Você está na página 1de 2

WELKER VINÍCIUS DOMINGUES FERREIRA

1º BIOMEDICINA
KÁTIA DE FREITAS FRAGA
22/02/2011
_____________________________________________________________________________

RELATÓRIO SOBRE PRÁTICA DE MEDIDAS DE VOLUME

INTRODUÇÃO

Os números podem ser exatos ou aproximados. Números exatos são aqueles com
nenhuma incerteza. Em ciência e na vida diária, a maioria dos números encontrados não são
exatos. Medir é comparar uma grandeza com um padrão. Toda medida é afetada por um erro;
as fontes de incerteza são o aparelho utilizado, o objeto e/ou o operador. Quanto menor for o
erro de uma medida, maior será a sua exatidão. A exatidão reflete a concordância do valor da
grandeza com o valor da medida. Para os aparelhos graduados, os erros podem ser avaliados a
partir da escala. Uma maneira prática de saber o erro de uma medida, feita com um aparelho
graduado, é através do desvio avaliado do aparelho que é a metade da menor divisão da
escala. Uma proveta cuja menor divisão é 1 mL terá um desvio avaliado de 0,5 mL.

OBJETIVO

Utilizar aparelhos volumétricos, graduados e expressar corretamente as medidas de


volume. Operar com algarismos significativos.

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

Conforme roteiro da prática de Medidas de Volume.

RESULTADOS E DISCUSSÕES

1. Aparelhos graduados

Aparelho Menor divisão Erro Volume


Bureta 0,1 mL 0,05 mL 50,00 mL
Proveta 0,5 mL 0,25 mL 50,00 mL
Pipeta 0,1 mL 0,05 mL 10,00 mL
2. Aparelhos volumétricos

Aparelho Erro Volume


Pipeta volumétrica 0,03 mL 25,00 mL
Balão volumétrico 0,03 mL 25,00 mL

3. Provetas

a) Volume vertido: 25,00 ± 0,03 mL


Volume na proveta: 24,50 ± 0,25 mL

Como não há igual precisão entre a proveta e a pipeta volumétrica, a medida do volume
vertido sofreu alteração quando vertido da pipeta volumétrica para a proveta.

b) Não houve coincidência de resultados porque a precisão entre o balão volumétrico e a


proveta não coincidem, além da proveta não ser calibrada para verter líquidos.

4. Balões volumétricos

Bureta: 24,90 ± 0,05 mL


Balão volumétrico: 25,00 ± 0,03 mL

Não houve coincidência porque a precisão entre a bureta e o balão volumétrico é


diferente, o que pode causar diferenças no resultado, além disso, a bureta estava inclinada em
seu suporte não posicionada 90° verticalmente.

CONCLUSÕES

Com esta prática pode-se concluir que as vidrarias utilizadas, por conter variações de
precisão entre elas e por algumas serem utilizadas para outros fins, como conter uma exata
quantidade de solução preparada e o fato de não serem calibradas para escoar líquidos, além
de haver uma pequena inclinação na bureta em seu suporte, houve diferenças na medição da
mesma quantidade de água quando vertida de uma vidraria à outra em todos os
procedimentos realizados como nota-se nos resultados apresentados.