Você está na página 1de 8

MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

DIFERENCIANDO SINTAXE DE MORFOLOGIA


Uma frase pode ser percebida de duas formas diferentes: por meio das classes gramaticais* das palavras na
frase e por meio das relações de dependência sintática** entre os termos dessa frase.

*Classe gramatical é o grupo ao qual determinada palavra pertence. Na língua portuguesa, as palavras são
divididas em dez grupos distintos: substantivos, verbos, adjetivos, pronomes, artigos, preposições,
conjunções, numerais, advérbios e interjeições. As classes de palavras fora de um contexto específico são
objetos de estudo da morfologia.

Parlamentares acham o orçamento da saúde satisfatório para 2004.

substantivo artigo preposição adjetivo numeral


+ artigo

verbo substantivo substantivo preposição

**A relação de dependência sintática entre as palavras em uma oração é a forma como essas palavras se
organizam no período, indicando a função que elas desempenham e mantendo uma linha lógica de
desenvolvimento. Determinar as funções que as palavras desempenham na frase é o objeto de estudo da
sintaxe.

Parlamentares acham o orçamento da saúde satisfatório para 2004.

Parlamentares acham o orçamento da saúde satisfatório para 2004.


sujeito simples predicado verbo-nominal

acham o orçamento da saúde satisfatório para 2004


verbo transitivo direto objeto direto predicativo do objeto adjunto adverbial de tempo

o orçamento da saúde
adjunto adnominal núcleo do objeto direto adjunto adnominal

AS CLASSES DE PALAVRAS E A MORFOLOGIA


A morfologia é a parte da gramática destinada ao estudo das palavras fora do contexto frasal. Dentro de sua
linha de estudo, ela divide as palavras quanto a sua estrutura, formação e classificação. Ao estudarmos as
classes de palavras agrupadas em uma oração sem levarmos em conta a dependência sintática entre essas
palavras, estamos realizando o que a gramática denomina análise morfológica*.

-1-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

*A análise morfológica pode ser feita de duas maneiras: isolando-se os elementos da oração e enumerando-
os de acordo com suas classes gramaticais ou isolando e enumerando os componentes da estrutura de uma
palavra.

• PREPOSIÇÃO - É responsável por efetuar RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA ou de SIGNIFICADO entre palavras


e expressões da oração.

• INTERJEIÇÃO - não considerada por alguns gramáticos como classe de palavra, a interjeição exprime
emoção ou sentimento repentino, vindo enfatizada pelo ponto de exclamação (!).

• ADJETIVO - Palavra que CARACTERIZA um substantivo.

• VERBO - É o elemento do discurso que atesta uma ação praticada ou sofrida, um estado em que algo se
encontra ou um fenômeno, sofrendo, para tal tarefa, flexões quanto ao tempo, modo, número, pessoa, gênero
e voz.

• SUBSTANTIVO - Responsável por NOMEAR as coisas existentes ou imagináveis.

• NUMERAL - É responsável pela ENUMERAÇÃO dos elementos no discurso, ou seja, pela propriedade de se
contar tais elementos.

• PRONOME - Tem como funções SUBSTITUIR um nome ou mesmo ACOMPANHÁ-LO, dando noções de posse,
demonstração e relação de significado.

• ARTIGO - Classe de palavra que visa DEFINIR ou INDEFINIR um nome, de acordo com a intenção do
discurso. Os artigos podem ser definidos - determinam os substantivos em gênero e número (o, a e
respectivos plurais) - ou indefinidos - indeterminam os substantivos (um, uma e respectivos plurais).

• CONJUNÇÃO - É responsável pela atribuição de relações de significado e de dependência sintática entre os


termos do discurso. Com funções muito parecidas com as da preposição, essa classe de palavra cuida das
amarras do texto, tornando as orações mais bem costuradas e com sentido mais lógico.

• ADVÉRBIO - É uma espécie de adjetivo, mas não aplicado ao substantivo. Os advérbios caracterizam
verbos, adjetivos ou mesmo outros advérbios, atribuindo-lhes circunstâncias específicas de acordo com a idéia
do termo que o precede. A principal diferença entre o adjetivo e o advérbio é que aquele caracteriza um nome,
enquanto este caracteriza um verbo, um adjetivo ou mesmo outro advérbio.

RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA SINTÁTICA


A sintaxe é a parte da gramática voltada para o estudo das relações de dependência entre os termos de uma
oração ou período. Por meio da sintaxe, podemos constatar quais termos são regentes* e quais são
regidos** em uma estrutura do discurso.

-2-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

*Regentes - Aspirina é ineficaz contra ataque cardíaco.

TERMO FUNÇÃO É REGENTE COMO OCORRE A REGÊNCIA

em relação A regência ocorre porque nesse caso o sujeito


aspirina Sujeito
ao predicado é quem determina a idéia central do discurso.

O predicativo do sujeito é termo regente em relação ao


Predicativo em relação ao
ineficaz complemento nominal porque o substantivo "ineficaz"
do sujeito complemento
pede um complemento preposicionado.

O núcleo do complemento nominal é a palavra de maior


Núcleo do nominal (CN)
valor semântico, ou seja, a que compreende a idéia mais
ataque complemento em relação a
completa. No caso, ataque fornece a idéia e cardíaco a
nominal "cardíaco"
complementa.

**Regidos - Aspirina é ineficaz contra ataque cardíaco.

TERMO FUNÇÃO É REGIDO COMO OCORRE A REGÊNCIA

Predicativo pelo O predicativo do sujeito é termo regido pelo sujeito


ineficaz
do sujeito SUJEITO porque lhe acrescenta uma característica.

O complemento nominal é regido pelo predicativo do


contra pelo
Complemento sujeito porque o adjetivo ineficaz, sozinho, nesse caso,
ataque PREDICATIVO
nominal não possui um sentido completo. Logo, precisa do
cardíaco DO SUJEITO
complemento apropriado.

pelo NÚCLEO DO Cardíaco é regido por ataque porque este, sozinho,


Adjunto
cardíaco COMPLEMENTO não possui um sentido completo. O adjetivo completa
adnominal
NOMINAL o sentido proposto pelo substantivo.

Estrutura de dependência é organizada dentro da oração:

Aspirina é ineficaz contra ataque cardíaco.

Sujeito - termo regente Predicado - termo regido

é - verbo de ligação

Ineficaz (predicativo) - termo regido por ASPIRINA


regente em relação a "contra ataque cardíaco" (CN)

contra ataque cardíaco (complemento


nominal) - termo regido por "ineficaz"

Ataque (subst.) - núcleo do CN

The New York Times:http://noticias.uol.com.br/ cardíaco (adjetivo) - termo


midiaglobal/nytimes/ult574u4251.jhtm - regido por "ataque"
adaptado - acessado em 20/07/2004

-3-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO


Para que se estabeleçam as relações de dependência no discurso, é necessário que se divida a oração em
elementos, ou termos, agrupados de acordo com seu grau de importância na hierarquia sintática. A esses
grupos, dá-se o nome de termos da oração, classificados em ESSENCIAIS, INTEGRANTES e ACESSÓRIOS.
Os termos essenciais da oração são o SUJEITO* e o PREDICADO**.

*SUJEITO é o ser ao qual as idéias contidas no predicado são atribuídas. As classes de palavras que
funcionam como sujeito são os substantivos e os pronomes pessoais retos. Podem também ser classificados
como sujeito os numerais, os adjetivos e os verbos desde que substantivados, ou seja, precedidos pelo artigo
definido, o que caracteriza sua função de substantivo.

• sujeito simples: Chamamos de SUJEITO SIMPLES aquele que possui apenas um núcleo.
Os espectadores assistiram extasiados ao jogo da seleção.

núcleo

• sujeito composto: Chamamos de SUJEITO COMPOSTO aquele que possui mais de um núcleo.

Estados Unidos e Inglaterra foram aliados na guerra contra o Iraque.

núcleo núcleo

• sujeito indeterminado: Chamamos de SUJEITO INDETERMINADO aquele que não se quer ou não se pode
identificar na frase. Geralmente o sujeito indeterminado é apontado pela conjugação verbal na terceira pessoa
do plural sem que haja um contexto apropriado. Uma outra forma de se expressar o sujeito indeterminado é
através da conjugação de um verbo intransitivo, transitivo indireto e de ligação na terceira pessoa do singular,
seguido da palavra -SE (Índice de indeterminação do sujeito).
Armados, tiveram condições de reagir ao ataque.

verbo conjugado na 3ª pessoa do plural

• sujeito desinencial: Chamamos de SUJEITO DESINENCIAL, ou sujeito elíptico, aquele indicado pela
conjugação verbal.
Partirei ainda hoje!

Conjugação verbal de 1ª pessoa do singular

• sujeito inexisitente: As orações sem sujeito são aquelas formadas pelos verbos
chamados verbos impessoais*.
*Verbos impessoais são aqueles que não possuem sujeito. Eles são representados pelos verbos que denotam
fenômenos da natureza (chover, ventar), pelo verbo haver indicando existência, tempo ou fenômeno da
natureza ou pelo verbo ser indicando horas, datas e distâncias.

Há muitos combatentes americanos feridos no Iraque.

núcleo

-4-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

**PREDICADO é o conjunto de idéias atribuídas ao sujeito ou mesmo o conjunto de idéias acerca do contexto
frasal.

• predicado nominal: É formado por um verbo que indica ESTADO (de ligação), mais o predicativo do sujeito.
O núcleo do predicado nominal é o predicativo.

Os alunos estavam eufóricos com o resultado da prova.

verbo de ligação núcleo (predicativo do sujeito)

• predicado verbal: É o predicado formado por um verbo (transitivo, intransitivo) que caracteriza AÇÃO ou
FENÔMENO e seus devidos complementos. NÃO possui predicativo e seu núcleo é o verbo.

Chega ao fim mais uma corrida presidencial.

verbo de ação (núcleo do predicado)

• predicado verbo-nominal: É formado por um verbo de AÇÃO e seus complementos mais um predicativo,
que pode ser do sujeito ou do objeto. Os núcleos do predicado verbo-
nominal são o próprio verbo e o predicativo.

Pais e mães dos envolvidos compareceram incrédulos ao julgamento.

verbo de ação (núcleo) predicativo do sujeito (núcleo)

REGÊNCIA VERBAL E TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO


Os termos integrantes da oração são os complementos verbais, o complemento nominal* e o agente da
passiva.

**Complementos verbais - OBJETOS DIRETO E INDIRETO


Os complementos verbais são as palavras que, como o nome já diz, COMPLETAM o sentido de um verbo
transitivo, respeitando as regras de regência verbal.

• objeto direto: O objeto direto é o complemento de um verbo transitivo direto, ou seja, é o complemento
que se relaciona com o verbo a que pertence sem o auxílio de uma preposição.

A Polícia Federal prendeu ontem à noite os acusados de estelionato.

Objeto direto
• objeto indireto: O objeto indireto é o complemento de um verbo transitivo indireto, ou seja, é o
complemento que se relaciona com o verbo a que pertence com o auxílio de uma preposição.

O juiz entregou ao corregedor os autos lavrados.

Objeto indireto

-5-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

• complemento nominal: O complemento nominal funciona como uma espécie de "objeto indireto" do
substantivo, do adjetivo ou mesmo do advérbio. O complemento nominal difere-se do objeto indireto porque
este se refere apenas a verbos cuja regência pede preposição, e aquele se refere a nomes cujo significado não
é completo sem um termo que o complete.
A causa de sua morte foi a baixa resistência a doenças.

Complemento nominal

• agente da passiva: O agente da passiva é o elemento responsável pela ação verbal de uma oração na voz
passiva, sendo regido geralmente pela preposição POR.

O incêndio florestal em Portugal foi controlado pelos bombeiros.

Agente da passiva

• predicativo do sujeito: O predicativo do sujeito é a característica de estado ou qualidade que se atribui ao


sujeito. Ele é identificável na frase por se remeter diretamente ao sujeito, com ou sem o auxílio de um verbo
de ligação.
Analistas estão preocupados com o resultado das eleições para prefeito.

Predicativo do sujeito

• predicativo do objeto: O predicativo do objeto é a característica de estado ou qualidade que se atribui ao


complemento verbal. Ele é identificável na frase por se remeter unicamente ao complemento, vindo,
geralmente, logo antes ou em seguida a ele.

O juiz encontrou o promotor desesperado com o processo.

Predicativo do objeto

A regência verbal é a relação que o verbo estabelece com os seus complementos. Essa relação pode ser feita
com ou sem o auxílio de uma preposição. O verbo pode, ainda, não exigir complemento algum.
De acordo com a regência que apresentam, os verbos podem ser classificados em transitivo direto, transitivo
indireto, transitivo direto e indireto e intransitivo.

• verbo transitivo direto: O verbo transitivo direto é aquele que se relaciona com o complemento SEM A
AJUDA DE UMA PREPOSIÇÃO. O complemento do verbo transitivo direto é o OBJETO DIRETO.

A Polícia Federal prendeu ontem à noite os acusados de estelionato.

Verbo transitivo direto

• verbo transitivo indireto: O verbo transitivo indireto é aquele que se relaciona com o complemento COM A
AJUDA DE UMA PREPOSIÇÃO. O complemento do verbo transitivo indireto é o OBJETO INDIRETO.

Os participantes do evento gostaram do fórum de debates sobre lingüística.

Verbo transitivo indireto

-6-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

• verbo transitivo direto e indireto: O verbo transitivo direto e indireto é aquele que possui dois
complementos: um que necessita de preposição, e outro que não necessita de preposição.
Isso quer dizer que ele precisa de DOIS OBJETOS: um direto e outro indireto.

O juiz entregou ao corregedor os autos lavrados.

Verbo transitivo direto e indireto

• verbo intransitivo: O verbo intransitivo é aquele que não pede complemento, ou seja, que não aceita
objetos.
Chove muito em São Paulo neste momento.

Verbo intransitivo

• verbo de ligação: O verbo de ligação é aquele que determina um ESTADO ou QUALIDADE acerca do sujeito.
Ele estabelece uma LIGAÇÃO entre esse estado ou qualidade e o sujeito a que ela se refere. Seus exemplos
mais comuns são: ser, estar, parecer, ficar, permanecer, andar (ligando uma característica ao sujeito) etc.

Analistas estão preocupados com o resultado das eleições para prefeito.

Verbo de ligação

TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO


Os termos acessórios da oração são os adjuntos adnominais e adverbiais, o aposto e o vocativo.

• Adjunto adnominal: O adjunto adnominal serve para completar, caracterizar ou especificar o sentido de um
substantivo quando este for sujeito ou complemento.
Tanto artigos como adjetivos, pronomes demonstrativos e numerais podem exercer a função de adjunto
adnominal.
As necessidades dos pobres são relevantes para o governo.

Adjunto adnominais

• adjunto adverbial: O adjunto adverbial completa o sentido expresso por um verbo, atribuindo-lhe uma
circunstância específica. Os adjuntos adverbiais normalmente são advérbios ou locuções adverbiais que
modificarão o sentido do verbo original, acrescentando-lhe circunstâncias de modo, tempo, lugar, estado e
companhia, por exemplo.

Os estragos causados pela chuva se espalharam rapidamente.

Adjunto adverbial

-7-
MORFOLOGIA E SINTAXE DO PERÍODO SIMPLES

• aposto: O aposto é o termo da oração que tem como função explicar outro, podendo aparecer antes ou
depois do termo explicado e vir separado do termo que explica por vírgulas, dois- pontos ou travessão.

Ronaldo, o fenômeno, marcou dois contra o Barcelona.

Aposto

• vocativo: O vocativo põe em evidência o ser a quem nos dirigimos, sem que se mantenha qualquer tipo de
relação sintática com ele.
Frase completa: Dizei-me vós, Senhor Deus!
"[...] Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura... se é verdade Vocativo
Tanto horror perante os céus...[...]”
(Castro Alves)

-8-