P. 1
Aula 3 - Metabolismo Microbiano

Aula 3 - Metabolismo Microbiano

4.43

|Views: 20.062|Likes:
Publicado porFranciele Finck
Aula 3 de Microbiologia - Metabolismo Microbiano
Aula 3 de Microbiologia - Metabolismo Microbiano

More info:

Published by: Franciele Finck on Aug 25, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/19/2013

pdf

text

original

Metabolismo Microbiano

Metabolismo ⇒ Toda atividade química realizada pelos microrganismos.

-Liberação de energia; Dois tipos de Atividade - Utilização de energia.

Energia requerida pela célula microbiana
2. Biossíntese das partes estruturais da célula; 3. Síntese de enzimas, ácidos nucléicos, polissacarídeos, fosfolipídeos e outros componentes químicos da célula; Reparo de danos e manutenção da célula em boas condições;

4.

5. Crescimento e multiplicação; 6. Armazenamento de nutrientes e excreção de produtos;

Catabolismo e Anabolismo:

Principais fontes energéticas dos microrganismos
Microrganismos:  Quimiotróficos → obtêm energia por degradação de nutrientes ou substratos químicos;  Quimioheterotróficos → degradam compostos orgânicos para obter energia;  Quimioautotróficos → degradam compostos inorgânicos para obter energia;  Fototróficos → utilizam a luz como fonte de energia.

Energia química e transferência de energia
 Energia química → energia contida em ligações químicas das moléculas de nutrientes especiais;  Energia radiante → pode ser utilizada por alguns microrganismos, mas estes devem convertê-la em energia química;

 Energia térmica → associada com o movimento ao acaso das moléculas ou átomos – é uma forma de energia que não pode ser utilizada pelos seres vivos.

Transferência de energia entre reações químicas exergônicas e endergônicas  Reações exergônicas → libera energia → associadas a degradação de nutrientes ou substratos químicos;  Reações endergônicas → necessita energia → associadas à síntese de constituintes celulares;  Nos seres vivos → as reações exergônicas fornecem a energia necessária para as reações endergônicas.

Para ligar essas reações, os organismos desenvolvem o processo chamado acoplamento energético:
Reação exergônica libera energia

Parte da energia é armazenada em um composto de transferência de energia (ATP)

Os compostos de transferência de energia doam a energia armazenada para uma reação endergônica.

Produção de ATP pelos microrganismos
Existem 3 vias gerais nas quais a fosforilação do ADP pode ocorrer:  Fosforilação em nível de substrato → processo no qual o grupo fosfato de um composto químico é removido e adicionado diretamente ao ADP;  Fosforilação oxidativa → processo no qual a energia liberada pela oxidação de compostos químicos é utilizada para a síntese de ATP a partir de ADP;  Fotofosforilação → processo no qual a energia da luz é utilizada para a síntese de ATP a partir de ADP.

Fosforilação em nível de substrato

Figura 1 – Um exemplo de fosforilação em nível de substrato.

Fosforilação oxidativa:

todas as reações de oxidação liberam energia e muitos

organismos desenvolveram vias que permitem a utilização desta energia para a síntese do ATP. A energia é liberada por uma série integrada de reações de oxidação seqüenciais denominada sistema de transporte de elétrons

A energia é armazenada temporariamente em forma de força protomotiva

A força protomotiva fornece energia para a síntese do ATP a partir do ADP

Reações de oxidação:  Oxidação → perda de um ou mais elétrons de um átomo ou molécula. Exemplo: ácido succinínico (forma reduzida) → ácido fumárico (forma oxidada) + 2H  Redução → ganho de um ou mais elétrons. Exemplo: Fe3+ + e- → Fe2+

Sistema de transporte de elétrons
Doador de elétrons.
e
-

e e (O/R)1 → (O/R)2 →(O/R)3
-

e-

Aceptor final de elétrons.

Energia liberada para a síntese de ATP.

 Microrganismos aeróbios: 1/2O2e- + 2H+ → H2O  Microrganismos anaeróbios: utilizam nitrato, sulfato ou ácido fumárico como acptores de elétrons.

Figura 2 – Ilustração esquemática do sistema de transporte de elétrons.

Força protomotiva

Figura 3 – Desenho esquemático ilustrando a concepção da força protomotiva por meio de um modelo mecânico.

Figura 3 – Representação esquemática do sistema de transporte de elétrons na membrana citoplasmática de bactérias.

Vias de degradação de nutrientes
Degradação de nutrientes complexos

Figura 4 - Transporte dos equivalentes redutores através da cadeia respiratória.

Glicólise

Figura 5 – Decomposição da glicose a ácido pirúvico.

Fermentação

Figura 7 - Fermentação alcoólica por leveduras.

Respiração

Figura 6 - Respiração aeróbica por leveduras.

Figura 8 – Ciclo da ácido cítrico.

Figura 9 – Esquema geral mostrando algumas vias de degradação utilizadas pelos organismos para a quebra de nutrientes complexos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->