P. 1
PDFOnline

PDFOnline

|Views: 39.632|Likes:
Publicado porPericles Netto

More info:

Published by: Pericles Netto on Mar 04, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/14/2013

pdf

text

original

Sections

  • 1 HISTÓRIA DA CONTABILIDADE
  • 1.3 -OBJETIVOS DA CONTABILIDADE
  • 1.5 -A CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA
  • 1.6 -AS TÉCNICAS CONTÁBEIS
  • 1.8 -INTERESSADOS NAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS
  • 1.9 -CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE
  • 1.10 -ENTIDADES ECONÔMICO-ADMINISTRATIVAS
  • 1.11 -FORMAS JURÍDICAS DE CONSTITUIÇÃO
  • 2 -PATRIMÔNIO
  • 2.1 -BENS
  • 2.2 -DIREITOS
  • 2.3 -OBRIGAÇÕES
  • 2.4 -ASPECTOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS DO PATRIMÔNIO
  • 2.5 -REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PATRIMÔNIO
  • 2.6 -SITUAÇÕES LÍQUIDAS PATRIMONIAIS
  • 2.7 -PATRIMÔNIO LÍQUIDO
  • 2.8 -A EQUAÇÃO PATRIMONIAL
  • 2.9 -FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO
  • 3 ATIVO
  • 3.1 ATIVO CIRCULANTE
  • 3.2 ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO
  • 3.3 ATIVO PERMANENTE
  • 4 -PASSIVO
  • 4.1 PASSIVO CIRCULANTE
  • 4.2 PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO (PELP):
  • Caderno de Exercícios
  • EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

CONTABILIDADE

1

APOSTILA DE CONTABILIDADE

Prof. Eliseu Scquiavon 2009

Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.com

CONTABILIDADE

2

1 HISTÓRIA DA CONTABILIDADE ________________________ 3
1.3 - OBJETIVOS DA CONTABILIDADE _______________________________________________________________ 9 1.5 - A CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA ____________________________________________________________ 10 1.6 - AS TÉCNICAS CONTÁBEIS ____________________________________________________________________ 11 1.7 Funções________________________________________________________________________________________ 13 1.8 - INTERESSADOS NAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS______________________________________________ 13 1.9 - CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE ___________________________________________________ 14 1.10 - ENTIDADES ECONÔMICO-ADMINISTRATIVAS _________________________________________________ 14 1.11 - FORMAS JURÍDICAS DE CONSTITUIÇÃO ______________________________________________________ 16

2 - PATRIMÔNIO______________________________________ 17
2.1 - BENS_________________________________________________________________________________________ 17 2.2 - DIREITOS_____________________________________________________________________________________ 18 2.3 - OBRIGAÇÕES_________________________________________________________________________________ 19 2.4 - ASPECTOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS DO PATRIMÔNIO _______________________________ 19 2.5 - REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PATRIMÔNIO _________________________________________________ 20 2.6 - SITUAÇÕES LÍQUIDAS PATRIMONIAIS _________________________________________________________ 22 Situações Líquidas Patrimoniais possíveis ___________________________________________________________ 23 2.7 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO ________________________________________________________________________ 27 2.8 - A EQUAÇÃO PATRIMONIAL ____________________________________________________________________ 28 2.9 - FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO _________________________________________________________________ 28

3 ATIVO _____________________________________________ 31
3.1 ATIVO CIRCULANTE ____________________________________________________________________________ 31 3.2 ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO __________________________________________________________ 39 3.3 ATIVO PERMANENTE __________________________________________________________________________ 39

4 - PASSIVO _________________________________________ 45
4.1 PASSIVO CIRCULANTE _________________________________________________________________________ 45 4.2 PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO (PELP):____________________________________________________ 47 4.3 RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF) __________________________________________________ 48 4.4 PATRIMÔNIO LÍQUIDO__________________________________________________________________________ 49 4.4.1 RESUMO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO _________________________________________________________ 52

Caderno de Exercícios ________________________________ 53 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO _____________________________ 54

Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.com

CONTABILIDADE
1 HISTÓRIA DA CONTABILIDADE A história da contabilidade é tão antiga quanto a própria história da civilização. Está ligada às primeiras manifestações humanas da necessidade social de proteção à posse e de perpetuação e interpretação dos fatos ocorridos com o objeto material de que o homem sempre dispôs para alcançar os fins propostos. Deixando a caça, o homem voltou-se à organização da agricultura e do pastoreio. A organização econômica acerca do direito do uso do solo acarretou em separatividade, rompendo a vida comunitária, surgindo divisões e o senso de propriedade. Assim, cada pessoa criava sua riqueza individual. Ao morrer, o legado deixado por esta pessoa não era dissolvido, mas passado como herança aos filhos ou parentes. A herança recebida dos pais (pater, patris), denominou-se patrimônio. O termo passou a ser utilizado para quaisquer valores, mesmo que estes não tivessem sido herdados. A origem da Contabilidade está ligada a necessidade de registros do comércio. Há indícios de que as primeiras cidades comerciais eram dos fenícios. A prática do comércio não era exclusiva destes, sendo exercida nas principais cidades da Antiguidade. A atividade de troca e venda dos comerciantes semíticos requeria o acompanhamento das variações de seus bens quando cada transação era efetuada. As trocas de bens e serviços eram seguidas de simples registros ou relatórios sobre o fato. Mas as cobranças de impostos, na Babilônia já se faziam com escritas, embora rudimentares. Um escriba egípcio contabilizou os negócios efetuados pelo governo de seu país no ano 2000 a.C. À medida que o homem começava a possuir maior quantidade de valores, preocupava-lhe saber quanto poderiam render e qual a forma mais simples de aumentar as suas posses; tais informações não eram de fácil memorização quando já em maior volume, requerendo registros. Foi o pensamento do "futuro" que levou o homem aos primeiros registros a fim de que pudesse conhecer as suas reais possibilidades de uso, de consumo, de produção etc. Com o surgimento das primeiras administrações particulares aparecia a necessidade de controle, que não poderia ser feito sem o devido registro, a fim de que se pudesse prestar conta da coisa administrada. É importante lembrarmos que naquele tempo não havia o crédito, ou seja, as compras, vendas e trocas eram à vista. Posteriormente, empregavam-se ramos de árvore assinalados como prova de dívida ou quitação. O desenvolvimento do papiro (papel) e do cálamo (pena de escrever) no Egito antigo facilitou extraordinariamente o registro de informações sobre negócios. A medida em que as operações econômicas se tornam complexas, o seu controle se refina. As escritas governamentais da República Romana (200 a.C.) já traziam receitas de caixa classificadas em rendas e lucros, e as despesas compreendidas nos itens salários, perdas e diversões. No período medieval, diversas inovações na contabilidade foram introduzidas por governos locais e pela igreja. Mas é somente na Itália que surge o termo Contabilitá. Podemos resumir a evolução da ciência contábil da seguinte forma:
Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.com

3

CONTABILIDADE
CONTABILIDADE DO MUNDO ANTIGO - período que se inicia com a civilização do homem e vai até 1202 da Era Cristã, quando apareceu o Liber Abaci , da autoria Leonardo Fibonaci, o Pisano. CONTABILIDADE DO MUNDO MEDIEVAL - período que vai de 1202 da Era Cristã até 1494, quando apareceu o Tratactus de Computis et Scripturis (Contabilidade por Partidas Dobradas) de Frei Luca Paciolo, publicado em 1494, enfatizando que à teoria contábil do débito e do crédito corresponde à teoria dos números positivos e negativos, obra que contribuiu para inserir a contabilidade entre os ramos do conhecimento humano. CONTABILIDADE DO MUNDO MODERNO - período que vai de 1494 até 1840, com o aparecimento da Obra "La Contabilità Applicatta alle Amministrazioni Private e Pubbliche" , da autoria de Franscesco Villa, premiada pelo governo da Áustria. Obra marcante na história da Contabilidade. CONTABILIDADE DO MUNDO CIENTÍFICO - período que se inicia em 1840 e continua até os dias de hoje. PERÍODO ANTIGO A Contabilidade empírica, praticada pelo homem primitivo, já tinha como objeto, o Patrimônio, representado pelos rebanhos e outros bens nos seus aspectos quantitativos. Os primeiros registros processaram-se de forma rudimentar, na memória do homem. Como este é um ser pensante, inteligente, logo encontrou formas mais eficientes de processar os seus registros, utilizando gravações e outros métodos alternativos. O inventário exercia um importante papel, pois a contagem era o método adotado para o controle dos bens, que eram classificados segundo sua natureza: rebanhos, metais, escravos, etc. A palavra "Conta" designa o agrupamento de itens da mesma espécie. As primeiras escritas contábeis datam do término da Era da Pedra Polida, quando o homem conseguiu fazer os seus primeiros desenhos e gravações. Os primeiros controles eram estabelecidos pelos templos, o que perdurou por vários séculos. Os suméricos e babilônicos, assim como os assírios, faziam os seus registros em peças de argila, retangulares ou ovais, ficando famosas as pequenas tábuas de Uruk, que mediam aproximadamente 2,5 a 4,5 centímetros, tendo faces ligeiramente convexas. Os registros combinavam o figurativo com o numérico. Gravava-se a cara do animal cuja existência se queria controlar e o numero correspondente às cabeças existentes. Embora rudimentar, o registro, em sua forma, assemelhava-se ao que hoje se processa. O nome da conta, "Matrizes" , por exemplo, substituiu a figura gravada, enquanto o aspecto numérico se tornou mais qualificado, com o acréscimo do valor monetário ao quantitativo. Esta evolução permitiu que, paralelamente à "Aplicação", se pudesse demonstrar, também, a sua "Origem" . Na cidade de Ur, na Caldéia, onde viveu Abraão, personagem bíblico citado no livro Gênesis, encontram-se, em escavações, importantes documentos contábeis: tabela de escrita cuneiforme, onde estão registradas contas referentes á mão-de-obra e materiais, ou seja, Custos Diretos. Isto significa que, há 5.000 anos antes de Cristo, o homem já considerava fundamental apurar os seus custos.

4

Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.com

CONTABILIDADE
O Sistema Contábil é dinâmico e evoluiu com a duplicação de documentos e "Selos de Sigilo". Os registros se tornaram diários e, posteriormente, foram sintetizados em papiros ou tábuas, no final de determinados períodos. Sofreram nova sintetização, agrupando-se vários períodos, o que lembra o diário, o balancete mensal e o balanço anual. Já se estabelecia o confronto entre variações positivas e negativas, aplicando-se, empiricamente, o Princípio da Competência. Reconhecia-se a receita, a qual era confrontada com a despesa. Os egípcios legaram um riquíssimo acervo aos historiadores da Contabilidade, e seus registros remontam a 6.000 anos antes de Cristo. A escrita no Egito era fiscalizada pelo Fisco Real, o que tornava os escriturários zelosos e sérios em sua profissão. O inventário revestia-se de tal importância, que a contagem do boi, divindade adorada pelos egípcios, marcava o inicio do calendário adotado. Inscreviam-se bens móveis e imóveis, e já se estabeleciam, de forma primitiva, controles administrativos e financeiros. As "Partidas de Diário" assemelhavam-se ao processo moderno: o registro iniciava-se com a data e o nome da conta, seguindo-se quantitativos unitários e totais, transporte, se ocorresse, sempre em ordem cronológica de entradas e saídas. Pode-se citar, entre outras contas: "Conta de Pagamento de Escravos", "Conta de Vendas Diárias", "Conta Sintética Mensal dos Tributos Diversos", etc. Tudo indica que foram os egípcios os primeiros povos a utilizar o valor monetário em seus registros. Usavam como base, uma moeda, cunhada em ouro e prata, denominada "Shat". Era a adoção, de maneira prática, do Princípio do Denominador Comum Monetário. Os gregos, baseando-se em modelos egípcios, 2.000 anos antes de Cristo, já escrituravam Contas de Custos e Receitas, procedendo, anualmente, a uma confrontação entre elas, para apuração do saldo. Os gregos aperfeiçoaram o modelo egípcio, estendendo a escrituração contábil às várias atividades, como administração pública, privada e bancária. NA BÍBLIA Há interessantes relatos bíblicos sobre controles contábeis, um dos quais o próprio Jesus relatou em Lucas capítulo 16, versos 1 a 7: o administrador que fraudou seu senhor, alterando os registros de valores a receber dos devedores. Já no tempo de José, no Egito, houve tal acumulação de bens que perderam a conta do que se tinha! (Gênesis 41.49). Houve um homem muito rico, de nome Jó, cujo patrimônio foi detalhadamente inventariado no livro de Jó, capítulo 1, verso 3. Depois de perder tudo, ele recupera os bens, e um novo inventário é apresentado em Jó, capítulo 42, verso 12. Os bens e as rendas de Salomão também foram inventariados em 1º Reis 4.22-26 e 10.1417. Em outra parábola de Jesus, há citação de um construtor, que faz contas para verificar se o que dispunha era suficiente para construir uma torre (Lucas 14.28-30). Ainda, se relata a história de um devedor, que foi perdoado de sua dívida registrada (Mateus 18.23-27). Tais relatos comprovam que, nos tempos bíblicos, o controle de ativos era prática comum.
Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.com

5

em 1202. aperfeiçoamento da bússola. pesos e medidas. o Brasil. principalmente para Itália. surgindo. A escrita já se fazia no moldes de hoje. armazenamento. o que representava uma apropriação bastante analítica para época. é descoberta a América e. Estudavam-se. embora não se possa precisar em que região. O trabalho escravo cedeu lugar ao trabalho assalariado. câmbio. No século X. nas suas diversas fases: custo de aquisição. o que representava um enorme potencial de riquezas para alguns países europeus. o transporte e o beneficiamento. então. Se os sumérios-babilônios plantaram a semente da Contabilidade e os egípcios a regaram. etc. como Marco Pólo e outros. a pessoas. O seu aparecimento implicou a adoção de outros livros que tornassem mais analítica a Contabilidade.. representando o valor dos recursos injetados nas companhias pela família proprietária. Foi um período importante na história do mundo. transformando e fortalecendo a sociedade burguesa. apareceram as primeiras corporações na Itália. de forma rudimentar. Os custos eram contabilizados por fases separadamente. considerando. No início do Século XIV. pela primeira vez a conta "Capital" . em 1492. mão-de-obra direta a ser agregada e custos indiretos de fabricação. e referindo-se. de Leonardo Pisano. denominado a "Era Técnica" . técnicas matemáticas. tornando os registros mais complexos. o que fez com que grandes sábios bizantinos emigrassem. até que fossem transferidos ao exercício industrial. na época. Já se utilizavam. referente ao período transcorrido entre a aquisição. o livro-caixa. oriundos das relações entre direitos e obrigações. A indústria artesanal proliferou com o surgimento de novas técnicas no sistema de mineração e metalurgia. custo de transporte e dos tributos.. inicialmente. O processo de produção na sociedade capitalista gerou a acumulação de capital. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. etc. os turcos tomam Constantinopla. O aperfeiçoamento e o crescimento da Contabilidade foram a conseqüência natural das necessidades geradas pelo advento do capitalismo. em separado. nos séculos XII e XIII. PERÍODO MODERNO O período moderno foi a fase da pré-ciência. surgindo. o Livro da Contabilidade de Custos. que recebia registros de recebimentos e pagamentos em dinheiro. etc. especialmente na história da Contabilidade. como conseqüência das necessidades da época. alterando-se as relações de trabalho. que abriram novos horizontes aos navegadores. foram os italianos que fizeram o cultivo e a colheita.CONTABILIDADE PERÍODO MEDIEVAL Em Itália. tingimento. gastos com matérias-primas. o débito e o crédito. O método das Partidas Dobradas teve sua origem na Itália. No final do século XIII apareceu. em 1500. já se encontravam registros explicitados de custos comerciais e industriais. O comércio exterior incrementou-se por intermédio dos venezianos. Devem ser citados três eventos importantes que ocorreram neste período: em 1493. tornando o homem mais evoluído em conhecimentos comerciais e financeiros. juros sobre o capital.com 6 . como moinho de vento. Prof. devido às grandes invenções. foi publicado o livro "Liber Abaci" . mão-de-obra direta agregada..

lucros e perdas. desde o Século XIV. neste período instaurou-se a mercantilização sendo as cidades italianas os principais interpostos do comércio mundial. em suas relações com os consumidores e os empregados. inicialmente. O governo passou a somente reconhecer como contadores pessoas devidamente qualificadas para o exercício da profissão. e sobre a autenticação deles. Acrescentou que. onde se radicaram e iniciaram nova vida. Sobre o Método das Partidas Dobradas. sobre registros de operações: aquisições. que na época. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. perseguidos na Europa. A seguir conceituava inventário e como fazê-lo. primeiro deve vir o devedor. mediante o qual se reconhece o devedor. marca o início da fase moderna da Contabilidade. FREI LUCA PACIOLI Escreveu "Tratactus de Computis et Scripturis" (Contabilidade por Partidas Dobradas). A obra de Frei Luca Pacioli. sobre correções de erros. Pacioli. O aparecimento da obra de Frei Luca Pacioli. que viveu na Toscana. no século XV. contemporâneo de Leonardo da Vinci. Pacioli foi matemático. A Contabilidade tornou-se uma necessidade para se estabelecer o controle das inúmeras riquezas que o Novo Mundo representava. O tratado destacava. A obra de Pacioli não só sistematizou a Contabilidade. A importância da matéria aumentou com a intensificação do comércio internacional e com as guerras ocorridas nos séculos XVIII e XIX.CONTABILIDADE em 1517. no século XV. É compreensível que a formalização da Contabilidade tenha ocorrido na Itália. contemporâneo de Leonardo da Vinci. contabilista entre outras profissões. A introdução da técnica contábil nos negócios privados foi uma contribuição de comerciantes italianos do séc. pelo qual se reconhece o credor. principalmente na Toscana. contas de armazenamento. enfatizando que à teoria contábil do débito e do crédito corresponde à teoria dos números positivos e negativos. eram "Pro" e "Dano". teólogo. sobre contas em geral: como abrir e como encerrar. etc. ao mesmo tempo. publicado em 1494. "A " . Discorria sobre livros mercantis: memorial.com 7 . não foi o criador das Partidas Dobradas. emigram para as Américas. e depois o credor. Deixou muitas obras. fossem úteis aos comerciantes. O método já era utilizado na Itália. impressa em Veneza. XIII. apesar de ser considerado o pai da Contabilidade. permutas. etc. Prof. prática que se usa até hoje. Foi a Itália o primeiro país a fazer restrições à prática da Contabilidade por um indivíduo qualquer. sociedades. na qual está inserido o seu tratado sobre Contabilidade e Escrituração. que viveu na Toscana. Os empréstimos a empresas comerciais e os investimentos em dinheiro determinaram o desenvolvimento de escritas especiais que refletissem os interesses dos credores e investidores e. como também abriu precedente que para novas obras pudessem ser escritas sobre o assunto. marca o início da fase moderna da Contabilidade. sobre arquivamento de contas e documentos. diário e razão. afinal. destacando-se a "Summa de Aritmética. ocorreu a reforma religiosa.. Geometria. Frei Luca Pacioli expôs a terminologia adaptada: "Per " . os protestantes. Proportioni et Proporcionalitá". o necessário ao bom comerciante.

Demonstrou o elemento fundamental da conta. contabilista público. e o patrimônio se definia como um direito. chefiada por Giusepe Cerboni. inicia a nova fase. inicia-se a fase de predominância norte-americana dentro da Contabilidade. teve. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. a segunda. e Fábio Bésta. os detalhes. ou seja. é um instrumento básico de gestão. O Prof. Embora o século XVII tivesse sido o berço da era científica e Pascal já tivesse inventado a calculadora. Além do prêmio. Os estudos envolvendo a Contabilidade fizeram surgir três escolas do pensamento contábil: a primeira. e chegou. o valor. aproximadamente. sem pesquisas fundamentais: a exploração teórica das contas e o uso exagerado das partidas dobradas. seguidor de Fábio Bésta. A Contabilidade começou a ser lecionada com a aula de comércio da corte. Fábio Bésta. seguidor de Francesco Villa. sobretudo. Villa teve o cargo de Professor Universitário. que. em 1923. superou o mestre em seus ensinamentos. escritor milanês. por Fábio Bésta. nos seus primórdios. preocupando-se demais em demonstrar que a Contabilidade era uma ciência ao invés de dar vazão à pesquisa séria de campo e de grupo. mas também pela pesquisa e trabalho sério dos órgãos associativos. O enquadramento da Contabilidade como elemento fundamental da equação aziendalista. Nessa época. segundo postulados jurídicos. o patrimônio. Foi o inicio da fase científica da Contabilidade. promovido pelo governo da Áustria. muito perto de definir patrimônio como objeto da Contabilidade. favorecidas não apenas pelo apoio de uma ampla estrutura econômica e política. com sua obra "La Contabilità Applicatta alle administrazioni Private e Plubbliche". Entretanto a escola Européia teve peso excessivo da teoria. em alguns casos. a ciência da Contabilidade ainda se confundia com a ciência da Administração. as leis e as práticas que regem a matéria administradas. Francisco Villa extrapolou os conceitos tradicionais de Contabilidade. ESCOLA NORTE-AMERICANA Enquanto declinavam as escolas européias. a Contabilidade já chegara à universidade. a flexibilidade necessária. principalmente. A partir de 1920. dois grandes autores consagrados: Francesco Villa. que reconquistara a Lombarda. terra natal do autor. em 1809. foi a Escola Lombarda. inviabilizando.com 8 . na Itália. floresciam as escolas norte-americanas com suas teorias e práticas contábeis. Para ele. escritor veneziano. e a terceira. chefiada por Francisco Villa.CONTABILIDADE que consagraram numerosas falências e a conseqüente necessidade de se proceder à determinação das perdas e lucros entre credores e devedores. A obra de Francesco Villa foi escrita para participar de um concurso sobre Contabilidade. Era o pensamento patrimonialista. a Contabilidade implicava conhecer a natureza. Foi Vicenzo Mazi. as normas. o mérito incontestável de chamar atenção para o fato de que a Contabilidade é muito mais do que mero registro. a Escola Veneziana. segundo os quais escrituração e guarda livros poderiam ser feitas por qualquer pessoa inteligente. definiu patrimônio como objeto da Contabilidade. na Contabilidade Gerencial. a Escola Toscana. quem pela primeira vez. sem demonstrações práticas. PERÍODO CIENTÍFICO O Período Científico apresenta.

tornando-se. onde as universidades foram decrescendo em nível. No capitalismo moderno isto somente não é mais suficiente. um profissional raro. 9 1. em importância. a vinda da Família Real Portuguesa incrementou a atividade colonial. que permitissem carreta interpretação das informações. juntamente com o Banco do Brasil (1808). várias associações empreenderam muitos esforços e grandes somas em pesquisas nos Estados Unidos. com o surgimento das gigantescas corporações. em qualquer parte do mundo. Prof. Não é por acaso que atualmente o mundo possui inúmeras obras contábeis de origem norte-americanas que tem reflexos diretos nos países de economia. e assim por diante. Nos inícios do século atual. Hoje. As Tesourarias de Fazenda nas províncias eram compostas de um inspetor. o governo demanda a agregação de riqueza à economia e a capacidade de pagamento de impostos. os ambientalistas exigem conhecer a contribuição para o meio ambiente. Os sindicatos precisam saber qual a capacidade de pagamento de salários. São áreas de analise contábil e operacional da empresa. os gerentes da empresa precisam de informações para ajudar no processo decisório e reduzir as incertezas. NO BRASIL No Brasil. Havia uma total integração entre acadêmicos e os já profissionais da Contabilidade. de muitos acionistas. como as multinacionais ou transnacionais. por exemplo. o mercado para este cresce em virtude de planos de previdência privada. foi a causa primeira do estabelecimento das teorias e práticas contábeis. Antigamente a contabilidade tinha por objetivo informar ao dono qual foi o lucro obtido numa empreitada comercial. constituiu-se o Erário Régio ou o Tesouro Nacional e Público. distribuição e administração financeira e fiscal. Controladoria e Atuarial.com . para atuários. num mercado de economia complexa. que requerem grandes capitais. Para tanto. as funções do contabilista não se restringem ao âmbito meramente fiscal. o que não ocorreu com as escolas européias. responsáveis por toda a arrecadação. os credores querem calcular o nível de endividamento e a probabilidade de pagamento das dívidas. e. um contador e um procurador fiscal. exigindo – devido ao aumento dos gastos públicos e também da renda nos Estados – um melhor aparato fiscal. aliado ao formidável desenvolvimento do mercado de capitais e ao extraordinário ritmo de desenvolvimento que os Estados Unidos da América experimentou e ainda experimenta. vital para empresas informações mais precisas possíveis para tomada de decisões e para atrair investidores.CONTABILIDADE surgimento do American Institut of Certield Public Accountants foi de extrema importância no desenvolvimento da Contabilidade e dos princípios contábeis. há a especialização em estimativas e análises. constitui um campo fértil para o avanço das teorias e práticas contábeis. A criação de grandes empresas. O profissional vem ganhando destaque no mercado em Auditoria. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.3 .OBJETIVOS DA CONTABILIDADE A ampliação do leque dos usuários potenciais da contabilidade decorre da necessidade de uma empresa evidenciar suas realizações para a sociedade como um todo. por qualquer acionista ou outro interessado.

com ou sem fins lucrativos.5 .4 – LEGISLAÇÕES QUE REGULAM A CONTABILIDADE Lei n. as quais dependem da maneira dos autores considerarem o objeto de estudo dessa ciência. 1. Regulamentos do Imposto de Renda. Assim.404/76. por exemplo.  Medir e informar periodicamente a evolução do patrimônio das entidades. investidores. apurando e informando o valor devido dos diversos tributos em cada período.  Permitir o controle administrativo e o fornecimento de informações precisas e atuais para os diversos usuários. Assim. Deliberações da Comissão de Valores mobiliários .  Medir e informar regularmente o resultado econômico das atividades ocorridas em certo período.  Controlar os bens. credores.598/76 Regulamenta as normas impostas pela Lei 6. classificar e registrar todos os eventos ocorridos nas atividades da empresa. grupos do Ativo e Passivo e respectivas funções de contas.NBC Constituem-se em disposições que servem de orientação técnica ao exercício profissional. As respostas contábeis dadas pelas análises patrimoniais.com .CVM. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. econômicas ou financeiras. a contabilidade-ciência se apóia nos elementos fornecidos pela "arte" ou seja a escrituração para a qual ela ditou normas e princípios de execução. se alguns vêem a Contabilidade como o estudo das relações entre débito e crédito. Decreto-lei n.404/76 (Lei das Sociedades por Ações): Dispõe em seus artigos sobre os critérios a serem adotados na elaboração das demonstrações financeiras dando-se destaque a escrituração. já são consideradas pesquisas no campo da ciência. 6. funcionários. 1.CONTABILIDADE 10 Diante deste quadro pode-se afirmar que o grande objetivo da contabilidade é planejar e colocar em prática um sistema de informação para uma organização. Código Civil Brasileiro. presentes ou futuros. 1. tais como os acionistas ou cotistas. direitos e obrigações das entidades. nossa definição de contabilidade é a seguinte: Prof. Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade – CFC.  Atender todas as exigências fiscais e tributárias. para outros ela é o estudo do patrimônio.A CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA Quando utilizada no estudo dos fenômenos patrimoniais passados.  Emitir periodicamente as demonstrações contábeis para uso de diversos usuários. A Contabilidade admite as mais diversas definições. do ICMS. Podemos então resumir os objetivos da contabilidade da seguinte forma:  Organizar. sindicatos e fiscais. do IPI e outros. Normas Brasileiras de Contabilidade .

Livros contábeis fiscais: são aqueles que atendem as exigências do fisco municipal. mediante o registro. “É a ciência que estuda. Editora Atlas )   Atos Administrativos são os acontecimentos que ocorrem na empresa e que não provocam alterações no Patrimônio.AS TÉCNICAS CONTÁBEIS Para atingir suas finalidades. Os registros contábeis são efetuados em livros próprios que se dividem em 3 (três) grupos de acordo com sua utilização: . do cálculo. obedecendo metodologia própria.Livro de registro de inventário.Livro de apuração do IPI. como passaram a ser denominados mais recentemente. Os mais comuns são: . Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.” Outra definição: Pode-se definir a Contabilidade como um Sistema de Informação e Avaliação cujo objetivo maior é fornecer informações úteis a seus usuários. .: pagamento do salário de um funcionário. controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades. no Brasil.6 .com . cuja aplicação conduz ao alcance de seus objetivos.: Contratação de um funcionário. a demonstração expositiva e a revelação desses fatos. tratando das funções. dos órgãos do governo que em cada nível arrecadam e fiscalizam os tributos. . Na Contabilidade. Princípios Fundamentais de Contabilidade. estadual ou federal.Livro de registro de saída de mercadorias. Ex.Livro de registro de entrada de mercadorias. Ex. esse conjunto de princípios é normalmente denominado de Princípios de Contabilidade Geralmente Aceitos ou. Contabilidade Geral. Prof. podendo ou não alterar o Patrimônio Líquido. . . . isto é. Fatos Administrativos são os acontecimentos que provocam variações nos valores patrimoniais.Livro de apuração do ICMS. suas variações e o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial” ( Hilário Franco. . em livros indicados pela legislação comercial e fiscal. a Contabilidade tem em sua base um conjunto de princípios.CONTABILIDADE 11 “A Contabilidade é a ciência que estuda o patrimônio em suas variações quantitativas e qualitativas. . do registro e análise destas variações.Livro de registro de utilização de documentos fiscais e termos de ocorrências. feito de forma cronológica. sendo esses fatos de acordo com a natureza e homogeneidade de cada um.Livro de apuração do ISS. 1. . Como em qualquer ramo de conhecimento.Livro de registro de empregados. Ainda podemos definir a contabilidade.Livro de inspeção de trabalho. com o fim de oferecer informações sobre a composição do patrimônio. de forma a apoiá-los na tomada de decisões de natureza econômica e financeira ou na formação de suas avaliações. Escrituração: é o registro dos fatos ocorridos no patrimônio. a Contabilidade se utiliza das seguintes técnicas: 1º.

Desobedecer a rigorosa ordem cronológica (data).Livro caixa. . Registram-se todos os débitos e créditos relativos aquela conta possibilitando extrair o saldo dessa conta ao final de um determinado período. visto que.Livro contas correntes. . Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.Livros contábeis sociais: são aqueles exigidos somente em determinado tipo de sociedade. .Errar. .Livro de registro de atas de reunião da diretoria. pagamento realizados pela empresa. Os mais comuns são: . A escrituração nesse livro é feita de modo metódico. .Folhas numeradas tipograficamente. de padrões estabelecidos.Livro de registro de atas de assembléia. 2º.Escrever nos cantos das páginas. sistemático.Livros contas correntes: geralmente as empresas possuem contas em um ou mais bancos e movimentam tais contas por meio de grande quantidade e operações. dentro de normas.Encadernação na cor preta. a quase totalidade das operações movimente recursos financeiros. .Registro em órgão competente que é a Junta Comercial do Estado. . . .Livro de registro de atas e pareceres do conselho fiscal. . Obrigatório. . .CONTABILIDADE 12 . a entrada e a saída de dinheiro através do registro de todos os débitos e créditos ocorridos naquela conta. Trata-se de um livro obrigatório e exigido por lei. Prof.Livro diário.Livro razão. fundamental para a correta escrituração dos fatos.Pular linhas. . Sendo assim a empresa pode-se utilizar de livros específicos para o controle do saldo de cada uma delas.Livro caixa: é bastante utilizado nas operações de uma empresa.Existência de termo de abertura na 1ª página. As formalidades extrínsecas se relacionam a apresentação do livro. . . e termo de encerramento na última. isto é.Livro de registro de atas de reunião do conselho e administração.Livro razão: trata-se de um livro auxiliar da escrituração contábil.Escrever na última linha de cada página. . . rasurar ou sujar. Os mais comuns são: .Livros contábeis de escrituração: são aqueles que registram as operações de compra. venda.Livro diário: dentre os livros de escrituração utilizados pela contabilidade para registro e controle das operações da empresa o mais importante é o livro diário. Dessa forma o livro caixa tem a função de controlar o fluxo de caixa. pois nele o saldo de cada uma das contas movimentadas é facilmente identificado.Livro de registro de presença de acionistas. a seu aspecto e suas características: . . isto é. como as sociedades anônimas por exemplo.com . . Por ser obrigatório o livro diário deve obedecer a certas formalidades extrínsecas e intrínsecas. Demonstrações Contábeis : Nada mais são que os relatórios técnicos. As formalidades intrínsecas por sua vez relacionam-se com ato da escrituração em si na qual não se admite: .

Análise de Balanço: é a decomposição. bem como a correção monetária e ajustes de reserva que modificam o saldo da Conta Lucros ou Prejuízos Acumulados. Esta função permite prestar informações às pessoas que têm interesse vinculados a esse patrimônio.com . É um aspecto estático.8 .CONTABILIDADE a) 13 Balancetes de Verificação – é a relação das contas abertas no livro Razão. São fundamentadas nos documentos comprobatórios existentes. Essas pessoas são diretamente ou potencialmente Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. quanto tem de dinheiro?  Auditoria – fiscaliza. É a salvaguarda contra fraudes ou erros não intencionais. 1. fornecedores e governo. os valores específicos das receitas e despesas e o resultado do exercício. obrigações e a situação líquida do patrimônio de uma empresa. os valores específicos dos bens.7 Funções a) Função de Controle: Consiste em medir e corrigir o desempenho das atividades desenvolvidas. Auditoria: São técnicas utilizadas para se confirmar se as demonstrações contábeis e os registros que deram origem a essas demonstrações são representações fidedignas dos fatos ocorridos no patrimônio. d) Função de Registro: Permite a análise e classificação dos atos e fatos. g) Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras – são informações que visam complementar as demonstrações financeiras. d) Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados – este demonstrativo evidencia o lucro apurado no exercício e sua destinação. comparação e interpretação dos conteúdos das demonstrações contábeis para obtenção de informações analíticas sobre cada grupo do patrimônio. sintética e ordenada. c) Demonstração de Resultado de Exercício (DRE) – é um demonstrativo contábil que evidencia. tais como bancos.  Inventários Periódicos – físico ( o que tem no estoque) e contábil (o que está registrado na Contabilidade) b) Função de Planejamento: é o processo de decidir que curso de ação deverá ser tomado para o futuro.  Balanços – anual e obrigatório pela legislação fiscal. 3º. com seus respectivos movimentos e saldos financeiros. c) Função de Orientação: A acumulação de dados financeiros permite fazer previsão de custo de produção de matérias-primas. de forma equacional.  Levantamento e Demonstração das Contas – exemplo: da conta Caixa. f) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos – este demonstrativo tem por objetivo identificar as modificações ocorridas na posição financeira da empresa. É a tomada de decisão correta nos aspectos global e parcial da empresa. Pode ser através de:  Balancetes – mensal (com centro de computação é feito diariamente). direitos. 4º. b) Balanço Patrimonial – é um demonstrativo contábil que evidencia de forma equacional. e) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido – este demonstrativo mostra as variações ocorridas nas contas do grupo PL. qual conta a ser debitada ou creditada e arquivamento dos documentos. acionistas. verifica e orienta quando aparecem erros. sintética e ordenada. de produtos e acompanhamento do resultado econômico da empresa.INTERESSADOS NAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Junto a cada organização existe um grupo de pessoas com interesse direto nas informações fornecidas pela contabilidade. 1. lucro ou prejuízo.

o individual. em grande parte. as Autarquias etc. como a União. Governo: Tem dois grandes interesses que podem tomar como suporte as informações contábeis. 1. Distrito Federal e Municípios. o responsável pela manutenção da sua família devendo haver. o PATRIMÔNIO. os Estados. Outra informação que pode ser extraída da contabilidade é sobre o desenvolvimento em áreas geográficas. Administradores e outros responsáveis pelas decisões: Necessitam de informações similares ao sócio administrador acima referido.9 . Então. a empresa. a sua fonte individual de recursos traduzidos pelo salário.10 . 1. havendo o respeito e amor pela obra realizada. Se. traçando planos e metas. embora possível. Nas organizações mais fechadas ainda existe a ligação sentimental. a quantidade e qualidade das informações são maiores pela responsabilidade de dirigir o destino da organização.com . apresentamos os principais interessados na informação contábil: Empregados da empresa: Têm interesse por ser. são responsáveis pelas decisões na empresa. É normalmente. necessita de recursos que. com finalidade lucrativa ou não. Resumidamente. a do nosso dia a dia. mesmo de uma forma restrita. o campo de aplicação da Contabilidade abrange todas as entidades econômico-administrativas. setores de atividades e outras que. Sócios e acionistas: Podem ser encarados sob vários aspectos. de dinheiro ou outra forma de propiciar o funcionamento da organização. os Municípios. Pessoas em geral: Somos todos interessados nas informações fornecidas pela contabilidade. Os sócios e acionistas podem ter como principal interesse o retorno do investimento feito nas empresas e a segurança da aplicação. O financiamento da atividade governamental. até mesmo as pessoas de direito público. Fornecedores e credores de recursos financeiros: Têm como principal objetivo o retorno dos recursos investidos. mas lembremos que o objeto da contabilidade é o patrimônio e. em sentido amplo. portanto. a amplitude de seu campo de atuação. seja pela entrega de mercadorias. ligadas à rentabilidade e garantia de retorno dos capitais investidos. além da participação na sociedade. para o bem-estar de toda a população. é fácil concluir a importância da contabilidade e. Estados. Não necessariamente precisamos montar um sistema de contabilidade pessoal. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.ENTIDADES ECONÔMICO-ADMINISTRATIVAS Prof. o esforço pessoal para os bons resultados da sua fonte de renda. Por seu objeto. podendo atuar nas pessoas físicas e nas pessoas jurídicas. desde o sentimentalismo. gratificações e participações nos lucros. quando potencialmente investidores de recursos ou. convenientemente compiladas. até o retorno de investimentos.CONTABILIDADE 14 vinculadas a entidades indo. podem orientar a política de desenvolvimento da nação. As informações que necessitam são.CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE A contabilidade tem um vasto campo de atuação. pois. deve ser administrado caracterizando a contabilidade. como conseqüência. vem da atividade empresarial sob a forma de tributos. conciliando renda com gastos. inclusive as de Direito Público com a União. e as suas finalidades. a seus interesses.

CONTABILIDADE 15 São organizações que reúnem os seguintes elementos: pessoas. Esta interação provoca influência nas pessoas. outro consumidor. segundo seus objetivos. previdência etc. hospitais beneficentes. os asilos etc.com . aumento nos padrões de vida e o desenvolvimento da sociedade. as empresas.São Entidades econômico-administrativas com finalidades sociais ou com finalidades sócio-econômicas. pensões. A empresa é um sistema em que há recursos introduzidos. A fim de atingir suas finalidades. tais como: fabricação. Classificam-se. Uma empresa pode ser vista como um grande sistema. transacionando em dois mercados: um fornecedor. porém este se reverte em benefício da coletividade a quem pertencem. titular. Prof. "Empresa é o conjunto de pessoas e bens que combinando os fatores de produção. e de forma auxiliar. Uma empresa é considerada um sistema aberto em razão de sua interação com a sociedade. e há a saída de produtos ou serviços. II . recursos humanos. manutenção. os sistemas de informação e controle. que é a geração de resultados. poderemos verificar a existência de vários subsistemas interdependentes e interatuantes.Instituições: . Empresa Comercial Objetiva a exploração da compra e venda. Pode-se dizer ainda. patrimônio. b) as com finalidades socioeconômicas são aquelas cuja administração tem interesse no aspecto econômico da entidade. são classificadas em Instituições e Empresas I . onde subsistemas menores interagem para fazer com que seja atingido um objetivo comum. almoxarifado. Considerando-se o fim a que se destinam. a) as com objetivos sociais são aquelas cuja administração tem por objetivo o bem-estar social da coletividade. Apaes. explora um determinado ramo de atividade com o objetivo de obter lucro". envolvendo a estocagem das mercadorias. setores e órgãos. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. São exemplos os institutos de aposentadorias. que. ação administrativa e fim determinado. como a Cruz Vermelha. ENTRADAS Materiais Equipamento s Energia Pessoas Informações PROCESSAMENTO SAÍDAS Produtos Bens A Empresa Serviços Se olharmos bem para área de processamento.A Empresa As organizações empresariais interagem com a sociedade de maneira completa. que é uma unidade produtora que visa criar riquezas. que são processados. estimulando sua oferta e procura. a empresa comercial deverá manter uma estrutura interna que obedeça aos princípios científicos na distribuição de funções. em Comerciais. Podemos definir então. agrupando-se em seções. Industriais ou de Prestação de Serviços.

Empresa Industrial O escopo desse tipo de empresa é a criação de produtos pelo processo industrial.11 . sua economia. isto é. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Nesta classificação. Bar e Lanchonete. verbal ou escrito. o funcionamento. de atendimento médico e hospitalar etc. ainda. loja de roupas etc. o comércio. 1. pelas empresas comerciais.com de capital aplicado. as vendas são feitas diretamente ao consumidor. para vender a outros revendedores atacadistas ou ao comerciante varejista. ou. em . como mercadorias. Classificação econômica das empresas O conjunto de atividades de produção e distribuição de riquezas de uma sociedade. O comércio atacadista compra diretamente do produtor ou de outros revendedores atacadistas. Por prestação de serviços devemos compreender a relação de corrente do exercício de uma atividade. Armarinho. Escolas. SETOR SECUNDÁRIO: Abrangendo a indústria e toda sorte de transformação de bens. Hospitais. sendo. 3. necessária a utilização de serviços diversos. que o aperfeiçoe para consumo. Escritórios de Contabilidade.CONTABILIDADE 16 Empresas comerciais são aquelas que desenvolvem atividades mercantis. Empresas de Pequeno . vegetais e animais. Empresa de Prestação de Serviços São auxiliares imprescindíveis do processo comercial e industrial que concorrem decisivamente para o desenvolvimento econômico. máquinas e equipamentos necessários no processo de produção de outras empresas industriais. isto é. a apresentação ou a finalidade do produto. Ex: Sapataria. máquinas e equipamentos. as atividades financeiras. No caso do comércio varejista. de comunicações.FORMAS JURÍDICAS DE CONSTITUIÇÃO Prof. mesmo. encontramos as Companhias de Seguro. As empresas são classificadas quanto ao volume Microempresas. pode ser dividido em três setores básicos: SETOR PRIMÁRIO: Que compreende a agricultura. Bancos. posto à disposição do usuário final. dando-lhe utilidade e valor econômico. de ensino. para a satisfação das suas diversas necessidades. as atividades de transportes. mediante um contrato. através do uso intensivo do trabalho. SETOR TERCIÁRIO: Compreendendo os serviços. Entende-se por empresas prestadoras de serviços aquelas cujas atividades resultem no oferecimento de trabalho. Entenda-se por empresas industriais aquelas que realizam operações que modifiquem a natureza. Os produtos industrializados podem ser utilizados para consumo direto. consistindo na extração da matéria-prima da natureza ou na sua transformação. em muitas ocasiões. Médio e Grande Porte. As pessoas não vivem somente do uso e consumo de mercadorias. ou. que consistem na compra e venda de mercadorias. etc. tendo-se de um lado o contratante ( usuário de serviços) e do outro o contratado (prestador de serviços). como insumos. a pecuária e a exploração dos recursos naturais: minerais. o acabamento. utensílios.

pois não possuem corpo.  os meios de transportes. É também chamada de pessoa natural.com . Esse conjunto constitui a peca indispensável para que a empresa ou sociedade atinja seus objetivos. servindo a vários exercícios financeiros não estão representados por qualquer elemento material. Vejamos então o que são Bens.  a maquinaria e os instrumentos. cujos atos implicam em riscos para com terceiros também.BENS São valores materiais de propriedade da empresa que estão em sua posse. de cuja existência dependem. podemos citar: o dinheiro no cofre. as mercadorias no estoque.Pessoa Jurídica: São aquelas a quem se atribuem direitos e obrigações num campo de atividades bem mais amplo. cujo nascimento. 2 . no âmbito familiar e de relações de amizade. direitos e obrigações de uma empresa ou sociedade. São representadas por uma ou mais pessoas. esse compromisso gera um direito. O patrimônio inicial de uma Organização é formado pela aplicação de dinheiro. onde suas ações não assumem riscos que possam atingir a vida econômica de terceiros. quando uma Organização forma seu patrimônio inicial. já se pode notar o surgimento de Bens e Obrigações. As pessoas jurídicas são abstratas. Como exemplos. é o conjunto de bens. as empresas necessitam estar legalmente constituídas. A saber:  patentes de invenção.PATRIMÔNIO Patrimônio. Bens representados pelo dinheiro entregue pelos sócios ou bancos e obrigações representadas pelas dívidas da Organização para com os sócios e bancos. por exemplo. o qual chamamos capital e nada mais é do que o valor entregue pelos proprietários da empresa para que esta inicie suas atividades e tenha vida própria.1 .CONTABILIDADE 17 Para desenvolver suas atividades. II . criadas por lei. Prof. no que diz respeito aos seus direitos e obrigações limitados. sob o ponto de vista contábil. Esse dinheiro será aplicado em bens que visem à geração de novas riquezas. tais como:  edifícios e todas as construções necessárias à empresa. no Comércio. Dividem-se em: a) Bens materiais ou tangíveis ou corpóreos: Os bens materiais ou tangíveis são aqueles de existência física. b) Bens imateriais ou intangíveis ou incorpóreos: Os bens imateriais ou intangíveis são aqueles que.Pessoa Física : É o indivíduo perante o Estado. surge com seu registro ou inscrição na Junta Comercial. Se os sócios se comprometerem a entregar uma certa quantia à Organização dentro de um determinado prazo de tempo. as máquinas e ferramentas. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. que é o de receber dos sócios a quantia prometida no prazo estipulado. Pelo que acabamos de ver. Direitos e Obrigações: 2. palpável ao homem. não tem matéria. As leis brasileiras distinguem as pessoas físicas das pessoas jurídicas da seguinte forma: I . etc. na vida particular.  os móveis e utensílios. A Organização poderá também conseguir recursos emprestados por instituições financeiras.

prateleiras etc. estes são exatamente o inverso. Assim.CONTABILIDADE    marcas. nas empresas industriais. de acordo com o tipo da empresa.com . nas empresas imobiliárias. mas para a loja que vendeu. Este grupo compreende os valores numerários cujo recebimento está sujeito a um prazo determinado. como por exemplo computadores. os depósitos bancários de livre movimento. um bem de venda próprio. b) Produtos. não se enquadram nas atividades normais de uma empresa. a saber: a) Mercadorias. os bens de venda.2 . Para a empresa que comprou uma mesa para uso de seu escritório. 18 Outras denominações para os Bens:  Bens Numerários: Entende-se como bens numerários o dinheiro e tudo aquilo que pode se transformar em dinheiro imediatamente. trata-se de um bem de venda. Se aqueles constituem o objeto do negócio. Estão neste grupo as ‘ordens de pagamento’. 2. bens que lhe proporcionarão uma receita extraordinária. ou seja. numa empresa mercantil. direitos autorais fundo de comercio (goodwil) etc. Não importa as qualidades específicas que estes bens irão ter em outros Patrimônios mas sim para aquele que os vende com objetivo de lucro. os cheques a receber os vales postais a receber. Assim temos. o objetivo de seu negócio é comprar e vender mercadorias e obter. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. está adquirindo bem de renda.  Bens de Uso: São os elementos a serem utilizados exclusivamente no dia a dia de trabalho da Organização.  Bens de Renda: Podemos dizer que este tipo de bem é exatamente o contrário do anterior. etc. um imóvel comprado. mas se uma empresa desse gênero adquire ações de outra Companhia. c) Títulos de Renda. embora contribuam para o enriquecimento do Patrimônio Líquido. ou seja. d) Imóveis. Portanto.  Bens de Venda: Os bens de venda estão ligados aos objetivos da empresa e se constituem na principal função de uma entidade de fins lucrativos. ou seja. balcões. Dizemos que os bens de venda constituem o objetivo do negócio. Prof. nas empresas de investimentos. pode servir para a empresa compradora como uma imobilização ou um bem fixo mas para a empresa imobiliária.DIREITOS são os valores de propriedade da empresa que estão na posse de terceiros. aquele é um bem fixo. com estas transações o lucro. como é lógico. acessória àquela que se destina. será sempre um bem de venda. nas empresas comerciais. que tem como objetivo a compra e venda de imóveis.

Elemento Expressão Duplicatas a pagar Promissórias a pagar Aluguéis a pagar Salários a pagar Impostos a pagar a receber a receber a receber Expressão 2.4 .CONTABILIDADE 19 Todas as transações econômicas entre as empresas são traduzidas em moeda corrente e se resumem em recebimento e desembolso de valores numerários. Essas Obrigações geralmente aparecem com os nomes dos elementos seguidos da expressão a Pagar.com Duplicatas a receber Promissórias a receber Obrigações: Duplicatas a pagar .ASPECTOS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS DO PATRIMÔNIO PATRIMÔNIO Bens Direitos Obrigações  Aspecto Qualitativo: Este aspecto consiste em qualificar os bens. Elemento Duplicatas Promissórias Aluguéis 2. os impostos a pagar. como o dinheiro depositado no banco. Mas nem sempre estas transações são feitas pela troca imediata por dinheiro e gera daí um direito para aqueles que entregaram algo e que deveriam receber em troca seu correspondente em dinheiro. Direitos e Obrigações.OBRIGAÇÕES são os valores que estão na posse da empresa. como os empréstimos bancários. mas que são propriedade de terceiros. etc. os valores a pagar referentes a compras efetuadas a prazo. Esses Direitos geralmente aparecem com os nomes dos elementos seguidos da expressão a Receber. etc.3 . Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Assim: PATRIMÔNIO Bens: Dinheiro Veículos Máquinas Direitos: Prof. valores a receber de terceiros por vendas efetuadas a prazo.

..... No lado esquerdo... Patrimônio O T.......2... 500 Obs: Com essas informações..........000 Promissórias a receber...... é possível fazer uma idéia do tamanho do patrimônio da minha empresa......000 Impostos a pagar...com .REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PATRIMÔNIO O Patrimônio é representado em um gráfico simplificado.CONTABILIDADE 20  Aspecto Quantitativo: Este aspecto consiste em dar a esses Bens.............. Assim: PATRIMÔNIO Bens: R$ Dinheiro...... 2...000 Veículos.........10....000 Obrigações: Duplicatas a pagar.8. Patrimônio Bens Direitos No lado direito colocamos as Obrigações: Patrimônio Prof......3........000 Máquinas ..5 .... Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail... pois ficou esclarecido o quê e quanto e empresa tem em Bens.. tem dois lados.5.. Direitos e Obrigações... em forma de T. levando-nos a conhecer o valor do Patrimônio da Organização..... colocamos os Bens e os Direitos.......000 Direitos: Duplicatas a receber... como vemos...50... Direitos e Obrigações seus respectivos valores...

O lado direito é chamado de lado negativo. componentes Passivos. ainda.com . atribui nomes aos elementos componentes do Patrimônio. a representação gráfica do Patrimônio fica assim: PATRIMÔNIO Bens Direitos Obrigações 21 A contabilidade. a sua parte positiva (é o que ela tem efetivamente de bens e o que ela tem para receber). pois os bens e os direitos representam. Surgem. PATRIMÔNIO ELEMENTOS POSITIVOS Bens Móveis e Utensílios Estoque de mercadorias Caixa (dinheiro) Direitos Duplicatas a receber Promissórias a receber ELEMENTOS NEGATIVOS Obrigações Salários a Pagar Duplicatas a pagar Impostos a Pagar O lado esquerdo do gráfico é chamado de lado positivo. Veja como fica o gráfico: PATRIMÔNIO ATIVO PASSIVO Obrigações Salários a Pagar Duplicatas a pagar Impostos a Pagar Bens Móveis e Utensílios Estoque de mercadorias Caixa (dinheiro) Direitos Duplicatas a receber Promissórias a receber Prof. para a empresa. então. componentes Ativos e o seu conjunto forma o Ativo.CONTABILIDADE Obrigações Então. Os elementos positivos são denominados. substituindo o que antes chamávamos de elementos positivos e elementos negativos. ainda. pois as obrigações representam a parte negativa da empresa (é o que ela tem que pagar). por convenção. Os elementos negativos são denominados. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. por isso encontram-se no Passivo. o Ativo e o Passivo.

..... é preciso representar os elementos que o compõem com seus respectivos valores.......... Ativa ou Superavitária........ R$ 20 Soma dos Bens ....... pode a Organização apresentar três posições de situação líquida...... No decorrer de suas atividades...... Entretanto. que se chama Patrimônio Líquido (não mencionado até agora)........ Para que a representação gráfica do Patrimônio esteja completa.... Denominamos Ativo ao conjunto de bens e direitos e... como veremos a seguir:  Situação Líquida Positiva : Ocorre quando os bens e direitos superam as obrigações para com terceiros........ de Passivo ao conjunto das obrigações.... Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail... R$ 30 Móveis ................ R$ 50 Soma total do Ativo ..CONTABILIDADE 2.............. completará a referida representação gráfica do Patrimônio.............. R$ 150 Procedendo da mesma forma com os elementos que representam as Obrigações..... também chamada de Positiva..............  Situação Líquida Negativa: Ocorre quando as obrigações para com terceiros superam a soma dos bens e direitos..SITUAÇÕES LÍQUIDAS PATRIMONIAIS 22 Sob o aspecto contábil............... Por que estudar as Situações Líquidas agora? Para atender a um grande objetivo: acrescentar ao seu conhecimento mais um grupo de elementos na representação gráfica do Patrimônio.......com .... Passiva. Como podemos verificar........ juntamente com os Bens.. R$ 30 Prof..... R$ 40 Promissórias a Receber ............  Situação Líquida Nula: Ocorre quando os bens e direitos se igualam às obrigações para com terceiros.. R$ 35 Salários a Pagar ... Deficitária ou Passivo a descoberto.. para que você possa compreender melhor esse novo grupo de elementos (Patrimônio Líquido)................... vamos estudar antes as Situações Líquidas Patrimoniais possíveis..... permitindo que o total do lado esquerdo seja igual ao total do lado direito... Este novo grupo.....6 .......................... dando-lhe forma de equação..... R$ 10 Soma dos Direitos ..................... R$ 15 Impostos a Pagar .................. temos: Obrigações Duplicatas a Pagar ...... com seus respectivos valores em reais. Estas últimas são a parte que realmente pertence aos proprietários... R$ 50 Estoque de Mercadorias ... existem dois tipos de obrigações para as empresas: as obrigações para com terceiros (fornecedores) e as obrigações para com os sócios (capital).. A situação líquida modifica-se com o desenvolvimento das atividades da empresa.... e somando esses valores..... pois a ela serão somados os lucros não distribuídos ou dela serão subtraídos os prejuízos.. temos o total do Ativo: Bens Caixa . R$ 100 Direitos Duplicatas a Receber .. a qual chamamos de Situação Líquida ou ainda Patrimônio Líquido...... o patrimônio é composto do ativo e passivo. Considerando cada um dos elementos que representam os Bens e os Direitos (Ativo)... Isso é o que faremos nesta parte... Também conhecida como Negativa........ com os Direitos e com as Obrigações.....................

........................ R$ 70 = SITUAÇÃO LÍQUIDA PATRIMONIAL No gráfico que estamos utilizando para representar o Patrimônio..... 20 Direitos Duplicatas a Receber . SITUAÇÃO LÍQUIDA .................................. Impostos a Pagar ............com ... Salários a Pagar ...................... 40 Promissórias a Receber... R$ 200 Direitos . ATIVO PASSIVO Bens Caixa ............ 150 Situações Líquidas Patrimoniais possíveis 1 ........ 10 TOTAL ............................................................CONTABILIDADE Soma total das Obrigações .............. o total do lado esquerdo (150) tem que ser igual ao total do lado direito (150)........................................ Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.......................... R$ 100 Obrigações .......................................... Assim: BENS + DIREITOS – OBRIGAÇÕES = SITUAÇÃO LÍQUIDA PATRIMONIAL Conforme afirmamos. R$150 (menos) Obrigações .............150 Obrigações Duplicatas a Pagar ............ ..................... R$ 180 Prof................... 70 35 15 30 TOTAL ............. Ela deve ser somada às Obrigações (ou subtraídas das Obrigações).......................... 50 Estoque de Mercadorias ............. R$ 80 ............ de modo a igualar o lado do Passivo com o lado do Ativo............ Logo: Ativo ....................... .................... 30 Móveis .......... dandolhe forma de equação patrimonial... R$ 80 23 O total dos Bens mais o total dos Direitos menos o total das Obrigações denominase Situação Líquida Patrimonial.........Ativo maior que o Passivo Exemplo: Bens .. No Ativo temos Bens mais Direitos = 150 e no Passivo temos Obrigações mais Situação Líquida = 150..... a Situação Líquida Patrimonial é colocada sempre do lado direito.............

.. 100 TOTAL ....... 300 Neste caso.... precisamos igualá-los......... Logo................... Situação Líquida Ativa c....... somente Obrigações......CONTABILIDADE BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO 24 Bens . o Balanço Patrimonial fica assim: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO Bens ..................... a situação Líquida chama-se: a.. já que a Situação Líquida é positiva............... ( ... A diferença de R$ 120 é chamada Situação Líquida... 300 PASSIVO Obrigações ............ Situação Líquida Positiva b.)...... .....) R$ 180  Diferença . 180 (+) Situação Líquida ........................ Logo................ 200 Direitos ..... neste caso...................(+) R$ 120 Observação:    Antes de cada valor colocamos um sinal O Ativo.. 120 TOTAL .................. logo.............. Situação Líquida Superavitária Prof....... 300 Obrigações ......... sinal mais (+)....... Veja:  Lado do Ativo ................... contendo Bens e Direitos........................................................... (+) R$ 300  Lado do Passivo ...... sinal menos ( ....... 100 TOTAL ..... logo................................................... 180 Observe que os dois lados não têm o mesmo total......... é negativo...... 180 TOTAL ... contendo........... 200 Direitos ........... O passivo..................com ............................ é positivo........ será colocada do lado do Passivo e adicionada ao valor das Obrigações.................. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.....

................. R$ 100 Obrigações ..... é o que restou positivamente........... temos: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Bens ...................................... dizemos que a quantia de R$ 120 é Situação Superavitária....... b................ 340 TOTAL ........................ 300 Obrigações ..( ................. É chamada Situação Líquida Ativa porque o total do Ativo (Bens + Direitos) supera o total do Passivo (Obrigações) em 120............... 200 Direitos ..........Ativo menor que o Passivo Exemplo: Bens .................. sobrariam para o proprietário da empresa R$120........................ teremos R$200...................................... 340 Veja:  Lado do Ativo ......... ATIVO Bens + Direitos > PASSIVO Obrigações Situação Líquida Positiva 2 .... Suponha que haja intenção de se liquidar a empresa neste momento....... Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail....................) R$ 340  Diferença ........................... R$ 200 Direitos ................. c..................................... ( ....com ............. recebendo todos os Direitos no valor de R$100............... Pagando todas as Obrigações.................. é o valor positivo que superou o negativo...... (+) R$ 300  Lado do Passivo .................. É chamada Situação Liquida Positiva porque o total dos elementos positivos (Bens + Direitos) supera o total dos elementos negativos (Obrigações) em 120.. R$ 340 Representando graficamente..................................................... 100 TOTAL ...CONTABILIDADE Veja por que: 25 a. no valor de R$180.. Vendendo os Bens ao preço que custaram........................) R$ 40 Prof.................................... É chamada Situação Líquida Superavitária por ser uma situação positiva................. teremos em mãos R$300... Por isso............................... e..............

........... Se houver interesse em liquidar a empresa neste.......... É Situação Liquida Negativa porque o total dos elementos negativos (Obrigações) supera o total dos elementos positivos (Bens e Direitos) em 40.com ....... d............. a situação Líquida é deficitária.......... momento..... vendendo os Bens ao preço de custo....... b..... ATIVO Bens + Direitos < PASSIVO Obrigações Situação Líquida Negativa 3 .......... 100 TOTAL ........ 300 Neste caso. 300 Obrigações . representado apenas por Obrigações) é superior ao total do Ativo (Bens e Direitos)..... R$ 100 Prof.. que é o valor das Obrigações.................. teremos R$300 em mãos............. precisaremos de R$340.. R$ 200 Direitos .Ativo igual ao Passivo Exemplo: Bens .............. Situação Líquida Deficitária d..... a representação gráfica completa fica assim: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO 26 Bens ........... Passivo Descoberto Veja: a........ Situação Líquida Passiva c...... o total dos elementos positivos é insuficiente para saldar os compromissos.... Situação Liquida Negativa b............... 200 Direitos....... Para saldar nossos compromissos. É Passivo Descoberto porque o total do Ativo não é suficiente para cobrir o total do Passivo. Por isso..... Logo.......... a Situação Líquida chama-se: a. teremos R$100................ c.......... É Situação Líquida Passiva porque o total do Passivo (neste caso. faltam R$40..................... 340 (-) Situação Líquida...... recebendo os Direitos.................................. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail................. (40) TOTAL .. É Situação Líquida Deficitária por ser uma situação negativa......CONTABILIDADE Sendo a diferença negativa.. Portanto........................... teremos R$200.

....) R$ 300  Diferença ........... completará a Demonstração Contábil denominada Balanço Patrimonial........... inexistente.................. Assim...... juntamente com as Obrigações.. 300 TOTAL .. o Ativo é inteiramente absorvido pelas Obrigações........................PATRIMÔNIO LÍQUIDO É o quarto grupo de elementos patrimoniais que..... -0- Neste caso.... e a Situação Líquida é nula............. R$ 300 Graficamente........... o total do grupo Patrimônio Líquido será igualmente positivo..... aparece sempre do lado direito................. Esse grupo......... se pretendêssemos liquidar essa empresa neste momento.....................com ...................... juntamente com os Bens..... 300 Obrigações ......... tudo o que se apuraria com a venda dos Bens e com o recebimento dos Direitos seria necessário para cobrir apenas as Obrigações................... o grupo Patrimônio Líquido também refletirá essa situação......... 300 Veja:  Lado do Ativo ........... teremos: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO 27 Bens ................ os Direitos e as obrigações.7 ...... Por outro lado..CONTABILIDADE Obrigações ............ se a Situação Líquida for negativa o total do grupo Patrimônio Líquido será igualmente negativo.......... 100 TOTAL ............................. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.. ATIVO Bens + Direitos = PASSIVO Obrigações Situação Líquida Nula 2... ( ................ se Situação Líquida for positiva.................. 200 Direitos ....... Observe que........... não restando nada para o proprietário......... no Balanço Patrimonial de uma Organização........ O total do grupo Patrimônio Líquido é igual ao valor da Situação Líquida da Organização..... Ainda...... (+) R$ 300  Lado do Passivo .... se a Situação Líquida for nula. Prof..

Os Lucros Acumulados: é o principal objetivo das empresas. 2. isto é. a palavra Capital é usada para representar o conjunto de elementos que o proprietário da empresa possui para iniciar suas atividades. Promissórias a receber etc. inicialmente. em cada Balanço até que esta parcela atinja a 20% (vinte por cento) do capital. o qual é chamada de ‘Reserva Legal’. Veículos. Deste subgrupo. a diferença entre o capital que consta do contrato e o capital efetivamente entregue pelos sócios. Imóveis. é preciso que se tenha. podemos. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. apresentar a equação patrimonial: PATRIMÔNIO LÍQUIDO = ATIVO – PASSIVO 2.com . para utilizá-los futuramente no aumento de seu capital. o valor correspondente ao prejuízo deverá ser subtraído desse grupo e classificado em prejuízos acumulados. um Capital. Caso a empresa apresente prejuízos.CONTABILIDADE BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO Bens Direitos PASSIVO Obrigações Patrimônio Líquido (antiga Situação Líquida) 28 O Patrimônio Líquido é composto pelos seguintes elementos:    Capital Reservas Lucros ou prejuízos Acumulados Na fase de constituição da Organização. então. subtraise o capital a realizar. Na sua constituição. São a parte do lucro a que a empresa ainda não deu destinação. por exemplo: Dinheiro. Obs: No caso específico das Sociedades Anônimas. Móveis. por lei. por exemplo.8 . As Reservas são formadas pela retenção de parte dos lucros da Organização.A EQUAÇÃO PATRIMONIAL Considerando os elementos integrantes do patrimônio. é obrigatório. Podemos citar. o Capital representa o dinheiro entregue pelos sócios ou pelo proprietário para formação do patrimônio inicial. uma retenção de 5% (cinco por cento) dos lucros obtidos.FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO Para se constituir uma empresa. Este Capital é conhecido por:  Capital  Capital Inicial  Capital Nominal  Capital Subscrito Prof.9 .

. Neste caso...CONTABILIDADE Por exemplo: 29 1.. pode lhe acarretar alguma dificuldade... conforme explicamos antes do balanço. R$65. representando. R$60.... temos: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO Caixa . Evidentemente..... Logo...... o denominamos desta forma por ser esse valor a Situação Líquida Positiva inicial.............. ela terá esta importância no Ativo representado pelo elemento Caixa..... o lado do Ativo tem que ser igual ao lado do Passivo. esses R$60.... para esse fim... com um Capital Inicial.000 PASSIVO Capital ....000 em dinheiro constituem o seu Capital Inicial...... 50....000..........000 Exemplo de formação do Patrimônio e suas variações Vamos acompanhar a formação do Patrimônio de uma empresa comercial e alguns exemplos de sua movimentação. onde Ativo é igual a Passivo mais Patrimônio Líquido (A = P + PL).. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. seu Capital Inicial é R$65.. Suponhamos que uma outra pessoa deseje abrir uma loja e possua R$5... Racionando em termos da equação fundamental do Patrimônio. O elemento Caixa não traz nenhuma dúvida. Uma pessoa constitui uma empresa para explorar o comércio de roupas....... Veja que ela está iniciando suas atividades com R$50... R$ 5.... e sendo dinheiro um Bem....... a Situação Líquida Positiva.. 2....... em toda representação gráfica que exprime elementos patrimoniais em forma de balanço....... o elemento Capital..000 em dinheiro...000.. sendo o Ativo composto por Bens mais Prof....000 em dinheiro... se a importância possuída é em dinheiro. pois.. Porém..... portanto................ Uma pessoa deseja iniciar um negócio e possui. Note que.. Como estamos constituindo o Patrimônio dela com um Capital Inicial de R$50....... representando os elementos componentes do Patrimônio apenas com essa ocorrência.000 em dinheiro...000 em mercadorias............ evidentemente será colocado do lado do Ativo... essa importância representará... Assim...... investimento inicial em dinheiro... no Balanço Patrimonial. dinheiro é um Bem....... isto é..........com . a Situação Patrimonial respectiva: 1......... Vamos representar o Patrimônio dela nesse momento. ainda..000. a cada acontecimento. que chamamos de Capital e....000 Observação: Veja que na representação gráfica temos dois elementos: Caixa e Capital........ em dinheiro. Note.... de R$50..... R$60.......... através do Balanço Patrimonial. que você está vendo pela primeira vez na representação gráfica (Balanço Patrimonial)....000 em dinheiro e mercadorias para revenda no valor de R$60.. com o nome de Capital. 50.000 Total do Capital ........ sendo: em dinheiro ...

. Sentindo necessidade de adquirir outros Bens para se expandir. à vista: R$30.compra de mercadorias para revenda. . Apenas houve troca de valores no Ativo: o Caixa diminuiu em R$35. 50... Por isso.15.....000 PASSIVO Móveis e Utensílios....... o Passivo composto pelas Obrigações e os Patrimônio Líquido composto por Capital.000 Note que... Nesse caso..no Passivo...000.. repete-se.000. uma vez que a Situação Líquida da empresa é positiva de R$50.000.... o seu valor total não se alterou... o elemento Capital correspondendo ao grupo do Patrimônio Líquido.000 TOTAL .. embora tenha havido movimento do Patrimônio... Quando a empresa compra a prazo..... apareceram no Ativo mais dois elementos (Bens): . veja o que aconteceu no Patrimônio: . tanto o Ativo quanto o Passivo serão aumentados..... à vista: R$5.... 50............. ficou reduzido a R$15... o Patrimônio será representado da seguinte maneira: Prof. Em compensação...000 Capital .no Ativo.... no valor de R$20.... No lado do Passivo não houve alteração. 3.com ...000 TOTAL .CONTABILIDADE 30 Direitos. surgem as aplicações desse Capital na compra de bens: ...O Caixa.000 5... 50... Reservas e Lucros ou Prejuízos Acumulados..... o Patrimônio Líquido permanece. conforme financiamento obtido junto ao Banco da Praça... Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail...... Com essas compras...mercadorias para revenda ( no estoque) .. assim.. .. e o Passivo. temos: . pois R$35..... pela obrigação contraída através do financiamento a pagar. ela passa a trabalhar com Capital de outras pessoas........000... Cria.. 30.compra de móveis e utensílios. O Ativo.. no valor de R$30. ....Em seguida........ o elemento Caixa correspondendo ao grupo dos Bens.. e sendo o seu Capital insuficiente..000 O Patrimônio passou a ser representado do seguinte modo: Balanço Patrimonial ATIVO Caixa . para vencimentos em 30 e 60 dias. Obrigações para futuros pagamentos. pela entrada de um veículo (Bens).... o elemento Capital. 2..000 foram gastos nas aquisições citadas..000)..000...000..... essa situação está coincidindo com o grupo Patrimônio Líquido (Capital = R$50. a empresa compra a prazo: Compra a prazo de um veículo... que tinha R$50.. Após essa operação de compra de mercadorias a prazo....... no lado do Passivo. no valor de R$5.. .000. Mercadorias .. mas esse valor apareceu novamente em Móveis e Utensílios e Mercadorias. Assim...000...Móveis e Utensílios.

....CAPITAL DE GIRO – É o Ativo Circulante que o administrador movimenta.... pois o Caixa será diminuído de R$5...000. pois não sofreram nenhuma alteração.........Aplicações financeiras (Fundo de Aplicações Financeiras).... 15....Caixa .. 70... 50..1 OUTRAS DENOMINAÇÕES DO ATIVO CIRCULANTE . em dinheiro.. e uma diminuição também no Passivo...... 20. Esse pagamento acarretará uma diminuição no Ativo....000 Veículos ...000 Móveis e Utensílios........000 Mercadorias.. agora.. .000.. A recomendação legal de que os bens e direitos sejam classificados no Ativo na ordem do grau de liquidez decrescente faz com que....com ..... 4. gira e trabalha no sentido de trazer benefícios a empresa. que a empresa efetue o pagamento.. os itens que se converterão em dinheiro mais rapidamente .000 Capital .000 TOTAL .....CAPITAL CIRCULANTE – É o Ativo Circulante que assume dentro de um ciclo diversas formas......... Veículos e Capital permanecem os mesmos. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.. após o disponível......... 3...Depósito bancário à vista (Bancos Conta Movimento)... Suponhamos. 3..000 PASSIVO Financiamento a Pagar 20....... no valor de R$5.. no Ativo Circulante. (até o final do exercício subseqüente).............ATIVO CORRENTE – É o Ativo Circulante que corre. .... 30.CONTABILIDADE Balanço Patrimonial 31 ATIVO Caixa..CAPITAL DE TRABALHO – É com o Ativo Circulante que o administrador trabalha para produzir riquezas atendendo o objeto social da empresa... em dinheiro (no resgate das duplicatas).. . posteriormente em duplicatas e novamente... 5..000 TOTAL .......1 ATIVO CIRCULANTE É o primeiro grupo de contas do Ativo... B) BENS E DIREITOS REALIZÁVEIS A CURTO PRAZO (NO CURSO DO EXERCÍCIO SOCIAL SEGUINTE) ................ 70....... O Ativo Circulante é o grupo de maior liquidez no ativo da empresa......Duplicatas a receber Prof.. Móveis e Utensílios.... pela extinção ( faça você) 3 ATIVO 3.2 COMPONENTES DO ATIVO CIRCULANTE: OS VALORES CLASSIFICÁVEIS NO ATIVO CIRCULANTE SÃO: A) DISPONÍVEIS: .... estejam posicionados. transformando-se em mercadorias. .. de uma Duplicata..... iniciando-se com dinheiro...... procurando girar mais rapidamente possível com o objetivo de melhorar a rentabilidade....000 Note que os elementos Caixa......

dividendos a pagar a acionistas desembolsos de filiais ou fábricas.Define-se uma quantia fixa que é fornecida ao responsável pelo fundo. 3) Contas especiais de cobrança – contas abertas pelas empresas para ampliar a rede de cobrança bancária de suas duplicatas ou mesmo para que suas filiais ou agentes de cobrança depositem os recebimentos efetuados. Disponível Caixa Depósitos bancários a vista Aplicações de liquidez imediata. 32 EM DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE DISPONIBILIDADES A Lei 6404/76 estabelece em seu artigo 178. A contabilização é feita a crédito da conta bancos e a débito das despesas. dentro desse conceito.Seguros. 2) Contas especiais para pagamentos específicos. dada pela Lei 6404/76 é usada para designar dinheiro em caixa e em bancos. Normalmente o saldo do caixa pode estar registrado na empresa através de uma ou de diversas contas. que no Ativo as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez e.3 DISPONÍVEL 1. bem como cheques em mãos. 179 dentro do Ativo Circulante. CONTROLES DE CAIXA: A) FUNDO FIXO . repondo-se o valor em cheque nominal ao responsável. como cheques em mãos e em trânsito e que representam recursos como livre movimentação para aplicação nas operações da empresa e para as quais não haja restrições para uso imediato. dependendo de suas necessidades operacionais e locais de funcionamento. Estas contas pode Prof.Outros valores C) APLICAÇÕES DE RECURSOS (DESPESAS ANTECIPADAS) . para os pagamentos diversos e periodicamente efetua-se a prestação de contas do valor desembolsado. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. tais como contas para folha de pagamento do pessoal. . como também definido pelo art. CONTEÚDO E CLASSIFICAÇÃO DO DISPONÍVEL CAIXA Inclui dinheiro. pagáveis irrestrita e imediatamente. Estas contas são mantidas para controle interno da empresa e a tendência é que no final do período seus saldos estejam zerados.Despesas financeiras. 3.com . DEPÓSITOS BANCÁRIOS À VISTA: A) CONTAS DE LIVRE MOVIMENTAÇÃO .São representadas normalmente pelas contas de livre movimentação mantidas pela empresa em bancos. bem como valores equivalentes. Podem ser: 1) Conta movimento ou depósito sem limites. as contas de disponibilidades são as primeiras a serem apresentadas no balanço e. já que os vales e adiantamentos devem constar em conta própria de realizável como adiantamento. A intitulação disponibilidades. O saldo da conta caixa para fins de balanço deve figurar tão somente o saldo em dinheiro. recebidos e ainda não depositados. B) CAIXA FLUTUANTE – Transitam pela conta caixa os recebimentos e os pagamentos em dinheiro.Investimentos temporários .CONTABILIDADE .

do prazo de resgate e considerando.  Depósitos bloqueados ou com restrição de movimentação por força de cláusula contratual de financiamento ou para obtenção de linhas especiais de crédito. APLICAÇÕES DE LIQUIDEZ IMEDIATA As aplicações de curtíssimo prazo no mercado financeiro também são consideradas como disponível. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.  Depósitos Vinculados a Liquidação de Empréstimos. os cheques emitidos até a data do balanço estarão deduzidos dos saldos bancários. taxa e forma de rentabilidade. INVESTIMENTOS TEMPORÁRIOS As empresas procuram aplicar os excessos de disponibilidades que têm. Prof. Cada tipo de aplicação tem suas características próprias no que se refere a prazos de aplicações. Alguns exemplos de aplicações são:  Depósitos a prazo fixo  Certificado de depósitos bancários  Ações adquiridas ou cotadas através de Bolsa de Valores  Fundos de investimentos em renda fixa ou variável. 179 da Lei 6404/76 estes investimentos são apresentados em três contas: 1 – Aplicações de liquidez imediata dentro do subgrupo disponível. 2) Depósitos Bancários Vinculados –  Depósitos Vinculados para Liquidação de Contratos de Câmbio ou para Liquidação de Importados. E) SITUAÇÕES ESPECIAIS – 1) Contas em bancos em liquidação – os saldos das contas em bancos em liquidação devem ser classificadas como contas a receber no Ativo Circulante ou Realizável a Longo Prazo. deverão ser adicionados aos saldos bancários e às contas correspondentes do Passivo Circulante D) CONCILIAÇÕES BANCÁRIAS – Para todas as contas bancárias. particularmente devido aos efeitos inflacionários causados aos recursos mantidos em caixa e bancos. e se forem de valores substanciais.  Depósitos Vinculados à Substituição ou Reposição de Garantias de Empréstimos. CASSIFICAÇÃO: A classificação destes investimentos temporários deverá ser feita em função do tipo de investimentos. liquidez etc. Conforme disposto no Art. Tais aplicações são muito importantes para as empresas. B) CONTAS BANCÁRIAS NEGATIVAS – Contas bancárias negativas (credoras) ou saldos a favor de bancos não devem ser demonstrados como redução dos demais saldos bancários nas sim separadamente como um item do Passivo Circulante C) DATA DA CONTABILIZAÇÃO DE CHEQUES – Os cheques devem ser contabilizados pela sua emissão quando isso corresponder aproximadamente à data da entrega aos beneficiários. a própria intenção da empresa quanto a época que pretende resgatar os títulos. um aspecto de controle muito importante é que devem ser feitas conciliações bancárias periodicamente. ou seja. Todavia nos casos em que tais cheques não tenham sido entregues aos favorecidos.CONTABILIDADE 33 ser de transferência periódica ou automática de seu saldo para a conta movimento.com . Estas conciliações entre os saldos da contabilidade com os extratos bancários permitem a identificação das pendências existentes para sua contabilização. ainda. dependendo da situação específica e também deverá ser feita uma provisão para possíveis perdas.

apresenta-se como segue Clientes Duplicatas a receber A) Clientes B) Controladas e Coligadas – Transações Operacionais Duplicatas descontadas (conta redutora) Provisão para crédito de liquidação duvidosa (conta credora) Saques de exportação Saques de exportação descontados (contra credora). São valores a receber decorrentes de vendas a prazo. com prazo de resgate superior a 360 dias da data do balanço. independentemente de seu vencimento. de mercadorias e serviços a clientes. São ainda previstas as contas a receber. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. As contas normalmente realizáveis no decurso do exercício seguinte à data do balanço devem ser classificáveis. não oriundos dessas operações. são classificados destacadamente no Realizável a Longo Prazo.com . ou seja. para sua menção na nota explicativa de investimentos ou transações entre partes relacionadas. REALIZÁVEIS A CURTO PRAZO CONTAS A RECEBER As contas a receber representam. Devem ser creditadas (baixadas) somente pelas Prof. Essa subdivisão é útil para facilitar o destaque no balanço das duplicatas a receber de coligadas e controladas e.CONTABILIDADE 34 2 – Títulos de valores mobiliários em subgrupo à parte do Ativo Circulante: nesta conta são classificados as demais aplicações nos títulos com prazo de resgate de até 360 dias da data do balanço. portanto. normalmente. devem ser classificadas no realizável a longo prazo. Sua segregação em contas específicas é importante. oriundas de exportações pelas contas saque de exportações e a respectiva conta credora de saque de exportações descontadas. mas não normais e inerentes às suas atividade. > Clientes – O agrupamento das contas representativa dos clientes. As parcelas recebíveis após o exercício seguinte à data do Balanço. representando um direito a cobrar de seus clientes. ainda. A conta duplicatas a receber está segregada nas subcontas de clientes e controladas e coligadas. ou seja dentro do exercício social seguinte. 3 – Títulos de valores mobiliários no subgrupo investimentos temporários a longo prazo. CRITÉRIOS CONTÁBEIS  As duplicatas e contas a receber de clientes estão diretamente relacionadas com as receitas da empresa. As contas credoras de duplicatas descontadas e provisão para créditos de liquidação duvidosa devem ser apresentadas no Balanço como dedução de duplicatas a receber. ou seja. como se fossem qualquer outro cliente. oriundos de outras transações não representam o objeto principal da empresa. são aplicações temporárias classificáveis a longo prazo. no Ativo Circulante. ou seja das vendas e serviços prestados às coligadas e controladas. Essas contas devem referir-se somente às contas a receber oriundas das transações operacionais normais. operacionais normais. devendo ser contabilmente reconhecidas somente por mercadorias vendidas ou por serviços executados até a data do balanço. que deve estar destacada no balanço e no plano de contas. além do exercício social seguinte. DUPLICATAS A RECEBER: ORIGEM  As duplicatas a receber originam-se no curso normal das operações da empresa pela venda a prazo de mercadorias ou serviços. pois são valores recebíveis em moeda estrangeira e devem ter seus saldos em moeda nacional atualizados às taxas cambiais vigentes na data do balanço. pois os demais créditos contra coligadas e controladas. de acordo com o princípio contábil da realização da receita. um dos mais importantes ativo das empresas em geral.

Não devem essas duplicatas descontadas figurar no Passivo.000.000. esclarecendo que a empresa negociou aqueles direitos mas poderá vir a ter que readquiri-los.00 (Cinco mil reais). vencidos há mais de dois anos. porém mantida a cobrança administrativa. em sentença emanada do poder judiciário. DUPLICATAS DESCONTADAS Visando suprir seu capital de giro. Os faturamentos antecipados. de fato nenhum direito. Considera-se crédito garantido o proveniente de vendas com reserva de domínio. não devem ser registrados contabilmente porque geram. II.c) Superior a R$ 30. por operação. caso o devedor falte o pagamento.CONTABILIDADE 35 cobranças feitas. II. II) Sem garantia de valor: II. pelas quais se receberam $ 900. independentemente de iniciados os procedimentos judiciais para o seu recebimento.00 (Cinco mil reais) Até R$ 30. desde que iniciados e mantidos os procedimentos judiciais para o seu recebimento ou o arresto das garantias.00 (Trinta mil reais). da lei 9430/96 estabelece que as perdas no recebimento de créditos decorrentes das atividades da pessoa jurídica poderão ser deduzidas como despesas. ou seja.000.b) Acima de R$ 5. vencidos há mais de um ano. que não correspondem a recursos recebidos por conta de futuros fornecimentos. em contas de compensação sem constar das demonstrações financeiras publicadas. de alienação fiduciária em garantia ou de operações com outras garantias reais. relativamente à parcela que exceder o valor que esta tenha se comprometido a pagar. vencidos a mais de seis meses. Ex: suponha a existência de duplicatas a receber de $ 1.00 de despesas bancárias e $ 70. Tal encargo deve ser apropriado às despesas pro rata temporis. Isso só ocorre com este tipo de encargo financeiro. Entretanto. para determinação do lucro real: I) Em relação aos quais tenha havido a declaração de insolvência do devedor.00. vencidos há mais de uma ano. III) Com garantia.00 (Trinta mil reais) por operação. PROVISÀO PARA CRÉDITO DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA OU DEVEDORES DUVIDOSOS Conceito  Essa provisão deve ser feita para cobrir as perdas estimadas na cobrança das contas a receber.a) Até R$ 5. desde que iniciados e mantidos os procedimentos judiciais para o seu recebimento.000. mercadorias devolvidas ou descontos comerciais e abatimentos concedidos até aquela data. IV) Contra devedor declarado falido ou pessoa jurídica declarada concordatária. é comum as empresas efetuarem o desconto de duplicatas a receber em estabelecimento bancário. na conta própria de encargos financeiros a apropriar. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Forma de apuração da provisão: A Lei 9430/96 mudou radicalmente a sistemática da provisão para créditos de liquidação duvidosa. pois não existem ainda dívida por parte da empresa. Esta só existe à medida que ocorre o vencimento dos títulos e o devedor não paga. no grupo de despesas do exercício seguinte pagas antecipadamente. independentemente de iniciados os procedimentos judiciais para o seu recebimento. O banco compra a vista essas duplicatas. descontadas em banco.000. O montante das duplicatas ou contas a receber descontadas na data do balanço deve ser demonstrado subtrativamente das contas a receber respectivas. pode-se admitir tal registro apenas para efeito de controle interno. ESTOQUES Prof. O Artigo 9o.com .00 de juros: Os encargos financeiros foram lançados no Ativo. descontando no ato as despesas bancárias e os juros a que tem direito pelo período a transcorrer entre a data do desconto e a data do vencimento das duplicatas. à medida que transcorra o tempo entre o desconto e seu vencimento.00 sendo retidos $ 30.

Se a empresa tiver títulos a receber de origem variada como acima exemplificada poderá criar subcontas. Podem originar-se.Produtos em fabricação  São os materiais particularmente processados. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. mas não cobráveis imediatamente. . .Mercadoria  É a denominação mais ampla e que engloba todos os materiais. mercadorias ou importação. São classificadas no Ativo Circulante em circunstâncias normais dentro do prazo de um ano. Posteriormente dá-se baixa nessa conta. valores e outras contas a receber. reconhecendo-se as perdas estimadas pelas constituições de provisões. pois é essencial à existência da intenção habitual de revenda. .Produtos acabados  São os produtos prontos no ponto em que a empresa. por valores que se espera sejam recebidos. material direto. material indireto. Para uma empresa industrial estoques significa a matéria prima adquirida estando ela em transformação (está disposição para acabamento). Juros a receber: Registrar os juros a receber de terceiros relativos a diversas operações. que se destinará a venda. mas que dependem de serem completados. comercializa seu produto. as que tiverem vencimento além do exercício seguinte constituem realizáveis a longo prazo. estes estoques não se destinam à venda mas. material importado. OUTROS CRÉDITOS Conceitos e critérios contábeis = O agrupamento de outros créditos pode ser genericamente analisado como sendo composto pelos demais títulos. que se encontrem em processo normal ou judicial de cobrança. minérios extraídos. material de manutenção. tais como empréstimos feitos a terceiros. quando do efetivo recebimento desses dividendos. . tais como: mercadorias em trânsito. etc. acabados ou montados. Títulos a receber A) Clientes B) Devedores por venda de Ativo Permanente C) Empréstimos a receber de terceiros D) Títulos descontados (Conta credora) E) Receitas financeiras a transcorrer (Conta credora) Cheques em cobrança: Engloba os cheques recebidos até a data do balanço. não consumidos na prestação de serviços Categoria de estoques: . ou do material que uma montadora adquire para compor a montagem de seu produto. Exemplo: Títulos a receber – Podem originar-se das próprias contas normais a receber de clientes. de cheques recebidos anteriormente e devolvidos por falta de fundos. estoques significa o material de consumo disponível e necessário para o desempenho eficaz da sua não contribuição.Matéria Prima  É o material bruto que a empresa fabricante adquire para sua transformação. juros das aplicações em títulos da emissão do governo e Prof. normalmente não originadas do objeto principal da sociedade. em função de participações em outras empresas. Portanto . como unidade de transformação. Para uma empresa de serviços. ou já acabada (transformada). material de consumo. ou seja.CONTABILIDADE 36 Para uma empresa comercial estoques significa a matéria o conjunto de mercadorias à disposição de vendas. também.com . porém . quando tais empresas já tenham registrado na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados a parcela de dividendos propostos a distribuir. Os critérios de avaliação devem ser demonstrados por seus valores líquidos de realização.Existem outras categorias contábeis de estoque que são usadas. é comum a sua utilização em empresas comerciais. Dividendos propostos a receber: Destina-se a registrar os dividendos a que a empresa tenha direito.

CONTABILIDADE 37 outras operações nas quais os juros não sejam agregados aos próprios títulos.com . A baixa correspondente ocorrerá quando da saída de férias do funcionário. Adiantamentos a terceiros: Esta conta engloba numerário entregue a terceiros. ou ainda. A contrapartida é registrada em receitas financeiras. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. de cujo valor a antecipação e descontada. A baixa (crédito) nessas contas ou relatórios de despesas apresentados. sendo a baixa registrada quando do pagamento da primeira parcela do 13o. por conta de despesas. Créditos de funcionários: Esse agrupamento deve englobar todas operações de créditos de funcionários por adiantamentos por conta de salários. A conta é baixada pelos recebimentos efetuados diretamente do funcionário ou por meio de desconto em folha de pagamento. que pode ser: Créditos de funcionários – A) Adiantamento para viagens B) Adiantamento para despesas C) Antecipações de salários e ordenados D) Empréstimos a funcionários E) Antecipações de 13o. cujos saldos devem ser periodicamente totalizados e confrontados com os saldos das respectivas contas. salário: Conforme a legislação vigente. salário no período de fevereiro a outubro. Sua contabilização deve seguir o regime de competência. Tal antecipação é registrada nessa conta quando do seu pagamento. Antecipação de férias: Quando se efetivarem pagamentos aos funcionários a título de antecipação sobre férias. por ocasião das férias ou por liberalidade da empresa no atendimento a uma necessidade do funcionário. essa conta deve ter subcontas em função da variedade de crédito. que é registrado nessa conta. na rescisão contratual. Por esse motivo. salário (novembro).Controles analíticos: Cada conta deve ter controles analíticos por funcionário. quando o adiantamento é descontado do salário total a pagar. Antecipações de salários e ordenados: Essa conta registra os adiantamentos feitos a funcionários por conta de salário. Antecipação de 13o. salário a recuperar. empréstimos e outros. é concedida pela empresa uma antecipação do 13o. em cheque ou dinheiro. . produtos ou serviços contratuais predeterminados. salário F) Antecipações de férias G) Previdência Social s/ 13O. Adiantamento para viagens e despesas: Essas contas registram os recursos fornecidos a funcionários para custear suas despesas de viagens a serviço ou outras despesas. Inúmeras empresas adotam o procedimento de pagar o salário em duas parcelas. mas sem vinculação específica ao fornecimento de bens. na linguagem fiscal) de ICMS e IPI. calculado pela taxa de juros em função do tempo já transcorrido. tais como saldos devedores (credores. São debitadas por ocasião do pagamento. Empréstimos a funcionários: Os valores a receber por empréstimos feitos pela empresa a seus funcionários são registrados nessa conta quando da concessão do empréstimo. ao funcionário. sendo baixado na folha de pagamento mensal. Imposto Prof. tais valores devem ser registrados nessa conta. ou na rescisão contratual. por meio do desconto em folha de pagamento daquele período. A primeira representa o adiantamento feito. Impostos a recuperar: Conteúdo e natureza – há diversas operações que podem gerar valores a recuperar de impostos.

CONTABILIDADE 38 de Renda Retido na Fonte e outros. em face da natureza variada dessas operações deve ter segregações em subcontas. A conta é debitada quando da apuração do valor. A conta é debitada pela retenção quando do registro da operação que a originou e creditada quando o valor do imposto retido for compensado mediante sua inclusão na declaração de rendimentos e/ou utilização na guia de recolhimentos. Prof. Muitas vezes é usada também a expressão despesas diferidas.. remanescendo um saldo a recolher ou a recupera. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. são registrados outros casos de impostos a recuperar pela empresa. consignação etc. IRRF a Compensar: Essa conta destina-se a registrar o IRRF nas operações previstas na legislação em que será recuperado mediante compensação com o imposto de renda quando da apresentação da declaração de rendimentos ou de outra forma. aluguéis e materiais de uso personalizados. Assim temos: A) IPI a compensar B) ICMS a compensar C) IRRF a compensar D) Imposto de Renda a Restituir E) Imposto de Renda Diferido F) Outros impostos a recuperar IPI E ICMS a Recuperar: Estas contas destinam-se a abrigar respectivamente. devem ser apropriados no exercício do benefício. quando então deverão figurar nessa conta do Ativo Circulante. decorrente de retenções na fonte e/ou antecipações superiores ao imposto de renda devido no exercício. Outro impostos a recuperar: Nessa conta. Pela própria sistemática fiscal desses impostos. mensalmente os débitos fiscais pelas vendas são compensados pelos créditos fiscais das comprar. que deverão retornar ao estabelecimento. mas ás vezes ocorrem saldos a recuperar. juros. O grupo de despesas antecipadas apresenta como componentes usuais os seguintes: seguros. Despesa antecipada com seguros: este item representa o valor pago antecipadamente à companhia de seguro para desfrutar de uma cobertura securitária no próximo exercício. Imposto de Renda a Restituir: Essa conta destina-se a registrar o imposto de renda a restituir apurado na declaração de rendimentos.Despesas antecipada com aluguéis: é o valor do aluguel pago antecipadamente por força contratual para se utilizar um imóvel no próximo exercício. Exemplo: Impostos (ICMS E IPI) são destacados na saída de bens (mercadorias) em demonstração. ou da compensação do imposto. o saldo devedor de ICMS e do IPI. DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE São aplicações de recursos em despesas que permitirão desfrutar de um benefício no próximo exercício e que.Impressos e materiais de uso personalizado: são os impressos e materiais de uso fiscal. O crédito será feito quando do efetivo recebimento de parcelas ou do valor total. quando figuram no Passivo Circulante. institucional.Despesa antecipada com juros: é o valor geralmente descontado do financiamento e que corresponde ao custo de capital de terceiros que estará a disposição da empresa no próximo exercício ou será liquidado no próximo exercício. . . Tais impostos devem ser registrados nessa conta que. . conforme sistemática fiscal determinar.com . dependendo do volume de tais compras e vendas. bem como pelo valor da atualização monetária definida pelo governo para essas restituições. ou promocional que devido as suas finalidades precisam ser personalizados e.Impostos a recuperar por pagamentos efetuados indevidamente a maior etc. . Seus saldos devem ser periodicamente conciliados como os dos livros fiscais respectivos e feitos os ajustes contábeis aplicáveis. O normal é que tais saldos sejam a recolher. independentemente da época do pagamento. pelo princípio da confrontação.

empréstimos a sociedades coligadas ou controladas. 2 – Investimentos temporários a longo prazo. a acionistas ou participantes no lucro da companhia.sócios ou acionistas – Conta Corrente. Três informações importantes devem coexistir para que possamos classificar um Ativo Permanente Imobilizado: A) natureza relativamente permanente B) ser utilizado na operação dos negócios C) não se destinar a venda ITENS QUE COMPÕEM O ATIVO IMOBILIZADO: Prof. 3. adiantamentos.Diretores – Conta Corrente.2 ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO COMO SEGUNDO GRUPO DE CONTAS DO ATIVO.Contas a receber oriundas de transações não operacionais. CARACTERIZA-SE POR DISTINGUIRSE DO CIRCULANTE EM DOIS ASPECTOS: Prazo: quando ultrapassar o final do exercício subseqüente. participações incentivadas e outros direitos que não se destinam a manutenção da atividade da empresa. IMOBILIZADO: Entende-se por Ativo Imobilizado todo ativo de natureza relativamente permanente. (qualquer dos especificados no curto prazo) 3 – Aplicações em incentivos fiscais. que se utiliza na operação dos negócios de uma empresa e que não se destina a venda. . Independentemente do prazo.CONTABILIDADE 39 muitas vezes.com . por determinação legal. beneficiando o próximo exercício. .3 ATIVO PERMANENTE O Ativo Permanente divide-se em três grupos: INVESTIMENTOS IMOBILIZADO DIFERIDO INVESTIMENTOS São aplicações relativamente permanentes com propensão a produzir renda para à empresa. . e seu uso exceder o exercício atual. classificados neste grupo os valores a receber. . devem ser feitas grande quantidades. (qualquer das especificadas no curto prazo) 3. São participações voluntárias ou incentivadas em empresas e direitos de propriedade não enquadráveis no Ativo Circulante nem no Realizável a Longo Prazo. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da empresa.Coligadas – Conta Corrente. Os componentes do Ativo Realizável a Longo Prazo são: 1 – Contas a Receber . a diretores. Como exemplo de aplicação neste grupo podemos citar as participações voluntárias. pois não se destinam a atividade operacional da empresa. 4 – Despesas antecipadas a longo prazo. nem mesmo no Imobilizado. .Contas a receber a longo prazo (quaisquer das especificadas no Curto Prazo).Controladas – Conta Corrente. oriundos de vendas. devem ser.

no exercício seguinte fazê-lo acumuladamente. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. arquivos etc. invenções e gastos com aquisições do direito de utilizar marcas ou patentes). dar-se-á o desgaste dos bens. É interessante que a empresa a faça para apuração do Lucro Real do Exercício (pagando menos imposto de renda). Depreciação Perante o Imposto de Renda: Para efeito de Imposto de Renda a depreciação não é obrigatória. **Poderá ser computada como custos (despesas). Para os bens classificados no Imobilizado pode incorrer com certos gastos para mantê-los ou recoloca-los em condições normais de uso. portanto. cadeiras. Marcas e Patentes (gastos com registros de marcas. em virtude do princípio legal da independência dos exercícios (ou Prof.com . observamos que uma característica do Ativo Imobilizado é vida relativamente longa. elétricas. contra incêndios. Por isso. que representam o custo a ser registrado. é comum contabilizar tais gastos como despesas do período. Contudo se o contribuinte deixar de depreciar num exercício. instalações etc. sanitárias) Móveis e Utensílios (mesas. O custo do Ativo Imobilizado é destacado como uma despesa nos períodos contábeis em que o Ativo é utilizado pela empresa. Poderão ser contabilizados como despesas bens do Ativo Permanente cujo valor unitário seja inferior aos limites anuais fixados pelo Imposto de Renda (394. máquinas de escrever. sendo facultativa a empresa. Gastos de Manutenção e Reparos normalmente não aumentam a vida útil do bem com a capacidade de produção. em prédios de terceiros) Direitos sobre recursos naturais (aquisição de direitos para exploração de jazidas de minérios etc. À medida que esses períodos forem decorrendo. não sendo. se adquirirmos uma ferramenta cuja a vida útil seja inferior a um ano. Assim. MELHORIAS NO ATIVO IMOBILIZADO: Através de uma reforma ou substituição de partes do bem que contribua para o aumento da vida útil ou da capacidade produtiva há a ocorrência de Melhoria no Ativo Imobilizado. Pode-se entender como longa uma vida útil superior. a um ano. MANUTENÇÃO E REPAROS NO ATIVO IMOBILIZADO: A princípio. Neste caso. Esses gastos são denominados Manutenção e Reparos. adicionaremos o custo da melhoria ao valor do bem. nomes. em cada exercício. pelo menos.). A depreciação é uma despesa porque todos os bens e serviços consumidos por uma empresa são despesas. apresentando um lucro mais próximo da realidade. serão úteis a empresa por um conjunto de períodos finitos. SUBTRAÇÕES DO IMOBILIZADO: DEPRECIAÇÃO: A maior parte dos Ativos Imobilizados (exceção feita a terrenos e obras de arte) tem vida útil limitada.CONTABILIDADE - 40 Terrenos (realmente utilizados pela empresa) Edifícios Instalações (integradas aos edifícios: hidráulicas. contabilizaremos como despesa (DRE) pois só beneficiará a empresa por um exercício. ou seja. a importância correspondente a diminuição do valor dos bens do Ativo Imobilizado resultante dos desgastes pelo Uso. O processo contábil para esta conversão gradativa do Ativo Imobilizado em despesa chama-se DEPRECIAÇÃO. também chamados de períodos contábeis. classificada no Imobilizado. não poderá. Ação da Natureza e Obsolescência.) Veículos Ferramentas (com vida útil superior a um ano) Benfeitorias em Propriedades Arrendadas (construções.13 UFIR).

Assim. Portanto. se um bem pode ter a duração de cinco anos. isto porque a taxa anual corresponde à divisão de 100% pelo numero de anos do prazo de vida útil do bem. A depreciação efetuada fora do exercício em que ocorreu a utilização dos bens do Ativo bem. são amortizáveis os ativos permanentes intangíveis de duração limitada. quanto aos bens móveis comprovadamente utilizados.0 quando são 03 turnos. Direitos de Exploração.0 40% DEBITAR = DESPESAS COM DEPRECIAÇÃO (DRE) CREDITAR = DEPRECIAÇÃO ACUMULADA (ATIVO) AMORTIZAÇÃO Corresponde à perda do valor do capital aplicado em ativos intangíveis. quanto ele vai durar. para fins do imposto de renda. Direitos Autorais. Então.5 15% FERRAMENTAS 2 20% 1. 4 10 10 10 20 20 20 25 DEPRECIAÇÃO ACELERADA As taxas de depreciação fixadas pela Legislação do Imposto de Renda são para uma jornada normal de trabalho (turno de 08 horas). e de 2. quando ocorre a adoção de 02 ou 03 turnos de 08 horas. levando em consideração as Causas Físicas (o uso. Taxas de Depreciação Anual Fixadas pela Legislação do Imposto de Renda Grupos de Bens do Imobilizado Edifícios Máquinas e Equipamentos Instalações Móveis e Utensílios Veículos Sistema de Processamento de Dados Ferramentas Tratores % a. a taxa anual de depreciação é estabelecida em função do prazo de vida útil do bem a depreciar. considerando o aparecimento de substitutos mais aperfeiçoados). o desgaste natural e a ação dos elementos da natureza) e as Causas Funcionais (a inadequação e o obsoletismo. como a depreciação calculada a maior que as taxas permitidas não são dedutíveis como custos. Patentes. Isto porque é admissível que o uso intensivo do bem reduza a sua vida útil. Taxa Anual da Depreciação: Para cálculo da taxa anual de Depreciação é necessário estimar a vida útil do bem.0 20% FERRAMENTAS 3 20% 2. isto é.CONTABILIDADE 41 competência dos exercícios. Ponto Comercial.a. Prof.5 30% MÁQUINAS 3 10% 2. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.5 quando são 02 turnos. BEM TURNO TAXA X COEFICIENTE TAXA NORMAL ACELERADA MÁQUINAS 2 10% 1.com . admite-se uma taxa anual de 20%. Assim. ou encargos. poderão ser adotados os coeficientes de aceleração de 1. ou seja: Fundo de Comércio.

00 7 = R$ 1. Considerando as valorizações na região o valor do imóvel estaria estimado em $ 1. se preferida pela empresa essa base. portanto a valorização destes. Exemplo: Preço pago pela Cia.392. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. d) O prazo de duração do contrato.00 em 1999.485. ou bens aplicados nesta exploração.900.000. em virtude da defasagem entre o valor de custo e o valor de mercado. b) O volume de produção do ano. possui um imóvel adquirido no início de 1995 por $ 622. O cálculo do montante deve levar em conta: a) Os princípios de depreciação.000.00.000.642. pela pedreira com o terreno = R$ 12. A reavaliação ocorre com maior freqüência em imóveis. A reavaliação não deve ser confundida com a correção monetária extinta no final de 1995. Mesmo que esta valorização não fosse superior à inflação. cujo objeto são recursos minerais ou florestais. com a indicação dos critérios de avaliação e dos elementos de comparação adotados.490. Para tanto a empresa Santa Cruz S/A. ainda assim a reavaliação incidiria com maior constância nos itens de imóveis.000. Exemplo: A empresa Santa Cruz S/A. quase sempre. como base no custo de aquisição ou na proporção dos recursos minerais corrigidos monetariamente. como já foi explicado no caso da depreciação.900.com .00 DEBITAR = EXAUSTÃO (DRE) CREDITAR = EXAUSTÃO ACUMULADA (ATIVO) REAVALIAÇÃO É a nova avaliação dos itens do Ativo Permanente.00 – Valor estimado do terreno por ocasião da compra = R$ 2. dado a sua vida útil mais longa em relação aos outros itens do imobilizado. ocorre em proporção maior que a inflação. deverá convocar 3 (três) peritos de uma empresa especializada em avaliação que deverão apresentar laudo fundamentado. assim como os seus efeitos e demais considerações também aqui se aplicam.00 – Prazo estimado para esgotamento total da pedreira = 7 anos Exaustão Anual = 12. Prof.CONTABILIDADE CÁLCULO DA AMORTIZAÇÃO Amortização do Período =_Valor do Direito______ Nº períodos de Duração DEBITA CREDITA = DESPESAS COM AMORTIZAÇÃO (DRE) = AMORTIZAÇÃO ACUMULADA (ATIVO) 42 EXAUSTÃO Corresponde a perda do valor decorrente da exploração de direitos. CÁLCULO DA EXAUSTÃO A Exaustão do período é calculada de modo semelhante a amortização.00 – 2. Se for previsto algum valor residual este fato deve ser considerado. c) A razão entre o potencial conhecido da mina e o volume de produção do período. W.714.500.500. Para corrigir esta distorção haverá necessidade de uma nova avaliação (reavaliação).

d) Juros à acionistas na fase de implantação. deverá ser indicado em Notas Explicativas. nas pesquisas.00 Dessa forma adicionamos os $ 977. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.00 (-)Valor do Balanço 622.642.600. do Balanço e apresentaremos o balanço com os dados mais próximos à realidade. l) Custo Prof. nem para absorção de prejuízos.000.358. mas uma melhoria na qualidade do Balanço Patrimonial. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS f) Custo g) Salário e encargos h) Gastos Gerais i) Outros Custos j) Amortização acumulada (conta credora) GASTOS DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS E MÉTODOS Custo k) Amortização acumulada (conta credora) GASTOS DE REORGANIZAÇÃO. resultantes de novas avaliações.600.000.A evidencia que o Diferido são as aplicações de recursos em despesas que contribuíram para a formação do resultado de mais de um exercício social. porem é impossível associá-las diretamente as futuras receitas ou períodos.358.642. A reserva de reavaliação não será tributada pelo Imposto de Renda (isenta).600. Ressalte-se que a depreciação correspondente ao acréscimo atribuído ao Ativo pela reavaliação não é aceita pelo Imposto de Renda como despesa dedutível.com .358. A contrapartida ($ 977.CONTABILIDADE 43 Admitindo-se que a avaliação apresentada pelos peritos ou pela empresa especializada seja $ de 1. DIFERIDO A Lei das S.00. que estará refletindo mais eficientemente o Ativo da Empresa.00. na reorganização e na implantação de sistema. Não houve ganho com a Reavaliação.00 aos $ 622.00) com base no laudo. O Ativo Diferido consiste nos seguintes itens: GASTOS DE IMPLANTAÇÃO E PRÉ-OPERACIONAIS QUE SÃO COMPOSTOS DE: a) Gastos de organização e administração. b) Encargos financeiros. Estas despesas irão contribuir para os resultados de mais de um exercício . desde que não seja utilizada para aumento de capital. Consiste nos projetos.00 Defasagem 977. será classificada como Reserva de Reavaliação no Grupo do Patrimônio Líquido (e não como Lucro). o que vem melhorar sensivelmente este relatório para decisões e projeções. Por determinação legal. Tais despesas ao serem diferidas são entendíveis como essenciais e necessárias sem as quais não poderá ser iniciada a atividade empresarial. c) Estudos dos projetos e detalhamento. inclusive os juros pagos ou creditados aos acionistas durante ao período que anteceder o inicio das operações sociais. em virtude da nova avaliação ( $ 1. havendo necessidade de se adicionar ao valor histórico a diferença: Nova Avaliação 1.00) do aumento do valor atribuído a elemento do Ativo Imobilizado (imóveis).000. o aumento de valor de elementos do ativo. nos períodos pré-operacionais. não obstante deva ser feita para apurar um Lucro Líquido mais próximo da realidade. e muito menos para distribuição de dividendos. e) Amortização acumulada (credora).

CONTABILIDADE m) Amortização acumulada (conta credora) GASTOS DE REORGANIZAÇÃO n) Variação cambial líquida negativa o) Amortização acumulada (conta credora) 44 Antes de uma empresa entrar em funcionamento é necessário certos gastos. a partir do momento em que iniciada a operação. AMORTIZAÇÃO DO ATIVO PERMANENTE DIFERIDO A operação de transportar uma parcela para despesa ou custo é conhecida como Amortização. pois não há receitas (se não há receita não pode haver confrontação da despesa. q) Propaganda institucional para que o produto e/ou a empresa fique conhecida antes do lançamento. A Amortização das despesas ativadas no Ativo Permanente Diferido conforme determinação legal deve ser feita no prazo máximo de 10 anos e no prazo mínimo de 05 anos. r) Abertura de firma e honorários para constituição. No período pré-operacional não se apura o resultado (lucro ou prejuízo).com . tais como: p) Seleção e treinamento de funcionários. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. portanto não há resultado). Prof.

e no Passivo Exigível a Longo Prazo. os financiamentos obtidos para aquisição do Ativo Permanente. 4) Um exigível deverá ter uma contrapartida mo ativo ou nas despesas.  As obrigações em moeda estrangeira. Casos excepcionais têm Ciclo Operacional superior a um ano: estaleiros navais. encargos riscos. se tiverem vencimento em prazo maior. serão convertidas em moeda nacional à taxa de câmbio em vigor na data do balanço. com base no resultado do exercício. o Ciclo operacional das empresas é inferior a um ano. 4. Critérios de Avaliação do Passivo A Lei das Sociedades por Ações determina que. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. 3) Um exigível tem que ser passível de mensuração ou de aproximação razoável. sejam classificados no Passivo Circulante. *** O Passivo Circulante compõem-se basicamente das seguintes contas: a) Fornecedores.1 PASSIVO CIRCULANTE São as obrigações a curto prazo. c) Encargos Sociais a Recolher. FORNECEDORES Prof.  As obrigações sujeitas a correção monetária (TR) serão atualizadas até a data do balanço. com cláusula de paridade cambial. b) Salários a Pagar. reconhecidos ou calculáveis. g) Outras Obrigações.CONTABILIDADE 45 4 . se este for superior a um ano. A Lei das Sociedades por Ações define que as obrigações da companhia. Característica do Passivo Exigível: 1) Um exigível requer um dispêndio de dinheiro no futuro: 2) Um exigível é o resultado de uma transação do passado e não de uma transação futura. d) Impostos a Recolher. quando vencerem no exercício seguinte. ou conforme o ciclo operacional da empresa. grandes equipamentos. serão computados pelo valor atualizado até a data do balanço. ou seja. Como. edifícios.PASSIVO O passivo exigível divide-se em passivo circulante e passivo exigível a longo prazo. reflorestamento etc. inclusive Imposto de Renda a Pagar. e) Imposto de Renda a Recolher. normalmente.com . f) Empréstimos Bancários. *** ciclo operacional  é o período de tempo que vai desde o início da industrialização até o recebimento da venda do produto industrializado. no balanço os elementos do Passivo Exigível serão avaliados de acordo com os seguintes critérios:  As obrigações. aquelas que deverão ser liquidadas dentro do exercício social seguinte (próximo ano). a maioria das empresas adotará como exercício social este prazo.

000. uma vez que o 13º salário estará totalmente quitado. o Cofins e o Pis. Portanto. os encargos sociais serão registrados como despesas no mês que incorreu a Folha de Pagamento e. a empresa irá apurar o resultado mensal. Para as empresas que encerram suas demonstrações em 31/12 e pagam o 13º salários sem atrasos.com . Dos impostos sobre as vendas os mais comuns são o ICMS. ou mercadorias a serem destinadas a revenda (comércio). a importância destinada a constituir provisão para pagamento de remuneração correspondente a férias de seus empregados. telefone. ENCARGOS SOCIAIS A PAGAR: São as despesas decorrentes da folha de pagamento (Inss. Assim. a cada mês trabalhado o empregado adquire o direito de 1/12 de 13º salário. O imposto de renda é apurado no encerramento do exercício. o IPI. mas cujo valor ainda não está determinado. O limite do saldo de provisão será determinado com base na remuneração mensal do empregado e no número de dias de férias a que tiver direito na época do balanço. embora este seja pago normalmente no final do ano. 13º Salário etc) ainda não pagas. IMPOSTOS A RECOLHER: São os impostos onde o fato gerador já ocorreu por ocasião da venda do produto ou da prestação de serviço. Prof. em 31/10 a empresa tem provisionado na contabilidade 10/12 da folha de pagamento com 13º salário. PROVISÕES: Provisão é uma estimativa de perdas de ativos ou de obrigações reconhecidas na apuração do resultado em virtude de observância do regime de competência. Fgts. a provisão formada mensalmente na base de 1/12 da folha de pagamento.000. BAIXA NAS PROVISÕES: As provisões vão sendo baixadas à medida que seu pagamento for efetuado.00 no disponível (ativo circulante) e. embora o seu pagamento deva ocorrer posteriormente como as contas de consumo de luz. Como no grupo de Salários a Pagar. Ex. Dessa forma.CONTABILIDADE 46 São as compras a prazo de matérias-primas a serem utilizadas no processo produtivo (indústrias). Esses valores devem ser registrados no subgrupo obrigações a pagar (Passivo Circulante) e não como provisões. IMPOSTO DE RENDA A PAGAR: É a parte do lucro apurado do exercício (ano base) que será recolhido ao governo federal no ano seguinte (exercício financeiro). diminuiríamos a conta Provisão para imposto de renda (Passivo Circulante). não existirá saldo nesta conta na data do balanço. b) Provisão para 13º salário: A empresa poderá deduzir como custo ou despesa operacional . de maneira mais adequada. água. a) Provisão para férias – A empresa poderá deduzir como custo ou despesa operacional. gás. pois. se pagássemos R$ 1. pelo mesmo valor. serão registrados como uma obrigação a pagar no Passivo Circulante. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. porém ainda não foi recolhido aos cofres públicos. sendo o montante calculado identicamente aquele do preenchimento da declaração de imposto de renda = pessoa jurídica. não devem ser provisionadas obrigações cujo valor efetivo já é conhecido. diminuiríamos R$ 1. por outro lado. em cada exercício social.00 de imposto de renda por mês.

recebem usualmente. os titulares das partes beneficiárias têm participação nos lucros anuais da empresa.00 No exigível a longo prazo > Provisão p/ resgate de partes beneficiárias R$ 198. 40%.2 PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO (PELP): São as obrigações que deverão ser liquidadas após o próximo exercício social (ano). atribuídas às pessoas que muito contribuíram para o desenvolvimento da empresa. a classificação adequada será no Passivo Exigível.000. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. denominados partes beneficiárias. ou conforme o Ciclo Operacional da empresa se este for superior a um ano. c) Provisão para Resgate de Partes Beneficiárias. Os financiamentos são mais comuns para aplicações no Ativo Permanente. Provisão para Resgate de Partes Beneficiárias: Conforme a Lei das Sociedades por Ações. o máximo que poderá ser destinado às partes beneficiárias é de R$ 496.000. Empréstimos com garantias (duplicatas a receber ou estoque). Usualmente. As partes beneficiárias são. admitindo-se que não houve nenhuma outra participação neste lucro. um adiantamento por conta do bem ou serviço a ser entregue no futuro. Os juros e outros encargos financeiros a pagar poderão ser incorporados na própria conta de empréstimos. ou fornecem serviços empreiteiros em construção civil). Financiamentos: São empréstimos realizados junto às instituições financeiras (nacionais ou internacionais) que serão pagos a longo prazo. b) Debêntures. Desde que haja risco de devolução em hipóteses em que o contrato não seja cumprido. estando incluído neste percentual a participação nos lucros anuais. O resultado da venda das partes beneficiárias constituirá para a empresa uma Reserva de Capital. OUTRAS OBRIGAÇÕES: ADIANTAMENTO DE CLIENTES – As empresas que produzem bens por encomenda (normalmente equipamentos pesados. a fundadores. a terceiros como remuneração de bons serviços prestados à empresa etc. a companhia pode criar títulos negociáveis.: se a companhia tiver um lucro após o imposto de renda de R$ 4.960. O Exigível a Longo Prazo é constituído basicamente de: a) Financiamentos. normalmente. às sociedades ou fundações beneficientes dos empregados da empresa. sem valor nominal e estranhos ao capital social.000). A nossa legislação determina que a provisão de resgate das partes beneficiárias não deverá ultrapassar a 10% dos lucros. Ex. Ex. A principal fonte de recursos a Curto Prazo é o Banco Comercial.00.00 Prof. não obstante haja para o circulante (Capital de Giro).CONTABILIDADE 47 EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS: São os empréstimos realizados junto às instituições financeiras.00. constituirá uma provisão para resgate de partes beneficiárias a longo prazo. desconto de Notas Promissórias. d) Outras Obrigações a Longo Prazo.600.960. (10% x 4. teremos: No passivo circulante > Participação de partes beneficiárias R$ 297. Existem dúvidas se tais adiantamentos devem ser classificados em Resultado de Exercícios Futuros ou no Passivo Exigível.400. e que serão pagos dentro de um ano (data base: encerramento do balanço). Desta forma se a empresa delibera que 60% da participação das partes beneficiárias serão distribuídos para os titulares destes títulos e o restante.com . após a celebração do contrato com o cliente. 4.

Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.800.000. adequadamente aplicado neste caso. São dívidas de maior responsabilidade com risco de falência: fornecedores. paralelamente. dando maior flexibilidade financeira e menor risco de falência. dividendos etc. 2) Empregados e encargos sociais. a partir de 01/01/x2. juros e encargos bancários: financiamentos. se em 31/12/x1 tivermos um Financiamento que será amortizado em 60 prestações de R$ 100. Pelo Princípio da Realização da Receita não podemos reconhecer Receita antes da entrega (transferência) do produto ou mercadoria alvo de venda. 5) Exigível quirografários = os que não se enquadram nos Preferenciais: fornecedores. Os variáveis são aqueles que guardam uma certa relação com o volume de vendas: ICMS e IPI a recolher. etc. todas as parcelas contidas no Exigível a Longo Prazo que serão liquidadas no próximo exercício social deverão ser classificadas no Circulante Passivo. Na data do balanço. fornecedores. Obrigações com as quais as empresa não paga encargos financeiros são denominadas de não onerosas: salários. c) Exigíveis de coligadas e exigíveis de terceiros: As obrigações com coligadas são aquelas contraídas junto a outras empresas do grupo. 4. As obrigações com terceiros são aquelas contraídas junto as empresas que não possuem qualquer vínculo com a tomadora de empréstimo. empréstimos bancários etc. uma apuração de resultado (receita-custo) que contribuirá para a formação de resultado de futuros exercícios. São divididas de menor responsabilidade. a classificação no Passivo Exigível será: No Passivo Circulante > conta Financiamentos 12 prestações R$ 1.com . embora a receita recebida antecipadamente não contribua para o resultado do atual exercício (DRE).3 RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF) São receitas recebidas antecipadamente. b) Exigíveis fixos e exigíveis variáveis: Os fixos são aqueles que não variam com o volume de vendas da empresa: aluguéis etc. mensalmente. Serão subtraídos os custos já incorridos ou vinculados correspondentes àquelas receitas. penhor mercantil). Assim qualquer custo decorrente da Receita Antecipada deverá ser Prof.CONTABILIDADE 48 QUANDO O EXIGÍVEL A LONGO PRAZO PASSA A SER A CURTO PRAZO (CIRCULANTE).200. 4) Governo (impostos) e outros créditos. Nesta mini apuração de resultados de exercícios futuros destaca-se o Princípio da Confrontação da Despesa. que contribuirão para o Resultado de Exercícios Futuros. Entretanto. 3) Dívidas com garantias reais (hipotecas. fornecedores etc.00 O passivo Exigível poderá ser dividido em: a) Exigíveis onerosos e não onerosos Exigíveis onerosos são aqueles que estão custando à empresa. empréstimos bancários etc. dandose baixa no Exigível a Longo Prazo. há. preferenciais são as dívidas que serão liquidadas em primeiro lugar: 1) despesas com falência. d) Exigíveis preferenciais e exigíveis quirografários: Num caso de falência.000.00 No Exigível a Longo Prazo > conta Financiamentos 48 prestações R$ 4. Assim.000.00 cada.

A contabilidade registraria da seguinte forma: Capital: haverá um acréscimo de 20 milhões de ações x R$ 1. . aumentará seu capital de R$ 50 para R$ 70 milhões. . o resultado da alienação é destacado em Reserva de Capital com o título Alienação das Partes Beneficiárias. isto é.20 cada totalizando R$ 4 milhões. Porém. Dado o interesse do público pelas ações. 2) Alienação de Partes beneficiárias: São títulos negociáveis sem valor nominal. para funcionários da empresa. Todavia as partes beneficiárias poder ser alienadas (vendidas) e.4 PATRIMÔNIO LÍQUIDO O Patrimônio Líquido é a diferença entre Ativo e Passivo Exigível.Lucros ou Prejuízos Acumulados. Entende-se também que o Passivo é todo o lado direito do Balanço Patrimonial incluindo o Resultado de Exercícios Futuros e Patrimônio Líquido. com o título de Ágio na Emissão de Ações. 10. Capital Social Representa todo o investimento realizado na empresa pelos seus proprietários. A Conta Capital Social discriminará o montante subscrito e. Reservas de Capital: São aquelas que não se originam do resultado do exercício. cada ação foi colocada à venda por R$ 1. cujo valor nominal será de R$ 1.00 por ação. A fórmula mais adequada para encontrar o PL é: PL = ATIVO (-) (PASSIVO EXIGÍVEL + RESULT.20. O lado direito reflete todas as Fontes de recursos. mas: 1) Ágio na Emissão de Ações que se origina quando uma companhia aumenta o seu Capital. Exemplo: A Cia Vale Salgado. conforme deliberação de sua administração. mas também a parte do lucro e outras reservas não distribuídas e incorporadas ao Capital.CONTABILIDADE 49 confrontada com aquela Receita e não ser contabilizada na apuração de Resultado do atual Exercício (DRE). com a emissão de 20 milhões de ações.000 de títulos . que serão Prof. Exemplo: A Cia Leviana sempre emitiu Partes Beneficiárias gratuitamente. isto é. . ou com um lucro.com . emitindo novas ações. 20 milhões de ações a R$ 0. nessa situação.Reserva de Capital. foi resolvido que se cobraria um Ágio de R$ 0.Reservas de Lucros. Seus titulares terão direito a participação (previstas em estatuto) nos lucros normais. ela pode vendê-las ao público pelo seu valor nominal (ou pelo preço fixado na emissão). A este lucro ou Excedente denomina-se Ágio. Portanto as Reservas de Capital não se originam do Lucro da Companhia. Reserva de Capital: Ágio na emissão de ações. Portanto.20 por ação.000. não são apuradas pela Demonstração do Resultado do Exercício. com um excedente. o novo capital passará para R$ 70 milhões. Dessa maneira. Obs.Ações em Tesouraria. foram lançados. EXERC.Capital Social . que a companhia pode criar a qualquer tempo.00 cada totalizando R$ 20 milhões. no início do período. 4. .: O investimento não se refere somente as integralizações realizadas pelos acionistas. A Contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal (ou preço fixado na emissão para ações sem valor nominal) será considerada como uma Reserva de Capital. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. FUTUROS) Constituição do Patrimônio Líquido: De acordo com a legislação o Patrimônio Líquido é assim constituído: .Reservas de Reavaliação. por dedução a parcela ainda não realizada.

Exemplo: A Cia Brilhante faz a emissão de 50 mil novas debêntures com o valor nominal de R$ 600 cada uma. 3) Prêmio recebido na emissão de debêntures: debêntures são empréstimos solicitados ao público em geral.CONTABILIDADE 50 alienados a R$ 1. Prof. acrescido das Reservas de Capital.00. III – estabeleça o limite máximo da reserva. cobra um prêmio de R$ 50 por debênture. a participação no lucro da companhia e. A companhia poderá deixar de constituir a Reserva Legal no exercício em que o saldo desta reserva.030.00 C – Reservas de Reavaliação 3. No laudo dos peritos consta uma avaliação de R$ 4. D – imóveis 3. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. é de conhecimento da diretoria que o imóvel tem seu preço de mercado em torno de R$ 5 milhões. para cada uma: I – indique. Para tanto. pagando juros periódicos. o excedente (lucro) será evidenciado como uma Reserva de Capital com o título de Prêmio Recebido na Emissão de Debêntures.000. correção monetária etc. e concedendo amortização regulares.000.000 x R$ 50. emitirão títulos a longo prazo com garantia que denominamos de debêntures. no imobilizado. Portanto. três peritos que realizam uma nova avaliação daquele item. Exemplo: A Cia Defasada apresenta no seu Balanço Patrimonial. A debênture poderá assegurar ao seu titular. Portanto teremos a título de Reserva de Capital R$ 2. Observe que esta participação anual no Lucro Líquido aparece na Demonstração de Resultado do Exercício. de modo preciso e completo.000. II – fixe os critérios para estimar a parcela anual dos lucros líquidos que não serão destinados à sua constituição.com . a conta imóveis por R$ 1.500. exceder 30% do Capital Social. Quando o preço cobrado pelas debêntures for superior ao seu valor nominal. a possibilidade de convertê-la em ações da companhia.030.80 cada um.680. na constituição de Reserva Legal.00 ) constante no item Prêmio Recebido na Emissão de debêntures. dando aos seus titulares uma participação de 5% (cinco por cento) ao ano no Lucro.000 (50. houve reavaliação de R$ 3.000. em alguns casos.00 Reservas de Lucros: Serão classificadas como reservas de lucros as contas constituídas pela apropriação de lucros da companhia: a) Reserva Legal: Do lucro líquido do exercício 5% serão aplicados antes de qualquer outra destinação. A Reserva Legal tempo fim assegurar a integridade do Capital Social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízos ou aumentar o capital. Destinação das Reservas de Capital: As reservas de capital somente poderão ser utilizadas para: I) absorver prejuízos – II) incorporação ao capital – Reservas de Reavaliação: Serão classificadas como Reservas de Reavaliação as contrapartidas de aumentos de valor atribuídos a elementos do Ativo (permanente) em virtude de novas alienações.030. A reavaliação é a nova avaliação de itens do ativo pelo seu valor de mercado. além de juros e correção monetária. que não excederá 20% do Capital Social.000.00 que dará origem a Reserva de Reavaliação. a sua finalidade. b) Reservas Estatutária: O estatuto poderá criar reservas desde que. no grupo Participações.650. Todavia. Foram nomeados em assembléia.

do projeto de investimento. num futuro bem próximo (curto prazo) haver a realização.00). fixo ou circulante. com as razões de prudência que a recomendem. etc. Lucros Ou Prejuízos Acumulados: Após a destinação do lucro para reservas ou dividendos sempre fica um remanescente. manutenção geral. no final do exercício.) quando há perspectivas de greves de funcionários. destinaremos apenas o excesso de Lucros a Realizar. por proposta dos órgãos da administração. Reserva de Lucros Para Expansão (Reservas Orçamentárias): A assembléia geral poderá por proposta dos órgãos da administração. submetido pelos órgãos da administração com a justificação de retenção de lucros. por prazo maior. Se estivermos em dezembro de X1. salvo no caso de execução. O objetivo é evitar a distribuição de dividendos sobre esta parcela e. Assim a Reserva de Lucros para expansão será de R$ 20. c) Reservas para Contingências: A assembléia geral poderá. até mesmo. Exemplo: para execução do seu projeto a Cia. normalmente.000. evidenciaremos como Lucros a Realizar aquela parcela do lucro originada do recebimento da receita após 31/12/X2. em exercício futuro. Não significa que o lucro deva estar segregado no caixa. evitar o pagamento do Imposto de Renda. e poderá ter a duração de até 05 exercícios. Então: Reserva de Lucros a Realizar = Lucros a Realizar – (Reserva legal + Reserva Estatutária + Reserva Para Contingência + Reserva Orçamentária). Para efeito da constituição da Reserva de Lucros a Realizar. isto não ocorre porquanto. Estatutária. Exemplo: Para empresas que vendem a longo prazo. ainda permanecer (total ou parcialmente) este remanescente. em relação ao resultado obtido da soma das Reservas Legal.800. o lucro é reinvestido em novos ativos. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Acumulada fará uma reserva de 8% anuais conforme deliberação da assembléia geral. Acumulada tem no seu estatuto a fixação de uma reserva para renovação de equipamentos à base de 10% sobre o lucro líquido. Para Contingência e Orçamentária.00 (10% x 260. As Reservas para Contingências poderão ser constituídas nos casos de paralisação temporária por motivos previsíveis (reforma. ser transformado financeiramente (transformar-se em dinheiro) ou ainda existir fortes indícios de. troca de equipamento. a constituição da Reserva.com . embora não signifique que o lucro deva estar disponível. Haveria necessidade desse Lucro a Realizar. destinar parte do lucro líquido à formação de reserva com a finalidade de compensar.CONTABILIDADE 51 Exemplo: A Cia. Portanto.000. conforme a legislação. da diminuição do lucro decorrente de perda julgada provável cujo valor possa ser estimado. Sabemos que. para efeito de distribuição de dividendos.000. Outro exemplo é o aumento do valor do investimento em coligadas e controladas. Na verdade. será Prof. A proposta dos órgãos da administração deverá indicar a causa da perda prevista e justificar. Reserva de Lucros A Realizar: A constituição da Reserva de Lucros a Realizar é facultativa. deverá compreender todas as fontes de recursos e aplicações de capital.00). nem sempre o lucro apurado pela contabilidade é realizado. consideraremos como Lucros a Realizar o lucro que será realizado financeiramente após o término do exercício seguinte. por exemplo três anos. de falta de matérias-primas etc. No caso de. Esta reserva evidencia a parcela de lucro não realizada financeiramente. Portanto. deliberar reter parcela do lucro líquido do exercício prevista em orçamento de capital por ela previamente aprovado. Tal remanescente poderá ser utilizado total ou parcialmente para aumento de Capital. O orçamento. A reserva será revertida no exercício em que deixarem de assistir as razões que justificaram a sua constituição ou em que ocorrer a perda. diríamos que o caixa (ou bancos conta movimento) é passagem obrigatória para a realização financeira do lucro.00 (8% x 260. a Reserva Estatutária será de R$ 26. na realidade.

1 RESUMO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Patrimônio Líquido Capital Social Capital Autorizado (-) Capital a Subscrever Capital Subscrito (-) Capital a integralizar Capital Realizado Reservas de Capital Ágio na emissão de ações Alienação de partes beneficiárias Prêmio recebido na emissão de Debêntures Doações e Subvenções para investimentos Reservas de Reavaliação Reserva de Lucro Reserva legal Reservas estatutárias Reservas para contingências Reservas orçamentárias Reservas de lucros a realizar Lucros ou prejuízos acumulados (-) ações em tesouraria Prof.4. sendo praxe que o Capital apresente números redondos. Quando isto ocorrer deveremos destaca-las no Balanço Patrimonial como dedução da conta Patrimônio Líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição. porquanto quase sempre este saldo é fracionado. o lucro do exercício seguinte. 4. esta conta permanece constantemente aberta. E assim sucessivamente.CONTABILIDADE 52 adicionado ao novo lucro (lucro líquido). Observe que não é comum utilizar totalmente o saldo desta conta para Aumento de Capital.com . Como geralmente sempre há remanescente após a distribuição dos Lucros Acumulados. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Uma exceção seria utilizar esse remanescente para absorver eventual prejuízo. Ações em Tesouraria: Só em condições excepcionais as companhias podem adquirir suas próprias ações. ou seja.

Eliseu Scquiavon 2009 Prof.com .CONTABILIDADE 53 CONTABILIDADE & FINANÇAS Caderno de Exercícios Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.

como pode ser denominado o patrimônio? Qual o significado da palavra “bens”.CONTABILIDADE 54 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1) Responda a) O estudo da contabilidade é de interesse somente das empresas? Justifique sua resposta. materiais. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail. Bens Computador Dinheiro Máquinas e Equipamentos Impressoras Estoque de mercadorias para revenda Estoque de mercadorias para Industrialização Marcas e patentes Nome da Empresa ( Coca Cola ) Veículos Máquina de Escrever Direitos Autorais patentes de invenção Marcas Prof. do ponto de vista contábil? Como podem ser classificados os bens? Qual a diferença de bens tangíveis de bens intangíveis? Cite pelo menos cinco exemplos de direitos. intangíveis. e) Diferencie atos contábeis ou atos administrativos de fatos atos contábeis ou atos administrativos. d) Defina contabilidade. f) Para atingir seus objetivos. b) Qual a principal legislação que rege a contabilidade? c) Cite 5 objetivos da contabilidade e exemplifique o funcionamento no dia-a-dia das empresas. qual a função mais importante da contabilidade? Por que? m) Qual a diferença de instituição e empresa? n) Qual a diferença de uma pessoa física de uma pessoa jurídica? 2) Responda as questões abaixo: a) b) c) d) e) f) Do ponto vista contábil. quais são? g) Cite cinco exemplos de livros contábeis. Cite pelo menos cinco exemplos de obrigações. a contabilidade se utiliza de algumas técnicas. imateriais ou incorpóreos.com Materiais Imateriais Corpóreos Incorpóreos Tangíveis Intangíveis . j) O que é o balanço patrimonial? k) O que é a DRE? l) Na sua opinião. h) Qual a função da auditoria com técnica contábil? i) Cite três exemplos de usuários internos e três exemplos de usuários externos da contabilidade. 3) Classifique os bens abaixo em tangíveis. corpóreos.

..........500.10...............O que representa uma situação líquida......700...........400....................000.................... 8) Calculo e denomine as situações Líquidas abaixo: a) Empresa bons Negócios S/A Prof.........00 Direitos................... 6) Calcule e determine as seguintes situações líquidas: a) Bens...00 Direitos..00 e um Patrimônio Líquido de R$ 0..com ..... terá no seu Ativo o valor de R$ .......... b) b) Uma empresa que possui um Ativo total de R$ 5.....300.00 Direitos.500. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.000........... e) Cite 3 exemplos de obrigações numa empresa f) Cite 3 exemplos de obrigações g) Tomando como base as respostas das letras “d”..................... represente com essas contas um Balanço Patrimonial... bem como a disposição das suas respectivas contas ( Bens...00 Obrigações ....O que representa uma situação líquida..00 Obrigações .00..00 e um Patrimônio Líquido de R$ 2.....00..250...................00 Obrigações .......00 7) Responda: a) Uma empresa que possui um Passivo Exigível de R$ 15..000.... direitos..... terá no seu Passivo exigível o valor de R$ . “e” e “f”. obrigações ) d) Por que o lado esquerdo do gráfico é denominado de lado positivo? e) Por que o lado direito é denominado de lado negativo? 5) Responda a) Quais são as três situações líquidas possíveis? Quando ocorrem essas situações? b) O ativo é representado por quais grupos de contas? c) O passivo é representado por quais grupos de contas? d) Cite 3 exemplos de direitos numa empresa........250.CONTABILIDADE Direitos autorais Edifícios Móveis e utensílios 55 4) Responda: a) Qual a diferença do aspecto qualitativo do aspecto quantitativo? b) Qual é a representação gráfica do Patrimônio? c) Demonstre graficamente a representação gráfica do patrimônio................00 b) Bens....250...00 c) Bens.....

00 R$ 150. 14) Responda a) Como divide-se o Passivo Exigível? b) Quais obrigações devem ser lançadas no Passivo Circulante? c) O que é ciclo operacional? d) Qual a ordem para lançamento das contas do passivo? Prof.00 9) Responda a) Qual a ordem para lançamento das contas do Ativo? b) O que é grau de liquidez? c) Quais valores devem ser classificados no Ativo Circulante? d) Por que o ativo circulante recebe essa denominação? e) Qual a origem das duplicatas a receber? f) O que são duplicatas descontadas? g) Qual a origem dos valores lançados como “outros créditos”? Cite 3 exemplos.00 R$ 80.00 R$ 100.00 R$ 300.00 R$ 80.00 c) Empresa Dá No que Deu S/A.CONTABILIDADE Caixa Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Estoque de Mercadorias Impostos a Pagar Móveis Promissórias a Receber Salários a Pagar R$ 100. i) Qual a diferença básica da conta investimento da conta imobilizado? j) Quais são os sub grupos do Ativo Permanente? k) Cite pelo menos cinco exemplos de ativo imobilizado numa empresa comercial.00 R$ 120.00 56 b) Empresa Nem Tanto bons Negócios S/A. l) Cite pelo menos três exemplos de investimentos de uma empresa comercial. Caixa Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Estoque de Mercadorias Impostos a Pagar Móveis Promissórias a Receber Salários a Pagar R$ 120.00 R$ 70.00 R$ 120.00 R$ 150.00 R$ 100.00 R$ 50.00 R$ 150.00 R$ 50. m) Quais são os tipos de gastos que devem ser lançados na conta diferido? n) Investimento em caderneta de poupança. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.00 R$ 150. h) Diferencie curto de longo prazo dentro da contabilidade.00 R$ 20.00 R$ 280.00 R$ 10.00 R$ 80.com .00 R$ 70.00 R$ 40.00 R$ 30. Caixa Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Estoque de Mercadorias Impostos a Pagar Móveis Promissórias a Receber Salários a Pagar R$ 50. é uma conta do grupo investimento do Ativo Permanente? Justifique.

g) O que é um Passivo Exigível a Longo Prazo? h) O que é o Patrimônio Líquido? i) Como é constituído o Patrimônio Líquido? Prof. Eliseu Scquiavon – e-mail: scquiavon@hotmail.CONTABILIDADE 57 e) Cite cinco exemplos de contas a serem lançadas no Passivo Circulante. Explique seu surgimento.com . f) O que são as provisões? Cite dois exemplos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->