P. 1
_no_mundo_da_lua_resumo

_no_mundo_da_lua_resumo

|Views: 102|Likes:
Publicado porstella0108

More info:

Published by: stella0108 on Mar 04, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/12/2014

pdf

text

original

Resumo do livro: No mundo da lua. INTRODUÇÃO De que trata este livro?

É comum dizer que eles “vivem no mundo da lua”, isto é, estão sempre pensando em outa coisa (ou em um monte de outras coisas...) quando se conversa com eles, quando estão estudando ou lendo, quando estão trabalhando, enfim, em uma grande variedade de situações. São pessoas que detestam coisas monótonas e repetitivas, vivem trocando de interesses e planos e têm dificuldades em levar coisas até o fim. Podem ter problemas na sua vida acadêmica, bem como nas suas vidas: profissional, social e familiar. Apesar de esses sintomas serem muito freqüentes e causarem vários problemas na vida do indivíduo, podem ficar muito tempo – ou até mesmo a vida inteira – sem serem considerados como expressão de um verdadeiro transtorno, que não é diagnosticado nem tratado de modo correto. Em cerca de 70% dos casos, tanto infantis ou de adolescentes, quanto de adultos, existem outros problemas associados, especialmente ansiedade, depressão e abuso de drogas ou álcool. Este problema se chama Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade/Impulsividade (abreviado como TDAH, em português, ou ADHD, em inglês). Mas todo mundo é um tanto agitado e desatento... Exatamente! Existem dois tipos de diagnósticos em Medicina: categorias/categoriais ou dimensionais. Por exemplo, no caso de algumas doenças, como o câncer e a hepatite, ou você está no grupo, quero dizer, na categoria dos que “têm”, ou no dos que “não tem”. Neste caso, falamos em diagnóstico por categoria ou categoriais. No segundo tipo de diagnóstico temos como exemplo: hipertensão arterial (pressão alta), diabetes, obesidade etc. Todo mundo tem pressão arterial, todo mundo tem açúcar no sangue, o corpo de todo mundo tem peso, ou seja: não se trata de “ter” ou “não ter”. Neste caso, falamos de diagnósticos dimensionais (de dimensão). O diagnóstico de TDAH é dimensional, pois todo mundo tem alguns sintomas de desatenção e inquietude. O que determina se existe ou não um problema é o “quanto” você tem daqueles sintomas. Não existe o grupo dos “completamentes atentos” e dos “completamentes desatentos”. Algumas pessoas têm níveis de açúcar que a maioria da população não tem, e isto acarreta inúmeros problemas em suas vidas. Chamamos a isto de diabetes. Ocorre o mesmo com o TDAH. Tudo bem, mas e daí? Precisa tratar? A seguir, uma lista de problemas demonstrados em estudos científicos que acontecem com maior freqüência em portadores de TDAH, quando são comparados a outras pessoas da mesma idade e classe social, porém sem o transtorno: Crianças e adolescentes: ● Maior freqüência de acidentes ● Mais problemas de aprendizado escolar ● Maior freqüência de reprovações ● Maior freqüência de expulsões ● Maior freqüência de abandono escolar ● Maior incidência de abuso de álcool e drogas ao final da adolescência ● Maior incidência de depressão ● Maior incidência de ansiedade Adultos: ● Maior incidência de desemprego ● Maior incidência de divórcio ● Menos anos de escolaridade ● Maior freqüência de acidentes ● Maior incidência de abuso de álcool e drogas ● Maior incidência de depressão ● Maior incidência de ansiedade

O TDAH pode ser um problema para toda a vida. o garoto que responde a pergunta sem ler até o final porque é impulsivo e o marido que decide as coisas sem consultar a esposa. 3) Parecer estar prestando atenção em outras coisas numa conversa. tem filhos e trabalha. tornando os diagnósticos mais padronizados. a aluna que não pára sentada um minuto sequer e a profissional que vive arranjando coisas para fazer e se movimenta o tempo todo.). indivíduos portadores de TDAH têm muitas outras habilidades e uma capacidade intelectual que permite “driblar” o TDAH em várias situações. não adianta imaginar diferentes projetos se não se consegue administrá-los de modo correto ao longo do tempo. porque sua inteligência minimiza o impacto do transtorno. Podem ser agradáveis no convívio social e serem considerados capazes em sua profissão. Pode ser bem-sucedido. 4) Dificuldades para se manter em atividades de lazer (jogos ou brincadeiras) em silêncio. ● hiperatividade e impulsividade. Foi justamente por se acreditar que se tratava de um problema exclusivamente infantil que muitos adultos hoje não receberam o diagnóstico nem o tratamento adequados. 5) Dificuldade de se organizar para fazer algo ou planejar com antecedência. Só que são poucos os felizardos que têm inteligência superior. mesa de jantar. O aluno que não presta atenção ao que a professora diz e o marido que parece não escutar o que a mulher está contando. um manual preparado pela Associação Psiquiátrica Americana que lista todos os sintomas de todas as enfermidades psiquiátricas existentes. De modo geral. 9) Esquecer coisas que deveria fazer no dia-a-dia. Módulo B: Sintomas de hiperatividade e impulsividade (devem ocorrer frequentemente) 1) Ficar mexendo as mãos e pés quando sentado ou se mexer muito na cadeira. Pessoas que são portadoras de TDAH têm muitas coisas em comum. Todo portador de TDAH é igual? Claro que não.Nunca ouvi falar que TDAH desse tanto problema! Você já ouviu. Módulo A: Sintomas de desatenção (devem ocorrer frequentemente) 1) Prestar pouca atenção a detalhes e cometer erros por fala de atenção. 2) Dificuldade de se concentrar (tanto nas tarefas escolares quanto em jogos e brincadeiras). 4º edição). 2) Dificuldade de permanecer sentado em situações em que isso é esperado (sala de aula. é sempre necessário que existam conseqüências ruins para o indivíduo. etc. porém sem nunca associar a um histórico anterior de TDAH. 4) Dificuldade em seguir as instruções até o fim ou deixar tarefas e deveres sem terminar. mais homogêneos entre os profissionais. Os sintomas listados são aqueles descritos no DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual. muitas diferenças podem existir. O TDAH pode ter um impacto muito ruim na vida de algumas pessoas e um pouco menor na vida de outras. 7) Perder objetos necessários para realizar as tarefas ou atividades do dia-a-dia. mas não são necessariamente iguais no seu comportamento. Mesmo que o nível de açúcar no sangue seja exatamente o mesmo em dois diabéticos. 5) Parecer ser “elétrico” e a “mil por hora”. causando dificuldades tanto para o garoto que vai à escola quanto para o adulto que é casado. em situações nas quais isto é inapropriado (em adolescentes e adultos pode se restringir a um sentir-se inquieto por dentro). 6) Falar demais. 3) Correr ou escalar coisas. mas não em todas elas. Mas invariavelmente têm problemas por conta dos seus sintomas de TDAH em outras áreas de sua vida. apesar dos sintomas. Cada caso é um caso. Mas para que exista o diagnóstico. . 6) Relutância ou antipatia em relação a tarefas que exijam esforço mental por muito tempo (tais como estudo ou leitura). se todas as coisas não são levadas até o final. crônico na maioria dos casos (mais de 60%). Vários portadores de TDAH são pessoas com sucesso social e profissional. É comum que pais e professores se queixem de que estas crianças parecem “sonhar acordadas”. 8) Distrair-se com muita facilidade com coisas à sua volta ou mesmo com os próprios pensamentos. por exemplo. De nada adianta ser criativo. O TDAH se caracteriza por uma combinação de dois grupos de sintomas: ● desatenção.

9) Interromper os outros ou se meter nas conversas alheias. casa e escola) Se os sintomas parecem ocorrer apenas num contexto (por exemplo. Algumas vezes. quando existem mais sintomas do Módulo B. apenas um profissional especializado poderá dizer se os sintomas não são mais bem atribuídos a um outro problema. Quando a gente chama. Esta é a forma mais comum na população em geral. quando existem muitos sintomas do Módulo A e também do Módulo B. é do tipo que enrola. cujos sintomas são muito parecidos) 5) Aqui. Não completa o que está falando. No caso da forma predominantemente hiperativa. Não atende prontamente o que os outros estão falando. ● Forma combinada. ● Forma predominantemente hiperativa/impulsiva. nesse ambiente. é preciso apresentar pelo menos seis sintomas de cada um dos dois módulos. provavelmente porque causa mais problemas para o próprio portador e para os demais. na profissão. Interrompe o que os outros estão falando. ou seja. é necessário apresentar pelo menos seis dos nove sintomas daquele módulo. entretanto. é necessário apresentar pelo menos seis dos nove sintomas daquele módulo. Vamos ver o seguinte caso. Esquece facilmente as coisas do dia-a-dia. como acorda muito cedo. 3) Que esses sintomas atrapalhem claramente a vida do indivíduo. em filas etc. Na forma combinada. um depoimento fornecido à Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA): Dorme muito tarde e. . alguma inquietude em determinadas circunstâncias não caracterizam um transtorno médico que mereça ser tratado. em casa. Caberá ao médico ou ao psicólogo investigar se este é o caso. desatenção sem maiores conseqüências. sem que exista necessariamente TDAH. está no “mundo da lua”. É confuso no falar. quando existem mais sintomas do Módulo A. na escola) é preciso investigar se existe realmente TDAH ou se há problemas de relacionamento. os pais tendem a minimizar os problemas e achar que a escola “está de implicância” com seu filho. mesmo as coisas mais simples. algum grau de desatenção. Sempre existirá. Repare que o termo “predominantemente” indica que existem também sintomas de desatenção na forma hiperativa e sintomas de hiperatividade na forma desatenta. seja na escola. ansiedade ou depressão. 2) Que causem problemas em pelo menos dois contextos diferentes (por exemplo. seja no relacionamento com os demais Esquecimentos eventuais.). porém não são os mais importantes. Para se dizer que alguém tem a forma predominantemente desatenta. 8) Não conseguir aguardar a sua vez (nos jogos. está sempre sonolento.7) Responder perguntas antes de elas serem concluídas. é verdade. Existem 3 tipos de TDAH: ● Forma predominantemente desatenta. graus elevados de exigência etc. hiperatividade e impulsividade em todo portador de TDAH. 4) Que eles não sejam explicados por um outro problema (por exemplo. É comum responder à pergunta sem ler até o final. Esta é a forma mais rara. o que leva os pais a procurarem ajuda para o filho. na sala de aula. Esta é a forma mais comum nos consultórios e ambulatórios. É obrigatório ainda para concluir o diagnóstico: 1) Que eles estejam presentes desde cedo (antes dos 7 a 12 anos) Sintomas de TDAH que surgem tardiamente podem ser expressão de um outro problema (principalmente ansiedade e depressão).

E vivem apagando e rasurando o que escrevem. Quais os problemas emocionais que podem aparecer com o TDAH? Atualmente. d) Intolerância e evitação de situações monótonas ou repetitivas. Elas cometem muitos erros por desatenção: erram por “bobagens” nas contas de matemática (sinais. Existem casos em que a distração e o esquecimento associado a ele são inacreditáveis. lendo partes pequenas ou intercalando a leitura com outras coisas. Muitas crianças apresentam sintomas físicos (“somatização”). Na forma desatenta. Não está muito claro o porquê disso. Os portadores de TDAH. b) adiamento crônico das coisas. porque a desatenção não é tão importante e. É muito importante não “deixar passar” este diagnóstico em quem tem TDAH. ele apenas tem um menor rendimento que o dos demais. como dores de cabeça ou de barriga. assim. Crianças deprimidas tendem a ficar mais irritadas. entre outras coisas. quando estudou com a mãe. Entre os problemas mais comuns estão a depressão e ansiedade. com queda acentuada do rendimento escolar. entre outras coisas). não prestam atenção a detalhes. g) Dificuldades de planejar e manter-se no plano ao longo do tempo. uma capacidade muito desenvolvida de perceber a si mesmos: podem ter uma impressão que não condiz com a realidade. e no dia seguinte esquecer ou errar exatamente aquilo. voltar páginas atrás para reler o que acabou de ler. h) Dificuldade para ativar-se sozinho para fazer as coisas (principalmente as rotineiras ou “chatas”). Além disso. É comum que adolescentes e adultos com TDAH tenha uma impressão ruim acerca de si próprios. Nos adultos. apenas quando o conteúdo se torna maior e mais complexo é que a desatenção se torna mais evidente. Quem tem TDAH geralmente se esquece de coisas do dia-a-dia (agenda. Um exemplo comum é não ler o enunciado das perguntas de modo adequado. entretanto. Uma queixa comum – e que parece enlouquecer as mães – é o fato de a criança ou o adolescente demonstrar saber a matéria na véspera da prova. adultos com TDAH não têm. também existe impulsividade. Aliás. respondendo outra coisa diferente. em geral. f) Variações freqüentes de humor. A desatenção faz que o portador do TDAH tenha que ler mais de uma vez a mesma coisa. em geral. c) Mudança de interesse o tempo todo. Além disso. Se a prova for de múltipla escolha e as opções forem muito parecidas (diferindo apenas num ou noutro detalhe). recados dos professores e datas de provas. erram acentuação ou pontuação. atribuindo tudo ao . sem perceber o que realmente o professor está pedindo. Também a impulsividade pode atrapalhar nas provas. sabe-se que é muito comum a existência de problemas emocionais em conjunto com TDAH. são muito comuns: a) Baixa auto-estima. e) Busca freqüente por coisas estimulantes ou simplesmente diferentes.A partir de que idade os pais podem perceber os sintomas do TDAH? Desde a pré-escola. principalmente antes de provas ou testes escolares. No início as coisas são muito empolgantes e interessantes e logo se tornam “chatas”. o que pode atrapalhar bastante seu desempenho nas provas. As crianças com TDAH parecem sonhar acordadas (os professores podem perceber isso antes dos pais) e muitas vezes são mais lentas na cópia do quadro negro e na execução dos deveres (porque “voam” o tempo todo). quando o aluno não “lê até o final” e já parte para responder à pergunta. a desatenção irá prejudicar ainda mais. Conheci muitos pacientes com TDAH que me afirmaram que nunca – simplesmente nunca – terminaram um livro. Existem outros sintomas do TDAH? Sim. existe para eles a impressão (correta) de que nunca conseguiram desenvolver todo o potencial que possuem. o aluno não “perturba” tanto na sala de aula. estojo. Algumas pessoas tentam driblar esse problema. o próprio TDAH é classificado como um transtorno psiquiátrico e não como um transtorno neurológico. é comum que o diagnóstico seja feito mais tarde. A desatenção impede que continuem por um tempo maior acompanhando o texto. existem sintomas que não estão listados nos critérios tradicionais para se fazer o diagnóstico e. vírgulas). Além do fato de adultos com TDAH terem frequentemente depressão (o que poderia justificar a baixa auto-estima) .

“dando um jeitinho aqui e outro ali” e passe de ano.transtorno. é importante informar-se sobre isso antes!). o desempenho melhora (Atenção mães: em nada adianta pura e simplesmente “cobrar” mais empenho de um portador de TDAH. Quais os problemas de aprendizado escolar que o TDAH acarreta? É mais comum que os portadores do TDAH tenham problemas de comportamento do que de notas. A dislexia. acredito que vocês já saibam disso. sensação de fracasso e instabilidade nas relações com os demais colegas são as queixas mais freqüentes. Apenas um lembrete de que seu filho tem um transtorno que dificulta que ele se empenhe tanto quanto os demais. Na maioria dos casos há necessidade de medicação. Quando ele consegue dedicar-se mais. Quando estão envolvidos em relações afetivas mais estáveis. o que nem sempre ocorre) e consiste num tratamento mais aprofundado e longo do que . mas que não têm TDAH. Quanto mais precoces o diagnóstico e o tratamento. O mau rendimento escolar e as dificuldades nos relacionamentos contribuem muito para a sensação de mal-estar. fazem várias coisas ao mesmo tempo ou são workaholics (trabalham excessivamente). As crianças e os adolescentes com TDAH tendem a ser mais rejeitados pelos colegas. como também da mudança constante de humor e dos planos. A mudança incessante de canais de televisão ou estações de rádio e a dificuldade de compartilhar os problemas dos amigos (ouvir histórias longas e detalhadas. O adiamento até o último momento e a evitação do dever de casa são geralmente motivos de brigas. Bem. professores. que pode ser administrada por um psiquiatra. entretanto. comprometendo de forma mais global tanto a comunicação verbal quanto a leitura e escrita. neurologista ou pediatra (mas nem sempre esses profissionais conhecem e sabem tratar especificamente o TDAH. TDAH acarreta problemas emocionais? Sim. é comum o cônjugue queixar-se da falta de atenção e de companheirismo. adiamento de decisões o tempo todo. espernear e brigar adiantasse você não estaria lendo este livro. Comumente são descritos como “fogo de palha” por demonstrarem interesses passageiros em várias atividades. A maioria dos adultos portadores do TDAH apresenta queixas de memória. A maioria dos portadores de TDAH não apresentam Transtornos do Aprendizado. Na vida adulta. Se cobrar. por vezes muito diferentes. Adultos não têm hiperatividade como as crianças: são inquietos. acadêmico e social. Por isso. A psicoterapia.) Problemas com a linguagem. Quando a inteligência é normal e não existem problemas de leitura (veja adiante). a discalculia e a disortografia são chamadas de Transtornos de Aprendizado. Frequentemente. As crianças portadoras de TDAH apresentam mais problemas psicológicos que as crianças que possuem apenas dificuldades escolares (por outras razões). é importante que pais. é comum que o aluno com TDAH “vá empurrando com a barriga”. Como podem ser evitadas ou diminuídas as conseqüências negativas do TDAH? Como foi mencionado anteriormente. fonoaudiólogos. gritar. Apresentam problemas emocionais significativos. deve-se fazer um exame especializado. oscilações grandes de humor. quando necessária. se existe suspeita de dificuldades adicionais. mas são mais raros. tirar notas satisfatórias e passar de ano. falta de motivação e mudanças constantes nos interesses pessoais e profissionais. Baixa auto-estima. mais facilmente evitamos as conseqüências negativas.. por vezes interessantes apenas para quem as conta) são a expressão da dificuldade de manter-se numa mesma coisa por muito tempo. os professores parecem se surpreender com o fato de um aluno “tão desinteressado”.. também podem ocorrer (Transtornos da Comunicação ou Disfasia). psicólogos e médicos sejam capazes de identificar os sintomas. No caso de adultos. é feita pelo psicólogo ou psiquiatra (desde que ele tenha tido formação específica para tal. É comum a queixa de desorganização e de falta de planejamento na execução das coisas em geral. portadores de TDAH apresentam vários problemas no cotidiano. o TDAH é um transtorno muito comum e também muito prejudicial ao desenvolvimento emocional. pode ser necessário também orientar o cônjugue. De um modo geral. tais como dificuldades para iniciar tarefas do dia-a-dia. Crianças e adolescentes com TDAH cometem muitos erros por desatenção (erram “bobagens”) e acabam nunca estudando o suficiente porque não conseguem ficar sentados com um livro muito tempo. o desempenho acadêmico de um portador de TDAH está abaixo dos demais na mesma turma. pedagogos.

que permitem a comunicação entre as células nervosas. É improvável. Em torno de 90% do TDAH é devido à genética. veja o exemplo do tipo (grupo) sanguíneo: algumas pessoas têm o gene que determina o tipo A. que uma pessoa que não tenha nenhuma predisposição genética venha a desenvolver o TDAH apenas por conta de fatores psicológicos. Não se sabe ainda se fatores ambientais de natureza psicológica aumentariam a chance de uma pessoa que herdou a predisposição genética ao TDAH efetivamente desenvolver o transtorno. outras. uns mais e outros menos. não se trata de “ter ou não ter TDAH”. aspartame. outros têm menos. existem pelo menos 7 genes que parecem envolvidos no TDAH. Esses genes estão relacionados à produção de dopamina e noradrenalina. Agora.. Os únicos fatores não genéticos envolvidos no aparecimento do TDAH são: problemas durante o parto. Mais de uma vez ouvi uma mãe constrangida dizer que o pai era “contra esta história de psicólogo e psiquiatra”. desnutrição e fumo durante a gravidez. aqueles que têm muito mais sintomas que o restante da população são os portadores de TDAH (do mesmo modo que as pessoas que têm muito mais açúcar no sangue que os demais têm diabetes).a simples orientação que normalmente é dada aos pais. por razões óbvias. que o que faltava ao filho era “uma boa surra”. algumas pessoas têm alguns deles. dão origem ao transtorno. .. Nem toda criança necessita de psicoterapia. por outro lado. alguns têm muito mais. Já existiram outras teorias. Para entender melhor. substâncias existentes no sistema nervoso. excesso de açúcar na alimentação. Já vimos casos em que o pais – profissional bem-sucedido e com boa escolaridade – simplesmente achava “tudo isso uma bobagem” e dizia. mas também porque permite ensinar técnicas que auxiliam no manejo dos sintomas e na prevenção de problemas futuros. A orientação aos pais vai facilitar o convívio familiar. Existem também as variáveis relacionadas ao contexto familiar. mas existe frequentemente a interação com o ambiente para a determinação “final” do que conhecemos como o transtorno. Uma das primeiras (e mais importantes) orientações que damos aos pais é evitar passar o tempo todo castigando. imagine o que é educar uma criança quase sempre repreendendo e castigando e quase nunca elogiando ou premiando. todo mundo tem em algum grau aqueles 18 sintomas que caracterizam o transtorno. deficiências de vitaminas e problemas na tireóide. porque vários genes em conjunto. luz fluorescente. não só porque ajuda a entender o comportamento do portador do TDAH. A herança genética não é o único fator determinante para o aparecimento do TDAH. Portanto. Isso geralmente ocasiona sérios problemas futuros. o que é muitíssimo em medicina. mas em inúmeros casos também não há registro de nenhum deles quando se entrevistam os pais. É o somatório que vai determinar a predisposição genética. Isto acontece porque os genes envolvidos no TDAH estão distribuídos deste mesmo modo na população em geral: alguns têm mais desses genes. somados. outras têm os genes para A e B ao mesmo tempo (tipo AB) e outras ainda não têm nenhum desses dois genes (tipo O). Alguns pesquisadores acreditam que à predisposição herdada dos pais podem se somar a outros fatores externos. mas todo e qualquer caso de TDAH na infância exige sempre alguma orientação. outras têm muitos ou todos eles e outra ainda não têm nenhum deles. mas que foram abandonadas porque se revelaram falsas em estudos científicos: aditivos alimentares (corantes amarelos e conservantes). Quais as causas do TDAH? Não existe um único “gene do TDAH”: o transtorno é chamado de poligênico (poli=muitos). sem o menor constrangimento. Então é genético e ponto final? TDAH é fortemente influenciado pelos genes herdados. Um exemplo bem simples e muito comum: crianças com TDAH têm maiores chances. de serem repreendidas e de receberem castigos do que de serem elogiadas e receberem prêmios. Do mesmo modo. o tipo B.

pois a falta de resultados é interpretado como resistência do paciente à melhora. h) capacidade de controlar impulsos. mas permitem identificar outros problemas associados ao TDAH (no caso. e suas conexões para vários outros locais no cérebro. sem “perder o gás” (sem perder a energia e o interesse). c) capacidade de manter essa estimulação ao longo do tempo. Outros portadores não têm tantos problemas com as funções executivas. o diagnóstico é feito por meio de uma entrevista clínica com um especialista. A casos de pessoas que passaram muitos anos submetendo-se à psicanálise. b) capacidade de se estimular sozinho para fazer as coisas. O lobo frontal e suas conexões são responsáveis pela: a) capacidade de manter a atenção. só fez o paciente se sentir cada vez pior. que realizam muitas das coisas listadas anteriormente. problemas de aprendizado e/ou de linguagem). Pronto. como veremos adiante. sejam elas externas (ambiente). não é um conflito inconsciente de medo do sucesso nem é um problema de personalidade. sejam internas (pensamentos).Existem exames para o diagnóstico de TDAH? Não. os chamados neurotransmissores. Até o momento. como também. Adultos com TDAH também apresentam mais problemas de comportamento e transtornos psiquiátricos que aqueles que não têm o transtorno. f) capacidade de “filtrar” as coisas que não interessam para aquilo que se está fazendo no momento. à cura. a culpa era do paciente e tudo dependia dele mesmo. não trouxe nenhuma melhora. j) memória que depende da atenção. i) capacidade de controlar as emoções e não permitir que elas interfiram muito no que se está fazendo. utilizando-se critérios definidos. ter sucesso'. que também são chamadas de funções executivas. Alguns portadores de TDAH têm comprometimento mais acentuado dessas funções. Ou seja. No caso do TDAH. em alusão aos executivos de uma empresa. Imagine agora que o funcionamento do lobo frontal não está 100% por conta de um déficit na utilização dos neurotransmissores naquele local e que todas essas coisas listadas anteriormente não vão acontecer de modo satisfatório. o que diminui o impacto do TDAH na vida cotidiana. o exame de potenciais evocados e a ressonância nuclear magnética com espectroscopia não fazem o diagnóstico e também não são necessários para que ele seja feito. O PAC (processamento auditivo central) e o exame neuropsicológico também não fazem o diagnóstico. os atos motores. você já conhece em profundidade muitos dos sintomas do TDAH. O que acontece com quem tem TDAH? Os portadores de TDAH têm uma alteração nas substâncias que passam as informações entre as células nervosas. E os problemas familiares? O TDAH é causado por eles? Esses problemas são conseqüências do TDAH e não sua causa. na qual a tônica sempre era o fato de que 'o indivíduo se boicotava' e 'não queria inconscientemente melhorar. . A psicanálise. É um transtorno com forte influência genética em que existem alterações no sistema nervoso. e) capacidade de verificar ao longo do tempo se os planos estão saindo conforme o desejado e modificálos se for o caso. De uma vez por todas: o TDAH. d) capacidade de fazer um planejamento. É claro que uma criança ou adolescente com TDAH numa família com muitos conflitos terá um prognóstico geralmente pior. é o controle de liberação da dopamina e da noradrenalina que está alterado. g) capacidade de controlar a movimentação corporal. Li que problemas emocionais podem causar TDAH. o lobo frontal. O eletroencefalograma (EEG). estabelecendo objetivos. Esses neurotransmissores são importantes especialmente na região anterior do cérebro. obviamente.

Uma delas é de que essas pessoas têm uma enorme dificuldade em aceitar a existência de doenças. os sintomas são os mesmos em diferentes culturas. sejam elas quais forem. também é considerado um transtorno mental. a prevalência (taxa) de TDAH na população é exatamente a mesma. algumas pessoas têm dificuldade em aceitar que existe um “problema químico” ou “biológico” no seu sistema nervoso central. Além disso.. e as áreas do cérebro responsáveis pelo comportamento. linguagem ou memória. O TDAH não é meramente um comportamento mais exuberante? Não sei bem ao certo por que algumas pessoas insistem neste ponto.) um comportamento significativo. sem sombra de dúvida. mesmo assim. apesar disso. TDAH é considerado claramente um transtorno mental. E que tal os sintomas serem os mesmos há mais de um século. do Japão. Mas isso não é o mesmo que sofrer de TDAH! Uma coisa é ser mal educado. hipertensão etc. afinal? Procure dados sobre o especialista. Quanto mais em crianças! Aliás. câncer. Alzheimer ou Parkinson.O TDAH não pode pura e simplesmente ser secundário ao modo como as crianças são educadas pelos pais? A educação dada pelos pais ou por aqueles que criaram a criança. é extremamente confiável. Não. sempre tive uma curiosidade: como é possível alguém admitir existirem inúmeras doenças “orgânicas” no corpo (diabetes. algumas pessoas têm dificuldade em compreender que a depressão (cujos sintomas são parecidos com aquilo que pessoas normalmente apresentam) representa uma doença que precisa ser tratada. da China. mas algumas pessoas têm muito... e. como quantos artigos científicos ele já escreveu? Quais pesquisas científicas. nos casos de “derrames”. algo pelo menos duas vezes mais comum que o TDAH. quando feito de forma correta e obedecendo a critérios bem objetivos (como os que foram apresentados anteriormente). apesar de mudarem os nomes e as teorias sobre o que causa o transtorno. do mesmo modo que depressão. não é? Com bilhões de circuitos que utilizam milhares de neurotransmissores diferentes. Ou risco significativamente aumentado de sofrimento. por exemplos. a atenção. Doenças do sistema nervoso então. Bem. curiosamente. os sintomas descritos naquela época eram praticamente os mesmos. definitivamente o TDAH não é secundário ao modo pelo qual as crianças são criadas. o controle de impulsos. Veja a definição atual da Organização Mundial da Saúde de “Transtorno Mental”: (. alcoolismo etc.. Lembre-se do que foi dito sobre os diagnósticos dimensionais: todo mundo tem um pouco desses sintomas. uma síndrome ou padrão psicológico de um indivíduo que se associe a estresse atual. Essas pessoas têm geralmente dificuldade para crer que problemas não tão graves também possam ser considerados transtornos mentais. não saber comportar-se em determinadas situações. tem papel crucial na forma como ela se comporta. mas..... apesar de terem existido tantas mudanças na forma de criar os filhos. apesar de desinformadas) acreditam que somente quadros muito graves e incapacitantes podem ser considerados “transtornos mentais”. como foi mostrado em estudos com crianças do Brasil. na fossa.) porém nenhuma delas acima do pescoço? Só temos doenças psicológicas do pescoço para cima! Algumas pessoas admitem que existem problemas “orgânicos” na cabeça. da Austrália e Nova Zelândia e também da Índia. muito mais e sofrem por conta disso. São culturas diferentes. Depressão. nunca têm problemas “orgânicos”? Estranho. ansiedade. . O quadro descrito é o mesmo desde o início do século 19 (por incrível que pareça!). hepatite. Mas em quem eu devo acreditar. ou de luto são coisas comuns a todos nós. Como estar triste. no sistema educacional e na vida em geral? E. asma.. outra bem diferente é ter um transtorno bem específico. nunca nada falha nessas regiões também? Francamente. apenas nas áreas responsáveis pela força ou coordenação motora. nem pensar. de vários países da Europa. Como existe muito preconceito e estigma sobre transtornos mentais na sociedade. já participou? Consulte os banco de dados de pesquisa científica (como PubMed e o Sciello) disponíveis na internet. Ou incapacidade. Tenho várias hipóteses a esse respeito. Algumas pessoas (acredito que bem-intencionadas.. Portanto. o diagnóstico do TDAH.

no fundo. a coisa melhora. A importância da psicoterapia não diminui pela existência de causas não psicológicas. pode apostar! Não adianta nada trabalhar em equipe se cada um tem uma idéia completamente diferente acerca das causas do problema (o que significa que terão idéias diferentes também acerca do tratamento). Os óculos são apenas um instrumento que permite ao indivíduo aproveitar sua visão da melhor forma possível. existem profissionais (não médicos. Essas pessoas. Mesmo quando toda a neurociência evoluiu a ponto de já poder identificar áreas cerebrais que não estão funcionando corretamente e fotografar essas alterações (!) Apesar das evidências e os resultados das pesquisas. não havendo necessidade de se empregar medicamentos. Também não é a gravidade do problema que determina qual o tratamento mais recomendado ou eficaz: a anorexia nervosa. necessitar do uso de medicamentos e. ele torna o indivíduo capaz de enxergar normalmente.Tratar o TDAH não seria uma forma de controle? Algumas pessoas têm uma idéia surpreendentemente terrível acerca que seja tratar o TDAH. “emocionais”. aliás. querem saber por quanto tempo seu filho irá tomar a medicação (o que equivale a dizer: “Tudo bem. portanto. é mais bem tratada com psicoterapia do que com medicamentos. a doença com índice de mortalidade elevadíssimo. hiperatividade e impulsividade) são a própria doença. mas não resolve a infecção que está causando a febre”. quando não tínhamos os sofisticados aparelhos de investigação científica que temos hoje em dia. Mas este é outro problema. Os sintomas clínicos do TDAH (desatenção. Quando se enxerga mal. Muitos têm a idéia de que o medicamento irá transformar a mente de seus filhos e de que eles ficarão “dopados” ou virarão “zumbis”. vamos dar este medicamento para o nosso filho. O que o indivíduo vai decidir ler ou observar fica por cona dele mesmo. como sugeriram alguns autores. Não podemos também culpar os estudiosos de um século atrás. Quando o oftalmologista prescreve os óculos. É provável que muitos pais sintam-se de certo modo responsáveis pelo comportamento do filho e. tenham certa vergonha de ter de tratá-lo por algo que. Cabe ressaltar que. Uma afirmação pode fazer sentido e. Quando se explica que o TDAH não é causado pelos pais. a maioria das hipóteses recaía sobre causas psicológicas. ainda assim. consideram ter sido culpa sua. O medicamento deve ser encarado exatamente com um par de óculos. em especial. OK?”). é difícil ler e estudar. Para os psicólogos. disponíveis a todos que queiram se atualizar e freqüentar congressos. além de uma série de outras atividades. desinformadas. Os medicamentos usados no tratamento do TDAH não são sedativos. do mesmo modo que a aspirina tira a febre. Um problema pode ter causas biológicas. ler livros de física quântica ou histórias em quadrinhos. entretanto é inteiramente falsa. há profissionais que acham que transtornos que tenham causas biológicas ou bioquímicas. Mas este é um outro problema. Algo muito comum é achar que por meio da psicoterapia é possível descobrir as “verdadeiras causas” de todo e qualquer problema comportamental. Já recebi pais que me questionaram incessantemente por mais de uma hora sobre as “conseqüências” do tratamento. Os medicamentos utilizados no tratamento do TDAH não visam “dopar” ninguém. adoram dizer que “os medicamentos tratariam os sintomas. ser tratado também com técnicas psicológicas que podem ser extremamente importantes para o portador de TDAH..) e. Por alguma razão misteriosíssima – que não será desvendada neste livro -.. mas vai ser pelo menor tempo possível. devem ser tratados exclusivamente por médicos e unicamente por meio de medicamentos. com a quantidade enorme de achados científicos.. um profissional mal orientado administra erroneamente outros medicamentos que não se destinam a tratar o TDAH e acabam ocasionando muitos efeitos indesejáveis. Os medicamentos usados no tratamento do TDAH permitem que algumas funções mentais . mas não a causa. Ele pode até mesmo decidir não ler coisa alguma. Mas é um tanto difícil aceitar isso hoje em dia. assim. ser inteiramente falsa. Existem inúmeros exemplos disso. ainda tem gente insistindo que este ou aquele transtorno é “emocional”.. orgânicas. Compreende-se que. A analogia parece muito interessante. mesmo assim. Isto é outra bobagem sem fim. ficariam apenas os problemas de causas “psicológicas”. em geral as coisas não darão certo. por vezes. Muitos têm dúvidas sobre os possíveis efeitos das medicações utilizadas (como se os sintomas do próprio transtorno já não trouxessem dificuldades o suficiente para justificar um tratamento. Por outro lado. se todos os profissionais envolvidos (médicos e psicólogos) não trabalharem tendo a mesma compreensão sobre o problema. devem ser tratados com psicoterapia. em geral) que insistem em dizer que inúmeros transtornos se devem a causas psicológicas e que. dedicar-se apenas a observar a natureza. Além disso.

Vamos ver alguns exemplos disso: 1) Pais que têm dificuldade em estabelecer normas de comportamento bem claras e definidas podem contribuir para um aumento dos comportamentos inadequados das crianças. mas podem contribuir para acentuar os comportamentos inadequados que eles apresentam. respectivamente. sem tomar nenhuma outra providência concreta. Quando o fazem. c) A mãe insiste para que ele coma “com modos” quando está fazendo refeições com o restante da família ou com estranhos. 3) Um estilo de educação muito “permissivo”. fica sem saber o que será realmente exigido dela. A atitude dos pais em relação aos filhos pode causar o TDAH? Não. Pessoas que utilizam medicamentos para o TDAH não perdem a capacidade de fazer aquilo que determina sua vontade. mas os pais apenas pedem “para não fazer isto” umas cem vezes seguidas. ou seja. mas ele mesmo grita quando briga com a mãe. pode ter certeza disso! As atitudes que os pais têm em relação a seu filho não são a causa do TDAH. O comportamento dos pais em relação aos filhos pode agravar o TDAH? Sim. mas o pai com “sem modos” em várias outras ocasiões e ela nada faz ou nenhuma “conseqüência” acontece. porque elas não terão exemplos que norteiam seu comportamento. já sabemos que o uso de medicamentos pode diminuir a ocorrência de problemas muito sérios que acompanham o TDAH. b) O pai explica que “mentir é feio”. berrar e eventualmente bater nos filhos. Muitos pais se sentem culpados pelo comportamento dos filhos com TDAH. Do mesmo modo que seria difícil estudar enxergando mal. Ela nunca é treinada. por exemplo. mas o filho presencia o pai dizer “pequenas mentiras” ao telefone. 2) Quando os pais discordam muito entre si sobre o modo como educar seus filhos. Para ser sincero. o retira do castigo pouco tempo depois. b) A mãe pede para “não contar para o pai” algo que o filho fez. muito menos de julgar as coisas. parecem estar eles mesmos prestando atenção em outra coisa (na conversa com os outros adultos. tornam o indivíduo mais capacitado para inúmeras atividades. a sensação de frustração e a irritação das crianças e dos adolescentes com TDAH... têm um estilo agressivo de resolver os conflitos dentro de casa. assim como os medicamentos para o TDAH. d) A mãe diz que “estudar é importante”. em geral. com o “coração mole”. Alguns exemplos comuns: a) O pai coloca o filho de castigo por algo que ele fez e a mãe. mas a criança não vê ninguém ler nenhum livro dentro de casa. explosivas e desatentas). mesmo quando está claro que ele estava errado e foi corretamente punido pelos professores. sem que este tenha sido cumprido. 4) Por outro lado. tornando as regras familiares confusas. por exemplo) e o castigo (uma palmada etc.) parece algo perdido no meio de tudo. o uso de drogas. ao longo da sua infância e adolescência. Levando-se em consideração que os pais servem como modelos para seus filhos.sejam normalizadas. 5) Algumas famílias costumam discutir com freqüência. b) Os pais defendem a todo custo o seu filho na escola. que tendem a imitá-los. para lidar com limites (que terá que enfrentar ao longo de toda a vida. Alguns exemplos comuns: a) O pai diz que não se deve gritar dentro de casa. Este assunto é importante e tem que ser bem entendido desde o início. Todo mundo pode errar de vez em quando! Esses pais podem colaborar para o aumento da ansiedade. famílias muito exigentes que não conseguem dosar a liberdade que devem dar para pequenos erros. colocando-o em pé de igualdade com os demais indivíduos que enxergam normalmente ou que conseguem prestar atenção às coisas. Além disso.O mesmo vale para palavrões. acho mesmo que elas obtêm melhoras na sua determinação e no seu julgamento (em especial porque se tornam um pouco menos impulsivas. A criança. Os óculos. o que é bobagem. tais comportamentos . não tem jeito). Alguns exemplos: a) As crianças ficam correndo e fazendo bagunça numa sala ou num restaurante. em que os pais toleram muitos comportamentos inadequados da criança. seria difícil estudar sem conseguir prestar atenção àquilo que se lê.

muito difícil e cansativo lidar com um filho com TDAH. por fazer comentários fora de hora. por “esquecer” coisas. fazendo que o diagnóstico do TDAH seja feito mais tarde do que seria adequado. qual é a melhor maneira de solucionar certas situações? Procurar ajuda especializada para aprender a administrar melhor os conflitos e as dificuldades pode ser o caminho. Na sua ausência. Sem falar nas matérias chatíssimas e coisas sem sentido que nos ensinam nas escolas. sentados em carteiras desconfortáveis). Procure ter como medida de avaliação o quanto ele se esforçou para fazer alguma coisa e não o resultado final. por não ter sido suficientemente organizado. Caso contrário. O sistema educacional tradicional penaliza quem tem TDAH. mas como o conhecimento de que alguns problemas são mais bem administrados com a ajuda de um profissional especializado em fazer exatamente isso. A tendência tanto dos pais quanto dos professores é advertir. Se você mora no meio do mato. Além disso. comparecer à escola (e ouvir reclamações) etc. se intromete nos assuntos dos outros. que sempre sigam todas as regras. Este é um exemplo simples de uma regra importante: a punição só funciona quando o agente que pune está presente. A maioria das pessoas que convivem com o portador do TDAH (incluindo pais e professores) tende a confundir incapacidade de fazer o correto com falta de desejo de fazer o correto. gastar horas extras acompanhando deveres de casa. tudo bem. tornando ainda mais difícil sua educação.). Como acaba se sentindo alguém com TDAH? Ter TDAH significa ter sempre que se desculpar por ter quebrado ou mexido em algo que não deveria.podem gerar ou acentuar a freqüência de comportamentos agressivos e opositivos na criança. Significa estar sempre nervoso pela nota. Você não acha que muitas vezes é bastante difícil julgar se devemos ser rígidos. Portanto. A isto se acrescenta o fato de que a falta de informação sobre o assunto é geralmente grande. Os colegas também podem ir se afastando (quando ele não espera a vez nos jogos. mesmo quando o aluno se esforçou e tentou estudar. Por que ele nunca aprende. Às vezes me sinto cansado e desesperançado. algumas crianças com TDAH podem ter comportamento opositivo e desafiador. Os pais frequentemente têm que prestar atenção o tempo todo no que ele está fazendo. o comportamento desejado não se mantém. que chateação!) e dizer coisas das quais depois se arrepende. lembre-se de que seu filho terá que viver de acordo com regras. O resultado disso são advertências constantes e notas baixas. isolado de todos. Entretanto. A procura por ajuda especializada deve ser vista não como reconhecimento de uma falha ou incompetência. Em função de suas dificuldades de atenção. Os portadores do TDAH vão necessitar monitoramento freqüente dos pais durante boa parte da infância e da adolescência para que se adaptem aos limites que a vida em sociedade impõe. ele estará sempre “extrapolando os limites” e sempre sendo punido por infringir regras. não adianta punir isoladamente para mudar um comportamento. Ou seja. não é mesmo. significa ser responsabilizado por coisas sobre as quais. da impulsividade e da hiperatividade. se devemos voltar atrás. por perder objetos importantes. É comum? Pode ser muito. ter que abrir mão do tempo de lazer para concluir tarefas escolares (nada consegue ser terminado no tempo previamente planejado. colaborar no programa de modificação de comportamento de seu filho não significa que você seja culpado de qualquer coisa. pois exige que os alunos permaneçam quietos (em geral. sua detecção pode ser mais . irritar-se com eles e castigar. mesmo com castigo? Lembre-se: punição (castigo) por si só não modifica comportamentos! Você já comprou ou compra CD's piratas ou já copiou ou copia músicas ou filmes. mesmo sabendo que isso é proibido? Mas não se importa pois ninguém vai puní-lo e ninguém está fiscalizando. Isso quando a criança já não passou por uma série de tratamentos não-especializados que não trouxeram nenhuma ajuda e aumentaram a sensação de que “não tem jeito mesmo”. se tem pouco controle! Torna-se inevitável a sensação de que se é um sujeito meio inadequado. atrapalha a aula o tempo todo etc. dificultando o acesso às informações e o apoio de que tanto as crianças quanto os pais precisam. que mantenham a atenção por horas seguidas e que sejam avaliados por provas monótonas e sem permissão para interrupções. na verdade. Quando o TDAH se manifesta em sua forma predominantemente desatenta.

de conversação. é claro. É preciso estar atento e “perceber” se o outro está gostando do que se está falando. se aquele assunto é apropriado para a ocasião. enquanto as críticas e os castigos geram frustração e sentimento de inadequação. Em vez de ressaltar suas falhas. Os elogios sempre ajudam a promover auto-estima. Crianças podem entrar nas brincadeiras sem pedir permissão e não seguir regras já estabelecidas. lembraria”). Como é possível ajudar nas dificuldades de relacionamento quando ocorrem? Um modo de reduzir as dificuldades de relacionamento é por meio do Treino em Habilidades Sociais. O terapeuta pode utilizar fatos que a própria criança relatou e também “inventar” situações inéditas. estão predestinadas a falhar. parte-se. Afinal. então. resumir o que leu em voz alta e também por escrito. Inúmeras pesquisas mostram que quando se começa a elogiar determinado comportamento adequado nas pessoas. para situações reais do dia-a-dia). de resolução de conflitos e de controle da raiva. Esse programa deve cobrir várias áreas. Se for o caso. “já falei várias vezes isso para ele”). mas apenas gerenciar. além de ser percebido como inadequado. Com relação à habilidade de entrosamento social. Lembre-se: ele faria melhor se pudesse. em geral. o terapeuta vai progressivamente treinando a criança a: a) iniciar uma conversa e saber mantê-la sem monopolizar (inicialmente com o próprio terapeuta. muitas vezes faz que a outra pessoa acredite que sua conversa não está sendo nada interessante (“se ele desse importância. A falta de memória atrapalha muito na escola e em casa. ao invés de criticar seu filho por aquilo que ele não consegue fazer. mesmo sem criticar um outro comportamento inadequado simultâneo. preguiçosas. mas são mais lentas para fazer as tarefas. Tem jeito? A memória. isto é muito observado em adultos com TDAH. desinteresse pelos estudos e ansiedade. Somente o treinamento repetido torna a criança mais apta a “administrar” melhor as conseqüências do seu TDAH. Isso provoca baixa auto-estima. Não prestar atenção ao que o outro está falando também é algo que compromete os relacionamentos. b) pedir permissão para participar de uma atividade em grupo e ficar atento para seguir as regras dessa atividade. Também para iniciar e manter uma conversa temos que respeitar certo “jogo”. Não há pesquisas demonstrando benefícios de outras linhas de psicoterapia para esse tipo de problema. Fica mais fácil se ter consciência de que precisa “administrar” sintomas que por vontade própria não conseguiria eliminar de vez. ele tende a aumentar com o passar do tempo e o inadequado tende a diminuir. assistem às mesmas aulas que as demais. horas extras de estudo e. como. mesmo que sejam poucas. displicentes. o que. tiram notas baixas! Isso gera o sentimento de que não importa o quanto se esforcem. você deve evidenciar o que ele tem de bom. Que outros problemas no relacionamento social e familiar podem ocorrer? O TDAH pode ocasionar dificuldades na manutenção de amizades.difícil e essas crianças podem ser encaradas por pais e professores apenas como indolentes (que denota falta de energia). por exemplo. . Isto leva certo tempo. depois com um auxiliar ou estagiário de psicologia. Pense em como seu filho se sente por não atender às suas expectativas e não exija dele mais do que ele pode dar. é melhor elogiá-lo no momento em que ele consegue fazer as coisas de forma adequada. burras ou “limitadas”. Assim. repetir o que leu nas partes mais importantes. ainda assim. gerando rejeição dos outros. O uso de canetas coloridas para ressaltar as partes mais importantes deve ser estimulado desde precocemente. trocam o assunto da conversação continuamente e prestam pouca ou nenhuma atenção ao que os outros falam (“ele não presta atenção no que falo”. Elas mesmas podem começar a se perceber dessa forma. ensine truques: sempre ler em voz alta. requerem aulas particulares. Em vez de criticá-lo quando ele se intromete em sua conversa. Temos que respeitar a chamada “troca de turnos”. técnicas de entrosamento social. se devemos prosseguir ou interromper determinado tópico etc. seus progressos e a capacidade que tem de melhorar quando se empenha. Apenas os psicoterapeutas da linha cognativo-comportamental dominam esse tipo de técnica. elogie quando ele consegue esperar que você termine. fazer lembretes em cartões (“resumos”). Com muita freqüência os indivíduos portadores do TDAH interrompem os outros. não é muito boa para quem tem TDAH (mas isso não é uma regra).

onde se desenha o calendário do mês. Esquecem-se com freqüência de conteúdos que haviam estudado previamente. a atenção pode ser aumentada. A atenção é o portal da memória. Ali estarão todos os compromissos e tarefas que devem ser feitos. O que professores devem esperar do desempenho acadêmico dos alunos com TDAH? Muitos casos de TDAH (especialmente do tipo predominantemente desatento) passam “despercebidos” durante muito tempo porque os alunos têm boas notas e bom comportamento. por mera distração (erram vírgulas. Ficaria espantado com uma criança assim gostar de estudar. Não conseguem copiar do quadro na mesma velocidade dos demais e sempre pedem mais um pouco de tempo. Parecem estar prestando atenção a outra coisa durante uma explicação. Mas é isto mesmo. elas não conseguem fazer isso o tempo todo ou de modo satisfatório como os demais. Como deve ser a comunicação com quem tem TDAH? Fale sempre de modo claro e objetivo. Se o computador é muito usado. utilize um programa de calendário. em frente à mesa ou escrivaninha. Pense que jogar bola é uma coisa normal. Pense agora que ele é obrigado a jogar bola. Os pais e professores costumam dizer: “Quando ele quer. Diga exatamente o que você quer ou o que espera da criança ou adolescente. Sendo “pereba” (por conta de seu problema de nascença). usando canetas hidrográficas especiais. elas poderão ser bemsucedidas. especialmente se for mais longa. Vivem no mundo da lua. assim. Pergunte-se agora: Você acha que ele vai ter vontade de jogar bola? Será que seu filho não se dá bem na escola porque não estuda ou será que ele não estuda porque. ele presta atenção e acaba fazendo direito”. entretanto. o material não é levado corretamente para os armazéns da memória.) Acabam tendo notas inferiores às que realmente poderiam ter. Eu acho que o meu filho tira notas ruins simplesmente porque não estuda! Será mesmo? Ou será que é justamente o contrário? Um grande número de supostas “causas” de mau aprendizado normalmente são. Muitas crianças com TDAH e com Transtorno de Aprendizado simplesmente não gostam de escola. Evite explicações longas e detalhamento excessivo. Imagine que seu filho nasceu com um problema ortopédico. compre uma agenda eletrônica. Outra coisa: fale olhando para ele. por mais que se esforce. quase sempre vai ter que se esforçar muito e ter mau desempenho. Isso ocorre porque a atenção era superficial enquanto estudavam e. “conseqüências”. tanto em pessoas normais quanto naquelas que são portadoras do TDAH. mas apenas para coisas muito específicas (como se lembrar de tomar o medicamento na hora do recreio ou de telefonar quando chegar à casa do amigo). geralmente qualquer gerenciador de e-mail (thunderbird ou outlook) tem um. comum para todos os meninos. e neste caso as crianças são consideradas normais. Olhos nos olhos! Quem tem déficit de atenção pode simplesmente não estar “captando” tudo o que está sendo falado com ele. isto é. monótonas ou que exijam concentração. Alarmes também podem ser usados (os mais práticos são os dos celulares). na verdade. não gostam de estudar porque já sabem que têm muita dificuldade e precisam se esforçar muito para ter um desempenho que não vai ser lá grande coisa. Use frases curtas e simples. só conseguem durante um curto intervalo ou quando a tarefa é muito interessante. “perdem” boa parte da explicação do professor na sala de aula ou daquilo que estão lendo no livro. Pode-se fazer um mural de tamanho médio.. Muitas crianças com TDAH são muito inteligentes e se lhes dermos uma chance.Se ele já tiver idade suficiente. Acabam dando impressão de serem alunos indolentes ou preguiçosos. quase todos os dias. . Evitam tarefas muito longas. Neste último caso. ele nunca vai ter prazer em jogar. sinais matemáticos etc. não consegue se dar bem? Ninguém gosta de fazer (dia após dia. Comete erros “por bobagem”. Ele nunca vai conseguir jogar bola tão bem como os colegas dele.. ano após ano) algo que não consegue fazer direito como os demais. Dessa forma. Existem quadros de fórmica branca que permitem que se escreva e apague depois.

Não se propõe que o TDAH se torne uma desculpa para permitir qualquer tipo de comportamento por parte do aluno. Algumas pessoas têm um ou outro sintoma. o comportamento e o controle de impulsos dos demais.Devemos ser mais rigorosos com alunos com TDAH? Rigor excessivo irá apenas contribuir para acentuar as dificuldades e diminuir a auto-estima. Até algum tempo atrás. Lembre-se de que o diagnóstico de TDAH é dimensional e muitas pessoas terão alguns desses sintomas. o adulto é tão “desanimado” que parece sofrer de um outro . dito ou ouvido nas últimas 24 horas. pretender fazer as coisas. especialmente aqueles que não convivem mais intimamente com o indivíduo. parece sempre cansado. Em alguns casos. Exemplos: escutar e prestar atenção (em uma reunião. Como é feito o diagnóstico em adultos? Através dos sintomas: 1) Problemas com a chamada “pró-ativação”. quando não tem. ainda. mas não se pode dizer que sejam portadores do TDAH propriamente dito. O adulto com TDAH tem dificuldades de ativar-se para as tarefas por si só. Exemplos: esquecer com freqüência o que foi feito. melhor. Puro engano. Por quê muitos médicos tinham a impressão de que o TDAH não existia em adultos? Todo mundo desenvolve a capacidade de prestar mais atenção. Se existe o diagnóstico é porque os sintomas causam problemas. variar muito no desempenho e não produzir o suficiente (“enrolar”). 2) Problemas com a atenção. comprar coisas no supermercado. à medida que vai crescendo e também ao se dedicar a coisas mais complexas na escola. Sabe-se. melhora. tanto que dá nome a ele. mas esquecer (desligar eletrodomésticos. for punida por isso. 4) Problemas com a memória O adulto com TDAH geralmente tem fama de “desmemoriado”. precisando de estímulo ou um “empurrãozinho” de fora. se desviar facilmente do que está fazendo (começar uma coisa e logo pular para outra menos importante). Exemplos: fazer trabalhos de qualidade inconsistente. Existe TDAH em adultos? Sim. hoje. Se a criança for cobrada por comportamentos que ela não é capaz de ter ou. que o TDAH persiste na maioria dos casos. Devesse estabelecer metas que ela possa cumprir. ficar no mundo da lua mesmo sem querer quando está lendo por obrigação e pensar em coisas que nada têm a ver com o que está sendo lido. Só que essas pessoas não melhoram a ponto de serem consideradas “normais” como as outras. ele mesmo considera que sua memória é muito ruim. adentrando a vida adulta e causando muitos problemas. A dificuldade de se ativar sozinho para as tarefas pode ser muito significativa em algumas pessoas. Com quem tem TDAH não é diferente: apesar de ter problemas sérios nessas áreas. mas a mente frequentemente fica “voando”. a não ser sob pressão.). porém com muito menos impacto em suas vidas. Só que nunca terá a atenção. não conseguir completar as tarefas no tempo certo e sempre precisar de mais tempo. receber críticas por nunca ter atingido todo o seu potencial (“poderia ter feito melhor se tivesse se esforçado ou se não tivesse perdido o rendimento”). Esta é uma das principais características do transtorno. então. fazendo exigências de um modo coerente. conseguem também desenvolver em algum grau essas habilidades. 3) Problemas com a manutenção do esforço O indivíduo “vai perdendo o gás” ao longo do tempo e não termina aquilo que começou ou. poderá ficar frustada e ser pouco cooperativa. palestra ou conversa). fazer coisas etc. era comum dizer que o TDAH “desaparecia” ao final da adolescência. Podem não ser muito evidentes aos olhos dos outros. Mas que melhora. em outras é quase inexistente. Quanto mais próximo o tratamento com os demais alunos estiver do tratamento com ele. Existe TDAH no adulto sem que isto lhe cause problemas? Não.

consegue mandar estímulos fortes para o centro que controla a atenção e atenuar o seu mau desempenho. mais especificamente nas regiões que controlam os impulsos. Não existe. Quando existe alguma forma de depressão associada ao TDAH (em geral). ele conseguiria se dedicar a elas e permanecer até o fim. Caso contrário. extremamente importante para alguns casos. consegue “funcionar”. Isso corresponde a uma mistura de incapacidade de manter-se com energia e disposição suficientes o tempo todo com a inquietude própria do transtorno. comprovação de que qualquer uma delas seja tão eficiente quanto a medicação. A explicação é a mesma: a região cerebral denominada “centro de prazer”. por exemplo. interessado pela mulher. É possível tratar apenas através da psicoterapia? Além do tratamento farmacológico. sinalizando o término de um relacionamento. a psicoterapia não deve ser vista como uma alternativa ao tratamento farmacológico. mesmo que se esforce mentalmente para isso. . Existem outros motivos para as dificuldades de relacionamento do portador do TDAH? Além da impulsividade.problema quando comparado a outro. O mesmo acontecia com todas as demais coisas da vida: se fossem muito interessantes e excitantes. o adulto com TDAH frequentemente sofre de oscilações do humor. Caso contrário. mesmo sendo ambos portadores de TDAH. Como agem os medicamentos no tratamento do TDAH? Aumentam a quantidade de dopamina e noradrenalina que se encontra relativamente diminuídas em determinadas regiões do sistema nervoso central. O paciente explicou que as coisas com ele funcionavam do mesmo modo como funciona a ereção do homem: se ele estiver muito atraído. consegue ter ereção. do cotidiano. Não adianta. quando muito ativada. excitado. já foram desenvolvidas outras modalidades terapêuticas para o TDAH. a perda progressiva de interesse pelo outro. como. Dessa forma. tornava-se desatento. nada ocorre. perdia logo a energia e o interesse ou nem começava a fazer nada. sem qualquer relação com o TDAH. que é superagitado o tempo todo. permanecendo menos tempo envolvido com as atividades da família. Mas muitos adultos quando querem fazer algo que lhes interessa não apresentam estes sintomas. porém. Esta é uma das razões pelas quais o casamento pode se tornar algo conturbado. Os motivos podem ser pequenas contrariedades ou mesmo coisas menores. os níveis de atenção e os níveis de atividade motora. Não seria falta de “vergonha na cara”? É o mesmo problema que ocorre com as crianças e os adolescentes. É claro que isso também pode ocorrer em outras situações. sem importância. Os pais não acreditam que eles sejam portadores de TDAH porque quando querem jogar videogame conseguem ficar concentrados e mais quietos. Existem casos em que o portador começa a privilegiar várias outras atividades (tais como esportes ou mesmo trabalho) com as quais se ocupa mais e mais. essas oscilações são mais freqüentes Um outro problema de quem é portador do TDAH é “enjoar” rapidamente das coisas e precisar de coisas novas para se estimular. Brown conta uma expressão excelente que lhe foi dita por um paciente seu e que expressa muito bem como funcionam as coisas para um adulto com TDAH: “Impotência da mente”. e sim como uma medida complementar.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->