elétricos e centro de massa de ferro.jsp © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .ngdc.10 metros Transformadores .noaa.gov/geomagmodels/Declination.60 metros Veículos .20 metros Arame farpado . Distâncias mínimas de segurança: Alta tensão .2010/B 35 .REVISÃO BÚSSOLA: A bússola é um instrumento destinado a medir ângulos horizontais (azimutes) necessários à orientação no terreno e na carta. por princípios físicos. uma direção chamada Norte Magnético.20 metros Linhas telegráficas .

Esta orientação se dá através de um ângulo entre esta direção e a do alinhamento. e uma das formas é em relação à direção Norte.REVISÃO AZIMUTE E RUMO DE UM ALINHAMENTO: Todo alinhamento em topografia deve ser orientado. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . A diferença básica entre os círculos que é a numeração dos quadrantes. Para melhor entendimento do assunto devemos estudar o Círculo topográfico.2010/B 36 . uma no sentido horário e outra no sentido anti-horário.

2010/B 37 . AZoD Є 4° Quad. No 2º Quadrante: 90° < AZ < 180°. AZoC Є 3° Quad. No 3º Quadrante: 180° < AZ < 270°. AZoA Є1° Quad. AZoB Є 2° Quad. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .REVISÃO AZIMUTE DE UM ALINHAMENTO (AZ): ângulo formado entre a direção Norte (magnética ou verdadeira) e o alinhamento. também é conhecido por Azimute à direita. No 4º Quadrante: 270° < AZ < 360°. A variação angular do azimute é de 0° a 360°. Este azimute. No 1º Quadrante: 0° < AZ < 90°. contado no sentido horário.

Os rumos 0A (NE) e 0C (SW). SE. R = NW. são no sentido anti-horário. No 1º Quad. R = SE. A variação angular é de 0° a 90°. partindo da ponta Norte ou da ponta Sul. No 3º Quad. O valor angular do rumo nunca ultrapassa os 90° e a sua origem está ou no Norte ou no Sul. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA . Os rumos terão seus quadrantes identificados pelos Pontos Colaterais: NE.REVISÃO RUMO DE UM ALINHAMENTO (R): ângulo formado entre a direção Norte-Sul (magnética ou verdadeira) e o alinhamento. R = SW. são no sentido horário. E os rumos 0B (SE) e 0D (NW). contado da que estiver mais próximo do alinhamento. No 4º Quad.2010/B 38 . No 2º Quad. R = NE. SW e NW.

2010/B 39 . Existe pelo menos um azimute e um rumo para cada alinhamento. © RRE TOPOGRAFIA APLICADA .REVISÃO CONVERSÃO DE AZIMUTE EM RUMO E VICE-VERSA: O círculo topográfico é o mesmo para Azimute como para Rumo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->