As transformações sociais ocorridas nas últimas décadas, desencadearam também profundas mudanças e redefinição do papel da mulher na sociedade moderna

.

BREVE HISTÓRICO
No que se refere especificamente à história de lutas e conquistas, em nível mundial, Santos (2002) destaca as seguintes datas: 8 de março – Dia Internacional da Mulher: É uma das datas mais importantes, pois neste dia, no ano de 1857, as operárias da fábrica têxtil Cotton, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, fizeram uma greve, em protesto contra uma jornada diária de 16 horas e baixos salários. Como resposta à manifestação, os patrões mandaram incendiar o prédio e 129 mulheres morreram queimadas. 19 de abril – Dia do Índio: As mulheres indígenas são ainda mais vítimas da discriminação e sofrem preconceito de gênero e raça, bem como opressão. A data foi escolhida em 1940, durante o 1º Congresso Indigenista Interamericano, na cidade de Patzcuaro, no México. O Brasil adotou a data em 1943. 25 de abril – Dia Latino-Americano da Mulher Negra: Assim como as índias, as negras também enfrentam discriminação de gênero, raça e opressão. As comemorações pelo Dia Latino-americano da Mulher Negra podem incorporar também o 21 de março, Dia Internacional contra a Discriminação Racial, instituído pela ONU, em razão do massacre de 70 jovens negros em Sharpeville, na África do Sul (1960). 27 de abril – Dia da Empregada Doméstica: As empregadas domésticas enfrentam o preconceito de gênero e o social. Faz-se necessário reconhecer o trabalho dessas mulheres, que não é valorizado por ser realizado dentro de casa. 28 de maio – Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher: As questões relacionadas à saúde das mulheres foram discutidas por especialistas do

Já em 2002. duas irmãs foram brutalmente assassinadas na República Dominicana. Para marcar a data. foi decidido que o dia 28 de março marcaria a urgência de ações em favor da saúde feminina. 05 de junho – Dia Mundial da Ecologia e do Meio Ambiente: Este dia também pode ser comemorado sob uma perspectiva feminina. Desde 1981. vinte mil pessoas são contaminadas no Brasil. 01 de dezembro – Dia Mundial de Combate à Aids: As estatísticas mostram que as mulheres são as maiores vítimas da AIDS. 25 de novembro – Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Mulher: Em 25 de novembro de 1960. 10 de dezembro – Declaração Universal dos Direitos Humanos: Somente a partir de 1948. 15 de outubro – Dia Internacional da Trabalhadora Rural: Não se pode perder a oportunidade de celebrar as conquistas já obtidas e nem de cobrar mais ações promotoras da igualdade de gênero no campo. deve-se destacar a importância das mulheres rurais na agricultura. Após esse evento. como alerta para a necessidade de combater a violência contra as mulheres. por exemplo. a proporção é de 2 para 1. como a agricultura familiar. em vários países. a relação era de 16 homens com a doença para cada mulher. com o surgimento de redes governamentais e nãogovernamentais específicas que trabalham para melhorar a qualidade do atendimento prestado. é importante promover discussões sobre o tema. durante o V Encontro Internacional Mulher e Saúde. os homens e as mulheres passaram a ser considerados como titulares de direitos individuais e sociais. durante o regime do ditador Trujillo. E neste contexto. Nesse dia. haja vista que são as mulheres que mais preservam o meio ambiente.mundo inteiro em 1987. a importância dada à saúde da mulher vem crescendo nos últimos anos. o dia é usado. A cada ano. na Costa Rica. Em 1987. na segurança alimentar e no desenvolvimento da zona rural. A Declaração provocou reação imediata por parte de grupos de mulheres e uma verdadeira luta foi . ao praticar formas menos ofensivas de manipulação da terra.

Contudo. as conquistas sociais femininas e no mercado de trabalho foram muitas. Ao longo das últimas décadas do século XX. as mulheres foram da esfera doméstica à ocupação de diferentes funções na sociedade moderna. Em relação ao trabalho. tais mudanças são ainda mais visíveis. mas estas conquistas sociais têm sido alcançadas e assimiladas de forma diferente pelas mulheres. possibilitando cada vez mais o seu acesso às posições estratégicas em suas profissões. Na realidade. especialmente no que se refere a dinâmica de conciliação das demandas familiar e profissional. como também nas esferas política e econômica e elas já estão mais à vontade e escolhem de forma mais livre com quem e como querem estabelecer suas relações conjugais. a mão-de-obra feminina tem sido cada vez mais aceita e solicitada. O alcance e assimilação das conquistas sociais femininas variam de acordo com a classe social. não só no mercado de trabalho. no entanto ainda está aquém do ideal. com a realização dos ciclos de conferências mundiais sobre os direitos das mulheres. Aos poucos as habilidades e características femininas começam a ser valorizadas pela sociedade. Isto porque com o processo de reestruturação produtiva e com o crescente número de mulheres no mercado de trabalho. deixando a mulher. ou tem sofrido dificuldades quanto ao seu acesso a cargos que exigem maior qualificação ou que oferecem maiores possibilidades de ascensão na carreira. A MULHER NA MODERNIDADE Na sociedade moderna. As primeiras datam já no início da década de 50. este contingente feminino ainda tem sido sujeito a algumas limitações.empreendida. aos poucos de ser uma mera coadjuvante em determinados segmentos sociais e profissionais. o grau de escolaridade e a possibilidade real para . a mulher está cada vez mais conquistando seu espaço no ambiente profissional e participando das mudanças ocorridas na contemporaneidade. As mulheres têm hoje maior participação. mas os avanços mais significativos só viriam a partir da década de 70.

discutir os assuntos que estavam sendo estudados no meio acadêmico em torno da questão da mulher. bem como em todos os setores da economia local. nas universidades. foi realizado o I Encontro Amazônico Sobre Mulher e Relações de Gênero. As mulheres vêm ao longo dos anos participando para a construção de uma sociedade mais justa. de um mundo melhor e mais equilibrado. Na sociedade atual a mulher vem aprendendo a lidar com os problemas e aos poucos vem aprendendo e sabendo discernir as dificuldades encontradas na dupla e algumas. no judiciário. Acre. organizado mais uma vez pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Morais (GEPEM) e Rede Regional Norte-Nordeste de Núcleos e Pesquisas sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR). Em novembro de 1994. as publicações e registros históricos acerca do papel da mulher na sociedade local. Outro ponto importante a salientar é que as mulheres ainda ocupam menos cargos de poder e prestígio e continuam a ser vistas como as principais responsáveis pela casa e pela família. para não dizer quase inexistentes. Maranhão. Já em abril de 1996. contribuindo de forma significativa para o desenvolvimento da sociedade manauara como um todo. tem-se conhecimento que a mulher manauara vai ocupando cada vez mais os espaços nas fábricas do Pólo Industrial de Manaus. ocorreu o II Encontro Amazônico sobre Mulher e Relações de Gênero.superar as desigualdades de oportunidades entre homens e mulheres que ainda existem e persistem na sociedade atual. Amapá. na tripla jornada de trabalho. conjuntamente. A proposta em discussão que tinha como título “Mulher e Modernidade na Amazônia” foi apontar os dilemas da . No entanto. Rondônia e Roraima) e. no qual se desenha um novo papel para a mulher moderna. no lar e fora dele. tanto na família como nas mais diferentes esferas sociais. são escassas. mais especificamente na sociedade manauara. Pará. A MULHER NA AMAZÔNIA No contexto da sociedade amazonense. objetivando reunir pesquisadores da Região Norte (Amazonas.

Logo. de classe e de etnia. embutidas nas denúncias dos movimentos feministas organizados nas lutas pela conquista da cidadania da mulher. Passando por questões que obliteravam a visibilidade do sujeito político mulher na construção da sociedade. a diversidade e deixando de estimular a complementaridade. os traços de exploração. que aponta para as rupturas com o essencialismo de figuras masculinas. utilizando-se das teorias explicativas das Ciências Sociais. De um tempo de exclusão. E neste cenário. A história da mulher no contexto da modernidade na Amazônia pode ser contada de várias formas. onde convivem homens e mulheres constituindo. evidenciando-se através destas. entrelaçam-se sucessos de fatos e conquistas nas linhas escritas pela historiografia regional. múltiplas dimensões da realidade amazônica. de violência e espoliação. evidenciando-se.modernidade em cujo contexto emergiram as questões da desigualdade de gênero. em que as explicações sobre as diferenças de gênero para definir as hierarquias sociais e históricas determinando comportamentos e práticas sexistas. Neste contexto. que é a mulher. denunciou-se o processo de desigualdade e opressão que subordinava as mulheres a estereótipos desvalorizadores e de justificação das desigualdades sociais sofridas milenarmente. . saltou-se para um tempo de denúncias a essa exclusão e à perspectiva de dar visibilidade ao sujeito. Por meio destas teorias. através de suas experiências e práticas. as mulheres estão circunscritas em uma hierarquia de gênero. brancas e burguesas. com isso. com isso. um cotidiano rico e diferenciado. de conquistas e de dominação sóciopolítico-econômico e cultural. faz-se necessário conhecer o “outro lado” da história oficial. marcando.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful