P. 1
Stephen Jay Gould - A falsa medida do homem

Stephen Jay Gould - A falsa medida do homem

|Views: 409|Likes:
Publicado porjoubertvianna

More info:

Published by: joubertvianna on Mar 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/29/2013

pdf

text

original

CQLEÇÃCJ CIÊNCIA ABERTA

Um Pouco Mais de Azul — H. Reeves Ontem, o Universo — B. Gatty A Origem do Ser Vivo — B. Gatty A Prodigiosa Aventura das Plantas — J.-M. Pelt e J.-P. Cuny Darwin e os Grandes Enigmas da Vida — S. J. Gould O Cálculo e o Imprevisto — /. Ekeland Elogio da Diferença — A. Jacquard A Hora do Deslumbramento — H. Reeves O Círculo dos Fogos — J. Lizot A Mão Esquerda da Criação — J. D. Barrow e J. Silk O Dilema Nuclear — C, Rubbia com N. Criscenti A Herança da Liberdade — A. Jacquard O Polegar do Panda — S. J. Gould O Sorriso do Flamingo — S. J. Gould Jornada para as Estrelas — R. Jastrow A Falsa Medida do Homem — S. J. Gould
Próximos lançamentos:

A FALSA MEDIDA DO HOMEM
STEPHEN JAY GOULD

O Passado.Recomposto — J.-P. Adam

BIBLIOTECA
DE: KODOLKO MÃHIO

PARTICULAR
V. CAMPLONA FILHO

15 G6
-^BUÕTÈC^

Martins Fontes

Afinal de contas, o que é mais simples que pesar um cérebro? Basta • tirá-lo do crânio e colocá-lo na balança. N ã o é bem assim. Tobias enumera quatorze fatores passíveis de provocar distorção. Uma parte deles se refere a problemas relacionados com a própria medição: Em que nível se separa o cérebro da medula espinhal? Devemos ou não remover as meninges (as meninges são as membranas que recobrem o cérebro e a dura-máter, o revestimento externo grosso, que pesa entre 50 e 60 gramas)? Quanto tempo depois da morte do sujeito se deve pesar o cérebro? O c é r e b r o deve ser conservado em algum líquido antes da pesagem e, em caso afirmativo, por quanto tempo? Em que temperatura o cérebro deve ser preservado depois da morte? A maior parle da literatura sobre o assunto não especifica adequadamente esses fatores, e os estudos feitos por diferentes cientistas geralmente n ã o podem ser comparados entre si. Mesmo quando podemos nos assegurar de que o mesmo objeto foi medido da mesma maneira e em condições iguais, surge um segundo grupo de fatores de distorção: as influências sobre o tamanho do cérebro que não têm uma ligação direta com as propriedades que interessam (a inteligência ou a origem racial): o sexo, o tamanho do corpo, a idade, a alimentação, os fatores ambientais não vinculados à alimentação, a profissão e a causa da morte. Assim, a despeito das milhares de páginas publicadas e dos milhares de sujeitos estudados, Tobias conclui que não sabemos — como se isso tivesse alguma importância — se os negros t ê m , em média, cérebros maiores ou menores que os dos brancos. Entretanto, o tamanho maior do cérebro dos brancos era um "fato" inquestionável entre os cientistas brancos até muito recentemente. Muitos investigadores devotaram uma atenção extraordinária ao estudo das diferenças de tamanho cerebral entre os diferentes grupos humanos. N ã o chegaram a nada, não porque as respostas não existam, mas porque essas respostas são muito difíceis de s e i obter e porque as convicções a priori s ã o evidentes e distorcem a investigação. No calor do debate entre B r o c a e Gratiolet, um doa defensores de Broca, evidentemente com muito má intenção, fez uma observação que resume admiravelmente as motivações implícitas em toda a tradição craniométrica: " H á muito tenho observado", afirmou De Jouvencel (1861, p. 465), "que, em geral, os que negam a importância intelectual do volume do cérebro possuem cabeças pequenas." Desde o princípio, os interesses particulares têm sido, por uma ou outra r a z ã o , a fonte das opiniões emitidas a respeito deste sisudo tema.

4

Medindo corpos

lüò...

Mas o registro fóssil é extremamente imperfeito. tão generalizado (por exemplo. n ã o deixam de exibir uma semelhança digna de interesse. o uso da teoria evolucionista para apresentar a pobreza como algo inevitável). o "darwinismo social". que consistia em buscar sinais de morfologia simiesca entre os membros dos grupos considerados indesejáveis. apesar das diferenças marcantes. pern>i'i<-/ a êxls(£r. pois eram os únicos registros dos antecessores das formas modernas. Em outras palavras. As duas teorias apoiavam-se no mesmo método quantitativo e supostamente evolucionista.ei:i de ''•UálcM>rr tino .Dois estudos sobre o caráter simiesco dos in deseja veis O conceito de evolução transformou o pensamento humano durante o decorrer do século X I X . A segunda é uma hipótese evoluoionista específica a respeitado caráter biológico da conduta criminosa: a antropologia criminal de Lombroso. Neste capítulo. nenhuma idéia havia sido objeto de um uso. freqüentemente resumido pelo enganoso trava-língua "aontogenia recapitula a filogenia". procuraram reconstruir a á r v o r e da vida. Tanto os criacionistas (Agassiz e Morton) quanto os evolucionistas (Broca e Galton) puderam explorar os dados a respeito do tamanho do cérebro para estabelecer distinções falsas e ofensivas entre os grupos humanos. discuto dois deles. Quase todas as q u e s t õ e s referentes às ciências da vida foram reformuladas à luz desse conceito.snin<. que considero manifestações representativas de um tipo muito freqüente.y. O macaco^mjodos nós: a recapitulação Uma vez demonstrada a evolução. Os fósseis deveriam fornecer os indícios necessários.. ou de um abuso. Até e n t ã o .nr*>?". Mas outros argumentos quantitativos surgiram como apêndices da teoria evolucionista. os naturalistas do século X I X devotaram-se a estabelecer os verdadeiros caminhos que ela seguira. O primeiro deles é a mais genérica de todas as justificações evolutivas do ordenamento hierárquico dos grupos humanos: o argumento da r e c a p i t u l a ç ã o . e todos os troncos e ramos importantes da árvore da vida desenvolveram-se antes que o surgimento das parto* dur-v: ri. ou seja.

( E m Totem e tabu. Uma teoria anatômica para a hierarquização das raças — baseada em tocio o corpo e não apenas na cabeça — havia nascido. D. A recapitulaçáo forneceu uma base para argumentos antropométricos — particularmente craniométricos — destinados a justificar a classificação hierárquica das raças. T o das essas disciplinas estavam obcecadas pela idéia de reconstruir as linhagens evolutivas. E. e. que. o cérebro. tedioso mas muito detalhado. Assim. G . cm resumo: cada indivíduo escala a sua própria árvore da vídãT A recapitulaçáo está entre as idéias mais influentes da ciência do final do século^XIX. o grande zoólogo alemão. identificou quatro grupos de formas humanas inferiores segundo esse critério: raças n ã o brancas. iriam se identificar com o poema . AKcjpiUila^ã^s^rviiji çomoteoria geral do determinismo biológjcp. Os currículos de muitas escolas primárias do final do século X I X foram reelaborados à luz da recapitulaçáo. alguns critérios indiretos tinham de ser descobertos. durante seu crescimento. Freud tenta reconstruir a história humana partindo de uma pista fundamental: o complexo de Edipo. tp_do indivíduo passa por uma série de_estágios que correspondem seqúencialmente ài diferentes formas adültasáe seus antepassados. o célebre"pJilêontólogo amenclnõ"qíie"êlüciaou o mecanismo da recapitulaçáo (ver Gould. 291-293). os europeus do sul só conseguem «alcançar um tipo mais infantil.. ele disse que os climas mais quentes provocam o amadurecimento precoce. Ernst Haeckel. Assim. todajjjsjrçujlhjyies. e todos consideravam o conceito de recapitulaçáo como sendo a chave da q u e s t ã o . Para explicar a inferioridade dos europeus do sul segundo a recapitulaçáo.. Cope. alcançariam estágios superiores pois o amadurecimento mais tardio permitiria que se desenvolvessem durante um período mais longo: : Não há dúvidas de que. Os leitores interessados nos argumentos propostos por Haeckel e seus colegas para justificar a teoria da r e c a p i t u l a ç á o . tais como a embriologia. uma vez que estavam passando pelo estágio selvagem correspondente ao que haviam atravessado seus ancestrais. como. U m a vez que são como os meninos brancos. num estágio posterior. os adultos dos grupos inferiores devem ser como as crianças dos grupos superiores. É provável que os indivíduos do tipo mais nórdico tenham superado tudo isso já em sua juventude (1887. 1977. . embora sujeito a muitas exceções. bem como nas razões que determinaram a sua r e j e i ç ã o . Também neste caso.) A s s i m . Jung eram firmes partidários da recapitulaçáo. mais primitivo. podem consultar meu tratado. Freud conclui que o impulso parricida deve refletir um evento real ocorrido entre ancestrais adultos. portanto. D o m i n o u diferentes campos científicos. 1 A recapitulaçáo também proporcionou um critério irresistível a todos os cientistas interessados em estabelecer diferenças hierárquicas entre os grupos humanos. a morfologia comparada e a paleontologia. reatualizou uma velha teoria biológica criacionista e sugeriu que o desenvolvimento embriológico das formas superiores poderia servir como guia para se deduzir de forma indireta a evolução da árvore da vida. como o amadurecimento determina o desaceleramento e o t é r m i n o do desenvolvimento físico. pp. a a p a r i ç ã o de uma cauda revelava a existência de um antepassado réptil ou m a m í f e r o . . pois a criança representa um ancestral adulto primitivo. pp." sexos e classes — foram comparã^o^js_cj^aaçis__bj^an cjs de sexo masculino. e a idéia de Haeckel desempenhou um papel bastante importante no desenvolvimento da teoria psicanalítica. T õ j õ s os grupos "inferiores" — raças. Harvard U n i versity Press. nessa raça — pelo menos nas regiões mais quentes da Europa e da América — encontramos umâincidência maior de certas qualidades que são mais freqüentes entre as mulheres. Pregou a doutrina da superioridade nórdica e fez propaganda contra a entrada de imigrantes judeus e da Europa meridional nos Estados Unidos. 1977. o conceito de recapitulaçáo expandiu-se para várias outras disciplinas. sobre as quais exerceu uma influência decisiva. Os grupos mais evoluídos do norte. a maturidade de certos aspectos é mais precoce nas regiões tropicais que nas nórdicas. argumentando que as crianças. por outro lado. esse fenômeno é suficientemente genérico para ser considerado como regra. por exemplo. pp. A s s i m . os negros adultos e as mulheres são também os representantes vivos de um estágio primitivo da evolução dos homens brancos. os filhos de um clã ancestral devem ter matado o pai para conseguir acesso às mulheres. 1. Ele proclamou que "a ontogenia recapitula a filogenia" ou. e. nas raças indo-européias. e. 162-163). CoplTSepreciava particularmente "as classes mais baixas dos irlandeses". por exemplo. de estágio' adulto. Tanto Sigmund Freud quanto C . a maior atividade da natureza emotiva em comparação com a atividade racional. Ontogeny and Phylogeny. . 85-91).A EALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS de vestígio fóssil. os brancos do su[ da Europa (em oposição âõs do norte) e as clasjextnferioresTlentrõ~das raças superiores (1887. As fendas branquiais que podem ser vistas no e m b r i ã o humano no começo de seu desenvolvimento representavam o estágio adulto de um peixe ancestral. Vários conselhos escolares prescreviam a leitura de Song of Hiawatha para as primeiras séries. A partir da biologia. para melhor explicar esse melífluo trava-língua.

a raça branca. com seu arco elevado. pp. formulou o seguinte argumento geral em 1904: " E m vários aspectos. ou africa-^i * na. medidas e pesadas de forma a se estabelecer uma ciência da anatomia comparada das diferentes raças (1890." James Sully.. enquanto que a negra.. seu principal discípulo. já havia comparado o cérebro dos negros adultos com o de um feto branco de sete meses de vida. bem como por certos tipos de movimento. por exemplo — essa característica perdura mais que em outras. G. Cope afirmou que as "características metafísicas" das mulheres eram: . O pouco desenvolvimento das panturrilhas é uma característica das primeiras etapas da vida da criança. p.. adolescentes de tamanho adulto" (1904. F." Os partidários da recapitulaçáo aplicaram seu argumento a uma assombrosa variedade de capacidades humanas. um tom de infantilidade. mas reservou uma posição superior às primeiras (1895. ocupa sua posição mais inferior. dada a sua maturidade sexual. Grande parte das primeiras manifestações rudimentares do sentido estético da criança apresenta pontos em comum com as primeiras manifestações do gosto artístico da raça humana. Todas as partes do corpo foram • minuciosamente examinadas. vol. 48).A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS desempenhou um papel dominante. o arco achatado do nariz e as cartilagens nasais curtas.. 153): "Parece-nos que os esforços das raças primitivas por nós conhecidas são em tudo semelhantes aos que realiza a m ã o inexperiente da criança que desenha em seu quadro-negro. Não era do conhecimento de todos que os selvagens e as mulheres são emocionalmente similares às crianças? Não era a primeira vez que grupos depreciados eram comparados às crianças. mas a teoria da recapitulaçáo revestiu esse conto com o manto da respeitabilidade social próprio de uma teoria científica. Brinton resumiu o argumento com um'hino de louvor à medição: O adulto que conserva traços fetais. Herbert Spencer. A frase " S ã o como as crianças" deixou de ser uma simples metáfora da intolerância para se converter em uma proposição teórica segundo a qual as pessoas inferiores haviam permanecido literalmente estagnadas em um estágio ancestral dos grupos superiores. Louis Agassiz. Stanley H a l l . 288-290). ofereceu um rico campo para sua c o r r o b o r a ç ã o . pp. pelo^fortes contrastes de cor.. A. O belo sexo caracteriza-se por uma maior impressionabilidade. na época o principal psicólogo americano. comparou a sensibilidade estética das crianças e dos selvagens... ou melhor dizendo. o nariz grego. nos indo-europeus. das mulheres brancas e dos meninos brancos. a maioria dos selvagens são crianças. Em 1890. Se a anatomia elaborou o vigoroso argumento da recapitulaçáo. e confere. essencialmente muito similares às que são observadas nos homens durante o estágio inicial de seu desenvolvimento. é improvável que o selvagem chegue a atingir a sensibilidade demonstrada pela criança diante da beleza das flores. A predileção pelas cores brilhantes.. infantis ou simiescos mais numerosos é inquestionavelmente inferior ao indivíduo que conseguiu desenvolver esses traços. .. T a m b é m Cope concentrou-se no crânio. o desenvolvimento psíquico. Em algumas raças — na eslava.. Por outro lado. D. 89-90): " O s traços intelectuais do selvagem. mas. o mundo cm geral seria tão pequeno quanto sem a b ê n ç ã o que é a existência das crianças. são traços que podem ser observados comumente nas crianças dos povos civilizados. explicando assim por que os negros nunca haviam construído uma civilização digna de nota. optou pelo tom paternalista: "'Sem os povos primitivos." Corrjp_a_J"ecapitulação se tornou uma idéia fundamental para a teoria geral do determinismo biológico. E. resumiu muito bem essa idéia (1895. De acordo com esses critérios. não apenas coincide com a beleza estética como também com a perfeição do desenvolvimento. o que é mais importante. 386). ou européia.. resplandecentes. Por sua vez. p. é mais emotivo e sua . . importante psicólogo inglês. constitui uma característica tíem conhecida do selvagem. 2. dentro de um contexto criacionista. 649). o apóstolo do darwinismo social.. 97-98) que Vogt estabeleceu uma notável equivalência entre os cérebros dos negros adultos. embora não deixasse de desprezar t a m b é m a panturilha pouco musculosa exibida pelos negros: Duas das mais notáveis características do negro coincidem com as que se observam nos estágios imaturos dos tipos característicos da raça indo-européia.. constituem sinais universais de imaturidade. o a n t r o p ó l o g o americano D. Cope comparou a arte pré-histórica com os desenhos das crianças e dos povos "primitivos" sobreviventes (1887. por seu lado. Chamberlain. muitos cientistas do sexo masculino aplicaram esse argumento às mulheres. do ponto de vista do homem civilizado. p. p. G. ou aos dos selvagens quando pintam nas paredes rochosas. situa-se no topo da lista.. como o das plumas — que constituem o adorno pessoal favorito —. Já citamos (ver pp. pelas coisas alegres. particularmente "naqueles importantes elementos estéticos que são um nariz bem feito c uma barba abundante" (1887.

p. A tese que podemos considerar como a mais absurda dos anais do determinismo biológico foi formulada por G.XIX. uma época em que a emoção. 159). o Rev. É provável que a maior parte dos homen§ relembre algum período de sua vida em que predominava a natureza emocional. o poeta laureado do imperialismo. A povos alvoroçados e incultos •— • Indolentes raças que acabam de conquistar. o anatomista holandês Louis B o l k p r o p ô s uma teoria que afirmava exatamente o contrário. reflete tão pouco a natureza do Todo-Poderoso como uma criança não desenvolvida.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS ação sobre o mundo externo é caracterizada pela inconstância. "lidando com povos que representam na história do desenvolvimento da raça o mesmo estágio que a criança na história do desenvolvimento do indivíduo.aate. Por volta de 1920. e que uma raça não desenvolvida. Kidd ampliou o argumento para justificar a expansão colonial na África tropical (1898. Até Rudyard Kipling. empregou a tese da recapitulaçáo na primeira estrofe de sua mais célebre apologia da raça branca: Toma o fardo do homem branco Envia o melhor da tua prole Impõe o exílio a teus filhos Para servir a necessidade do cativo: < Para assistir. não era nenhum louco. Não vale a pena discutir as opiniões de quem nesta época esclarecida acredita que os filipinos são capazes de governar a si mesmos porque todos os outros povos o são.. mais antigos e mais primitivos. p 287). se o nosso n ã o lhe tivesse proporcionadojmide^aiiiteres. repito. cujo julgamento nem sempre foi muito brilhante. Talvez todos os homens possam relembrar'um período juvenil em que adoravam algum herói. incapaz de governar a si mesma. vol. p 194): Isto expressa a existência de uma profunda diferença psíquica entre os sexos. em termos filogené. 2. 1972.. Estamos. mas fazia sentido do ponto de vista expansionista" (in Weston. ticos. ante o quadro do sofrimento. Como justificação para o imperialismo. Josiah Strong. Seus oponentes contestaram a necessidade de exercermos a tutela benevolente baseando-se na afirmação de Henry Clay o sentido de que o Senhor não criaria um povo incapaz de governar i p r ó p r i o . Theodore Roosevelt. estas características são observadas no sexo masculino durante certo período da vida. igualmente incapaz de governar a si mesma. 1977. quando se lançam das alturas ou ingerem veneno. declarou devotadamente que "nossa política não deve ser determinada pela e ambição nacional nem por considerações comerciais. escreveu a Henry Cabot Lodge que o verso "era muito pobre do ponto de vista poético. pp. o homem é mais ' moderno. mas o mais importante psicólogo dos • Estados Unidos — quando afirmou que a maior freqüência de suicídios entre as mulheres demonstrava que estas se situavam em um estágio evolutivo inferior ao dos homens (1904. B. Ja ** mencionei a opinião desfavorável que tinha Carl Vogt a respeito dos negros africanos. Durante o debate a respeito do direito de anexarmos as Filipinas. O corpo e a alma da mulher são. a ciência moderna ainda não havia mostrado que as raças se desenvolvem ao longo dos séculos como os indivíduos ao longo dos anos. importante imperialista americano. por outro lado. métodos de suicídio em que superam o homem. Essas são as características do "estágio feminino" da personalidade (1887. antes de surgirem a teoria evolucionista a idéia da recapitulaçáo: u r n n a s Quando Clay formulou essa concepção. p. Mas Clay havia formulado esta tese em uma época muito anterior no tempo. 51). £tanley H a l l — que. os trópicos n ã o se d e s e n v o l v e r ã o por obra dos próprios nativos". essa opinião baseava-se na comparação do cérebro dos negros com o das crianças brancas.. [preferem] entregar-se ao ! poder das forças elementares. em pesada labuta. Mescla de demônio e de criança. brotava com muito mais facilidade que nos anos mais maduros. 167-206). I As mulheres preferem os métodos passivos. para se converterem em traços juvenis destes últimos: assim. embora nem todos os indivíduos consigam superá-la no mesmo momento. Segundo a idéia da recapitulaçáo. As mulheres sempre *7 tendem a conservar os velhos costumes e as velhas maneiras de pensar. comotestemnnho do preconceito_e_da-insensatez-do século. 35). o que indica que as mulheres estão se tomando mais femininas. mais variável e menos conservador.. Portanto. e gostavam de ter como modelo o amigo poderoso. em que sentiam a necessidade de um braço mais forte. como a gravidade.s. escreveu ele. a teoria da recapitulaçáo havia caído em descrédito (Gould. p. mas por nosso ^ever para com o mundo em geral e os filipinos em particular" (1900. os traços adultos dos antepassados se desenvolviam com mais rapidez nos descendentes. . capaz de se compadecer e de acorrer em sua ajuda. Pouco mais tarde. os traços das crianças modernas correspon- . a recapitulaçáo era p o ^ demais promissora para ficar confinada às formulações acadêmicas. A história poderia ter ficado assim.. Havelock Ellis acha que o afogamento está se tornando mais fre' ^ q ü e n t e .. como regra geral.

Não só pela cabeça grande. as mulheres e os brancos das classes inferiores são como as crianças brancas do sexo masculino das classes superiores. o negro passa porf* ' um estágio que no homem branco já se converteu em estágio final. p. Bolk revirou sua caixa de surpresas anatômicas c encontrou alguns traços que indicavam. 473-474). estas últimas haviam-se mantido mais distanciadas do "antepassado pitecóide do homem" (1929.d." Mas Ellis era um iconoclasta e um polemista (escreveu um dos primeiros estudos sistemáticos sobre a sexualidade). p.tipõ7dejhTôTÍTÍçãõ~q^e confirmasse aTnferioridade dos negros.táo lentamente~em seus descendentes que se transformem em traços adultos. esse estágio de transição pode. porque esqueceu convenientemente todos aqueles t r a ç o s ciue — c o m o o nariz h e l ê n i c o c a b a r b a basta. Bolk. nos negros adultos. que o c o n t r á r i o aconteça. enquanto os inferiores chegam à fase superior da infância e logo degeneram c adquirem características simiescas. Ao se impor a tese da neotenia.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS deriam aos traços adultos desses antepassados. aceitou essa conseqüência evidente.s_dos . mas que estes últimos perdem ao chegar ao estágio adulto: o crânio abobadado e o cérebro grande em relação ao tamanho do corpo. _ Ojujlimejitjijje^ beirava a desonestidade por duas razões. já me referi a um dos mais importantes sinais de neotenia no ser humano: o fato de o foramen magnum conservar sua posição fetal. a impossibilidade de girar o dedo grande do pé. Do ponto de vista da recapitulaçáo. mais cofmTmT^pleiiriejnte deixaram dejado os dados acumuTádos~dúráh~te setenjaanpxe-proGuraram putrp. desenvolver-se mais lentamente. Este fenômeno de retardamento do desenvolvimento é comum na natureza: denomina-se neotenia (literalmente. Suponhamos. Bolk afirmou que os seres humanos eram essencialmente neotênicos. os negros adultos seriam como as crianças brancas. A única coisa necessária para isso é . os grupos superiores conservam até o estágio adulto suas características infantis. Ao conservarem traços mais juvenis. essa sólida base empírica só podia significar uma coisa: que os homens de classe alta eram inferiores porque perdiam os traços superiores da infância. Confiava que a evolução seria benevolente para com eles no futuro: Todas as outras raças podem alcançar o zênite de desenvolvimento^ que hoje ocupa a raça branca. 26]. prihcipardefensor da neotenia humana. Em seu desenvolvimento fetal. que encontramos na civilização urbana. Suponhamos que os traços_ju_veni. "Deste ponto de vista. o homem moderno segue o caminho evolutivo percorrido inicialmente pela mulher. a divisão da humanidade em raças superiores e inferiores fica plenamente justificada [1929. •%* Durante setenta anos. Pelo menos um cientista. os partidários da neotenia adotarariLuma tática diferente. Pois • bem. M a s a neotenia inverte o argumento — " b o m " — ou seja. 26). Havelock E l l i s .ntude''). embora tenha se esquivado dc reconhecer o mesmo em relação aos negros. enquanto do ponto de vista da recapitulaçáo. Vejamos agora as conseqüências da neotenia para a classificação hierárquica dos grupos humanos. Assim. t ã o admirados - 119 . A s s i m . sob a influência da recapitulaçáo. segundo a neotenia os brancos adultos seriam como crianças negras. proclamou a superioridade da vida urbana (1894. É óbvio que.\ V^rá converter-se no estágio final de sua raça (1926. que nessas raças continue a atuar o princípio biológico da antropogênese / [ou seja.esenvpjyam. p. aproxima-se mais que o selvagem da mulher típica. o rosto pequeno. desenvolvido ou superior •— é conservar os traços da infância. TõTIís~Bblk. a neotenia]. p o r é m . um afastamento significativo das vantajosas p r o p o r ç õ e í observáveis na infância. Enumerou uma impressionante quantidade de traços que os adultos humanos compartilham com os símios jovens ou em estado fetal. 38). pp. N ã o havia escapatória possível.ive. Lembremos que os cientistas brancos convencionaram que os brancos são superiores e os negros inferiores. os adultos das raças inferiores são como as crianças das raças superiores. às axilas e ao púbis. na parte inferior do crânio. Chesou a comparar os homens do campo com os da cidade. tomando por base minha teoria. p. "rejejT£ão__da_ji. enquanto outros grupos os conservavam. assim. 94-97). a concentração de pêlos restrita à cabeça. e reconheceu a superioridade das mulheres. e descobriu que a anatomia destes últimos tendia a se assemelhar à das mulheres. os cientistas haviam recolhido uma impressionante quantidade de dados que proclamavam de forma unânime a mesma mensagem: os negros adultos. de rosto delicado e ossos pequenos. de modo que a sua aplicação da neotenia ao tema das diferenças sexuais nunca teve maiores ressonâncias. se o retardamento persistir no negro. Esses novos dados permitiram-lhe chegar a uma velha e cômoda conclusão: "A raça branca é a mais avançada por ser a mais retardada" (1929. Em primeiro lugar. Fntjptanto mm ECSpéitO-à q u e s t ã o das diferenças raciais. não tenho qualquer dúvida quanto à desigualdade das raças" (1926.'25). Em outro capítulo (ver pp.antepassados sg_. mas também pelo maior tamanho da pelve. 519): " O homem de cabeça grande. p. que se considerava~"libeTãT7'não quis reíegar os negros a um estado de incapacidade permanente. declarou que as raças mais neotênicas eram superiores. como freqüentemente se observa nos processos evolutivos.

. Além disso. as mulheres são mais neotènicas que os homens. 6. geralmente maiores são as capacidades cognitivas ou intelectuais da espécie. não faltou uma só das frases que estavam em voga em seu círculo. para uma avaliação»mais adequada. o último grande romance de«Tolstói (1899). o Professor Van Helsing pede a Mina Harker que descreva o malvado conde: "Diga-nos. o que vê com esses olhos tão luminosos?" Mina responde: "O conde é um criminoso e seu tipo 121 . inclinando-se para um austero membro do tribunal. considera-se autorizado a condenar uma prostituta injustamente acusada de assassinato: O assistente da promotoria falou longamente. o assistentefda promotoria. tudo o quese considerava. O rápido desenvolvimento sensório-motor é uma das for.uinfLda inferéncia e j t a j ^ c a ^ ^ v e r T I ã p . porque contornõú ilmã~questão premente e embaraçosa: a_iaça_oriental. a evolução e a luta pela vida. Eysenck tomou três fatos e valeu-se da tese da neotenia para construir com eles a seguinte história: 1) os bebês e as crianças de raça negra apresentam um desenvolvimento sensóiio-motor mais veloz que o de seus congêneres brancos — isto é. Em seu discurso. e com ele um caráter causai. que a própria tentativade classificar hierarquicamente os grupos humanosTíãseando-se em seus diferentes graus de neotenia carece de qualquer justificação." EysejicJk_xião percebe que s^^rgurriento está fundamentado numaçorjej^çãoòrojayelmentemãacausal. 1962). 3) existe uma ligeira correlação negativa entre o desenvolvimento sensório-motor durante o primeiro ano de vida e o QI posterior.' mas de identificar uma pessoa negra.. não é mesmo?". mas a correlação entre o rápido desenvolvimento sensório-motor e o Ql inferior provavelmente não é cau. o QI médio dos brancos supera o QI médio dos negros. quanto mais prolongada é a infância. p. O argumento de Eysenck ignora o fato de que as crianças negras. "Ele está entusiasmado. A correlação entre a pobreza do meio ambiente e o Ql inferior pode ser causai. são menos neotênicos porque ultrapassam com maior rapidez o estágio fetal.) Suponhamos~| /que o QI negro mais baixo seja conseqüência da maior pobreza do ambiente. SãcTperfeitamente "verdadeiras" em um s e n t i d ^ m a t e m á t i c o . CORPOS por Cope — os partidários da recapitulaçáo tanto haviam enfatizado por indicarem a granáFcTíslàlicrãVxjitejite entre os brancos adultos e as crianças. ou seja. Eysenck expôs um novo argumento neotênico para postular a inferioridade dos negros. o que pode provocar um QI inferior. "Um tremendo imbecil!". embora não tão precisa quanto a cor da pele. Lombroso e Tarde. impassíveis homens da ciência.. as crianças que se desenvolvem mais rapidamente tendem a apresentar posteriormente um QI inferior. Creio que não serei considerado um vulgar apologista dos brancos ao me negar a admitir a superioridade das mulheres orientais e declarar. os velhos argumentos nunca morrem..'Pl—nesse contexto. em vez disso. podemos calcular uma correlação espetacular — muito próxima do valor máximo de 1. ' Assim como Anatole France e Walt Whitman puderam escrever tão bem quanto Turgueniev embora seus cérebros pesassem pouco mais _ • que a metade do c é r e b r o deste. E n f segundo" lugar. a uma' j correlação não causai que corresponderia aos seus preconceitos em \fayor da hereditariedade. Entretanto. veja-se Ashley Montagu. como a última palavra em matéria de conhecimento científico: o caráter hereditário e congênito da criminalidade. geralmente vivem em meios mais pobres. mas não demonstrou a existência de nenhuma relação càusalTTpr exemplo. moral. m a i s n e o t ê n i c a de todas (Bolk enumerou os traços neoténicos de ambas as raças seguindo um critério seletivo. eu ficaria não pouco surpreso se descobrisse que as pequenas diferenças de grau de neotenia entre as raças têm alguma relação com a sua capacidade mental ou o valor V. 79): "Estes fatos são importantes porque. Esta é a conclusão de Eysenck (1971.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO. e não a branca.0 — entre o aumento da população mundial durante os últimos cinco anos e o aumento da separação entre a Europa e a América do Norte por causa da deriva dos continentes. Esta lei parece ser válida até mesmo dentro da própria espécie. O macaco em alguns de nós: a antropologia criminal Alavismo e criminalidade Em Ressurreição... Contudo. segundo uma concepção biológica bastante generalizada [a teoria da neotenia]. (As^rrelações_nãocausais são a r. e se considera ainda. sa . observou o juiz que presidia a sessão. Eysenck invocou a neotenia para. replicou o austero membro. o psicólogo e determinista genético britânico H. No Drácula de Bram Stoker (1897). J. Em 1971. numa sociedade racista. implacável modernista. e proclamou que as diferenças eram mínimas. o rápido desenvolvimento sensório-motor serve ) simplesmente para identificar as pessoas negras. conferir um significante teórico. é-visiyelr a e n t e _ a . 2) aos três anos de idade. a nós.

E n t ã o ." Lombroso: "Suas sobrancelhas são hirsutas e tendem a se tocar acima do nariz. De fato. é freqüentemente aquilino como o bico de uma ave de rapina. suas orelhas eram pálidas e muito pontudas na parte superior. Em nossa hereditariedade jazem germes em estado letárgico. e até ontem só despertava em nós repulsa e asco. a se comportar como um macaco ou um selvagem normais.. Assim se 2.. A teoria de Lombroso não foi apenas uma vaga afirmação do caráter hereditário do crime — tese bastante comum em sua época — mas t a m b é m uma teoria evolucionista específica. como os chamaria Lombroso. Felizmente. 300) observa que á descrição inicial que Jonathan Harker faz do Conde Drácula baseia-se diretamente no retrato do criminoso nato proposto por Cesare Lombroso. a anatomia identifica-sc com o destino. Em alguns indivíduos desafortunados. a ânsia irresponsável pela maldade por si mesma. as linhas separadas das palmas das mãos." Maria Montessori expressou um otimismo combativo quando. pareceu-me que. N o seu Annotated Dracula. e teve aquela faísca de jubilosa intuição que acompanha tanto os descobrimentos brilhantes quanto as invenções mais esdrúxulas. . 667).. Wolf confronta as seguintes passagens: ^ Harker escreve: "Seu rosto [o do Conde] era." Lombroso: "Por outro lado. descreveu a intuição que o levou à teoria da criminalidade inata e à criação da disciplina por ele fundada: a antropologia criminal. Pois viu naquele crânio uma série de traços atávicos que evocavam mais o passado simiesco que o presente humano: 2 explicavam anatomicamente as enormes mandíbulas. Não era uma simples idéia. Mas agora que a ciência colocou o dedo nesta ferida moral. achava-se investigando — "sem maior êxito" — as diferenças anatômicas que poderiam distinguir os criminosos dos loucos. p. de rasgar sua carne e beber seu sangue (in Taylor et ai.. p. o argumento é falho. 1973. publicada em 1876) ao . o nariz do criminoso. os arcos superciliares proeminentes. é preciso que haja cooperação de toda a humanidade para se lutar contra ele. mas os sinais físicos. Leonard Wolf (1975. não bastava reconhecer a presença de traços atávicos simiescos nos criminosos pois essas características físicas simiescas só poderiam explicar o comportamento bárbaro de um homem se os selvagens e os animais inferiores tivessem uma inclinação natural para a criminalidade.. provenientes de um passado ancestral. como criminoso. Lombroso devotou a primeira parte de sua obra mais importante (O homem criminoso. a insensibilidade à dor. A vista do crânio. p. vestígio da orelha pontuda. baseada em dados antropométricos. a extrema agudeza da visão." Lombroso: "com uma protuberância na parte superior da borda posterior. Seu atavismo é tanto físico quanto mental.. quase se encontrando acima do nariz." • Harker: "Suas sobrancelhas eram muito espessas. ou estigmas. nos selvagens e nos macacos. 1887. tem uma mente disforme. examinou o crânio do famoso bandido Vihella. A conduta criminosa t a m b é m pode surgir nos homens normais. aquilino. pela ociosidade excessiva e pelas orgias. "numa m a n h ã nublada de dezembro".. mas os macacos são bons... o gosto pelas tatuagens. Nordau e Lombroso assim o classificariam. esse passado volta à vida. 41). iluminado como uma vasta planície sob o céu resplandescente. do ponto de vista da evolução. o inusitado tamanho das órbitas. os pronunciados ossos do rosto. Se alguns homens parecem macacos.. podemos identificar os criminosos natos porque seu caráter simiesco se traduz por determinados sinais anatômicos. 8): "O fenômeno da criminalidade se alastra sem encontrar obstáculos ou auxílio.. mas reconhecemos o "criminoso nato" por sua anatomia. O crime. . as orelhas em forma de asa que se observam nos criminosos. Lombroso.. Essas pessoas se vêem levadas. o desejo de não apenas extinguir a vida da vítima mas também de mutilar o cadáver." ? O tema comum dessas diferentes afirmações é a teoria de Cesare Lombroso sobre 1'uomo delinqüente — o homem delinqüente — provavelmente a doutrina mais influente jamais produzida pela tradição antropométrica. mas um rasgo de inspiração. devido à sua constituição inata. mas esse comportamento é considerado criminoso por nossa sociedade civilizada. médico italiano. podia ver todo o problema da natureza do criminoso: um ser atávico cuja pessoa reproduz os instintos ferozes da humanidade primitiva c dos animais inferiores.. e. que perduram entre nós. Em 1870.. Os criminosos são tipos atávicos. c os criminosos natos nao podem escapar a essa mancha hereditária: "Somos comandados ppr leis silenciosas que nunca deixam de atuar e que regem a sociedade com mais autoridade qué as leis inscritas em nossos códigos. A s s i m ." Harker: " ." Os animais e os selvagens: criminosos natos Para que o argumento de Lombroso ficasse completo. em 1913. escreveu o seguinte (p. com o nariz afilado de ponta elevada e narinas peculiarmente arqueadas.. são decisivos.. de repente. parece ser um fenômeno natural" (Lombroso.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS c o de um criminoso.

com freqüência. São tão pouco previdentes quanto o selvagem ou o criminoso. inferior e criminosa. e fazem grande alarido nos mercado. os criminosos e os indivíduos pertencentes a grupos inferiores não sabem o que é enrubescer. Havelock Ellis destacou o fato de que. por exemplo. escreveu um de seus seguidores franceses. p. a impulsividade e a indolência são características sempre presentes entre eles. "um selvagem" que expira com igual dignidade é alguém insensível à dor: Sua insensibilidade física [dos criminosos] lembra muito a dos selvagens. podemos encontrar a genialidade mesclada ao atavismo (1911. Os espanhóis costumavam declarar o seguinte a respeito dos índios sul-americanos: 'Como confiar em homens que não sabem enrubescer?"' (1910. no criminoso. Quando não dispunha de traços condenáveis para mesclar com seus elogios. 138). e ao seu alto grau de resistência à dor — na puberdade. por exemplo. repetidas vezes. eram todos inócuos. 254). do ponto de vista científico.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS que podemos considerar a mais ridícula incursão ao antropomorfismo jamais publicada: uma análise do comportamento criminoso dos animais. 1910.T. violentou uma operária com órgãos atrofiados.. Sc. mas não têm medo ou vergonha. Um santo branco que enfrenta com coragem a tortura e a morte é um herói entre heróis. Toda vez que Lombroso topava com um fato que n ã o se enquadrava nessa teoria. de forma que somente a seleção ou a escravatura conseguem forçá-los ao trabalho metódico e ativo" (1911. É preciso observar que esta raça... e o de uma formigamacho que. p. 40). Citando a autoridade um tanto distante de Tácito. 1879. n ã o só é achatado mas t a m b é m trilobàdo como o dos macacos". o de castores que se associaram para matar um congênere solitário. encanta-lhes o barulho. referiu-se às profusão de tatuagens que esse povo faz no corpo. p. provocando-lhe a morte em meio a dores atrozes. por atavismo. moralmente tão baixa c tão incapaz de qualquer desenvolvimento cultural e intelectual. a castidade e a piedade possam existir entre os selvagens. o caso de uma formiga cuja fúria assassina levou-a a matar e esquertejar um pulgão. (N. faz da raça. pp. Podem andar descalços. Seu colega G. " E u compararia". Sua anatomia normal exibia uma série de estigmas simiescos: "seu nariz.. criou na Hungria uma . E o que ganharam os incas por terem confiados nos espanhóis? Lombroso engendrou praticamente todos os seus argumentos de forma a torná-los imunes à contestação. Embora mencionasse abundantes dados numéricos para conferir um ar de objetividade à sua obra. p. Devoram carne quase podre. chega mesmo a afirmar que. p. E n t ã o . 1-18). concluiu o seguinte: " A i n d a que a honra. sem acesso às fêmeas. O* * idiotas e os selvagens raramente enrubescem. surgisse na sociedade moderna. e cuja poesia jamais superou a lírica mais elementar. mas ostentam sapatos amarelos. Os selvagens têm horror ao trabalho c o n t í n u o . nos ritos da puberdade.arte musical maravilhosa: mais uma prova de que. Escreveu um pequeno tratado sobre os dinka* do Alto N i l o . uma raça que nunca conseguiu se dedicar de forma contínua a nenhuma indústria. notável por sua estatura. mas suas roupas são sempre de cores vivas ou enfeitadas com fitas. quebram os incisivos com um martelo. C i t a . Matam a sangue frio para roubar.) esta continuou sendo tão vulnerável que até mesmo os membros da escola de Broca se opuseram à sua teoria do atavismo. cuja média se aproxima dos 2 m. Dedicam-se principalmente ao pastoreio. Esta atitude fica muito evidente no caso de suas teses a respeito da depravação dos povos inferiores pois. "A impossibilidade de enrubescer sempre foi conside^ rada um traço concomitante do crime e da falta de vergonha. torturas que o homem branco nunca seria capaz de resistir. tinha de aceitar um traço favorável. o de uma cegonha adúltera que assassinou o marido com a ajuda do amante. podemos achar que nasceu criminoso porque nasceu selvagem" (Bordier. Ele distorceu todos esses relatos para que se adaptassem ao seu sistema. viu-se à frente de relatos que falavam do valor e da capacidade daqueles a quem pretendia denegrir. recorria a algum tipo de acrobacia mental que lhe permitisse incorporá-lo ao seu sistema. Tudo o que ganham é gasto com bebidas e ornamentos. Lombroso dá o seguinte passo lógico: compara os criminosos com os grupos "inferiores". * Povo nilótico do Sul do Sudão. Lombroso aventurou-se pelo terreno da etnologia para identificar a criminalidade como um comportamento normal entre os povos inferiores. Tarde afirmou que alguns criminosos "teriam sido a aristocracia moral e o orgulho de uma tribo de peles-vermelhas" (*7i E l l i s . sua conduta "eqüivale a um crime" (Lombroso. 367). como todos os delinqüentes.. dos ciganos: São vaidosos. Nele. 1887.. 284). portanto. São dados a orgias. de má vontade. podem não usar meias. associava-o a outros que pudesse depreciar. quando o inseto come determinadas plantas. que podem suportar. Vejamos o elogio que. e já se suspeitou que praticassem o canibalismo. limitava-se a indicar que os "primitivos" não conseguiam ter razões justificadas para um comportamento positivo. "o criminoso com um selvagem que. Todos os viajnntc-s conhc-' 125 .

(Em termos modernos. [é] pequeno. baixa sensibilidade /i dor. portanto. astuto e engenhoso. No^Congresso Internacional de Antropologia Criminal. e aprender a fazer oferece-lhes a base para fazer mais. 56) .. cantam alegremente louvores a sua tribo enquanto são queimados a fogo lento (1887 P. 159/161). Lombroso incluiu os seguintes (1887. ausência de calvície. braços relativamente longos. que não cresce até nossa estatura. chegou mesmo a afirmar (ver Fig. A variação normal dentro de uma população é um fenômeno biológico distinto das diferenças que existem entre os valores médios de diversas populações. Entre seus estigmas simiescos. um caráter primi. um côndilo ocipital (área de articulação entre o crânio e a coluna vertebral) de forma pouco comum. portanto. amarrados ao poste de torturas. é um primitivo vivo. Lombroso remontou além dos símios e localizou semelhanças com criaturas mais distantes e mais "primitivas": comparou dentes caninos proeminentes e um palato achatado com a anatomia dos lêmures e roedores. Sua amostragem era constituída por 383 crânios de crimi- 3. O passarinho. Chegou mesmo a postular a existência de uma semelhança significativa entre a assimetria facial de alguns criminosos e a localização dos olhos na parte superior do corpo de peixes achatados como o robalo. não aprendem por princípio mas empiricarnente. este nosso criminoso também está predestinado ao crime. mandíbulas grandes. 53). Nossa impressão de que a criança é inocente responde a um preconceito de classe. O chimpanze médio tem o braço mais comprido que o homem médio. mas não tem estatura mental de um homem. com o côndilo normal dos bovinos e suínos (1896. o Prof. O comprimento do braço não é o mesmo em todos os homens. os selvagens e as pessoas de raças inferiores reproduz o argumento básico da r e c a p i t u l a ç á o . que analisamos na s e ç ã o anterior. grande acuidade visual. quando um cavalo nasce com dedos laterais funcionais.2) que os pés das prostitutas são freqüentemente preênseis como nos macacos (o dedo grande do pé bastante separado dos outros). ele tem cérebro de criança. como o coração dos sirênios (grupo raro de mamíferos aquáticos). 4. Em Drácula. orelhas grandes. que se aproximavam das medidas médias encontradas nos símios superiores. O médico italiano n ã o retrocedeu ante esta c o n s e q ü ê n c i a inevitável de sua teoria. Lombroso só tinha de proclamar a criminalidade inerente à criança pois a criança é como um antepassado adulto.* tivo e criminoso): A h ! espero com isso que nossos cérebros de homem que durante tanto tempo foram de homem e não perderam a graça de Deus. 188). Em muitas coisas. 4. chegarão mais longe que seu cérebro de criança que jaz há tempo na tumba. devido à boa posição social que ocupamos. mas nas classes baixas é coisa comum verificar que até as crianças de peito bebem vinho c outras bebidas alcoólicas com notável prazer" (1895. o peixinho. em seu inimitável inglês estropiado. o linguado e outros (1911. p. 3 Os estigmas anatômicos. o animal pequeno.. Um verdadeiro atavismo é um traço ancestral descontínuo e de causas genéticas — por exemplo.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDISDO CORPOS cem a indiferença dos negros e dos selvagens americanos diante da dor: os primeiros cortam as mãos rindo para não ter que trabalhar: os segundos. c ausência de reação vascular (incapacidade de enrubescer). observàm-se normalmente os germes da delinqüência e da criminalidade" (1895. pele mais escura. Este é um erro que se repete com freqüência. esta é uma razão fundamental do erro em que incorreu Lombroso. esta c o m p a r a ç ã o dos criminosos atávicos com os animais. p. p. Nos primeiros períodos da vida humana. rugas precoces. pp. um coração anormal. até certa idade. 660-661): maior espessura do crânio. manifestam-se as mais sádicas tendências do criminoso.319). e é próprio de criança fazer o que ele fez. e alguns possuem braços mais compridos que outros. Dele deriva a falácia em que incorre Arthur Jensen ao afirmar que as diferenças médias observadas no QI dos americanos brancos e negros são em grande parte herdadas — ver pp. Van Helsing.1) não eram patologias ou variações descontínuas. fisiológicos e sociais A maior parte dos estigmas anatômicos apontados por L o m broso (Fig. tendemos a ocultar as inclinações naturais de nossas crianças: " Q u e m vive entre as classes superiores nada sabe da paixão que sentem as crianças pelas bebidas alcoólicas. e marcou com o estigma da criminalidade o p r o t ó t i p o tradicional do inocente: " U m a das descobertas mais importantes de minha escola é a de que na criança. Pois bem. testa baixa e estreita. exalta o argumento extraído da tese da recapitulaçáo impondo aç^ Conde a marca da infantilidade (atribuindo-lhe. No caso de grandes estigmas. simplicidade das estruturas cranianas. 373)! Lombroso reforçou seu estudo dos defeitos específicos do criminoso com um estudo antropométrico geral da cabeça e do corpo do mesmo. p. e que só trabalha de forma egoísta e. mas valores extremos dentro de uma curva normal. C o m o se pode perceber. ele também tem cérebro de criança. Ele é sagaz. proeminência da face sobre o crânio. . mas isto não significa que um homem de braço relativamente longo seja geneticamente similar aos símios. Para completar a cadeia.

Corno exemplo do estilo de Lombroso. •• " . Por sua natureza. afirmou ter detectado deficiências nas partes frontal e superior do cérebro. as duas partes em que reside nossa peculiaridade. Esta figura foi apresentada por L. estão situados totalmente fora da espécie humana. U m a tese que ele (1911. C. Comentando-o. o c é r e b r o dos criminosos é menor que o das pessoas normais. A antropologia criminal com freqüência recorreu a outros argumentos craniométricos correntes. Fig. Jullien ao 4? C o n gresso Internacional de Antropologia Criminal de 1896. D e F são escroques. trata-se de indivíduos culpados de falência fraudulenta. suposta sede da moralidade e da racionalidade. p. O grupo E é formado por assassinos a l e m ã e s . 4. 88). pois o pé preênsil é um atavismo.. pp. 91-97) para situar os criminosos entre os animais. particularmente no que se refere a anomalias atávicas. o grupo 1. os do grupo H são batedores de carteira: os do grupo A são ladrões de lojas. 100-101): Seu c é r e b r o é muito pouco desenvolvido nas partes anterior e superior. 4. já em 1843 V o i s i n invocou a clássica distinção entre as partes anterior e posterior do c é r e b r o (ver pp.2. por ladrões (Lombroso nos diz que o homem sem nariz conseguiu escapar da justiça por muitos anos usando o nariz falso que pode ser visto na figura à sua esquerda. Depois de estudar um conjunto de quinhentos jovens delinqüentes. nossa superioridade sobre os animais e nosso caráter propriamente humano.1." nosos mortos c peias medidas gerais obtidas de 3 ^ 3 9 criminosos vivos. os do grupo B. frontispício do atlas incluído em O Homem Criminoso de Lombroso. com um chapéu de copa alta). Os pés das prostitutas. [os cérebros de criminosos]. disse L o m broso: "Estas o b s e r v a ç õ e s mostram admiravelmente que a morfologia da prostituta é ainda mais anormal que a do criminoso.. vejamos as bases n u m é r i c a s e m que se apoiava sua tese mais importante: a de que.MEDINDO CORPOS 4 Fjo. Escreveu o seguinte (1843. P a n ó p l i a de rostos de criminosos. em geral. quanto aos distintos cavalheiros da parte inferior. 365) e seus 4 li 4. Por exemplo. embora uns poucos criminosos possam apresentar c é r e b r o s muito grandes (ver p.

Entre eles. L o m * * broso realizou um estudo quantitativo do c o n t e ú d o das tatuagens dos criminosos e descobriu que. enquanto outros atuavam movidos pela paixão.450 cm para as cabeças de criminosos e de 1.suas causas. 476). e calculei valores médios de 1. Na figura 4. Ferri. 1897. p. Lombroso nunca atribuiu todos os atos criminosos a pessoas com estigmas atávicos. em geral.Lombroso conclua que nos criminosos "predominam as capacidades pequenas. continham ataques à lei ( " v i n g a n ç a " ) ou tentavam apresentar uma justificação ("nasci com uma estrela r u i m " . que reflete tanto a insensibilidade dos criminosos com relação^ à dor como seu gosto atávico pelos ornamentos ( F i g . 8) reiteraram com freqüência. • íí -i Falam de maneira diferente porque se sentem diferentes. 2) A tatuagem. embora . p. falam como selvagens porque são a u t ê n t i c o s selvagens vivendo em meio à nossa esplêndida civilização e u r o p é i a " (1887. pela fúria ou pelo desespero. Isto quer dizer que a maior amplitude de variação na amostragem correspondente às pessoas respeitadoras da lei — questão importante para Lombroso porque lhe permitia estender a capacidade máxima das pessoas decentes até 100 c m acima do máximo entre os criminosos — pode ser apenas o resultado do maior tamanho da amostragem de pessoas honestas (quanto maior a amostragem.4). 3 3 3 Entre os estigmas de Lombroso t a m b é m figurava um conjunto de traços sociais. N ã o é preciso ser um apaixonado pela estatística para perceber que as duas distribuições diferem muito pouco entre si. maiores as probabilidades de ocorrência de valores extremos). aparecem representadas as distribuições de freqüência correspondentes à capacidade craniana medida por ele em 121 criminosos do sexo masculino e 328 pessoas honestas do mesmo sexo. mas que os dados de Lombroso não confirmam. Estimou que uns 409c dos criminosos obedeciam a uma compulsão hereditária. Os desvios típicos das duas distribuições (média geral da dispersão em torno da média) não diferem entre si de forma significativa. À primeira vista. deu especial destaque aos seguintes: 1) A gíria dos criminosos. se bem que em certa ocasião deparou-se com uma que dizia: " L o n g a vida à França e às batatas fritas". 4. e as muito grandes são raras" (1887. p. esta distinção entre criminosos natos parece uma solução de compros .A FALSA MEDIDA DO HOMEM discípulos (por exemplo.484 cm para aquelas dos que respeitam a lei. à semelhança da fala das crianças c dos s e l v a g e n s : " E n t r e . Reconstruí os dados originais partindo dos quadros de porcentagem apresentados p o r L o m b r o s o . a mais importante é o atavismo.3. " n ã o tenho sorte"). uma linguagem p r ó p r i a com um elevado n ú m e r o de onomatopéias. 144).

" Pouco a pouco. [Lombroso]. um homem sem estigmas. um enfermo. Embora o atavismo continuasse a ser para ele uma causa biológica fundamental da conduta criminosa. Lombroso não rendera as devidas homenagens à fria objetividade. transigiu ou abandonou a idéia básica de que o crime tinha raízes biológicas. pela força das circunstâncias.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MED1SDO CORPOS misso ou um retrocesso.. vejamos se estou^quivocado. Lombroso teve de recuar diante da chuva de críticas. p. ao mesmo tempo. Até mesmo "aprioristas" t ã o notórios como os discípulos de Paul Broca condenaram o caráter mais advocatório que científico de seu enfoque. p. Seu pénis ostenta a inscrição entra tutto — entra tudo. entretanto. A retirada de Lombroso A teoria de Lombroso sobre o atavismo causou uma grande agitação e suscitou um dos mais acalorados debates científicos do século X I X . a de colocar seu sistema a salvo de qualquer tipo de refutação. Sua teoria original tinha a virtude da simplicidade e surpreendia por sua originalidade: os criminosos são símios que vivem entre nós. a intenção de Lombroso ao estabelecé-la não foi essa mas. No braço deste malfeitor. Lombroso nos diz que a tatuagem de m ã o s unidas é muito freqüente entre os pederastas. Paul Topinard afirmou o seguinte sobre Lombroso (1887. procura provas. A conclusão está formada de antemão. podemos ler: " U m homem desventurado". Para Lombroso.': está por demais convencido. Apesar de ter salpicado sua obra com uma grande quantidade de dados numéricos. 4. recolhamos c acrescentenios. indivíduos marcados pelos estigmas a n a t ô m i c o s do atavismo. Limitou-se a ampliar a e x t e n s ã o das causas inatas. a tatuagem era um sinal de criminalidade inata. As versões posteriores tornaram-se mais difusas. Na legenda. Isto diz respeito a todos os atos criminosos: um homem com estigmas comete crimes movido por sua natureza inata.outios fatos. retratado em O Homem Criminoso de L o m b r o s o . 651). L o m broso introduziu várias categorias de enfermidade e d e g e n e r a ç õ e s congênitas: "Vemos no criminoso". insistiu na importância da epilepsia para o reconhecimento da criminalidade. 133 \ I F i g .. "um selvagem e." Posteriormente.4. O assassinato podia ser a obra de um símio inferior dissimulado em um corpo humano. Em nenhum momento. Ao classificar as exceções dentro de seu sistema. procedamos com rigor. . pelo contrário. ou de um cornudo decente dominado pela mais justa das iras. Lombroso colocou-o a salvo de qualquer possibilidade de refutação. A s s i m . mas tamb é m mais abrangentes. escreveu ele (1887. Mas procedeu à retirada como um estrategista militar. defende sua tese como um advogado que acaba por persuadir a si mesmo. 676): "Ele não diz: eis um fato que me sugere uma determinada indução. os homens já não podiam ser caracterizados tomando-se seus atos como base..

"semelhantes aos primitivos habitantes do continente americano: de fronte estreita. o que é mais suave. aristocrata inglês. p. e outros. mas quase uma palavra técnica) congênitos apresentavam traços anatômicos que. ou seja. não a forma como este foi criado. A animação era extraordinária em todas as paetês. citado por Zimmern. 261): "Por seu aspecto. p. sua educação ou as dificuldades que podem tê-lo incitado a roubar ou pilhar. 744). Ele não havia provado a unidade da espécie humana ao demonstrar que os traços das raças inferiores podiam aparecer em indivíduos degene- rados pertencentes às raças superiores (1866. " U m número muito grande de idiotas congênitos é constituído por mongóis típicos" (p. dada a freqüência com que essas características se apresentam. 260). 1898. 262)? Na verdade. Inspirou numerosas "reformas" e. embora de ascendência européia" (1866. John Langdon Haydon Down. coincidiam com certos traços típicos de raças inferiores. até a Primeira Guerra Mundial. discípulo de Lombroso. tiveram um efeito salutar em todas as partes e fomentaram uma feliz emulação entre os investigadores dos mais variados fenômenos. E impossível calcular a carga adicional que a teoria de Lombroso impôs a milhares de epilépticos: estes se converteram num dos principais alvos dos programas eugênicos. a antropologia criminal de Lombroso veio principalmente reforçar o argumento do determinismo biológico quanto aos papéis desempenhados pelos atores e seu ambiente: os atores obedecem à sua natureza inata—Para compreender o crime. testa enrugada. p. "mongolismo" para nos referirmos à desordem cromossômica cuja designação precisa é "síndrome de Down". maçãs do rosto salientes. no terreno da biologia e da patologia" (como afirma Sergi. é indubitável que esses t r a ç o s étnicos são produto de uma degeneração. 254). Dallemagne n ã o estava sendo diplomático. juristas.•A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS e acabou por afirmar que quase todos os "criminosos natos" padeciam em maior ou menor grau de epilepsia. sua conclusão foi a seguinte (1866. é preciso estudar o criminoso. Contudo. suas idéias tiveram o caráter de acontecimentos. Com isso." Down chegou a aplicar sua perspicácia cm matéria de detalhes étnicos para explicar a conduta das crianças que padeciam dessa síndrome: "são excelentes imitadoras" — traço tipicamente mongólico. Assim. Mas a d e n o m i n a ç ã o cunhada por D o w n perdurou até nossos dias e só agora começa a cair em desuso. identificou essa síndrome em um artigo intitulado "Observações acerca de uma classificação étnica dos idiotas" (Down. acabara de convencer o Times de Londres a substituir a denominação "mongolismo" por "síndrome de D o w n " . Foi durante anos o tema de discussão nos círculos jurídicos e penais. "A antropologia criminal estuda o delinq ü e n t e em seu lugar natural. em parte porque Lombroso havia interpretado sua enfermidade como um sinal de degeneração moral. p. Segundo Down. Dallemagne. embora ausentes em seus pais. Durante 20 anos. olhos fundos e o nariz ligeiramente simiesco" (p. junto com alguns colegas orientais. destacado adversário francês de Lombroso. O D r . muitos "idiotas" (termo que em sua época não era um simples epíteto. 1866). em todas as discussões. funcionários governamentais e cientistas. e um n ú m e r o muito maior de traços diferentes (cabelos castanhos e escassos. mas apenas reconhecendo um. suas idéias alimentaram os debates. Lombroso mencionou atavismos que "equiparam o criminoso europeu ao tipo australiano e mongólico" (1887. Assinalemos um detalhe curioso. Down considerava-se um liberal quanto às q u e s t õ e s raciais. Outros aproximavam-se da "grande família mongólica". A antropologia criminal foi muito mais que um agitado debate acadêmico. de tipo malaio. A influência da antropologia criminal Em 1896. Em seguida. e t c ) . lábios grossos. descreveu em detalhes as características da síndrome de D o w n registradas num menino posto sob seus cuidados: umas poucas semelhanças com os orientais (olhos "oblíquos" e pele ligeiramente amarelada). rendia homenagem à influência exercida por este último: Suas idéias revolucionaram nossas opiniões. ele simplesmente se limitou a fazer no terreno da patologia o que Lombroso não tardaria a fazer no da criminalidade: confirmar as hierarquias racistas tradicionais classificando os brancos indesejáveis como representantes biológicos dos grupos inferiores. o menino não parece filho de europeus mas. identificou idiotas da "variedade e t í o p e " — " n e g r o s brancos. segundo as classificações racistas vigentes na época.'fato. 260). o mestre italiano esteve na ordem do dia. p. 260) —. o bom doutor continuará a ser honrado. que a maioria das pessoas ignora: o suposto vínculo entre a degeneração e o ordenamento hierárquico das raças deixou-nos pelo menos um legado — a denominação "idiotia mongólica" ou. Trata-se de um argumento político conser135 . Além de sua repercussão específica. foi o tema de uma conferência internacional que a cada quatro anos congregava juizes. Sir Peter Medawar há pouco me dizia que.

os destituídos. Termo de gíria usado durante a guerra do V i e t n ã . Ferri.. O exército italiano. . E. 137 . Um soldado de nome Misdea (Fig.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS vador de eficácia insuperável: os malvados. Lombroso recomendou que se eliminassem do exército os epilépticos. por exemplo. o pequeno tamanho da cabeça e o tamanho exagerado do rosto. escreveu o seguinte (1897. 251) considerasse "substancialmente justa" a proposta platônica de desterrar famílias que tivessem membros de três gerações sucessivas condenados por delitos criminosos. não seu ambiente. Sabemos que os estigmas de Lombroso chegaram a ser importantes critérios de juízo em muitos processos criminais. . Mas.. entre os quais figura o do infame M i s d e a . e com isso. o mais ardoroso defensor de Lombroso. Lombroso. os estúpidos. os degenerados. A conseqüência potencial mais dúbia da teoria de Lombroso nunca foi concretizada por uma lei ou proposta pelos seus partidários: a seleção prévia e o isolamento dos indivíduos portadores de estigmas antes que cometessem algum delito — embora Ferri (1897.. E preciso culpar (e estudar) a vítima. 1911). os pobres. são o que são porque nasceram assim. terminou o misdeismo (Pergunto-me se durante a Segunda Guerra Mundial o exército italiano n ã o conheceu nenhum incidente de misdeismo provocado por indivíduos que não sofriam de epilepsia.) Em todo caso. também neste caso. bem como orientá-las para carreiras mais adequadas ao seu temperamento (1911. pp. 438-439). . ) Fig.5.. geralmente com uma granada de fragmentação.5). .. ninguém parecia disposto a levar em consideração os direitos e condições dos recrutas. Quatro 'criminosos natos". e permite isolá-las a tempo de seus companheiros melhor dotados. havia sido perturbado por vários casos de misdeismo (o nosso fragging)*. a falta de simetria. 4. As instituições sociais são um reflexo da natureza. de quem deriva o nome italiano deste fenômeno. R . . explica as falhas escolares e disciplinares das crianças que apresentam esses traços. p. 166-167): * Fragging.. que aponta o tipo criminoso. O exame antropológico. era partidário de que se fizesse uma seleção prévia entre as crianças para que os professores pudessem se preparar e saber o que deviam esperar dos alunos portadores de estigmas. que assassinou o oficial sob cujas ordens se encontrava. havia assassinado o oficial sob cujas ordens se encontrava. não conseguiam enrubescer ou tinham mandíbulas e braços maiores que o normal. . o desenvolvimento do corpo. p o r é m . 4. pp. não podemos saber quantos homens sofreram condenações injustas porque exibiam muitas tatuagens. Designa a prática de ferir ou matar ura oficial detestado. muito afetado por uma herança corrompida" (in Ferri. segundo Ferri. ( N . Lombroso examinou-o e declarou que se tratava dc "um epiléptico n e r v o s o . .

e por que estes inevitavelmente reincidem no crime" (Lombroso. Entretanto. o tipo mais perfeito de criminoso nato: mandíbulas enormes. Em 1897. p. torpeza táctil e sensorial. Certa vez. lábios superior fino. baseado em indícios cujo caráter impreciso e circunstancial até ele teve que reconhecer. com freqüência serão suficientes para oferecer ac* agentes de polícia e aos magistrados um guia científico para seus inquéritos. 428). os reflexos. mas por considerá-la uma transeressão injustificada em uma matéria que de pleno direito competia exclusivamente a eles. 238-240). maxilares e zigomas desenvolvidos. 447): "É bem verdade que existe um grupo de criminosos nascidos para o mal. expressou-se de maneira ainda mais dramática: Você nos mostrou orangotangos cruéis e lúbricos com rosto de homem.. Essa era a única prova de que dispunha a acusação: Ao examiná-lo. Ele foi condenado". acusado de r o u b a r c assassinar um rico fazendeiro. a figura de uma garota. inclusive pela morte. Lombroso recomendou 3 que sc condenasse um tal F a z i o . 1895. o acusado se escondeu. e que. a antropometria. as pupilas eram pouco m ó v e i s . que agora dependem exclusivamente de sua perspicácia individual e de sua sagacidade mental. O próprio Ferri invocava a teoria darwiniana como justificação cósmica para a pena de morte (1897. p. 369). A s s i m . incisivos enormes. pp. quando chegaram os gendarmes. apêndice lemurino. comprovei que o homem tinha orelhas grandes. Tinha uma tia epiléptica e um primo louco. Fica evidente que não podem ter outro tipo de comportamento. bem como na freqüência dos processos baseados apenas em indícios circunstanciais. teriam sido suficientes para c o n d e n á . fvjão se pode ganhar sempre. o alcance da visão. o filósofo Hippolyte Taine. por falta ou insuficiência de provas. 1911. que os antropólogos criminalistas seguidores da linha de L o m broso eram unânimes em declarar que a pena de morte era algo legítimo (1897. a influência de L o m broso não se viu limitada pelo caráter liberal da jurisprudência. Lombroso escreveu (1911. cabeça maior que o normal (1. as reações vasomotoras. em qualquer outro país menos benevolente que este com relação aos criminosos. opondo-se a muitas escolas de pensamento. sem penetrar nele" (Lombroso. As tatuagens. p.l o . a fisionomia. A lei universal da evolução mostra-nos também que o progresso vital de toda espécie é decorrência da seleção continua. Lombroso descreveu em detalhes algumas de suas experiências como perito em julgamentos. portanto. nariz torto para a direita: em resumo. Os críticos franceses de Lombroso. . uma fisionomia que se aproximava do tipo criminoso. Ferri afirmou. mas sua destruição é ainda mais justificada agora que se demonstrou que eles jamais deixarão de ser orangotangos (citado com aprovação in Lombroso. E.620 cm ) [traço que em outros contextos é sinal de genialidade]. também contribuíram para deter a maré lombrosiana. na m a n h ã seguinte. rugas prematuras. Lombroso declarou (1911. 436) que um deles "era. p. os dados de estatística criminal. Em outro processo. U m a moça declarou que vira Fazio dormindo perto da vítima.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDISDO CORPOS O estudo dos fatores antropológicos proporciona aos guardiões e administradores da lei novos e mais seguros métodos para se detectar o culpado. e se aplica continuamente na vida do universo.!'r r: 1 . sua ajuda foi solicitada para se decidir qual dos dois enteados havia matado uma mulher. Eles não rechaçavam a antropologia criminal de Lombroso por saberem que se tratava de uma pseudociência. que insistiam nas causas sociais do crime. a investigação provou que era jogador e não trabalhava. foi absolvido (1911. principalmente Manouvrier e Topinard. matam e roubam. p. contra quem todas as curas sociais esfacelam-se. Lombroso e seus discípulos declaravam-se firmemente convencidos de que os criminosos natos transgrediam a lei por natureza. no b r a ç o . olhar sinistro. (Ironicamente. 437). as condições físicas e mentais. p. 58).) Ao discutirem a pena capital. e no peito havia uma grande tatuagem representando uma mulher e as palavras " L e m b r a n ç a de Celina Laura" (sua esposa). pois. "A ética teórica desliza por esses cérebros enfermos como o azeite sobre o m á r m o r e .' a d ^ o í a n à Ititít tv. Se violam. como contra uma rocha — um fato que nos obriga a eliminá-los completamente. é devido à sua própria natureza e ao seu passado. zigomas muito marcados. 239-240): Parece-me que a pena de morte é prescrita pela natureza. ^'* nVoríe Ho?" ouc mrn s s . mas pelo seu espírito conservador. 1911. pp.'' Seu amigo. A maioria dos juizes e advogados simplesmente não podiam suportar a idéia de que a ciência quantitativa se intrometesse em um domínio que havia muito lhes pertencia. os registros de sensibilidade. fronte abaulada. somadas à outra prova.. além disso. a biologia proporcionava uma série de indicações que. . "O atavismo demonstra a ineficácia do castigo no caso dos criminosos natos. quando pensamos na enorme quantidade de crimes e delitos impunes. osso frontal dividido. não é difícil perceber a utilidade prática de se estabelecer uma relação prioritária entre a sociologia criminal e o procedimento penal. podiam opor a ela os seus próprios dados numéricos. de fato.

é "fazer da personalidade do criminoso o objeto e o princípio fundamental das regras da justiça penal. Em última instância.. obtiveram um imenso sucesso em sua campanha em favor da i n d e t e r m i n a ç ã o da s e n t e n ç a e da atenção para com as circunstâncias atenuantes.. 1911. o confinamento em colônias penais representaria uma solução mais humana que a pena de morte. muito popular na Inglaterra vitoriana. com grande energia e bastante êxito. e que todos os indivíduos deviam ser plenamente responsáveis por seus atos (exclusão das circunstâncias atenuantes).. combatida pelos criminologistas clássicos e metafísicos. Um homem normal podia ser induzido ao crime por um súbito ataque de ciúme. não porque estivessem muito seguros (embora. p. A escola positiva defendeu. A maior parte dessas reformas vingou. ou mesmo ideólogos políticos conservadores. o v f i m W f t ^ o ^ ^ . sempre e quando o banimento fosse permanente e irrevogável.. como teria feito o Micado* de Gilbert. que tem sido. Eram antes partidários de uma política liberal e até mesmo socialista. (N. e consideravam-se. Contudo. T. todas baseadas no princípio da indeterminação da sentença. "* * A escola "clássica". escrevia Ferri em 1911. A filha de Lombroso. O principal objetivo da antropologia criminal. afirmando que a pena devia-se ajustar estritamente à natureza do crime. 249). uni conjunto de reformas que até pouco tempo eram consideradas esclarecidas ou "liberais". pessoas modernas iluminadas pela ciência. e continua sendo. Ferri defendeu a idéia da '"deportação interna". Portanto. tanto nos seres humanos quanto nos animais inferiores.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDl.Nós. que deu prosseguimento à boa obra do pai. Ora. Lombroso apoiou-se na biologia para afirmar que as penas deviam adaptar-se ao criminoso. Lombroso e seus colegas geralmente davam preferência a outros meios que não a morte para livrar a sociedade de seus criminosos natos. a principal adversária de Lombroso. ao crime. Esta aplicação incorreta da antropometria e da teoria evolucionista é ainda mais trágica porque o modelo biológico de Lombroso era absolutamente inválido e porque motivou uma ênfase descabida sobre as supostas t e n d ê n c i a s inatas dos criminosos em detrimento rio estudo das bases sociais da criminalidade. 1 * Referência à opereta cômica 77/e Mikado (1885) de William Schwenck Gilbert (libretista) e Arthur Sullivan (compositor).XDO CORPOS vida. T i nham a esperança de usar a c i ê n c i a moderna para varrer da jurisprudência a antiquada bagagem filosófica do livre arbítrio e da responsabilidade moral ilimitada. passaram à nossa prática. em grande parte. que a consideram uma heresia jurídica. As sanções penais devem adaptar-se. A conseqüência lógica desta conclusão é a indeterminação da sentença. e n ã o a gravidade objetiva do crime" (p. mas como referência ao sentido filosófico do empírico e do objetivo em lugar do especulativo. 52). e n ã o . recomendava a deportação para a colônia africana da E r i tréia. havia atacado a arbitrariedade da prática penal existente. E c o m o sc cm um h o s p i t a l algum médico quisesse estabelecer para cada doença um período definido de* permanência no estabelecimento (Ferri.) - Os primeiros lombrosianos advogavam um tratamento severo para os "criminosos natos". Mas os positivistas. delito. tal seleção. As penas previamente estipuladas são absurdas do ponto de vista da de fe s a da s o c i e d a d e . fez o elogio dos Estados t. talvez em regiões não cultivadas por serem zonas de malária endêmica: "Se a eliminação dessa malária requer uma hecatombe humana. a sociedade não tem que se proteger dele. estaria de acordo com as leis naturais a humanidade realizar uma seleção artificial através da eliminação dos indivíduos anti-sociais e inadequados. protofascistas. o melhor evidentemente seria sacrificar criminosos em vez de lavradores honestos" (1897. à personalidade do criminoso. Um criminoso nato podia ser mandado ao banco dos réus por algum crime sem importância. tendemos a considerá-las humanitárias e progressistas. Um isolamento prematuro em lugares bucólicos poderia mitigar essa t e n d ê n c i a inata e assegurar uma vida útil sob contínua c estrita supervisão. Uma vez que suas convicções. o estivessem). Faria sentido executá-lo ou condená-lo à prisão perpétua? Ele não nrecisa de reforma pois sua natureza é boa.hiidos. já que não cometerá outra transgressão. De que serviria impor-lhe uma pena breve se n ã o podia ser reabilitado? Uma pena breve só reduziria o prazo da realização do próximo.. e poucas pessoas sabem que o sistema moderno de liberdade condicional. Os antropólogos criminais lombrosianos n ã o eram sádicos abjetos. 251). invocando o modelo ampliado de Lombroso e chegando a expandir a gênese do crime para nela incluírem não apenas os fatores biológicos mas também os educativos.. Eles se autodenominavam a escola "positiva" de crimiriologia.. Tendo em conta a pequena extensão do império colonial italiano. Em outros casos de criminalidade incorrigível. na verdade. pode ser natural ou artificial. de r e d u ç ã o da pena e de indeterminação da s e n t e n ç a deriva em parte da campanha de Lombroso em favor do tratamento diferencial dos criminosos natos e dos ocasionais. e talvez mais grave. p.

ele é observado no cárcere. Maurice Parmelee.. tortura. criticou o excesso de rigor de uma lei do Estado de Nova York. desterra. que levariam muitos reformadores modernos a questionar o caráter humanitário do conceito lombrosiano de indeterminação da sentença. ao mesmo tempo em que assegurava um máximo de proteção ao Estado: "A pena não deveria ser um castigo compensatório do crime. n!: c r u e l d a d e . Segundo ele. 1911. o conceito de indeterminação da sentença refletia a realidade biológica. ao tentar fugir. vestidos com casacas. com a possibilidade da redução da pena. sancionada em 1915. onde o sursis podia se prolongar indefinidamente até o fim da vida: "No Escritório Central de Vigilância de Boston. as de Ferri. Contudo. discípulo de Lombroso]. As propensões criminosas podiam ser detectadas através da medição do crânio e de outros métodos? Que papel desempenha a hereditariedade na criminalidade? Existe a denravação congênita? (Ressiirrfiçân. Muitos estados americanos haviam adotado o programa positivista. Maudsley e T a r d e e leu-as cuidadosamente. A filha de Lombroso louvou o histórico exaustivo de atos e estados de ânimo mantido por voluntárias que velavam pela sorte dos delinqüentes juvenis em diferentes estados da U n i ã o . 135). mas uma defesa da sociedade. mas sem dúvida n ã o para aquela que ele tentava resolver. para segregar o indivíduo perigoso. ainda que os positivistas louvassem os americanos e a si mesmos. e todos os seus atos são julgados. o tempo todo.y 1R99J. A princípio.ÍK. li muitas cartas de pessoas protegidas que pedem para voltar ao cárcere para não continuar a sofrer a humilhação de sempre ter o protetor em suas costas" (ou "em suas trouxas". p. muitas vezes age como firme aliada das instituições existentes. e a propor um retorno às penas previamente estipuladas da criminologia clássica. açoita e mata? E as respostas que encontrou eram argumentações acerca de os seres humanos possuírem ou n ã o livre arbítrio. "Se o rapaz cometesse algum delito". é o provocador. Assim. como queria Lombroso.VI ÍAISA MEDIDA DO HOMEM MEDISDO C ORPOS hegemonia da criminologia clássica. esses dados "permitiriam aos juizes fazer uma distinção entre o criminoso nato e o habitual. Comprou as obras de Lombroso e Garofalo [barão italiano. Liszt. alcoolismo e vadiagem (Parmelee. ficava cada vez mais desapontado. o rapaz deve ignorar a existência desse histórico para poder desenvolver-se com toda liberdade" (Lombroso-Ferrero. 124). e havíamos dado provas de grande receptividade em matéria de inovação. depois de onze anos (oito e meio dos quais passados em uma solitária) de uma sentença indeterminada — entre um mínimo de um ano e um máximo de prisão perpétua — poi ler roubado setenta dólares de um posto de gasolina. p. portador de estigmas simiescos. Entretanto. e comprara tudo o que lhe fora possível encontrar sobre o assunto. 1911). 143 . Hoje em dia. ornados de dragonas e rendas.I. como outros que vira fora dos muros da prisão. protagonista de um de seus romances.. quando ela própria não é melhor que aqueles que tortura. ambos repugnantes no seu ctnhrutccimenfo insano c na r.. sua obra também continha os germes da dúvida. A ciência. particularmente em Massachusetts. Esse sistema também serve. Segundo os lombrosianos. e sua vida posterior é submetida a uma vigilância mais estrita. açoita e mata outras pessoas. mas neles tampouco conseguiu perceber o tipo criminoso descrito pela escola italiana de criminologia: via neles apenas indivíduos que pessoalmente achava repugnantes. autor de Soledad Brother. Mas. uma classe de pessoas prende. p. A ciência tinha resposta para milhares de perguntas muito sutis e engenhosas vinculadas à lei criminal. 208). tentando compreender o sistema que fora capaz de condenar sem razão uma mulher que ele certa vez prejudicara. o pobre e o negro. que estabelecia uma pena indeterminada de até três anos por infrações tais como p e r t u r b a ç ã o da ordem. este último era o criminoso nato. Sua pergunta era muito simples: Por que. estabelecendo sistemas de liberdade condicional e introduzindo a indeterminação da sentença e leis de indulto muito liberais (Lombroso-Ferrero. à medida que l i a . enquanto lhe acenam. estuda em vão os eruditos tratados de antropologia criminal: Deparou-se também com um vagabundo e uma mulher. como ela afirmou literalmente em francês — Lombroso-Ferrero. O príncipe Nekhlyudov. George Jackson. o sistema da sentença indeterminada — que Lombroso nos legou — constitui um controle geral e muito estrito sobre todos os aspectos da vida do prisioneiro: seu histórico cresce até determinar seu destino. criando grandes reformatórios. desordens domésticas. notou ele. 1911. Os indivíduos perigosos recebem condenações mais longas.. o principal positivista americano. E l a t a m b é m reconheceu o penoso componente de vexame e humilhação presente em vários sistemas de liberdade condicional. e com que direito. morreu vítima do legado lombrosiano. 1897. 1918). ajustada ao perigo que representa o criminoso" (Ferri. tivera esperanças de encontrar a resposta em livros. Coda A frustração de Tolstói com relação aos lombrosianos estava no fato de estes invocarem a ciência para evitar a questão básica da transformação social como possível solução.

Que belo cromossomo criminoso! A l é m disso. engendrou-se uma história de que certos cromossomos determinariam a conduta criminosa. O número de homens X Y Y internados em instituições mentais para delinqüentes parece ser maior que o normal.) 144 .. mas não existe nenhum indício seguro que indique uma freqüência igualmente elevada nas prisões comuns.." O caráter mítico da constituição cromossômica X Y Y como estigma da criminalidade já foi revelado. um grupo de investigadores (Jarvik et ai. 92). em minha opinião. e uma dose dupla provoca uma duplicação desta. Adicionando-se a quantidade de indivíduos que podem ser encarcerados em prisões comuns com a mesma freqüência que os homens XY normais. até o momento. sua pele é fraca e. Depois dos grandes distúrbios ocorridos nos guetos negros durante o verão de 1967. Os machos X Y Y parecem normais. M a s a profecia n ã o garante o seu próprio cumprimento? Os pais foram informados. E o que dizer da angústia dos pais. mas em critérios próprios do século X X : nos genes c nas delicadas estruturas cerebrais. a maior fertilidade. bem como a elevada presença dessa classe de indivíduos cm instituições mentais concebidas para a reclusão de delinqüentes com deficiências mentais. Pode acontecer de uma criança receber dois cromossomos Y de seu pai. (Na verdade. Chorover (1979) calcula que uns 96% dos homens X Y Y levam uma vida comum e nunca atraem a atenção das autoridades penais. R. foram escritas centenas de artigos sobre as conseqüências comportamentais da combinação cromossômica X Y Y . esse cromossomo há de ser a sede da agressividade. 1979): 145 * Ocorrências registradas por métodos não científicos (N. mas sua altura tende a ser um pouco maior que a média. Os sinais de criminalidade inata não são mais procurados cm estigmas anatômicos. Outros cientistas atribuíram a conduta criminosa ao mal funcionamento de áreas específicas do cérebro. A revista Newsweek publicou um artigo intitulado "Criminosos c o n g ê n i t o s " . Em meados da década de 1960. (O macho normal recebe um só cromossomo X de sua m ã e e um cromossomo Y de seu pai. a fêmea normal recebe um só cromossomo X de cada um dos pais. começaram a ser publicados artigos em que se estabelecia uma relação entre uma anomalia cromossômica dos elementos do sexo masculino denominada X Y Y e a conduta violenta e criminosa. Esses dois estudos expõem os defeitos metodológicos elementares de que padece a maioria dos trabalhos que afirmam a existência de uma relação entre a constituição cromossômica X Y Y e a criminalidade. ou n ã o . Entretanto. como tudo parece indicar? Teoricamente. 1977). p.) Tomando por base um reduzido n ú m e r o de observações e relatos não científicos* a respeito de uns poucos indivíduos X Y Y . Um grupo bem-intencionado mas. As toscas avaliações do índice craniano foram substituídas pela complexidade dos testes de inteligência. a existência. de um vínculo entre essa c o m b i n a ç ã o cromossômica e o comportamento agressivo. a única base para se supor a existência de um vínculo entre a combinação X Y Y e a tendência à agressividade criminosa foi a idéia notavelmente simplista de que. Pyeritz et al. que se revela em características como a altura inusitada. pela observação de uma ampla amostragem de meninos X Y Y . pp.A FALSA MEDIDA DO HOMEM MEDINDO CORPOS Epílogo Vivemos num século mais sutil. Em 1973. mas os argumentos básicos parecem nunca mudar. 1977. portanto. Essa história logo passou para o domínio público quando os advogados de defesa de Richard Speck. em média — embora não haja um consenso quanto a isto —. tendem a obter resultados um tanto inferiores nos testes de inteligência. de médicos bostonianos começou a desenvolver um vasto programa de seleção entre crianças recém-nascidas. e todas as afirmações acadêmicas quanto à indeterminação de um experimento não são capazes de fazer frente aos relatos da imprensa e às inferências de pais preocupados diante do comportamento agressivo que toda criança ocasionalmente exibe. 679-680) declarou o seguinte: "O cromossomo Y determina a masculinidade. X Y ) . e a imprensa difundiu inúmeras notas a respeito dessa última r e e n c a r n a ç ã o de Lombroso c seus estigmas.. não temos provas de que a proporção relativamente elevada de indivíduos X Y Y em instituições mentais para delinqüentes tenha qualquer relação com a existência de níveis elevados de agressividade inata. a investigação acadêmica acolheu o tema e. não é de surpreender que a presença de um cromossomo Y adicional possa produzir um indivíduo dotado de um alto grau de masculinidade. Um máximo de 1% de homens X Y Y americanos pode passar parte de sua vida nessas instituições mentais (Pyeritz et al. principalmente se a correlação entre os dois f e n ô m e n o s for falsa.. como os machos são mais agressivos que as fêmeas e possuem um cromossomo Y que as fêmeas não têm. assassino de oito estudantes de enfermagem em Chicago. três médicos escreveram uma carta ao prestigioso Journal of the American Medicai Association (citado in Chorover. tentaram atenuar sua condenação afirmando que se tratava de um X Y Y . (Borgaonkar e Shah 1974. e poderosas tendências agressivas. é apenas um macho normal. Eles esperavam poder definir. ingênuo.

Os médicos que escreveram essa carta são psicocirurgiões. a opressão que ergue guetos e mina o espírito de seus habitantes desempregados? . Contudo. e n t ã o por que. não se engendra uma teoria similar? As populações humanas apresentam uma grande variedade de comportamentos. Se a conduta violenta de algumas pessoas desesperadas e desalentadas teria de indicar a existência de alguma desordem específica em seus cérebros. e que apenas uma fração deles cometeu atos i n c e n d i á r i o s . não constitui prova alguma de que o cérebro dos primeiros padeça de alguma patologia específica. Devemos concentrar-nos no desenvolvimento de uma hipótese infundada quanto à violência de alguns — hipótese que segue a filosofia determinista de culpar a vítima — ou devemos tentar eliminar. se as c o n d i ç õ e s de vida nesses cortiços são a única causa dos distúrbios.A FALSA MEDIDA DO HOMEM É importante observar que apenas um pequeno n ú m e r o entre os milhões de habitantes dos cortiços participou dos distúrbios. antes de mais nada. por que a grande maioria de seus habitantes é capaz de resistir à t e n t a ç ã o da violência desenfreada? H a veria alguma coisa nos moradores violentos que os diferencia de seus vizinhos pacíficos? Todos tendemos a generalizar a partir de nossas respectivas áreas de especialização. fizeram disparos e praticaram assaltos. o simples fato de alguns manifestarem certa conduta e outros n ã o . no caso da corrupção e da violência de certos membros do Congresso e de certos presidentes.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->