Você está na página 1de 6

Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva

1
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

TEMA DE TRABALHO

Como Utilizar Social Média


Na minha Empresa ??

Trabalho para a disciplina

“Redes de Informação”

Amândio de Oliveira Silva

Curso de Gestão e Sistemas de Informação

2011-03-24
Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva
2
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

1) Apresentação da Empresa PROPEIXE O.P. (Organização de


Produtores)

- Trata-se de uma Cooperativa de Produtores (Armadores) de


pesca do Cerco de Sardinha.
Actividades desenvolvidas

A) – No Plano Institucional (enquanto cooperativa).

A.1) – Coordenação da actividade da pesca dos seus


associados.

A.2) – Acompanhamento da legislação e directrizes


emanadas da U.E. e do Ministério da Agricultura e
Pescas de Portugal.

A.3) – Acompanhamento das inovações tecnológicas e


de processos que possam beneficiar a produtividade e
qualidade nos processos de pesca.

A.4) – Determinar quotas diárias de pescado a


capturar para cada embarcação, em função do
comportamento dos mercados resultantes da
observação diária das vendas em lota (leilão).

B) – No Plano Funcional.

B.1) – Exercer actividades comerciais e industriais.


Actua também como comprador, transformador e
armazenador em frio de sardinha, sendo esta a
actividade de maior representatividade na obtenção
de receitas.

B.2) – Possui uma frota de 72 empilhadores que aluga,


para a descarga e transporte do pescado dentro do
recinto (porto de pesca) o que significa que neste
âmbito possui um mercado restrito, exclusivo, não
extensível a outros sectores.

B.3) – Presta serviços de certificação HACCP aos seus


associados (gratuitos) e mediante pagamento a
outras empresas residentes no porto de pesca.

B.4) – Produz uma linha de fabrico artesanal de


conservas, de valor acrescentado superior à
concorrência, para colocação num nicho de mercado.

Perante este cenário como poderia utilizar


a minha empresa numa rede social divulgando-a ?
Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva
3
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

A empresa como corporação associativa?


A empresa como indústria (compradora e
transformadora de sardinha)?
Apenas como industria de conservas?
Com base no aprendizado das vantagens e desvantagens dos
Social Média e do conhecimento da empresa, deste mercado,
e do meio ambiente que o cerca analisaria os seguintes
pressupostos, em cada um dos sectores em que a empresa
actua.

- A empresa como corporação associativa

Enquanto associação corporativa, a empresa é apenas o


vértice para onde convergem um grupo de associados
(armadores), cada um com a sua razão social independente,
sempre e só para resolução de:

- Conflitos INTRA e EXTRA grupo.


- Intervenções junto das entidades oficiais
(Nacionais e da C.E.).
- Dificuldades de produção.
- Até dificuldades de outra natureza que não
interessa especificar.

Pelas razões expostas (e outras, até pela cultura


individualista sectorial), massificar o seu nome enquanto
associação, acarretaria problemas de diversa ordem, que
prejudicariam a associação, os associados e a actividade
desenvolvida, que poderiam (certamente) vir a desmembrar
um grupo que é coeso (na medida do possível)

- A empresa como indústria? (de peixe fresco e


congelado)

Enquanto indústria, a empresa permanentemente


desenvolve a sua actividade, equilibrando-se numa ténue
fronteira entre a procura do lucro e a concertação dos
interesses dos produtores (armadores) e os outros agentes do
mercado; pelas razões a seguir expostas, facilmente se
percebem os interesses que é necessário gerir:

- Todo o peixe capturado só pode ser vendido em


lota (leilão).
- A empresa é compradora na lota.
- Alguns, apenas alguns, compradores da lota,
( grossistas e conserveiras), são muitas vezes
clientes da empresa; não só de peixe já congelado,
Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva
4
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

como do serviço de congelação do seu próprio


peixe, como até dos serviços de armazenagem frio.
- A empresa tem a incumbência e responsabilidade
de acompanhar a evolução do mercado
estabelecendo (diariamente) quotas de quantidade
de capturas, para evitar especulações e/ou grandes
quebras de preço; exactamente como se de uma
bolsa de valores mobiliários se tratasse.

Por estas razões, enquanto indústria de sardinha fresca e


congelada, tem que exercer a sua actividade num círculo
muito restrito, sem que o seu nome circule livremente pelos
mídia, para evitar que se avolumem alguns dos problemas
que possam surgir.
E mais não é necessário acrescentar… para bom entendedor…

- Apenas como industria de conservas?

Aparentemente, neste sector os problemas e seus


efeitos, seriam idênticos aos expostos “Enquanto indústria
de peixe fresco e congelado”, uma vez que iria concorrer com
outros compradores em lota e seus clientes também – A
indústria conserveira - .

Nesta actividade, quando a empresa resolveu entrar no


mercado, consciente dos problemas que daí poderiam advir,
resolveu-os tomando as seguintes medidas, que tem mantido
e manterá sempre:

- Produzir um produto de qualidade superior;


fabrico artezanal, matéria prima não congelada
previamente, só possível para produções de
quantidades limitadas, se comparadas com todos
os outros fabricantes nacionais, logicamente mais
caras, consequentemente de valor acrescentado
maior.
- No território nacional não venderia a grandes,
médias e até pequenas superfícies que fossem
constituídas por mais do que 2 ou 3
estabelecimentos (apesar dos apelos constantes).
- Só desenvolveria a sua actividade num nicho de
mercado nacional; os mini-mercados, os gourmets e
algumas lojas. Sempre até hoje, na linha costeira
do País.
- Começou recentemente a desenvolver alguma
actividade extra territorial, mas na mesma linha de
não diversificação e se nalguma grande
organização estrangeira, apenas aquelas que
Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva
5
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

possuam sector gourmet. Neste aspecto vai


restringir as vendas a clientes que obedeçam a um
determinado espaço geográfico ou regional.

É por esta razão que não haveria razões que se


opusessem à utilização deste sector (conservas) numa Social
Média.

Neste caso seria uma divulgação que obedeceria às


seguintes regras:

- Divulgar o nome PROPEIXE CONSERVAS.


- Não faria vendas por Ethernet.
- Poderia aceitar estudar algum pedido de compra
desde que quem solicitasse, estivesse dentro das
regras estabelecidas, nacional e
internacionalmente.
- Para o grande público poderia por à disposição um
link onde constaria a lista de estabelecimentos
onde poderiam encontrar, perfeitamente ordenado
por País, Região, Cidade, Empresa.
Assim sendo poria numa(s) rede(s) social(ais) uma
informação do seguinte teor:

Nota: chamo à atenção de que não sou designer mas estou


disposto a comprar sugestões válidas e que me agradem

Conservas directamente do Mar para o Consumidor


Disciplina REDES DE INFORMAÇÂO – Trabalho de Amândio de Oliveira Silva
6
(Como utilizar Social Média na minha Empresa?)

Descubra
os nossos

Catalogo_Propeixe
V2.pdf

REVENDEDOR
ES - CLICK