P. 1
PORCELANATO

PORCELANATO

|Views: 3.929|Likes:
O trabalho apresentado a seguir trata de uma pesquisa, pela qual se promoveu o aprofundamento dos estudos sobre este revestimento cerâmico. Esta pesquisa consiste em elaborar explanação sobre a definição, características técnicas, processo de fabricação, aplicação e assentamento do Porcelanato.
O trabalho apresentado a seguir trata de uma pesquisa, pela qual se promoveu o aprofundamento dos estudos sobre este revestimento cerâmico. Esta pesquisa consiste em elaborar explanação sobre a definição, características técnicas, processo de fabricação, aplicação e assentamento do Porcelanato.

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Lydio Luciano de Gois on Mar 12, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/05/2013

pdf

text

original

UNIVERSIDADE POTIGUAR PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

PORCELANATO

Igor de Góis

NATAL / RN JUNHO DE 2010

2

IGOR DE GÓIS

PORCELANATO

Trabalho apresentado à disciplina de Sistemas Estruturais em Concreto; ministrada pelo professor Antonio Carlos; como requisito para turma especial.

NATAL / RN JULHO DE 2010

3

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.........................................................................................................04 2. DEFINIÇÃO..............................................................................................................05 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS............................................................................08 4. ASSENTAMENTO...................................................................................................10 5. PEI...........................................................................................................................13 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................................................................14 7. REFERÊNCIAS........................................................................................................15

4

1. INTRODUÇÃO O Porcelanato hoje é a cerâmica para revestimento que apresenta as melhores características técnicas e estéticas, se comparada com as demais cerâmicas encontradas no mercado. O trabalho apresentado a seguir trata de uma pesquisa, pela qual se promoveu o aprofundamento dos estudos sobre este revestimento cerâmico. Esta pesquisa consiste em elaborar explanação sobre a definição, características técnicas, processo de fabricação, aplicação e assentamento do Porcelanato. Para o perfeito entendimento deste trabalho, o mesmo foi organizado da seguinte maneira: inicialmente se fez a definição do tema porcelanato, sendo em sequência explanado sobre os seus tipos e caracteristicas. Posteriormente, foi realizada um esclarecimento sobre suas possíveis aplicações e o seu modo de assentamento, sendo tudo isso feito por meio de explicações textuais e ilustrações.

5

2.

DEFINIÇÃO

A indústria Brasileira de revestimentos cerâmicos ocupa uma posição de destaque no mercado internacional de revestimentos. O Porcelanato é o produto de revestimento cerâmico mais avançado no mercado de pisos de alta qualidade, no Brasil e no mundo. Devido a alta qualidade de matérias-primas utilizadas e processamento cerâmico rigoroso. Arquitetado para emprego em ambientes industriais, o Porcelanato aos poucos foi aparecendo em ambientes comerciais até chegar no residencial, conforme mostra a Figura 1 e 2.

6

Figura 01: Porcelanato em uso residencial s Fonte: http://terrazzamarina.wordpress.com

Figura 02: Porcelanato que imita madeira em shopping em Coritiba Fonte: http://www.skyscrapercity.com

Na sua forma tradicional o Porcelanato (não esmaltado) tem duas versões, são elas o fosco e polido. O Fosco é mais adequado para locais de grandes circulações de pessoas devido a sua dureza MOHS e também para ambientes que exijam um revestimento antiderrapante, como áreas externas, banheiros ou rampas. O polido difere por sua textura superficial, totalmente brilhante. Também existe o Porcelanato Esmaltado, uma massa única que recebe sua cor através da esmaltação e decoração. Este é classificado quanto ao PEI. Por ser esmaltado é destacado por sua elevada resistência a manchas. O Porcelanato é um tipo de revestimento cerâmico obtido através de matérias primas selecionadas (argila, feldspato e corantes) submetidas a um tratamento térmico superior a 1.200 ºC. Foi criado e desenvolvido na Itália, chegou ao Brasil na década de 90, segundo a revista “arquitetura e construção” teve sua primeira fabricação nacional em 1996, desde então o Porcelanato já assumiu inúmeros tons, texturas e tamanhos, sem falar que o Porcelanato pode substituir revestimentos de cimento, madeira, pedra, metal e tecido, devido a sua tecnologia possibilitar a reprodução da beleza das pedras naturais.

7

O que diferencia o Porcelanato de um piso cerâmico é o seu processo de queima e as matérias primas que compõem a sua massa, com absorção de água menor que 0,5% (quase nulo), para se ter uma idéia os pisos cerâmicos apresentam absorção de água menor que 6%. Este é um dado fundamental, uma vez que a porosidade influencia de modo marcante nas características técnicas das placas cerâmicas. Como por exemplo, características mecânicas superiores maciças (resistência à flexão, carga de ruptura) e superficiais (dureza, resistência à abrasão). Com relação ao seu processo produtivo, pode-se dizer que ele é mais ecologicamente correto, pois explora mais racionalmente as jazidas tendo em vista que nas explorações convencionais de pedras, as jazidas são exploradas enquanto houver possibilidade de retirar grandes chapas, já no caso da retirada da matéria prima do Porcelanato, todo material é utilizado sem desperdício. O Porcelanato comparado as pedras naturais é significativamente mais econômico, pois é vantajoso economicamente em várias etapas, desde a sua exploração a sua utilização. Por ter estruturas mais leves, espessuras bem menores que a pedra natural somado aos benefícios da exploração já citado anteriormente ( baixo desperdício ) fica evidente a economia na exploração. As estruturas das edificações receberão uma sobrecarga menor em relação as pedras naturais, gerando economia, tendo em visa que as estruturas poderão ser mais leves. Em 2007, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), juntamente com indústria brasileira, institutos especializados, universidades e representantes dos consumidores, publicou a Norma Brasileira para Porcelanato brasileira com a qualidade. ABNT NBR 15463, primeira iniciativa mundial que garante o compromisso da cerâmica

8

9 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Dentre as características do Porcelanato, deve-se destacar o que já foi citado anteriormente na sua definição com relação a baixa absorção de água. Decorrente da queima a alta temperatura, durante a qual o material sofre uma retração dimensional bastante elevada. Desta forma, o Porcelanato é o produto cerâmico dotado de características físico-químicas superiores àquelas dos outros materiais mais porosos. O que possibilita ao Porcelanato: maior resistência mecânica; maior resistência a abrasão; maior resistência ao gelo; isolamento a descargas elétricas estáticas; baixa expansão por hidratação e maior facilidade de assentamento. Sabe-se que a dureza, assim como todas as características mecânicas, aumentam com o aumento da compactação estrutural. Por isto, o Porcelanato, apresenta os valores mais elevados de dureza superficial, Sua dureza é maior até que o granito, devido ao Porcelanato ser mais duro na escala MOHS (escala aplicada às pedras naturais). Para as placas cerâmicas a dureza superficial, segundo esta mesma escala de dureza, não pode ser inferior a 6. Quanto à resistência mecânica a flexão, as placas cerâmicas de Porcelanato devem apresentar valores médios maiores do que 27 N/mm2. Sua extrema compactação faz com que, entre os materiais cerâmicos para piso e revestimento, seja dotado dos maiores níveis de resistência à flexão. Os valores absolutos de carga de ruptura, em torno de 200 a 250 Kg, asseguram esta resistência. A sua resistência a abrasão também depende essencialmente da compactação estrutural, sendo maior quanto menor for à porosidade. No caso do produto esmaltado o Porcelanato se apresenta homogêneo estruturalmente em toda a espessura, por isto, uma eventual remoção de material da superfície, não tem nenhuma conseqüência relevante. Para placas cerâmicas de Porcelanato não esmaltado, o volume removido por abrasão durante um certo período de tempo não deve ser superior a 205 mm. Quanto a sua dilatação térmica, devido à compactação estrutural, está em condições de não acusar eventuais aumentos dimensionais, contrariamente aos produtos mais porosos, que podem apresentá-los. Para o porcelanato, o coeficiente de dilatação térmica linear não pode ser superior a 9x10 -6°C-1.

10

Outra característica do Porcelanato é sua resistência ao ataque químico já que apresenta, por suas características de alta compactação, os melhores requisitos aos ataques de ácidos e bases, dentre todas as placas cerâmicas. O porcelanato, como todos os materiais cerâmicos, apresenta por efeito do processo de queima, uma elevada resistência química, a qual as pedras naturais como o mármore não apresentam, o que ocasionam danos visíveis sob ação de substancias ácidas. Diante de todas as características citadas acima, o Porcelanato é indicado para ambientes de alto tráfego de pessoas como: shopping centers, escolas, hospitais, aeroportos e supermercados. Outros detalhes que o diferencia dos demais pisos cerâmicos é por ele manter suas cores uniformes. Além disso, devido a borda retificada, os rejuntes podem ser mínimos, facilitando bastante na limpeza.

11

4. ASSENTAMENTO

Antes de começar o assentamento, é indicado preparar as peças que serão utilizadas. Primeiramente abrindo 3 ou 4 caixas do revestimento cerâmico adquirido, verifica-se o estado do material, observando a presença ou não de defeitos na sua tonalidade. Não é necessário deixar as peças de molho, nem mesmo umedecê-las. O armazenamento das peças deve ser realizado de acordo com as instruções do fabricante, caso o fabricante não especifique recomendações na embalagem as caixas devem ser empilhadas no máximo até 1,5 metros de altura, em pilhas entrelaçadas, em local fechado e seco. Quanto ao seu assentamento, o Porcelanato não se difere tanto dos outros revestimentos cerâmicos, alguns aspectos não devem ser esquecidos no processo de assentamento do deste material:  É primordial ter qualidade no serviço do profissional contratado para sentar as peças, para isso é recomendado comprar o revestimento já com este serviço incluso;  Obedecer ao tempo de cura do contra-piso que normalmente é de 28 dias;

12

 Devido a sua baixa absorção de água não deve ser molhado antes do assentamento e sim retirar o pó de sua superfície com um pano seco;  Utilizar um martelo de borracha para bater em toda a superfície do revestimento par que ocorra o total esmagamento dos cordões de argamassa;

Figura 03 – Esmagamento dos cordões da argamassa Fonte: http://www.usinafortaleza.com.br

 A argamassa preparada em obra não apresenta aditivos químicos necessários a colagem de um revestimento cerâmico com tão baixa absorção de água, recomenda-se utilizar somente argamassa de assentamento industrializada, verificando se tem efetiva adição de resinas orgânicas ( argamassa do tipo AC3), conforme as normas da NBR 14081;  Utilizar somente rejuntes epóxi industrializados, porque não são porosos, como os cimenticios e simplificam a limpeza. Porem deve-se verificar se tem efetiva adição de resinas orgânicas, especificas para uso em Porcelanatos.Não esquecendo de verificar sua flexibilidade, impermeabilidade, se é lavável, antifungo e se possui uma cor estável;  O Porcelanato precisa de juntas mínimas para o seu assentamento, desta forma atingindo um perfeito alinhamento, para que a alvenaria e a argamassa possam expandir e contrair sem descolar o revestimento. Para posicionar de maneira correta o revestimento, deve-se colocá-lo um pouco afastado da posição final e arrastá-lo até a mesma com um movimento de vai e vem. É importante observar

13

que se deve utilizar juntas de 2mm quando as peças forem retificadas e 5mm no caso de peças não retificadas;  Para formatos superiores as medidas de 30x30 deve-se utilizar a técnica da dupla colagem, aplicando argamassa tanto nas placas como no contrapiso, desta forma impedindo trincas e o deslocamento (figura);

Figura 04 – Técnica de dupla colagem Fonte: http://www.usinafortaleza.com.br

 Ter a certeza de que todo o verso da peça esteja coberto com argamassa;  O pior inimigo do Porcelanato é a própria obra, porque na maioria delas após o assentamento do Porcelanato, os serviços continuam sem a devida proteção ao revestimento ocasionando muitos riscos na peça devido ao tráfego abrasivo da obra, o ideal é protegê-lo com papelão e gesso;  Recomenda-se utilizar cera incolor antes de aplicar o rejunte, pois quem penetrará nos poros da peça será a cera e não a sujeira, desta forma deixando a peça mais fácil de limpar;  Fazer o rejunte somente 72 horas após o assentamento do piso; não utilizar ácido na limpeza do revestimento, pois podem prejudicar o esmalte, para limpar basta usar água e sabão ou detergente neutro no dia a dia. Alguns fabricantes contam com produtos específicos para remoções de manchas mais difíceis.

14

.

Figura 05 – Limpeza Equivocada Fonte: http://www.usinafortaleza.com.br

5. PEI – PORCELAIN ENAMEL INSTITUTE

PEI é um procedimento que avalia a resistência que a camada de esmalte terá submetida ao fluxo de pessoas e contato com sujeiras abrasivas no dia a dia. Foi criado pelo laboratório inglês Porcelain Enamel Institute, por isso leva suas

15

siglas como nome. Desta forma, todo material que contenha esmalte na superfície terá PEI, definido pelo fabricante, em conformidade com as Normas Técnicas. ABNT NBR 15.463 19/02/07 . O PEI é muito importante na hora de especificar um Porcelanato Esmaltado. Ele determina a durabilidade em condições normais de uso. A escolha inadequada do PEI pode condenar um produto de alta qualidade. Para isto é importante seguir as seguintes recomendações:

PEI Movimento no local Exemplo de utilização 0 I II III Uso somente em paredes Baixo Moderado Médio Paredes residenciais, comerciais e indústrias. Paredes. Pisos de banheiros internos. Paredes. Pisos de banheiros e dormitórios internos. Paredes. Pisos de todas as dependências residenciais sem portas externas. Paredes. Piso de toda residência e pequenas lojas internas de shopping. Paredes. Pisos de residências, comércios e de algumas indústrias.

IV Alto V Intenso

Tabela 01 – recomendações de uso Fonte: http://ceusa.virtualiza.com.br/

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

16

No decorrer desta pesquisa, foi possível constatar as qualidades do Porcelanato como revestimento cerâmico. Entre as caracteristicas comprovadas diante deste trabalho a mais importante é a resistência ao desgaste físico, destacando-se em seguida os baixos valores de absorção de água, a alta resistência mecânica à flexão, a resistência ao ataque químico, a dureza superficial, a resistência ao congelamento, a resistência à compressão e o isolamento a descargas elétricas estáticas. Além das características citadas anteriormente, o porcelanato apresenta beleza estética, o que permitiu conquistar espaço no mercado de pedras naturais com menor custo, possibilitando seu uso em diversos ambientes, seja comercial ou residencial.

17

7. REFERÊNCIAS

ARAÚJO, P. A. S.; DUTRA, R. P. S,; NASCIMENTO, R. M.; FORMIGA, F. L.; MACEDO, D. A.; ANDRADE, J. C. S. Estudo de matérias-primas para formulação de massa cerâmica para Porcelanato, V Congresso Nacional de Engenharia Mecânica, Salvador, v. 1, 2008.

BIFFI, G. O Grês Porcelanato Manual de fabricação e técnicas de emprego,. São Paulo, Faenza Editrice do Brasil Ltda. p. 32, 2002.

BRAZIL SOUTH. Informações técnicas e características. Disponível em: <http://www.brazilsouth.com.br/ed1/index.php? option=com_content&task=blogcategory&id=15&Itemid=26> . Acesso em Julho, 2010.

BRAZIL SOUTH. Manutenção e limpeza. Disponível em: <http://www.brazilsouth.com.br/ed1/index.php? option=com_content&task=blogcategory&id=16&Itemid=27> . Acesso em Julho, 2010.

BRAZIL SOUTH. Assentamento e rejuntamento. Disponível em:

18

<http://www.brazilsouth.com.br/ed1/index.php? option=com_content&task=blogcategory&id=17&Itemid=28> . Acesso em Julho, 2010.

CASA ABRIL. Pisos. Disponível em: < http://casa.abril.com.br/materias/pisos/mt_394533.shtml> . Acesso em Julho, 2010.

CEUSA. Faq. Disponível em: < http://ceusa.virtualiza.com.br/br/faq.php?i=26#pergunta26> . Acesso em Julho, 2010.

GRUPO KALFIX. Fique por dentro. Disponível em: <http://grupokalfix.com.br/modules/articles/article.php?id=7> . Acesso em Julho, 2010.

ELIANE. Tire suas dúvidas. Disponível em: < http://www.eliane.com/faq/duvidas.pdf> . Acesso em Julho, 2010.

PORCELANATOS. Conheça o Porcelanato. Disponível em: < http://www.porcelanatos.com/porcelanatos/> . Acesso em Julho, 2010.

19

20

21

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->