Você está na página 1de 1

DIREITO AMBIENTAL – AULA 01

PROF. TATIANA YOKOZAWA RUMIATO


tatiana@sercomtel.com.br

1. A QUESTÃO AMBIENTAL
Evolução da Terra – tempos geológicos (bilhões de anos), tempos biológicos (centenas
de milhões de anos) e tempos históricos (milhões de anos).
Tempos Históricos – dilapidação pelo homem do patrimônio natural formado nos TG e
TB.
Recursos consumidos – desequilíbrio ecológico.
Tempos modernos – reconhecimento da importância e fragilidade do mundo natural e
da resposabilidade do homem pelo futuro incerto da Terra.
Homem - necessidade ilimitada, natureza - recursos limitados.
Questão ideológica mascarando a busca pelo controle sobre os bens essenciais da
natureza.
Processo de desenvolvimento se realiza às custas dos recursos naturais vitais.
1º alerta – Convenção das NU para o Meio Ambiente – 1972
Proposta de crescimento zero.
Brasil – proposta contrária – crescimento a qualquer custo.
Resultado – desertificação, poluição, erosão, doenças...
Hoje – 18 mil km2 de área verde/ano.
Pressentimento dos riscos pela sociedade – conscientização da necessidade de
padrões de uso dos recursos naturais.

2. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – SAÍDA PARA A CRISE


Alternativa ao crescimento desenfreado.
Consiste na conciliação entre o desenvolvimento, a preservação da natureza e a
qualidade de vida.
Rio 92 – Declaração do Rio e Agenda 21 estabelecem DS como meta.
Proteção ambiental parte do processo de desenvolvimento X ou desenvolvimento ou
meio ambiente.
Consideração dos problemas ambientais dentro de processo contínuo de
planejamento.
Política ambiental como instrumento do desenvolvimento – gestão racional dos
recursos naturais (base material).
Preocupação com a qualidade de vida – erradicação da pobreza e exclusão social.
Assim, desenvolvimento sustentável é um processo de mudança, no qual o uso de
recursos, as políticas econômicas e a dinâmica populacional estão em harmonia,
potencializando o progresso humano.
É aquele que atende as necessidades do presente sem comprometer a possibilidade
das gerações futuras atenderem suas próprias necessidades.
Por enquanto, é mero conceito, instrumento de propaganda.
Necessidade imperiosa de mudança da compreensão e conduta humana.
Educação ambiental.
Instrumentos legais apropriados.
Duplo ordenamento – direito de usufruir e dever de conservar.