Você está na página 1de 38

Capivaras

Nathália Lira Jansen Melo


Introdução
A grande vantagem da criação de
capivara é sua rusticidade e facilidade de
manejo. A demanda por sua carne é
muito boa e os preços compensadores, já
o comércio de couro começa a se
intensificar com a difusão do produto.
Características
Classificação

O nome capivara deriva-se da palavra tupi


Kapi-wara, mas ela pode ser também
conhecida por diversos outros nomes
regionais, como: carpincho, chiguire,
capybara, poncho e ronsoco. Sua
classificação zoológica:
- classe: Mammalia;
- ordem: Rodentie;
- família: Hydrochoeridae;
- gênero e espécie: Hydrochoerus
hydrochaeris

Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris).


Características Biológicas

A capivara é o maior roedor atualmente


vivo. Chega a medir 1,30m de
comprimento e 0,60m de altura. E pode
pesar até 100Kg, mas seu peso médio é
de 50Kg para as fêmeas e 60Kg para os
machos, recoberto pelo seu pêlo
castanho-escuro.
O corpo compacto, as pernas
relativamente curtas, e a ausência da
cauda, tornam a aparência desse animal
silvestre semelhante a de um preá,
apesar do tamanho avantajado.
A cabeça é grande, com orelhas e olhos
localizados bem no alto, o que facilita ao
animal a permanência dentro d’água e
suas patas tem membrana natatória, que
torna mais eficiente o ato de nadar.
Habitat
Largamente distribuídas pelo Brasil, as
capivaras são animais de hábitos
gregários (vivem em grupos), semi-
aquáticos e crepusculares. Vivem em
local com densa vegetação associada a
charcos, lagos, rios, córregos, banhados e
pântanos.
A capivara é um animal que precisa de
água (para beber, nadar, mergulhar,
comer, proteger-se), terra seca para
descansar e vegetação para pastar.
Comportamento
As capivaras possuem hábitos diurnos,
mas, com a presença do homem, podem
adquirir hábitos noturnos. São animais
com comportamento lento, que passam o
dia inteiro se banhando, pastando ou
dormindo, andam devagar, comem
vagarosamente e podem permanecer por
horas na mesma posição.
Vivem, normalmente, em grupos
familiares, que podem ter de dois a trinta
indivíduos. Cada grupo forma um núcleo
familiar, constituído pelos animais adultos
que se uniram no inicio e seu filhotes.
Uma vez estruturado, o grupo torna-se
fechado, não permitindo mais a entrada
de outros adultos.
Capacidade produtiva

Nas condições naturais do campo e em


comparação aos bovinos, as capivaras
são seis vezes mais eficientes na
capacidade reprodutora. Já nas
experiências de criação em cativeiro,
podemos destacar, as capivaras, nos
seguintes quesitos:
• Alta capacidade reprodutiva (até dois
partos ao ano);
• Alta taxa de sobrevivência das crias
desmamadas;
• Facilidade de sua criação em cativeiro.
Manejo Reprodutivo
A maturidade sexual é atingida entre 15 e
vinte e 24 de vida, quando o animal pesa
cerca de 30 e 40Kg.
Em cativeiro, este período de maturação
costuma ser mais curto.
Reprodução em cativeiro

Dando preferência aos animais mais


jovens, junta-se um macho para cada
cinco fêmeas. Com isso, observa-se os
períodos de cruzamento, fazendo a
identificação das fêmeas.
É interessante que se evite o manejo das
fêmeas prenhes.
O ritual da corte

O macho percebe o cio da fêmea por


estímulos olfativos e pode estimulá-la
tocando a sua genitália e a região anal
com a boca. Ele então, dirige-se para a
água continuando o cortejo e lá executa
vários tipos de nado.
Em terra, a fêmea acompanha os
movimentos do macho, até se sentir
atraída e seguir para a margem do rio.
Quando, finalmente, entra na água rasa,
onde ocorre a cópula, que dura
aproximadamente cinco segundos, mas o
casal pode repetir o ato sexual até quinze
vezes.
Gestação e parto
O período de gestação varia de 120 a 140
dias. Uma fêmea adulta pode ter mais de
uma cria por ano, variando o número de
filhotes de dois a seis em cada ninhada.
Próximo à época de nascimento dos
filhotes, a fêmea aparta-se do grupo,
procurando um lugar abrigado para fazer
o ninho com capim e folhas. Nesse ninho,
os filhotes permanecem entre dois e
quatro dias.
Manejo Sanitário
Por ser um animal silvestre rústico, a
capivara é muito mais resistente à
doenças, do que os demais animais
domésticos. Mas quando mantida em
cativeiro, pode apresentar algumas
enfermidades e muitas dessas foram
adquiridas de outros animais.
A principal doença que acomete a
capivara é a febre maculosa, que é uma
doença infecciosa aguda, causada por
bactérias de gênero Rickettisia e
transmitida através da saliva de
carrapatos infectados.
Ciclo biológico do carrapato Amblyomma cajenense.
Produtos e Subprodutos
Carne
A comercialização da carne é feita com
maior freqüência na forma de lingüiças e
carne defumada. Os problemas com a
venda da carne fresca se devem ao
cheiro característico que ela apresenta.
Couro
O couro de capivara é bem cotado no
mercado internacional, sobretudo por
suas características:
• Elástico
• Resistente
• Suave
Tornando-se perfeito para a fabricação de
luvas, bolsas, mocassins, entre outros.
A pele curtida no cromo toma-se mais
flexível, macia e resistente á umidade. A
pele de uma capivara tem peso médio de
5,30kg e espessura de 5,5mm. Para os
produtos mais finos, são usadas
principalmente as camadas externas.
Sistemas de criação
Sistema Semi-Extensivo
O sistema semi-extensivo é o mais
eficiente, indicado, principalmente,
quando a propriedade possui condições
naturais favoráveis para a criação.
É necessário então, a construção de um
criatório amplo, em que suas
características, sejam similares as do
habitat natural da capivara.
Os animais ficarão restritos a uma área
completamente cercada, onde existirá um
represamento de água corrente, um rio
com água de qualidade e uma área de
pastagem.
Em media, para este sistema, a
propriedade deve ter 70% de pastos, 15%
de água e 15% de matos e a lotação
recomendada é de 12 a 15 animais por
hectare de pasto.
As desvantagens desse sistema ficam por
conta do alto custo das instalações e por
o índice reprodutivo que diminuir, já que
os animais estão relativamente soltos e
com isso, se reproduzindo com uma
menor freqüência.
Sistema extensivo

Os animais vivem soltos na natureza, para


isso é necessário uma grande extensão
de terra.
O manejo é feito com o fornecimento de
complementos alimentares em pontos
determinados para atrair os animais e,
assim, facilitar o relacionamento.
O custo do sistema é bem econômico,
duas pessoas são o bastante para cuidar
1000 animais.
As desvantagens desse sistema é que o
controle do animal torna-se difícil,
podendo também haver a caça predatória.
Sistema Intensivo

Já nesse sistema, os animais ficam


confinados, sendo ideal para
propriedades pequenas. O alto custo com
instalações, mão-de-obra e alimentação,
são as maiores desvantagens da
metodologia.
Bibliografia
• www.criareplantar.com.br
• www.pubvet.com.br
• www.cpt.com.br
• www.paginarural.com.br

Você também pode gostar