P. 1
Numa Casa Muito Estranha

Numa Casa Muito Estranha

|Views: 396|Likes:
Publicado porCristina Simoes

More info:

Published by: Cristina Simoes on Mar 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/28/2013

pdf

text

original

Numa casa muito estranha Numa casa muito estranha toda feita de chocolate vivia uma bruxa castanha

que adorava o disparate

Punha os copos no fogão as panelas na banheira os sapatos nas gavetas as meias na frigideira; escrevia com fios de água dor sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé.

Varria a casa com garfos Limpava o pó com farinha deitava cem gatos na sala e dormia na cozinha.

Numa casa muito estranha Numa casa muito estranha Toda feita de chocolate Vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate.

Punha os copos no fogão As panelas na banheira os sapatos nas gavetas as meias na frigideira; escrevia com fios de água dormia sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé.

Varria a casa com garfos Limpava o pó com farinha Deitava cem gatos na sala E dormia na cozinha.

Bruna Ferreira Pires 2010-11-19

Numa casa muito estranha Numa casa muito estranha Toda feita de chocolate vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate.

Punha os copos no fogão As panelas na banheira Os sapatos nas gavetas As meias na frigideira Escrevia com fios de a´gua Dormia sempre de pé Cozinhava numa cama E comia no bidé.

Varria a casa com garfos Limpava o pó com farinha Deitava cem gatos na sala E dormia na cozinha.

Janardo, 19 d Novembro de 2010.

Diogo Fonseca bastos.

Numa casa muita estranha
Numa Toda casa muito estranha feita de chocolate

vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate.

punha os copos no fogão as panelas na banheira

os sapatos nas gavetas as meias na frigideira; escrevia com fios de água dormia sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé.

Varria a casa com garfos Limpava o pó com farinha deitava cem gatos na sala e dormia na cozinha.

Numa casa muito estranha Numa casa muito estranha Toda feita de chocolate Vivia uma bruxa castanha Que adorava o disparate

Punha os copos no fogão As panelas na banheira Os sapatos nas gavetas

as meias na frigideira

escrevia com fios de agua dormia sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé varria a casa com garfos limpava o pó com farinha Diogo 2010- 11- 19

deitava cem gatos na sala e dormia na cozinha.

Numa casa muito estranha Numa casa muito estranha toda feita de chocolate vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate Punha os copos no fogão As panelas na banheira Os sapatos nas gavetas as meias na frigideira; escrevia com fios de ‘agua dormia sempre de pe’ cozinhava numa cama

comia no bide. Varria a casa com garfos Limpava o po’ com farihna Deitava cem gatos na sala E dormia na cozinha.

N uma casa muito

Numa casa muito estranha Toda feita de chocolate vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate

Punha os copos no fogão As panelas na banheira Os sapatos nas gavetas As meias na frigideira; escrevia com fios de água

dormia sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé .

Varria a casa com garfos limpava o pó com farinha deitava cem gatos na sala e dormia na cozinha.

Beatriz Fernandes Pereira Janardo, 19 de Novembro de 2010

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->