Relações Ecológicas

Podemos classificar as relações entre seres vivos inicialmente em dois grupos: as intraespecíficas, que ocorrem entre seres da mesma espécie, e as interespecíficas, entre seres de espécies distintas. É comum diferenciar-se as relações em harmônicas ou positivas e desarmônicas ou negativas. Nas harmônicas não há prejuízo para nenhuma das partes associadas, e nas desarmônicas há. Antes de tratarmos de cada tipo de relação entre os seres vivos, iremos esclarecer o significado de dois termos: habitat e nicho ecológico. Noções sobre habitat e nicho ecológico É clássica a analogia que compara o habitat ao endereço de uma espécie, e o nicho ecológico à sua profissão. Se você quer encontrar indivíduos de uma certa espécie no ambiente natural, deve procurá-los em seu habitat. As observações que você fizer sobre a "maneira como ele vivem", serão indicações do nicho ecológico. O pescador experiente sabe onde encontrar um certo tipo de peixe, que isca deve usar, se deve afundá-la mais ou menos, em que época do ano e em qual período do dia ou da noite ele terá maior chance de sucesso. Ele deve saber muito, portanto, do habitat e nicho ecológico dos peixes que mais aprecia. 1 - RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS HARMÔNICAS Relações que ocorrem em indivíduos da mesma espécie, não existindo desvantagem nem benefício para nenhuma das espécies consideradas. Compreendem as colônias e as sociedades. a) Colônias Agrupamento de indivíduos da mesma espécie que revelam profundo grau de interdependência e se mostram ligados uns aos outros, sendo-lhes impossível a vida quando isolados do conjuntos, podendo ou não ocorrer divisão do trabalho. As cracas, os corais e as esponjas vivem sempre em colônias. Há colônias com divisão de trabalho. É o que podemos observar com colônias de medusas de cnidários (caravelas) e com colônias de Volvox globator (protista): há alguns indivíduos especializados na reprodução e outros no deslocamento da colônia (que é esférica) na água. b) Sociedades

As sociedades são agrupamentos de indivíduos da mesma espécie que têm plena capacidade de vida isolada mas preferem viver na coletividade. Os indivíduos de uma sociedade têm independência física uns dos outros. Pode ocorre, entretanto, um certo grau de diferenciação de formas entre eles e de divisão de trabalho, como sucede com as formigas, as abelhas e os térmitas ou cupins. Nos diversos insetos sociais a comunicação entre os diferentes indivíduos é feita através dos ferormônios - substâncias químicas que servem para a comunicação. Os ferormônios são usados na demarcação de territórios, atração sexual, transmissão de alarme, localização de alimento e organização social. 2 - COMPETIÇÃO INTRA-ESPECÍFICAS É a relação intra-específica desarmônica, entre os indivíduos da mesma espécie, quando concorrem pelos mesmos fatores ambientais, principalmente espaço e alimento. Essa relação determina a densidade das populações envolvidas. a) Canibalismo Canibal é o indivíduo que mata e come outro da mesma espécie. Ocorre com escorpiões, aranhas, peixes, planárias, roedores, etc. Na espécie humana, quando existe, recebe o nome de antropofagia (do grego anthropos, homem; phagein, comer). 3 - RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS HARMÔNICAS Ocorrem entre organismos de espécies diferentes. Compreendem a protocooperação, o mutualismo, o comensalismo e inquilinismo. a) Comensalismo É uma associação em que uma das espécies — a comensal — é beneficiada, sem causar benefício ou prejuízo ao outro. O termo comensal tem interpretação mais literal: "comensal é aquele que come à mesa de outro". A rêmora é um peixe dotado de ventosa com a qual se prende ao ventre dos tubarões. Juntamente com o peixe-piloto, que nada em cardumes ao redor do tubarão, ela aproveita os restos alimentares que caem na boca do seu grande "anfitrião". A Entamoeba coli é um protozoário comensal que vive no intestino humano, onde se nutre dos restos da digestão. b) Inquilinismo É a associação em que apenas uma espécie (inquilino) se beneficia, procurando abrigo ou suporte no corpo de outra espécie (hospedeiro), sem prejudicá-lo.

Trata-se de uma associação semelhante ao comensalismo, não envolvendo alimento. Exemplos:

Peixe-agulha e holotúria

O peixe-agulha apresenta um corpo fino e alongado e se protege contra a ação de predadores abrigando-se no interior das holotúrias (pepinos-do-mar), sem prejudicá-los.

Epifitismo

Epífias (epi, em cima) são plantas que crescem sobre os troncos maiores sem parasitálas. São epífitas as orquídeas e as bromélias que, vivendo sobre árvores, obtêm maior suprimento de luz solar. c) Mutualismo Associação na qual duas espécies envolvidas são beneficiadas, porém, cada espécie só consegue viver na presença da outra. Entre exemplos destacaremos.

Liquens

Os liquens constituem associações entre algas unicelulares e ceros fungos. As algas sintetizam matéria orgânica e fornecem aos fungos parte do alimento produzido. Esses, por sua vez, retiram água e sais minerais do substrato, fornecendo-os às algas. Além disso, os fungos envolvem com suas hifas o grupo de algas, protegendo-as contra desidratação.

Cupins e protozoários

Ao comerem madeira, os cupins obtêm grandes quantidades de celulose, mas não conseguem produzir a celulase, enzima capaz de digerir a celulose. Em seu intestino existem protozoários flagelados capazes de realizar essa digestão.Assim, os protozoários se valem em parte do alimento do inseto e este, por sua vez, se beneficia da ação dos protozoários. Nenhum deles, todavia, poderia viver isoladamente.

Ruminates e microorganismos

Na pança ou rúmen dos ruminantes também se encontram bactérias que promovem a digestão da celulose ingerida com a folhagem. É um caso idêntico ao anterior.

Bactérias e raízes de leguminosas

No ciclo do nitrogênio, bactérias do gênero Rhizobium produzem compostos nitrogenados que são assimilados pelas leguminosas, por sua vez, fornecem a essas bactérias a matéria orgânica necessária ao desempenho de suas funções vitais.

Micorrizas

São associações entre fungos e raízes de certas plantas, como orquídeas, morangueiros, tomateiros, pinheiros, etc. O fungo, que é um decompositor, fornece ao vegetal nitrogênio e outros nutrientes minerais; em troca, recebe matéria orgânica fotossintetizada. d) Protocooperação Trata-se de uma associação bilateral, entre espécies diferentes, na qual ambas se beneficiam; contudo, tal associação não é obrigatória, podendo cada espécie viver isoladamente. A atuação dos pássaros que promovem a dispersão das plantas comendo-lhes os frutos e evacuando as suas sementes em local distante, bem como a ação de insetos que procuram o néctar das flores e contribuem involuntariamente para a polinização das plantas são consideradas exemplos de protocooperação. Como exemplos citaremos:

Caramujo paguro e actínias

També conhecido como bernardo-eremita, trata-se de um crustáceo marinho que apresenta o abdomên longo e mole, desprotegido de exoesqueleto. A fim de proteger o abdomên, o bernardo vive no interior de conchas vazias de caramujos. Sobre a concha aparecem actínias ou anêmonas-do-mar (celenterados), animais portadores de tentáculos urticantes. Ao paguro, a actínia não causa qualquer dano, pois se beneficia, sendo levada por ele aos locais onde há alimento. Ele, por sua vez, também se beneficia com a eficiente "proteção" que ela lhe dá.

Pássaro-palito e crocodilo

O pássaro-palito penetra na boca dos crocodilos, nas margens do Nilo, alimentando-se de restos alimentares e de vermes existentes na boca do réptil. A vantagem é mútua, porque, em troca do alimento, o pássaro livra os crocodilos dos parasitas. Obs.: A associação ecológica verificada entre o pássaro-palito e o crocodilo africano é um exemplo de mutualismo, quando se considera que o pássaro retira parasitas da boca do réptil. Mas pode ser também descrita como exemplo de comensalismo; nesse caso o pássaro atua reirando apenas restos alimentares que ficam situados entre os dentes do crocodilo.

Anu e gado

O anu é uma ave que se alimenta de carrapatos existentes na pele do gado, capturandoos diretamente. Em troca, o gado livra-se dos indesejáveis parasitas. e) Esclavaismo ou sinfilia É uma associação em que uma das espécies se beneficia com as atividades de outra espécie. Lineu descreveu essa associação com certa graça, afirmando: Aphis formicarum vacca (o pulgão, do gênero Aphis, é a vaca das formigas).

responsáveis pelo fenômeno "maré vermelha". Fig. denominada amensal.Não obstante. Os predadores são geralmente maiores e menos numerosos que suas presas. pois a união não é obrigatória à sobrevivência. A secreção e eliminação de substâncias tóxicas pelas raízes de certas plantas impede o crescimento de outras espécies no local.Por um lado. De um modo geral. etc). Essa associação é considerada harmônica e um caso especial de protocooperação por muitos autores. As substâncias secretadas por dinoflagelados Gonyaulax.COMPETIÇÃO INTERESPECÍFICAS Relações interespecíficas desarmônicas entre espécies diferentes. a morte do hospedeiro não é conveniente ao parasita. através da liberação de substâncias tóxicas. em uma mesma comunidade. ainda. antibiótico que impede que as bactérias se reproduzam. especialização do nicho ecológico. c) Predatismo Predador é o indivíduo que aaca e devora outro. quando este não é suficiente para as duas populações. Esse mecanismo pode determinar conrole da densidade das duas populações que estão interagindo.meta a) Amensalismo ou Antibiose Relação no qual uma espécie bloqueia o crescimento ou a reprodução de outra espécie. p 9 . . já que os pulgões são mantidos cativos dentro do formigueiro. desde pequenos distúrbios até a própria morte do indivíduo parasitado. muitas vezes ela ocorre. sendo exemplificadas pelos animais carnívoros. em conseqüência. pode-se considerar uma relação harmônica. danos cuja gravidade pode ser muito variável. Dá-se o nome de hospedeiro ao organismo que abriga o parasita. apresentam nichos ecológicos iguais ou muito semelhantes. pertencente a espécie diferente. Exemplos: • • • Os fungos Penicillium notatum eliminam a penicilina. extinção de uma delas ou. podem determinar a morte da fauna marinha. a despeito disso. Mas. b) Parasitismo O parasitismo é uma forma de relação desarmônica mais comum do que a antibiose. o esclavagismo tem características de hostilidade. Ele caracteriza a espécie que se instala no corpo de outra. proteção. chamado presa. dela retirando matéria para a sua nutrição e causando-lhe. 4 . desencadeando um mecanismo de disputa pelo mesmo recurso do meio. pois os pulgões também são beneficiados pela facilidade de encontrar alimentos e até mesmo pelos bons tratos a eles dispensados pelas formigas (transporte.

graças a isso. Para a espécie humana. disso obtendo algumas vantagens. o predatismo. Muitas borboletas exibem os chamados anéis miméticos. um pequeno sapo colorido com listras pretas e amarelas e venenoso. que varia da cor verde das folhas à cor marrom do substrato onde ficam. confundindo-se com o gelo. não é importunada pela maioria das outras espécies. • Camuflagem Camuflagem é uma forma de adaptação morfológica pela qual uma espécie procura confundir suas vítimas ou seus agressores revelando cor(es) e/ou forma(s) semelhante(s) a coisas do ambiente. que é um poderoso predador.geralmente não se extinguem e nem entram em superpopulação. e. muito temida. como fator limiante do crescimento populacional. com cores de alerta.de predadores e presas . Os animais polares costumam ser brancos. camaleão). O louva-a-deus. A cobra falsa-coral é confundida com a coral-verdadeira. tem efeito praticamente nulo. Uma espécie de coloração de advertência bem conspícua é Dendrobates Ieucomelas. como o gato maracajá e a onça. que desestimulam o ataque dos predadores. O padrão de cor dos gatos silvestres. Há mariposas que se assemelham a vespas. é harmônico com seu ambiente. e mariposas cujo colorido lembra a feição de uma coruja com olhos grandes e brilhantes. TABELA DE REPRESENTAÇÃO DAS RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS Espécies reunidas A + B 0 Espécies separadas A 0 B 0 TIPOS DE RELAÇÕES Inquilinismo . com manchas camuflando o sombreado do fundo da floresta. O mesmo se passa com lagartos (por exemplo.As duas populações . • Aposematismo Aposematismo é o mesmo que coloração de advertência. que já a reconhecem pelo gosto desagradável ou pelos venenos que possui. Trata-se de uma forma de adaptação pela qual uma espécie revela cores vivas e marcantes para advertir seus possíveis predadores. se assemelha a folhas ou galhos. permanecendo em equilíbrio no ecossistema. da Amazônia. Formas especiais de adaptações ao Predatismo • Mimetismo Mimetismo é uma forma de adaptação revelada por muitas espécies que se assemelham bastante a outras.

e que cooperam entre si por meio de divisão de trabalho. RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS DESARMÔNICAS: Canibalismo: ato no qual um indivíduo se alimenta de outro(s) da mesma espécie. ou desarmônicas. quando não há prejuízo para nenhum dos indivíduos envolvidos. RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS HARMÔNICAS: Mutualismo: indivíduos de espécies diferentes que se encontram intimamente associados. mantendo-se anatomicamente separados.Comensalismo Mutualismo Protocooperação Amensalismo Predatismo Competição Parasitismo + + + 0 + – + 0 + + – – – – 0 – 0 0 – 0 – 0 – 0 0 0 0 0 0: espécies cujo desenvolvimento não é afetado +: espécie beneficiada cujo desenvolvimento torna-se possível ou é melhorado –: espécie prejudicada que tem seu desenvolvimento reduzido. Ex: liquens (fungo + . etc. comida. parceiros sexuais. Geralmente. ou com diferenciação corporal de acordo com a atividade que desempenham (polimorfas). Competição: disputa por territórios. Autoria: Eliseu Zavali dos Santos RELAÇÕES ECOLÓGICAS Todos os seres vivos se relacionam com outros. etc. quando pelo menos um se prejudica. RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS HARMÔNICAS: Sociedade: indivíduos da mesma espécie. Ex: abelhas. Ex: determinadas algas (1º exemplo) e caravela portuguesa (2º exemplo). Colônia: indivíduos associados anatomicamente. Estas podem ser harmônicas. criando vínculo de dependência. a morfologia corporal está relacionada à atividade que exercem. tanto da mesma espécie (relações intraespecíficas) quanto de espécies distintas (relações interespecíficas). formigas. cupins. Estes podem se apresentar semelhantes (colônias isomorfas). Ambos se beneficiam.

Inquilinismo: uma espécie usa a outra como abrigo. O primeiro ganha proteção e o segundo.cianobactéria). para se alimentar dos restos de comida deste. micorrizas (fungos + raízes de plantas). presas. . Comensalismo: relação na qual apenas uma espécie se beneficia. restos de alimentos destes. espaço. Essas relações estabelecem-se na busca por alimento. mas sem causar prejuízos à outra. formando o que chamamos de relações ecológicas. As relações ecológicas ocorrem dentro da mesma população (isto é. pássaros que se alimentam de carrapato bovino. ou entre populações diferentes (entre indivíduos de espécies diferentes). etc. RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS DESARMÔNICAS: Amensalismo: uma espécie inibe o desenvolvimento de outra. Protocooperação: indivíduos que cooperam entre si. Exemplo: orquídeas e bromélias associadas a árvores de grande porte. água. Ex: peixe-palhaço e anêmona. abrigo. etc. debilitando-o. mas não são dependentes um do outro para sobreviverem. lagarta e folhagens. sendo que somente ela se beneficia. Competição: disputa por recursos (território. os seres vivos relacionam-se com o ambiente físico e também entre si. cupim e protozoário que digere a celulose em seu organismo. nutrientes para garantir a sua sobrevivência. Exemplo: o peixe-piloto se prende ao tubarão. pássaro e semente. e também se locomover com maior agilidade. causando a morte de certas bactérias. Predatismo: um indivíduo mata outro para se alimentar. luz ou parceiros para reprodução. carrapato e cachorro. entre indivíduos da mesma espécie). Parasitismo: o parasita retira. do corpo do hospedeiro. Araguaia Biologia Mariana Graduada Equipe Brasil Escola em Relações ecológicas Em um ecossistema. mas sem causar prejuízos à outra. etc. Ex: liberação de antibióticos por determinados fungos. etc). etc. Ex: lombriga e ser humano. Ex: serpente e rato.

que é produzido a partir do néctar. Relações Harmônicas (relações positivas) Intra-específica (entre indivíduos da mesma espécie) Sociedade União permanente entre indivíduos em que há divisão de trabalho. uma sociedade é composta por um grupo de indivíduos da mesma espécie que vivem juntos de forma a permanente e cooperando entre si. É comum. Ex.: insetos sociais (abelhas. Elas se encarregam de colher o néctar das flores. Portanto. Colônia . a dos babuínos e a da própria espécie humana. ou mesmo um animal dividir alimento com outros. de limpar e defender a colméia e de alimentar as rainhas e as larvas (as futuras abelhas) com mel. as operárias. A rainha é a única fêmea fértil da colméia coloca os ovos que irão originar outras operárias e também os zangões (os machos). mas também há varias formas de cooperação. A divisão de trabalho não é tão rigorosa quanto as abelhas. cuja única função é fecundar a rainha.A seguir veremos alguns exemplos desses tipos de relações. formigas e cupins) O que mais chama a atenção em uma colméia é a sua organização. a dos gorilas. Entre os mamíferos também encontramos vários exemplos de sociedades. por exemplo. Todo o trabalho é feito por abelhas que não se reproduzem. um animal soltar um grito de alarme quando vê um predador se aproximar do grupo. como os dos castores.

cada um deles não sobrevive isolado da colônia. em que ambos se beneficiam. As bactérias e outros organismos unicelulares também se agrupam muitas vezes dentro de um invólucro mucoso. bois e microorganismos do sistema digestório.: líquen. estas espécies são chamadas eusociais. zangão com funções reprodutivas e as obreiras (ou operárias) com outras funções. Um recife de coral. Colônia é um grupo de organismos da mesma espécie que formam uma entidade diferente dos organismos individuais. mas cada indivíduo pode sobreviver separadamente. Ex. por exemplo. alguns destes indivíduos especializamse em determinadas funções necessárias à colônia. Por vezes.: coralcérebro. caravela. Por isso. A garrafa-azul (Physalia) é formada por centenas de pólipos seguros a um flutuador. Interespecífica (entre indivíduos de espécies diferentes) Mutualismo Associação obrigatória entre indivíduos. . Ex. como a alimentação e a defesa. especializados nas diferentes funções. ou seja. formam uma sociedade e não uma colônia. por outro lado. é construído por milhões de pequenos animais (pólipos) que secretam à sua volta um esqueleto rígido. As abelhas e formigas.Associação anatômica formando uma unidade estrutural e funcional. diferenciam-se em rainha.

é os liquens. Outro exemplo. O néctar é produzido na base das pétalas das flores e é um produto rico em açucares. Tubarão e Peixe Rêmora – O tubarão é reconhecidamente o maior predador dos mares. que retiram do ambiente.: Tubarão e Rêmoras. borboletas e beija-flores colhem o néctar. a rêmora aguarda pacientemente. limitando-se a comer apenas o que o grande tubarão não quis. beija-flores e borboletas são alguns animais que se alimentam do néctar das flores. O peixe-rêmora vive então associado ao grande tubarão. As duas células reprodutoras . Pousando em outra flor. esses insetos deixam cair o pólen na parte feminina da planta. grãos de pólen se depositam em seu corpo. Quando abelhas. Enquanto o tubarão encontra uma presa. Ex. Os animais polinizadores obtêm alimento e a planta se reproduz. ou seja. Já o peixerêmora é pequeno e incapaz de realizar a façanha do predatismo. Urubu e o Homem. Os fungos protegem as algas e fornecem-lhes água.Abelhas. assim. estraçalhando-a e devorando-a.a masculina e a feminina . preso em seu ventre através de uma ventosa (semelhante a um disco adesivo).irão então se unir e dar origem ao embrião (contido dentro da semente). por sua vez. sem prejudicá-lo. o indivíduo que normalmente ocupa o ápice da cadeia alimentar no talassociclo. o peixe-rêmora busca associar-se novamente a outro tubarão . associação mutualística entre algas e fungos. As algas. Perceba que existe uma relação entre esses insetos e a planta em que ambos lucram. O pólen contém células reprodutoras masculinas da planta. Leão e a Hiena. Liquens e polinizadores Interespecífica (entre indivíduos de espécies diferentes) Comensalismo Associação em que um indivíduo aproveita restos de alimentares do outro. fazem a fotossíntese e. Após a refeição. produzem parte do alimento consumido pelos fungos. sais minerais e gás carbônico. Esse tipo de relação entre duas espécies diferentes e que traz benefícios para ambas é chamada mutualismo.

já para o tubarão é totalmente neutra. Às margens do rio Nilo. O homem é o ser da natureza que mais desperdiça alimentos. As hienas aguardam apenas o momento em que os leões abandonam as carcaças das presas para só assim se alimentarem. Durante a sesta os gigantescos crocodilos abrem sua boca permitindo que um pequeno . Protocooperação Associação facultativa entre indivíduos. crocodilo africano e ave palito (higiene bucal). O urubu é uma grande ave que se vale exatamente deste desperdício do homem em relação aos restos de alimentos. segundo alguns etologistas).: Anêmona do Mar e paguro. Grande parte dos resíduos sólidos das grandes cidades é formado por materiais orgânicos que com um tratamento a baixos custos retornariam à natureza de forma mais racional. mas que vivem a espreita dos clãs dos leões. Entretanto são caçadores situando-se. Eles vivem em bandos e passam a maior parte do dia dormindo (cerca de 20 horas. no ápice da cadeia alimentar. na África.Para a rêmora a relação é benéfica. as hienas escondem-se esperando que todo o grupo de felinos se alimente. gado e anum (limpeza dos carrapatos). As hienas são pequenas canídeas que também se agrupam em bandos.faminto. os ecólogos perceberam a existência de um singular exemplo de protocooperação entre os perigosos crocodilos e o sublime pássaro-palito. em que ambos se beneficiam. Quando os leões estão caçando. Urubu e o Homem . mas que na verdade representam aves com o mesmo estilo de vida) é um comensal do homem. Ex.O urubu ou abutre (nomes vulgares que variam de acordo com a localização. Leão e a Hiena – os leões são grandes felinos e ferozes caçadores típicos das savanas africanas. a exemplo dos tubarões.

A relação é benéfica para ambos (o boi se livra do parasita e o anum se alimenta). Outro exemplo é do boi e do anum. A anêmona normalmente faz a captação de seus alimentos (partículas) através de seus inúmeros tentáculos. pois para alguns apenas o pássaro se beneficiava. portanto realizando as mudas) procura uma concha de molusco gastrópode (caramujo) abandonada. a anêmona-do-mar é dotada de estruturas que liberam substâncias urticantes com a finalidade de defender-se. E o anum preto (Crotophaga ani) tem como refeição predileta estes pequenos parasitas. Entretanto.pássaro (o pássaro-palito) fique recolhendo restos alimentares e pequenos vermes dentre suas poderosas e fortes presas. Bernardo-eremita e Anemôna-do-mar . pois nenhum predador chega perto. A associação beneficia tanto a anêmona quanto o Bernardo: o Bernardo consegue proteção quando uma anêmona se instala sobre sua concha (emprestada). ainda assim conseguem retirar o Pagurus de dentro da concha. pequenos artrópodes conhecidos vulgarmente por carrapatos. a retirada de vermes parasitas faz do crocodilo um beneficiado na relação. . Como todos os cnidários (ou celenterados). É aí que entra a anêmona-do-mar. Já a anêmona beneficia-se porque seu “cardápio” alimentar melhora bastante quando de “carona” na concha do Bernardo. em razão do exoesqueleto não possuir a mesma resistência do cefalotórax. alguns predadores. De certa forma o crustáceo permanece protegido. A relação era tipicamente considerada como um exemplo de comensalismo. Os bois e vacas são comumente atacados por parasitas externos (ectoparasitas). um cnidário. Entretanto. e instala-se dentro desta. Na carona do Bernardo há um significativo aumento no campo de alimentação para a anêmona.O bernardo-eremita é um crustáceo do gênero Pagurus cuja principal característica é a de possuir a região abdominal frágil. o que passa a caracterizar a protocooperação. Este crustáceo ao atingir a fase adulta (ainda em processo de crescimento. esperando que estes passem por perto.

como se estivesse rezando. Canibalismo Relação desarmônica em que um indivíduo mata outro da mesma espécie para se alimentar. aracnídeos. Ex. É hábito comum as fêmeas devorarem os machos numa luta que antecede a cópula. Louva-a-deus – o louva-a-deus é um artrópode da classe dos insetos (família Mantoideae). juntas com tarsos dobrados. Neste grupo de insetos o canibalismo é muito comum. como uma forma de controlar o tamanho da população. quando agrupados em galpões não suficientemente grandes para abrigá-los podem.: louva-a-Deus. Amensalismo . principalmente no que tange o processo reprodutivo. filhotes de tubarão no ventre materno. Este inseto é verde e recebe este nome por causa da posição de suas patas anteriores. Galináceos jovens – os jovens pintinhos com dias de nascidos.Eremita com anêmona grudada em sua concha. ocasionalmente apresentar canibalismo.

fungo penicillium (penicilina) e bactérias. Encontramos essas plantas apenas no fundo do mar. . alteração na salinidade e despejo de esgoto nas águas do mar. para obter vantagens. e que em redor das colônias do fungo não havia bactérias. mariscos e outros seres da fauna marinha. reparou que uma das suas culturas de Staphylococcus tinha sido contaminada por um bolor Penicillium. Em situações como mudanças de temperatura. Os seres contaminados por essas toxinas tornam-se impróprios para o consumo humano. cobra (veneno) e homem. a penicilina. grandes manchas vermelhas são vistas na superfície da água. Ex. A Penicilina foi descoberta em 1928 quando Alexander Fleming. Quando isso acontece. Ele demonstrou que o fungo produzia uma substância responsável pelo efeito bactericida. Muitas delas de cor avermelhada.: Maré vermelha. Ex.Relação em que indivíduos de uma espécie produzem toxinas que inibem ou impedem o desenvolvimento de outras.: formigas e pulgões. Maré vermelha Sinfilia Indivíduos mantém em cativeiro indivíduos de outra espécie. A Maré vermelha é a proliferação de algumas espécies de algas tóxicas. elas se multiplicam e sobem à superfície. e que geralmente ocorre ocasionalmente nos mares de todo o planeta. onde liberam toxinas que matam um grande número de peixes. no seu laboratório no Hospital St Mary em Londres.

O predatismo é uma forma de controle biológico natural sobre a população da espécie da presa. e se alimentam da seiva elaborada que retiram dos vasos liberinos das plantas. o que acabaria provocando competição devido à falta de espaço. No entanto ao diminuir a população de presas é possível que ocorra a diminuição dos predadores por falta de comida. obtenham açúcar. Todos os carnívoros são animais predadores. parceiro reprodutivo e alimento. As plantas carnívoras.Os pulgões são parasitas de certos vegetais. evitando que ocorra aumento exagerado do número de indivíduos. Quando se leva em consideração o fato das formigas protegerem os pulgões das joaninhas. Por absorverem muito açúcar. devoram rapidamente toda uma plantação. que caçam veados. sendo um tipo de protocooperação. O predador pode atacar e devorar também plantas. a falta de predadores pode provocar um aumento da população de presas. Em conseqüência. Raros são os casos em que o predador é uma planta. o lobo. Ex. escravizando-os. Predatismo Relação em que um animal captura e mata indivíduos de outra espécie para se alimentar. como acontece com o gafanhoto. É um organismo que se instala no corpo de outro (o hospedeiro) para extrair alimento. a interação é harmônica. Em crianças. no entanto. Esse açúcar eliminado é aproveitado pelas formigas. Parasitismo: Indivíduos de uma espécie vivem no corpo de outro.: cobra e rato. que. em bandos. para que delas retirem a seiva elaborada. Embora o predatismo seja desfavorável à presa como indivíduo. os pulgões eliminam o seu excesso pelo ânus. Os vermes parasitas fazem a pessoa ficar mal nutrida e perder peso. do qual retiram alimento. Essa regulação do controle populacional colabora para a manutenção do equilíbrio ecológico. provocando-lhes doenças. fazendo-os eliminar mais açúcar. pode favorecer a sua população. costuma-se dar ao predatismo o nome de herbivorismo. a onça. homem e gado. que chegam a acariciar com suas antenas o abdômen dos pulgões. pois aprisionam e digerem principalmente insetos. Ex. A lombriga é um exemplo de parasita. zebras e tantos outros animais. É o que acontece com o leão.: Gado e carrapato. podem prejudicar até o crescimento. As formigas transportam os pulgões para os seus formigueiros e os colocam sobre raízes delicadas. A seiva elaborada é rica em açúcares e pobre em aminoácidos. . o tigre. são excelentes exemplos. Nos casos em que a espécie predada é vegetal. lombrigas e vermes parasitas do ser humano. Muitas vezes as formigas cuidam da prole dos pulgões para que no futuro.

como acontece com as tênias e lombrigas. com exceção dos órgãos da alimentação e os reprodutores. até à redução ou mesmo desaparecimento de praticamente todos os órgãos.desde a transformação das probóscides dos mosquitos num aparelho de sucção. Peixe piloto e rêmora em volta do tubarão Relações ecológicas . Lombriga (Ascaris lumbricoides) e mosquito Competição Interespecífica: Disputa por recursos escassos no ambiente entre indivíduos de espécies diferentes.: Peixe Piloto e Rêmora (por restos deixados pelo tubarão) Tanto o Peixe Piloto quanto a Rêmora comem os restos deixados pelos tubarões por tanto possuem o mesmo nicho ecológico e acabam disputando por espaço nele.As adaptações ao parasitismo são assombrosas . Ex.

Canibalismo: Um indivíduo se alimenta de outro de sua espécie sendo este. Como relações interespecíficas harmônicas.Comensalismo: Um organismo se alimenta de restos da alimentação de outro.Colônia: Associação anatomicamente entre indivíduos. . mas também de outras populações (relações interespecíficas). Ex: Caranguejo-eremita e anêmonas-do-mar. menos capaz.Colméia: relação ecológica intraespecífica harmônica. O primeiro caso ocorre quando ambos os indivíduos são beneficiados. geralmente. quando isto não ocorre. ou apenas um. É uma relação que fornece benefícios apenas a uma espécie. ou não. enquanto a outra permanece .Protocooperação: Ambas as espécies se beneficiam. alimentos. parceiros reprodutivos. Ex: abelhas e cupins. sem se prejudicar.Mutualismo: Ambas as espécies. mas sem causar dano ao outro. temos: . se beneficiam. por meio da divisão de trabalho. Tal interação ocorre não só entre indivíduos da mesma espécie (relações intraespecíficas).Inquilinismo: Uma espécie fornece proteção ou moradia à outra. e que podem desempenhar funções específicas. .Competição intraespecífica: Competição por território. Já o segundo. temos: . . e tampouco obrigatoriamente. Ex: liquens (fungos + algas). Como relações intraespecíficas harmônicas. . associadas entre si. unidas. E as desarmônicas: . podendo consistir em laços benéficos.Sociedade: Representantes da mesma espécie cooperam entre si. Relações ecológicas podem ser harmônicas ou desarmônicas. Seres vivos de uma mesma comunidade relacionam entre si e com o meio. Ex: corais. dentre outros. mas sem estar dependentemente. unidos entre si. . sendo tal relação imprescindível à sobrevivência destas. Ex: orquídeas epífitas.

aranhas e leões. denominadas relações ecológicas ou interações biológicas.Amensalismo: O desenvolvimento ou próprio nascimento de indivíduos de uma espécie sendo prejudicado graças à secreção de substâncias tóxicas. . . Essas relações se diferenciam pelos tipos de dependência que os organismos mantêm entre si. sem o prejuízo do outro. Ex: carrapato (ectoparasita) e lombrigas (endoparasita). são denominadas relações intraespecíficas ou homotípicas. Ex: boi capim. Algumas dessas interações se caracterizam pelo benefício mútuo de ambos os seres vivos. morte e alimentação de suas presas.indiferente.Herbivoria: Herbívoros se alimentam de partes ou mesmo de plantas inteiras. Quando as relações acontecem entre organismos de espécies diferentes. Essas relações são denominadas harmônicas ou positivas. necessariamente. Ex: secreção antibiótica dos Penicillium.Parasitismo: Um parasita se alimenta de seu hospedeiro sem. .Competição interespecífica: Disputa por recursos.Predatismo: Consiste na captura. Outras formas de interações são caracterizadas pelo prejuízo de um de seus participantes em benefício do outro. Quando as interações ocorrem entre organismos da mesma espécie. Tanto as relações harmônicas como as desarmônicas podem ocorrer entre indivíduos da mesma espécie e indivíduos de espécies diferentes. ou de apenas um deles. geralmente de nichos ecológicos semelhantes. entre espécies diferentes. Por Mariana Araguaia Graduada em Biologia Relação ecológica Nas comunidades bióticas dentro de um ecossistema encontram-se várias formas de interações entre os seres vivos que as formam. recebem o nome de interespecíficas ou heterotípicas. Esses tipos de relações recebem o nome de desarmônicas ou negativas. produzidas por outra. Ex: plantas carnívoras. . E as desarmônicas: . levá-lo a óbito. .

Por exemplo as colônias de corais.4 Parasitismo o 3. popularmente conhecida por “caravela”. a abelha-rainha é grande e põe ovos.2 Predatismo o 3. não ocorre divisão de trabalho. [editar] Colônias Uma colônia é o agrupamento de vários indivíduos da mesma espécie que apresentam um elevado grau de dependência entre si.2 Colônias 2 Relações interespecíficas harmónicas o 2. organizados de um modo cooperativo e não ligados anatomicamente. a ponto de ocorrerem seleções na escolha da função de acordo com a estrutura do corpo de cada animal. enquanto que as abelhas operárias são menores e não põem ovos. Sempre observamos a existência de hierarquia. colaboram com a sociedade em que estão integrados graças aos estímulos recíprocos.1 Simbiose ou mutualismo o 2. todos os indivíduos são iguais e executam as mesmas funções vitais.3 Herbivorismo o 3.Índice [esconder] • • • • 1 Relações intraespecíficas harmônicas o 1.Podendo ou não ocorrer divisão do trabalho. (são denominadas colônias heteromorfas). uma divisão de funções para cada membro participante. Quando constituídas por indivíduos com formas e funções distintas ocorre a divisão de trabalhos.2 Protocooperação o 2.1 Sociedades o 1. o que gera indivíduos especialistas em determinadas funções aumentando a eficiência do conjunto e sobrevivência da espécie. Por exemplo. que .1 Competição o 4.3 Inquilinismo ou epibiose o 2. Um exemplo é o celenterado da espécie Physalia physalis. Os indivíduos componentes denominados sociais.2 Canibalismo [editar] Relações intraespecíficas harmônicas [editar] Sociedades As sociedades são associações entre indivíduos da mesma espécie.4 Comensalismo 3 Relações interespecíficas desarmônicas o 3. formigas-soldados são maiores e possuem mais veneno (mais ácido fórmico) que as formigas-operárias. Quando constituídas por organismos que apresentam a mesma forma.5 Sinfilia ou esclavagismo 4 Relações intraespecíficas desarmônicas o 4. nesses casos são denominadas colônias isomorfas.1 Amensalismo ou antibiose o 3.

não conseguem digerir a celulose.formam colônias com indivíduos especializados na proteção e defesa. os cupins atuam como fonte indireta de alimentos e como “residência” para os protozoários. onde o anu. O paguro tem o corpo mole e costuma ocupar o interior de conchas abandonadas de gastrópodes. ao digerirem a celulose. costumam instalar-se uma ou mais anêmonas-do-mar (actínias). Os protozoários. Dessa forma. especializados em natação os chamados nectozóides. Um outro exemplo também é o pássaro-palito e o jacaré: o jacaré abre a sua boca e o pássaro-palito entra nela. possibilita à anêmona uma melhor exploração do espaço. e os especializados em digestão os chamados gastrozóides. comendo seus frutos e evacuando suas sementes em local distante. Um bom exemplo desta relação costumava ser a associação de algas e fungos formando os líquenes. especializados na flutuação os chamados pneumozóides. ao comerem a madeira. Há também a relação entre o anu e os bovinos. cada qual desempenhando funções diferentes no conjunto. onde ambos são beneficiados e a associação é obrigatória para a sobrevivência. Um dos mais conhecidos exemplos de protocooperação é a associação entre a anêmonado-mar e o paguro. porem estudos recentes classificam esse tipo de relação como um parasitismo controlado. que afugentam os predadores do paguro. se alimenta de carrapatos existentes na pele dos bovinos. e este. Os cupins. um crustáceo semelhante ao caranguejo. uma vez que foi evidenciada uma estrutura do fungo chamada apreensório. embora as duas espécies envolvidas sejam beneficiadas. surge o benefício mútuo: a anêmona possui células urticantes. Sobre a concha. Outro exemplo é o de alguns animais que promovem a dispersão de sementes de plantas. ele se alimenta com o resto da comida que há dentro da boca e dos dentes do jacaré. especializados na reprodução os chamados gonozóides. [editar] Protocooperação Na protocooperação. em busca de alimento. elas podem viver de modo independente. que possui a função de agarrar a alga (estrutura é comum em parasitas). sem que isso as prejudique. [editar] Relações interespecíficas harmónicas [editar] Simbiose ou mutualismo A simbiose ou mutualismo é uma relação entre indivíduos de espécies diferentes. mas não é devorado porque se ele for devorado o jacaré ficará com os dentes podres e não poderá mais comer. . os chamados dactilozóides. ao se deslocar. Ao mesmo tempo que o pássaro-palito ajuda o jacaré limpando os seus dentes. livrando-os de indesejáveis parasitas. assim os dois se beneficiam de algum modo. mas em seu intestino vivem os protozoários. capazes de digeri-la. Outro exemplo é a relação entre os cupins e a triconinfa. e a ação de insetos que procuram o néctar das flores e contribuem involuntariamente para a polinização das plantas. uma ave. Dessa união. permitem que os cupins aproveitem essa substância como alimento. também conhecido como bernardo-eremita ou ermitão.

Quando o tubarão estraçalha a carne de suas presas. O comensalismo entre hienas e leões só acontece quando o leão já está fartamente alimentado e já tendo saciado a sua fome. [editar] Relações interespecíficas desarmônicas São relações entre espécies diferentes. Esses antibióticos são largamente utilizados pela medicina. em seguida o bando de hienas ataca o leão de forma a afugentá-lo e assim conseguem se apoderar de sua caça. na qual há um prejuízo para pelo menos um dos lados. enquanto que o ser vivo que lhe proporciona esse alimento fácil é denominado anfitrião. O ser vivo que se aproveita dos restos alimentares é denominado comensal. Outro exemplo é o do Fierasfer. próximo à boca do tubarão e é levada com ele.[editar] Inquilinismo ou epibiose O inquilinismo é um tipo de associação em que apenas um dos participantes se beneficia. um pequeno peixe que vive dentro do corpo do pepinodo-mar (Holoturia). que lhe servem de suporte. diante das observações realizadas nessa relação entre leões e hienas. Alguns exemplos de comensalismo: A rêmora e o tubarão. as orquídeas encontram condições ideais de luminosidade para o seu desenvolvimento. A rêmora ou peixe-piloto é um peixe ósseo que apresenta a nadadeira dorsal transformada em ventosa. ainda. com a qual se fixa no ventre. o Fierasfer sai do pepino-do-mar e depois volta. sem causar qualquer prejuízo ao outro. Vivendo no alto das árvores. [editar] Amensalismo ou antibiose O amensalismo ou antibiose consiste numa relação desarmônica em que indivíduos de uma população secretam ou expelem substâncias que inibem ou impedem o desenvolvimento de indivíduos de populações de outras espécies. Vez por outra as hienas abatem leões e os devoram numa relação clara de predatismo. suporte no corpo da espécie hospedeira. Nesse caso. O exemplo mais clássico de amensalismo são os antibióticos produzidos por fungos que impedem a proliferação das bactérias. Para alimentar-se. abandona os restos da carcaça para as hienas e abutres. muitos pedacinhos de carne se espalham pela água e a rêmora se alimenta desses restos alimentares produzidos pelas atividades do tubarão. caracterizando assim uma relação de esclavagismo interespecífico e não propriamente de comensalismo. o peixe encontra proteção no corpo do pepino-do-mar. Um exemplo típico é a associação entre orquídeas e árvores. . inclusive impedindo que ele se alimente da caça que ele mesmo abateu. O exemplo didático mais antigo e mais clássico de comensalismo é o caso das hienas que se aproveitam dos restos das carcaças deixadas pelos leões mas. que não recebe benefício nem sofre desvantagem. Assim. [editar] Comensalismo O comensalismo é um tipo de associação entre indivíduos onde um deles se aproveita dos restos alimentares do outro sem prejudicá-lo. e a árvore não é prejudicada (ver Epifitia). ficou evidente que as hienas esperam que o leão faça o trabalho de abater a presa. a espécie beneficiada obtém abrigo ou. e é chamada de inquilino.

nessa gelatina. águias e gaviões que atacam aves menores. Pode-se dar como exemplo qualquer consumidor primário que come a planta. cultivados junto com as bactérias impediam o desenvolvimento das bactérias e assim Fleming descobriu o primeiro antibiótico que em seguida foi denominado penicilina. coelhos. pois aprisionam. herbívoro. capivaras e outros animais. como as aranhas. a maioria dos aracnídeos são predadores. existindo muitos protozoários maiores que são predadores de protozoários menores. ou outros animais mais pequenos. Os carnívoros são exemplos de animais predadores. que matam e comem outros animais. Aposematismo. lacraias. são excelentes exemplos. luz e água mas que nem chegam a germinar porque foram inibidas. acidentalmente caíram esporos desse bolor chamado Penicillium que rapidamente germinaram e esses fungos. o tigre e a onça são predadores que caçam. [editar] Predatismo Predatismo ou predação é uma relação desarmônica em que um ser vivo. baratas e insetos em geral. plantas que poderiam competir por espaço. ou seus ovos. o lobo. como ratos e lagartos. matam e digerem principalmente insetos afins de absorver os minerais contidos na carne deles. que foi descoberta pelo cientista Alexander Fleming em 1928. . Fleming realizava pesquisas com bactérias que eram cultivadas sobre gelatina em placas de Petri. O maior exemplo deste caso é o eucalipto. Raros são os casos em que o predador é uma planta. com o fim de se alimentar com a carne dele. ou até pequenas aves e mamíferos. alces. substância produzida pelo fungo Penicillium notatum. como as corujas. escorpiões em geral atacam e devoram moscas. As plantas carnívoras. Camuflagem. Nas águas são comuns os peixes predadores que vivem caçando e matando outros peixes a fim de se alimentarem. o leão. que devoram diversos tipos de presas. no entanto. O mais antigo antibiótico que se conhece é a penicilina. deixando assim a área livre para a inibidora se desenvolver sozinha. Algumas espécies desenvolveram adaptações para se defenderem dos predadores: • • • Mimetismo. o predador captura e mata um outro ser vivo. matam e comem zebras.no combate às infecções bacterianas. [editar] Herbivorismo Herbivorismo é uma relação desarmônica entre um consumidor primário e um produtor. Algumas plantas produzem substâncias inibidoras que são exaladas ao seu redor com a finalidade de inibir a germinação de outras plantas evitando assim que surjam plantas competidoras nas proximidades da planta inibidora. a presa. jacarés e as lagartixas domésticas. alimenta-se do produtor Planta. répteis predadores como crocodilos. Até mesmo no mundo dos micróbios o predatismo é evidente. Ocorre quando esse consumidor primário. aves predadoras. Geralmente é uma relação interespecífica ou seja uma relação que ocorre entre espécies diferentes.

• Quanto à localização no corpo do hospedeiro. • Existem duas modalidades de esclavagismo: o Esclavagismo interespecífico o Esclavagismo intraespecífico Esclavagismo interespecífico: quando esse tipo de relação ocorre entre indivíduos de diferentes espécies de seres vivos. assim para obter a quantidade de aminoácidos que necessitam para formar as suas próprias proteínas. mosquitos e outros. Endoparasitas são parasitas que vivem no interior dos hospedeiros como a maioria das bactérias patogênicas. os parasitas podem ser classificados em: o Ectoparasitas "ecto" significa à superfície o Endoparasitas "endo" significa internos o Parasitas intracelulares "intra" significa dentro das células. no entanto por vezes a população do parasita cresce exageradamente em determinados hospedeiros de forma que a superpopulação desses parasitas acaba causando a morte desses hospedeiros devido ao excesso de prejuízos causados pela quantidade anormal de parasitas parasitando um só organismo hospedeiro. [editar] Sinfilia ou esclavagismo Esclavagismo é um tipo de relação ecológica entre seres vivos onde um ser vivo se aproveita das atividades. como os vírus e alguns protozoários. como o Plasmodium#Plasmodium vivax causador da malária. Ectoparasitas são parasitas que vivem no exterior do corpo dos hospedeiros como os carrapatos. do qual retira alimentos. Os pulgões são pequenos insetos parasitas de plantas que passam a maior parte do tempo parados. sugando a seiva açucarada que circula pelos vasos liberianos das plantas. em que um deles é o parasita que vive dentro ou sobre o corpo do outro que é designado hospedeiro. Parasitas intracelulares são parasitas microscópicos que vivem e se reproduzem no interior das células dos hospedeiros. A seiva elaborada pelas plantas possui uma pequena quantidade de aminoácidos mas uma grande quantidade do açúcar glicose. do trabalho ou de produtos produzidos por outros seres vivos. os pulgões precisam sugar uma quantidade exagerada de seiva açucarada de forma que esse . Exemplo: As formigas cuidam e protegem os pulgões para obter o açúcar deles. protozoários. bicho-de-pé da tungíase. vermes intestinais e outros. pulgas.[editar] Parasitismo Parasitismo é uma relação desarmônica entre seres de espécies diferentes. designada hiperinfestação de parasitas. o bicho-geográfico da dermatite linear sepiginosa. Os parasitas geralmente não têm intenções de causar a morte dos hospedeiros. piolhos.

bovinocultura. dentro dos formigueiros delas. ovinocultura. avicultura. seriam todos eles devorados e a espécie deles seria extinta. nesse caso se as formigas abandonassem os pulgões eles não conseguiriam se defender das joaninhas. levam eles de um lado para outro para protegê-los em locais mais seguros nos caules das plantas levando-os inclusive para dentro do próprio formigueiro delas onde os instalam junto a raízes de plantas vivas e esses pulgões passam a sugar essas raízes fornecendo açúcar para as formigas até mesmo debaixo da terra. [editar] Relações intraespecíficas desarmônicas São relações entre espécies iguais. As formigas lambem todo esse açúcar que fica saindo constantemente do abdome dos pulgões e assim os mantendo sempre limpos e protegidos. As formigas inclusive tratam e protegem os filhotes dos pulgões. sericicultura. Por outro lado o açúcar é um importante alimento para as formigas então elas se associam a esses pulgões produtores de açúcar escravizando-os. O esclavagismo consiste numa relação onde o esclavagista sempre cuida e protege os seres que foram por ele escravizados e nesse exemplo embora exista protocooperação a relação é considerada desarmônica devido a dependência que os pulgões passaram a ter das formigas. fatores existentes em quantidades limitadas. exemplos: O leão "macho alfa" do bando é um esclavagista porque se aproveita do trabalho das leoas. Todas as atividades de domesticação feita pelos humanos são relações de esclavagismo interespecífico. cuidam deles. aquicultura. [editar] Competição • Existem duas modalidades de competição: o Competição interespecífica o Competição intraespecífica A competição interespecífica é uma relação de competição entre indivíduos de espécies diferentes. na qual há um prejuízo para pelo menos um dos lados. caprinocultura. Os seres humanos praticam o esclavagismo interespecífico em praticamente todas as atividades agropecuárias e em todas as áreas da zootecnia porque protegemos e cuidamos de todos os seres vivos a nós associados. suinocultura. cunicultura. equinocultura. A hiena "matriarca" do bando é uma esclavagista porque se aproveita do trabalho do bando. • Alguns exemplos: . Esclavagismo intraespecífico: quando esse tipo de relação se desenvolve entre indivíduos da mesma espécie. As formigas protegem os pulgões de eventuais predadores como por exemplo as joaninhas que são predadores que gostam de caçar e comer os pulgões.excesso de açúcar ingerido precisa ser excretado. Na protocooperação um sócio não depende do outro para sobreviver mas. que concorrem pelos mesmos fatores do ambiente. exemplos: apicultura.

Machos de uma mesma espécie precisam competir entre si pelas fêmeas dessa mesma espécie. Além de ter que ganhar a luta com todos os outros leões do bando. Outros exemplos semelhantes são os galos que competem entre si usando suas esporas uns contra os outros. preás. coelhos etc. tudo isso para poder ser eleito e aceito pelas leoas que também têm lá seus critérios de avaliação pois são elas que elegem quem será o novo "macho alfa" que terá o direito de se acasalar com todas elas. que existem em quantidade limitada. Existem muitos outros fatores que levam seres vivos de diferentes espécies a competirem uns com os outros.. Na verdade existe muito exibicionismo evidente nos comportamentos relacionados à competição que ocorre durante a seleção sexual nas populações das espécies em geral. principalmente por pequenos roedores (ratos.) que são as presas prediletas destes diferentes predadores. O leão por exemplo tem que competir com os outros leões do bando porque os leões praticam a poligamia patriarcal e é necessário competir. sapos competem entre si usando o coaxar e algumas exibindo o peito colorido e inflado. Árvores de diferentes espécies crescendo umas muito próximas das outras competem entre sí pelo espaço para as copas das árvores se desenvolverem e assim obterem mais luz solar para realizarem a fotossíntese. portanto uma competição por água potável. aranhas lutam com venenos. cobras e gaviões são predadores que competem entre si pelas mesmas espécies de presas. A competição entre os leões é contínua. o pavão exibe a sua cauda esplêndida para competir com as caudas dos outros pavões. exibir vigor físico e autoridade superior. Durante os períodos de estiagem ou seca prolongada fica sem chover durante meses fazendo com que a oferta de água potável se reduza drásticamente no ambiente e fazendo com que animais de diversas espécies diferentes sejam obrigados a competir pela água que ainda resta em pequenas poças d ´água que ainda existem num lugar ou noutro mas que não são suficientes para matar a sede de todos eles.. fenômeno esse chamado "seleção sexual". portanto é uma competição por luz solar. a chance de se acasalar com todas aquelas fêmeas do bando. para com isso tirá-lo do poder e estimular novamente o cio das fêmeas para que outro "macho alfa" seja eleito e tenha a chance de acasalar e obter a sua própria descendência. lutar para ganhar ou perder. A competição intraespecífica é uma relação de competição entre indivíduos da mesma espécie. que concorrem pelos mesmos fatores do ambiente. Para ser o "macho alfa" do bando o leão terá que ser o mais corajoso dentre todos os leões daquele território porque terá que enfrentar todos os outros machos que também pretendem essas mesmas leoas e apenas um leão é eleito pelas fêmeas o "macho alfa" que terá o direito de cobrir todas as leoas do bando enquanto que os perdedores não se reproduzem. o "macho alfa" campeão nessas lutas tem também que exibir seu urro forte para impressionar as leoas. portanto é uma competição por alimento. suas garras afiadas. pássaros canoros competem entre si exibindo o canto afinado e as cores da . Nessas competições os leões derrotados podem inclusive se vingar do "macho alfa" e matar todos os filhotes dele. carneiros competem lutando com cabeçadas. exibir sua juba linda.o o o o Corujas.

morrem de infecções devido aos ferimentos ocorridos nessas lutas e assim. quantos títulos têm. religiosa. quantos imóveis tem. que marca de carro usa. . seleciona os melhores organismos da população contribuindo assim para o melhoramento genético da espécie e sendo também um fator regulador da densidade populacional.. de quais clubes é sócio. competições esportivas dentre outras formas de competição. qual a empresa. [editar] Canibalismo Canibalismo é uma relação de predatismo intraespecífico em que seres de uma mesma espécie comem outros seres da sua própria espécie. se é sadio ou não. Enfim tudo isso e muito mais. enfim a beleza humana de uma forma ampla é um fator muito importante na competição humana que é muito complexa porque além da beleza física a situação de cada um dentro da sociedade humana também são fatores preponderantes nesse tipo de competição humana. que tipo de autoridade têm. Além disso nas atividades humanas existem muitas outras formas de competições voltadas a outras finalidades além do sexo: Competição por empregos. A competição e a seleção natural: A competição em ambas modalidades. que esportes pratica. morrem de sede. a classe social a que pertence. qual o cargo. não mandam seus genes para as gerações futuras e além disso esses derrotados frequentemente morrem por diversos motivos. antecedentes civis. se a pessoa é bonita. são ícones atrativos sexuais importantes na disputa entre machos com machos e fêmeas com fêmeas de nossa espécie. se a pessoa é agradável. que cursos se formou. se é bem humorada. os mais fortes. os mais bonitos. quais os casamentos serão realizados para constituir as famílias humanas. competição comercial entre uma empresa e outra. os belos dentes. competição ideológica. A competição intraespecífica na espécie humana: Para selecionar quem será a mãe de seus filhos o homem elege alguns fatores como atributos indispensáveis para considerar uma mulher como sua esposa e a esposa também tem suas preferências. a cor dos olhos. de qual etnia é descendente. se seu cheiro é bom ou não. vagalumes competem exibindo as suas luzes no escuro. A aparência. interespecífica ou intraespecífica constitui-se no principal instrumento da seleção natural onde vencem as formas de vida mais bem adaptadas ao meio ambiente. qual sua situação econômica atual. os mais poderosos etc. que perfumes usa. quanto ganha. evitando que a população da espécie cresça exageradamente se transformando numa superpopulação o que poderia levar a espécie a se tornar uma praga biológica causando desorganização na teia alimentar do ecossistema e até em outros níveis mais elevados do espectro biológico. os mais hábeis.plumagem. a competição é um fator seletivo. para decidir quem fica com quem. a altura. Dessa forma os mais fracos e menos adaptados ao meio ambiente não se reproduzem. competição por terras e territórios. se é simpática. às vezes até qual religião a pessoa tem pesa nessa competição também. filosófica. o peso.. que jóias usa. antecedentes criminais. por cargos na hierarquia dentro de uma empresa ou instituição. se seu corpo é rígido ou flácido. se é jovem ou não. morrem de fome. os grilos competem exibindo seus sons à noite. que produtos consome. o bom hálito. os mais saudáveis. sensual. o tipo de corpo se é atraente.

c) algas Pirrofíceas x peixes. 03. O gráfico a seguir apresenta a curva de crescimento de uma população: Na fase III a população: a) dobrou o número de indivíduos existentes no início. a fêmea devora o macho para obter as proteínas de seu organismo. e) entre em declínio imediatamente. c) migrou para outro ambiente mais favorável. Duas espécies A e B de protozoários ciliados foram colocadas em um único recipiente. Eliminando-se os parasitas. Assinale a alternativa que relaciona um caso de amensalismo: a) cupins x protozoários flagelados. logo após acasalamento. 02. b) diminuiu a taxa de mortalidade em relação à fase II. Pela análise do gráfico é possível constatar que entre as espécies X e Y existem uma relação de: . jacarés e crocodilos também devoram filhotes das suas espécies.Simulado Assunto: Relações Ecológicas 01. a aranha viúva-negra e os insetos louva-a-deus. d) entre em equilíbrio imediatamente. c) cresça até certo limite e depois permaneça em equilíbrio. b) entre em declínio e depois permaneça em equilíbrio. e) orquídeas x árvores. 05. necessárias para desenvolver os ovos no seu organismo. Relações Ecológicas . Considere o seguinte gráfico obtido a partir de experimento com duas espécies (X e Y) de angiospermas flutuantes que habitam lagos e lagoas. As contagens diárias do número de indivíduos estão expressas no gráfico adiante: a) O que ocorreu com cada espécie? b) Interprete esses resultados a partir do conceito de 'nicho ecológico'. b) bactérias x bois. 04. d) corujas x ratos. e) continua crescendo na mesma proporção da fase II. uma quantidade constante de nutrientes adequados. Uma população de parasitas e seus hospedeiros estão em interação. Nesse recipiente. d) atingiu a capacidade limite do ambiente. espera-se que a população de hospedeiros: a) cresça continuamente.Muitas espécies de peixes devoram os alevinos de sua própria espécie. a cada dia. colocou-se.

a) simbiose. com meio de cultura próprio para paramécios. o pardal foi introduzido para controlar o aumento populacional de um tipo de lagarta. um estudante aventou as seguintes hipóteses: I A espécie A é predadora da espécie B. Pode-se considerar: a) apenas a hipótese I viável. mas. d) competição. c) parasitismo. III A nova espécie é presa da espécie A. O gráfico 2 mostra o tamanho dessas duas populações. e B1. Analise o gráfico e verifique o que está acontecendo nos segmentos A1. Justifique essa classificação. 07. b) mutualismo. O gráfico a seguir representa a situação de uma determinada doença em uma população humana e a relação predador/presa (rato) na mesma localidade habitada por essa população. durante alguns dias. Analisando essas situações. 08. O gráfico 1 a seguir mostra o tamanho de duas populações de diferentes espécies. A análise do gráfico a seguir permite concluir-se que a(s): . II A espécie B é presa da nova espécie. vivendo em um mesmo ambiente antes da introdução de uma nova espécie. Na opinião de alguns ecologistas. vivendo nesse mesmo ambiente depois da introdução da nova espécie. com o tempo. 06. A2 e B2. Em determinada região. b) apenas a hipótese II viável. introduziram-se duas populações diferentes: 'Paramaecium caudatum' e 'Paramaecium aurelia' com números aproximadamente iguais de indivíduos das duas espécies. Ele efetuou tal controle com eficiência. d) apenas as hipóteses II e III viáveis. e) antibiose. diariamente. c) apenas a hipótese III viável. os animais herbívoros que comem sementes devem ser considerados predadores e os que comem folhas devem ser considerados parasitas. As populações foram contadas. 09. o próprio pardal tornou-se uma praga. a) Que nome se dá à técnica empregada no exemplo anterior? b) Por que o pardal tornou-se praga? 10. Num recipiente.

13. III. Competição de espécies introduzidas com os consumidores primários nativos. na seqüência correta. b) competição. formam enormes manchas vermelhas no mar. caudatum'. II. A grande concentração de toxinas produzidas por essas algas provoca grande mortalidade de animais marinhos". c) parasitismo para equilíbrio ecológico. e) amensalismo. caudatum' é muito pequena. Muitas plantas que possuem nectários florais são bravamente . Competição de espécies introduzidas com os consumidores secundários nativos. c) população de 'P. d) competição interespecífica e desarmônica. Analise os gráficos a seguir: Neles temos registradas as relações ecológicas entre as espécies I e II que ocupam o mesmo nicho. se uma criação de ovelhas for introduzida num campo nativo? a) I ? II ? III b) I ? II ? IV c) I ? III ? IV d) II ? III ? IV 14. Qual das alternativas indica os eventos que poderão ocorrer. A relação existente entre I e II é do tipo: a) comensalismo interespecífico e desarmônico. d) parasitismo. aurelia' é mais forte que a 'P. Extinção de consumidores secundários nativos. caudatum'. "O fenômeno da maré vermelha ocorre em determinadas condições ambientais. 12. b) população de 'P. aurelia' é predadora da população de 'P. O fenômeno acima descrito constitui uma relação ecológica do tipo a) mutualismo. 11.a) capacidade de reprodução de 'P. Extinção de consumidores primários nativos. Considere os seguintes eventos ecológicos: I. como proliferam intensamente. IV. e) competição intra-específica e harmônica. c) predatismo. d) duas espécies ocupam o mesmo nicho ecológico. e) duas espécies são comensais. b) predatismo para equilíbrio ecológico. Certas algas marinhas microscópicas de cor avermelhada produzem substâncias altamente tóxicas e.

c) inquilinismo e comensalismo. c) a espécie I pode servir de alimento para a espécie II. e) protocooperação e competição. d) contaminar o solo com uma substância industrializada para combater especificamente as pragas. Com relação às curvas de crescimento observadas. e) as curvas 1 e 2 são iguais quanto à velocidade de crescimento. 17. 15. Uma das alternativas para substituir o uso de inseticidas na agricultura é o controle biológico. b) competição e inquilinismo. e) evitar o crescimento de pragas pelo uso de repelentes industrializados. e) língua comprida no tamanduá. respectivamente. a) comensalismo e mutualismo. 16. e estes serem usados como medicamento. As relações ecológicas estabelecidas por árvore-formigas e formigas-cupins podem ser denominadas. alimentando-se do néctar.defendidas por formigas que vivem nos seus galhos. tais como: a) ventosas nas tênias. d) parasitismo e predatismo. b) a espécie I lança no meio uma substância tóxica que limita o crescimento da espécie II. b) utilizar fungos para produzir antibióticos. pode-se afirmar que: a) a curva 3 indica que o crescimento da espécie II duplica nas quatro primeiras horas. c) preparar o solo com técnicas agrícolas que envolvem o adubo verde. que cupins subam nas árvores e se alimentem das folhas. Observe o gráfico. Os predadores são eficientes na captura de presas em virtude da presença de adaptações morfofuncionais. Observe os gráficos a seguir. que representam o tamanho de diferentes populações de um mesmo ecossistema. b) mau cheiro no gambá. c) coloração na esperança. 18. por exemplo. d) cores berrantes nas borboletas. Essas formigas impedem. d) a porcentagem de sobrevivência está representada na ordenada. Essa técnica consiste em a) utilizar uma determinada espécie para combater uma praga. antes e depois da introdução de uma nova espécie: . que não as matam mas fazem-nas abandonar a área agrícola.

uma população é beneficiada e a outra não aufere benefícios. a população parasitária se beneficia e a população hospedeira nunca é prejudicada.A análise desses gráficos permite afirmar que esta nova espécie: a) manteve comensalismo com a espécie 1. IVd b) Ib. outras são benéficas ou positivas. IIb. Considere as relações ecológicas e os pares de organismos enumerados a seguir: I. comensalismo IV. III. plantas e animais. b) I. II . c) II e IV. . no entanto é importante para o processo de seleção natural. IVb 20. Algumas interações são neutras ou indiferentes. Essas interações positivas e negativas atuam sobre o balanço ecológico dentro da comunidade. IIIc. IIIa. c) serviu de alimento para a espécie 3.No predatismo. II.No relacionamento de parasitismo. nem sofre desvantagens. outras. lIb. parasitismo II. d) ocupou o mesmo nicho da espécie 4. A alternativa que contém as afirmações corretas é: a) I e IV. Em uma comunidade ocorrem vários tipos de interações entre populações microbianas. mutualismo III.A relação de mutualismo entre duas espécies indica que ambas se beneficiam pela associação. IVa c) Ic. IV . IIc. e) entrou em mutualismo com a espécie 5. 19. b) realizou predatismo na espécie 2.No comensalismo. ocorre prejuízo para a presa. IIIa. Assinale as afirmações corretas: I . ainda são prejudiciais. IVd d) Ic. III . d) IV e III. IId. IIId. predatismo a) tubarão x peixe-piloto b) cupim x protozoário c) árvore x pulgão d) cobra x sapo A associação correta é a) Ia.

e) IV. a) COMENTE o papel desempenhado pelas borboletas durante sua fase larval e adulta. O que são relações ecológicas desarmônicas. 21. 40 mil ovos por ano. O que o homem tem feito para se tornar esse "terrível destruidor" ? 26. são daninhos durante todas as fases do ciclo de vida. prolifera com muita facilidade e vive aproximadamente 40 anos. uma vez que causaria a eliminação de vespas que se alimentam também de besouros. pois na região não existem espécies que possam devorá-lo. O sapo-boi também se alimenta de insetos destruidores de moscas transmissoras de doenças. Um dos maiores problemas encontrados pelos agricultores é a existência de insetos que chegam a destruir lavouras inteiras. b) orquídeas e árvores. denominados pragas. predatismo e parasitismo. Contudo. exemplificando cada caso. exemplificando cada caso. pois causaria a eliminação dos insetos destruidores de moscas transmissoras de doenças. em relação ao exposto anteriormente. São exemplos de relações ecológicas desarmônicas: canibalismo. b) Inconveniente. 24. 22. nem todos os insetos. e) conveniente. c) conveniente. o uso do sapo-boi no exemplo acima citado seria: a) perigoso. d) conveniente. O homem é um terrível destruidor. A relação entre o homem e lombrigas é equivalente à relação observada entre: a) pássaros anú e bois. que se alimenta de besouros prejudiciais ao cultivo da cana de açúcar. c) cipó-chumbo e árvores. 25. Um agricultor com problemas de excesso de besouros no seu canavial resolveu introduzir na sua fazenda o sapo-boi. Cite dois tipos. considerando não existirem na região espécies de animas aptos a devorá-lo. amensalismo. pois na região não existem outras espécies que possam devorá-lo. pondo. em média. O homem é o único animal que destrói a natureza. . Na sua opinião. Explique duas dessas relações citadas. 23. O meio ambiente incapaz de fornecer condições exigidas para a vida (nutrição reprodução e proteção) torna-se impróprio à sobrevivência dos seres vivos. b) CITE um inseto que se apresenta como praga desde a fase jovem até a fase adulta do seu ciclo de vida. pois causaria a eliminação de insetos favoráveis a cultura de cana de açúcar. acarretando o desequilíbrio.

consumidora. e) pássaro-palito e crocodilo. c) inibem o crescimento de outras populações produzindo substâncias antibióticas. Se duas espécies diferentes ocuparem num mesmo ecossistema o mesmo nicho ecológico. Define-se parasitas como seres que a) se alimentam dos restos alimentares de outras espécies.d) cupins e flagelados. c) pássaros e janinhas. d) cupins e flagelados. 29. 28. A relação entre o leão e as zebras é equivalente à relação observada entre: a) pássaros anú e bois. d) se nutrem e crescem às custas de seres de outras espécie. c) se estabeleça uma competição intra-específica. A atividade de determinados fungos capazes de produzir substâncias antibióticas que inibem o crescimento de populações de bactérias é denominada a) predatismo. b) matam e comem seres de outras espécies. 30. sem matá-los a curto prazo. e) vivem apoiados ou abrigados em seres de outra espécie sem causar grandes prejuízos. c) inibem o crescimento de outras populações produzindo substâncias antibióticas. Define-se predadores como seres que a) se alimentam dos restos alimentares de outras espécies. b) se estabeleça uma competição interespecífica. d) uma das espécies seja produtora e a outra. b) parasitismo. c) canibalismo. e) amensalismo. d) competição. e) vivem apoiados ou abrigados em seres de outra espécie sem causar grandes prejuízos. d) se nutrem e crescem às custas de seres de outras espécie. sem matá-los a curto prazo. 31. e) uma das espécies ocupe um nível trófico elevado. b) orquídeas e árvores. b) matam e comem seres de outras espécies. . e) pássaro-palito e crocodilo. 27. é provável que: a) se estabeleça entre elas uma relação harmônica.

e) parasitismo. geralmente. parasitismo. parasitismo. Muitas pessoas confundem plantas epífitas com plantas parasitas. apenas. c) predatismo e protocooperação. e) cipó-chumbo. b) cipó-chumbo e bromélias. c) parasitismo. parasitismo. 34. b) hidatódios. com suas raízes especiais. (cipó-chumbo) é considerada parasita de certos tipos de vegetais (Ex. apenas. mutualismo. floema. e) haustórios. 36. a seiva elaborada. erva-de-passsarinho e bromélias. b) parasitismo e protocooperação. envolvidos nas relações ecológicas a seguir. Os espaços devem ser preenchidos correta e respectivamente por: a) hidatódios. floema. parasitismo.32. CIPÓ-CHUMBO e LEGUMINOSAS são encontrados. Entre as abelhas melíferas que não possuem ferrão. e) epifitismo. predatismo e competição. parasitismo. d) parasitismo. externamente e xilema. c) orquídeas e bromélias.). mutualismo. xilema. parasitismo. dos quais ela extrai. floema. apenas. externamente e xilema. d) cipó-chumbo e erva-de-passarinho. O tipo de relação existente entre a pulga e o homem é a de: a) predação b) competição c) parasitismo d) mutualismo e) comensalismo 33. c) haustórios. Uma situação que comumente se verifica nas pastagens brasileiras é a de pássaros pousando sobre bois e vacas para se alimentar de seus carrapatos. internamente e xilema. d) haustórios. internamente e floema. parasitismo. As relações entre os três animais envolvidos são: a) parasitismo e predatismo. existe uma espécie . predatismo e protocooperação. Essas raízes são chamadas __________ e alcançam o __________ situado mais __________ ao __________ . mutualismo. d) epifitismo. mutualismo. xilema. Os organismos ORQUÍDEAS.: 'Hibiscus' sp. epifitismo. epifitismo. parasitismo. São consideradas como verdadeiras parasitas: a) orquídeas e erva-de-passarinho. 37. mutualismo. respectivamente: a) parasitismo. BROMÉLIAS. b) epifitismo. A planta 'Cuscuta' sp. 35. internamente e floema.

em busca do alimento. entre as diferentes relações descritas no texto. não causando nenhum prejuízo à outra planta. esta última possui células urticantes que afugentam os predadores beneficiando o PAGURUS. c) gimnosperma parasita. cite uma relação interespecífica de benefício mútuo e uma estrutura que indique uma relação intra-específica. Suas raízes são do tipo haustório e penetram até o floema da planta sobre a qual vive. b) Predatismo. A seguir são citados exemplos de interações ecológicas que ocorrem na natureza. observou bois e gafanhotos alimentando-se de capim. no pasto. Observa-se que as bananeiras inibem o crescimento de outras espécies . orquídeas. 41. a) Identifique. O tipo de relação ecológica descrito é: a) Parasitismo. 38. que retira a seiva bruta da planta hospedeira. que retira a seiva elaborada da outra planta.que invade a colméia da outra. d) Esclavagismo. lagartos caçando insetos e. Um grupo de estudantes. 39. de suas raízes. líquens e erva-depassarinho em troncos de árvores. ao se deslocar. ao lado de vários cupinzeiros. Exemplo 3: as anêmonas-do-mar são beneficiadas por sua associação com o caranguejo PAGURUS que. em visita à zona rural. possibilita à anêmona uma melhor exploração do espaço. e) angiosperma parasita. Um vegetal conhecido como "cipó-chumbo" tem aspecto filamentoso e produz flores e frutos. d) gimnosperma hemiparasita. dois exemplos de parasitismo. c) Amensalismo. O "cipó-chumbo" é uma a) angiosperma epífita. cujas raízes lhe dão suporte. 40. substâncias que impedem a germinação de sementes de outras espécies ao seu redor. b) angiosperma hemiparasita. e) Mutualismo. b) Entre as relações observadas pelos estudantes. Exemplo 2: o eucalipto libera. a fim de roubar o mel elaborado por elas. pois retira a seiva bruta da planta sobre a qual vive. Exemplo 1: os gafanhotos e o gado alimentam-se do capim de um mesmo pasto. anus retirando carrapatos do dorso dois bois. que retira a seiva elaborada da outra planta.

porque encontram alimento e abrigo no ambiente construído pelo homem. comensalismo e parasitismo. a linha pontilhada indica a expectativa quanto ao crescimento da população de veados.Na água. II . onde proliferam larvas do mosquito. predação e amensalismo. b) comparar o crescimento das outras espécies em cultivos com e sem aplicação de extrato de bananeiras. que contêm exemplos de interações entre os seres vivos. e) cooperação. em diferentes temperaturas. também houvesse sapos e as cobras fossem exterminadas. b) comensalismo. a) Quais são as relações ecológicas entre os peixes e as larvas de anofelíneos e entre o plasmódio e o homem? b) Se nos rios desta região. Numa determinada região. predação e comensalismo. d) competição. em ambiente com a mesma intensidade luminosa.Várias espécies de baleias foram caçadas pelo homem nas décadas passadas. aos tipos de interação denominados a) mutualismo. onde a malária ocorre em níveis crescentes.pumas. Podemos associá-las. no período de 1905 a 1940. como resultado da liberação de substâncias tóxicas pela proliferação excessiva de certas algas. respectivamente. d) analisar quimicamente extratos das bananeiras e de outras espécies. caso o homem não tivesse interferido em Kaibab. o melhor procedimento será a) comparar o crescimento das outras espécies cultivadas com extrato de bananeiras. com a finalidade de possibilitar o crescimento da população de veados no planalto de Kaibab. moveu-se uma caçada impiedosa aos seus predadores . Para explicar o fenômeno que ocorreu com a população de veados após a . 43. causador da malária. no Arizona (EUA). certos peixes comem larvas de mosquitos anofelíneos. 44. Para verificar se essa inibição é provocada por uma substância produzida pelas bananeiras. No início deste século. onde se reproduz o plasmódio. a chamada "maré vermelha" pode causar a morte de milhares de peixes. amensalismo e parasitismo. o que deveria ocorrer com o índice de casos de malária nesta região? Justifique. I .de vegetais plantadas próximo a elas.Os pardais são abundantes em Porto Alegre. parasitismo e predação. a linha cheia indica o crescimento real da população de veados. c) amensalismo. c) comparar o crescimento das outras espécies cultivadas com extratos de bananeiras. que sugam o sangue humano. No gráfico a seguir. III . 42. coiotes e lobos. nesse mesmo período. Leia as afirmativas a seguir.

certamente. um estudante elaborou as seguintes hipóteses e/ou conclusões: I. II e III. IV. d) II e III. a falta de alimentos representou para os veados um mal menor que a predação. Gabarito: 01. a) A população A aumenta e estabiliza enquanto a espécie B aumenta e depois declina. isto levou à degradação excessiva das pastagens. A2 mostra uma queda na relação predador/presa. apenas. apenas. O estudante. D 06. III e IV. desaparecendo. até então despercebidos. a predação demonstrou-se um fator positivo para o equilíbrio dinâmico e sobrevivência da população como um todo. c) I. lobos.interferência do homem. D 04. Deve ocorrer um vínculo direto entre o número de ratos e a incidência da etiologia na região. III. e) III e IV. A quantidade de ratos deve ter aumentado e o segmento B2 mostra um aumento na freqüência da doença. os únicos e mais vorazes predadores dos veados. apenas. D 07. A1 indica que a relação predador/presa mantém-se elevada e a doença (B1) permanece estável e baixa. apenas. ainda que a atuação dos predadores pudesse representar a morte para muitos veados. b) Ocorreu competição interespecífica entre as duas populações que exploram o mesmo nicho ecológico. acertou se indicou as alternativas: a) I. b) I. II. quando estes predadores. foram favorecidos pela eliminação de seus competidores. C 05. pumas e coiotes não eram. tanto pelo consumo excessivo como pelo seu pisoteamento. a morte dos predadores acabou por permitir um crescimento exagerado da população de veados. II e IV. 08. II. 03. C 02. Herbívoros que comem sementes estão destruindo o embrião do vegetal . aumentaram numericamente e quase dizimaram a população de veados.

B 21. Ex: aranhas Amensalismo .contido nesta estrutura. necessariamente. Ex: maré vermelha Predatismo . enquanto o adulto ingere néctar. A 17. C 14. a) Larvas de borboletas se alimentam de folhas. Os que comem folhas causam prejuízo às plantas de que se alimentam.relação interespecífica onde uma espécie chamada hospedeira serve de abrigo e fonte de alimento para outra chamada parasita. a) Controle biológico.relação interespecífica onde uma espécie chamada predadora caça e mata outra chamada presa. C 16. 10. onde pelo menos um é prejudicado. D 11. Exemplos: Predatismo: gavião e cobra Parasitismo: lombriga e homem 24. apresentam alimentação diversificada sendo consumidores de primeira e de segunda ordem. Ex: pulgas e ratos . b) Pardais são aves onívoras. A 22. contribuindo para a polinização de diversas espécies de vegetais com flores. São interações entre dois organismos.relação interespecífica onde uma espécie chamada amensal é inibida por outra que é totalmente indiferente à relação. E 18. E 15. C 20. Canibalismo . da mesma espécie ou não.relação desarmônica intraespecífica onde um dos organismos envolvidos utiliza o outro como alimento. sem matá-las. Ex: leão e zebra Parasitismo . ou seja. D 12. 23. b) Pulgão. E 13. Comem as lagartas e outros insetos úteis (polinizadores) e também a própria vegetação. D 19. 09.

E 29. D 35. a) Peixes x Larvas .predatismo Plasmódio x Homem .cooperação Relação intraespecífica: cupinzeiro . B 44. 26. A 41.sociedade 39.mutualismo anu x boi . E 37. B 31. C 33. a) Podemos identificar relações de parasitismo entre: carrapato x gado bovino erva-de-passarinho x árvore hospedeira b) Relações interespecíficas de benefício mútuo: liquens (algas + fungos) . C 27. D 36. B 42. Mata animais e destrói a vegetação sem necessidade. predadoras de sapos. D 38.25.parasitismo b) A incidência de malária na região deverá diminuir já que a diminuição das cobras. B 32. E 40. E 34. D 30. causaria o aumento destes anfíbios que se alimentam dos mosquitos transmissores da malária. 43. C 28. E .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful