P. 1
Estatística Aplicada - Anotações

Estatística Aplicada - Anotações

|Views: 3.724|Likes:
Publicado porEdilene Ribeiro

More info:

Published by: Edilene Ribeiro on Mar 03, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/11/2013

pdf

text

original

ESTATÍSTICA APLICADA

Prof. Joaquim Carvalho Aulas: Segunda-feira: 07:30 – 2 aulas Quinta-feira: 10:50 – 1 aula

Dia 03/fev Orientações Gerais: Avaliação Primeira prova: 18/04/11 Segunda prova: 13/06/11 Segunda prova: 27/06/11

As provas valem 8 pontos (cada) e as listas de exercícios a sem disponibilizadas valem 2 pontos, cada. A média mínima para aprovação é 6. As provas possuem 06 questões, todas com peso 1,6. O aluno pode optar por responder apenas 05 ou responder todas. Neste caso, o professor desconsiderará a questor de mais baixo desempenho. A prova do segundo bimestre (N2B) pode ser substituída por trabalho de pesquisa. O trabalho poderá ser feito por equipes de até 03 componentes. A parte escrita valerá 3 pontos e apresentação 5. A lista de exercícios (2 pontos) completará a nota. Cálculo da Média: Média = (N1B x4 + N2Bx6)/10 Prova substitutiva: se a média mínima não for atingida, o aluno fará uma prova substitutiva com todo o conteúdo, a qual valerá 10 pontos e substituirá a menor nota bimestral para cálculo da média.

Dia 07/fev Ementa 1. 2. 3. 4. 5. Conceitos Fundamentais Construção de tabelas e gráficos (a) Distribuição de frequência de dados (b) Medidas de tendência central: médias, moda, mediana (c) Medidas separatrizes

Observações: Notação científica: coeficiente entre 0<x<10 multiplicado por potência de 10. Ex.: 2,5 x 105 (a) Tabelas: Deverão ser observadas as regras da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Exemplo: nas tabelas as laterais não são fechadas, como ocorre nos quadros. No corpo das tabelas não se marcam linhas; estas são admitidas apenas no cabeçalho. Observação: quadro e tabelas são coisas diferentes: os quadros são utilizados para apresentar dados que não foram objeto de medida. Exemplo: horário de aula. Os dados em um quadro são fixados por critérios de conveniência. (b) Variáveis: discretas (objeto de contagem) ou contínuas (objeto de medição). (c) Médias: podem ser aritméticas, geométricas e harmônicas. Exemplo: (2, 4, 8, 16) – conj. de 4 elementos  Média aritmética: Xa = (2+4+8+16)/4 = 7,5  Média geométrica: Xg = = 5,6...  Média harmônica: Xh = 4/ (1/2 + ¼ +1/8 +1/16) = 4,27.... Mediana: representa o ‘centro do intervalo’ Moda: indica a frequência de repetição de elementos. Ex.: (2, 2, 6, 8, 8, 10, 12). Moda = (2, 8)

Determinação do tamanho da amostra  Média  Proporção 11. Noções de probabilidade  Cálculo de probabilidade  Distribuição de probabilidade (Binomial.3. . mas sim taxa de preço. Entretanto.Dia 10/fev Ementa – Continuação 6. 7 e 10. apesar desta boa média. sua representatividade e precisão) 13. Exemplo1: três alunos de uma sala tiram notas 2. mais de 30 milhões de brasileiros vivem em situação de pobreza extrema. Teste de hipóteses  Médias  Proporção  Variância  Desvio padrão 12. Normal e Student) 9.00/mês. Fazendo-se a média aritmética. vemos que 1/3 da turma está mal. Intervalo de confiança (para estimar)  Médias  Proporção  Variância  Desvio padrão 10. Noções de regressão e de correlação (como determinar um modelo matemático. Entretanto sabemos que na realidade efetiva. (b) não existe taxa de inflação. Exemplo2: a renda per-capta do brasileiro gira em torno de R$ 1. a “média da turma está acima da nota mínima de aprovação”. (Construção de) Números índices (b) Observações: (a) As medidas de dispersão verificam o comportamento dos dados.200. ou seja. Medidas de assimetria e curtose 8. teremos 6. Medidas de dispersão (a) verifica o comportamento dos dados  Amplitude total  Desvio médio absoluto  Variância  Desvio padrão  Coeficiente de variância 7.

a organização. É o meio mais eficaz para atingir determinada meta. A principal diferença entre estes é que o método experimental é usado em pesquisas de fenômenos em que se permite variar apenas uma das causas que tem influencia sobre o fenômeno. baseia-se na descrição e na inferência do fenômeno. A palavra estatística está associada a status: do latim. Este método. 1999)1. 1. Os métodos são classificados em: empírico ou científico.2. o estatístico. de Bertolo ou do livro Estatística Fácil de Antônio Arnot Crespo. interpretá-los e deles extrair conclusões (Triola. O método científico pode ser: experimental ou estatístico.2 Método É o conjunto de meios ordenados de forma a atingir o fim desejado. pelas comunidades. sem necessariamente ter comprovação.2 1 Os trechos em azul são provenientes da apostila “Estatística Básica no Excel”. já o método estatístico é usado quando não se permite tornar constantes causas que têm influências sobre o fenômeno e torna-se necessário o estudo do fenômeno com todas as suas causas variando simultaneamente. resumi-los.1 Método empírico Baseia-se em experiências acumuladas pelas comunidades ao longo do tempo. A descrição compreende as etapas de coleta. de ampla abrangência tanto nas ciências aplicadas como em inferências mercadológicas. já a inferência compreende a análise e interpretação dos dados. CONSIDERAÇÕES GERAIS 1. ou não.1 Definição Estatística é a área de Matemática aplicada ao estudo de fenômenos coletivos. o cálculo e a 1. organização e apresentação do dados. É a coleção de métodos para planejar experimentos. Compreende a coleta. 1. obter e organizar dados. estado. analisá-los. e estas são aferidas a partir de procedimentos hipotéticos com a utilização de metodologia matemática. . Método científico Baseia-se em observações vividas. a descrição dos dados. enquanto as demais causas permanecem constantes.2. A Estatística se divide em:  Estatística Descritiva: é a parte da estatística encarregada de descrever os dados.Dia 14/fev VISÃO GERAL 1.

1. . etc.3. É a parte mais conhecida.). Nela encontramos a Estimação de Parâmetros. CONSIDERAÇÕES GERAIS – continuação 1. pensando em se proteger). (Apuração. más perguntas (cuja redação dificultam o pleno entendimento pelo entrevistado). casamentos. Tem por finalidade procurar falhas e imperfeições a fim de evitar erros nos resultados.1 Coleta Definido no planejamento do trabalho qual o fenômeno a ser mensurado e suas causas de influências.3 Fases do Método Estatístico 1. 1.3. dependendo da finalidade: erros nos instrumentos ou nos dados. Esta parte da pesquisa compreende a coleta de dados que pode ser direta ou indireta. registros escolares. Redução ou) Organização Corresponde à etapa de soma e processamento dos dados. de forma manual ou eletrônica. associado a uma margem de incerteza. Classifica-se quanto ao fator tempo em: contínua. Crítica Etapa de aplicação facultativa. variâncias. preservação da autoimagem (o entrevistado mente. Esta parte está associada a cálculos de médias.. Pode ser classificada em interna ou externa. b) Indireta: feita sobre informações já mensuradas pela coleta direta ou pelo conhecimento de causas relacionadas ao fenômeno. montam-se os instrumentos de mensuração para quantifica-la. importações. na aferição dos dados tabulados.2 1. a) Direta: feita sobre registros diversos (nascimentos. periódica (censos) ou ocasional. através do cálculo de probabilidade.3 Dia 17/fev VISÃO GERAL 1.3. Testes de Hipóteses. ou ainda. interpretação de coeficientes. é a parte da estatística que têm por objetivo obter e generalizar conclusões para uma população a partir de uma amostra. más amostras. respectivamente. etc. Ex. compreende o processo de triagem dos instrumentos da pesquisa em busca de possíveis erros em sua elaboração. e esta poderá ser feita através de tabelas ou gráficos. Modelagens. Alguns erros comuns: perguntas tendenciosas. Ou ainda.3. Tem o fim de tornar mais fácil seu exame e aplicação em um cálculo estatístico. cujos métodos que se fundamentam na teoria da probabilidade.4 Apresentação ou Exposição É a forma de exposição dos dados processados.: mortalidade infantil. estudo de gráficos. etc. Estatística Indutiva ou Inferencial: corresponde à análise e à interpretação dos dados. tabelas.

Através de métodos de estatística indutiva ou inferencial obtêm-se conclusões e previsões de um todo através do exame de apenas uma parte desse todo. esta classificação é feita a partir da constatação de que o estimador é representativo do parâmetro na população. os números naturais {0..: Peças são fabricadas até que x peças. b) determinação do fenômeno número de alunos na sala: resultados possíveis. não paramétrica.}. visualização e compreensão sejam simplificados.4. CONCEITOS FUNDAMENTAIS 2. .: A corrente i pode ser determinado por U/R (Lei de Ohm) em um circuito elétrico resistivo elementar.3. Exemplos: a) determinação do fenômeno sexo: dois resultados possíveis.. caso contrário. caso a resposta seja afirmativa. perfeitas. no caso a Geométrica. Se a pesquisa foi feita por amostragem poderemos então fazer mensuração dos parâmetros a partir destes resultados estimados. 2. masculino e feminino. Ex. logo a variável será paramétrica. Resumindo tabelas Coleta Crítica dos Dados Organização Apresentação gráficos Análise Um dos objetivos da análise e interpretação de dados é buscar um modelo para as observações.  Nos modelos não determinísticos usa-se uma Distribuição de Probabilidade.1. É o conjunto de resultados possíveis de um fenômeno.5 Análise Compreende a etapa final que é a discussão e a conclusão dos resultados. Os erros e inconsistências ocorridos na coleta de dados devem ser corrigidos. o número total de peças fabricadas é contado. Usa-se uma distribuição. Ex.3.1. sejam produzidas. As amostras de dados devem ser agrupadas de forma que seu manuseio.1 Variáveis É comumente definida como sendo o conjunto de resultados possíveis de um fenômeno.  Nos determinísticos as condições sob as quais um experimento é executado determina o resultado do experimento. A variável poderá ser classificada em paramétrica ou não paramétrica.. E esta poderá ser classificada em: qualitativa ou quantitativa e ainda como paramétrica ou não paramétrica. para a tomada de decisões. Estes modelos podem ser essencialmente determinísticos ou não-determinísticos (probabilísticos ou estocásticos).2.

exige a coleta e a análise de dados estatísticos.: peso. Por exemplo. econômico. etc. seja uma população (ou amostra) {2. contagem em geral). 2.9} De modo geral. A coleta de dados é. 2. social.5. vida útil das máquinas. temos: x ∈ {2.4. marca de fabricante de computadores. z.1.1 Variável qualitativa Quando seus valores são expressos por atributos. etc.3. altura. indicando por x a variável relativa ao fenômeno que deu origem à população de resultados acima.  Contínua: se os valores forem expressos dentro de limites Nominal Quallitativa Ordinal Variável Discreta Quantitativa Contínua Variável Estado: Perfeita ou defeituosa Qualidade: 1ª 2ª ou 3ª categoria No de peças defeituosas Diâmetro das peças Tipo Qualitativa Nominal Qualitativa Ordinal Quantitativa Discreta Quantitativa Contínua A variável quantitativa pode ser contínua.2 Variável quantitativa Quando seus valores são expressos em números. por exemplo: salários dos funcionários. as medições dão origem a variáveis contínuas e as contagens a variáveis discretas. .4. pode ser classificada em: discreta ou contínua. x. Este tipo de variável. y. tempo de processamento de um computador. características de um software. Designamos as variáveis pelas letras latinas.  Discreta: se os valores forem expressos de forma pontual.5. quantitativa. ou pode ser discreta.3.1. pois. especialidade profissional.: nº de filhos. seja ele natural. a fase inicial de qualquer pesquisa. etc. quando assume qualquer valor entre dois limites (ex. por exemplo: sexo. medições).1 População e Amostra O estudo de qualquer fenômeno. quando só pode assumir valores pertencentes a um conjunto enumerável (ex.9}.Paramétrica Variável Não paramétrica 2.

1 População É o conjunto de todos os itens (pessoas. mensurada a partir de todos os elementos da população. .3 Parâmetro É uma característica numérica obtida. ou extraídos.2.2.6 Rol É uma sequência ordenada dos dados brutos. É o conjunto de dados numéricos obtidos e que ainda não foram organizados. Devem ser escolhidas através de processos adequados que garantam o acaso na escolha. CONCEITOS FUNDAMENTAIS – continuação 2. Chama-se amostragem o processo de colher amostras.  Infinita – apresenta um número ilimitado de observações que é impossível de contar e geralmente está associada a processos. objetos) de interesse no estudo do fenômeno do objeto. A população é o conjunto Universo. ou seja. mensurada a partir dos elementos amostrados. representativo da população. coisas. Dia 21/fev VISÃO GERAL 2. Amostra da população é o conjunto de dados efetivamente observados.2.  Finita – apresenta um número limitado de observações.4 Estimador É uma característica numérica obtida. obtidos diretamente da observação de um fenômeno.5 Dados brutos É uma sequência de valores numéricos não organizados. e esta poderá ser crescente ou decrescente. podendo ser finita ou infinita. que é passível de contagem. Sobre os dados da amostra é que se desenvolvem os estudos. 3.2. com o objetivo de se fazerem inferências sobre a população.2. É o arranjo dos dados brutos em ordem crescente (ou decrescente). 2. 2. PROCESSOS ESTATÍSTICOS DE ABORDAGEM A mensuração das causas que influenciam o fenômeno objeto de estudo poderá ser feito através da estimação ou do censo. 2.2. ou seja.2 Amostra É um subconjunto não nulo e finito.2. 2. A População é a coleção de todas as observações potenciais sobre determinado fenômeno ou sobre um conjunto de indivíduos (possuindo estes pelo menos uma característica comum).

circunstâncias e assuntos de interesse comum. Desvantagens É caro. 3. nível de confiança. lento. faz-se necessário utilizar alguns procedimentos na seleção dos elementos da população que irão compor a amostra. [Termos relacionados: margem de erro. 4. .2 Estimação Compreende a avalição do fenômeno a partir de um estimador utilizando para tanto cálculo de probabilidades. Dessa forma.1 Principais Técnicas usadas na Avaliação de Variáveis Paramétricas 4. cada elemento da população passa a ter a mesma chance de ser escolhido. Processo de Sondagem Censo Vantagens Admite erro processual zero e tem confiabilidade 100% É barata.1 Censo Compreende a avalição do fenômeno utilizando-se todos os elementos que compõem a população. o acaso na escolha dos elementos que comporão a amostra.  Sondagem é o estudo científico de uma parte de uma população com o objetivo de estudar atitudes. hábitos e preferências da população relativamente a acontecimentos. o que garante à amostra o caráter de representatividade e isto é muito importante uma vez que as conclusões relativas à população vão estar baseados nos resultados obtidos nas amostras dessa população. Essa técnica especial para colher amostras garante. atualizada e sempre viável. a seleção dos elementos equivale a um sorteio lotérico. rápida. Admite erro processual positivo (maior que zero) e tem confiabilidade menor que 100% Estimação Observações:  Estatisticamente.1.3. estes procedimentos denominam-se Técnicas de Amostragem. etc. A amostragem é o ponto de partida (na prática) para todo um Estudo Estatístico.1 Amostragem Casual ou Aleatória Simples É aquela em que se atribui aos grupos a mesma probabilidade de amostra. quase sempre desatualizado e nem sempre é viável. tanto quanto possível.] Através do quadro abaixo podemos verificar as propriedades destes procedimentos de sondagem. TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM Quando a pesquisa é feita por estimativa. a precisão de um valor numérico é avaliada através do binômio: confiança e erro processual. 4. Nesta.

1.2 Técnicas de Amostragem Usadas na Avaliação de Variáveis não Paramétricas A escolha de um método não probabilístico. Destarte.4. Comumente também sub-estratifica-se uma quota obedecendo a uma segunda proporcionalidade. e nesta é constatado extrato com características semelhantes.3 Amostragem por Conglomerados É usada principalmente quando a população encontra-se distribuída em uma grande superfície. no primeiro intervalo correspondente ao período obtido no item acima. poderão selecionar-se alguns destes extratos para obter os elementos que irão compor a amostra.1.2 Amostragem Proporcional Estratificada É usada quando a população encontra-se distribuída em estratos distintos.   . 4. Necessita-se ter um prévio conhecimento da população e sua proporcionalidade. trata-se de uma variação da amostragem intencional. deseja-se entrevistar apenas indivíduos da classe A. a amostra deve considerar a existência desses estratos e a sua proporção em relação à população. [É comum termos populações que se dividam em sub-populações (estratos) e. Então. Frequentemente utilizados em supermercados para testar produtos. Por exemplo. 4. em alguns casos. como cada estrato pode ter um comportamento diferente do outro.] 4. c) A partir deste elemento selecionado. o pesquisador procura apenas oficinas. Amostragem por quotas: na realidade. que representa 12% da população. e assim obtém-se resultados ponderados representativos para o estudo. neste caso. quando de um estudo sobre automóveis. alerta que não há formas de se generalizar os resultados obtidos na amostra para o todo da população quando se opta por este método de amostragem. seguem-se os seguintes passos: a) Determina-se o período (que a razão entre o tamanho da população e da amostra).1. para selecionar os elementos que irão compor a amostra. selecionam-se os demais que irão compor a amostra.4 Amostragem Sistemática É utilizada em casos em que a população encontra-se previamente ordenada. faz-se a seleção de um elemento. mas cada um deles homogêneo. via de regra. Desproporcional: muito utilizada quando a escolha da amostra for desproporcional à população. Amostragem intencional: nela o entrevistador dirige-se a um grupo em específico para saber sua opinião. b) Na população. Por exemplo.   Amostragem acidental (ou conveniência): indicada para estudos exploratórios. seguindo-se o período. seleciona-se aleatoriamente uma quantidade de elementos de cada grupo para formar a amostra. Fonseca (1996). de modo proporcional ao tamanho desse grupo. Esta será a quota para o trabalho. se faz necessário a opção por este método. Atribui-se pesos para os dados. No entanto. Neste caso. sempre encontrará desvantagem frente ao método probabilístico.

Casa ou célula: espaço destinado a um só número.Acidental ou conveniência Intencional Não Probabilística Quotas ou proporcional Tipos de Amostragem Desproporcional Aleatória Simples Probabilística Aleatória Estratificada Conglomerado 5. colocados de preferencia no seu rodapé. respondendo às perguntas: “O quê? Quando? Onde?”. Uma tabela compõe-se de:       Título: conjunto de informações. 5. Há ainda que se considerar os elementos complementares da tabela. Cabeçalho: parte superior da tabela que especifica o conjunto das colunas (indica seu conteúdo e natureza). Rodapé contém a fonte e eventuais legendas: . inicialmente. as notas e as chamadas. série: histórica. geográfica ou específica. as mais completas possíveis. para que tenhamos uma visão global da variação dessa ou dessas variáveis. de dados que se inscrevem nos seus cruzamentos com as colunas. Corpo: conjunto de linhas e colunas que contêm informações sobre a variável em estudo Coluna indicadora: parte da tabela que especifica o conteúdo das linhas. E isto ela consegue.1 Tabela É um quadro que resume um conjunto de observações. apresentando esses valores em tabelas e gráficos. Um dos objetivos da Estatística é sintetizar os valores que uma ou mais variáveis podem assumir. do local ou da espécie. que são a fonte. SÉRIES ESTATÍSTICAS É a denominação dada às tabelas que apresentam a distribuição dos dados observados do fenômeno em função: da época. respectivamente. E esta é denominada. Localiza-se no topo da tabela. no sentido horizontal. Linhas: retas imaginárias que facilitam a leitura.

composta de linhas e colunas.Produção de Café Brasil 1991-1995 Anos Produção (1. Tabela é a disposição gráfica das séries de acordo com uma determinada ordem de classificação.666 1993 2.750 1995 2007 Fonte: IBGE { rodapé { Título { Cabeçalho { célula { linha . ou quadro.  Tabela é uma pequena tábua. podendo ou não ser numerada ou identificada por símbolos gráficos. A construção de uma tabela depende dos dados coletados que serão resumidos e dispostos em forma tabular. São indicadas em algarismos arábicos ou símbolos gráficos. colunas ou linhas.535 1992 2. Cada nota deve ser indicada em linha própria. que se resume um conjunto de observações. o que significa dizer que são colocados em série e apresentados em quadros ou tabelas. as chamadas são notas específicas que servem para esclarecer minúcias em relação às casas. as notas apresentam informações de natureza geral destinadas a conceituar ou esclarecer o conteúdo da tabela e a indicar a metodologia adotada na coleta e elaboração de dados. Corpo { Tabela 1 .000 t) 1991 2.122 1994 3.  fonte se refere à entidade que organizou a tabela ou forneceu os dados expostos.

cujos dados são dispostos em correspondência com a região geográfica. em determinado local. em determinado tempo e local. cujos dados são dispostos de acordo com itens específicos ou categorias. variam com o local. Série Temporal ou Cronológica – descrevem os valores da variável. Série específica ou categórica. isto é. territoriais ou de localização ._____________________________ Observações sobre as diversas séries Série geográfica. espaciais. . discriminados segundo intervalos de tempo variáveis.

3 1988 39. A seguir veremos os principais diagramas. os cartogramas e os pictogramas. O gráfico em linha constitui uma aplicação do processo de representação das funções num sistema de coordenadas cartesianas. nesse sistema fazemos uso das duas retas perpendiculares: as retas são os eixos coordenados e o ponto de intersecção. Como sabemos. O eixo horizontal é denominado eixo das abcissas (ou eixo x) e o vertical.1 1989 53. Os principais tipos de gráficos são os diagramas.1 1992 59. eixo das ordenadas (ou eixo y).000 t) 1987 39. Exemplo: Tabela 1 – Produção Brasileira de Óleo de Dendê 1987-92 Anos Quantidade (1. sem perda do rigor científico.5 Fonte: Agropalma . 6.1 1991 69. CONSTRUÇÃO DE GRÁFICOS São recursos usados para apresentar séries estatísticas de forma rápida e dinâmica. assim como traços desnecessários que possam levar o observador a uma análise morosa ou com erros.9 1990 65. O gráfico deve obedecer a certos requisitos para ser útil: a) simplicidade: deve ser destituído de detalhes de importância secundária. b) clareza: deve possibilitar uma correta interpretação dos valores representativos do fenômeno em estudo. a origem.1 Gráfico em Linha ou em Curva Este tipo de gráfico se utiliza de linha peligonal para representar a série estatística.Dia 03/Mar VISÃO GERAL 6. c) veracidade: o gráfico deve expressar a verdade sobre o fenômeno em estudo.

Gráfico em Linha 80.0 50. E é indicado.0 40.0 10. dispostos verticalmente (em colunas) ou horizontalmente (em barras). quando não se passa idéia de complementação.0 20. principalmente para séries geográficas ou específicas.2 Gráfico em Colunas ou em Barras É a representação de uma série por meio de retângulos.1995 Estados Valores (US$ Milhões) São Paulo 1. Exemplo: Tabela 2 – Exportações Brasileiras Maio .0 1987 1988 1989 1990 1991 1992 Figura 1: Produção Brasileira de Óleo de Dendê – 1987-92 Fonte: Agropalma 6.0 30.0 70.344 Minas Gerais 542 Rio Grande do Sul 332 Espírito Santo 285 Paraná 250 Santa Catarina 202 Fonte: SECEX .000 t) 60.0 0.0 Quantidade (1.

Gráfico em Colunas Valores (US$ Milhões) 1.250 1.000 1. e é empregado sempre que desejamos ressaltar a participação do dado no total. que fica dividido em tantos setores quantas são as partes.500 Valores (US$ Milhões) Figura 2: Exportações Brasileiras – Maio-1995 Fonte: SECEX 6.3 Gráfico Setorial Este gráfico é construído com base em um círculo. O total é representado pelo círculo.500 1. Obtemos cada setor por meio de regra de três simples e direta.250 1.000 750 500 250 0 SP MG RS ES PR SC ESTADOS Figura 2: Exportações Brasileiras – Maio-1995 Fonte: SECEX Gráfico em Barras SC PR ESTADOS ES RS MG SP 0 250 500 750 1. lembrando que o total da área corresponde a 360o. Os setores são tais que suas áreas são respectivamente proporcionais aos dados da série. .

9 Fonte: IBGE Gráfico Setorial 119.7 Espírito Santo 430.Exemplo: Tabela 3 – Rebanho Suíno do Sudeste do Brasil 1992 Estados Quantidade (mil cabeças) Minas Gerais 3.138.39o 197.27o 18.363.5 São Paulo 2.4 Rio de Janeiro 308.9 TOTAL 6.1992 Fonte: IBGE .09 o Minas Gerais Espírito Santo 25.24o Rio de Janeiro São Paulo Figura 3: Rebanho Suíno do Sudeste do Brasil .035.

11. Crítica dos Dados. 3. Física.EXERCÍCIOS Exercícios extraídos do livro Estatística Fácil do autor Antônio Arnot Crespo. _______________________ Respostas 1. A coleta é direta quando feita sobre elementos informativos de registro obrigatório (nascimentos. Estatística é um conjunto de métodos e processos quantitativos que serve para estudar e medir os fenômenos coletivos. Para que serve a crítica dos dados? 7. Como podem ser apresentados ou expostos os dados? 9. determinar qualidades abstratas de grupos de indivíduos. b. estudar qualidades concretas dos indivíduos que formam grupos. o que é coletar dados? Coletar dados é obter junto à população estudada informações referentes ao fenômeno que se deseja verificar. casamentos e óbitos. as inferências pertencem a que parte da Estatística? 10. Coleta de Dados. 2. etc. O que é Estatística? A Estatística é uma parte da Matemática Aplicada que estuda métodos para a coleta. o que é coletar dados? 6. As ciências humanas e sociais. para obterem os dados que buscam. Biologia. o método estatístico. análise e interpretação de dados. a tomada de decisões. O que é apurar dados? 8. c.. Todo o seu estudo objetiva. entre outros. Complete: O método experimental é o mais usado por ciências como: Química. 1. Cite as fases do método estatístico. 4. Exposição ou Apresentação dos Dados e Análise dos Resultados. O método estatístico tem como um de seus fins: a. a organização. estudar fenômenos estatísticos. lançam mão de que método? 3. importação e exportação de mercadorias). ainda. O que é Estatística? 4. 5. Para você. descrição. para obterem os dados que buscam. Complete: O método experimental é o mais usado por ciências como:. As conclusões. Cite as fases do método estatístico. elementos pertinentes aos prontuários dos alunos de uma faculdade ou. estudar fenômenos numéricos. 2. 5. Para você. Apuração dos Dados. d. Cite três ou mais atividades do planejamento empresarial em que a Estatística se faz necessária. lançam mão de que método? Embora mais difícil e menos preciso. quando os dados são . As ciências humanas e sociais..

as expectativas da comunidade sobre a empresa. periódica – quando feita em intervalos constantes de tempo. ainda. que possam influir sensivelmente nos resultados. Como podem ser apresentados ou expostos os dados? Por mais diversa que seja a finalidade que se tenha em vista. a fim de não incorrermos em erros grosseiros ou de certo vulto. como os censos (de 10 em 10 anos) e as avaliações periódicas dos alunos. Podemos conhecer a realidade geográfica e social. estudar fenômenos estatísticos. seus objetivos com maior possibilidade de serem alcançados a curto. ____________________________ . do censo demográfico etc. médio ou longo prazo. e estabelecer suas metas. O método estatístico tem como um de seus fins: a. 6. Pode ser manual. A coleta se diz indireta quando é inferida de elementos conhecidos (coleta direta) e/ou do conhecimento de outros fenômenos relacionados com o fenômeno estudado. contínua (registro) – quando feita continuamente. a fim de atender a uma conjuntura ou a uma emergência. as inferências pertencem a que parte da Estatística? Estatística Indutiva ou Inferencial. podemos citar a pesquisa sobre a mortalidade infantil. Para que serve a crítica dos dados? Obtidos os dados. tal como a de nascimentos e óbitos e a de freqüência dos alunos às aulas. A crítica é externa quando visa às causas dos erros por parte do informante. A coleta direta de dados pode ser classificada relativamente ao fator tempo em: a. à procura de possíveis falhas e imperfeições. eletromecânica ou eletrônica. Na seleção e organização da estratégia a ser adotada no empreendimento. tornando mais fácil o exame daquilo que está sendo objeto de tratamento estatístico e ulterior obtenção de medidas típicas. 10.coletados pelo próprio pesquisador através de inquéritos e questionários. e tiramos desses resultados conclusões e previsões. eles devem ser cuidadosamente criticados. na escolha das técnicas de verificação e avaliação da quantidade e da qualidade do produto e mesmo dos possíveis lucros e/ou perdas. que é feita através de dados colhidos por uma coleta direta. As conclusões. 9. que tem por base a indução ou inferência. os dados devem ser apresentados sob forma adequada (tabelas ou gráficos). Cite três ou mais atividades do planejamento empresarial em que a Estatística se faz necessária. por distração ou má interpretação das perguntas que lhe foram feitas. 7. b. humanos e financeiros disponíveis. c. ocasional – quando feita extemporaneamente. os recursos naturais. Como exemplo. 11. é interna quando visa observar os elementos originais dos dados da coleta. O que é apurar dados? Nada mais é do que a soma e o processamento dos dados obtidos e a disposição mediante critérios de classificação. 8. como no caso de epidemias que assolam ou dizimam rebanhos inteiros. como é o caso das notas de verificação e de exames.

durante o ano . População: propriedades agrícolas do Brasil. População: dados de uma estação meteorológica de uma cidade. População (ou Universo): alunos de uma escola. Variável: cor dos olhos b. Variável: comprimento .qualitativa b. Variável: sexo dos filhos g.discreta d. População: pregos produzidos por uma máquina. População: as jogadas de um dado Variável: o ponto obtido em cada jogada d.contínua c. Classifique as variáveis em qualitativas ou quantitativas (contínuas ou discretas) a. Variável: diâmetro externo . População: pregos produzidos por uma máquina. População: aparelhos produzidos em uma linha de montagem. Variável: precipitação pluviométrica. Variável: comprimento f. durante o ano c. Variável: nº de defeitos por unidade k.IBOVESPA. População: indústrias de uma cidade. População: peças produzidas por certa máquina. População: dados da Bolsa de Valores de São Paulo . População: as jogadas de um dado Variável: o ponto obtido em cada jogada .IBOVESPA. População: peças produzidas por certa máquina. Variável: diâmetro externo 2. População: funcionários de uma empresa. Variável: cor dos cabelos . Variável: produção de soja h. População: dados de uma estação meteorológica de uma cidade. Variável: cor dos olhos .quantitativa contínua 2. Variável: retorno sobre o capital próprio empregado ______________________________ Respostas 1. Variável: comprimento i. População: bibliotecas de Catanduva. População: segmentos de reta. População (ou Universo): alunos de uma escola. Classifique as variáveis em qualitativas ou quantitativas (contínuas ou discretas) a. População: casais residentes em uma cidade Variável: nº de filhos c. Diga quais das variáveis abaixo são discretas e quais são contínuas: a. População: peças produzidas por certa máquina.quantitativa discreta e. Variável: nº de volumes j. Variável: cor dos cabelos b. População (ou Universo): crianças de uma cidade. População: peças produzidas por certa máquina. Variável: número de ações negociadas d. Variável: nº de peças produzidas por hora e. Variável: salários e.discreta e.quantitativa discreta c. Diga quais das variáveis abaixo são discretas e quais são contínuas: a.quantitativa discreta d. População: casais residentes numa cidade.Exercícios Propostos 1. População: dados da Bolsa de Valores de São Paulo . Variável: salários .contínua b. Variável: número de ações negociadas . Variável: precipitação pluviométrica. População (ou Universo): crianças de uma cidade. População: funcionários de uma empresa. População: casais residentes em uma cidade Variável: nº de filhos . Variável: nº de peças produzidas por hora .contínua .

População: propriedades agrícolas do Brasil. O que é população? E amostra? População é o conjunto de entes (pessoas. Variável: sexo dos filhos . Trace um paralelo entre eles. População: segmentos de reta. População: bibliotecas de Catanduva. 6. coisas. abordando suas vantagens e desvantagens. Defina dos processos estatísticos de abordagem. População: casais residentes numa cidade.contínua ____________________________ Exercícios Propostos 1. Amostra é um subconjunto finito.f. abordando suas vantagens e desvantagens. não nulo. Defina dos processos estatísticos de abordagem.discreta j. Variável: produção de soja . 2. e representativo de uma população. Rol é o arranjo dos dados brutos em ordem crescente ou decrescente. Trace um paralelo entre eles.contínua i.discreta g. e representativo de uma população. não nulo. População: aparelhos produzidos em uma linha de montagem. 2. Qual a diferença entre parâmetro e estimador? No parâmetro a característica numérica é obtida a partir de todos os elementos da população. Variável: nº de defeitos por unidade . O que é população? E amostra? População é o conjunto de entes portadores de pelo menos uma característica comum. Qual a diferença entre dados brutos e rol? Dados brutos é o conjunto de dados numéricos não organizados. Variável: retorno sobre o capital próprio empregado . Amostra é um subconjunto finito. Qual a diferença entre dados brutos e rol? 5. utilizam-se apenas elementos da amostra.discreta h. Variável: comprimento . Qual a diferença entre dados brutos e rol? 7. 3. Variável: nº de volumes .discreta k. . objetos) portadores de pelo menos uma característica comum. obtidos diretamente da observação de um fenômeno coletivo. enquanto no estimador. População: indústrias de uma cidade. Qual a diferença entre parâmetro e estimador? 3. O que é dado estatístico? 4. _______________________________ Respostas 1.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->