Você está na página 1de 10

c  

    

 


Um motor elétrico é um equipamento capaz de converter energia elétrica em


energia mecânica (movimento), basicamente o motor funciona a partir da interação entre
campos magnéticos.
O motor de indução trifásico tem seu princípio de funcionamento baseado na lei de
Lenz, ou seja, ele utiliza o campo magnético da parte estática para induzir um campo
reativo na parte móvel.
A parte fixa (estática) do motor é conhecida como estator, e a parte móvel (parte
rotativa) é o rotor.
Os motores de indução trifásicos podem ser do tipo: rotor bobinado (figura 1) e
rotor gaiola de esquilo (figura 2).

Barras em Curto-Circuito

Anéis de Curto-Circuito

Figura 1 ± Rotor tipo gaiola de esquilo

Enrolamentos

Escova

Anéis Coletores

Figura 2 ± Rotor bobinado


Ö      c   

Para efeito didático pode -se considerar que o estator da máquina de indução
trifásica seja constituído por três bobinas espaçadas fisicamente de 120º , conforme a
figura 3 e que este mesmo estator é alimentado por três tensões alternadas defasadas
entre si de 120º conforme a figura 4.

C B
Figura 3 ± Circuito do estator (didático)

A B C

Figura 4 ± Tensões A, B e C defasadas de 120º.


Pode-se notar que cada fase (A, B e C) está conectada a uma bobina do estator
(figura 3). Na figura 4 percebe-se a existência de pontos onde sempre uma das fases é
igual a zero.
Se a tensão aplicada for positiva, a bobina produz um campo dirigido para fora, e
caso contrário o campo gerado irá se dirigir para dentro.
Considere o 1º ponto, instante inicial do gráfico da figura 4, verifica-se que a fase
³A´ é zero, A fase ³C´ é positiva e ³B´ é negativa, ou seja, a bobina ligada a ³B´ atrai o
campo e a que está conectada a ³C´ repulsa o campo e esta soma vetorial produzirá um
campo resultante na direção horizontal e no sentido da esquerda para a direita conforme
ilustrado na figura 5.

›
  (

›
 È 

›
  

C B
Figura 5 ± Campo resultante para o 1º ponto

Se considerarmos o segundo ponto do gráfico da figura 4, onde ³C´ é zero, ³A´ é


positivo e ³B´ é negativo, podemos perceber que o campo resultante se deslocará em
sentido horário sofrendo uma rotação de 60º em relação ao primeiro ponto . E que a cada
mudança de ponto a resultante do campo se deslocará continuamente no sentido horário.
Se invertermos duas das fases o campo magnético resultante irá ³girar´
continuamente em sentido ant i-horário.
Este campo magnético resultante que é obtido através da aplicação das ten sões no
estator é denominado de ³campo girante´, e este mesmo campo induz uma tens ão, que
gera uma corrente induzida capaz de produzir um campo magnético oposto ao campo
produzido pelo estator. E uma vez magnetizado, o rotor gira tentando acompanhar o
movimento do campo do estator.
Pode ser demonstrado formalmente que a velocidade de rotação do campo girante
produzido pelo estator de uma máquina de indução depende diretamente da freqüência
da rede elétrica a ele aplicada e inversamente do número de pólos m agnéticos do motor,
ou seja:
h —
  
(1)
á

Onde   é a velocidade de rotação em RPM,  é a freqüência da rede


elétrica e á é o número de pólos da máquina.
A velocidade do campo girante é conhecida também como velocidade síncrona .


   

Para entender o processo de indução de tensão no rotor da máquina é preciso


relembrar a lei de Faraday, ou seja, ³A tensão induzida num condutor é a variação de
fluxo magnético no decorrer do tempo´.

-- ---
-



+
+
++++

›

Figura 6 ± Condutor deslizando sobre um trilho condutor e cortando as linhas de fluxo
Com o movimento do condutor através do trilho condutivo (figura 6), seus elétrons
são atraídos pela força magnética (  ) provocando um deslocamento de elétrons livres

para uma das extremidades do condutor, e consequentemente, a outra extremidade ficará


com falta de elétrons (cargas positivas). Esse desequilíbrio de cargas constitui uma
tensão induzida nas extremidades do condutor.
Então se o condutor tiver um comprimento (  ), sujeito a uma densidade de campo
com intensidade (  ) e se deslocando a uma velocidade (  ), temos:


 — — (2)

 
r  - A equação da tensão induzida é — —  — Y u j , onde u é o ângulo entre o
campo magnético e o deslocamento . Porém para o caso considerado na figura 6 o
  ‘ .
-A inversão do sentido da velocidade do condutor causa inversão da tensão e do
sentido da corrente induzida.
Diante do exposto podemos inferir que o campo gerado no estator só poderá
induzir correntes no rotor se houver movimento relativo entre o campo girante e o circuito
do rotor.
A diferença de velocidade relativa entre o campo girante (velocidade síncr ona) e o
rotor recebe o nome de escorregamento ou deslizamento e é definido por:

 
(È  ]  È  È
 (3)
 
(È 

Onde  é a velocidade em RPM e  é o escorregamento do motor de indução.


Obs: - Se o motor estiver com o rotor bloqueado (parado) a tensão induzida do
estator para o rotor é a máxima e é conhecida como tensão de rotor bloqueado.
- Se o rotor acompanhasse a velocidade síncrona , os condutores do rotor
não conseguiriam mais cortar as linhas de campo e não haveria tensão induzida do
estator para o rotor.
- A tensão induzida do estator para o rotor depende da relação de espiras
entre eles e do escorregamento da máquina.
É comum expressar a tensão induzida ( 
 ) em função da tensão de rotor

bloqueado (  È ) e do escorregamento do motor, ou seja:


  —  È (4)

A freqüência das correntes induzidas no rotor (   ) pode ser expressa em função do

escorregamento (  ) e da freqüência da tensão aplicada ao estator (  ), ou seja:

  —  (5)

O circuito do rotor pode ser representado por uma resistência em série com uma
indutância conforme o representado na figura 7.

ÈÈ  È  

Figura 7 ± Circuito elétrico do rotor

A impedância total do circuito varia conforme o escorregamento, pois a reat ância


indutiva depende diretamente do escorregamento . Então é bastante conveniente
expressar a reatância indutiva do rotor em função da reatância de rotor bloqueado ( 
)
e do escorregamento, ou seja:

    — 
(6)







r     !"c   # $  #  

A máquina de indução trifásica pode ser comparada a um transformador, pois o


circuito do estator gera um fluxo que enlaça o circuito magnético do rotor e conforme a lei
de Faraday a variação do fluxo magnético enlaçado gera uma tensão alternada induzida
no circuito do rotor, sendo assim, pode -se comparar o circuito do estator ao primário de
um transformador e o rotor ao secundário.


È  È

 

 — È

 —  È

Figura 8 ± Circuito elétrico do motor com referência ao rotor

A potência elétrica que será convertida em energia mecânica é a potência


transferida para a reatância indutiva, já a potência dissipada na resistência do rotor é a
potência perdida em forma de calor.
E o torque no eixo da máquina para um escorregamento qualquer é dado por:

 — 
—
 
Y (7)
 

A condição de escorregamento que produz o torque máximo baseia-se no princípio


da máxima transferência de potência, ou seja, para que a fonte transfira o máximo de
potência para a indutância , é necessário que a resistência do rotor seja igual à reatância
do rotor, ou seja:
È È  È   —  È (8)
r     !" c  
%  !"$      

Conforme foi citado anteriormente, o motor de indução pode ser analisado como
um transformador, ou seja, circuito do estator, reatância de dispersão e circuito do rotor.

h h  

h
lh 
Ô


(   
 (   

Onde h é a tensão de fase do estator , Èh é a resistência do estator,  h a

reatância do estator,  representa as perdas no núcleo,  é a reatância de dispersão

do fluxo magnético, é a reatância do rotor e  é a resistência do rotor.

Circuito Equivalente ± Equações para Análise

 È
Cálculo da Potência Transferida através do Entreferro:   Y  Y — —
(9)

Cálculo da Potência Perdida no Rotor: ȑ‘  Y —È —
 —   Y (10)

Cálculo da Potência Eletromagnética no eixo: Y h   j —  Y  (11)


& Ö   

1. Um motor de indução trifásico de 6 pólos é ligado a uma rede de 60 Hz possui um


escorregamento de 5%. Pergunta-se:

a. Qual a velocidade síncrona?


b. Qual A velocidade do rotor?
c. Qual a freqüência das Correntes do Rotor?

2. O rotor de um motor de três anéis, trifásico, de 8 pólos, 60 Hz, 208 V tem 60% do
número de espiras do estator por fase. O estator é ligado em delta e o rotor em
estrela, tendo seus terminais trazidos a a néis coletores. Calcule a freqüência do
rotor e a tensão entre anéis nas seguintes condições:

a. Rotor Bloqueado
b. Rotor girando com escorregamento de 9%
c. Rotor acionado por um motor no sentido do campo com uma velocidade de 750
RPM
d. Rotor acionado por um motor no sentido oposto ao do campo com velocidade de
600 RPM
e. Rotor acionado por motor no senti do oposto ao campo e com velocidade de 900
RPM.

3. Sabendo que a resistência a rotor bloqueado de um motor de indução do tipo


gaiola de 6 pólos, 60 Hz é três vezes a res istência do rotor por fase. Calcule:

a. O escorregamento que produz torque máximo


b. A velocidade desenvolvida pelo rotor quando o torque é máximo
c. A freqüência das correntes do rotor para a condição de torque máximo

4. A resistência e a reatância do rotor de um motor de indução do tipo gaiola com


rotor bloqueado são 0,1 ±Èfase e 0,8 ±Èfase, respectivamente. Imaginando uma
relação de transformação unitária do estator de 8 pólos com 120 V de tensão de
fase, a 60 Hz, para o secundário do rotor, calcule:
a. A corrente de partida do rotor por fase.
b. A corrente do rotor a plena carga com um escorregamento de 6%.
c. A corrente do rotor no valor de escorregamento que produz o torque
máximo.

5. Considere os dados do motor na questão 3 e calcule:


a. A potência máxima de entrada do rotor .
b. O torque máximo desenvolvido.
6. A velocidade a plena carga de um motor de indução de seis anéis, de 60 Hz, 12
pólos é 550 RPM. Com rotor bloqueado, a reatância do rotor é 2 ± e sua
resistência 0,6 ±. Calcule:
a. O escorregamento e a velocidade para o ponto de torque máximo.
b. A resistência a ser inserida no rotor para que o torque máximo se dê na
partida.

7. Calcule a potência de dissipação do rotor de um motor trifásico de quatro pólos,


460 V e 60 Hz com uma resistência de armadura de 0,056 ± operando na
velocidade de 1738 RPM, com uma pot6encia de entrada de 47,4kW e uma
corrente de terminal de 76,2 A.

8. Um motor de indução trifásico de dois pólos e 60 Hz está operando com uma


velocidade de 3503 RPM com uma potência de entrada de 15,7 kW e uma corrente
de estator de 22,6 A. A resistência de enrolamento do estat or é 0,2 ±Èfase. Calcule
a potência dissipada no rotor, a potência eletromagnética e o torque
eletromagnético.

9. Calcule a potência de dissipação do rotor de um motor de indução trifásico de


quatro pólos, 460 V e 60 Hz com uma resistência de armadura de 0,056 ±Èfase
operando na velocidade de 1738 RPM, com uma potência de entrada de 47,4 kW e
uma corrente terminal de 76,2 A.