P. 1
ApostilaMecatronica[1]

ApostilaMecatronica[1]

|Views: 1.047|Likes:
Publicado porVinicius Martins
para todos
para todos

More info:

Published by: Vinicius Martins on Mar 21, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/17/2015

pdf

text

original

Os resistores são componentes que têm por finalidade oferecer uma oposição (resistência) à
passagem de corrente elétrica, através de seu material. A essa oposição damos o nome de resis-
tência elétrica, que possui como unidade o ohm (ΩΩΩΩΩ).

A resistência de um condutor qualquer depende da resistividade do material, do seu compri-
mento e da sua área da seção transversal, de acordo com a fórmula:

mecatrônica

156

R = p. (I/A)

onde:R

=

resistência do condutor, ohm [ΩΩΩΩΩ]

I

=

comprimento do condutor, metro [m]

A

=

área da seção transversal, CM

p

=

resistividade, CM.

ΩΩΩΩΩ/m

Outro fator que influencia na resistência de um material é a temperatura. Quanto maior a
temperatura do material, maior é a sua agitação molecular. Devido a essa maior agitação molecular
os elétrons terão mais dificuldade para passar pelo condutor.

Os resistores são classificamos em dois tipos: fixos e variáreis. Os resistores fixos são aque-
les cujo valor da resistência não pode ser alterada, enquanto que os variáveis podem ter sua
resistência modificada dentro de uma faixa de valores, através de um curso r móvel.

Os resistores fixos são especificados por três parâmetros:

1 - O valor nominal da resistência elétrica.

2 - A tolerância, ou seja, a máxima variação em porcentagem do valor nominal.

3 - A sua máxima potência elétrica dissipada.

A sua tensão nominal é de 100 ΩΩΩΩΩ

A sua tolerância é de 5%, isso é, o seu valor nominal pode ter uma diferença de até 5% para
mais ou para menos do seu valor nominal. Como 5% de 100ΩΩΩΩΩ é igual a 5ΩΩΩΩΩ, o menor valor que esse
resistor pode ter é 95ΩΩΩΩΩ, e o maior valor é 105ΩΩΩΩΩ.

Esse componente pode dissipar uma potência de até 0,33 watts.

Dentre os tipos de resistores fixos, destacamos os de fio, de filme de carbono e o de filme metálico.

• Resistor de fio: consiste basicamente em um tubo cerâmico, que servirá de suporte para
enrolarmos um determinado comprimento de fio, de liga especial, para obter-se o valor de
resistência desejado. Os terminais desse fio são conectados às braçadeiras presas ao tubo.
Além desse, existem outros tipos construtivos, conforme mostra a figura 26.

mecatrônica157

fig. 26 - Resistores de fio.

Os resistores de fio são encontrados com valores de resistência de alguns ohms até alguns
kilo-ohms, e são aplicados onde se exige altos valores de potência, acima de 5 W, sendo suas
especificações impressas no próprio corpo.

• Resistor de filme de carbono (de carvão): consiste de um cilindro de porcelana recoberto
por um filme (película) de carbono. O valor da resistência é obtido mediante a formação de
um sulco, transformando a película em uma fita helicoidal, sobre a qual é depositada uma
resina protetora que funciona como revestimento externo. Geralmente esses resistores são
pequenos, não havendo espaço para impressão das suas especificações, por isso são impres-
sas faixas coloridas sobre o revestimento para a identificação do seu valor nominal e da sua
tolerância. A sua dimensão física identifica a máxima potência dissipada.

fig. 27 - Resistor de filme de carbono.

•Resistor de filme metálico: sua estrutura é idêntica ao de filme de carbono. A diferença é
que esse utiliza liga metálica (níquel-cromo) para formar a película, obtendo valores mais
precisos de resistência, com tolerâncias de 1 % a 2%.

mecatrônica

158

O custo dos resistores está associado a sua tolerância, sendo que resistores com menores
tolerâncias têm custo mais elevado. Um bom projeto eletrônico deve considerar a tolerância
dos resistores a fim de diminuir o seu custo final.

O código de cores utilizado nos resistores de película é visto na tabela 7.

cor

1ª faixa

2ª faixa

3ª faixa

4ª faixa

1º Algarismo

2º Algarismo

fator Multiplicador

Tolerância

preto

0

0

x100

---

marron

1

1

x101

±1%

vermelho

2

2

x102

±2%

laranja

3

3

x103

---

amarelo

4

4

x104

---

verde

5

5

x105

5

azul

6

6

x106

---

violeta

7

7

---

---

cinza

8

8

---

---

branco

9

9

---

---

ouro

---

---

x10-1

±5%

prata

---

---

x10-2

±10%

Tabela 7 - Código de cores

Sendo:

fig. 28

Observações:

1 - A ausência da faixa de tolerância indica que essa é de ± 20%

2 - Para os resistores de precisão, encontramos cinco faixas, onde as repre-
sentam o primeiro, segundo e terceiro algarismo significativos respectiva-
mente, e as demais fator multiplicativo e tolerância.

mecatrônica159

1- SÉRIE: 5%, 10% E 20% DE TOLERÂNCIA

10

12

15

18

22

27

33

39

47

56

58

82

2- SÉRIE: 2% E 5% DE TOLERÂNCIA

10

11

12

13

15

16

18

20

22

24

27

30

33

36

39

43

47

51

56

62

68

75

82

91

3- SÉRIE: 1% DE TOLERÂNCIA

100102105107110113115118121124127130
133137140143147150154158162165169174
178182187191196200205210215221226232
237243249255261267274280287294301309
316324332340348357365374383392402412
422432442453464475487499511523536549
562576590604619634649665681698715732
750766787806825845856887909931953976
Tabela 8 - Valores padronizados para resistores de película.

Simbologia:

Os símbolos de resistência elétrica utilizados em circuitos são mostrados na figura 29.

fig. 29 - Simbologia para resistores fixos.

Resistências Variáveis: a resistência variável é aquela que possui uma haste variável para o
ajuste manual da resistência. Comercialmente, podem ser encontrados diversos tipos de resistên-
cias variáveis, tais como os potenciômetros de fio e de carbono (com controle rotativo e deslizante),
trimpot, potenciômetro multivoltas (de precisão), reostato (para altas correntes) e a década resistiva
(instrumento de laboratório).

Os símbolos usuais para essas resistências variáveis estão mostrados na figura 30:

fig. 30 - Simbologia para resistores variáveis.

As resistências variáveis possuem três terminais. A resistência entre as duas extremidades
é o seu valor nominal (RN) ou resistência máxima, sendo que a resistência ajustada é obtida entre
uma das extremidades e o terminal central, que é acoplado mecanicamente à haste de ajuste,
conforme mostra a figura 31.

mecatrônica

160

fig. 31

A resistência variável, embora possua três terminais, é também um bipolo, pois, após o
ajuste, ele se comporta com um resistor de dois terminais como o valor desejado.

Uma resistência variável pode ser linear, logarítmica, exponencial ou outra, conforme a
variação de seu valor em função da haste de ajuste.

Os gráficos da figura 32 mostram a diferença de comportamento da resistência entre um
potenciômetro rotativo linear e um potenciômetro rotativo logarítmico.

fig. 32 - Curvas de um potenciômetro linear e um logaritmo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->