Você está na página 1de 100

O USO E A OCUPAÇÃO

DO SOLO
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
Organizar o território potencializando as aptidões, as compatibilidades, as contiguidades, as
complementaridades, de atividades urbanas e rurais

Controlar a densidade populacional e a ocupação do solo pelas construções

Otimizar os deslocamentos e melhorar a mobilidade urbana e rural

Evitar as incompatibilidades entre funções urbanas e rurais

Eliminar possibilidades de desastres ambientais.

Preservar o meio-ambiente e a qualidade de vida rural e urbana


Uso e ocupação do solo
• Tópicos da Apresentação:

• O
direito à propriedade
– OPúblico versus oPrivado.
– A função social da propriedade
• As questões urbanas
– A história da Cidade
– O Caos Urbano
– As Cidades Ideais
– A Carta de Atenas
– As regulamentações urbanas
– O Estatuto das Cidades
– O Novo Urbanismo
• A Lei de Uso eOcupação de Solos – O caso Viçosa
Uso e ocupação do solo

O direito à
propriedade
Uso e ocupação do solo
O direito à propriedade na visão romano-cristã, que chegou até nós.

• A propriedade privada, individualista e um


direito natural fruto da Criação
Uso e ocupação do solo

• Santo Agostinho nasceu em 354 d.c


• Obra Confissões em 397 d.c (1.500 anos antes da CF
1988)
Uso e ocupação do solo

• Nestas passagens Santo Agostinho embora


não utilize a expressão clara da função social
da propriedade traz o caráter nítido da
preocupação da terra e sua produtividade.
• Expressa que a terra deve pertencer a todos,
enfim voltada ao atendimento das
necessidades humanas.
Uso e ocupação do solo

• São Tomás de Aquino nasceu em 1221 ( 750 anos


antes da CF de 1988)
• A propriedade privada somente será justificada se for
produtiva.
Uso e ocupação do solo

• Concluiu que o ser humano não é o senhor


absoluto da “natureza das coisas”, porém
pode destruir ou modificá-la como se sua
fosse, contudo deve respeitar a “natureza das
coisas”, expressando um nítido caráter que
atualmente dizemos de preservacionista ou
ambientalista.
Uso e ocupação do solo

• Para uma abordagem laica sobre o direito à


propriedade ver: A Origem da Família, da
Propriedade Privada e do Estado de Friedrich
Engels
Uso e ocupação do solo
.

“O aparecimento da função social da propriedade ou


propriedade função tardou a chegar no Brasil, mas a teoria
do interesse social já na Constituição de 1934, que, como foi
colocado no capítulo 3, garantia o direito de propriedade e ao
mesmo tempo rezava que o mesmo “não poderá ser
exercido contra o interesse social ou coletivo, na forma
que a lei determinar”. Muito embora de forma tímida, a
Carta Política de 1934, além de representar a
constitucionalização do direito de propriedade, introduziu uma
nova dimensão dinâmica para tal direito, disciplinando o
exercício, colocando como limite o interesse social
coletivo.”
Uso e ocupação do solo
A função social da propriedade
“Todo o indivíduo tem a obrigação de cumprir na
sociedade, certa função, em razão direta do lugar que
nela ocupa. Por conseguinte, o possuidor da riqueza,
pelo fato de possuí-la, pode realizar certo trabalho que
somente ele pode cumprir. Só ele pode aumentar a
riqueza geral, assegurar a satisfação das necessidades
gerais, ao fazer valer o capital que possui. Está, pois,
obrigado socialmente a cumprir esta tarefa, e sóno caso
de que a cumpra, será socialmente protegido. A
propriedade não é um direito subjetivo do proprietário. É
a função social do possuidor da riqueza”.
Uso e ocupação do solo
A Função Social da Propriedade
As Constituições Brasileiras desde 1822
• Constituição do Império de 1824 nossa primeira Carta Política, artigo 179, XXII,
mencionava o direito de propriedade, mas “em toda a sua plenitude”, tendo uma
única exceção ceder em relação ao bem público, desde que legalmente verificado
e indenizável.
• Já no período republicano, temos a Constituição de 1891, tendo evoluído
• pouco em relação à imperial e à questão da propriedade somente previu a
questão da desapropriação por necessidade ou utilidade pública,
• Código Civil de 1916, na questão da propriedade limitou-se apenas a regular
alguns casos de necessidade ou utilidade pública para fins de desapropriação
• A Constituição de 1934 já começa a apresentar maior avanço na questão da
propriedade, e apresentava novos conceitos no concernente à liberdade e à
propriedade. Assim, é na Constituição de 1934 que aparece a função social com o
surgimento do interesse social.
• Basicamente após a Constituição de 1934, as demais constituições apresentam
em suas normas o direito de propriedade condicionado à função social.
Uso e ocupação do solo
• Estatuto da Terra Lei nº 4.504 de 1964
• Art.2º É assegurada a todos a oportunidade de acesso à
propriedade da terra, condicionada pela função social, na
forma prevista nesta lei.
• §1º A propriedade da terra desempenha integralmente a
sua função social quando, simultaneamente:
• a)favorece o bem estar dos proprietários e dos
trabalhadores que nela labutam, assim como de suas
famílias;
• b)mantém níveis satisfatórios de produtividade;
• c)assegura a conservação dos recursos naturais;
• d)observa as disposições legais que regulam as justas
relações de trabalho entre os que a possuem e a cultivam “.
Uso e ocupação do solo
A Função Social da Propriedade

• A Constituição de 1988
• A Constituição Federal de 1988 inovou ao abrir o título que trata dos
Direitos e Garantias Fundamentais, em seu art. 5º ao assegurar a todos na
forma da lei direitos fundamentais como: à vida, à liberdade, à igualdade,
à segurança e finalmente à propriedade, que vem tutelado entre estes
valores maiores.
• Finalmente em seu art.5º,:
• inciso XXII, garante o direito de propriedade desde que atenda a
sua função social,
• inciso XXIII, determinando assim o princípio constitucional da função social
da propriedade além do capítulo referente à ordem econômica. Sua
importância em relação às demais constituições se deve ao fato de que
aparece a função social da propriedade como um direito fundamental
como preceitua o art.5º, sendo também uma cláusula pétrea logo,terá o
caráter de imutável.
Uso e ocupação do solo
A Função Social da Propriedade

• O Código Civil de 2000


• O Código Civil de 2002, no art. 1.228, §§ 01 a 04, também
disciplina a maneira como o direito de propriedade deve
ser exercido:

• § 1º O direito de propriedade deve ser exercido em


consonância com as suas finalidades econômicas e sociais e
de modo que sejam preservados, de conformidade com o
estabelecido em lei especial, a flora, a fauna, as belezas
naturais, o equilíbrio ecológico e o patrimônio histórico e
artístico, bem como evitada a poluição do ar e das águas.
Uso e ocupação do solo
O
Estatuto da Cidade
• Lei 10.257 de 10 de julho de 2001

• a política de desenvolvimento urbano, executada pelo Poder Público


municipal, conforme diretrizes gerais fixadas em lei, tem por objetivo
ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e
garantir o bem- estar de seus habitantes.

• Artigo 1º - Parágrafo único. Para todos os efeitos, esta Lei, denominada


Estatuto da Cidade, estabelece normas de ordem pública e interesse
social que regulam o uso da propriedade urbana em prol do bem
coletivo, da segurança e do bem-estar dos cidadãos, bem como do
equilíbrio ambiental.

• Na mesma linha, o artigo 2º da referida lei preceitua que todos devem ter
direito a cidades sustentáveis, entendidas como direito à moradia, ao
saneamento ambiental, à infraestrutura urbana, bem como a bons serviços
de transportes públicos, ao trabalho, ao lazer, preocupando-se não só com
as gerações presentes, mas também com as futuras.
Uso e ocupação do solo

As leis de uso e
ocupação do solo
são “restrições” ao
direito absoluto à
propriedade privada
Uso e ocupação do solo

10 minutos
Uso e ocupação do solo

As
Questões
Urbanas
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
As cidades primitivas
• Uma cidade nasce a partir do
momento em que um
determinado número de pessoas
se instala numa certa região
através de um processo
denominado de urbanização.
Uso e ocupação do solo
As cidades pré-industriais

• As primeiras cidades surgiram na Mesopotâmia


(atual Iraque), depois vieram as cidades do Vale
Nilo, do Indo, da região mediterrânea e Europa e,
finalmente, as cidades da China e do Novo Mundo.

• A maior parte dos historiadores, afirma que Roma,


na Itália, há cerca de 2 500 anos alcançou a marca
de 1 milhão de moradores durante a República,
período que durou de 509 a.C. a 27 a.C. e que
manteve a condição de maior cidade do mundo até
o século 19.
Uso e ocupação do solo

As cidades pré-industriais

A cidade pré-industrial caracteriza-


se pela simplicidade das
estruturas urbanas, economia
artesanal organizada em
base familiar e dimensões restritas.
Uso e ocupação do solo
• As cidades industriais

• Como vimos, embora as primeiras cidades tenham aparecido há


mais de 3.500 anos a.C., o processo de urbanização moderno
teve início no século XVIII, em conseqüência da Revolução
Industrial, desencadeada primeiro na Europa e, a seguir, nas
demais áreas de desenvolvimento do mundo atual. No caso do
Terceiro Mundo, a urbanização é um fato bem recente. Hoje, quase
metade da população mundial vive em cidades, e a tendência é
aumentar cada vez mais.

• NosPaíses capitalistas desenvolvidos a maior parte já atingiu


índices bastante elevados e, praticamente, máximos de
urbanização. A tendência, portanto, é de estabilização em torno de
índices entre 80 e 90%, embora alguns já tenham ultrapassado os
90%.
Uso e ocupação do solo

• As cidades industriais
• A cidade subordinou o campo e estabeleceu
uma divisão de trabalho segundo a qual cabe
a ele fornecer alimentos e matérias-primas a
ela, recebendo em troca produtos
industrializados, tecnologia etc.
Uso e ocupação do solo

As cidades industriais
Mas o fato de o campo ser subordinado à
cidade não quer dizer que ele perdeu sua
importância, pois não podemos deixar de
levar em conta que:
• P
or não ser auto-suficiente, a sobrevivência da
cidade depende do campo;
• Quanto maior a urbanização maior a
dependência da cidade em relação ao campo
no tocante à necessidade de alimentos e
matérias-primas agrícolas.
Uso e ocupação do solo

As cidades industriais

O
caos urbano
Uso e ocupação do solo
As cidades industriais

O
caos urbano
Uso e ocupação do solo
As cidades industriais

O
caos urbano
Uso e ocupação do solo

As cidades Ideais
( A sociedade ideal)

OConceito de Cidade

Que tipo de cidade queremos?


Uso e ocupação do solo
As cidades Ideais
Utopias Urbanas

• O mito de Atlântida e a sociedade


Ideal dePlatão e as utopias da
Antiguidade

• A Cidade de Deus de Santo Agostinho


e as utopias religiosas do feudalismo
Do artigo “Utopias Urbanas” de Barbara Freitag
Uso e ocupação do solo
As cidades Ideais
Utopias Urbanas

• A utopia renascentista de Thomas


Morus: Utopia: a ilha da cidade e da
sociedade ideal
• A utopia socialista de Charles Fourier
e Godin: O Falanstério e o Familistério
do século XIX
Do artigo “Utopias Urbanas” de Barbara Freitag
Uso e ocupação do solo
As cidades Ideais
Utopias Urbanas

• Cidades Jardim: Goiânia


Uso e ocupação do solo
As cidades Ideais
Utopias Urbanas

• La ville radieuse de Le
Corbusier e as outras utopias
da Carta de Atenas
Do artigo “Utopias Urbanas” de Barbara Freitag
Uso e ocupação do solo
As cidades Ideais
Utopias Urbanas

• Brasília :Utopia e Realidade


Do artigo “Utopias Urbanas” de Barbara Freitag
Uso e ocupação do solo

20 minutos
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas

A CARTA DE ATENAS
http://www.icomos.org.br/cartas/Carta_de_Atenas_1933.pdf
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
A Carta de Atenas

• A visão sanitarista e conjunto de medidas adotadas para


propiciar as condições higiênicas indispensáveis para
garantir a qualidade de vida urbana. (hoje meio-ambiente)
• O estudo científico, sistemático e multidisciplinar das cidades,
suas funções e da questão urbana.
• A consolidação do Urbanismo como a disciplina e a atividade
relacionadas com o estudo, regulação, controle e
planejamento da cidade (em seu sentido mais amplo) e da
urbanização.
• O desenho urbano como a forma de garantir uma cidade
humanizada.
• A Sociedade e a Cidade modernas.
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
A CARTA DE ATENAS
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
A CARTA DE ATENAS
OPúblico e o Privado
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
A CARTA DE ATENAS
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
A CARTA DE ATENAS
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
A CARTA DE ATENAS
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
• O Código Florestal de 1965
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
• O Código Florestal de 1965
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
• A Lei 6.766/79 e o parcelamento urbano
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
Uso e ocupação do solo
Regulamentações Urbanas Modernas
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
Zoneamento Rural
Uso e ocupação do solo
Zoneamento Rural
Uso e ocupação do solo
Zoneamento Ambiental
Uso e ocupação do solo

Os grandes problemas
urbanos da atualidade
Uso e ocupação do solo
A favelização
Uso e ocupação do solo
A explosão do transporte individual
Uso e ocupação do solo
A priorização do transporte individual privado
Uso e ocupação do solo
Opção por apenas um modal para o transporte público
Uso e ocupação do solo
A falta de transporte público de massa
Uso e ocupação do solo
Desrespeito às leis vigentes
Uso e ocupação do solo
Desequilibro Ambiental
Uso e ocupação do solo
A Especulação Imobiliária Urbana
Uso e ocupação do solo

O novo urbanismo
pós Carta de Atenas
Uso e ocupação do solo
O novo urbanismo pós Carta de Atenas
Resumo:

Os 10 princípios do novo urbanismo são:

1. facilidade para pedestres,


2. conectividade,
3. uso misto
4. diversidade,
5. diversificação das moradias,
6. qualidade do projeto arquitetônico e urbanístico,
7. estrutura de um bairro tradicional,
8. aumento da densidade,
9. transporte público ambientalmente adequado,
10. sustentabilidade e qualidade de vida.
Uso e ocupação do solo
O novo urbanismo pós Carta de Atenas
A cidade para o homem e não para a Máquina
Uso e ocupação do solo

30 minutos
Uso e ocupação do solo
O Estatuto da Cidade
Uso e ocupação do solo
O Estatuto da Cidade
Princípios

• O princípio da função social da propriedade urbana


• O direito à Cidade
• A gestão democrática e a participação popular como
fundamentos da gestão e do planejamento das cidades
Uso e ocupação do solo
OPlano Diretor
Princípios

• A repartição dos ônus e benefícios da urbanização


• O Urbanismo como função pública
• A função social do imóvel urbano
• A função social da cidade
Uso e ocupação do solo
O Estatuto da Cidade , OPlano Diretor e os direitos
Direito:

• À moradia
• À Saúde
• Ao Saneamento Básico
• À Educação
• À Cultura
• Aos Esportes
• À Assistência Social
• À segurança
• À Mobilidade e Transporte
• Ao Desenvolvimento econômico urbano e rural
• Ao desenvolvimento agrário
• Ao desenvolvimento do turismo
• À preservação do ambiente e ao desenvolvimento sustentável
• AoPatrimônio Edificado de InteressePúblico
Uso e ocupação do solo
O
Plano Diretor
Conteúdo:

Diagnóstico Técnico e Participativo


DPC – Deficiências,Potencialidades e Condicionantes
Prognóstico
Cenários de desenvolvimento
Vetores de Crescimento
Zoneamento
Sistema Viário
Instrumentos e Ações
Lei doPlano Diretor
Códigos complementares
Ações Emergenciais
P
lanos setoriais
P
rogramas eProjetos
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
O
rdenamento do Território Municipal
• Objetivos
• Orientar e estimular o desenvolvimento urbano;
• P
reservar as características urbanas que conferem a identidade a
Viçosa;
• P
ermitir o desenvolvimento racional e integrado do aglomerado
urbano;
• Assegurar concentração urbana equilibrada, mediante o controle
do uso e do aproveitamento adequado do solo;
• Dividir o território municipal em zonas diferenciadas em função
das normas contidas nesta lei;
• Assegurar as reservas de áreas necessárias à expansão, em
conformidade com o planejamento físico-territorial urbano;
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

O
rdenamento do Território Municipal
• Objetivos
• Minimizar conflitos entre usos e atividades incompatíveis ou
inconvenientes;
• Aproveitamento socialmente justo e racional do solo;
• Utilização compatível com a capacidade de atendimento dos
equipamentos e serviços públicos
• Utilização adequada dos recursos naturais disponíveis, bem
como proteção, preservação e recuperação do ambiente natural
e edificado;
• P
lena adequação aos seus fins, sobretudo em se tratando de
propriedade pública;
• Utilização do bem em conformidade com as funções sociais da
cidade.
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

A Ocupação e o Uso do Solo


• Definições e a Classificação dos Usos
1. Residencial
2. Comercial e de Serviços
3. Institucional
4. Industrial
5. Especial
6. Mista
7. Agrário
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Usos
• Permitidos
• Não-Permitidos
• Tolerados
– Anexo I – Listagem de Categorias de Uso
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Áreas não-edificantes
• Nas áreas urbanas e rurais, as faixas de terrenos situadas ao
longo das águas correntes e dormentes, a distâncias nunca
inferiores a trinta metros das margens, observando maiores
exigências das normas aplicadas à matéria.
• Ao longo de redes adutoras de água, emissários de esgotos
sanitários e galerias de águas pluviais, as faixas serão no
mínimo de quatro metros à partir do eixo das tubulações e
galerias.
• Ao longo de toda a malha ferroviária, dentro do município, as
faixas não-edificantes serão de no mínimo de quinze metros,
a partir da borda externa dos trilhos, salvo maiores exigências
das normas aplicadas à matéria.
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Áreas Especiais
• Área de Proteção Ambiental
• Área de Proteção Permanente
• Área de Risco
• Área de Especial Interesse Social
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Usos especiais
• Postos de serviço para veículos
automotores
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Parâmetros Urbanísticos
• Taxa dePermeabilização
– P
ercentual da área de cada terreno e terá valor específico
para cada zona, destinada a prover cobertura do terreno
com vegetação ou qualquer outro material permeável que
contribua para o equilíbrio climático e propicie alívio para o
sistema público de drenagem urbana.

• Coeficiente de Aproveitamento
– É o número que multiplicado pela área do lote, determina
a área máxima permitida para edificação e terá um valor
numérico específico para cada zona. (solo criado)
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Taxa dePermeabilização
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Coeficiente de Aproveitamento
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Parâmetros Urbanísticos

• Taxa de Ocupação
– É o percentual da área do lote que pode ser ocupado por
construção e terá um valor específico para cada zona.

• Afastamentos
• É a distância mínima que as construções devem ter dos
logradouros públicos sejam ruas ou estradas e dos
confrontantes laterais e de fundo.

• Há ainda os afastamentos obrigatórios dos cursos d’água


exigidos pelo código florestal e pela lei 6.766/79.
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Taxa de Ocupação
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Afastamentos
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Parâmetros Urbanísticos
• Gabaritos e subsolo
– Gabarito é o número total de pavimentos da edificação,
excluídos apenas os pavimentos do subsolo.
– Subsolo é o pavimento que está abaixo do primeiro
pavimento, dito térreo.
• Estacionamentos
– Áreas construídas ou não destinadas ao estacionamento
de veículos de usuários da edificação, podendo também,
em alguns casos específicos, serem alugadas para
terceiros.
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Gabaritos
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Parâmetros Urbanísticos
• Subsolo
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Macro-Zoneamento
• Sede
• Distritos (Três)
• Universidade Federal de Viçosa
• Zona Rural
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Zoneamento
• Critérios:
1. A oferta da infraestrutura urbana
2. O adensamento populacional pretendido
3. A adequação do uso às características do solo
4. O equilíbrio urbano
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Zoneamento
• Zonas

1. ZR – Zona Residencial com quatro sub-tipos


2. ZC – Zona Central
3. CM – Corredor Misto
4. APA – Área deProteção Ambiental
5. ZI –Zona Industrial
6. ZUF – Zona da Universidade Federal de Viçosa
7. ZPT – Zona doParque Tecnológico de Viçosa
8. ZEIS – Zona de Especial Interesse Social
9. ZRU – Zona Rural

• Anexo IV – Zoneamento da Área Urbana


Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa
Zoneamento

• Instrumentos dePolítica Urbana


1. Parcelamento, Edificação ou Utilização Compulsórios,
IPTUProgressivo no tempo e desapropriação com pagamento
em títulos da dívida pública.
2. Concessão de Uso Especial para fins de Moradia
3. Direito dePreempção
4. Outorga Onerosa ( Solo criado)
5. Operações Urbanas Consorciadas
6. Transferência do Direito de Construir
7. Estudo de Impacto de Vizinhança
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Instrumentos de Política Urbana

• Planejamento e Gestão da Política Urbana


1. COMPLAM
2. IPLAM
3. Controle Urbano
Uso e ocupação do solo
Lei de Ocupação,Uso e do Solo e Zoneamento
Caso Viçosa

Instrumentos de Política Urbana

• Participação Popular
1. Encontro da Cidade
2. Assembléias Territoriais dePolítica Urbana
3. FMPU
4. OrçamentoParticipativo
5. Audiências, Debates e ConsultasPúblicas
6. IniciativaPopular
Uso e ocupação do solo
RESUMO
O
instrumento de Uso eOcupação do Solo é fundamental
para o ordenamento do território Municipal.

Ele está condicionado:

• ao Direito dePropriedade
• à Função Social daPropriedade.
• às características do território da cidade e do município
• ao Conceito de Cidade, isto é que tipo de cidade queremos
• aos princípios do urbanismo e do planejamento urbano
• ao Estatuto da Cidade
• aoPlano DiretorParticipativo
Uso e ocupação do solo

40 minutos
Uso e ocupação do solo

Obrigado!
Arquiteto AguinaldoPacheco

aguinaldopacheco47@gmail.com

031-9254-0836
Blogs
Viçosa Cidade Aberta
http://vicosacidadeaberta.blogspot.com

http://aguinaldopachecoarquiteto.blogspot.com