Você está na página 1de 128

fÌsica

mec‚nica

QUEST’ES DE VESTIBULARES

2009.1 (1 o semestre)

2009.2 (2 o semestre)

CINEM£TICA

sum·rio

VESTIBULARES 2009.1

2

VESTIBULARES 2009.2

26

LEIS DE NEWTON

VESTIBULARES 2009.1

33

VESTIBULARES 2009.2

53

ENERGIA

VESTIBULARES 2009.1

61

VESTIBULARES 2009.2

88

GRAVITA« O

VESTIBULARES 2009.1

96

VESTIBULARES 2009.2

101

EST£TICA

VESTIBULARES 2009.1

104

VESTIBULARES 2009.2

107

HIDROST£TICA

VESTIBULARES 2009.1

108

VESTIBULARES 2009.2

122

HIDRODIN¬MICA

VESTIBULARES 2009.1

127

VESTIBULARES 2009.2

128

japizzirani@gmail.com

MEC¬NICA:

CINEM£TICA

VESTIBULARES 2009.1

VESTIBULARES 2009.2 P£G. 26

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D Segundo o modelo simplificado de Bohr, o elÈtron do ·tomo de hidrogÍnio executa um movimento circular uniforme, de raio igual

a 5,0 10 ñ11 m, em torno do prÛton, com perÌodo igual a 2 10 ñ15 s. Com o mesmo valor da velocidade orbital no ·tomo, a dist‚ncia, em quilÙmetros, que esse elÈtron percorreria no espaÁo livre, em linha reta, durante 10 minutos, seria da ordem de:

a) 10

b) 10

c) 10

*d) 10 5

2

3

4

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C Os gr·fico s1e2 representam a posiÁ„o S de dois corpos em funÁ„o do tempo t.

a posiÁ„o S de dois corpos em funÁ„o do tempo t. No gr·fico 1, a funÁ„o
a posiÁ„o S de dois corpos em funÁ„o do tempo t. No gr·fico 1, a funÁ„o

No gr·fico 1, a funÁ„o hor·ria È definida pela equaÁ„o .

1, a funÁ„o hor·ria È definida pela equaÁ„o . Assim, a equaÁ„o que define o movimento

Assim, a equaÁ„o que define o movimento representado pelo gr·fico 2 corresponde a:

a) b) *c) d)
a)
b)
*c)
d)

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A Ao se deslocar do Rio de Janeiro a Porto Alegre, um avi„o per-

corre essa dist‚ncia com velocidade mÈdia v no primeiro do

essa dist‚ncia com velocidade mÈdia v no primeiro do trajeto e 2v no trecho restante. A

trajeto e 2v no trecho restante. A velocidade mÈdia do avi„o no percurso total foi igual a:

japizzirani@gmail.com

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C Os gr·ficos I e II representam as posiÁıes S de dois corpos em funÁ„o do tempo t.

as posiÁıes S de dois corpos em funÁ„o do tempo t. No gr·fico I, a funÁ„o
as posiÁıes S de dois corpos em funÁ„o do tempo t. No gr·fico I, a funÁ„o

No gr·fico I, a funÁ„o hor·ria È definida pela equaÁ„ oS=a 1 .t 2 + b 1 .t e, no gr·fico II, porS=a 2 .t 2 + b 2 .t. Admita que V 1 e V 2 s„o, respectivamente, os vÈrtices das curvas traÁadas nos gr·ficos I

e

II. Assim, a raz„o

II. Assim, a raz„o

È igual a:

a)

1

b)

2

*c)

4

 

d)

8

(UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um corpo È lanÁado verticalmente para cima com velocidade ini- cial v 0 . Considerando a orientaÁ„o da trajetÛria de baixo para

cima, os sinais a serem considerados para a velocidade inicial v 0

e a aceleraÁ„o da gravidade g ser„o, respectivamente:

*a) positiva e negativa;

b) positiva e positiva;

c) negativa e positiva;

d) negativa e negativa;

e) faltam informaÁıes para definir os sinais.

(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: C

Em certa ocasi„o, enquanto regava um jardim, um jardineiro per- cebeu que, colocando a saÌda de ·gua da mangueira quase na posiÁ„o vertical e junto ao solo, se ele variasse a inclinaÁ„o com

a qual a ·gua saÌa, ela atingia posiÁıes diferentes, mas nunca

ultrapassava a dist‚ncia horizontal de 9,8 m do ponto de partida.

Com essa informaÁ„o, adotand o g = 10 m/s 2 , desprezando a re- sistÍncia do ar e sabendo que a ·gua sai da mangueira com velocidade escalar constante, pode-se concluir que essa veloci- dade vale, aproximadamente, em m/s,

a) 14.

b) 12.

*c) 10.

d) 8.

e) 6.

2

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um avi„o sobrevoa, com velocidade constante, uma ·rea devas-

tada, no sentido sul-norte, em relaÁ„o a um determinado obser- vador.

A figura a seguir ilustra como esse observador, em repouso, no

solo, vÍ o avi„o.

como esse observador, em repouso, no solo, vÍ o avi„o. Quatro pequenas caixas idÍnticas de remÈdios

Quatro pequenas caixas idÍnticas de remÈdios s„o largadas de um compartimento da base do avi„o, uma a uma, a pequenos

intervalos regulares. Nessas circunst‚ncias, os efeitos do ar pra- ticamente n„o interferem no movimento das caixas.

O observador tira uma fotografia, logo apÛs o inÌcio da queda da

quarta caixa e antes de a primeira atingir o solo.

A ilustraÁ„o mais adequada dessa fotografia È apresentada em:

*a)

mais adequada dessa fotografia È apresentada em: *a) b) c) d) (UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: A A

b)

c)

d)

adequada dessa fotografia È apresentada em: *a) b) c) d) (UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: A A instalaÁ„o
adequada dessa fotografia È apresentada em: *a) b) c) d) (UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: A A instalaÁ„o
adequada dessa fotografia È apresentada em: *a) b) c) d) (UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: A A instalaÁ„o

(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: A

A instalaÁ„o de turbinas eÛlicas È conveniente em locais cuja

velocidade mÈdia anual dos ventos seja superior a 3,6 m/s.

O movimento do ar em um parque eÛlico foi monitorado obser-

vando o deslocamento de partÌculas suspensas durante interva- los de tempos de duraÁ„o irregular.

DESLOCAMENTOS (m)

INTERVALOS DE TEMPO (s)

- 175

35

- 90

18

- 135

27

A partir de uma trajetÛria de origem convenientemente definida e

supondo que o ar se movimente com aceleraÁ„o nula, das fun-

Áıes apresentadas, aquela que pode ser associada ao desloca- mento do ar nessa regi„o È *a) s = 20 - 5 . t

b) s = - 5 + 15 . t

c) s = 10 - 25 . t

d) s = - 20 + 5 . t

e) s = 15 - 30 . t

japizzirani@gmail.com

(FGVRJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C A figura mostra os gr·ficos da velocidade em funÁ„o do tempo de dois rapazes, Jo„o e Pedro, durante uma corrida.

tempo de dois rapazes, Jo„o e Pedro, durante uma corrida. Sobre essa corrida foram feitas trÍs

Sobre essa corrida foram feitas trÍs afirmaÁıes:

I. Entre os instante s t = 0 e t = 2s, os dois rapazes tÍm a mesma

aceleraÁ„o.

II. No instant e t = 14s, os dois rapazes est„o empatados na cor-

rida.

III. Jo„o venceu a corrida.

Com base na an·lise do gr·fico, assinale a alternativa que con- tÈm a(s) afirmaÁ„o(ıes) verdadeira(s).

a) Apenas I.

b) Apenas II.

*c) Apenas III.

d) II e III.

e) I, II e III.

(VUNESP/UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: E Em um local em que as forÁas de resistÍncia do ar podem ser desprezadas e a aceleraÁ„o da gravidade tem intensidade g = 10 m/s 2 , uma pequena esfera foi abandonada a partir do repouso, de uma altura h em relaÁ„o ao solo. Sabendo-se que durante o ˙ltimo segundo de seu movimento de

queda a esfera percorreu uma dist‚ncia de 35 m, È possÌvel afir- mar que a velocidade, em m/s, com que ela chegou ao solo foi de

a) 10.

d) 35.

b) 20.

*e) 40.

c) 25.

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um pacote do correio È deixado cair de um avi„o que voa hori- zontalmente com velocidade constante. Podemos afirmar que (desprezando a resistÍncia do ar):

a) um observador no avi„o e um observador em repouso no solo

vÍem apenas o movimento vertical do objeto.

b) um observador no avi„o e um observador em repouso no solo

vÍem apenas o movimento horizontal do objeto.

c) um observador no solo vÍ apenas um movimento vertical do

objeto, enquanto um observador no avi„o vÍ o movimento hori- zontal e vertical.

d) um observador no solo vÍ apenas um movimento horizontal

do objeto, enquanto um observador no avi„o vÍ apenas um mo- vimento vertical. *e) um observador no solo vÍ um movimento horizontal e vertical do objeto, enquanto um observador no avi„o vÍ apenas um mo- vimento vertical.

3

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Uma bola È lanÁada verticalmente para cima. Podemos dizer que no ponto mais alto de sua trajetÛria:

a) a velocidade da bola È m·xima, e a aceleraÁ„o da bola È ver-

tical e para baixo.

b) a velocidade da bola È m·xima, e a aceleraÁ„o da bola È ver-

tical e para cima.

c) a velocidade da bola È mÌnima, e a aceleraÁ„o da bola È nula.

*d) a velocidade da bola È mÌnima , e a aceleraÁ„o da bola È

vertical e para baixo.

e) a velocidade da bola È mÌnima, e a aceleraÁ„o da bola È verti-

cal e para cima.

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um objeto È lanÁado verticalmente para cima de uma base com velocidad e v = 30 m/s. Considerando a aceleraÁ„o da gravidade

g = 10 m/s 2 e desprezando-se a resistÍncia do ar, determine o

tempo que o objeto leva para voltar ‡ base da qual foi lanÁado.

a) 3 s

*d) 6 s

b) 4 s

e) 7 s

c) 5 s

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: A

Uma famÌlia viaja de carro com velocidade constante de 100 km/

h, durante 2 h. ApÛs parar em um posto de gasolina por 30 min,

continua sua viagem por mais 1h 30 min com velocidade cons- tante de 80 km/h. A velocidade mÈdia do carro durante toda a viagem foi de:

*a) 80 km/h.

b) 100 km/h.

c) 120 km/h.

d) 140 km/h.

e) 150 km/h.

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: A

O ponteiro dos minutos de um relÛgio tem 1 cm. Supondo que o

movimento deste ponteiro È contÌnuo e que = 3, a velocidade de translaÁ„o na extremidade deste ponteiro È:

*a) 0,1 cm/min.

b) 0,2 cm/min.

c) 0,3 cm/min.

d) 0,4 cm/min.

e) 0,5 cm/min.

b) 0,2 cm/min. c) 0,3 cm/min. d) 0,4 cm/min. e) 0,5 cm/min. (PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: C

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: C

O movimento de um objeto pode ser descrito pelo gr·fico veloci-

dade versus tempo, apresentado na figura abaixo.

veloci- dade versus tempo, apresentado na figura abaixo. Podemos afirmar que: a) a aceleraÁ„o do objeto

Podemos afirmar que:

a) a aceleraÁ„o do objeto È 2,0 m/s 2 , e a dist‚ncia percorrida em

5,0 s È 10,0 m.

b) a aceleraÁ„o do objeto È 4,0 m/s 2 , e a dist‚ncia percorrida em

5,0 s È 20,0 m.

*c) a aceleraÁ„o do objeto È 2,0 m/s 2 , e a dist‚ncia percorrida em 5,0 s È 25,0 m.

d) a aceleraÁ„o do objeto È 2,0 m/s 2 , e a dist‚ncia percorrida em

5,0 s È 10,0 m.

e) a aceleraÁ„o do objeto È 2,0 m/s 2 , e a dist‚ncia percorrida em

5,0 s È 20,0 m.

japizzirani@gmail.com

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um objeto È lanÁado verticalmente para cima, de uma base, com velocidad e v = 30 m/s. Indique a dist‚ncia total percorrida pelo objeto desde sua saÌda da base atÈ seu retorno, considerando a aceleraÁ„o da gravidade g = 10 m/s 2 e desprezando a resistÍn- cia do ar.

a) 30 m.

*d) 90 m.

b) 55 m.

e) 100 m.

c) 70 m.

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um satÈlite geoestacion·rio encontra-se sempre posicionado sobre o mesmo ponto em relaÁ„o ‡ Terra. Sabendo-se que o raio da Ûrbita deste satÈlite È de 36 10 3 km e considerando-se =

3, podemos dizer que sua velocidade È:

e considerando-se = 3, podemos dizer que sua velocidade È: a) 0,5 km/s. d) 3,5 km/s.

a) 0,5 km/s.

d) 3,5 km/s.

b) 1,5 km/s.

e) 4,5 km/s.

*c) 2,5 km/s.

(UFG/GO-2009.1) - RESPOSTA: a) 4 meses b) 120 o Sabe-se que a raz„o entre o perÌodo da Terra (T T ) e o de Merc˙- rio (T M ), em torno do Sol, È da ordem de 4. Considere que os planetas Terra e Merc˙rio est„o em Ûrbitas circulares em torno do Sol, em um mesmo plano. Nessas condiÁıes,

a) qual È, em meses, o tempo mÌnimo entre dois alinhamentos

consecutivos dos dois planetas com o Sol?

b) Qual È, em graus, o ‚ngulo que a Terra ter· percorrido nesse

intervalo de tempo?

(PUCPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C

O sistema rodovi·rio ainda È o principal transportador de cargas

agrÌcolas. Na maioria das vezes, È a ˙nica alternativa para movi- mentaÁ„o desse tipo de produto, devido ‡ escassez de hidrovias

e ferrovias que liguem grandes dist‚ncias e, ao mesmo tempo,

situem-se perto das fazendas, com ramais e estaÁıes de embar- que e descarga.

O transporte de cargas agrÌcolas atravÈs da navegaÁ„o costeira

(cabotagem) tem-se mostrado eficaz para a movimentaÁ„o de grandes volumes. No entanto, a utilizaÁ„o da cabotagem como alternativa a outros tipos de transporte enfrenta problemas com

a falta de navio s e a inexistÍncia de serviÁos com escalas regula- res. AlÈm disso, o Brasil possui 42 mil quilÙmetros de hidrovia, mas apenas 10 mil quilÙmetros s„o efetivamente utilizados.

A ineficiÍncia no transporte de produtos agrÌcolas tambÈm est·

presente nas ferrovias que, embora tenham recebido investimento com a privatizaÁ„o, ainda est„o longe de suprir a demanda do setor do agronegÛcio. AlÈm da ampliaÁ„o da malha, È urgente a modernizaÁ„o do maquin·rio. Com os trens e bitolas atuais, a velocidade mÈdia das composiÁıes n„o ultrapassa lentos 25 km/

h.

Analise os itens a seguir e marque a alternativa CORRETA:

a) Suponha que um caminh„o faÁa um percurso de 420 km em 6

h ent„o sua velocidade mÈdia È 2,5 vezes maior que a velocida- de mÈdia dos trens.

b) Se uma carga de soja percorrer, atravÈs de meio rodovi·rio,

uma dist‚ncia de 3000 km com velocidade mÈdia de 60 km/h

pode-se dizer que o percurso ser· feito no m·ximo em dois dias. *c) Se a velocidade dos trens sofresse aumento de 5 km/h na sua velocidade mÈdia, um percurso de 600 km poderia ser reali- zado em 4 horas a menos.

d)

De acordo com estudos, a hidrovi a È o transporte mais barato

e

menos utilizado no Brasil.

Considerando que a velocidade das ·guas de um rio È de 15 km/

h e que um barco est· a 25 km/h em relaÁ„o ‡s ·guas desse

mesmo rio, tem-se que a velocidade do barco em relaÁ„o ‡ terra se, se o barco desce o rio, È de 40m/s.

e) Se uma carga de 20 ton de trigo È transportada por um cami-

nh„o por 10 h, com velocidade mÈdia de 50km/h, e se o custo de

transporte rodovi·rio È de R$ 0, 40 ton/km, o valor de transporte

È de R$ 500,00.

4

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um cachorro caminha, durante 200s, com velocidade constante

de 3,0m/s no sentido de Sul para Norte, e, depois corre, durante 100s, com velocidade constante de 8,0m/s no sentido de Leste para Oeste.

A velocidade vetorial mÈdia do cachorro neste intervalo de tempo

foi de

*a) 3,3m/s

b) 33m/s

c) 5,5m/s

d) 4,7m/s

e) 11m/s

(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: 32 10 6 voltas

No dia 10 de setembro de 2008, foi inaugurado o mais potente acelerador de partÌculas j· construÌdo.

O acelerador tem um anel, considerado nesta quest„o como cir-

cular, de 27 km de comprimento, no qual prÛtons s„o postos a

girar em movimento uniforme.

Fig 2 2009 CIN

s„o postos a girar em movimento uniforme. Fig 2 2009 CIN Supondo que um dos prÛtons

Supondo que um dos prÛtons se mova em uma circunferÍncia de 27 km de comprimento, com velocidade de mÛdulo v = 240.000km/ s, calcule o n˙mero de voltas que esse prÛton d· no anel em uma hora.

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: A Atletas participam de um treinamento para uma maratona cor-

rendo por alamedas planas e retilÌneas de uma cidade, que for- mam quarteirıes retangulares. Um determinado atleta percorre 5 km da primeira alameda no sentido leste, em 30 min.

A seguir, converge ‡ esquerda e corre mais 4 km da segunda

alameda no sentido norte, em 20 min. Por fim, converge nova-

mente ‡ esquerda e corre mais 3 km da terceira alameda no sentido oeste, em 10 min. O mÛdulo de sua velocidade vetorial mÈdia vale, aproximadamente, *a) 4,5 km/h.

b) 5,1 km/h.

c) 12 km/h.

d) 8,5 m/min.

e) 20,0 m/min.

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um garoto, deslizando em seu ìskateî, descreve um movimento

retilÌneo uniformemente variado cujo gr·fico hor·rio da posiÁ„o, em funÁ„o do tempo, est· representado na figura.

A correspondente funÁ„o hor·ria È dada por

a) S = 4 ñ 16.t ñ 4.t 2 .

b) S = 4 + 16.t + 8.t 2 .

*c) S = 20 ñ 16.t + 4.t 2 .

d) S = 20 + 16.t ñ 4.t 2 .

e) S = 20 + 16.t + 8.t 2 .

S = 20 + 16.t ñ 4.t 2 . e) S = 20 + 16.t +

japizzirani@gmail.com

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: D Ao se aproximar de uma curva numa estrada, um motorista, que imprimia a seu veÌculo a velocidade m·xima, diminui uniforme- mente a velocidade atÈ um valor tal que lhe permita percorrÍ-la com seguranÁa em movimento uniforme. Ao final da curva, ele acelera uniformemente atÈ atingir a velocidade m·xima nova- mente, prosseguindo sua viagem. O gr·fico da velocidade, em funÁ„o do tempo, que melhor representa a seq¸Íncia de proce- dimentos realizados pelo motorista È o da alternativa:

a)

b)

c)

*d)

e)

pelo motorista È o da alternativa: a) b) c) *d) e) (VUNESP/UNIVONE-2009.1) - ALTERNATIVA: C As

(VUNESP/UNIVONE-2009.1) - ALTERNATIVA: C As rodas de um automÛvel tÍm di‚metro de 60 cm. Quando o

veÌculo transita a 36 km/h e suas rodas n„o derrapam sobre o piso, a freq¸Íncia com que elas giram È, em Hz, de, aproximada- mente,

a) 16,7.

b) 10,6.

*c) 5,3.

d) 2,7.

e) 1,4.

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: A Num teste de balÌstica, um projÈtil foi lanÁado do solo sob um ‚ngulo (sen = 0,6 e cos = 0,8) retornando ao solo em 6,0 s. Considerando desprezÌvel a resistÍncia do ar e a aceleraÁ„o da

gravidade com o valor 10 m/s 2 , a velocidade de lanÁamento do projÈtil, em m/s , e o respectivo alcance, em m, foram *a) 50 e 240.

b) 50 e 120.

c) 40 e 240.

d) 40 e 120.

e) 30 e 240.

em m/s , e o respectivo alcance, em m, foram *a) 50 e 240. b) 50
em m/s , e o respectivo alcance, em m, foram *a) 50 e 240. b) 50
em m/s , e o respectivo alcance, em m, foram *a) 50 e 240. b) 50

5

(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: A Dois jogadores de futebol A e B seguem paralelamente com a

),

em que a linha reta entre os jogadores forma o ‚ngulo com o sentido de movimento. Em dado instante, o jogador A passa a bola para o jogador B, lanÁada horizontalmente e sem tocar o gramado.

mesma velocidade constante em relaÁ„o ao campo (

gramado. mesma velocidade constante em relaÁ„o ao campo ( Desprezando os efeitos do ar, È correto
gramado. mesma velocidade constante em relaÁ„o ao campo ( Desprezando os efeitos do ar, È correto

Desprezando os efeitos do ar, È correto afirmar que, para a bola chegar atÈ o jogador B, o ‚ngulo de lanÁamento da bola, em relaÁ„o ao sentido de movimento do jogador A, depende apenas *a) do valor de .

b) do mÛdulo da velocidade da bola.

c) do mÛdulo da velocidade dos jogadores.

d) do valor de e do mÛdulo da velocidade da bola.

e) do mÛdulo da velocidade da bola e do mÛdulo da velocidade

dos jogadores.

velocidade da bola e do mÛdulo da velocidade dos jogadores. (VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: B Na tentativa
velocidade da bola e do mÛdulo da velocidade dos jogadores. (VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: B Na tentativa

(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: B Na tentativa de reproduzir uma cena em movimento, com um

projetor de slides, um professor de FÌsica uniu o porta-slides do projetor (raio 10 cm e capacidade para 16 slides) com a roldana de um motor elÈtrico (raio 1cm), por meio de uma correia. Su- pondo que a correia n„o derrape, para projetar em 1 segundo os 16 slides, È necess·rio que o motor tenha a rotaÁ„o, em r.p.m., de

a) 500.

*b) 600.

c) 700.

d) 800.

e) 900.

(UFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: A A figura abaixo mostra um modelo de uma catapulta no instante em que o seu braÁo trav a e o objeto que ele carrega e arremes- sado, isto È, esse objeto se solta da catapulta (a figura È mera- mente ilustrativa e n„o esta desenhada em escala). No instante do lanÁamento, o objeto est· a uma altura de 1,0 m acima do solo e sua velocidade inicial V 0 forma um ‚ngulo de 45 O em relaÁ„o a horizontal. Suponha que a resistÍncia do ar e os efeitos do vento sejam desprezÌveis. Considere a aceleraÁ„o da gravi- dade como sendo de 10 m/s 2 . No lancamento, o objeto foi arre- messado a uma dist‚ncia de 19 m, medidos sobre o solo a partir do ponto em que foi solto. Assinale a alternativa que contÈm a estimativa correta para o mÛdulo da velocidade inicial do objeto.

correta para o mÛdulo da velocidade inicial do objeto. Fig 8 2009 CIN *a) Entre 13,4
Fig 8 2009 CIN
Fig 8 2009 CIN

*a) Entre 13,4 m/s e 13,6 m/s.

b) Entre 12 m/s e 13 m/s.

c) Menor que 12 m/s.

d) Entre 13,6 m/s e 13,8 m/s.

e) Maior que 13,8 m/s.

japizzirani@gmail.com

(UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: E

Na prova de lanÁamento de martelo nas OlimpÌadas, o atleta

coloca o martelo a gira r e o solta quando atinge a maior velocida-

de que ele lhe consegue imprimir. Para modelar este fenÙmeno,

suponha que o martelo execute uma trajetÛria circular num plano horizontal. A figura abaixo representa esquematicamente esta tra- jetÛria enquanto o atleta o acelera , e o ponto A È aquele no qual o martelo È solto.

acelera , e o ponto A È aquele no qual o martelo È solto. Assinale a

Assinale a opÁ„o que representa corretamente a trajetÛria do martelo, vista de cima, apÛs ser solto.

a) d) b) *e) c)
a)
d)
b)
*e)
c)
martelo, vista de cima, apÛs ser solto. a) d) b) *e) c) (FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: D

(FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: D Marta e Pedro combinaram encontrar-se em um certo ponto de

uma auto-estrada plana, para seguirem viagem juntos. Marta, ao passar pelo marco zero da estrada, constatou que, mantendo uma velocidade mÈdia de 80 km/h, chegaria na hora certa ao ponto de encontro combinado. No entanto, quando ela j· estava

no marco do quilÙmetro 10, ficou sabendo que Pedro tinha se

atrasado e, sÛ ent„o, estava passando pelo marco zero, preten- dendo continuar sua viagem a uma velocidade mÈdia de 100 km/

h. Mantendo essas velocidades, seria previsÌvel que os dois ami-

gos se encontrassem prÛximos a um marco da estrada com indi-

caÁ„o de

prÛximos a um marco da estrada com indi- caÁ„o de a) b) c) *d) e) (UFPB-2009.1)

a)

b)

c)

*d)

e)

(UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: A

Na revista Superinteressante, foi publicado um artigo afirmando

que um fio de cabelo de uma pessoa cresce a uma taxa de 0,06

cm ao dia.

Sabendo-se que a dist‚ncia entre duas camadas de ·tomos des- se mesmo fio de cabelo È de 1,0 angstrom (10 ñ10 m) aproxima- damente, È correto afirmar que o n˙mero de camadas de ·tomos que surgem, a cada hora, È:

*a) 2,5 10 5 c) 3,5 10 6 e) 3,0 10 6 b) 4,0 10 5 d) 1,5 10 4

6

(UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: C Dois homens, com auxÌlio de duas cordas, puxam um bloco so- bre uma superfÌcie horizontal lisa e sem atrito, conforme repre- sentaÁ„o ao lado.

lisa e sem atrito, conforme repre- sentaÁ„o ao lado. Considere que os mÛdulos e direÁıes das

Considere que os mÛdulos e direÁıes das forÁas exercidas pelos homens s„o dados por:

F 1 = 5N e F 2 = 10N cos = 0,8 e cos
F 1 = 5N e F 2 = 10N
cos
= 0,8 e cos

= 0,6

Nessa situaÁ„o, È correto afirmar que a equaÁ„o cartesiana da

forÁa resultante no bloco, em newtons, È:

a) -5 i + 10 j

d) -10 i - 5 j

b) 10 i + 10 j

e) 5 i + 10 j

*c) 10 i - 5 j

(UFPB-2009.1) - RESPOSTA: afirmativas corretas: I, II e IV Um jogador de tÍnis de mesa arremessa uma bola horizontal- mente, com velocidade v 0 , de uma mesa com altura h. A uma dist‚ncia R dessa mesa existe uma chapa met·lica fina e rÌgida com altura h/2, conforme representado abaixo:

fina e rÌgida com altura h/2, conforme representado abaixo: Nesse contexto, desprezando-se as perdas de energia

Nesse contexto, desprezando-se as perdas de energia da bola por atrito com o ar, ou devido a possÌvel impacto com a chapa, identifique as afirmativas corretas:

I. O menor valor que v 0 pode ter, para que a bola passe por cima

da parede, È R.

II. O tempo que a bola leva para atingir o solo n„o depende de v 0 .

III. O tempo para a bola cair a primeira metade da altura È o mesmo para a segunda metade. IV.A componente horizontal da velocidade da bola, antes de atingir

o solo, È v 0 . V. O tempo de queda da bola, em um planeta cuja aceleraÁ„o da gravidade seja 2g , ser· maior que na Terra.

da gravidade seja 2g , ser· maior que na Terra. (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E Em uma

(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E Em uma pista de testes um automÛvel, partindo do repouso e

com aceleraÁ„o constante de 3 m/s 2 , percorre certa dist‚ncia em 20 s. Para fazer o mesmo trajeto no mesmo intervalo de tempo, porÈm com aceleraÁ„o nula, um segundo automÛvel deve de- senvolver velocidade de

a) 20 m/s

b) 25 m/s

c) 80 km/h

d) 100 km/h

*e) 108 km/h

japizzirani@gmail.com

(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL Um mÛvel parte do repouso e descreve uma trajetÛria retilÌnea durante um intervalo de tempo de 50s, com a aceleraÁ„o indicada no gr·fico a seguir.

de 50s, com a aceleraÁ„o indicada no gr·fico a seguir. a) FaÁa um gr·fico da velocidade

a) FaÁa um gr·fico da velocidade do mÛvel no intervalo de 0 atÈ

50 s.

b) Calcule a dist‚ncia percorrida pelo mÛvel nesse intervalo.

RESPOSTA UFRJ-2009

a)

pelo mÛvel nesse intervalo. RESPOSTA UFRJ-2009 a) b) 1150 m (IMT/MAU£-2009.1) - RESPOSTA: a) 70,7 km

b) 1150 m

(IMT/MAU£-2009.1) - RESPOSTA: a) 70,7 km b) 100 km Dois exploradores querem encontrar o templo perdido em meio a uma floresta, usando o fragmento de um mapa que indica dois caminhos a partir do centro de uma determinada povoaÁ„o. Cada um decide seguir uma rota. O explorador A segue a direÁ„o nor- deste enquant o o B toma a direÁ„o leste, caminhando 50 km e, a

partir dai, a direÁ„o norte atÈ encontrar-se com o primeiro explo- rador. Determine o comprimento total do percurso feito:

a) pelo explorador A;

b) pelo explorador B¥

Para facilitar seus c·lculos, esboce um diagrama com as rotas seguidas pelos exploradores.

esboce um diagrama com as rotas seguidas pelos exploradores. (UFTM-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um corpo em

(UFTM-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um corpo em movimento obedecia ‡ funÁ„o hor·ri a s = 20 + 2.t quando teve uma brusca mudanÁa em seu tipo de movimento. Se o movimento fosse estudado a partir desse ponto de mudan- Áa, sua funÁ„o hor·ria seria dada po r s = 32 + 2.t + 3.t 2 . Admitindo que o corpo n„o tenha mudado a direÁ„o de seu mo-

vimento e considerando que, para ambas as situaÁıes, o siste- ma utilizado para representar as grandezas fÌsicas seria o Siste- ma Internacional, o instante que corresponde ‡ mudanÁa de es- tado de movimento do corpo, em s, È

a) 4.

*b) 6.

c) 8.

d) 12.

e) 24.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um estudante observa um bal„o que sobe verticalmente com velocidade de 18 km/h. Quando o bal„o encontra-se a 60 m de altura, o balonista, acidentalmente, deixa cair um pequeno obje- to. Imediatamente, o estudante passa a calcular o tempo de que- da do objeto. Desprezando-se a resistÍncia do ar e considerando-s e g = 10 m/ s 2 , o c·lculo correto deve levar a um tempo de queda de:

a)

5,0 s.

b) 3,5 s.

c) 3,3 s.

*d)

4,0 s.

e) 10,9 s.

7

(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D Michael Phelps, o melhor nadador de todos os tempos, conquis- tou o maior n˙mero de medalhas de ouro na histÛria dos Jogos OlÌmpicos, em uma sÛ ediÁ„o. Em agosto de 2008, ele quebrou

o recorde mundial nos 200 m, em nado borboleta, com um tempo

de 1 minuto e 52 segundos. Nesse contexto, È correto afirmar que a

a) forÁa de empuxo atuando no nadador È nula.

b) velocidade mÈdia do nadador foi cerca de 7,82 m/s.

c) forÁa resultante atuando no nadador durante a prova foi nula.

*d) velocidade mÈdia do nadador foi aproximadamente 1,78 m/s.

e) aceleraÁ„o do nadador durante a prova manteve-se constan-

te. OBS.: Se a piscina n„o tiver um comprimento de 200 m, o nada- dor precisou ir e voltar, portanto, sua velocidade mÈdia È zero.

(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Recentemente, o maior acelerador de partÌculas do mundo, o LHC (Grande Colisor de H·drons) entrou em funcionamento. Seu t˙nel possui uma circunferÍncia de rai o R = 4,3 km e est· locali- zado na fronteira da FranÁa com a SuÌÁa, como representado na figura. Os prÛtons acelerados poder„o atingir uma velocidade de, aproximadamente, 99,9% da velocidade da luz (Adot e c = 3 10 8 m/s e = 3,14).

velocidade da luz (Adot e c = 3 10 8 m/s e = 3,14). Considerando as
velocidade da luz (Adot e c = 3 10 8 m/s e = 3,14). Considerando as

Considerando as leis da fÌsica cl·ssica, afirma-se:

I - A aceleraÁ„o das partÌculas È nula.

II - A velocidade angular È cerca de 69,7 10 3 rad/s.

III - Os prÛtons s„o partÌculas que n„o possuem carga.

IV - Os prÛtons movem-se com freq¸Íncia de, aproximadamen-

te, 11,1 kHz. S„o corretas apenas as afirmativas

a) I e II.

b) I e IV.

c) II e III.

*d) II e IV.

e) III e IV.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: B Durante um vÙo de Curitiba a BrasÌlia, o vento dominante sopra no sentido Leste-Oeste, a 60 km/h em relaÁ„o ‡ Terra. Para que

a viagem em relaÁ„o ‡ Terra se mantenha no sentido Sul-Norte e

‡ velocidade de 600 km/h, È necess·rio que a velocidade em relaÁ„o ao ar, mantida pelo piloto, seja:

a) superior a 60 km/h, no sentido Noroeste-Sudeste.

*b) superior a 600 km/h, no sentido Sudoeste-Nordeste.

c) inferior a 600 km/h, no sentido Sudeste-Noroeste.

d) superior a 60 km/h, no sentido Nordeste-Sudoeste.

e) inferior a 600 km/h, no sentido Noroeste-Sudeste.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um automÛvel se desloca durante 30 min a 100 km/h e depois

10 min a 60 km/h. Qual foi sua velocidade mÈdia neste percur-

so?

*a) 90 km/h

b) 80 km/h

c) 106 km/h

d) 110 km/h

e) 120 km/h

japizzirani@gmail.com

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C Nos problemas que envolvem o movimento de um corpo na at- mosfera terrestre, a resoluÁ„o simplificada despreza os efeitos do atrito, levando a resultados que, em certos casos, podem ser muito diferentes dos realmente observados. Suponha um caso teÛrico em que um fuzil È disparado junto ‡ superfÌcie terrestre, apontando verticalmente para cima, de for- ma que o projÈtil suba e desÁa sobre a mesma reta, atingindo a altura de +8.000 m. Qual das linhas indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento?

a)

b)

*c)

d)

e)

indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento? a) b)
indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento? a) b)
indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento? a) b)
indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento? a) b)
indicadas no gr·fico melhor representa o comportamento da sua aceleraÁ„o durante o movi- mento? a) b)

8

(UFG/GO-2009.1) - RESPOSTA: a) 10 m/s b) 7,11 m

O ComitÍ OlÌmpico se preocupa com alguns fatores aparente-

mente ìirrelevantesî na realizaÁ„o das provas, como a velocida- de do vento, o tempo chuvoso, a altitude, etc., os quais podem influenciar os resultados e recordes mundiais. Por exemplo, na prova de salto em dist‚ncia, a atleta brasileira Maurren Maggi ganhou a medalha de ouro em Pequim com a marca de 7,04 m, enquanto a medalha de prata foi obtida com a marca de 7,03 m. Tipicamente, o ‚ngulo de projeÁ„o para este tipo de prova varia

entre 15 o e 25 o . Considerando que em Pequim o salto de Maurren Maggi foi realizado com um ‚ngulo de 22,5 o .

a) Qual o mÛdulo da velocidade da atleta no momento do salto?

b) Se este salto fosse realizado em outro local, cuja aceleraÁ„o

da gravidade fosse 1% menor, qual seria a marca atingida por

Maurren Maggi?

Dados:

Considere

Considere 1,408 e aceleraÁ„o da

1,408 e aceleraÁ„o da

gravidade igual a 10 m/s 2 .

(FGVSP-2009.1) - ALTERNATIVA: E Comandada com velocidade constante de 0,4 m/s, a prociss„o

iniciada no ponto indicado da praÁa Santa Madalena segue com

Santo sobre o andor por toda a extens„o da Av. Vanderli Diagramatelli.

o

Fig 11 2009 CIN

extens„o da Av. Vanderli Diagramatelli. o Fig 11 2009 CIN Para garantir a seguranÁa dos devotos,

Para garantir a seguranÁa dos devotos, a companhia de tr‚nsito somente liberar· o tr‚nsito de uma via adjacente, assim que a ˙ltima pessoa que segue pela prociss„o atravesse completamente

a via em quest„o.

Dados: A Av. Vanderli Diagramatelli se estende por mais de oito quarteirıes e, devido ‡ distribuiÁ„o uniforme dos devotos sobre ela, o comprimento total da prociss„o È sempre 240 m.

Todos os quarteirıes s„o quadrados e tÍm ·reas de 10 000 m 2 .

A largura de todas as ruas que atravessam a Av. Vanderli

Diagramatelli È de 10 m.

Do momento em que a prociss„o teve seu inÌcio atÈ o instante em que ser· liberado o tr‚nsito pela Av. Geralda Boapessoa, decorrer· um intervalo de tempo, em minutos, igual a

a) 6.

b) 8.

c) 10.

d) 12.

*e) 15.

japizzirani@gmail.com

(FGVSP-2009.1) - ALTERNATIVA:

Uma grande manivela, quatro engrenagens pequenas de 10 den- tes e outra de 24 dentes, tudo associado a trÍs cilindros de 8 cm de di‚metro, constituem este pequeno moedor manual de cana.

Fig 12 2009 CIN Fig 13 2009 CIN
Fig 12 2009 CIN
Fig 13 2009 CIN

Ao produzir caldo de cana, uma pessoa gira a manivela fazendo-

a completar uma volta a cada meio minuto. Supondo que a vara

de cana colocada entre os cilindros seja esmagada sem escorregamento, a velocidade escalar com que a maquina puxa

cana para seu interior, em cm/s, e, aproximadamente, Dado: Se necessario use = 3

a

em cm/s, e, aproximadamente, Dado: Se necessario use = 3 a a) 0,20. d) 1,25. *b)

a)

0,20.

d) 1,25.

*b) 0,35.

e) 1,50.

c)

0,70.

(UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um automÛvel est· em movimento uniformemente variado com aceleraÁ„o escalar igual a ñ5 m/s 2 , e sua velocidade escalar va- ria no tempo, de acordo com a tabela abaixo:

T(s)

0

1

2

3

4

5

6

V(m/s) 10

5

0

ñ5

ñ10

ñ15

ñ20

Analise as afirmativas abaixo.

I. A velocidade escalar inicial do automÛvel È 10 m/s.

II. No instante de 2s, o automÛvel p·ra e comeÁa a mudar o

sentido do seu movimento.

III. No intervalo de tempo entr e 0 a 2s, o movimento do automÛ-

vel È retardado e progressivo.

IV. No intervalo de tempo entr e 2 e 6s, o movimento do automÛ-

vel È acelerado e retrÛgrado.

Assinale a alternativa correta.

a) Soment e I e III s„o verdadeiras.

b) II e IV s„o falsas.

*c) I, II, III e IV s„o verdadeiras.

d) Soment e I È verdadeira.

e) III e IV s„o falsas.

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16) Duas polias, A e B, de raios R 1 = 10 cm e R 2 = 20 cm, giram acopladas por uma correia de massa desprezÌvel que n„o desli- za, e a polia A gira com uma freq¸Íncia de rotaÁ„o de 20 rpm. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) A velocidade de qualquer ponto P da correia È aproximada- mente 0,21 m/s. 02) A freq¸Íncia angular de rotaÁ„o da polia B È 2,0 rad/s. 04) A raz„o entre as freq¸Íncias de rotaÁ„o das polias A e B È 2. 08) O perÌodo de rotaÁ„o da polia A È 3,0 s. 16) A aceleraÁ„o centrÌpeta experimentada por uma partÌcula de massa m, colocada na extremidade da polia A (borda mais exter- na), È maior do que se a mesma partÌcula fosse colocada na extremidade da polia B.

9

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 20 (04+16) Um corpo de massa 10,0 kg inicia seu movimento a partir do repouso e, apÛs 10,0 s, sua velocidade È 20,0 m/s. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) Se o corpo realiza um movimento retilÌneo uniforme, sua ve- locidade È constante e igual a 20,0 m/s. 02) Se o corpo realiza um movimento retilÌneo uniformemente variado, sua aceleraÁ„o È constante e igual a 1,0 m/s 2 . 04) Se o corpo realiza um movimento retilÌneo uniformemente variado atÈ o instante t = 10,0 s, ele percorreu 100,0 m.

08) Se o corpo realiza um movimento retilÌneo uniformemente variado atÈ o instante t = 5,0 s, sua velocidade atinge 15,0 m/s. 16) Os gr·ficos abaixo descrevem, qualitativamente, o movimen-

to do corpo, quando esse realiza um movimento uniformemente

variado.

quando esse realiza um movimento uniformemente variado. (UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) Veja OBS.
quando esse realiza um movimento uniformemente variado. (UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) Veja OBS.

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) Veja OBS.

no final

Um projÈtil È lanÁado horizontalmente do alto de um rochedo de 490,0 m de altura, com uma velocidade inicial de 30,0 m/s.

Consider e g = 9,8 m/s 2 e assinale o que for correto.

01) O projÈtil alcanÁa o solo a uma dist‚ncia horizontal de 580,0

m de seu ponto de lanÁamento.

02) No eixo x, o objeto descreve um movimento retilÌneo unifor- me, com a = 0,0 m/s 2 , e, no eixo y, um movimento retilÌneo uni- formemente variado, com uma aceleraÁ„o de 9,8 m/s 2 , na dire- Á„o vertical e no sentido de cima para baixo. 04) Em t = 5,0 s, o objeto encontra-se nas coordenadas x = 150,0 mey= 367,5 m. 08) Em t = 5,0 s, o objeto possui uma velocidade vertical de mÛdulo 30,0 m/s. 16) ApÛs o lanÁamento, o objeto alcanÁa o solo e m t = 30,0 s.

OBS.: Precisa ser dado, no enunciado, a orige m e o sentido dos

eixos de coordenad s x e y. Foi adotado no solo em baixo do pon-

to de lanÁamento.

(UFABC-2009.1) - RESPOSTA: a) 1,0 cm/s b) iguais c) 5,0 cm Um pequeno motor tem, solidariamente associado a seu eixo, uma engrenagem de 2.10 ñ2 m de raio. O motor gira com rotaÁ„o

constante de freq¸Íncia 5 r.p.m. Uma segunda engrenagem, em contato com a do motor, gira com perÌodo de rotaÁ„o igual a 0,5 minuto. Nessa situaÁ„o, determine:

a) a velocidade escalar de um dente da engrenagem do motor;

b) a relaÁ„o entre as velocidades escalares de um dente da en-

grenagem do motor e um dente da segunda engrenagem;

c) o raio da segunda engrenagem.

(Se necess·rio, adote = 3)

c) o raio da segunda engrenagem. (Se necess·rio, adote = 3) japizzirani@gmail.com (UFABC-2009.1) - RESPOSTA: d

japizzirani@gmail.com

(UFABC-2009.1) - RESPOSTA: d = 0,45 m Na natureza, muitos animais conseguem guiar-se e atÈ mesmo caÁar com eficiÍncia, devido ‡ grande sensibilidade que apre- sentam para a detecÁ„o de ondas, tanto eletromagnÈticas quan- to mec‚nicas. O escorpi„o È um desses animais. O movimento de um besouro prÛximo a ele gera tanto pulsos mec‚nicos longi- tudinais quanto transversais na superfÌcie da areia. Com suas oito patas espalhadas em forma de cÌrculo, o escorpi„o intercep- ta primeiro os longitudinais, que s„o mais r·pidos, e depois os transversais.

que s„o mais r·pidos, e depois os transversais. A pata que primeiro detectar os pulsos determina

A pata que primeiro detectar os pulsos determina a direÁ„o onde

est· o besouro. A seguir, o escorpi„o avalia o intervalo de tempo entre as duas recepÁıes, e determina a dist‚ncia d entre ele e o besouro. Considere que os pulsos longitudinais se propaguem com velocidade de 150 m/s, e os transversais com velocidade de

50 m/s. Se o intervalo de tempo entre o recebimento dos primei-

ros pulsos longitudinais e os primeiros transversais for de 0,006

s, determine a dist‚ncia d entre o escorpi„ o e o besouro.

(FATECSP-2009.1) - ALTERNATIVA: D

CÈsar Cielo se tornou o maior nadador brasileiro na histÛria dos Jogos OlÌmpicos ao conquistar a medalha de ouro na prova dos

50 m livres. Primeiro ouro da nataÁ„o brasileira em Jogos OlÌm-

picos, Cielo quebrou o recorde olÌmpico com o tempo de 21s30íí, ficando a apenas dois centÈsimos de segundo do recorde mun-

dial conquistado pelo australiano Eamon Sullivan num tempo igual

a

a) 19s28íí.

b) 19s30íí.

c) 21s10íí.

*d) 21s28íí.

e) 21s32íí.

(MACKENZIE-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um corpo È abandonado do repouso de uma certa altura e cai, em queda livre (g = 10 m/s 2 ), por 4 s. ApÛs esses 4s, o corpo

adquire velocidade constante e chega ao solo em 3 s. A altura da qual esse corpo foi abandonado era de

a) 80 m

b) 120 m

c) 180 m

*d) 200 m

e) 220 m

(PUCMINAS-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um arqueiro atira uma flecha, que percorre uma trajetÛria para-

bÛlica vertical atÈ atingir o alvo. No ponto mais alto da trajetÛria da flecha,

a) a velocidad e e a aceleraÁ„o s„o nulas.

b) a aceleraÁ„o È nula.

c) o vetor velocidad e e o vetor aceleraÁ„o s„o horizontais.

*d) a componente vertical da velocidade È nula.

10

(UFPR-2009.1) -RESPOSTA: a) 12 10 4 voltas b) 4 10 3 rad/s Em 10 de setembro de 2008, a OrganizaÁ„o EuropÈia para Pes- quisa Nuclear (sigla internacional CERN) ligou pela primeira vez o acelerador de partÌculas Grande Colisor de H·drons (LHC, em inglÍs), m·quina com a qual se espera descobrir partÌculas ele- mentares que comprovar„o ou n„o o modelo atual das partÌculas nucleares. O colisor foi construÌdo em um gigantesco t˙nel circu- lar de 27 km de comprimento, situado sob a fronteira entre a SuÌÁ a e a FranÁ a e a uma profundidade de 50 a 120 m. PrÛtons s„o injetados no tubo circular do LHC e, apÛs algum tempo em movimento, atingem velocidades prÛximas ‡ da luz no v·cuo (c). Supondo que apÛs algumas voltas os prÛtons atinjam a velocida- de constante de 0,18c, com base nas informaÁıes acima e des- prezando os efeitos relativÌsticos, determine: (Adot e c = 3 10 5 km/s) a) Quantas voltas os prÛtons dariam ao longo do t˙nel no interva- lo de um minuto. b) A velocidade angular desses prÛtons.

lo de um minuto. b) A velocidade angular desses prÛtons. (UFPR-2009.1) - RESPOSTA: t = Um
lo de um minuto. b) A velocidade angular desses prÛtons. (UFPR-2009.1) - RESPOSTA: t = Um

(UFPR-2009.1) - RESPOSTA: t = Um dos estudos feitos por Galileu trata do movimento de corpos em queda livre. Considere um objeto que cai em queda livre de uma altura inicial de n metros, a partir do repouso, num local onde a aceleraÁ„o da gravidade È g. Deduza uma express„o literal para o tempo necess·rio para esse objeto percorrer o ˙ltimo metro do seu trajeto. Observe que a express„o deve ser dada em termos d eneg somente.

(UFMG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Numa corrida, Rubens Barrichelo segue atr·s de Felipe Massa, em um trecho da pista reto e plano. Inicialmente, os dois carros movem-se com velocidade constante, de mesmos mÛdulo, dire- Á„o e sentido. No instante t 1 , Felipe aumenta a velocidade de seu carro com aceleraÁ„o constante; e, no instante t 2 , Barrichelo tambÈm au- menta a velocidade do seu carro com a mesma aceleraÁ„o. Considerando essas informaÁıes, assinale a alternativa cujo gr·- fico melhor descreve o mÛdulo da velocidade relativa entre os dois veÌculos, em funÁ„o do tempo.

*a)

b)

entre os dois veÌculos, em funÁ„o do tempo. *a) b) c) d) (UERJ-2009.1) - RESPOSTA: D/H

c)

d)

entre os dois veÌculos, em funÁ„o do tempo. *a) b) c) d) (UERJ-2009.1) - RESPOSTA: D/H

(UERJ-2009.1) - RESPOSTA: D/H = 4 /3 2,31 Em uma regi„o plana, um projÈtil È lanÁado do solo para cima, com velocidade de 400m/s, em uma direÁ„o que faz 60 com a horizontal. Calcule a raz„o entre a dist‚ncia do ponto de lanÁamento atÈ o ponto no qual o projÈtil atinge novamente o sol o e a altura m·xi- ma por ele alcanÁada. Consider e g = 10 m/s 2 .

japizzirani@gmail.com

Consider e g = 10 m/s 2 . japizzirani@gmail.com (UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3V; 4V

(UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3V; 4V Duas pedras s„o abandonadas do repouso, ambas de uma altu-

ra de 20 m, porÈm uma na Terra e outra em Marte. ApÛs 1 s, elas

s„o observadas nas posiÁıes indicadas abaixo.

1 s, elas s„o observadas nas posiÁıes indicadas abaixo. Considerando g t e r r a
1 s, elas s„o observadas nas posiÁıes indicadas abaixo. Considerando g t e r r a

Considerando g terra = 10 m/s 2 e g marte = g terra 3, marque para as alternativas abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa. 1()O planeta A corresponde ‡ Terr a e o planeta B corresponde

a Marte.

2()O mÛdulo da velocidade da partÌcula em Marte, 3 s apÛs ser

abandonada, È 30 m/s.

3 ( ) A pedra que È abandonada na Terra percorreu uma dist‚ncia de 20 m, apÛs 2 s de queda.

4 ( ) Para que a pedra abandonada em Marte adquira uma mes-

ma velocidade da abandonada na Terra, a pedra em Marte deve percorrer uma dist‚ncia trÍs vezes maior que a dist‚ncia percor- rida pela pedra na Terra.

(UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3F; 4V Em 10 de setembro de 2008, foi inaugurado na Europa o maior acelerador de partÌculas (LHC), que È capaz de acelerar prÛtons, em um anel de raio 4,5 km, atÈ uma velocidade prÛxima da luz. Assuma que o movimento do prÛton seja descrito pela mec‚nica newtoniana e que possua a velocidade da luz (3 10 8 m/s). Con- siderando = 3, marque para as alternativas abaixo (V) Verda- deira ou (F) Falsa. 1()O prÛton gastar· um tempo menor que 10 ñ4 s para dar uma volta completa no anel.

2 ( ) A freq¸Íncia de rotaÁ„o do prÛton no interior do anel ser· 10 5 rotaÁıes por segundo.

3 ( ) A velocidade angular do prÛton ser· 10 5 rad/s. 4()O perÌodo de rotaÁ„o do prÛton ser · 9 10 ñ5 s.

de rotaÁ„o do prÛton ser · 9 10 ñ 5 s. (UERJ-2009.1) - RESPOSTA: d =

(UERJ-2009.1) - RESPOSTA: d = 100 m Um avi„o, em trajetÛria retilÌnea paralela ‡ superfÌcie horizontal do solo, sobrevoa uma regi„o com velocidade constante igual a 360 km/h. TrÍs pequenas caixas s„o largadas, com velocidade inicial nula, de um compartimento na base do avi„o, uma a uma, a intervalos regulares iguai s a 1 segundo. Desprezando-se os efeitos do ar no movimento de queda das caixas, determine as dist‚ncias entre os respectivos pontos de impacto das caixas no solo.

(UERJ-2009.1) - RESPOSTA : t = 8,0 s Dois mÛveis, A e B, percorrem uma pista circular em movimento uniforme. Os dois mÛveis partiram do mesmo ponto e no mesmo sentido com as velocidades de 1,5 rad/s e 3,0 rad/s, respectiva- mente; o mÛvel B, porÈm, partiu 4 segundos apÛs o A. Calcule o intervalo de tempo decorrido, apÛs a partida de A, no qual o mÛvel B alcanÁou o mÛvel A pela primeira vez.

11

(UERJ-2009.1) - RESPOSTA: v M = 10,0 m/s

A velocidade de um corpo que se desloca ao longo de uma reta,

em funÁ„o do tempo, È representada pelo seguinte gr·fico:

funÁ„o do tempo, È representada pelo seguinte gr·fico: Calcule a velocidade mÈdia desse corpo no intervalo

Calcule a velocidade mÈdia desse corpo no intervalo entre 0 e 30 segundos.

(UFSCar-2009.1) - ALTERNATIVA: B

Um navio È respons·vel por verificar a energia mareomotriz de determinada regi„o da costa. Na coleta de informaÁıes, o timo- neiro traÁa uma rota rumo ao continente. Algum tempo depois,

na cabine do capit„o, um alarme alerta para as leituras feitas

automaticamente pelo sonar, que mostram a r·pida diminuiÁ„o

da profundidade do leito oce‚nico.

PROFUNDIDADE (m) 17

15

13

11

INSTANTE (s)

0

15

30

45

Supondo que a inclinaÁ„o do leito oce‚nico seja constante e sa- bendo que a quilha da embarcaÁ„o est· 3 m abaixo da linha dí·gua, se nenhuma atitude for imediatamente tomada, o enca- lhe ir· ocorrer entre os instantes

a) 1,0 minuto e 1,5 minutos.

*b) 1,5 minutos e 2,0 minutos.

c) 2,0 minutos e 2,5 minutos.

d) 2,5 minutos e 3,0 minutos.

e) 3,0 minutos e 3,5 minutos.

(UFSCar-2009.1) - ALTERNATIVA: D

O movimento de trÍs corpos sobre a mesma trajetÛria reta tem

as seguintes caracterÌsticas:

ï Corpo X: realiza um movimento progressivo, sendo que sua

posiÁ„o inicial era positiva.

ï Corpo Y: realiza um movimento retrÛgrado, sendo que sua po-

siÁ„o inicial era negativa.

ï Corpo Z: realiza um movimento progressivo, tendo como posi- Á„o inicial a da origem da trajetÛria.

De acordo com as caracterÌsticas apresentadas, È correto afir- mar que

a) X e Y certamente se encontrar„o, independentemente dos

mÛdulos das suas velocidades.

b) Y e Z certamente se encontrar„o, independentemente dos

mÛdulos das suas velocidades.

c) X e Z certamente se encontrar„o, independentemente dos

mÛdulos das suas velocidades.

*d) X somente encontrar· Z se o mÛdulo da sua velocidade for menor que o mÛdulo da velocidade de Z.

e) Y somente encontrar· Z se o mÛdulo da sua velocidade for

maior que o mÛdulo da velocidade de Z.

(UFJF-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um carro vai de Juiz de Fora a Belo Horizonte. No caminho, apÛs percorrer os primeiros 120 km atÈ Barbacena em uma hora e

meia, ele p·ra por 30 minutos. Segue, ent„o, atÈ Belo Horizonte, demorando mais 2 horas, numa velocidade mÈdia de 80 km/h. A velocidade mÈdia no percurso total do carro foi:

a) 60 km/h

*b) 70 km/h

c) 80 km/h

japizzirani@gmail.com

d) 90 km/h e) 120 km/h

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B O gr·fico abaixo representa a variaÁ„o da posiÁ„o x versus o tempo t de dois automÛveis A e B, registrados por sensores que transferiram os dados para um computador. Interpretando o gr·- fico, pode-se afirmar com seguranÁa que:

o gr·- fico, pode-se afirmar com seguranÁa que: a) no instante t 1 , os dois

a) no instante t 1 , os dois automÛveis tÍm a mesma velocidade.

*b) no instante t 2 , o automÛvel B tem velocidade maior que o automÛvel A.

c) o automÛvel A tem velocidade maior que o automÛvel B em

todo o intervalo entre os instantes t 1 e t 2 .

d) no instante t 2 , o automÛvel A ultrapassa o automÛvel B.

e) no instante t 1 , o automÛvel A est· um pouco ‡ frente do auto-

mÛvel B.

(VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um veÌculo arranca do repouso e percorre uma dist‚ncia d em movimento retilÌneo uniformemente variado e horizontal. Se partir do repouso e percorrer a mesma dist‚ncia d, descre- vendo um movimento uniformemente variado com aceleraÁ„o

duas vezes maior, o tempo gasto para percorrÍ-la ser· reduzido em, aproximadamente,

a) 25%.

*b) 30%.

c) 45%.

d) 50%.

e) 70%.

(VUNESP/FAMECA-2009.1) - RESPOSTA: a) v 1 / v 2 = R 1 / R 2

b) a 1 / a 2 = 4R 1 / R 2

Considere dois mÛveis, 1 e 2, descrevendo movimentos unifor- mes nas pistas circulares de raios R 1 e R 2 , respectivamente.

circulares de raios R 1 e R 2 , respectivamente. Determine a relaÁ„o a) v 1

Determine a relaÁ„o

a) v 1 / v 2 entre as velocidades lineares dos mÛveis 1 e 2, sabendo

que gastam o mesmo tempo para completar uma volta;

b) a 1 / a 2 entre as aceleraÁıes dos mÛveis 1 e 2, sabendo que

agora, enquanto o mÛvel 1 efetua duas voltas completas, o mÛ- vel 2 completa apenas uma volta.

12

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: B Admita que em um trator semelhante ao da foto a relaÁ„o entre o raio dos pneus de tr·s (r T ) e o raio dos pneus da frente (r F )Èr T = 1,5 r F .

Fig 23 2009 CIN
Fig 23 2009 CIN
(r F )Èr T = 1,5 r F . Fig 23 2009 CIN (www.greenhorse.com.br/site/pops/204.html) Chamando de

(www.greenhorse.com.br/site/pops/204.html)

Chamando de v T e v F os mÛdulos das velocidades de pontos

desses pneus em contato com o solo e de f T e f F as suas respec- tivas freq¸Íncias de rotaÁ„o, pode-se afirmar que, quando esse trator se movimenta, sem derrapar, s„o v·lidas as relaÁıes:

a) v T = v F e f T = f F .

*b) v T = v F e 1,5 f T = f F .

c) v T = v F e f T = 1,5 f F .

d) v T = 1,5 v F e f T = f F .

e) 1,5 v T = v F e f T = f F .

(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: h MÕN 18 m e h M£X 22 m

O buriti È uma palmeira alta, comum no Brasil central e no sul da

planÌcie amazÙnica. Para avaliar a altura de uma dessas palmei- ras, um pesquisador provoca a queda de alguns de seus frutos e cronometra o tempo em que ela ocorre, obtendo valores compre- endidos entre 1, 9 s e 2,1 s. Desprezando a resistÍncia do ar exercida sobre os frutos em queda, determine as alturas m·xima

e mÌnima de onde eles caÌram. Adot e g = 10 m/s 2 .

e mÌnima de onde eles caÌram. Adot e g = 10 m/s 2 . (ITA-2009.1) -
e mÌnima de onde eles caÌram. Adot e g = 10 m/s 2 . (ITA-2009.1) -

(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: B

Um barco leva 10 horas para subir e 4 horas para descer um mesmo trecho do rio Amazonas, mantendo constante o mÛdulo de sua velocidade em relaÁ„o ‡ ·gua. Quanto tempo o barco leva para descer esse trecho com os motores desligados?

a) 14 horas e 30 minutos

*b) 13 horas e 20 minutos

c) 7 horas e 20 minutos

d) 10 horas

e) N„o È possÌvel resolver porque n„o foi dada a dist‚ncia per-

corrida pelo barco.

(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: A Na figura, um ciclista percorre o trecho AB com velocidade esca- lar mÈdia de 22,5 km/h e, em seguida, o trecho BC de 3,00 km de extens„o. No retorno, ao passar em B, verifica ser de 20,0 km/h sua velocidade escalar mÈdia no percurso ent„o percorrido, ABCB. Finalmente, ele chega em A perfazendo todo o percurso de ida e volta em 1,00 h, com velocidade escalar mÈdia de 24,0 km/h. Assinale o mÛdulo v do vetor velocidade mÈdia referente ao percurso ABCB.

v do vetor velocidade mÈdia referente ao percurso ABCB. *a) v = 12,0 km/h b) v

*a) v = 12,0 km/h

b) v = 12,00 km/h

c) v = 20,0 km/h

japizzirani@gmail.com

d) v = 20,00 km/h

e ) v = 36,0 km/h

(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: C Considere hipoteticamente duas bolas lanÁadas de um mesmo lugar ao mesmo tempo: a bola 1, com velocidade para cima de 30 m/s, e a bola 2, com velocidade de 50 m/s formando um ‚ngu-

lo de 30 com a horizontal. Con siderand o g = 10 m/s 2 , assinale a

dist‚ncia entre as bolas no instante em que a primeira alcanÁa sua m·xima altura.

a)

b)

*c)

em que a primeira alcanÁa sua m·xima altura. a) b) *c) d) e) (ITA-2009) - ALTERNATIVA:

d)

e)

que a primeira alcanÁa sua m·xima altura. a) b) *c) d) e) (ITA-2009) - ALTERNATIVA: B

(ITA-2009) - ALTERNATIVA: B (RESOLU« O NO FINAL) Dentro de um elevador em queda livre num campo gravitacional

g, uma bola È jogada para baixo com velocidade v de uma altura

h. Assinale o tempo previsto para a bola atingir o piso do eleva-

dor.

a) t = v/g

d) t = ( e) t = (

ñ v)/gatingir o piso do eleva- dor. a) t = v/g d) t = ( e) t

ñ v)/go piso do eleva- dor. a) t = v/g d) t = ( e) t =

*b) t = h/v c) t =
*b) t = h/v
c) t =

(RESOLU« O: ITA-2009.1 Supondo-se que ìpara baixoî signifique verticalmente para baixo

e levando-se em conta que para o elevador em queda livre a

gravidade aparente em seu interior È nula, o movimento da bola

em relaÁ„o ao elevador È retilÌneo e uniforme.

(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um avi„o a jato, para transporte de passageiros, precisa atingir a velocidade de 252 km/h para decolar em uma pista plana e reta. Para uma decolagem segura, o avi„o, partindo do repouso, deve percorrer uma dist‚ncia m·xima de 1 960 m atÈ atingir aquela velocidade. Para tanto, os propulsores devem imprimir ao avi„o uma aceleraÁ„o mÌnima e constante de *a) 1,25 m/s 2 .

b) 1,40 m/s 2 .

c) 1,50 m/s 2 .

d) 1,75 m/s 2 .

e) 2,00 m/s 2 .

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Uma usina termoelÈtrica emite uma certa quantidade de g·s carbÙnico por hora funcionando de acordo com o gr·fico abaixo. Com a nova lei ambiental promulgada pela prefeitura da cidade, cada f·brica ou usina sÛ pode emitir no m·ximo 11,4 toneladas

por dia. Para atender ‡ nova lei, quanto tempo a usina pode fun- cionar por dia?

a) 10 h

b) 12 h

*c) 14 h

d) 16 h

e) 18 h

cionar por dia? a) 10 h b) 12 h *c) 14 h d) 16 h e)

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um automÛvel est· parado em um sem·foro. Quando a luz fica verde o motorista acelera o automÛvel a uma taxa constante de 5 m/s 2 durante 4,0 s. Em seguida, permanece com velocidade cons-

tante durante 40 s. Ao avistar outro sem·foro vermelho, ele freia

o carro ‡quela mesma taxa atÈ parar. Qua l È a dist‚ncia total percorrida pelo automÛvel? *a) 880 m

b) 960 m

c) 1 210 m

d) 160 m

e) 720 m

13

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D Uma senhora deixa um vaso cair acidentalmente da janela de seu apartamento. O vaso atinge o solo 3 s apÛs iniciar o movi- mento. Adote g = 10 m/s 2 . Qual È a altura da janela em relaÁ„o ao solo?

a) 20 m

*d) 45 m

b) 35 m

e) 50 m

c) 40 m

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um automÛvel inicia uma curva com raio de 75 m com velocida-

de v = 5 m/s, aumentando a sua velocidade a uma taxa constan-

te. ApÛs 2,5 s sua velocidade È 15 m/s. Qua l È a aceleraÁ„o do automÛvel neste momento?

a) 2,0 m/s 2

d) 4,0 m/s 2

b) 2,5 m/s 2

*e) 5,0 m/s 2

c) 3,0 m/s 2

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C (RESOLU« O NO FINAL) Um arqueiro dever· acender uma pira olÌmpica com uma flecha, cuja ponta È incandescente. O arqueiro dever· disparar a flecha com velocidade v 0 formando ‚ngulo com a horizontal, confor- me esquema abaixo. Qual dever· ser o valor mÌnimo de v 0 min para que ele consiga acender a pira? Desprezar a resistÍncia do ar.

Dados : d = 80 m

a pira? Desprezar a resistÍncia do ar. Dados : d = 80 m D = 8

D = 8 m

h = 55 m

sen

a) v 0 min = 40,4 m/s

b) v 0 min = 35,2 m/s

*c) v 0 min = 39,3 m/s

d) v 0 min = 41,2 m/s

e) v 0 min = 38,9 m/s

0 m i n = 41,2 m/s e) v 0 m i n = 38,9 m/s

= 0,910 cos

= 0,415 g = 10 m/s 2 2

0 m i n = 38,9 m/s = 0,910 cos = 0,415 g = 10 m/s

RESOLU« O: FEI/SP-2009.1

O menor valor de v 0 (v 0min ) È aquele que a flexa atingi a pira no

seu ponto mais ‡ esquerda da figura e, o maior valor, È aquele que ela atinge o lado mais a direita. C·lculo de v 0min :

tempo para atingi r h = 55 m t = 80 / v 0x h=v
tempo para atingi r h = 55 m t = 80 / v 0x
h=v 0y .t - (1/2)gt 2 v 0x = 16,3 m/s (foi usado v 0y / v 0x = tan )
v 0x = v 0 / cos v 0 = 39,3 m/s

(UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um bal„o encontra-se em movimento vertical para cima com velocidade constante de 10 m/s. No exato instante em que o

bal„o est· a 175 m acima do solo, um passageiro solta um paco-

te e dispara um cronÙmetro.

Considerand o g = 10 m/s 2 , marque a alternativa correta.

a) O mÛdulo da velocidade do pacote ao chegar ao solo È 50m/s.

*b) O pacote chega ao solo em 7s, apÛs ter sido solto.

c) O pacote gasta 2s para atingir o ponto mais alto de sua trajetÛ-

ria, em relaÁ„o ao solo.

d) Em relaÁ„o ao solo, a altura m·xima atingida pelo pacote È

185 m.

japizzirani@gmail.com

(UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A As figuras abaixo representam dois pontos A e B sobre a super- fÌcie terrestre, em um mesmo meridiano. O ponto A est· no equa-

dor e o ponto B se encontra no hemisfÈrio norte a uma latitude de

60 .

B se encontra no hemisfÈrio norte a uma latitude de 60 . Sabendo que a Terra

Sabendo que a Terra gira com velocidade angular e supondo que a Terra È de forma esfÈrica com raio R, a alternativa que apresenta a relaÁ„o entre as velocidades lineares desses dois pontos A e B È *a) v A / v B = 2

desses dois pontos A e B È *a) v A / v B = 2 b)
b) v A / v B = 2 / 3 c) v A / v
b) v A / v B = 2
/ 3
c) v A / v B = 1/ 2
d) v A / v B =

(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) gr·fico: par·bola da eq. dada

(fazer) b) v = 0 c) dist. = 34 m e desloc. = 30 m

O

movimento de uma bola sobre uma trajetÛria retilÌnea È descri-

to

de acordo com a seguinte equaÁ„o: x = 5 + 16t - 2t 2 , em que x

È

medido em metro s e t em segundos.

a)

FaÁa o esboÁo do gr·fico da posiÁ„o em funÁ„o do tempo.

b)

Calcule a velocidade da bola e m t = 4,0 s.

c)

Calcule a dist‚ncia percorrida pela bola e o seu deslocamento

em t = 5,0 s.

(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) t = 0,25 s

b) v 0 = 5 m/s

Em uma partida de basquete, um jogador tem direito a realizar dois lances livres. O centro da cesta est· situado a uma dist‚ncia de 4,0 m da linha de lanÁament o e a uma altura de 3,0 m do solo, conforme a figura abaixo. A bola È lanÁada sempre a uma altura de 2,0 m do solo. No primeiro lanÁamento, a bola È lanÁada com

velocidade de 5,0 m/s, formando um ‚ngulo de 30 o com a hori- zontal, e n„o atinge a cesta. No segundo lanÁamento, a bola È lanÁada com uma velocidade desconhecida, formando um ‚ngu-

lo de 30 o com a horizontal, e atinge a cesta.

Dados : g = 10 m/s 2 ; cos 30 o = 0,86; sen 30 o = 0,50; tan 30 o = 0,57; cos 2 30 o = 0,75.

h m · x m·x

tan 30 o = 0,57; cos 2 30 o = 0,75. h m · x 2,3

2,3 m c) v 0

= 0,57; cos 2 30 o = 0,75. h m · x 2,3 m c) v

9,2 m/s

cos 2 30 o = 0,75. h m · x 2,3 m c) v 0 9,2

a) Determine o instante em que a altura m·xima È atingida pela

bola no primeiro lanÁamento.

b) Demonstre que a bola n„o atinge a cesta no primeiro lanÁa-

mento.

c)

Determine a velocidade inicial da bola no segundo lanÁamen-

to.

14

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A

Uma bola È lanÁada horizontalmente com velocidade inicial . Ao percorrer horizontalmente 30 m ela cai verticalmente 20 m, conforme mostrado no gr·fico ao lado. Considere a aceleraÁ„o

da gravidade igual a 10 m/s 2 e despreze a resistÍncia do ar. … CORRETO afirmar que o mÛdulo da velocidade de lanÁamento v o È:

*a) 15 m/s

b) 30 m/s

c) 7,5 m/s

d) 60 m/s

v o È: *a) 15 m/s b) 30 m/s c) 7,5 m/s d) 60 m/s (UFV/MG-2009.1)
v o È: *a) 15 m/s b) 30 m/s c) 7,5 m/s d) 60 m/s (UFV/MG-2009.1)

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Uma pedra est· fixa na periferia de uma roda de raio R =2me gira com velocidade linear de mÛdulo constante V. Se A È o mÛdulo da aceleraÁ„o da pedra, das opÁıes abaixo, aquela que apre- senta valores para V e A, em acordo com a cinem·tica do movi- mento circular uniforme, È:

*a) V = 2 m/s e A = 2 m /s 2 .

b) V = 1 m/s e A = 4 m /s 2 .

c) V = 4 m/s e A = 6 m /s 2 .

d) V = 6 m/s e A = 0 m /s 2 .

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um bloco desliza em um plano inclinado sem atrito com veloci- dade inicial de mÛdulo v 0 , como mostrado na figura ao lado. Se a aceleraÁ„o da gravidade È g, o mÛdulo da velocidade (v) do blo- co, apÛs este percorrer uma dist‚ncia d ao longo do plano incli- nado, È:

*a)

uma dist‚ncia d ao longo do plano incli- nado, È: *a) b) c) v = v
b) c) v = v 0 + gdsen / v 0 d) v = v
b)
c) v = v 0 + gdsen
/ v 0
d) v = v 0 ñ gdsen
/ v 0
b) c) v = v 0 + gdsen / v 0 d) v = v 0

(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A Um veÌculo, movendo-se em linha reta, desacelera uniformemen-

te, a partir de 72 km/h, parando em 4,0 s. A dist‚ncia percorrida pelo veÌcul o e o mÛdulo de sua velocidade mÈdia durante a desaceleraÁ„o s„o, respectivamente:

*a) 40 m e 10 m/s.

b) 80 m e 20 m/s.

c) 20 m e 5 m/s.

d) 20 m e 20 m/s.

(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C A polia A de raio 10 cm est· acoplada ‡ polia B de raio 36 cm por uma correia, conforme mostra a figura. A polia A parte do repou- so e aumenta uniformemente sua velocidade angular ‡ raz„o de 3,14 rad/s 2 . Supondo que a correia n„o deslize e que a polia B parte do repouso, o tempo necess·rio para a polia B alcanÁar a freq¸Íncia de 100 rev/min ser· de

a) 1,91 s

b) 3,82 s

*c) 12,00 s

d) 3,00 s

rev/min ser· de a) 1,91 s b) 3,82 s *c) 12,00 s d) 3,00 s e)
e) 3,60 s (Adote
e) 3,60 s
(Adote

= 3,14)

japizzirani@gmail.com

(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Na figura abaixo est„o representados os gr·ficos das velocida- des de dois mÛveis A e B, os quais partem de um mesmo ponto

a partir do repouso, em instantes diferentes. Ambos se movem no mesmo sentido em uma trajetÛria retilÌnea.

se movem no mesmo sentido em uma trajetÛria retilÌnea. Assinale a alternativa correta. a) Os mÛveis

Assinale a alternativa correta.

a) Os mÛveis possuem a mesma aceleraÁ„o.

b) Os mÛveis se encontram em t = 4s.

c) Desde a partida at È t = 4s o mÛvel A percorre 32 m.

*d) No instante em que os mÛveis se encontram a velocidade de

B

È 24 m/s.

e)

Ambos os mÛveis desenvolvem movimento retilÌneo e unifor-

me.

(UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: C

Do alto de uma torre, um corpo cai livremente a partir do repou- so. Se o tempo de queda È de 4,0 s, a raz„o entre as dist‚ncias percorridas na segunda metade do tempo de queda e na primei- ra metade desse tempo È

a) 1

b) 2

*c) 3

d) 4

e) 5

(UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: E

A

uma partÌcula no instante em que ela passa pelo ponto P da sua

trajetÛria.

figura representa os vetores velocidade e aceleraÁ„o de

figura representa os vetores velocidade e aceleraÁ„o de Sendo | | = 5,0 m/s 2 ,
figura representa os vetores velocidade e aceleraÁ„o de Sendo | | = 5,0 m/s 2 ,
figura representa os vetores velocidade e aceleraÁ„o de Sendo | | = 5,0 m/s 2 ,

Sendo | | = 5,0 m/s 2 , | | = 20 m/s, sen = 0,8 e cos = 0,6 È correto afirmar que

a) o mÛvel descreve uma trajetÛria circular.

b) 5,0 s apÛs passar pelo ponto P, o mÛdulo da sua velocidade

vale 40 m/s.

c)

vale 60 m.

o raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P)

raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P) d) ao passar pelo ponto P, o
raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P) d) ao passar pelo ponto P, o
raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P) d) ao passar pelo ponto P, o
raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P) d) ao passar pelo ponto P, o
raio da trajetÛria (circunferÍncia tangente a no ponto P) d) ao passar pelo ponto P, o

d) ao passar pelo ponto P, o movimento da partÌcula È retardado.

*e) o mÛdulo da aceleraÁ„o centrÌpeta da partÌcula no ponto P

vale 4,0 m/s 2 .

(UNIFAL/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B

Durante uma tempestade, um raio È avistado por um observador

e o estrondo do trov„o È ouvido 2,0 segundos depois. Qual a

dist‚ncia entre o observador e o local da queda do raio? (Consi- dere a velocidade do som no ar = 340,0 m/s.)

a) 540,0 m.

*b) 680,0 m.

c) 760,0 m.

d) 1,10 Km.

e) 0,85 Km.

15

(UFPE-2009.1) - ALTERNATIVA: A Uma partÌcula executa um movimento uniformemente variado ao longo de uma linha reta. A partir da representaÁ„o gr·fica da po- siÁ„o x da partÌcula, em funÁ„o do tempo, mostrada abaixo, iden- tifique o gr·fico que descreveria corretamente a velocidade v da partÌcula, em funÁ„o do tempo.

a velocidade v da partÌcula, em funÁ„o do tempo. b) c) d) b) *a) e) (UFPE-2009.1)
b) c) d) b)
b)
c)
d)
b)

*a)

e)

(UFPE-2009.1) - RESPOSTA : d = 85 m Um estudante de fÌsica deseja localizar o ponto mÈdio entre duas encostas de um vale. A figura mostra uma vista de cima das encosta s e a posiÁ„o do estudante.

uma vista de cima das encosta s e a posiÁ„o do estudante. Ele faz explodir uma

Ele faz explodir uma pequena bomba e registra os intervalos de tempo tD = 1,5 s e tE = 0,5 s, respectivamente, entre a explo- s„o e os primeiros ecos do lado direito (D) e do esquerdo (E). Sabendo-se que a velocidade do som vale v = 340 m/s, calcule a dist‚ncia perpendicular, d, entre a posiÁ„o da explos„o e a linha mÈdia, em metros. Suponha que o ar est· parado em relaÁ„o ao solo.

japizzirani@gmail.com

ar est· parado em relaÁ„o ao solo. japizzirani@gmail.com (UNIFAL/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL Considere que um
ar est· parado em relaÁ„o ao solo. japizzirani@gmail.com (UNIFAL/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL Considere que um

(UNIFAL/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL Considere que um projÈtil È lanÁado verticalmente para cima por um lanÁa-projÈtil (uma espÈcie de mini-canh„o) colocado sobre um trenzinho de brinquedo, como mostra a figura a seguir.

um trenzinho de brinquedo, como mostra a figura a seguir. Considerando o exposto, execute o que

Considerando o exposto, execute o que se pede.

a) Desenhe a trajetÛria do projÈtil considerando que o trenzinho

realiza um Movimento RetilÌneo e Uniforme, a partir do referencial

de

quem est· em repouso sobre o trenzinho.

b)

Desenhe a trajetÛria do projÈtil considerando que o trenzinho

realiza um Movimento RetilÌneo e Uniforme, a partir de um obser- vador externo em repouso em relaÁ„o ao trem.

RESPOSTA: UNIFAL-2009

a)

b) a trajetÛria È parabÛlica
b)
a trajetÛria
È parabÛlica

(CEFETSP-2009.1) - ALTERNATIVA: A

O crescente aumento do n˙mero de veÌculos automotores e o

conseq¸ente aumento de engarrafamentos tÍm levado a Prefei- tura do MunicÌpio de S„o Paulo a um monitoramento intensivo das condiÁıes de circulaÁ„o nas vias da cidade. Em uma sonda-

gem, um funcion·rio da companhia de tr‚nsito deslocou seu ve- Ìculo, constatando que

ñ permaneceu parado, durante 30 minutos;

ñ movimentou-se com velocidade de 20 km/h, durante 12 minu- tos;

ñ movimentou-se com velocidade de 45 km/h, durante 6 minu- tos.

Da an·lise de seus movimentos, pÙde-se constatar que, para o deslocamento realizado, a velocidade mÈdia desenvolvida foi, em km/h, *a) 10,5.

b) 12,0.

c) 13,5.

d) 15,0.

e) 17,5.

(CEFETSP-2009.1) - ALTERNATIVA: E Uma das caracterÌsticas que traÁam a paisagem de uma metrÛ-

pole È o elevado n˙mero de edifÌcios, residenciais ou comerciais. As empresas especializadas em transporte sabem que, de uma forma ou de outra, precisam capacitar seus funcion·rios para contornar circunst‚ncias de alto grau de complexidade. Assim, objetos de grande porte e impossÌveis de serem desmontados devem ser iÁados pelo lado de fora dos prÈdios. Um piano de 400 kg, que estava sendo erguido pelo lado externo de um prÈdio

de apartamentos encontrava-se a 60 m do ch„o quando, tragica-

mente, a corda que o suspendia se rompeu. A velocidade de chegada desse piano ao solo, supondo uma aceleraÁ„o da gravi-

dade de intensidade 10 m/s 2 , È, em m/s, aproximadamente, Dado: considere que o piano cai a partir do repouso e que a influÍn cia do ar È desprezÌvel para esse problema.

a) 15.

b) 20.

c) 25.

d) 30.

*e) 35.

16

(VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C Numa viagem, um motorista passa pela placa mostrada na Figu- ra 1, quando sua velocidade È 30 m/s. Aciona os freios nesse instante e, mantendo uma desaceleraÁ„o constante atÈ chegar ‡ lombada, passa pela placa mostrada na Figura 2 quando sua velocidade È 20 m/s.

placa mostrada na Figura 2 quando sua velocidade È 20 m/s. Pode-se afirmar que, para chegar
placa mostrada na Figura 2 quando sua velocidade È 20 m/s. Pode-se afirmar que, para chegar

Pode-se afirmar que, para chegar da primeira placa ‡ lombada, ele demorou um intervalo de tempo, em segundos, de

a) 10.

b) 15.

*c) 20.

d) 25.

e) 30.

(FUVEST-2009.1) - RESPOSTA: a) t 1 = 0,50 s b) v H = 6,0 m/s

c) t 2

O salto que conferiu a medalha de ouro a uma atleta brasileira, na OlimpÌada de 2008, est· representado no esquema ao lado, reconstruÌdo a partir de fotografias m˙ltiplas. Nessa representa- Á„o, est· indicada, tambÈm, em linha tracejada, a trajetÛria do centro de massa da atleta (CM).

tracejada, a trajetÛria do centro de massa da atleta (CM). 0,67 s Fig 33 2009 CIN

0,67 s

Fig 33 2009 CIN
Fig 33 2009 CIN

NOTE E ADOTE:

Desconsidere os efeitos da resistÍncia do ar. AceleraÁ„o da gravidade na Terra, g = 10 m/s 2

Utilizando a escala estabelecida pelo comprimento do salto, de 7,04 m, È possÌvel estimar que o centro de massa da atleta atin- giu uma altura m·xima de 1,25 m (acima de sua altura inicial), e que isso ocorreu a uma dist‚ncia de 3,0 m, na horizontal, a partir do inÌcio do salto, como indicado na figura. Considerando essas informaÁıes, estime:

a) O intervalo de tempo t 1 , em s, entre o instante do inÌcio do

salto e o instante em que o centro de massa da atleta atingiu sua altura m·xima.

b) A velocidade horizontal mÈdia, V H , em m/s, da atleta durante o

salto.

c) O intervalo de tempo t 2 , em s, entre o instante em que a atleta

atingiu sua altura m·xim a e o instante final do salto.

(VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: C

Uma ciclovia horizontal apresenta um trecho em forma de quarto de circunferÍncia com raio interno de 100 m. Um ciclista pedala por esse trecho percorrendo-o em 6,25 s, com velocidade cons- tante. As rodas da bicicleta tÍm raio de 40 cm. Ent„o, a freq¸Íncia de giro dessas rodas È, em Hz,

a) 1.

b) 6,25.

*c) 10. d) e)
*c) 10.
d)
e)

japizzirani@gmail.com

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 19 (01+02+16) Com base no gr·fico abaixo, que representa os movimentos de duas partÌculas A e B, assinale o que for correto.

de duas partÌculas A e B, assinale o que for correto. 01) As partÌculas partem de

01) As partÌculas partem de pontos diferentes no mesmo instan- te. 02) As partÌculas descrevem movimentos uniformes com veloci- dades iguais. 04) No instant e t = 5 s, as posiÁıes das partÌculas A e B ser„o dadas respectivamente por: S A = 5.v e S B = 20+ 5.v 08) As partÌculas partem do mesmo ponto em instantes diferen- tes. 16) Durante o movimento, a partÌcula B mantÈm-se distante 20

m da partÌcula A.

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 31 (01+02+04+08+16) Uma pequena esfera È abandonada em queda livre e leva 5 se- gundos para chegar ao solo. Sobre este movimento, consideran-

do a aceleraÁ„o local da gravidade como 10 m/s 2 , assinale o que

for correto. 01) A velocidade mÈdia da esfera durante o primeiro segundo foi

de 5 m/s. 02) Ao final do terceiro segundo, a dist‚ncia percorrida pela esfe-

ra foi de 45 m.

04) No ˙ltimo segundo da queda, a esfera percorreu 45 m. 08) A velocidade da esfera ao final do quarto segundo foi de 40 m/s. 16) O tempo de qued a e a dist‚ncia percorrida pela esfera seri- am os mesmos se ela tivesse caÌdo com velocidade constante e igual a 25 m/s.

(UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: A Uma partÌcula de massa m gira em um plano vertical, presa a uma corda de massa desprezÌvel, conforme a figura a seguir. No instante indicado na figura, a corda se parte, de modo que a par- tÌcula passa a se mover livremente. A aceleraÁ„o da gravidade local È constante e apresenta mÛdulo igual a g.

gravidade local È constante e apresenta mÛdulo igual a g. Assinale a alternativa que descreve o

Assinale a alternativa que descreve o movimento da partÌcula apÛs a corda ter se rompido.

mÛdulo igual a g. Assinale a alternativa que descreve o movimento da partÌcula apÛs a corda

17

(UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um relÛgio analÛgico possui um ponteiro A, que marca as horas,

e um ponteiro B, que marca os minutos.

Assinale a alternativa que contÈm o tempo em que os ponteiros

A e B se encontram pela primeira vez apÛs as trÍs horas.

a) 15min 16

b) 15min 21

c) 16min 16

81

90

81

99

81

99

s.

s.

s.

*d) 16min 21

81

99

s.

e) 16min 21

81

90

s.

(UNICAMP-2009.1) - RESPOSTA: a) 32 km/h b) 4 10 2 s Os avanÁos tecnolÛgicos nos meios de transporte reduziram de forma significativa o tempo de viagem ao redor do mundo. Em

2008 foram comemorados os 100 anos da chegada em Santos do navio Kasato Maru , que, partindo de TÛquio, trouxe ao Brasil os primeiros imigrantes japoneses. A viagem durou cerca de 50 dias. Atualmente, uma viagem de avi„o entre S„o Paulo e TÛquio dura em mÈdia 24 horas. A velocidade escalar mÈdia de um avi„o comercial no trecho S„o Paulo-TÛquio È de 800 km/h.

a) O comprimento da trajetÛria realizada pelo Kasato Maru È igual

a aproximadamente duas vezes o comprimento da trajetÛria do

avi„o no trecho S„o Paulo-TÛquio. Calcule a velocidade escalar

mÈdia do navio em sua viagem ao Brasil.

b) A conquista espacial possibilitou uma viagem do homem ‡ Lua

realizada em poucos dias e proporcionou a m·xima velocidade de deslocamento que um ser humano j· experimentou. Conside- re um foguete subindo com uma aceleraÁ„o resultante constante

de mÛdulo a R = 10 m/s 2 e calcule o tempo que o foguete leva para percorrer uma dist‚ncia de 800 km, a partir do repouso.

(CEFETGO-2009.1) - ALTERNATIVA: C No acidente aÈreo ocorrido no Brasil, no ano de 2006, entre um Boeing 737-800 Next Generation da Gol Linhas AÈreas e um

Legacy N600L da companhia americana Excelaire Services, ad- mitiu-se que, na ocasi„o da colis„o, as duas aeronaves viajavam

a uma velocidade mÈdia de 800 km/h.

Imaginando-se que, numa situaÁ„o hipotÈtica, as duas aerona- ves estivessem alinhadas frontalmente, como mostra a figura a seguir, considerando que a altura do leme do Boeing, com rela- Á„o ‡ parte superior da fuselagem, È algo em torno de 7,20 m e que, em situaÁ„o de emergÍncia, o piloto de um Legacy pode comandar uma raz„o de subida da aeronave de 90,0 m/s, man- tendo a velocidade de 800 km/h na trajetÛria da rampa de subi- da, qual seria a dist‚ncia mÌnima necess·ria para que o piloto do Legacy, uma vez avistado o Boeing (fato que na realidade n„o deve ter ocorrido), corrigisse em tempo sua altitude, subindo a aeronave, para evitar a colis„o? Os c·lculos devem levar em conta que o tempo de reaÁ„o de um piloto (tempo que decorre entre perceber um perigo s˙bito e acionar qualquer comando direcional do avi„o) È da ordem de 0,7 segundos.

Fig 39 2009 CIN

Fig 40 2009 CIN

È da ordem de 0,7 segundos. Fig 39 2009 CIN Fig 40 2009 CIN a) 340

a) 340 m

b) 350 m

*c) 345 m

d) 360 m

e) 355 m

japizzirani@gmail.com

(FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: C Numa tempestade, ouve-se o trov„o 7,0 segundos apÛs a visualizaÁ„o do rel‚mpago. Sabendo que a velocidade da luz È de 3,0x10 8 m/s e que a velo- cidade do som È de 3,4x10 2 m/s, È possÌvel afirmar que a dist‚n-

cia entre o local onde ocorreu o rel‚mpago e onde ele foi visto È

de

a)

b)

*c) 2,4x10 3 metros.

d) 2,1x10 9 metros.

e) 4,3x10 6 metros.

6,2x10 6 metros.

4,8x10 1 metros.

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA:A

A dist‚ncia aproximada entre MaceiÛ e Recife È melhor expres-

sa, em notaÁ„o cientÌfica, por

*a) 3,0 10 8 mm.

b) 3,0 10 7 dm.

c) 0,3 10 5 km.

d) 3 000 000 m.

e) 3,0 10 6 m.

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um atleta em treinamento percorre os 4 km de uma alameda retilÌnea em 20 min, no sentido norte; converge para a direita,

percorrendo mais 5 km por uma alameda transversal, em 30 min, no sentido leste. Por fim, convergindo novamente para a direita, percorre os ˙ltimos 3 km de uma terceira alameda retilÌnea em 10 min, no sentido sul. O mÛdulo de sua velocidade vetorial mÈ- dia vale, aproximadamente,

a) 4,0 km/h.

*b) 5,1 km/h.

c) 12 km/h.

d) 20 m/min.

e) 8,5 m/min.

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C Na pista de skate da praia de PajuÁara, um garoto desliza, a partir do repouso, descrevendo um movimento retilÌneo unifor- memente acelerado, cujo gr·fico da posiÁ„o, em funÁ„o do tem- po, est· na figura.

da posiÁ„o, em funÁ„o do tem- po, est· na figura. A correspondente funÁ„o hor·ria È dada

A correspondente funÁ„o hor·ria È dada por

a) S = 20 + 20.t ñ 5,0.t 2 .

b) S = 20 ñ 20.t ñ 2,5.t 2 .

*c) S = 20 ñ 1,25.t 2 .

d) S = 20 ñ 2,5.t 2 .

e) S = 20 ñ 5,0.t 2 .

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C Num teste de balÌstica, um projÈtil foi lanÁado do solo sob um

‚ngulo de 45 com a horizontal (sen 45 = cos 45 = /2), retornando ao solo 360 m adiante do ponto de lanÁamento. Considerando a aceleraÁ„o da gravidade com o valor 10 m/s 2 ,

pode-se dizer que a velocidade de lanÁamento do projÈtil foi, em m/s, de

a) 10.

b) 36.

*c) 60.

d) 126.

e) 252.

2 , pode-se dizer que a velocidade de lanÁamento do projÈtil foi, em m/s, de a)

18

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um veÌculo trafega por uma estrada retilÌnea e, em determinado instante, seu motorista avista uma praÁa de ped·gio. Ele passa, ent„o, a desacelerar uniformemente atÈ parar em frente ‡ cabine de arrecadaÁ„o, onde efetua o pagamento da tarifa para, em se- guida, acelerar uniformemente no mesmo sentido de viagem. O gr·fico da posiÁ„o, em funÁ„o do tempo, que melhor representa o procedimento relatad o È o da alternativa

a)

b)

c)

o procedimento relatad o È o da alternativa a) b) c) *d) e) (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA:
o procedimento relatad o È o da alternativa a) b) c) *d) e) (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA:

*d)

e)

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: E Os cavalinhos do carrossel de um parque de diversıes encon- tram-se dispostos a 3,0 m do centro dele. Quando o carrossel efetua uma volta em 10 s, a velocidade linear mÈdia de uma

crianÁa montada num cavalinho dever· ser, em relaÁ„o ao solo e em m/s, prÛxima de

a) 0,60.

b) 0,90.

c) 1,2.

d)

*e) 1,9.

1,5.

(CEFETCE-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um mÛvel desloca-se em linha reta, sujeito a uma aceleraÁ„o escalar, cujo mÛdulo varia com o tempo segundo o gr·fico a se- guir. Sobre a velocidade do mÛvel, È correto afirmar-se que

Sobre a velocidade do mÛvel, È correto afirmar-se que a) È constante nos intervalos de 0s

a) È constante nos intervalos de 0s a 8s e de 10s a 18s.

b) aumenta entr e 0 e 8s e diminui entre 8s e 10s.

c) È constante em todo o intervalo

*d) aumenta em todo o intervalo

e) diminui entre 10s e 18s.

(CEFETCE-2009.1) - ALTERNATIVA: D Uma pessoa pula verticalmente sobre uma cama el·stica que se encontra fixa na carroceria de um caminh„o o qual se desloca

com velocidade constante em uma estrada horizontal e retilÌnea. Desprezando a resistÍncia do ar sobre a pessoa, devido ao mo- vimento do caminh„o, È correto afirmar-se que

a) quanto mais alto a pessoa pular, maio r È o risco de ela cair na

frente do caminh„o.

b) quanto mais alto a pessoa pular, maio r È o risco de ela cair

atr·s do caminh„o.

c) quanto mais alto a pessoa pular, maio r È o risco de ela cair do

lado do caminh„o.

*d) n„o importa a altura que a pessoa pule: ela sempre cair· no mesmo ponto sobre a cama.

e) È necess·rio saber a massa da pessoa, para afirmar algo so-

bre o ponto de queda da mesma.

japizzirani@gmail.com

(CEFETCE-2009.1) - RESPOSTA: 113,4 segundos Um garoto, em pÈ, ‡s margens de um lago de ·guas tranq¸ilas, joga uma pedra na ·gua, para produzir ondas.

tranq¸ilas, joga uma pedra na ·gua, para produzir ondas. Supondo-se que o lanÁamento È feito obliquamente

Supondo-se que o lanÁamento È feito obliquamente com veloci- dade V o = 10 m/s, a 1,4 metros da superfÌcie da ·gua, determine

apÛs quanto tempo, a partir do lanÁamento da pedra, a onda formada atingir· a margem no ponto de lanÁamento. Considere a profundidade do lago igual em todos os pontos e a velocidade das ondas na ·gua igual a 10 cm/s. Despreze a resis- tÍncia do ar.

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: B A velocidade mÈdia de uma pessoa normal ( V P ) È aproximada- mente 5,4 km/h. Os atletas olÌmpicos nas provas de 100 m rasos desenvolvem velocidades mÈdias (V A )de 10 m/s e a lesma des- loca-se com velocidade mÈdia (V L ) de 1,5 mm/s. Escrevendo estas velocidades mÈdias em ordem crescente de valores, encontramos:

a) V P ; V A ; V L

*b) V L ; V P ; V A

c) V P ; V L ; V A

d) V A ; V P ; V L

e) V L ;; V A ; V P

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: A Certo automÛvel tem sua velocidade alterada de 0 a 100 km/h

em 4,5 s. Isto significa dizer que sua aceleraÁ„o mÈdia, em m/s 2 , corresponde aproximadamente a:

*a) 6,2

b) 22,2

c) 5

d) 10

e) 8

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um corpo em queda vertical no v·cuo possui, a partir do repou-

so, uma velocidade v apÛs percorrer uma altura h. Para a veloci- dade ser 3.v, a dist‚ncia percorrida ser· de:

a) 3 h

b) 6 h

c) 4 h

*d) 9 h

e) 2 h

(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B VocÍ sobe uma escada e, a meio caminho do topo, de uma altu- ra y, vocÍ deixa cair uma pedra. Ao atingir o topo da escada, de uma altura 2y, vocÍ solta uma outra pedra. Sendo v 1 e v 2 os mÛdulos das velocidades de impacto no solo da

primeira e da segunda pedra, respctimamente, a raz„o v 1 v 2 vale

a) 1/2. *b) 1 . c) 1. d) .
a) 1/2.
*b) 1
.
c) 1.
d)
.

e) 2.

19

(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: C (RESOLU« O NO FINAL) A seq¸Íncia de pontos na figura abaixo marca as posiÁıes, em intervalos de 1 segundo, de um corredor de 100 m rasos, desde sua largada atÈ a chegada.

corredor de 100 m rasos, desde sua largada atÈ a chegada. Fig 47 2009 CIN Assinale
Fig 47 2009 CIN
Fig 47 2009 CIN
m rasos, desde sua largada atÈ a chegada. Fig 47 2009 CIN Assinale o gr·fico que
m rasos, desde sua largada atÈ a chegada. Fig 47 2009 CIN Assinale o gr·fico que

Assinale o gr·fico que melhor representa a evoluÁ„o da velocidde instant‚nia do corredor.

Fig 48 2009 CIN

da velocidde instant‚nia do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
da velocidde instant‚nia do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
da velocidde instant‚nia do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
da velocidde instant‚nia do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
da velocidde instant‚nia do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B

RESOLU« O UFRGS-2009.1:

do corredor. Fig 48 2009 CIN RESOLU« O UFRGS-2009.1: (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma roda de

(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma roda de bicicleta de raio 50,0 cm roda sobre uma superfÌcie horizontal, sem deslizar, com uma velocidade angular constante de 2 rad/s. Em 1,0 s, o ponto central da roda percorre uma dist‚ncia de

1,0 s, o ponto central da roda percorre uma dist‚ncia de a) *b) / 2 m.
a) *b) / 2 m. m. c) m. 2
a)
*b)
/ 2 m.
m.
c) m.
2

d) 1,0 m

e) 2,0 m.

japizzirani@gmail.com

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D TrÍs corpos 1, 2 e 3 movem-se segundo um movimento retilÌneo

suas respectivas aceleraÁıes a 1 , a 2 e a 3 s„o mostradas no gr·fico abaixo.

e

, a 2 e a 3 s„o mostradas no gr·fico abaixo. e Analisando _ _ esse

Analisando _ _ esse _ gr·fico, pode-se afirmar que as aceleraÁıes

mÈdias

a 1 , a 2

e a 3 dos trÍs corpos entre os instantest=0et=6

s,

È:

_

_

_

a) a 3 > _ a 2 > a 1 .

_

 

b)

_

a 2 > a 1 > a 3 .

c) a _ 1 > a _ 3 > a 2 .

_ *d) a 1 > a 2 > a 3 .

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B As bicicletas de v·rias marchas possuem um conjunto de coro-

as, onde È fixado o pedal, e um conjunto de catracas, que È fixa-

da ‡ roda traseira. O conjunto de coroas È ligado ao conjunto de catracas por meio de uma corrente, a chamada transmiss„o. Suponha que um ciclista utilize uma coroa de raio R e uma catraca

de raio r , tal que R = 2 r , e que esse ciclista dÍ uma pedalada por segundo.Pode-se afirmar que

a) a velocidade angular da coroa e da catraca s„o iguais.

*b) a velocidade linear da transmiss„o È constante.

c) a freq¸Íncia de rotaÁ„o da catraca È metade da freq¸Íncia de

rotaÁ„o da coroa.

d) a velocidade linear da transmiss„o na catraca È o dobro da

velocidade linear da transmiss„o na coroa.

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D Um mÛvel realiza um movimento retilÌneo e sua velocidade em relaÁ„o ao tempo È mostrada no diagrama abaixo. Sabe-se que

o mÛvel no intante t o =0,partiu da posiÁ„o S o = 10 m; ent„o, sua posiÁ„o na trajetÛria no instante t = 7 s È:

a) 30 m.

b) 20 m

c) 40 m.

*d) 50 m.

no instante t = 7 s È: a) 30 m. b) 20 m c) 40 m.

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um mÛvel descreve um Movimento Uniformente Variado e o dia- grama da posiÁ„o versus tempo È mostrado abaixo. Analisando- se esse diagrama, pode-se afirmar que,

abaixo. Analisando- se esse diagrama, pode-se afirmar que, a) no intervalo d e0at 1 , o

a) no intervalo d e0at 1 , o movimento È acelerado progressivo.

b) no intervalo de t 1 a t 2 , o movimento È retardado retrÛgrado.

c) a partir do intante t 2 , o movimento È acelerado retrÛgrado.

d) a partir de t 3 , o movimento È retardado progressivo.

20

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A

O motor de um port„o eletrÙnico possui uma polia dentada, tam-

bÈm chamada de pinh„o, com raio de 10 cm, a qual È aclopada a uma cremalheira de comprimento 4 m, presa ao port„o. Ao acio- nar o motor, a polia gira com freq¸Íncia de 30 rpm. Consideran- do a polia dentada no inÌcio da cremalheira, o tempo necess·rio para abrir ou fechar o port„o totalmente È

Fig 49 2009 CIN

abrir ou fechar o port„o totalmente È Fig 49 2009 CIN *a) 40/ s. b) 30
*a) 40/ s. b) 30 s. c) 7,5 s¥ d) 3,14 s.
*a) 40/
s.
b) 30 s.
c) 7,5
d) 3,14 s.
49 2009 CIN *a) 40/ s. b) 30 s. c) 7,5 s¥ d) 3,14 s. (UFLA/MG-2009.1)
49 2009 CIN *a) 40/ s. b) 30 s. c) 7,5 s¥ d) 3,14 s. (UFLA/MG-2009.1)

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um disco gira com aceleraÁ„o angular constante em torno de um

eixo que passa pelo seu centro O (figura abaixo). A dist‚ncia do centro do disco ao ponto A È representada por R, e a do ponto B

È representada por 2R . Considerando a velocidade tangencial v,

velocidade angular e aceleraÁ„o centrÌpeta a relativa aos pon- tos A e B, pode-se afirmar que

a relativa aos pon- tos A e B, pode-se afirmar que a) v B = 2v
a relativa aos pon- tos A e B, pode-se afirmar que a) v B = 2v

a)

v B = 2v A ;

A = 2 B ; a B = 2a A .

A =
A =

b)

*c) v B = 2v A ; A

d)

v B = v A ;

v B = v A ;

B ; a B = a A . = B ; a B = 2a A .

A = 2 B ; a B = a A .

(UFLA/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) S A = 5.t 2 (SI)

b) S B = 55.t ñ 50 (SI)

Dois objetos A e B movem-se em movimento retilÌneo, cujas po- siÁıes em funÁ„o do tempo s„o mostradas no gr·fico abaixo.

em funÁ„o do tempo s„o mostradas no gr·fico abaixo. O objeto A move-se com aceleraÁ„o constante

O objeto A move-se com aceleraÁ„o constante a = 10 m/s 2 a

partir do repous o e o objeto B move-se com velocidade constan- te. Resolva os itens a seguir.

a) EquaÁ„o hor·ria S A (t) do objeto A .

b) EquaÁ„o hor·ria S B (t) do objeto B.

(ACAFE/SC-2009.1) - ALTERNATIVA: A

Atletas de competiÁ„o comumente expressam suas marcas em uma unidade qu e È o inverso da velocidade, geralmente em min/ km . Considerando que dois atletas, M e N, tÍm seus desempenhos registrados respectivamente em (M) 3,5 min/km e ( N ) 4,0 min/ km para uma prova de 5000 m e admitindo-se velocidades cons- tantes, a alternativa correta È:

*a) A dist‚ncia entre os corredores, quando M cruza a linha de chegada, È de 625 m.

b) O corredor N È mais r·pido que o M .

c) A dist‚ncia entre os corredores, quando M cruza a linha de

chegada, È de 250 m.

d) A velocidade de N È 4,0 m/s.

japizzirani@gmail.com

(UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma pista de corrida tem sua forma indicada na figura abaixo, na qual os trechos AB e CD s„o retas, e os trechos BC e DA s„o arcos de circunferÍncia de raio R.

BC e DA s„o arcos de circunferÍncia de raio R . Um veÌculo, fazendo um teste

Um veÌculo, fazendo um teste nessa pista no trecho AB , mantÈm

o mÛdulo de sua velocidade constante, nos trechos BC e CD ,

tem o mÛdulo de sua velocidade aumentando e, finalmente, no

trecho DA, tem o mÛdulo de sua velocidade diminuindo. A figura da alternativa que representa CORRETAMENTE os vetores ve- locidade e aceleraÁ„o em todos os trechos da pista È:

a)

*b)

c)

d)

aceleraÁ„o em todos os trechos da pista È: a) *b) c) d) (UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C

(UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um projÈtil È lanÁado com velocidade escalar v o a partir do solo.

O ‚ngulo entre o vetor velocidade v o e a direÁ„o horizontal È q .

Se a velocidade escalar do projÈtil ao atingir a altura y È v, qual seria a velocidade deste mesmo projÈtil a esta altura y, se o ‚n- gulo de lanÁamento mudasse de para 2 , mantendo-se a mes- ma velocidade inicial? Despreze a resistÍncia do ar e suponha

que 2 È menor ou igual a

a) 4 v

inicial? Despreze a resistÍncia do ar e suponha que 2 È menor ou igual a a)
inicial? Despreze a resistÍncia do ar e suponha que 2 È menor ou igual a a)
inicial? Despreze a resistÍncia do ar e suponha que 2 È menor ou igual a a)
inicial? Despreze a resistÍncia do ar e suponha que 2 È menor ou igual a a)

/2 .

b) 2 v

*c) v

d) v/2

21

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C

A partir do repouso, um carro percorreu o trecho retilÌneo de uma

avenida, desenvolvendo a velocidade mÈdia de 45 km/h. Este gr·fico representa o comportamento da velocidade (v), em

funÁ„o do tempo (t), para os primeiros 18 segundos da situaÁ„o descrita.

A partir dessas informaÁıes, È CORRETO afirmar que a veloci-

dade desse carro, no instante t = 13 s, foi de

a) 45 km/h.

b) 52 km/h.

*c) 54 km/h.

d) 62 km/h.

e) 65 km/h.

a) 45 km/h. b) 52 km/h. *c) 54 km/h. d) 62 km/h. e) 65 km/h. (UNICENTRO/PR-2009.1)

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: A No instante em que foi desligado, um ventilador estava girando

com 300 rpm (rotaÁıes por minuto) e, apÛs 40 segundos, as suas hÈlices pararam definitivamente. Durante esse intervalo de tem- po, a velocidade decresceu uniformemente. Entre o instante em que foi desligad o e o instante da parada definitiva, È CORRETO concluir que as hÈlices desse ventilador

completaram

*a) 100 voltas.

b) 120 voltas.

c) 180 voltas.

d) 200 voltas.

e) 240 voltas.

(UFT/TO-2009.1) - ALTERNATIVA:C Considere que a dist‚ncia entre Palmas e BrasÌlia seja de 900 km e a estrada seja sempre uma reta. Um carro indo de Palmas

para BrasÌlia, nesta estrada, faz um terÁo do caminho a 120 km/

h, outro terÁo a 80 km/ h e o restante a 60 km/h. Qual foi o mÛdulo

da velocidade mÈdia do carro durante esta viagem?

a) 70,0 km/h

b) 86,6 km/h

*c) 80,0 km/h

d) 75,5 km/h

((UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL Dois carros est„o se movendo em uma rodovia, em pistas distin- tas. No instante t = 0 s, a posiÁ„o do carro1Ès 01 = 75 m e a do carro2Ès 02 = 50 m. O gr·fico da velocidade em funÁ„o do tem- po para cada carro È dado a seguir.

em funÁ„o do tem- po para cada carro È dado a seguir. a) A partir do

a) A partir do gr·fico, encontre a aceleraÁ„o de cada carro.

b) Escreva a equaÁ„o hor·ria da posiÁ„o para cada carro.

c) Descreva, a partir da an·lise do gr·fico, o que ocorre no ins-

tante t = 5s.

RESPOSTA UFJF/MG-2009.1:

a)

a 1 = 2 m/s 2 e a 2 = -4 m/s 2

b)

s 1 = 75 -10t + t 2 (S.I.) e s 2 = 50 + 20t - 2t 2 (S.I.)

c)

Em t = 5s os dois carros momentaneamente param e invertem

o

sentido do movimento.

japizzirani@gmail.com

(UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: B Para repor a bola em jogo rapidamente, um goleiro d· um chute e a bola sai de seus pÈs com uma velocidade inicial de 40 m/s, cuja direÁ„o faz um ‚ngulo de 30 com o ch„o. Ela percorre, horizontalmente, 100 m do campo e entra no gol advers·rio. Quanto tempo ela levou para entrar no gol, desde que perdeu o contato com o pÈ do goleiro? (considere a aceleraÁ„o da gravi- dade = 10 m/s 2 , cos30 = 0,9 e sen30 = 0,5)

a) 1,6 s

*b) 2,8 s

c) 3,2 s

d) 3,6 s

e) 4,4 s

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um canh„o encontra-se na borda de um penhasco diante do mar, conforme mostra a figura. Esse canh„o est· a 78,4 m acima do nÌvel do mar, e ele dispara horizontalmente um projÈtil com velo- cidade inicial de 15,0 m/s. Desprezando a resistÍncia do ar e considerando a aceleraÁ„o da gravidade como 9,8 m/s 2 , em quan- to temp o e a que dist‚ncia da base do penhasco o projÈtil ir· atingir o mar?

a) 15,0 s; 15,0 m.

b) 4,0 s; 96,7 m.

*c) 4,0 s; 60,0 m.

d) 240 s; 3600 m.

e) 0,3 s; 4,0 m.

m. *c) 4,0 s; 60,0 m. d) 240 s; 3600 m. e) 0,3 s; 4,0 m.

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B TrÍs mÛveis A , B e C, cujos diagramas velocidade x tempo est„o representados abaixo, partem do repouso em um mesmo instan- te. Em um dado instante t posterior, os trÍs apresentam a mes- ma velocidade. Os espaÁos percorridos pelos mÛveis entre o instante0et valem respectivamente E A , E B e E C . Podemos afirmar que:

a) E A = E B = E C .

*b) E A > E B > E C .

c) E A < E B < E C .

d) E A = E B E C .

e) E A > E B < E C .

E B E C . e) E A > E B < E C . (CESGRANRIO-2009.1)

(CESGRANRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B Uma partÌcula movimenta-se sobre uma reta orientada graduada em metros. Em certo momento, aciona-se um cronÙmetro. A ta- bela abaixo associa a posiÁ„o da partÌcula sobre a reta com o tempo marcado no cronÙmetro desde o seu acionamento.

com o tempo marcado no cronÙmetro desde o seu acionamento. Sabendo-se que a posiÁ„o muda com

Sabendo-se que a posiÁ„o muda com o tempo, de acordo com

uma funÁ„o polinomial do 3 o grau, È correto afirmar que a veloci- dade escalar mÈdia no intervalo que vai de0a4 segundos, em m/s, vale

a)

2,5

d) 8,5

*b) 5,0

e)13,0

c)

7,5

22

(UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: E Um automÛvel em movimento retilÌneo tem sua velocidade, em

m/s, em funÁ„o do tempo, em segundos, dada pelo gr·fico a seguir. Seu deslocamento, em metros, entre os instante st=2s

e t = 8 s, È igual a:

a) 25

b) 18

c) 13

d) 12

*e) zero

e t = 8 s, È igual a: a) 25 b) 18 c) 13 d) 12

(UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: C Duas partÌculas, A e B, inicialmente na mesma posiÁ„o, movem- se em sentidos opostos ao longo da mesma circunferÍncia. Suas velocidades angulares constantes tÍm mÛdulos A = 10 rad/s e B = 8 rad/s. Quando o encontro se der novamente, a partÌcula

A ter· realizado um deslocamento angular de:

a)

b)

*c) 200

d)

e) 275

um deslocamento angular de: a) b) *c) 200 d) e) 275 120 180 270 (UFBA-2009.1) -
um deslocamento angular de: a) b) *c) 200 d) e) 275 120 180 270 (UFBA-2009.1) -
um deslocamento angular de: a) b) *c) 200 d) e) 275 120 180 270 (UFBA-2009.1) -
um deslocamento angular de: a) b) *c) 200 d) e) 275 120 180 270 (UFBA-2009.1) -

120

180

270

(UFBA-2009.1) - RESPOSTA: 2,4 10 ñ4 s e 5,2 10 2 Hz

A medida da velocidade da luz, durante muitos sÈculos, intrigou

os homens. A figura mostra um diagrama de um procedimento

utilizado por Albert Michelson, fÌsico americano nascido na anti- ga Pr˙ssia. Um prisma octogonal regular com faces espelhadas

È colocado no caminho Ûptico de um raio de luz. A luz È refletida na face A do prisma e caminha cerca de 36,0km atingindo o es- pelho, no qual È novamente refletida, retornando em direÁ„o ao prisma espelhado onde sofre uma terceira reflex„o na fac eCeÈ finalmente detectada na luneta.

reflex„o na fac eCeÈ finalmente detectada na luneta. O procedimento de Michelson consiste em girar o
reflex„o na fac eCeÈ finalmente detectada na luneta. O procedimento de Michelson consiste em girar o

O procedimento de Michelson consiste em girar o prisma de modo

que, quando o pulso de luz retornar, encontre a face B exatamen- te no lugar da face C.

Considerando que a velocidade da luz È igual a 3,0.10 5 km/s e

que a aresta do prisma È muito menor do que a dist‚ncia entre o prisma e o espelho,

ï calcule o tempo que um pulso de luz gasta para percorrer, ida e volta, a dist‚ncia do prisma espelhado atÈ o espelho;

ï calcule a freq¸Íncia de giro do prisma de modo que a face B

esteja na posiÁ„o da face C, quando o pulso de luz retornar.

(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um corpo move-se no plano XY, sendo as coordenadas de sua

posiÁ„o dadas pelas funÁıes x(t) = 3t e y(t) = t 3 ñ 12t, em centÌ- metros, com t em segundos. O mÛdulo do deslocamento entre os instantest=0et=4 segundos, em centÌmetros, È

a) 4.

*b) 20.

c) 38.

d) 48.

japizzirani@gmail.com

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 27 (01+02+08+16) Com base no gr·fico abaixo, que mostra o movimento retilÌneo descrito por uma partÌcula ao longo do eixo dos x, assinale o que for correto.

ao longo do eixo dos x, assinale o que for correto. 01) No intervalo de tempo

01) No intervalo de tempo 0 t mento retardado progressivo. 02) No intervalo de tempo 6 t

8, o mÛvel descreve um movi-t mento retardado progressivo. 02) No intervalo de tempo 6 t mento acelerado retrÛgrado. 04) No

mento acelerado retrÛgrado. 04) No instant e t = 8 s, o mÛvel inverte o sentido do seu movi- mento, passando a executar um movimento acelerado retarda- do. 08) No intervalo de tempo 4 t 6, o mÛvel encontra-se em repouso. 16) No intervalo de tempo 8 t 12, a aceleraÁ„o do mÛvel È

constante e igual a 1,5 m/s 2 .

4, o mÛvel descreve um movi-do mÛvel È constante e igual a 1,5 m/s 2 . (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA =

e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:
e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:
e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:
e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:
e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:
e igual a 1,5 m/s 2 . 4, o mÛvel descreve um movi- (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA:

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 21 (01+04+16) Um garoto lanÁou uma pedra obliquamente para cima, com velo- cidade inicial v 0 , e apÛs um intervalo de tempo t a pedra retor- nou ao solo. A respeito deste evento fÌsico, desconsiderando a forÁa resistiva do ar, assinale o que for correto. 01) A componente horizontal da velocidade da pedra permane- ceu constante durante o movimento. 02) Quando a pedra atingiu a altura m·xima, sua velocidade apre- sentava valor nulo. 04) A dist‚ncia percorrida horizontalmente pela pedra foi propor- cional ao dobro do tempo necess·rio para ela percorrer a dis- t‚ncia vertical. 08) Os movimentos horizontal e vertical de uma pedra lanÁada nestas condiÁıes est„o sujeitos ‡ aceleraÁ„o da gravidade. 16) O tempo de permanÍncia da pedra no ar foi proporcional ‡ velocidade de seu lanÁamento.

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um barco atravessa um rio de 50 m de largura, com velocidade m·xima prÛpria (imprimida apenas pelo motor do barco) de mÛdulo v b = 0,8 m/s. A correnteza tem velocidade constante de mÛdulo v c = 0,6 m/s. O barco sai do ponto A, numa margem, e chega ao

ponto B, na outra (veja a figura). O mÛdulo do deslocamento AB do barco È

a) 37,5 m.

*b) 62,5 m.

c) 53,5 m.

d) 26,5 m.

AB do barco È a) 37,5 m. *b) 62,5 m. c) 53,5 m. d) 26,5 m.

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C

O gr·fico abaixo representa a velocidade de um mÛvel em fun- Á„o do tempo, durante seu movimento em linha reta. Baseado nesse gr·fico, podemos afirmar CORRETAMENTE que a dist‚n- cia percorrida pelo mÛvel entre 0h e 6h È de

a) 200 km.

 
a) 200 km.    
 

b) 120 km.

   
   
   

*c) 160 km.

     

d)

100 km.

d) 100 km.
 
 
   
 
 
 
 

23

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um observador, dentro de um Ùnibus estacionado, nota que est· chovendo e que as gotas de chuva caem verticalmente, com ve-

locidade V 0 , tal que V 0 = 6,0 m/s, deixando riscos na janela (veja a figura). Dentro de um Ùnibus que se move, em relaÁ„o ‡ terra, com velocidade V 1 , sendo V 1 = 8,0 m/s, outro passageiro nota que as gotas de chuva, ao atingirem a janela, deixam riscos que formam ‚ngulos com a vertical (veja a figura). Determine o mÛdulo da velocidade V das gotas de chuva para o passageiro

da velocidade V das gotas de chuva para o passageiro do Ùnibus. a) 2,0 m/s. *b)
do Ùnibus. a) 2,0 m/s. *b) 10,0 m/s. c) 6,0 m/s. d) 14,0 m/s. Janela
do Ùnibus.
a) 2,0 m/s.
*b) 10,0 m/s.
c) 6,0 m/s.
d) 14,0 m/s.
Janela do Ùnibus
estacionado
Janela do Ùnibus em
movimento
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: B

O acelerador de partÌculas circular LHC, situado na fronteira da

SuÌÁa com a FranÁa, gerar·, a partir de 2009, cerca de 600 mi- lhıes de colisıes entre prÛtons a cada segundo. Destas coli- sıes, apenas 0,000017% ser„o de interesse cientÌfico. Pode-se concluir que a ordem de grandeza do n˙mero de colisıes de interesse cientÌfico por segundo ser· de:

a) 10 0

*b) 10 2

c) 10

d) 10

e) 10

4

6

8

(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: B

A posiÁ„o de um mÛvel que executa um movimento

unidimensional ao longo de uma linha reta È dada em funÁ„o do tempo por x(t) = 7t ñ 3t 2 . O tempo t È dado em segundos, e a

posiÁ„o x, em metros. Nestas circunst‚ncias, qua l È a velocida-

de

mÈdia deste mÛvel entre os instantes de temp ot=0set=4

s?

a)

5 m/s

*b) -5 m/s

c) 11 m/s

d) -11 m/s

e) 14,5 m/s

(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: E Num planeta em que a aceleraÁ„o da gravidade tem mÛdulo 5 m/ s 2 , uma partÌcula cai em queda livre a partir do repouso no ins-

tante t = 0. Denotando o eixo perpendicular ‡ superfÌcie do plane-

ta como eixo x, e considerando o seu sentido positivo para cima,

assinale o gr·fico que ilustra a velocidade v x desta partÌcula, em m/s, em funÁ„o do tempo t, em segundos.

b) c)
b)
c)

a)

d)
d)
*e)
*e)

japizzirani@gmail.com

(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um corpo move-se numa trajetÛria circular de raio r = m, com uma velocidade de mÛdulo constante,v=4 m/s. Para tal situa- Á„o, quanto tempo tal objeto leva para dar uma volta completa ao longo desta trajetÛria?

leva para dar uma volta completa ao longo desta trajetÛria? a) (2/ 2 ) s *b)
a) (2/ 2 ) s *b) ( 2 /2) s c) ( /2) s d)
a)
(2/
2 ) s
*b) ( 2 /2) s
c) ( /2) s
d) ( 2 /4) s
e) (2/ ) s

(UEMG-2009.1) - ALTERNATIVA: B Um corpo apresentava uma velocidade de 60 km/h, quando au- mentou sua velocidade rapidamente, mantendo-a durante um certo tempo. Depois disso, rapidamente diminuiu sua velocida- de, atingindo o repouso e permanecendo nele. Assinale, nas alternativas abaixo, o gr·fico da posiÁ„o d em fun- Á„o do tempo t que MELHOR descreve o que ocorreu com esse corpo:

a)

c)

*b)
*b)
d)
d)

(UFES-2009.1) - ALTERNATIVA: A

Considerando que se levam 10 dias para percorrer os 480 km do percurso do Caminho Novo, a velocidade escalar mÈdia da via- gem, em km/h, È *a) 2.

b) 4,8.

c) 20.

d) 24.

e) 48.

(UEPG/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B A figura abaixo mostra a trajetÛria de um corpo lanÁado com uma velocidade v, formando um ‚ngulo q com a horizontal. Sobre este evento, assinale a alternativa correta.

Sobre este evento, assinale a alternativa correta. a) ApÛs o lanÁamento, duas forÁas atuam no corpo:

a) ApÛs o lanÁamento, duas forÁas atuam no corpo: uma forÁa

vertical e uma forÁa horizontal. *b) A equaÁ„o da trajetÛria descrita pelo corpo È uma composi- Á„o das equaÁıes hor·rias dos movimentos uniforme e unifo rmemente variado.

c) Desprezando a resistÍncia do ar, em qualquer ponto da traje-

tÛria a velocidade total È constante.

d) O alcance m·ximo depende apenas da velocidade de lanÁa-

mento do corpo.

e) Na vertical atua a aceleraÁ„o da gravidade, e na horizontal a

aceleraÁ„o È uma funÁ„o da velocidade e do tempo.

24

(UFTM-2009.1) - RESPOSTA: a) 2,88 m/s b) 1,80 m Para uma boa pescaria, alÈm de um bom local e boas iscas, È fundamental, tambÈm, usar equipamentos adequados. Com a finalidade de facilitar o arremesso da isca e possibilitar maior forÁa de traÁ„o depois da fisgada, muitos pescadores utilizam carretilhas, que consistem num carretel onde a linha de pesca È enrolada, e numa manivela que faz o carretel girar. Uma caracte- rÌstica importante numa carretilha È a velocidade de giro que, em geral, vem impressa no equipamento com n˙meros representa- dos, por exemplo, assim: 4:1, ou seja, com uma volta na manive-

la, o carretel gira quatro vezes.

Fig 57 2009 CIN