Você está na página 1de 11
O processo do stress ocupacional e a psicopatologia do trabalho Marcelo Bronzo Ladeira © trabalho humano, quando executado sob condic6es insalubres ou inseguras, tem efeito direto sobre 0 bem-estar fisico e psiquico do ho- ‘mem, motivo pelo qual muitos pesquisadores e profissionais ligados & questao da satide e do trabalho humano estao interessados em invest- sgt as formas mais sutis com que o trabalho impacta o funcionamento psiquico do individuo. Essas investigagées favorecem a compreensio até mesmo de algumas doengas ocupacionais cléssicas, anteriormente explicadas somente pela verificacao das cargas fsicas, quimicas, biolégi- «2s ¢ fisiolégicas da cena do trabalho. ‘As abordagens aos temas stress ocupacional e psicopatologia do tre balho representam duas correntes disciplinares que analisam de que for- ma a dinémica e a natureza das exigencias do trabalho atuam sobre a satide mental e fisica dos trabalhadores, desencadeando diferentes psicopatologias e manifestagées de caréter psicossomatico (Cooper, 1988; Dejours, 1994) ‘A abordagem ao stress ocupacional, de tradicéo anglo-saxénica, des- cxeve o fendmeno como um processo de perturbagae acasionado princi- paimente pela mobilizacdo excessiva da energia adaptativa do individuo diante das solicitagées do meio. J& a perspectiva da psicopatologia do trabalho, bem mais recente, tomou-se conhecida principalmente a partir dos trabalhos de Dejours (1988 e 1994) que, ao contrério da corrente anterior, retira da psicandlise e da mengdo ao inconsciente as suas refe- reéncias fundamentais. ‘A compatacéo entre as duas disciplinas demonstra uma convergén- cia com relagéo ao foco de seus estudos e contribuigées. Mesmo partin- do de caminhos aparentemente opostos, interessam-se pelas mesmas uestes ligadas & tensdo no trabalho, ao desencadeamento da ansieda- de e ao sofrimento do trabalhador. Da mesma maneira, tém como ele- ‘mentos de especial interesse as fadigas psiquica e fisica da forca de tra balho, as disfungées orgénicas de caréter psicossomético e os mecanis- mos indlividuais e coletivos de defesa dos trabalhadores, Recebido em ages 2 verso em janeri96 ‘Marcelo Bronzo Ladera & mestrando em ‘Adminstragdo do Centra de Ps, Graduando © Pesquisa em Administagao (Cepead), com especialzagdo em Recursos Humanos, membo do Grupo de Quaid de Vda no Trabalho, monitor de Pos-Graduago das discpinas de CComportamenio Hamano nas Orgaizanies @ do Qualdade de Vide e Stress no Trabalho do Departamento de Adminstragdo da Faculdade de (iéncas Econbmicas da Universidade Federal de Minas Gerais (FACEIUFMG) e Bacharel em CComuricagdo Social pla Poniia Universidade Catéica de Minas Gerais (PUCIG) Fax (031) 207-4031 e Revista de AdmiitapSo, Séo Pauio v.31, n., p.6474, jancirmargo 1996 AS CONTRIBUIGOES DA PSICOPATOLOGIA DO. ‘TRABALHO As dinamicas psicossociais nos contextos de trabalho tém sido estudadas de forma vigorosa pela psicopatologia do trabalho, corrente que assume hoje 0 cardter de cién-