P. 1
Ação Penal - RESUMO DE ESTUDOS (1)

Ação Penal - RESUMO DE ESTUDOS (1)

|Views: 4.015|Likes:
Publicado porDefalla71

More info:

Published by: Defalla71 on Mar 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/12/2013

pdf

text

original

RESUMO DE ESTUDOS ² AÇÃO PENAL FONTES: APOSTILA PROF. DAMÁSIO / CÓD. PENAL ART.100 (...) / CPP ART 24 (...

) / YOUTUBE VIDEOAULA PROF. FLÁVIO MARTINS, SÉRIE PROVA FINAL (TV JUSTIÇA)

AÇÃO PENAL: É o Direito de punir do Estado, o Jus Puniendi, que se materializa através da ação penal, através do pleito ao poder judiciário. 1- AÇÃO PENAL PÚBLICA: Titular é o Ministério Público. (CF, Art.
129, I)

Petição inicial: começa com a Denúncia. 1.1 1.2 Incondicionada: não precisa de nenhuma autorização; Condicionada: precisa de autorização: representação do ofendido ou requisição do Ministro da Justiça.

Princípios da Ação Pública:  Obrigatoriedade (MP é obrigado a oferecer a denúncia), exceto por Discricionariedade regrada (exceção), pode fazer ´acordoµ com o acusado para não haver a ação, em crime de menor potencial ofensivo;  Indisponibilidade: o MP não pode desistir do processo ;  Oficialidade: MP é órgão oficial, titular da ação;  Intranscendência: somente o autor poderá ser processado penalmente. Diferente da esfera civil.

REPRESENTAÇÃO DO OFENDIDO: y Prazo para Representação do ofendido: 6 meses a partir do conhecimento da autoria. y Forma Representação do ofendido: não tem forma, pode ser verbal, escrita, etc. y Direito de Representação: é transmitido para o CADI (macete, nessa ordem): Cônjuge, ascendente, descendente e irmão. y Retratação da representação: pode se retratar da representação (voltar atrás), até o oferecimento da denúncia. Exceção: Lei Maria da Penha, só pode se retratar perante o juiz, antes do recebimento da denúncia.

injúria racial. Falta de justa causa: falta de provas. Personalíssima: somente a vítima e ninguém mais. Quando o juiz pode rejeitar a denúncia (igual na queixa): Inépcia da queixa: não preenche os requisitos legais.) 2. 2. Se o querelante é negligente e não toma as atitudes necessárias ao processo.2 Propriamente dita (regra): passa ao CADI. Petição inicial: Queixa ou queixa-crime. ocultação de impedimento matrimonial). morte do ofendido (CADI não dá andamento ao processo por 60 dias). auxiliando. no final do process o o . O MP poderá aditar o processo. Falta de pressuposto processual: a competência não é do juízo.1 2. Presidente da República/Chefes de Estados estrangeiros. Prazo de 6 meses a partir da inércia do MP. é causa de extinção da punibilidade. Não dá andamento ao processo em 30 dias seguidos. (Crimes contra à honra em geral estão aqui classificados . se morrer extingui-se a punibilidade (Somente Induzimento em erro essencial. Prazo: 6 meses a partir do conhecimento da a utoria.AÇÃO PENAL DE INICIATIVA PRIVADA: Titular é o ofendido ou seu representante legal. Há divergências.) y Prazo da Requisição do Ministro da Justiça: não há prazo. Privada subsidiária da pública: se o promotor não oferecer a denúncia no prazo legal (5 dias se preso / 15 dias solto). y Retratação da Requisição do Ministro d a Justiça: a Lei não diz nada. 2.REQUISIÇÃO DO MINISTRO DA JUSTIÇA: (Ex: crime contra à honra do presidente ou chefes de Esta do.3 Perempção: SOMENTE na ação privada (Cuidado com pegadinhas falando sobre pública). o querelante não comparece sem dar justo motivo. enquanto o crime não prescrever. Falta de condição da ação: a parte não é legí tima ou ação é pública. Damásio de Jesus defende que pode se retratar. Exceções: contra funcionário público.

a qualificação do acusado ou sinais característicos pelos quais se possa identificá lo. durante o processo. Diferente da esfera civil. a vítima deverá processar todos.. se for de seu interesse. perempção. Quando o juiz pode rejeitar a queixa (igual na denúncia): Inépcia da queixa: não preenche os requisitos legais. Unilateral (não precisa aceite do criminoso). classificação do crime. Princípios:  Oportunidade e conveniência (contrário da pública): o ofendido oferece se quiser. etc.querelante não pede condenação.  Intranscendência (este vale para pública e p rivada): somente pode-se processar criminalmente o autor do crime. OBS: Tanto Denúncia quanto queixa têm os mesmos pré -requisitos.. Perdão: depois da queixa.. Bilateral (enseja aceite do criminoso). Rol de testemunhas. Renúncia x Perdão: Expressos (quando houver declaração assinada pelo querelante) Ou Tácitos (Quanto a atitude do querelante for incompatível com a vontade de processar. Ou processa todos ou não processa ninguém. havendo dois ou mais criminosos. Falta de condição da ação: a parte não é legíti ma ou ação é pública. Ex: Namoro. amizade. Ambas se extendem a todos os processados (indivisibilidade).  Disponibilidade (contrário da pública): ofendido pode desistir da ação penal (perdão. se extingue sem deixar sucessores. Renúncia x Perdão: Exclusivas da ação privada. Falta de justa causa: falta de provas.).. quando pessoa jurídica.) Renúncia: antes da queixa. . 41/CPP: Exposição Minunciosa dos fatos. Falta de pressuposto processual: a competência não é do juízo. Art.  Indivisibilidade (contrário da pública).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->