Você está na página 1de 13

1

Sumário

Introdução..................................................................................................... 2
Engenharia................................................................................................... 3
Engenharia Química..................................................................................... 3
Engenharia Mecânica............... ..... ............................................................. 5
Engenharia Elétrica............................. ........................................................ 5
Engenharia Nuclear.......................... ........................................................... 6
Engenharia Biomédica.................................................................................. 7
Engenharia Civil........................................................................................... 7
Engenharia Ambiental................................................................................... 8
Engenharia Industrial.................................................................................... 8
Engenharia de Petróleo...................................................................................9
Engenharia Agrônoma....................................................................................9
Engenharia Aeronáutica.................................................................................10
Engenharia Eletrônica....................................................................................10
Engenharia Hardwere.....................................................................................11
Engenharia de Materiais.................................................................................11
Conclusão.......................................................................................................12
2

Introdução

No final do século XX, os sucessivos e constantes avanços da pesquisa científica e a tendência à


máxima racionalização das obras de engenharia determinavam um grau de complexidade das
obras impensável para os que se ocupavam desse campo de atividade em meados do século.
Como conseqüência, cresceu a diferenciação de disciplinas e apareceram diversos ramos ou
especialidades, como a engenharia, mecânica, química, elétrica, de telecomunicações, de minas,
aeronáutica, de construção naval, de estradas, campos da geometria e da trigonometria; a
criação da geometria analítica por Descartes (1637) e da máquina de calcular (1642) por Pascal;
a lei de Robert Hooke (1653-1703) sobre a elasticidade dos corpos; a descoberta do cálculo das
probabilidades por Pascal e Pierre de Fermat (1601-1665); do cálculo diferencial, integral e
infinitesimal, por Newton e Leibniz.
3

ENGENHARIA

Engenharia é definida como o conjunto de conhecimentos científicos e tecnológicos, com base


físico-matemática, que com a técnica e a arte de analisar, criar e desenvolver sistemas e
produtos, processos e obras físicas, mediante o emprego da energia e de materiais, para
proporcionar a humanidade, com eficiência e sobre bases econômicas, bens e serviços que lhes
dão bem estar com segurança e crescente qualidade de vida, preservando o meio ambiente.
A engenharia é campo da atividade humana que trata da:

• Concepção
• Construção
• Operações
de
 Engenhos
 Artefatos
 Dispositivos
 Instalações

Que operam em decorrência de fenômenos naturais provocados pelo homem, sob condições
controladas, para o seu próprio proveito.
A engenharia se subdivide em diversos ramos em função da natureza dos fenômenos
predominante explorados por cada um deles, que são principalmente de natureza:

• Química
• Mecânica
• Elétrica
• Bioquímica
• Nuclear

ENGENHARIA QUÍMICA

A Engenharia Química trata das instalações cuja finalidade é transformar substâncias


químicas em outras de maior interesse industrial.

Essa transformação é normalmente complexa e pode exigir diversas etapas. Cada etapa é
conduzida em um equipamento. No interior de cada equipamento são provocados fenômenos
tais como:

• Reação Química;
• Absorção;
• Adsorção;
• Evaporação;
• Condensação;
• Compressão;
• Expansão;
• Aquecimento;
• Resfriamento;
• E muitos outros.

O conjunto das etapas constitui o processo, cujo projeto e operação são de competência do
engenheiro químico.
4

Devido à variedade de fenômenos explorados, a engenharia química compreende uma vasta


gama de conhecimentos, distribuída por 4 níveis interdependentes, como mostra a figura que se
segue:

No nível mais interior encontram-se as ciências básicas (física, química, bioquímica, físico-
química) que tratam da descrição e da quantificação dos fenômenos naturais através da
matemática.
No nível seguinte estão os fundamentos da engenharia química, que tratam da compreensão e da
modelagem matemática dos fenômenos físico-químicos que ocorrem nos equipamentos. Esses
conhecimentos são reunidos em disciplinas como fenômenos de transporte, termodinâmica e
cinética.
O terceiro nível corresponde à engenharia de equipamentos, que trata da concepção, do
aperfeiçoamento e do projeto dos diversos equipamentos da indústria química. Neste nível são
incorporados conhecimentos acerca de dimensionamento, de otimização, de simulação e de
controle automático, ministrados em disciplinas tais como operações unitárias, reatores,
transferência de calor e controle.
A engenharia de processos se encontra no último nível, e trata da concepção, do
aperfeiçoamento e do projeto dos processos industriais. Neste nível são incorporados
ferramentas como computação avançada, otimização, teoria de sistemas e inteligência artificial,
apropriadas ao tratamento de problemas combinatórios de porte elevado em termos de número
de equipamentos, de equações e de variáveis.
Na atualidade engenharia química requer conhecimento de informática e o uso de computadores
tornou-se necessidade vital.

Engenheiros químicos aplicam os princípios da química para resolver problemas que envolvem
a produção ou a utilização de produtos químicos e outros produtos. Os equipamentos de design
e processos para a fabricação de produtos químicos em grande escala, o plano de teste e
métodos de fabricação dos produtos e subprodutos de tratamento e supervisionar a produção.
Engenheiros químicos também trabalham em uma variedade de outras indústrias de fabricação
de produtos químicos, tais como as produtoras de energia, eletrônica, alimentos, roupas e papel.
Além disso, eles trabalham na área da saúde, biotecnologia e serviços prestados às empresas.
Engenheiros químicos aplicam os princípios da física, matemática, engenharia mecânica e
elétrica, bem como a química. Alguns podem se especializar em um processo químico
específico, tais como oxidação ou polimerização. Outros se especializam em um campo
específico, como os nanomateriais, ou no desenvolvimento de produtos específicos. Eles devem
5

estar conscientes de todos os aspectos da indústria química e de como o processo de produção


afeta o meio ambiente e a segurança dos trabalhadores e consumidores.

ENGENHARIA MECÂNICA

A engenharia mecânica é a aplicação de matemática e ciências básicas, principalmente física,


na concepção, construção, análise, manutenção e operação de sistemas mecânicos. Sistemas
mecânicos são constituidos por elementos físicos, construídos pelo homem ou presentes na
natureza. É a área da engenharia que cuida do desenvolvimento, do projeto, da construção e da
manutenção de máquinas e equipamentos. O engenheiro mecânico desenvolve e projeta
máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento e de refrigeração e ferramentas
específicas da indústria mecânica. Também supervisiona sua produção. Calcula a quantidade
necessária de matéria-prima, providencia moldes das peças que serão fabricadas, cria protótipos
e testa os produtos obtidos. Organiza sistemas de armazenagem, supervisiona processos e define
normas e procedimentos de segurança para a produção. Controla a qualidade, acompanhando e
analisando testes de resistência, calibrando e conferindo medidas. Pode dedicar-se às vendas.
Costuma trabalhar com engenheiros eletricistas, de materiais, de produção e de automação e
controle, na montagem e automação de sistemas, na manutenção de aeronaves e na indústria de
eletroeletrônicos. Engenharia mecânica é uma das disciplinas mais amplas da engenharia.

ENGENHARIA ELÉTRICA

A engenharia elétrica é o ramo da engenharia que lida com o estudo e a aplicação da energia
elétrica e do eletromagnetismo.

No que concerne à energia elétrica, envolve basicamante a:

• Geração (usinas/fábricas geradoras hidrelétricas, termoelétricas, nucleares);


• A Transmissão ou o Transporte (linhas de transmissão de alta tensão) (AT) e extra alta
tensão (EAT);
• A Distribuição e utilização nas residências, nas indústrias (controle e automação,
máquinas elétricas, motores elétricos);
• Telecomunicações (telefonia fixa e celular, rádio, televisão, internet);
• Informática;
• Eletrônica.

Especializações

Ela divide-se nas seguintes áreas de especialização:

• Sistemas de energia elétrica ou sistemas de potência - estudos de geração, transmissão e


distribuição de energia elétrica; planejamento, confiabilidade, estabilidade e proteção de
sistemas elétricos e utilização de técnicas computacionais aplicadas a sistemas de
potência;
• Sistemas de eletrônica/eletrónica - desenvolvimento de circuitos eletrônicos para a
aquisição de dados como temperatura, umidade, pressão entre outros e transmissão de
dados por radiofrequência etc;
• Sistemas de microeletrônica/microeletrónica - projeto, fabricação e testes de circuitos
integrados - C.I. para sistemas de computação, telecomunicações, entretenimento entre
outros;
6

• Sistemas de eletrônica de potência - estudos de dispositivos eletrônicos de potência,


acionamento de máquinas elétricas, controle de motores, simulação digital de máquinas
e conversores e cargas elétricas especiais;
• Sistemas de telecomunicações - estudos de sistemas de áudio e vídeo, antenas e
propagação de ondas eletromagnéticas, micro-ondas, telefonia analógica e digital, fibras
ópticas, processamento analógico e digital de sinais, telecomunicações por satélite e
redes de comunicações;
• Sistemas de computação - estudos de sistemas operacionais para computadores, projeto
e programação de sistemas digitais, redes digitais, computação gráfica e CAD, Ciência
dos computadores e análise de sistemas computacionais;
• Sistemas de controle e automação - estudos de controle de processos industriais por
computador, controle óptico, sistemas inteligentes para automação industrial, robótica,
inteligência artificial, controles adaptativos e não-lineares.
• Sistemas biomédicos - Especificar e gerenciar a utilização de equipamentos médico-
assistenciais em hospitais, clínicas e laboratórios, além do projeto e construção desses
mesmos tipos de aparelhos.

ENGENHARIA NUCLEAR

Engenharia nuclear é a especialidade das engenharias que lida com a energia nuclear quer no
modo de controle, quer no de pesquisa e de aplicações, trabalhando, por essa razão, tanto com
reatores nucleares em laboratórios, como com usinas nucelares e, eventualmente, aplicações
bélicas (bombas nucleares). Nisso reside a sua distinção com respeito à engenharia química, da
qual é uma das sucessoras:

• a engenharia química cuida do binômio matéria e energia sob os macro-aspectos de


substância, elemento e produto (o trio SEP), enquanto...
• a engenharia nuclear cuida do binômio matéria e energia sob os micro-aspectos de
núcleo, energia e partícula (o trio NEP).

Historicamente — e até algum tempo atrás, variável segundo as culturas subjacentes — era
considerada mera subdivisão da engenharia química, o que durante certo período foi
justificável. Se assim o foi até a II Guerra Mundial, ganhou, contudo, foros de autonomia plena
logo após, principalmente com o advento da "corrida espacial", paralelamente acompanhada
pela "era da conversão em larga escala".

A engenharia nuclear, por sua vez, constitui-se de várias subdivisões e alguns ramos principais,
tais como:

• Física nuclear
• Medicina nuclear
• Propulsão nuclear
• Reator nuclear
• Usina nuclear

Eles podem trabalhar sobre o ciclo do combustível nuclear, produção, manipulação e uso do
combustível nuclear e eliminação segura de resíduos produzidos pela geração de energia nuclear
ou sobre o desenvolvimento da energia de fusão. Alguns se especializam no desenvolvimento
de fontes de energia nuclear para os navios da Marinha ou a nave, e outros usos industriais e
encontrar médicos para materiais radioativos, por exemplo, em equipamentos utilizados para
diagnosticar e tratar problemas médicos.
7

ENGENHARIA BIOMÉDICA

A Engenharia Biomédica é uma área que integra princípios das ciências exatas e ciência da
saúde, desenvolvendo abordagens inovadoras aplicadas na prevenção, diagnóstico e terapia de
doenças. Esta área da Engenharia está em grande expansão e se dedica ao desenvolvimento e
produção de próteses, instrumentos médicos, equipamentos de diagnóstico, e ao estudo dos
organismos vivos do ponto de vista da engenharia. Além disso, os Engenheiros Biomédicos
estão aptos a ocupar cargos em hospitais e clínicas (administração hospitalar), industrias e
empresas da área médica (elaboração e desenvolvimento de novos equipamentos) e
universidades (pesquisa). A Engenharia Biomédica é uma área multidisciplinar que conjuga
conhecimentos de química, física, biologia e medicina bem como as técnicas de engenharia
química, engenharia eletrónica, engenharia biológica, engenharia dos materiais, bioinformática,
bioengenharia e engenharia física.

Muitos fazem pesquisas, junto com cientistas da área médica, desenvolvem e avaliam sistemas e
produtos, tais como órgãos artificiais e próteses (dispositivos artificiais que substituem partes do
corpo ausentes), instrumentação, sistemas de informação médica e gestão em saúde e sistemas
de prestação de cuidados. Os engenheiros biomédicos também podem projetar dispositivos
utilizados em vários procedimentos médicos, sistemas de imagem, como ressonância magnética
(MRI), e dispositivos para automatizar as injeções de insulina ou controlar as funções do corpo.
A maioria dos engenheiros nesta especialidade precisa de uma sólida formação em outra
especialidade de engenharia, como engenharia mecânica ou eletrônica, além de formação
biomédica especializada. Algumas especialidades da engenharia biomédica são biomateriais,
biomecânica, imagens médicas, engenharia de reabilitação, engenharia e ortopédicas.

ENGENHARIA CIVIL

Engenharia civil é o ramo da engenharia que projecta e executa obras como edifícios, pontes,
viadutos, estradas, barragens e outras obras da engenharia hidráulica fluvial e da Hidráulica
Marítima, assim como da engenharia sanitária.

Os termos Construção civil e Engenharia civil são originados de uma época em que só existiam
apenas duas classificações para a Engenharia sendo elas Civil e Militar. Cujo conhecimento por
exemplo de Engenharia militar era destinada apenas aos militares e a Engenharia civil destinada
aos demais cidadãos. Com o tempo, a Engenharia civil, que englobava todos as áreas, foi se
dividindo, e hoje conhecemos vários divisões, como a elétrica, mecânica, química, naval, entre
outras. Exemplos como Engenharia naval dão origem a construção naval, mas ambas eram
agrupadas apenas na grande área da civil.

O engenheiro civil projeta e acompanha todas as etapas de uma construção e/ou reabilitação
(reformas) . Deve estudar as características dos materiais, do solo, incidência do vento, destino
(ou ocupação) da construção. Com base nesses dados, desenvolve o projeto, dimensionando e
especificando as estruturas, hidro-sanitárias e gás, bem como os materiais a serem utilizados.
No gabinete de obra, chefia as equipes, supervisionando os prazos, os custos e o cumprimento
das normas de segurança, saúde e meio ambiente. Cabe-lhe garantir a segurança da edificação,
exigindo que os materiais empregados na obra estejam de acordo com as normas técnicas em
vigor. A Engenharia civil tem, de alguma forma, relações com todas as atividades humanas,
notadamente com a Arquitetura.
8

Métodos

A engenharia civil utiliza, como ferramentas mais usuais, a computação, a matemática, a física,
a química, e um conjunto de técnicas no desenvolvimento de suas atividades, entre as quais os
modelos matemáticos e os modelos físicos nos mais diversos laboratórios de engenharia civil
das diferentes modalidades. Além destas, aplica contribuições da administração e da economia.
Trata-se de ciência aplicada, que incorpora contribuições de diversas áreas de conhecimento, de
ciência básica, para alcançar sucesso em projeto, acompanhamento, e gerência de
empreendimentos.

Na solução de problemas complexos, como aqueles associados a problemas de hidráulica,


hidrologia, mecânica dos solos, mecânica dos fluidos, mecânica estrutural, de estruturas esbeltas
e nanoestruturas a engenharia civil utiliza a modelagem computacional e a modelagem física.

ENGENHARIA AMBIENTAL

A Engenharia ambiental é um ramo da engenharia que estuda os problemas ambientais de forma


integrada nas suas dimensões ecológica, social, econômica e tecnológica, com vista a promover
o desenvolvimento sustentável.

Engenheiros ambientais usam os princípios da biologia e da química para desenvolver soluções


para os problemas ambientais. Eles estão envolvidos em controlar a água, a poluição do ar,
reciclagem, eliminação de resíduos e questões de saúde pública. Engenheiros ambientais
realizam estudos de gestão de resíduos perigosos em que se avalia a significância do risco,
aconselham sobre o seu tratamento e confinamento, e desenvolvem normas para evitar
acidentes. Engenheiros ambientais estão preocupados com as autoridades locais em questões
ambientais em todo o mundo. Alguns podem estudar e tentar minimizar os efeitos da chuva
ácida, aquecimento global, as emissões de automóveis e de destruição do ozônio. Eles também
podem estar envolvidos na proteção da vida selvagem. Muitos engenheiros ambientais
trabalham como consultores, ajudando seus clientes a cumprir com os regulamentos, prevenir os
danos ambientais e limpar sites perigosos.

ENGENHARIA INDUSTRIAL

A Engenharia industrial é definida, de uma forma abreviada, como sendo a especialidade de


engenharia que se ocupa da criação e gestão de sistemas que integram pessoas, materiais e
energia de uma forma produtiva ou, simplesmente, que se ocupa da produção eficiente, com o
projecto dos métodos e não dos equipamentos. Mais recentemente, a engenharia industrial foi
definida como o planeamento, projecto, implementação e melhoria de sistemas consistindo
numa rede de processos através dos quais fluem objectos que sofrem transformações. Estas
actividades são levadas a cabo para o benefício a longo prazo da empresa ou organização.

À medida que as empresas de serviços usam, cada vez mais, a tecnologia como parte de uma
estratégia competitiva, contratam, cada vez mais, pessoal com uma orientação técnica. As
empresa de serviços aperceberam-se que a utilização inteligente da tecnologia pode ajudá-las a
reduzir custos de operação. A mesma ideia aplica-se à informação; é uma arma competitiva. A
engenharia industrial é a especialidade que utiliza a tecnologia para dar um enquadramento a
melhores decisões de gestão.
9

Esse profissional é o típico engenheiro de chão de fábrica, que acompanha de perto a


implantação e a manutenção da infra-estrutura industrial, como redes de água e de gás, pontes e
esteiras rolantes. Ele organiza e administra as instalações industriais, desde a chegada da
matéria-prima à fábrica até o controle de qualidade do produto final, seguindo o cronograma
estabelecido. Faz a ligação entre o engenheiro responsável pelo projeto de máquinas e o de
produção, que cuidada organização do trabalho. Analisa custos, gerencia a mão de obra e
administra o uso de equipamentos e matérias-primas. Pode se dedicara diversos ramos das
engenharias, como mecânica, madeireira ou química.

ENGENHARIA DE PETRÓLEO

Engenharia de petróleo é a área da engenharia que trata de todos os ramos relacionados à


indústria de petróleo e, em particular, aos relacionados à exploração, produção e
comercialização de petróleo e gás natural. Uma vez que estes recursos têm sido descobertos, os
engenheiros de petróleo trabalham com geólogos e outros especialistas para entender a
formação geológica e propriedades da rocha que contém o reservatório, para determinar os
métodos de perfuração a serem utilizados, e para monitorar as operações de perfuração e
produção. Os equipamentos de desenvolvimento e processos para alcançar a recuperação
máxima rentáveis de petróleo e gás. Como apenas uma pequena proporção de petróleo e gás em
um reservatório flui em forças naturais, os engenheiros de petróleo desenvolvem e utilizam
diversos métodos de recuperação melhorada, incluindo a injeção de água, produtos químicos,
gases, vapor ou em um reservatório de petróleo para forçar mais do petróleo e fazer a perfuração
controlada por computador ou fractura ligar um maior espaço de um reservatório para um único
poço. Porque mesmo as melhores técnicas em uso atualmente recuperar apenas uma parte do
petróleo e do gás em um reservatório, a pesquisa de petróleo engenheiros e desenvolver
tecnologias e métodos para aumentar a recuperação destes recursos e reduzir os custos de
perfuração e de produção.

O engenheiro de petróleo e gás atua em petroleiros, refinarias, plataformas marítimas e em


petroquímicas. Com seus conhecimentos em engenharia, geofísica, mineração e geologia, ele
trabalha na descoberta de jazidas de petróleo e de gás natural. É de sua responsabilidade
desenvolver projetos que visem à exploração e à produção desses bens sem prejuízos ao meio
ambiente nem desperdício de material. Além disso, cuida do transporte do petróleo e seus
derivados, desde o local da exploração até a chegada na refinaria.
Também pode atuar em consultorias ambientais e no setor de exportação e importação, fazendo
pesquisas de preços de matérias-primas ou captando compradores. É preciso conhecer a
legislação internacional que regula as atividades ligadas ao petróleo e seus derivados e, como a
maior parte das empresas do setor é estrangeira, é necessário ter fluência em inglês.

ENGENHARIA AGRÓNOMA

Engenheiros agrônomos aplicam seus conhecimentos de tecnologia de engenharia e ciência à


agricultura e à utilização eficiente dos recursos biológicos. Assim, eles também são chamados
de biológicos e agrícolas como engenheiros. Eles projetam máquinas agrícolas, equipamentos,
sensores, processos e estruturas, tais como aqueles usados para o armazenamento da colheita.
Alguns engenheiros especializados em áreas como sistemas de energia e desenvolvimento de
máquinas, engenharia estrutural e ambiental, alimentos e engenharia de bioprocessos. Eles
desenvolvem maneiras de conservar o solo e a água e melhorar a transformação de produtos
agrícolas. Os engenheiros agrícolas muitas vezes trabalham em pesquisa e desenvolvimento,
produção, vendas ou gestão.
10

ENGENHARIA AERONÁUTICA

É o ramo da engenharia que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves e do


gerenciamento de atividades aeroespaciais. Aqueles que trabalham com aeronaves são
chamados de engenheiros aeronáuticos, e aqueles que trabalham especificamente com naves
espaciais são engenheiros astronáutica. O engenheiro aeronáutico envolve-se no projeto e na
construção de todos os tipos de aeronave, como aviões, helicópteros, foguetes e satélites. Esse
profissional é fundamental para a segurança de qualquer vôo. É ele o responsável pelo processo
de manutenção, pela realização de reparos e pelas inspeções periódicas da estrutura e dos
equipamentos, como asas, motores e fuselagem. Cuida também dos sensores e instrumentos de
controle. Além de fabricar aviões, pode gerenciar obras e serviços ligados à infra-estrutura
aeronáutica, como a construção de aeroportos, o planejamento de linhas e o gerenciamento de
tráfego aéreo.

Fazem parte da formação básica de um engenheiro aeronáutico disciplinas de cálculo, geometria


analítica, álgebra, Equação diferencial ordinária, Física, Química, Eletricidade e Magnetismo,
Estatística e Dinâmica.

ENGENHARIA ELETRÔNICA

A engenharia eletrônica é a especialidade das engenharias que lida com a energia elétrica
essencialmente no modo de controle, trabalhando, por essa razão, mais com grandezas elétricas
de pequena amplitude e de elevadas frequências, os chamados sinais elétricos ou eletrônicos.
Nisso reside a sua distinção com respeito à engenharia elétrica, da qual é uma subdivisão:

• Engenharia eletrotécnica: cuida da energia elétrica sob os macro-aspectos de geração,


transmissão e distribuição (o trio GTD, embora, às vezes se inclua a comercialização
nesse rol), por assim dizer em "grandes quantidades, destinadas ao suprimento massivo
de energia elétrica em nível industrial, comercial, institucional residencial e público,
para as utilidades primordiais de força motriz, iluminação e termoconversão
(aquecimento e/ou resfriamento)", enquanto…
• Engenharia eletrônica: cuida da energia elétrica sob os micro-aspectos de controle,
automação e telecomunicação (o trio CAT, embora se costume incluir também a
informatização sob a óptica físico-instrumental ou de hardware nesse rol).

Engenheiros eletrônicos, com exceção do computador, são responsáveis por uma grande
variedade de tecnologias de leitores de música portáteis ao sistema de posicionamento global
(GPS), que pode fornecer continuamente o local, por exemplo, um veículo. Engenheiros
eletrônicos tendem a desenvolver, testar e supervisionar a fabricação de equipamentos
eletrônicos, tais como broadcast e sistemas de comunicações. Muitos engenheiros eletrônicos
também trabalham em áreas estreitamente relacionadas com a informática. No entanto,
engenheiros, cujo trabalho está relacionado exclusivamente ao hardware do computador são
considerados engenheiros de hardware do computador. Engenheiros eletrônicos especializados
em áreas como as comunicações, processamento de sinais e sistemas de controle ou tem uma
especialidade dentro de um desses sistemas de áreas de controle ou eletrônica de aviação, por
exemplo.

ENGENHARIA DE HARDWARE
11

Hardware investigação engenheiros, projetar, desenvolver, testar e supervisionar a fabricação e


instalação de hardware de computador, incluindo chips de computador, placas de circuitos,
sistemas de computadores e equipamentos relacionados, tais como teclados, roteadores e
impressoras. O trabalho de engenheiros de hardware de computador é semelhante ao dos
engenheiros eletrônicos na medida em que pode conceber e teste de circuitos e outros
componentes eletrônicos, no entanto, os engenheiros de hardware de computador do que
trabalhar apenas no que se refere aos computadores e equipamentos de informática. Os rápidos
avanços na tecnologia dos computadores são em grande parte resultado da pesquisa,
desenvolvimento, design e esforços desses engenheiros.

ENGENHARIA DE MATERIAIS

A Engenharia de Materiais é um ramo da engenharia em que os conhecimentos de física e


química são, sobretudo, utilizados no estudo, planejamento, produção, entre outros, de materiais
(tradicionais ou avançados) para as mais diversas aplicações. Cabe ao engenheiro de materiais
estudar a estrutura, as propriedades, as aplicações, o processamento e o desempenho de
materiais novos ou já existentes, nas áreas de metais, polímeros, cerâmicos ou compósitos.

Os engenheiros de materiais estão envolvidos no desenvolvimento, processamento e análise de


materiais usados para criar uma gama de produtos, a partir de chips de computador e asas de
aviões a campos de golfe e esqui na neve. Eles trabalham com metais, cerâmicas, plásticos,
semicondutores e compósitos para criar novos materiais que atendam a determinados requisitos
da química, mecânica e elétrica. Eles também estão envolvidos na seleção de materiais para
novas aplicações. Engenheiros de materiais têm desenvolvido a habilidade de criar e, em
seguida, o estudo de materiais em nível atômico, utilizando processos avançados para
reproduzir as características dos materiais e componentes de computadores. A maioria dos
engenheiros especializados em materiais de uma determinada matéria. Por exemplo,
engenheiros metalúrgicos especializados em metais como aço, cerâmica e engenheiros
desenvolver materiais cerâmicos e os processos para torná-los em produtos úteis, tais como
copos ou linhas de comunicação de fibra óptica.

Conclusão

A engenharia divide-se, na prática, em diversas especialidades, ou modalidades. Entretanto,


todas as tentativas de enumerar as muitas especializações da engenharia contemporânea são
sempre provisórias, pois, mesmo enquanto se faz o levantamento, uma nova especialidade pode
ter surgido. Todas as modalidades têm em comum a aplicação dos conhecimentos científicos
12

quantificáveis a respeito de fenômenos naturais, sobre os quais se podem aplicar, com maior ou
menor complexidade, os recursos das técnicas matemáticas.
13

Bibliografia

Pesquisa Google - wikipedia

Rio de Janeiro, 12 de abril de 2010.

Nome: Carlos Eduardo Soares Moreira Turma:E312M