Você está na página 1de 1

que viva de guardar alheio gado,

Literatura de tosco trato; de expressões grosseiro,


dos frios gelos e dos sóis queimado.
Tenho próprio casal e nele assisto;
Professor João BATISTA Gomes dá-me vinho, legume, fruta, azeite;
das brancas ovelhinhas tiro o leite
e mais as finas lãs, de que me visto.
Aula 41
Graças, Marília Bela,
Arcadismo (parte II) graças à minha estrela!

AUTORES E OBRAS Eu vi o meu semblante numa fonte:


dos anos inda não está cortado;
2. TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA os pastores que habitam este monte
Nascimento e morte – Nasce em Porto (Por- respeitam o poder do meu cajado.
tugal), em 11 de agosto de 1744. Morre em Com tal destreza toco a sanfoninha, Caiu no vestibular
Moçambique (África), em 1810, aos 66 anos. que inveja até me tem o próprio Alceste:
ao som dela concerto a voz celeste,
01. (UNOPAR–PR) Leia o poema seguinte:
Brasil – Com oito anos, é trazido para o Bra-
nem canto letra que não seja minha. Oh! Que saudades
sil e matriculado no Colégio da Bahia.
Graças, Marília Bela, Do luar da minha terra
Direito – De volta a Portugal, forma-se em graças à minha estrela! Lá na serra branquejando
Direito (Coimbra, 1768).
Segunda parte das Liras – Veja agora um Folhas secas pelo chão
Ouvidor e procurador – Em 1782, é nomea- Este luar cá de cidade
exemplo de poesia composta na prisão. É a
do Ouvidor e Procurador em Vila Rica. É nes- segunda parte das Liras de Gonzaga: Tão escuro não tem aquela saudade
sa época que compõe a maior parte dos
Do luar lá do sertão!
poemas que formam sua obra. Já não cinjo de louro a minha testa;
Nem sonoras canções o Deus me inspira: Os versos acima ilustram características do
Paixão por Maria Dorotéia – Enquanto se en-
Ah! que nem me resta Arcadismo:
volve com a Inconfidência Mineira, apaixona-
Uma já quebrada,
se por Maria Dorotéia Joaquina de Seixas, que a) Exaltação à natureza da terra natal.
Mal sonora Lira!
imortalizaria nos poemas com o pseudônimo b) Declarada contenção dos sentimentos.
de Marília. Mas neste mesmo estado em que me vejo,
c) Expressão de sentimentos universais.
Pede, Marília, Amor que vá cantar-te:
Inconfidência e exílio – Implicado no movi- d) Volta ao passado para escapar das agruras
Cumpro o seu desejo:
mento inconfidente (1789), é preso manda- do presente.
E ao que resta supra
do para a Ilha das Cobras (Rio de Janei-ro). e) Oposição entre o campo e a cidade
A paixão, e a arte.
Em 1792, condenado ao exílio, segue para
Moçambique (África), onde refaz sua vida, A fumaça, Marília, de candeia,
Que a molhada parede ou suja, ou pinta, 02. (UNOPAR–PR) Considere as seguintes
casando-se com Júlia Mascarenhas, viúva
Bem que tosca, e feia, afirmações:
rica.
Agora me pode I A temática e a linguagem barroca expressam
Poeta lírico e satírico – É considerado o Ministrar a tinta.
principal poeta lírico do século XVIII (Arca- os conflitos experimentados pelo homem do
dismo) no Brasil (Marília de Dirceu). É o úni- 3. BASÍLIO DA GAMA século XVII.
co poeta do Arcadismo brasileiro a compor II A linguagem barroca caracteriza-se pelo
Nascimento e morte – Nasce em 8 de abril
sátiras (Cartas Chilenas). de 1741, em São José do Rio das Mortes (ho- emprego de figuras, como a comparação e
Nome árcade – Na obra lírica, adota o no- je Tiradentes), Minas. Morre em Lisboa, em a alegoria, entre outras.
me árcade de Dirceu. 1795. III A antítese e o paradoxo são as figuras que a
OBRAS DE GONZAGA Noviço – Estuda com os jesuitas: é noviço linguagem barroca emprega para expressar
(preparando-se para ser padre) quando Pom- a divisão entre mundo material e mundo
1. Marília de Dirceu (poesias lírico-amoro-
sas, 1792). bal decreta a expulsão dos padres do Brasil. espiritual.
Arcádia Romana – Em 1795, expulsos os je- IV A estética barroca privilegia a visão racional
2. Cartas Chilenas (poesias satíricas, 1845).
suítas, segue para Roma, onde seus mes- do mundo e das relações humanas,
As Cartas Chilenas são poesias satíricas
tres fazem que seja aceito na Arcádia Roma- buscando na linguagem a fuga às
contra as arbitrariedades de Luís da Cu-
na (fundada em 1690). constrições do dia-a-dia.
nha Meneses, governador de Minas Ge-
rais um pouco antes da Inconfidência. As Prisão em Portugal – Em Lisboa, é preso Dentre elas, apenas
por suspeição de jesuitismo e condenado
Cartas, em número de treze, circulam em a) I e III estão corretas.
ao degredo. Salva-se dirigindo um Epitalâ-
Vila Rica entre 1788 e 1789. Constituem b) II e IV estão corretas.
mio (poema nupcial) à filha do Marquês de
um poema satírico incompleto, em versos
Pombal. c) III está correta.
decassílabos e brancos (sem rima). Nelas,
Pseudônimo – Adota o nome árcade de d) I, II e IV estão corretas.
as personagens são assim disfarçadas:
Termindo Sipílio. e) I, II e III estão corretas..
a) Tomás Antônio Gonzaga – Critilo.
b) Luís da Cunha Meneses – Fanfarrão Poesia épica – Compôs somente poesia 03. (PUC–SP) Pode-se afirmar que Maríla de
Minésio. épica. Dirceu e Cartas Chilenas são, res-
c) Recebedor das Cartas – Doroteu. Obra máxima – O Uraguai (1769), poema pectivamente:
d) Minas Gerais – Chile. épico composto para exaltar os portugueses
a) altas expressões do lirismo amoroso e da
e) Vila Rica – Santiago do Chile. e satirizar os jesuítas do Brasil. O livro trata
da luta que portugueses e espanhóis movem sátira política, na literatura do século XVIII;
ANTOLOGIA COMENTADA
contra indígenas e jesuítas em Sete Povos b) exemplos da poesia biográfica e da literatura
As Liras de Gonzaga – Marília de Dirceu é das Missões, no Uruguai (hoje Rio Grande epistolar cultivadas no século XVII;
um longo poema de amor, dividido em pe- do Sul), em 1759. c) exemplos do lirismo amoroso e da poesia de
quenas unidades chamadas Liras. O motivo
Dados importantes de O Uraguai: combate, cultivados sobretudo pelos poetas
principal da obra é paixão do pastor Dirceu,
1. Classificação – Poema épico, escrito em românticos da chamada “terceira geração”;
com mais de quarenta anos, pela pastora Ma-
rília, com apenas quinze. Talvez por isso, haja decassílabos brancos, sem divisão em d) altas expressões do lirsimo e da sátira da
obsessão pelo fator tempo. Nos versos a se- estrofes. Foge, assim, à imitação de Os nossa poesia barroca;
guir, o poeta tenta mostrar à namorada que Lusíadas, de Camões. e) expressões menores da prosa e da poesia
não é um pastor qualquer: 2. Objetivo – Satirizar os jesuítas e agradar de nosso Arcadismo, cultivados no interior
Eu, Marília, não sou algum vaqueiro, o Marquês de Pombal, protetor do poeta. das Academias.

11

Interesses relacionados