Texto Atual

GESTÃO DEMOCRÁTICA
E organização do trabalho Pedagógico
A análise da organização do trabalho pedagógico na escola pública em relação aos princípios de gestão democrática e a partir da autonomia escolar, da participação dos diversos segmentos na gestão da escola e da importância da formação do gestor foi o grande objetivo da dissertação de mestrado apresentada pela educadora Josemary Morastoni, ao Mestrado de Educação da Universidade Tuiuti do Paraná.

O trabalho de pesquisa discutiu a história e a legislação da formação do gestor educacional; na pesquisa de campo, um estudo de caso, destacou a organização do trabalho pedagógico em

ção

sistemática

e

não-

participante do ambiente escolar, análise documental e entrevistas das. A análise dos dados apontou que, apesar das mudanças legais e reais na organização da gestão do trabalho pedagógico na escola pública, frente à autonomia, participação, construção do projeto político pedagógico e a formação inicial e continuada do gestor, falta muito ainda para que se possa atingir uma gestão plenamente democrática. semiestrutura-

uma escola pública estadual de educação básica, localizada na região de CuritibaPR. Foram sujeitos da pesquisa representantes dos diversos segmentos da comunidade escolar: direção, equipe pedagógica, professores, funcionários e pais de alunos. Para a coleta de dados, utilizou-se a observa-

o gestor deve. nesse sentido. requer do gestor uma significativa habilidade e também sensibilidade para que possa obter o máximo de contribuição e participação dos membros da comunidade. também as relações de trabalho em seu interior deverão ser repensadas e rees formação inicial e continuada do gestor. A construção de um projeto educativo coletivo constitui a identidade de cada Escola e é. A liderança é uma gestão escolar democrática. competência técnica e política. sem dúvida. Ao assumir esse papel. o que implica uma liderança democrática. o instrumento primordial que permite uma gestão democrática. de participação. a partir do momento em que se busca uma nova organização do trabalho na Escola. tendo . em que a comunicação e o diálogo estão envolvidos. da construção do projeto político-pedagógico e a da os segmentos da comunidade escolar. de autonomia. principalmente a função pedagógica e social. necessariamente. para que se possa realmente atingir a gestão verdadeiramente democrática. Nessa perspectiva. Esta configuração exige que se compreenda que. sem dúvida. sendo a gestão vista como uma nova forma de administrar.Texto Atual O estudo realizado ressalta a importância e necessidade de um maior aprofundamento e conhecimento por parte da comunidade escolar no que se refere à organização da gestão do trabalho pedagógico na Escola pública frente aos princípios de gestão democrática. capaz de interagir com todos A construção de um projeto educativo coletivo constitui a identidade de cada Escola e é. buscar a articulação dos diferentes atores em torno do projeto político-pedagógico da Escola. cabe ao gestor assumir a liderança deste processo. o instrumento primordial que permite uma gestão democrática.

O desenvolvi- mento da pesquisa também possibilitou melhor compreensão sobre a organização da gestão democrática do trabalho pedagógico realizado na Escola pública. a possibilidade de se exercer com maior ênfase a cidada- representativo dos interes- ses da comunidade escolar e que. deve-se entender o Projeto Político-Pedagógico da Escola como instrumento que fundamentaram a busca de respostas para o problema inicialmente proposto: o de investigar como se dá a organização do trabalho pedagógico na Escola pública no contexto da gestão democrática. objetivo central do estudo. para sua efetividade. principalmente. educar na e pela democracia pressupõe um cuidado especial nos discursos e nas práticas cotidianas da Escola. ter maior liberdade de expressão e mais espaço para demonstrar conhecigógica. autônomos envolvidos com o processo de gestão e melhoria da educação. criativos. nia. Entre outras contribuições. os resultados encontrados .Texto Atual truturadas. mento e trocas. da conscientização do diversos segmentos acerca da importância da participação de cada um no processo pedagógico. permitindo que crianças e jovens se formem como cidadãos para uma sociedade educadora e democrática. funcionários e direção da Escola. pais. não pode prescindir da participação dos atores que a constituem – alunos. tornando os atores do processo cada vez mais responsáveis. Atualmente. Esta mudança nas relações de trabalho deve ter como base a possibilidade de real participação dos diferentes segmentos. professores. Ao se partir dessas considerações. equipe peda- A participação da comunidade escolar não depende somente da abertura propiciada pelo corpo diretivo da Escola. Estes foram os princípios norteadores para o desenvolvimento deste estudo. mas.

da conscientização dos diversos segmentos acerca da importância da participação de cada um no processo pedagógico. sem dúvida. Verificou-se. no sentido de prepara-lo para uma gestão escolar que pretende procedimentos participativos no vimento da equipe interna da Escola na consecução dos objetivos idealizados. particularmente da comunidade . Os dados colhidos a partir da pesquisa de campo propiciaram uma visão mais próxima da realidade da escola objeto deste estudo. evidenciou-se que essa ainda é uma discussão que se limita à comunidade escolar interna. percebe-se que a escola investigada está efetivamente investindo em uma nova organização pedagógica. Neste sentido.Texto Atual reforçaram a importância de uma formação específica do gestor. principalmente. As informações obtidas reiteraram também a importância do trabalho coletivo que envolve a comunidade interna e externa da Escola na organização do Projeto. a partir de reconsiderações acerca de sua função e autonomia. e aos educandos. buscando estabelecer uma relação interativa com o “fazer” escolar e preocupada em ofertar à comunidade. por exemplo. que a participação da comunidade escolar não depende somente da abertura propiciada pelo corpo diretivo da Escola. ancorada processo de tomada de decisões. em geral. Todavia. pedagógico trabalho que venha a formar cidadãos participativos e conscientes de seu papel na sociedade. cuja atuação é. por conseqüência. percebeuse também que as ações elucidativas sobre o papel de cada um dos membros da comunidade escolar. mas. ressalta-se principalmente a necessidade de real envol- apenas na liberdade que a Escola dispõe para resolver as questões práticas do diaa-dia. Já no que diz respeito à autonomia. Político Pedagógico e. determinante para que o processo pedagógico se desenvolva de forma participativa e democrática. Por fim. uma em particular. de sua gestão.

portanto. não têm atingido eficazmente o objetivo de conscientização ideal. participação. para que se possa realmente atingir a gestão verdadeiramente democrática. parte da comunidade trabalho pedagógico na Escola pública. conseqüentemente. . surge uma certeza: 2 A construção coletiva do Projeto PolíticoPedagógico. a garantia da formação pedagógica do gestor se torna um passo significativo para que a Escola consiga implementar o processo de gestão democrática.Texto Atual externa. quando se pensa na melhoria da educação e. Percebeu-se com este estudo que. demandando. 3 A formação pedagógica do gestor apresenta-se como condição primordial para a efetivação da gestão escolar democrática comprometida com a qualidade da educação e com transformações sociais. construção do projeto político pedagógico e a formação inicial e continuada do gestor. considerada e reconhecida por grande parte da comunidade escolar como aspecto fundamental para a melhoria da gestão e da organização do trabalho pedagógico. ainda necessita ser realmente internalizada na prática diária das Escolas. ainda assim há a necessidade de uma maior consolidação de seus princípios e um melhor entendimento por escolar. da equipe pedagógica e dos docentes neste sentido. persiste a necessidade de se tornar cada vez mais urgente o envolvimento de toda comunidade escolar na organização do trabalho pedagógico para se atingir uma gestão democrático na Escola. muito é preciso ainda. Esse aspecto assume um caráter definitivo. a evoluir. então. apesar das mudanças legais e reais na organização da gestão do Alguns pontos fundamentais constituem referenciais no tema abordado. frente à autonomia. sendo a sua superação um fator primordial para a efetivação da gestão democrática e melhoria na organização do trabalho pedagógico: 1 Mesmo ao se considerar que a autonomia da gestão da Escola tenha de fato avançado. comparando-se com épocas anteriores. da sociedade em que vivemos. Após o desenvolvimento deste estudo. maiores esforços do corpo direti- vo.

.Texto Atual Reforça-se que é por meio da participação efetiva da comunidade escolar. da organização do trabalho pedagógico com ênfase na PPP e nos princípios da gestão democrática. que a Escola poderá contribuir para a superação das contradições da sociedade em que se vive e auxiliar no processo contínuo de construção de uma sociedade mais humana e democrática.

Pedagogia e pedagogos. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. perspectivas e compromissos. J.. S. (Org. AGUIAR.Texto Atual REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANFOPE 8º Encontro Nacional. Formação continuada e gestão da educação. V. BRASIL. In: FERREIRA. LIBÂNEO. 131-143. Gestão educacional e formação. L. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. A. Contexto sócio-educacional no estudo do Paraná (Brasil): formação pedagógica e análise do trabalho do pedagogo na área social. 2002. 1998. S. C. FERREIRA. C.83-106. 1996. perspectivas e compromissos. M. São Paulo: Cortez. G. BORDIGNIN. et al. impasses. PARO. 1. M. Lei nº 9. (Org. AGUIAR. 1996. Espanha. Z. S. 19. Brasília. In: FERREIRA. São Paulo: Cortez. H. KUENZER. CASTRO. 2000. São Paulo: Cortez.147-176. Gestão da educação.). 3 ed. MACHADO. 498p. São Paulo: Cortez. S. 1990. A. v.3357. V. n. V. N. São Paulo: Cortez. 193-212. Documento final. N. Piracicaba. S. p. LÜCK. São Paulo: Xamã. 2003. S. (Org. São Paulo: Cortez. 2002. Universidade de Santiago de Compostela. S. M. para quê? São Paulo. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. N. In: FERREIRA. C. p. Gestão da educação: o município e a Escola.. Ministério da Educação e do Desporto. 2003b.). N. S. p. novos desafios.). M. Tese (Doutorado em Educação). As mudanças no mundo do trabalho e a educação: novos desafios para a gestão. 1999. C. N..). M. Faculdade de Filosofia e Ciências da Educação. R. Belo Horizonte. Rio de Janeiro: DP&A. 2001.394 de 20 de dezembro de 1996. E. perspectivas e compromissos. Rio de Janeiro: DP&A.. H. SAVIANI. Consed. GRACINDO. 1999. p. Política e gestão da educação: dois olhares. AGUIAR. AGUIAR. M. In: FERREIRA. Política de formação de professores para a educação básica: polêmicas e perspectivas em torno da formação de professores no curso de pedagogia. A. A. (Orgs) Gestão da educação: impasses. . Gestão da educação: impasses. C.17-42. 2000. S. Cortez. S. A. Unicef. FERREIRA. C. LDB: leis de diretrizes e bases da educação. p. In: MACHADO. p. N. C. Gestão da educação e a formação do profissional da educação no Brasil. Formação continuada e gestão da educação no contexto da “cultura globalizada”. D.. 2000. C. 2000a _________. Gestão democrática da educação: atuais tendências. M. Escritos sobre a educação. ESTEVÃO. (Org.

pela UTP . Professora de Graduação e Pós Graduação da Faculdade Opet.joamoat@ig. Foi diretora de estabelecimentos de Educação Básica da Rede Pública do Paraná.CURRICULUM JOSEMARY MORASTONI Mestre em Educação com linha de pesquisa em Políticas Educacionais e Gestão da Educação.Universidade Tuiuti do Paraná. Autora de vários artigos científicos no campo educacional e na área de Gestão educacional. em Curitiba. E-mail de contato.Universidade Federal do Paraná.com.br . Especialista em Formação de Professores e graduada em Pedagogia com habilitação em Orientação Educacional pela UFPR . Orientadora educacional da Rede Pública de Ensino do Estado do Paraná.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful