Você está na página 1de 50

Ao todo disponibilizei 50 páginas de um total de 272.

As páginas foram selecionadas de várias partes do


livro e depois agrupadas.

Roberto Cardia

TAEKWONDO
Arte Marcial e Cultura
Coreana
Volume I

Contato:

robertocardia@ig.com.br
www.taochido.com
(21) 32344066 - 88763575
Rio de Janeiro
Copyright © 2007 by Roberto Nascimento Cardia

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS – É proibida a reprodução


total ou parcial, de qualquer forma ou qualquer meio. A
violação dos direitos de autor (Lei nº 9.610/98) é crime
estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.

Capa e projeto gráfico: Roberto N. Cardia


Diagramação: Roberto N. Cardia
Revisão de diagramação: Cíntia Daflon
Revisão final: Alexandre Arbex Valadares

FICHA CATALOGRÁFICA

C267t
Cardia, Roberto Nascimento, 1970-
Taekwondo: arte marcial e cultural coreana / Roberto N.
Cardia. Rio de Janeiro: R. N. Cardia, 2007.

Bibliografia
272

1. Taekwondo 2. Arte Marcial I. Título.

CDD-796.8
Catalogação na publicação: André Benício – CRB/RJ 5710

Pedidos e contato com o autor: (21) 8867-3575


E-mail do autor: robertocardia@ig.com.br

Incentive a produção de publicações sobre o Taekwondo.


Não faça (ou empreste para)
a fotoreprodução.
AGRADECIMENTOS

Impossível deixar de citar e prestigiar a todos que fizeram nascer


esta obra com suas generosas contribuições. Sem mensurar a
quantidade e a qualidade de informações, revisão, diagramação,
tradução, ilustração e empréstimos de bibliografia de cada
contribuinte, meu agradecimento é igual para todos. Por este
motivo, a ordem alfabética justifica o sentimento de igualdade.

O meu muito obrigado,

Ms. Roberto Cardia

Alexandre Arbex Valadares


Angelo Cesar Resende
Bell Menezes
Carlo Felipe Albuquerque dos Santos
Chrystiane Stein
Cintia de Aquino Daflon
Débora Monteiro Moretti
Edimir Fumio Kawakubo
Ely Nascimento Cardia
Fabiane Ferreira Durão
Francisco Jose de Luccas Braga
Guilherme Lacerda
Henrique Oliveira
Jadir Fialho Figueira
Letícia Rianna Santana
Liebe Busse Ribeiro (in memoriam 1930 - 2004)
Lucas Cortezia Quedevez
Marcos Roberto M. M. Coutinho
Maria Aparecida de Oliveira Monteiro
Nadir de Carvalho
Ramon Pereira de Souza
Renato Ribeiro
Yong Min Kim

Academia Kim
Casa do Alpinista
Confederação Brasileira de Taekwondo
Federação de Taekwondo do Estado do Rio de Janeiro
Federação Paulista de Taekwondo Olímpico-Tradicional
Liga Nacional de Taekwondo
“Ter experiência ou imitar técnicas em Artes
Marciais não significa ter possibilidades reais de
sair vitorioso, mas conhecer seu próprio corpo
e meditar sobre o que realmente ele pode
fazer”.

Ms. Roberto Cardia

ESPÍRITO DO TAEKWONDO

CORTESIA

INTEGRIDADE

PERSEVERANÇA

AUTOCONTROLE

ESPÍRITO INDOMÁVEL
WWW.KIMTKD.COM.BR

PATROCÍNIO:

MESTRE RENATO RIBEIRO


(21) 25399798
TAEKWONDO
Arte Marcial e Cultura Coreana

Taekwondo em coreano.

O Caminho dos Pés e das Mãos

Reserva Florestal do Grajaú.


ÍNDICE

o AGRADECIMENTOS / 03
o DEDICATÓRIA / 19
o PREFÁCIO / 21
o NOTA / 22
o PALAVRAS DO AUTOR / 23

CAPÍTULO I

o O PRINCÍPIO I / 28
o O PRINCÍPIO II / 32
• No mundo / 32
• Entre o mundo e o Brasil / 33
• No Brasil / 33
o ARTE MARCIAL I / 36
o FORMAÇÃO DE ROMA / 39
o COLISEU / 41
o ARTE MARCIAL II / 43
o UM NOME A SER BATIZADO / 44
o GUERREIROS E SUAS NAÇÕES / 45

CAPÍTULO II

o ORIGEM E HISTÓRIA DO TAEKWONDO / 48


o TAEKWONDO ATUAL / 51
o CRONOLOGIA / 52
o INFLUÊNCIAS NAS ARTES MARCIAIS COREANAS / 61
o HISTÓRICO DA ARTE MARCIAL COREANA / 62

CAPÍTULO III

o TÉCNICAS DE GRADUAÇÃO / 70
• BAL KI SULL (técnicas de perna) / 71
• SON KI SULL (técnicas de mãos) / 72
• KON KIOK SULL (técnicas de ataque) / 73
• POOMSAE (formas) / 74
• SEBOM KYORUGI (autodefesa contra três ataques iguais) / 74
• DOBOM KYORUGI (autodefesa contra dois ou mais ataques
diferentes) / 75
• JOÁ KYORUGI (autodefesa de joelhos contra um ataque) / 75
• KYORUGI (luta) / 75
• SEOGI (base) / 76
• GRADUAÇÕES DE FAIXA / 77
• SEGUI (contagem) / 77
Cardinal / 77
Ordinal / 77
o POOMSAES E PALGWES / 78
• SAJU AP CHAGUI / 78
• SAJU JIREUGI / 78
• TAEGEUK IL JANG (faixa amarela 8º Gub) / 78
• TAEGUK I JANG (faixa amarela ponta verde 7º Gub) / 79
• TAEGUK SAN JANG (faixa verde 6º Gub) / 79
• TAEGUK SA JANG (faixa verde ponta azul 5º Gub) / 79
• TAEGUK O JANG (faixa azul 4º Gub) / 80
• TAEGUK YUK JANG (faixa azul ponta vermelha 3º Gub) / 80
• TAEGUK TCHIL JANG (faixa vermelha 2º Gub) / 80
• TAEGUK PAL JANG 1º Gub / 81
• KORYO 1º Dan / 81
• GUM KANG 2º Dan / 82
• TAEBAEK 3º Dan / 82
• PYONGWON 4º Dan / 82
• SIPJIN 5º Dan / 82
• JITAE 6º Dan / 83
• CHONKWON 7º Dan / 83
• HANSU 8º Dan / 84
• ILYEO 9º Dan / 84
• 10º Dan / 84
• Hians (Hyongs) de faixa preta / 84
• Hians (Hyongs) de faixa colorida / 85
o SIGNIFICADO DAS FAIXAS / 88
• Branca / 88
• Amarela / 88
• Verde / 88
• Azul / 89
• Vermelha / 89
• Preta / 89
o PRINCÍPIOS DO DOBOK / 90

CAPÍTULO IV

o JURAMENTOS / 94
• Espírito do Taekwondo / 94
• Juramento do aluno / 94
• Juramento do atleta / 94
• Juramento do árbitro / 95
• Juramento de faixa preta / 95
o FILOSOFIA / 95
o HIERARQUIA / 96
o GRADUAÇÕES / 96
o CONDUTA DO PRATICANTE / 97
o DEFESA PESSOAL (Hon Shi Sull) / 97
• Técnicas contra armas / 98
• Técnicas especiais / 98
o TÉCNICAS DE QUEBRAMENTO (Kiok Pa Sull) / 98
• Materiais / 98
• Parte do Corpo para o Quebramento / 98
• Princípios de Execução / 99
Concentração / 99
Velocidade / 99
Força / 99
Salto / 99
Grito /99
Área de contato / 99
Rotações / 100
Peso corporal / 100
Posição / 100
Respiração / 100
Observação do alvo / 100
• Formas de Quebramento / 101
Com as mãos / 101
Com o cotovelo / 101
Com os pés / 101
Com a cabeça / 102
o EQUIPAMENTOS / 102
• Raquete ou palheta / 102
• Saco de pancada / 102
• Tan Lion De - Kwon Go (Makiwara) / 102
• Barra / 102
• Tecido longo / 102
• Bacia de areia / 102
• Espelho / 102
• Corda / 102
• Elástico / 102
• Venda / 103
• O Dobok e a faixa / 103
• Sapatilhas / 103
• Pisos de aderência / 103
• Manopla / 103
• Escudo / 103
• Protetor bucal / 103
• Protetor de seios / 103
• Protetor genital / 103
• Colete ou protetor tórax / 103
• Caneleira / 103
• Protetor de antebraço / 103
• Capacete / 103
• Esparadrapo / 103
• Luvas e meias protetoras para os pés / 104
o ARMAS (Mu Kee) / 104
• Mangual - a origem do I Yom Bom / 105
• I Yon Bom / 106
• Sam Yon Bom / 107
• Bong / 108
• Tahn Bong / 108
• Jung Bong / 108
• Jang Bong / 109
• Jee Pang E / 109
• Nat / 110
• Jang Tan / 110
• Cha Ru / 111
• Kum / 111
• Outras armas / 112
o ARTES MARCIAIS COREANAS / 112
• Soo Bak Gi / 112
• Soo Bak Do / 112
• Sireum / 112
• Hwa Rang Do / 114
• Chang Moo Kwan / 114
• Kum Do / 114
• Taekkyon / 114
• Yudo / 116
• Muye Eship Saban / 116
• Bongukgeom / 116
• Jedokgeom / 116
• Sangsudo / 116
• Joseon Sebeop / 116
• Kuk Kung / 117
• Hap Ki Do / 117
• Han Full / 117
• Jung Do Sull / 117
• Tu Kum Sull / 118
• Buldo Mu Do / 118
• Ta Kyuk Sull / 118
• Hwa Rang Kum Bub / 118
• Han Mu / 118
• Hoi Jeon Moo Sool / 119
• Sulsa / 119
• Kuk Sool Won / 119
• Kwan Jyel Sul / 119
• Yu Sool / 119
• Keupso Chirigi / 120
• Pakchigi / 120
• Kung Sool / 120
• Sipalki Do / 121
• Moo Duk Kwan / 121
• Taekwondo Songahm / 121
• Taekwon-Do Society / 122
• Taekwondo Global / 122
• Outras Artes Marciais Coreanas / 123

CAPÍTULO V

o COMPETIÇOES / 126
• Kyorugi / 127
• Kyorugi de duplas / 127
• Poomsae / 127
• Quebramento / 127
• Defesa pessoal / 127
• Kyesok Bandal / 127
o TÉCNICO E ATLETA / 128
• Técnico / 128
• Atleta / 128
o PROFESSOR, ALUNO E ENSINO /129
• Dificuldade no Ensino / 129
• Chamar atenção é necessário; expulsar, não / 130
• Arte Marcial sem Distinção / 130
• Posição Profissional / 131
• Estado de Tensão / 132
o O LADO OPOSTO DAS COMPETIÇÕES (Uma visão do
autor) / 132

CAPÍTULO VI

o A ARTE MARCIAL TAEKWONDO / 136


o KIHAP / 136
o PONTOS VITAIS / 138
o KUKKIWON / 139
o MEDITAÇÃO / 140
o CONHECIMENTOS BÁSICOS / 141
o CURIOSIDADES / 142
o OS ANIMAIS NO TAEKWONDO / 150

CAPÍTULO VII

o CORÉIA / 154
Descendências / 154
Território Coreano / 154
• CORÉIA DO SUL / 155
Idioma / 155
Alimentação / 156
Receita de Kimchi / 157
Decoração Tradicional / 157
Vestimenta / 160
Bandeira coreana / 160
A figura social da mulher / 161
Festas tradicionais / 161
Outras datas comemorativas / 162
Superstição / 163
Coréia cultural / 164
Atividades econômicas / 166
Religião / 166
Os Espíritos / 170
Sushô / 171
Histórico religioso / 171
Artes / 172
Cidades importantes / 174
Imigração / 175
• CORÉIA DO NORTE / 176
o GUERRAS E DINASTIAS / 177
• Períodos / 177
• Três Reinos / 178
• 313 a 924 / 178
• 924 a 1392 (dinastia Koryo) / 179
• 1392 a 1910 (dinastia Choson/Joseon/Yi) / 179
• 1910 a 1948 / 180
• 1948 a 2002 / 181

CAPÍTULO VIII

o TAEGUK (YIN YANG) / 184


o DO / 187
o KI / 187
o CINCO ELEMENTOS / 189

CAPÍTULO IX

o CONTOS ORIENTAIS / 192


• O surgimento da Coréia / 192
• Preciosas Bondades / 193
• A Sabedoria de um Monge / 194
• O Bigode do Tigre / 195
o PROVÉRBIOS / 197
• Provérbios Coreanos / 197
• Provérbios Marciais / 198
• Outros Provérbios / 199
• Provérbios Anônimos / 200

CAPÍTULO X

o CHUYOK (I CHING) / 202


o ASTROLOGIA ORIENTAL / 203
o YOGA / 205
o PUNGSU (FENG SHUI) / 206
o TAOÍSMO / 207
• Tao Te King / 208
o TAEKWONDO E ACUPUNTURA / 209
• Indicações / 211
o TAEKWONDO E FITOTERAPIA / 214
• Processo / 214
• Plantas Nacionais / 215
• Plantas Orientais / 215
o CRIAÇÕES DO AUTOR / 216
• Tuio Mondolio Chagi 540o / 216
• Técnicas Dinâmicas para Competições / 217
• Taekwondo Caminhada / 219
• Taekwondo Vertical / 220
• Taekwondo Escalada / 221
• Competição de Kyesok Bandal / 221
• Projeto Oito Irmãos / 222
• Adaptações de Regras Competitivas para Cegos e Deficientes
Visuais / 222
Adaptações / 222
Materiais / 223
Lutas Competitivas / 226
Poomsae / 226
• CD-ROM “A Arte do Taekwondo” / 227
• Regulamento para Competição de Quebramento / 228
• Olgul Ap Dankyo An Chagi / 230
• Olgul Pitro Tit Kunt Chagi / 230
• Tui Dollyo Chagi 360o / 230
• Tui Mondolio Ap Chagi / 230
• Formas Marciais Criativas / 230
• Yin Kwan / 231
• Tao Chi Do / 231
• PL-2007-00412 – Dia das Artes Marciais / 232
• Taekwondo em Cartas / 233
• Termo de Responsabilidade / 233
• Os Fantonecos / 234
• GAV (Amplitude and Velocity Gain) / 235
• Técnicas Intermediárias / 235
• Oração do Taekwondista / 236
• Técnicas Marciais na Prevenção de Patologias Articulares / 236
• Livro: Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana / 237
o TAEKWONDO NA MÍDIA / 237
• Revista Mestre Kim / 237
• Programa de Televisão / 238
• Revista Do / 238
• Revista Sports Taekwondo / 238
• Filmes Taekwondo / 239
• Cartão Telefônico / 239
• Jornal do Taekwondo (on-line) / 239
• Desenhos / 239
• Seminários e Cursos / 239
• Teatro / 240
• Jogos / 240
• Programas / 241
• Livros / 241

CAPÍTULO XI

o HINO NACIONAL BRASILEIRO / 244


o HINO NACIONAL COREANO (Aegukga) / 245
o OPÇÕES DE LEITURAS /246
o VOCABULÁRIO BÁSICO/ 248
o ORGANIZAÇÕES DO TAEKWONDO / 249
• International Taekwon-Do Federation / 249
• Kukkiwon / 249
• Cofederação Brasileira de Taekwondo/ 249
• Federações / 249
• Região Norte / 249
Acre / 249
Amapá / 250
Amazonas / 250
Pará / 250
Rondônia / 250
Roraima / 250
• Região Sudeste / 250
Espírito Santo / 250
Minas Gerais / 250
Rio de Janeiro / 251
São Paulo / 251
• Região Sul / 251
Paraná / 251
Santa Catarina / 251
Rio Grande do Sul / 251
• Região Centro Oeste / 251
Brasília / 251
Goiás / 251
Mato Grosso / 252
Mato Grosso do Sul / 252
Tocantins / 252
• Região Nordeste / 252
Alagoas / 252
Bahia / 252
Ceará / 252
Maranhão / 252
Paraíba / 253
Pernambuco / 253
Piauí / 253
Rio Grande do Norte / 253
Sergipe / 253
o REIS COREANOS (CRONOLOGIA) / 253
o CRÉDITOS / 255
o BIBLIOGRAFIA / 260
o INTERNET / 264
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

DEDICATÓRIA

Podemos dedicar uma vida inteira a alguma coisa; podemos


dedicar parte da vida por alguma coisa ou podemos dedicar coisa
alguma em nenhum momento.
Contudo, estaremos sempre dedicando o nosso tempo...

Esta obra é dedicada ao saber e a qualquer tipo de


expressão cultural, incluo aqueles que, ávidos por
conhecimentos, trabalham para se aprimorar como pessoas e
profissionais, no intuito de viver em um mundo destinado ao
convívio de tantas outras formas de vida. São para os justos
que respeitam a vida e enaltecem a cortesia, a integridade, a
perseverança, o autocontrole e o espírito indomável.
Dedico com carinho aos meus pais, irmãos, amigos,
esposa, mestres, professores e alunos. Aos parentes que já
se foram e me aconchegaram nas situações difíceis e que comigo
brincaram e sorriram nos momentos alegres.
É também para aqueles que me ofenderam e me
caluniaram ou apenas tentaram, com ou sem motivos
justificados. Estes, quando enraivecidos, em especial, fizeram
parte do meu crescimento, contribuindo em minha evolução,
tendo a oportunidade de entendê-los e me conhecer melhor.
Por fim, dedico esta obra ao futuro, ao motivo por
estarmos aqui e ao momento em que se deu o início de toda
uma transformação chamada vida.

Ms. Roberto Cardia

19
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

20
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

PREFÁCIO

O autor demonstra, através da sua criação, uma preocupação


em introduzir o novo leitor em um mundo contrário ao Ocidental.
Para isso faz um largo apanhado de fontes primárias, fotos,
datações e escritos que transportam-nos para uma cultura,
aparentemente, difícil de ser compreendida mas que, uma vez
desvendada, pode perfeitamente conviver com outras
informações que já trazemos.
É muito importante ressaltar o compromisso com a História.
O autor empresta ao livro uma veracidade facilmente
comprovada se comparado com outras fontes disponíveis.
A linguagem é simples e o autor emprega seus esforços,
muitas vezes, para explicar a terminologia que diga respeito a
uma ou outra abordagem.
No entanto, não se trata de mais um livro sobre Artes e
Técnicas Marciais. Outrossim, trata-se de um apanhado sobre
um modus vivendi que ainda pode existir nos dias atuais e que
dá embasamento para práticas transformadoras. É um
agradável passeio por informações variadas, indicações
bibliográficas, curiosidades, esporte e luta. Na realidade, é uma
leitura sedutora que convida o apreciador a querer estudar mais
sobre o assunto e aprofundar-se em casos específicos.
Sinto-me privilegiada por escrever estas linhas por dois
motivos: conhecer de perto a trajetória do autor e ainda
respeitá-lo como profissional e estudioso que busca canalizar
seu conhecimento para a saúde e o bem-estar comum.

Chrystiane Stein

21
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

NOTA

Como não existe uma única nomenclatura que possa


abranger todas variantes do termo Arte Marcial, na maioria das
vezes, esta obra não fará distinção de tal linguagem, deixando
o leitor à vontade em sua leitura para fazer suas próprias
reflexões. Contudo, logo a seguir, é apresentado um pequeno
glossário das possíveis variações que esta locução assume no
texto. Algumas vezes o termo é colocado entre aspas para
enfatizar algum assunto especialmente importante.

• Arte Marcial de Toumai: representa o hominídeo mais antigo


descoberto pela ciência; em tempos primordiais, a Arte Marcial
tem sentido instintivo da autodefesa.
• Arte Marcial Romana: refere-se ao surgimento de Roma e dos
seus gladiadores.
• Arte Marcial Tribal: representa as diversas lutas de combate
através de tribos, nações e reinos fora dos limites (ou época)
da cidade de Roma, ficando na linha do tempo entre a Toumai e
a Militar.
• Arte Marcial Contemporânea: inclui-se nas atuais, competitivas
ou não, tais como, Taekwondo, Hap Ki Do, Chang Moo Kwan,
Hwa Rang Do, Tao Chi Do e etc.
• Arte Marcial Militar: é aquela que foi ou ainda é destinada a
um regimento militar para a proteção de uma nação, sem o uso
das armas de fogo.
• Arte Marcial Desportiva: com finalidades competitivas.
• Arte Marcial Verdadeira: pode ser considerada como Arte
Universal, em que se tem princípio de integridade física, moral,
mental e espiritual.1

1 O sentido espiritual sempre se refere ao sujeito mais elevado e serve para designar
a nossa verdadeira Arte Marcial, ou melhor, Arte Universal.

22
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

PALAVRAS DO AUTOR

Esta obra foi escrita no intuito de recuperar e trazer à


tona a antiga essência marcial há tempos perdida e esquecida
por praticantes, além de partilhar conhecimentos acumulados
há mais de três décadas.
Acredito ser impossível abordar qualquer temática
oriental sem deixarmos de observar o meio cultural do qual faz
parte, por este motivo optei por incluir informações sobre a
cultura coreana, que, por sua vez, é pouco sabida e divulgada
em nosso meio social.
Este compêndio é o resultado de diversos estudos,
pesquisas em bibliotecas, aquisição de obras literárias em
livrarias, sebos, feiras de livros, bancas de livros, empréstimos
de materiais, CD ROMs, revistas, dentre outros.
Com certeza, muito mais haveria a oferecer, mas seria
impossível descrever toda uma cultura marcial e social em
apenas uma obra. Não foi incluído neste livro nenhum capítulo
relativo ao estudo das “Regras de Competição” e “Técnicas
Competitivas” porque estas constantemente são alteradas, e
não foi do meu intuito fornecer ao leitor informações que em
pouco tempo poderiam ficar defasadas. Também não me detive
em apresentar a trajetória evolutiva de todas as Artes Marciais
por ser um assunto imensamente extenso e fora da proposta
apresentada.
Muitos autores são contraditórios no tocante à
concordância escrita de diversas nomenclaturas, tais como:
técnicas do Taekwondo, cidades e pessoas ilustres. Não
obstante, muitos mestres também se contradizem no que diz
respeito às datas mais significativas e a determinados fatos
históricos. No caso dos nomes de pessoas ilustres, foram
mantidas as formas originais, ou seja: nome e sobrenomes ou
sobrenome, nome e sobrenome, como é na língua coreana.
As nomenclaturas técnicas são bastante variadas e por
vezes servem para pôr em evidência algumas mudanças. Em
tempos passados muitos mestres utilizavam-se de vocábulos
diferentes para citar uma mesma técnica. O tit kunt e o tokinbao
são exemplos de nomes diferentes para a mesma técnica, e
que atualmente são chamados de nerio chagui. Embora o
Kukkiwon (World Taekwondo Federation) decida qual a
expressão correta, por outro lado, também esta fonte oficial
tem promovido algumas mudanças de nomenclatura. Por este
motivo não aconselho que se detenham profundamente aos
detalhes dos termos técnicos, mas sim aos fundamentos e

23
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

princípios da “Arte Marcial”. Irão perceber que alguns termos


não estão totalmente atualizados segundo o Kukkiwon, pois
mais mudanças ocorreram durante a finalização desta obra.
Um exemplo é o Tchagui que foi trocado por Chagui e
atualmente poderemos consultar no site www.kukkiwon.or.kr
a mudança recente para Chagi. Entretanto, tal questão chama-
se romanização: tentativa de traduzir os caracteres coreanos
para o português que, muitas vezes, têm falhas por serem
baseados no inglês. Um exemplo é a leitura do “ch” o qual tem
o som de “tch”. Mesmo com muitas formas de escrita a tradução
e o diagrama permanecerão sempre os mesmos, sendo este a
forma mais correta de se escrever. Assim, estas inúmeras
nomenclaturas que “viram” a cabeça dos brasileiros são
importantes por fazerem parte do perfil histórico do Taekwondo.
Quase ao término desta obra, lembrei-me de um antigo
sonho: “Universidade de Artes Marciais”2 e posteriormente um
outro: “Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana”, como um
referencial para consultas e pesquisas acadêmicas. Contribuir
para o crescimento intelectual e um futuro acadêmico na área
marcial foi o objetivo pessoal que tentei manter durante o
processo de criação deste livro, feito com paixão, coerência e
abrangência de informações em um meio pouco conhecido e
divulgado por todos, além de determinação e fé. Naturalmente,
a proposta sempre foi incentivar e colaborar para o crescimento
social do Taekwondo.

Ms. Roberto Cardia

2 Atualmente o autor mantém um compromisso no desenvolvimento de um projeto


nesta área e junta diversos esforços para viabilizar politicamente esta criação.

24
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Visite
WWW.TAOCHIDO.COM

25
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

26
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

CAPÍTULO I

O PRINCÍPIO I

O PRINCÍPIO II

ARTE MARCIAL I

FORMAÇÂO DE ROMA

COLISEU

ARTE MARCIAL II

UM NOME A SER BATIZADO

GUERREIROS E SUAS
NAÇÕES

Flora coreana 1.

27
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

PRINCÍPIO I

Milhões de anos foram necessários para que um corpo e um


cérebro se desenvolvessem até formar o homem atual...
Há 40.000 mil anos surgia uma nova era. Homens que se
defendiam e atacavam com lanças feitas de pontas de chifre e
arco e flecha rudimentar. Mais tarde, 20.000 mil anos depois, as
flechas de determinados arqueiros eram disparadas com o corpo
deitado ao chão e o arco preso nos pés, pronto para ser lançado
contra uma nova presa.

Tudo começou há mais de um milhão de anos na África


Oriental com um grupo de australopithecus na defesa do seu
território e de seus alimentos. Suas armas eram os ossos,
galhos e pedras rudemente quebradas. Os australopithecus3
obedeciam a uma hierarquia, o líder era sempre o primeiro a
comer e só deixava a
liderança em uma disputa
corpo a corpo contra um
jovem guerreiro pela
conquista de um determina-
do alimento. Aprenderam a
gritar para assustar e impor
sua força uns contra os
outros; com isso, afasta-
vam os abutres de carniças,
que também lhes serviam
para consumo, e disputa-
vam o território com os
babuínos. Existiam também
os tigres dentes-de-sabre,
que, por serem carnívoros
Australopitecus com um osso de antílope e muito rápidos, predavam os
uma pedra contra um babuíno. australopitecus . Estes,
porém, com o passar do tempo, desenvolveram técnicas de
ataque em conjunto para enfrentarem esta ameaça. Muitas
vezes conseguiam investir ataques de lançamento de pedras
para defenderem seus objetivos, munidos também de outros
instrumentos que necessitavam da força física. Naquela época,
segurar um osso era algo mais próximo de uma autoproteção
instintiva do que racional. Conseqüentemente começaram a 1
971 d.C.: Começam a surgir diferenças entre a International
3 Palavra de origem latina que significa: australo = sul e pithecus = macaco. Nome
dado pelo fato de ter sido descoberto na África do Sul.

28
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Taekwon-Do Federation e o governo coreano. Por este motivo


o General Choi Hong Hi transfere-se para o Canadá, juntamente
com o Taekwondo.
1 971 d.C.: No dia 25 de janeiro o Dr. Um Yong Kim é eleito
presidente da Korea Taekwondo Association.
1 971 d.C.: No dia 20 de março o Presidente da República da
II
Coréia oficializa o Taekwondo como esporte nacional.
1 972 d.C.: Construído em Seul o Kukkiwon. Atualmente é o
órgão máximo do Taekwondo WTF (World Taekwondo
Federation). Conhecido também como “Quartel General do
Taekwondo”. Inaugurado no dia
30 de novembro.
1 972 d.C.: O Grão Mestre Woo
Jae Lee 7o Dan chega ao Rio de
Janeiro e introduz o Taekwondo
na escola Americana.
1 972 d.C.: Estabelecida uma
nova sede para a International
Taekwon-Do Federation, em
Toronto, Canadá.
1 973 d.C.: No dia 28 de maio,
o presidente Park Chung Hee
convocou uma assembléia com
mestres de Taekwondo, criando
assim, a Word Teakwondo
Federatian, com sede em Seul,
na Coréia do Sul e sob a
presidência do Dr. Um Yong Kim.
1 973 d.C.: Neste ano o
Taekwondo foi reconhecido como
O autor e o Grão Mestre Woo Jae
modalidade esportiva pelo
Lee. O autor recebe um livro Conselho Nacional de Desporto
autografado e entrega o seu primeiro (CND).
CD-rom ao mestre. 1 973 d.C.: Em 19 de janeiro
deste ano, foi realizado o
primeiro Campeonato Carioca de Taekwondo no Brasil,
promovido pelo Mestre Woo Jae Lee.
1 973 d.C: No dia 25 de maio, foi realizado o primeiro
Campeonato Mundial em Seul, através da World Taekwondo
Federation, participando 200 atletas de aproximadamente 20
países.
1 973 d.C.: Em julho deste ano foi realizado o primeiro
Campeonato Brasileiro no ginásio do Pacaembu, no estado de
São Paulo.
HISTÓRICO DA ARTE MARCIAL COREANA

29
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

O florescimento das Artes Marciais na Coréia ficou marcado pelo


reinado de Silla e pela dinastia Koryo, mas pouco depois as
dinastias adquiriram uma postura antimilitar, determinando
assim um aspecto civil. A origem das Artes Marciais coreanas
estão evidenciadas através das descobertas arqueológicas e de
histórias culturais coreanas.

• Dinastia Koguryo: encontra-


se na tumba real de Mooyong
Chong32 pinturas decorativas
retratando a época. Em uma
delas, no teto, dois homens
em posição de luta executam
exercícios de combate,
usando apenas um tipo de
fralda, cabelos presos na
parte posterior da cabeça,
bigodes e cavanhaques
longos. Imagem decorativa na tumba real de
• Na mesma tumba citada Mooyong Chong.
acima, encontra-se outra
cena com dois homens a cavalo
portando arcos e flechas. Um
deles tenta abater um tigre,
enquanto o outro galopa atrás
de dois cervos, que irá ser o
seu sustento alimentar do dia
e provavelmente de sua família
ou povoado.
• Na tumba de Kakchu Chong,
pertencente à dinastia Kogu-
ryo, existe uma pintura de dois Desenho de caça. Tumba real de
Mooyong Chong.
homens praticando uma forma
de luta daquela época, o Soo Bak Gi.
• Diziam os antigos que as simulações de lutas, danças e os
cantos nas festividades, citadas em textos antigos, eram para
consolar e prestigiar os mortos.
• Samguk Gaghi e Samguk Yusa são antigas crônicas coreanas

32 Embora muito citado em diversas referências, Mooyong Chong não está


presente no quadro cronológico dos reis coreanos. O nome mais parecido, e
talvez por motivos de tradução, da dinastia Koguryo é Michong Wang (300-
331).

30
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

que descrevem a prática do Taekkyon executadas pelos


Hwarang.
• As “Histórias dos três reinos” e as “Crônicas dos três reinos”
são os documentos mais conhecidos e fidedignos que relatam
muitas das histórias da cultura coreana.
• Canções populares coreanas relatam muitas das histórias do II
país, como os acontecimentos que marcaram as dinastias, as
práticas do Taekkyon e os grandes feitos de seus heróis – os
Hwarang, por exemplo.
• No volume 81 da “Sui China Chronicles”, existem afirmações
que em Paekche a prática das Artes Marciais eram estimuladas
e apreciadas pelo povo, assim como a luta corpo-a-corpo, o
combate a cavalo e o arco e flecha.
• O desenho em um mural em Pyung
Yang, datado de 725 a.C., retrata
um homem exibindo uma técnica de
Jang Kwon. Neste desenho há um
homem com os cabelos presos em
forma de coque (estilo Samurai),
bigodes compridos e cavanhaque
longo, uma blusa larga tipo Kimono
com mangas até o cotovelo e uma
calça larga que se estende um
pouco abaixo do joelho.
• Em Kyonchu, capital do antigo
reino de Silla, encontram-se
monumentos históricos de grande
valor, os quais representam dados
fundamentais referentes ao
Técnica de Jang Kwon. Mural em progresso da Arte Marcial coreana.
Pyung Yang (Coréia do Norte).

• Documentos relatam que Yi


Min Lee, Jang Joong Bee e
Sa Kyang Sung foram os três
vencedores de uma disputa
corpo-a-corpo anual por um
alto posto do governo e
tornam-se os principais
generais da dinastia Koryo.
Estas disputas eram realiza-
das por ordem do rei Uijong
(1147-1170). Eram muito
apreciadas pela nobreza e Técnica de Jang Kwon. Mural em Pyung
Yang (Coréia do Norte).

31
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

ocorria sempre no mês de Mapas e suas dinastias:

Ko Chosun Chosun Koryo

32
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

• Verde: Won Hyo Hian.


Homenagem ao sacerdote budista Won
Hyo. Foi um monge dedicado e reconhecido
como tendo um grau de espiritualidade
elevada. Curando muitos pobres e doentes
sem recursos financeiros através da sua
própria força interior, ele consumia bebidas
alcoólicas com o pensamento firmado que III
era apenas água para provar que não
ficaria bêbado. Realmente conseguia.

• Verde ponta azul: Iul Gok Hian.


Seus movimentos foram em homenagem a
I Lee (1536-1504). Teve como apelido Iul
Gok, se tornou funcionário do governo aos
treze anos por concurso público, uniu
partidos públicos de idéias divergentes e
previu o ataque e domínio japonês.

• Azul: Jun Gun Hian.


Homenagem a Ahn Jung Gun (1879-1910).
Foi instrutor de equitação e grande atirador
de arco e flecha, formou um grupo e liderou-
o em favor da libertação da Coréia contra
os japoneses. Em 1909 conseguiu derrotar
o comandante japonês I To O, o qual era o
principal mentor das invasões japonesas
em solo coreano.

• Azul ponta vermelha: Te Ge Hian.


Homenagem ao sábio e literato Hwang Lee
(1501-1570), que chegou ao máximo em sua
profissão de cargo público, mesmo
reprovado por duas vezes no concurso. O
diagrama deste hian alude à sabedoria que
ele continha, e os movimentos prestam
homenagem ao o local em que ele nasceu.

De cima para baixo: Won Hyo, I Lee, Ahn Jung Gun e o


livro de Yoga escrito por Hwang Lee.

33
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

O uso do mangual na China. Culturalmente idêntico ao coreano. Comparar com a


imagem anterior.

Esta peça era utilizada da seguinte forma: o malhador


empunhava com as mãos o mango enquanto o pírtigo era batido
no cereal espalhado na eira.
Há relatos de que surgiu na Europa entre os séculos III
e V d.C. Atualmente este instrumento caiu em desuso devido o
aparecimento das malhadeiras mecânicas.
Quando utilizado na forma de arma é conhecido
como Tahn Do Li Ga.
Através desse instrumento de trabalho
utilizado por camponeses deu-se o surgimento do I
Yon Bom.

I Yon Bom
O I Yon Bom teve sua origem direta do
O I Yon
Bom
mangual, que foi utilizado nos campos para bater o
tradicional. cereal no intuito de liberar os grãos da casca.

34
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

• Durante a invasão japonesa,


muitos mestres de Artes
Marciais viajaram para o
exterior em busca de exílio
político.
• A criação do navio “Tartaruga”
(Keo Buk Seon ou Kobukson) do
Almirante Yi Sun Shin oferecia
maior proteção aos tripulantes
e diminuía consideravelmente
Pintura retrata a construção do navio as baixas. No ano de 1592, com
Tartaruga. a ajuda deste navio, os
coreanos conseguiram impedir
a entrada dos japoneses pela costa
da península. Foi também o primeiro
navio do mundo recoberto com
armadura de ferro resistente. Em
sua proa havia uma cabeça de
dragão da qual saia uma fumaça de
enxofre e um canhão.
• Em dezembro de 1973, a revista
VI
“Planeta” publicou um artigo com
sete páginas, mencionando os
praticantes de Taekwondo como
“homens voadores”, que chegavam
a dois ou três metros do solo. Nesta
mesma publicação, de conteúdo
relatado pelo Mestre Sang Min Cho
6º Dan , o Navio Tartaruga exposto em museu.
General Yu Shim Kim é apontado como
o criador do Taekkyon, com o objetivo
em formar os Hwarangs. O artigo narra
que ele esteve em reuniões secretas
com os monges da seita Do Ro para
desenvolver o Taekkyon (Planeta nº 16).
• Kook Hyen Jeong é considerado o
melhor atleta competidor de Kyorugi de
todos os tempos por ter ganhado quatro
mundiais em 1982, 1983, 1985 e 1987,
além de uma medalha de ouro nas
olimpíadas de Seul em 1988.
• Relações religiosas antigas: Munchon,
Pintura retrata história sobre a dança para o céu; Tongmaeng, jogos
o navio Tartaruga. na época com mais de oitenta edifícios

35
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

e hoje restam apenas 10% do seu total. Foi erguido somente


para orar pela paz e prosperidade do reino dinástico de Silla.
A Gruta de Seokguram está localizada no cume de uma
montanha por de trás do Templo de Pulguksa. Esta gruta, cujo
interior encontram-se trinta e nove imagens de Buda, é
considerada a mais bela do mundo.
Em 37 a.C.:

VII
Templo de Pulguksa. Vista da entrada.

Templo de Pulguksa. Pagode Templo de Pulguksa. Vista de cima


Prabhutaratna, um monumento de
pedra. Vista Interior.

36
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

• Surgia em Kogurio o Dong Maeng, um ritual anual realizado no


mês de outubro que consistia em louvar o céu e agradecer a
fartura agrícola.

Artes

As pinturas em vasos e tecidos, as literaturas e as


esculturas retratam a origem de um povo, além de serem muito
apreciadas no mundo inteiro.

• Em Lo Lang (108 a.C. até 313 d.C.), prefeitura chinesa situada


na Coréia (atual Pyongyang), foram encontrados objetos
arqueológicos, tais como peças de laca de excelente qualidade
da dinastia Han (China), as quais eram de grande importância
no sul da China. Muitas jóias de ouro e prata foram encontradas
com indícios de fabricação coreana.
• No século VI, a invasão japonesa destruiu e queimou prédios
e cidades que continham valiosas obras de arte, além de
retirarem várias delas do berço coreano enviando-as ao seu
país.
• O Templo de Pulguksa, situado nas próximidades de Kyongju
(capital da antiga Silla), é considerado uma obra-prima na área
artística coreana. Foi construído em 751 d.C. e restaurado na
década de 1970.
• Na planície de Tung Kou, fronteira da Manchúria, próximo de
Pyongyang, estão localizadas catacumbas com murais em
perfeito estado de conservação. Nestes murais, as pinturas
sobre as caçadas e as festas de Koguryo são a retratação da
vida cotidiana da nobreza feudal.
• Antigas pinturas em murais retratam animais
mitológicos em alguns túmulos do reinado de
Koguryo.
• As preciosas cerâmicas de Koguryo
desenvolveram-se da forte influência chinesa,
tanto no formato quanto na cor verde-
acinzentada da celadonita (mineral do grupo
dos silicatos).
• Dancheong surgiu no reinado de Koguryo, é
a arte decorativa que utiliza a “Teoria das
Cinco Cores” (azul, vermelho, preto, branco e
amarelo). Suas pinturas são executadas em
edifícios, túmulos, madeira, metal ou qualquer Vaso de celadon.
outro objeto. Século XVII ou
XVIII.

37
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

1948 até 2002

1948:
Dois estados autônomos foram constituídos neste ano:
República Popular Democrática da Coréia (Coréia do Sul) e
República da Coréia (Coréia do Norte).
- 10 de maio: proclamada a República da Coréia. A ONU envia
uma comissão para supervisionar uma eleição presidencial. O
vencedor foi Sygman Rhee.
- 15 de agosto: o presidente Sygman Rhee toma posse.
- 17 de julho: criação da constituição coreana (Coréia do Sul).
- 9 de setembro: na Coréia do Norte é criado um partido e um
estado comunista sob a liderança de Kim Il Sung.
1950:
- 25 de junho: a Coréia do Norte atacou a Coréia do Sul com o
intuito de unificar o país e estabelecer um regime comunista,
este fato gerou uma guerra que durou três anos.
- 27 de junho: o presidente dos Estados Unidos, Harry Truman
envia tropas aéreas e navais a Coréia do Sul.
- 7 de julho: por solicitação da Coréia do Sul, foi enviado o
general de exército Douglas MacArtur para combater as forças
da Coréia do Norte.
- 31 de julho: Seul foi reconquistada e 125 mil prisioneiros foram
libertados.
- 1o de outubro: os americanos invadem a Coréia do Norte e a
China interveio a favor da Coréia do Norte. VII
- Em setembro: tropas integradas majoritariamente por
soldados dos Estados Unidos foram enviadas pela ONU,
ocupando a Coréia do Norte.
- 21 de novembro: tropas americanas atingem o Rio Yalu.
- 24 de novembro: as ofensivas chinesas fizeram com que o
exército americano retirasse suas tropas.
- 31 de dezembro: a Coréia do Norte invade Seul juntamente
com apoio dos aliados chineses.
- Começa o programa nuclear da Coréia do Norte.
1951: Em meados de março Seul é reconquistada.
1953: No dia 27 de julho termina a Guerra das Coréias. É
assinado o armistício, fixando fronteiras entre as duas Coréias
no paralelo 38o.
1960: A partir desta data a Coréia do Sul passa por um grande
processo de desenvolvimento econômico e industrial.
1990: Nesta década a Agência Internacional de Energia Atômica
centraliza as suas atenções na Coréia do Norte na suspeita de
um programa nuclear militar.

38
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Preciosas Bondades

Uma mulher bondosa, cujo nome se perdeu no tempo,


ficou conhecida por ser filha do plebeu Yókon de Hanbu e pelos
seus dotes nos cuidados com sua mãe após o falecimento de
seu pai. Aos trinta e dois anos continuava solteira, sempre se
dedicando em prol do conforto e sustento da mãe. Seus afazeres
começavam desde o início do dia e quando não tinha trabalho
como empregada, vivia a esmolar para conseguir comida.
Cansada e sem forças, certo dia resolveu oferecer seu
corpo a um homem rico. Conseguindo o que queria, ela recebeu
mais de dez sacos de arroz em troca da prostituição e tornou-
se serviçal deste homem. Saía pela manhã após despedir-se
de sua mãe em destino a sua nova vida, regressando sempre
após o entardecer.
No quarto dia de trabalho, sua mãe indagou-lhe:
– Antes quando o arroz era pouco e de má qualidade,
tinha sabor, mas agora... não é tão saboroso quanto antes e
sinto o meu coração apunhalado, por que isto?
Após a filha contar toda a verdade, sua mãe acrescentou
enquanto chorava:
– Por minha causa, você se vendeu, será melhor para
mim se eu morrer logo!
Com o choro da mãe e de sua filha em plena rua, as
atenções da triste cena voltaram-se para as duas. Neste
momento o Hwarang Hyojongnang transitava pelo local e com
sua infinita bondade resolveu retornar e pedir a seus pais vários
tipos de roupas e cem sacos de grãos para dar aquelas pessoas.
Após ser revelada a história da moça, também devolveu os
valores pagos pela prostituição ao homem e a fez ter sua honra
de volta.
Milhares de Hwarangs souberam do fato e ajudaram a
família com um saco de grãos cada um. Tornou-se então um
acontecimento muito comentado e chegou aos ouvidos do IX
grande rei (Chonggang Wang, 886 d.C. até 887 d.C.), o qual
doou uma casa e quinhentos sacos de grãos, além de aboná-
las dos impostos prescritos por lei. Agora, elas eram possuidoras
de muitos grãos; o rei ficou preocupado com a ação de ladrões
na casa e ordenou aos oficiais do governo que enviassem
soldados para vigiar.

39
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

ID7, zhizheng (ramo da retidão): para momentos de muita


ansiedade.
CS7, daling (grande túmulo): promove a redução de
ansiedade intensa e agitação mental.

Concentração e depressão 73

B23, shenshu (resposta dos rins): excelente tonificador e


estimulante mental. Principalmente nos casos de depressão.
Bom para fadiga, debilidade das pernas, visão turva e tontura.
R4, dazhong (grande sino): para casos de exaustão e
depressão.
B49, yishe (movimento ordenado): Estimulante da memória
e intensificador da concentração.

Dores e fortalecimento muscular74

IG4, hegu (junto do vale): enfraquecimento dos membros


superiores.
IG11, quchi (poça de água encurvada): alivia o inchaço, a
dor e o enfraquecimento dos membros superiores. Útil na
recuperação dos tendões e articulações,
IG15, jianyu (mantém o ombro): alivia a dor e enfraquecimento
do ombro e do braço.
P5, chise (pântano do cotovelo): promove relaxamento dos
tendões do braço e alivia a dor espasmódica do braço e do
cotovelo.
ID6, yanglao (comida do velho): dores nas costas, ombro,
braço e cotovelo. Beneficia os tendões e ligamentos causadores
de rigidez no ombro e pescoço.
B62, shenmai (extensão dos vasos): promove relaxamento
nos músculos e nos tendões da parte externa da perna, alivia
dores intermitentes das costas e das pernas.
B60, kunlun (reunião da raiz): alivia a dor nas costas, ombro,
braço calcanhar e cefaléias em geral.
TA7, huizong (reunião dos antepassados): Interrompe dores
nos membros superiores, ouvidos e têmporas.

73 B23, transportar o qi dos rins; R4, grande sino; B49, residência do espírito do pi.

74 IG4, unir o vale; IG11, encontrar a poça d’água; IG15, cume do ombro; P5,
pequeno lago do cotovelo; ID6, fortalecer o idoso; B62, extensão do vaso yang quiao
mai; B60, próximo da montanha; TA7, reunião principal; VB34, fonte yang da montanha;
VB35, reunião do yang; F3, grande impulsão; VG8, contração de músculo e tendão;
E36, três distâncias da perna.

40
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

coligação com o Taekwondo; Woo Jae Lee: A postura e


ética Imagem 143: Tao Chi Do; arquivo.
Imagem 144: Revista; Mestre Kim número 3 (p.27).
Imagem 145: Revista; revista DÔ número 11. abril de 1979
(capa).
Imagem 146: Revista; revista Taekwondo número 1.
novembro de 1986.
Imagem 147: Cartão; cartão telefônico número 1/7.
Imagem 148: Grupo de teatro Ye-Gam.
Imagem 149: Flora coreana 11; Ely Cardia.
Imagem 150: Pedra Bonita; arquivo.

BIBLIOGRAFIA

Toda referência bibliográfica é indispensável em uma obra. Seu


objetivo é encaminhar o leitor ao aprofundamento dos seus
estudos e consolidar as informações relatadas na presente obra.

A Grande Aventura do Homem, v II. São Paulo: Editorial Abril


S.A. Cultural e Industrial, 1976.
Abril Coleções Ltda. Mistérios do Desconhecido. Os Mistérios do
Oriente. Rio de Janeiro: Abril S.A., 1993.
Aulete, Caudas. Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa.
Rio de Janeiro: Editora Delta S.A., 5a ed., 1964.
Austregésio, Armando S.B. Curso de Massagem Oriental, A
Linguagem do Tato. Editora Tecnoprint S.A. 1988.
Auteroche, P.; Navailh, P. O Diagnóstico na Medicina Chinesa. São
Paulo: Organizações Editora Andrei. 1992.
Aymard, André; Auboyer, Jeannine. História Geral das Civilizações,
O Oriente e a Grécia Antiga, vol.I e II. São Paulo: Ed. Difusão
Européia do Livro, 4a ed., 1971.
Bahiana, Henrique Paulo. Aspectos da Cultura Coreana. Rio de
Janeiro: CBAG Editora, 1983.
Balbach, Afons. A Flora Medicinal da Medicina Doméstica, vol. II.
São Paulo: Editora M.V.P, 3a ed, 1974.
Balbachas, Alfonsas. As Plantas Curam. São Paulo: Editora
Missionária, 9a edição. s/data.
Bernard, Daniel. China, Japão e Coréia. Rio de Janeiro: Editorial
Reader’s Digest Brasil Ltda, 1a edição, 2003.
Borsarello, Dr. J. L’acupunture et l’occident. Paris: Librairie Arthème
Fayard, 1974.
Bueno, Eduardo. Brasil: uma História. São Paulo: Editora Ática, XI
1a edição, 2003.
Cançado, Juracy Campos L. Do In: Livro dos Primeiros Socorros.
São Paulo: Editora Ground, 29a edição, 1993.

41
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Cançado, Juracy. Livro dos Primeiros Socorros, vol. I. São Paulo:


Editora Ground, 29a edição, 1993.
Cardia, Ms. Roberto Nascimento. Tao Chi Do. Rio de Janeiro, 2004
Cardia, Roberto Nascimento. A Arte do Tae Kwon Do (CD-ROM).
Rio de Janeiro, 2002.
Carvalho E.; Guilherme, F. Acupuntura e Fitoterapia, Chinesa
Clássica. Rio de Janeiro: Editora Taba Cultural, 2002.
Chan, Pedro, Do-in, A Pressão Digital. Rio de Janeiro: Editora
Nova Era, 15a edição, 1999.
Cho, Sihak Henry. Korean Karate, Free Figthing Tecniques. Tóquio:
Editora Charles E. Tuttle Co., Inc.,1968.
Civita, Victor. O Mundo em que Vivemos, A Luta pela Vida. São
Paulo: Editora Abril S.A. Cultural e Industrial, 1972.
Civita, Victor. Grandes Personagens da História Universal. São
Paulo: Abril S.A. Cultural e Industrial, 1972.
Despeux, Caterine. Tai Chi Chuan. Arte marcial, técnica da longa
vida. São Paulo: Editora Pensamento, 1981.
Dicionário Prático Ilustrado. Porto: Lello e Irmão Editores, 1967.
Ding, Li. O Qigong Meridiano. São Paulo: Editora Ícone,1996.
Draeger, D.; Smith, F.; Robert, W. Asian Figting Arts. Japão: Ed.
Kodansha International Ltda, 1969.
Duke, Marc. Acupuntura. A extraordinária e milenar Arte Chinesa
de curar doenças. Rio de Janeiro: Editora Artenova S.A., 1972.
I Ching. O Livro das Mutações. Texto Oracular. Rio de Janeiro:
Editora Renes, 1972.
Fargas, Ireno. Tae Kwon Do. Espanha: Editorial Comité Olímpico
Espanõl, 1ªed., 1993
Dicionário Enciclopédico Formar. São Paulo: Editora Formar, 9a
ed., 1967.
Freitas Bastos. História das Armas e dos Soldados. Rio de Janeiro:
Livraria Freitas Bastos S.A., 1965.
Galarraga, Nestor. Tae Kwon Do, factor de evolucion. Córdoba:
Editorial Martial Arts, 2a ed., 1996.
Goepper, Roger. Mundo Oriental. O Mundo da Arte. Encyclopaedia
Britannica do Brasil Publicações Ltda., 1979.
Gorpper, Roger. Mundo Oriental, O Mundo da Arte. Editora
Expansão Editorial, 1979.
Gwon, Pu Gill. Taeguk: The New Forms of Taekwondo. Califórnia:
Ohara Publications, 1984
Hi, General Choi Hong. Taekwon-Do (CD-ROM),1998.
Hi, General Choi Hong. Enciclopédia de Taekwon-Do,1983.
História das Civilizações, vol. I. São Paulo: Editorial Abril S.A.
Cultural e Industrial, s/d.
Howell, F. Clark. O Homem Pré-Histórico. Rio de Janeiro: Livraria
José Olympio Editora S.A., 1972.

42
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Jing, Huang Di Nei. O Tratado Interno. Projeto Virtual Ciano. Centro


de Investigação em Antigüidade Virtual, s/d.
Karate Kung Fu. Canada, 1990.
Kim, Daniel Son. Korea Suji Tim: Nova Terapia Alternativa pela
Acupuntura e Moxabustão através das mãos. São Paulo: Gráfica
Roma, 1a ed., s/d.
Kim, Daniel Son. Korea Suji Tim: Tratamento por Acupuntura pela
Mão. São Paulo: Editora Roca Ltda, 1a ed., 2000.
Kim, Yeo Jin; Silva, Edson. Tae Kwon Do. Arte Marcial Coreana,
vol. II. São Paulo, 2000.
Kim, Yeo Jin. Tae Kwon Do. Arte Marcial Coreana, vol. I. São Paulo,
1995.
Kim, Yeo Jun. Tae Kwon Do Competição. O Manual dos Campeões.
São Paulo, 2a ed., 2006.
Kim, Yeo Jun. Tae Kwon Do (CD-ROM), 2000.
Kit, Wong Kiew. Tai Chi Chuan. O livro completo. São Paulo:
Editora Pensamento, 9a ed., 1996.
Lauer, Mirko. I Ching. Barcelona: Barral Editores, 3a ed., 1971.
Lee, Keum Jae. Taekwondo Textbook. Seul: Kukkiwon, 2006.
Lee, Kyong Myong. Taekwondo. Tecniques e Trainning. Nova
Iorque: Sterling Publishing Co, 1996.
Lee, Won Il. Tae Kwon Do. Técnicas superiores. Rio de Janeiro:
Record, 1979.
Lee, Woo Jae. Aprenda Tae Kwon Do. Espírito Santo: Editorial
Brasil-América, 1a ed., 1978.
Lee, Woo Jae. Aprenda Tae Kwon Do. Espírito Santo: Editorial
Brasil-América, 2a ed., 1988.
Lello, José; Lello, Edgar. Dicionário Prático Ilustrado. v. III. Porto:
Lello & Irmão, 1972.
Ling, Qui Mao, Acupuntura Chinesa e Moxibustão. São Paulo:
Editora Roca Ltda, 1a ed., 2001.
Maciocia, Giovanni. Os Fundamentos da Medicina Chinesa. São
Paulo: Editora Roca, 1996.
Maior, A. Souto. História Geral. São Paulo: Companhia Editorial
Nacional, 12a ed., 1970.
Marano, Héctor Oscar. Tae Kwon Do. Formas Chon-Ji a Choong-
Moo. Argentina, 1989.
Martins, Maria. Ásia Maior. O planeta China. Rio de Janeiro: Editora
Civilização Brasileira S.A, 1a ed., 1958.
Mattiuzzi, Alexandre Augusto. Mitologia ao Alcance de Todos.
Deuses da Grécia e Roma Antigas. São Paulo: Editora Nova
Alexandrina. 2000. XI
Enciclopédia Brasileira Mérito. São Paulo: Editora Mérito/Gráfica
Editora Brasileira Ltda., 1962.

43
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Murphy, Joseph. Segredos do I Ching. Rio de Janeiro: Record,


14a ed., 1995.
Nelson, M. Joan. Self-Defense: steps to success. Estados Unidos:
Leisure Press, 1991.
Os Criadores de Civilizações, vol. I. São Paulo: Editorial Abril S.A.
Cultural e Industrial, 1976.
Planeta. Editorial Três, nº 16, dez. 1973, São Paulo.
Reid, Howard; Croucher, Michael. O Caminho do Guerreiro. São
Paulo: Cultrix, 2003.
Reid, Willian. Histoire das Armes. Paris: Draeger Éditeur, 1976.
Revista DÔ. Editora Brasil-América, no 11, abr. 1979, Rio de
Janeiro.
Revista DÔ. Editora Brasil-América, no 12, maio 1979, Rio de
Janeiro.
Revista DÔ. Editora Brasil-América, no 13, jun. 1979, Rio de
Janeiro.
Revista DÔ. Editora Brasil-América, n o 3, dez. 1979, Rio de
Janeiro.
Revista Geográfica Universal. Bloch Editores S.A., n. 140, jul. 1986,
Rio de Janeiro.
Rohden, Humberto. Lao Tsé, Tao Te King. São Paulo: Empresa
Gráfica da Revista dos Tribunais S.A., 1973.
Severino, Roque. O Espírito das Artes Marciais. São Paulo:
Editorial Ícone, 1988.
Shangai College of Traditional Medicine. Acupuntura. São Paulo:
Editora Roca, 1996.
Shanghai College of Traditional Medicine. Acupuntura, Um Texto
Compreensível. São Paulo: Editora Roca, 1996.
Taboada, Francisco Andrés. Fundamentos Históricos e Filosóficos
das Artes Marciais. Rio de Janeiro: Edições Nova Acrópole, s/d.
Tae Kwon Do Times. Canadá, maio 1991.
Tae Kwon Do Times. Canadá, maio 1999.
Tae Kwon Do Times. Canadá, nov. 1999.
Tae Kwon Do Times. Canadá, out. 1998.
Tao, Wo Lu. Tae-Kwon-Do. Belo Horizonte: Mandala. 2002.
TKD, no1, nov. 1995, Buenos Aires.
Trump, no 1, set. 2000, São Paulo.
Wang, Bing. Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo.
São Paulo: Editora Ícone, 2001.
Wen, Dr. Tom Sintan Wen. Acupuntura Clássica Chinesa. São
Paulo: Cultrix, 8a ed., 2001.
Weston Verity. Os Romanos. São Paulo: Editora Melhoramentos,
1990.
Wydra, Nancilee. O Feng Shui chega ao escritório. São Paulo:
Editora Pensamento, 2000.

44
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Xinnong, Cheng. Acupuntura e Moxibustão. São Paulo: Editora


Roca, 1999.
Yamamura, Ysao. Acupuntura Tradicional. A Arte de Inserir. São
Paulo: Editora Roca, 2a ed., 2001.
Yi, Pyong-do, Samguk Sagi. v. 12 e 48, 1980, Seul.
Yudo Karate, no 161, jan. 1989, Buenos Aires.
Yudo Karate, no 176, dez. 1990, Buenos Aires.
Yudo Karate, no 195, set. 1992, Buenos Aires.
Yudo Karate, no 204, nov. 1993, Buenos Aires.
Yudo Karate, no 208, jun. 1994, Buenos Aires.
Yudo Karate, no 225, ago. 1998, Buenos Aires.
Zhuo, Dr. Dhong. A ginástica chinesa. Rio de Janeiro: Record,
1984.

INTERNET

Todas as fontes abaixo se encontravam on-line no dia 26 de


novembro de 2005, juntamente com os seus dados e materiais
de pesquisa na presente obra.

http://ellone-loire.net/obsidian/korea.html — Cronologia dos


reinos.
http://fbt.org.br – Taekwon-Do ITF.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Coreia_do_Norte — História e
geografia.
http://pweb.de.uu.net/abts.k/yonguk/e0221.htm —
Cronologia.
http://www.allmartialarts.com/KIXCO/History/history/
map.htm — Linhagem das artes marciais.
http://www.bang.com.br — Taekwon-Do.
http://www.barrel.net — Taekwon-Do.
http://www.canaltur.com.br/
index.php?dir=embaixadas_brasil&url=30 — Embaixada.
http://www.chungjutour.co.kr/base/english/historic-
display.html — História Coréia.
http://www.concentric.net/~sdseong/kmar.vid.stk.htm —
Taekkyon.
http://www.consulados.com.br/consulados/coreiadosul.html
— Consulado.
http://www.freefeel.org/wiki/ReadingKoreaOldAndNew —
Livro Coréia.
http://www.friesian.com/perigoku.htm — Cronologia dos XI
reinos.
http://www.hapkido.co.at/hkdgeschichte.html — História arte
marcial coreana.

45
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana


Volume I

Pedra Bonita, ao fundo a Pedra da Gávea. 1999.

“A linha da Arte Marcial, em seu sentido singular, é única para


qualquer estilo. Por este motivo, é necessário buscar e preservar a
integridade natural, sem opor ou sobrepor suas diferenças.”

Ms. Roberto Cardia

46
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana


Volume I

Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana nasceu de diversos


estudos e pesquisas fundamentadas em mais de cem
referências bibliográficas, além, é claro, da prática incessante
do autor, de seus projetos e busca ávida por tudo que se
relaciona à Arte Marcial.

Um livro realmente profundo e diversificado. Consegue chegar


às raízes do Taekwondo através da sua história e de estórias.
Permanece fidedigno em suas filosofias, artes e cultura social.
Uma obra que apresenta de forma concreta o que a Arte Marcial
pode fazer por nós e até onde podemos aprender com ela.

Um trabalho finalizado após nove anos de dedicação.

Pedidos e contato com o autor: (21) 8867-3575


E-mail do autor: robertocardia@ig.com.br

47
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

COMUNICADO

Este livro será publicado em braile e talvez em áudio (áudio livro/


livro falado). Estará disponível no Instituto Benjamin Constant, no
Rio de Janeiro. Tal iniciativa tem como objetivo a gratuidade do
material para cegos e portadores de visão subnormal. Entretanto,
um arquivo em braile será disponibilizado pelo site
www.taochido.com ou com o próprio autor. O arquivo impresso é
furado com punção e reglete, um tipo de furador e régua especial,
para ser lido ao passar dos dedos. Este arquivo foi gerado com
trava de segurança para que não haja possibilidades de cópias ile-
gais sem a permissão devida.
O Instituto Benjamin Constant está localizado na Avenida Pasteur,
n° 350 - Urca. consulte www.ibc.gov.br
Maiores detalhes consulte o autor.

“Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana” encontra-se dispo-


nível para leitura na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, situada
na Av. Rio Branco 219.

Entre em contato com o autor para efetivar um depósito gratuito de


um exemplar na biblioteca de seu estado.

Não faça ou estimule a fotoreprodução.

48
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

TAEKWONDO
Um
Exemplo
de
Boa
Educação

49
Taekwondo, Arte Marcial e Cultura Coreana

Visite:
WWW.TAOCHIDO.COM

Pedidos e contato com o autor: (21) 8867-3575


E-mail do autor: robertocardia@ig.com.br

50