P. 1
projeto gestantes

projeto gestantes

|Views: 637|Likes:
Publicado por060992

More info:

Published by: 060992 on Mar 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/05/2013

pdf

text

original

.

o que qualifica como um ótimo momentpo para a instalção de projetos educativos.. integração. 2001) O papel do profissional de saúde passa a ser sempre o de capacitar o indivíduo e de desenvolver uma determinação da função e não apenas o de prescrever técnicas e ditar normas comportamentais.(MOURA et al. expectativas e objetivos do grupo dúvidas e sugestões do grupo. se encontram emocionalmente mais sensíveis e envolvidas com o bem-estar de seus filhos tornando-se mais receptivas e envolvidas com o bem estar de seus filhos tornando-se mais receptivas as mudanças de atitude.. è imprescidível que se abandone a postura autoritária de educação para a saúde. expectativas e objetivos do grupo mudanças organismo materno enfermeira área 129 desenvolvimento fetal apresentação.(MOURA et al. integração. da gestante e da puérpera. aleitamento materno dúvidas e sugestões do grupo. Alimentação da criança menor de 02 anos . pois são elas que determinam muito dos compostamentos que seus filhos adotarão A gravidez é um período em que as futuras mães procuram com frequência os profissionais de saúde. aleitamento materno dúvidas e sugestões do grupo. integração. A mãe tem uma participação fundamental dentro da familia. em detrimento de uma postura de inventivo e motivação. integração. expectativas e objetivos do grupo mudanças organismo materno enfermeira área129 desenvolvimento fetal apresentação. da gestante e da puérpera. aleitamento materno Alimentação da criança menor de 02 anos . aleitamento materno dúvidas e sugestões do grupo.CENTRO DE SAUDE DA FAMILIA SUL PROGRAMA DE ASSITÊNCIA PRÉ-NATAL ASSISTÊNCIA MULTIDISCIPLINAR PARA GRUPO DE GESTANTES. expectativas e objetivos do grupo mudanças organismo materno enfermeira área 129 desenvolvimento fetal apresentação. Alimentação da criança menor de 02 enfermeira área 112 enfermeira área 112 enfermeira área 112 enfermeira área 112 estagiária de nutrição/enfermeiro estagiária de nutrição/enfermeiro estagiária de 08/09 SUL SUL 15/09 SUL 1300 ÁS 1400 22/09 SUL 1300 ÁS 1400 29/09 06/10 13/10 20/10 27/10 03/11 10/11 SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS .fazendo com que a promoção de saúde deixe de ser uma idéia e passe a ser uma prática rotineira.2001) CRONOGRAMA GRUPO DE GESTANTES DATA 01/09 TEMÁTICA RESPONSÁVEL LOCAL SUL HORÁRIO 1300 ÁS 1400 mudanças organismo materno enfermeira área 129 Desenvolvimento fetal apresentação. principalmente quando diz respeito á saúde.

coto umbilical Cuidados com RN – banho. coto umbilical Cuidados com RN – banho. Riscos e desconfortos da gestação Riscos e desconfortos da gestação Riscos e desconfortos da gestação sinais de trabalho de parto/ cesárea puerpério sinais de trabalho de parto/ cesárea puerpério sinais de trabalho de parto/ cesárea puerpério sinais de trabalho de parto/ cesárea puerpério nutrição/enfermeiro estagiária de nutrição/enfermeiro gineco Elis gineco Elis gineco Elis MESF Goltran MESF Goltran MESF Goltran MESF Goltran acss acss acss acss Enfermeira 112 Enfermeira 112 Enfermeira 112 Enfermeira 112 MESF Bento SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ÁS 1400 1300 ás 1400 1300 ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 23/03 30/03 06/04 13/04 20/04 MESF Bento MESF Bento MESF Bento iva/jeni/vera iva/jeni/vera SUL SUL SUL SUL SUL . da gestante e da puérpera. da gestante e da puérpera. troca fraldas. coto umbilical Cuidados com RN – banho. coto umbilical anticoncepção saúde reprodutiva anticoncepção saúde reprodutiva anticoncepção saúde reprodutiva anticoncepção saúde reprodutiva vacinação/ rotinas sala criança vacinação/ rotinas sala criança Alimentação da criança menor de 02 anos .anos . troca fraldas. troca fraldas. troca fraldas. 17/11 24/11 01/12 08/12 15/12 22/12 29/12 05/01 12/01 atividades com artesanato 19/01 atividades com artesanato 26/01 atividades com artesanato 02/02 atividades com artesanato 09/02 16/02 23/02 02/03 16/03 Cuidados com RN – banho.

caso não puder.0 INTRODUÇÃO A saúde pública é um maneira de organizar a sociedade com o objetivo de promover a saúde e permitir que as pessoas assumam a responsabilidade e o controle dos seus próprios processos de saúde e doença através da educação. Neri (2002). Equipe de Saúde da Família Sul 1. solicitar para o proximo da lista assumir . e que fatores que causam danos coletivos possam ser melhorados e/ou limitados através da inibição dos fatores que afetam o microambiente ou ambiente imediato. .27/04 04/05 11/05 18/05 25/05 01/06 08/06 15/06 22/06 29/06 vacinação/ rotinas sala criança vacinação/ rotinas sala criança saúde oral saúde oral saúde oral saúde oral Prevenção de acidentes na infância Prevenção de acidentes na infância Prevenção de acidentes na infância Prevenção de acidentes na infância iva/jeni/vera iva/jeni/vera dentista/acd dentista/acd dentista/acd dentista/acd Ester/marlene Ester/marlene Ester/marlene Ester/marlene SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL SUL 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 1300ás 1400 Cada profissional fica responsável em preparar a temática e organizar o grupo. Afirma que a saúde pública contribui para que a qualidade de vida da população seja melhorada.

justificamos a importância de realização da formação de um grupo de gestantes no Centro Integrado de Saúde (CIS) Sul do município de Chapecó-SC. saúde bucal na gestação e realização de papanicolau em 100% das gestantes após o 4º mês de gestação. como por exemplo os grupos educativos ou em espaços individuais como as consultas. antingir 100% da cobertura vacinal antitetânica. identificação precoce de fatores de risco gestacional originários no decorrer da gestação. as atividades de promoção e prevenção de doenças. a população focada terá possibilidades de reduzir as complicações durante o período gestacional.A assistência à saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) deve abranger tanto as ações assistenciais quanto. suporte nos períodos de ajustamento. prevenção a doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) durante a gestação.2004) Esta mesma experiência ainda permite abertura para que haja integração entre profissionais de saúde. Embasados por esses critérios. mudanças e crises. em espaços coletivos. Corroborando com isso. 2.0 OBJETIVOS . A experiencias da formação do grupo contribuiria para que os profissionais assistissem a população em foco e identificassem dificuldades e dúvidas mais frequentes. diminuir as taxas de morbidade e complicações de parto. Desenvolver um projeto direcionado às gestantes da comunidade do bairro Universitário do município de Chapeco-SC pode ser uma ferramente de atuação em saúde por possibilitar a troca de conhecimento técnico e popular. permitindo o desenvolvimento de ações de prevenção e controle de doenças que podem ser desenvolvidas durante o período gestacional. (SARTORI et al apud MUNARI e RODRIGUES. estudos apontam que a participação em grupos tem se mostrado de grande relevância: Melhorias e maior adesão aos processos terapêuticos dos processos saúde-doença. gestantes e familiares das gestantes. Com essas ações de saúde especificas e atenção primaria a saúde efetiva. Para Figueiredo (2205). garantindo orientação e informações referentes ao processo de gestar. acadêmicos passiveis de estágios na unidade de saúde sul. educar para a saúde implica dar prioridade a intervenções preventivas e promocionais. além da manutenção e adaptação as novas cituações.

 K-) Esclarecimento a cerca da eritroblastose fetal.  F-) Possibilitar integração profissional.  I-) Esclarecer a gestante importancia sobre saúde bucal e nutrição adequada para o peíodo  J-) Esclarecer cuidados de higiene e imunização.  B-) Motivar as pessoas que convivem com a gestante sobre formas de apoio a mulher e quanto a co-participação na gestação.  D-) Intervir e esclarecer as dúvidas e dificuldades de maior relevância e realizar orientações sobre pré-natal e período gestacional.  H-) Eclarecer as gestantes as alteralçoes fisiológicas e anatômicas decorrentes do período.  C-) Identificar a prevalência das dúvidas e dificuldades de maior relevância que acometem as mulheres durante a fase gestacional. acadêmica e da comunidade. angustias e insegurança.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS  A-) Incentivar as mulheres a realizarem acompanhamento do pré-natal do início ao fim da gestação.1 2. enfrentamento.  L-) Realização do papanicolau durante a gestação e cuidado com as mamas . 2 2.  G-) Melhorar e satisfazer as necessidades das gestantes e suas relações através das orientações de modificação dos meios prejudiciais a saúde e formas de adaotação para melhoria da qualide de vida.1 OBJETIVO GERAL Orientar gestantes sobre a importância da realização do pré-natal assistido e previnir a aparição de complicações gestacionais que ocasionem agravos de saúde a mulher e ao recém-nascido.  E-) Concepção e desenvolvimento fetal (embriogênese).

O método utilizado consiste na exposição de informações a cerca dos objetivos propostos ao grupo.0 MATERIAL E MÉTODOS Trata-se de uma campanha informativa.  P-) Esclarecer o primeiro estágio do Trabalho de parto  Q-) Esclarecer o segunda estágio do trabalho de parto  R-) Esclarecer o terceiro e o quarto eságio do trabalho de parto  S-) Assistência materno domiciliar. devido a falta de espaço próprio na unidade de saúde para a realização dos encontros. Estas últimas formas têm evidenciado resultados relevantes na educação do grupo. de seus respectivos acompanhantes.  N-) O Pré-natal de alto risco. A metodologia do trabalho utiliza-se de ferramentas como conhecimento técnico-científico dos profissionais envolvidos.(colostro). podendo ainda ter a . Inicialmente. As atividades desenvolvidas possuem vínculo educativo e são realizadas na Comunidade do bairro Universitario do município de Chapecó. da educação popular e da troca de experiências. O público participante constitui-se de mulheres grávidas que já realizaram a primeira consulta de pré-natal na Unidade Básica de Saúde SUL. utilizar-se-á recursos da própria da comunidade. 200-).  O-) Esclarecer importancia de formas de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). profissionais de saúde. 3.  M-) Esclarecimento sobre dieta. promovendo a valorização do saber do educado e propiciando o autocuidado ( NETO et al apud FREIRE.

Serão formados dois grupos de gestantes para encontros distintos. cartazes. porém com a mesma carga de informação. alternando-se os meses entre os dois grupos. folderes e outras ferramentas tecnológicas. Essa divisão faz-se necessária devido á media de gestantes da UBS Sul aproximar-se a 50 mulheres e esse número representar tendências à dispersão do assunto exposto.participação de acadêmicos e outros profissionais convidados. o grupo I de gestantes será constituído pelas gestantes pertencentes às microáreas 01. 05 e 06 das áreas 112 e 129 da ESF de Chapecó-SC. As datas a serem desenvolvidos os encontros poderá sofre alteração de acordo com as facilidades encontradas pelos idealizadores. Os assuntos abordados em cada encontro serão os propostos no cumprimento dos ojbetivos específicos do presente projeto e seguira um cronograma a ser aprovado pelas duas equipes de estratégia de saúde da família em reunião. Os assuntos apresentados poderão ser acompanhados de técnicas de animação.0 CRONOGRAMA OBJ ES. 4. Poderão ainda ser utilizados atividades práticas e dinâmicas com os participantes. Para a equipe organizadora os encontros serão mensais e para as gestantes e seus respectivos acompanhantes a cada dois meses. 02 e 03 das áreas 112 e 129 e o grupo II de gestantes será constituído pelas microáreas 04. Dessa forma. A B C MAR X X X ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV .

Esta visão geralmente é apontada através de fatores multicausais e multisocial. ambientes e perpectivas futuras: uma visão sistêmica.D E F G H I J K L M N O P Q R S X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 5. estando assim inseridos em contestos que envolvam pessoas. através da satisfação das necessidades básicas dos indivíduos. Devido à isto. é importante a criação de uma visão que compreenda todos os fatores interrelacionados que permaitam o cumprimento das necessidas humanas básicas.0 CONSIDERAÇÕES X X X X X X X X X X X X X X X A saúde está diretamente relacionada com as boas condições de vida. É extremamente importante escutar os anseios e os problemas considerados pela comunidade como mais evidentes. Este projeto permite o surgimento de um pensamento mais critico por parte da . e a partir deles trabalhar junto com ela. favorecendo a sua organização e dessa forma proporcionando meios que elucidam as dúvidas existentes na população.

P. 2000. BRANDEN. jan 2010. Centro de Ciências da Saúde/Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica e Administração/Outros v [?]. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2 ed. 200-.0 REFERÊNCIAS SARTORI. Enfermagem em Saúde Pública – Fundamentação para o Exercício do enfermeiro na comunidade. Rio de Janeiro: Reichmman &Affonso Editores.população em foco. Et al. NERY.da S. PROJETO EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA ATENÇÃO A GESTANTES E PUÉRPERAS. VAN DER SAND. evidencia-se o comprometimento dos profissionais da equipes supracitadas perante a integralidade da assistência às gestantes. Disponível em www. UFPB-PRAC. X Encontro de Extensão.J. Porto alegre: RNSL Gráfica. Graziele Strada. n [?]. Assim. M. fazendo-os perceber a importância do desenvolvimento da educação em saúde em geral e não apenas durante o período de gestar. P. . 02. e VANZIN.fen.ufg. 3º ed.br. Diponível em [?]. A. v. 2010. 6. 2004. Acesso em 18. NETO. permite também uma reflexão sobre as variadas formas de assistência que podem ser disponibilizadas pelas ESF das áreas 112 e 129.E. Acesso em 18 Jan. 2002. Enfermagem Materno-infantil.S. de trocas e de vínculos entre os participantes. Isabel Cristina Pacheco Grupo de gestantes: espaço de conhecimentos.153-165.S. n. p.06. Por fim.

São Caetano do Sul. .A. SP: 2005. Nébia M. Ensinando a cuidar em saúde pública. Ed: Yendis.FIGUEIREDO.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->