P. 1
pgrss_odontologia

pgrss_odontologia

|Views: 509|Likes:

More info:

Published by: Ana Luisa Rodrigues Ferreira on Mar 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/03/2013

pdf

text

original

PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS

)
Modelo Simplificado para Clínica ou Consultório Odontológico

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO VERDE PAULO ROBERTO CUNHA ECRETARIA MUNICIPAL DE RIO VERDE EDUARDO MARTINS NETO JÚNIOR DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA CINTHIA YUKICO DOS SANTOS ELABORAÇÃO: PATRÍCIA BEZERRA DE ALMEIDA MARIANA CRUVINEL PEREIRA MONI ALIANE MENDONÇA GERALDINO .

a gestão. regulamentação e fiscalização. transporte. O PGRSS não é somente um registro de intenções. O que os diferencia é estar de acordo com o diagnóstico específico. vai além. Grande parte das informações necessárias ao roteiro de elaboração do PGRSS vem. . constituindo-se em uma base sólida para acertos e ajustes. armazenamento. no decorrer da pesquisa. tratamento e disposição final) em decorrência dos imediatos e graves riscos que podem oferecer. diagnóstico e desenho das primeiras propostas. coleta. por apresentarem componentes químicos. biológicos e radioativos. acondicionamento. ademais. mudanças no PGRSS ou até mesmo substituição do plano inicial. Cada PGRSS é único. Não é incomum. portanto. Os estabelecimentos de serviços de saúde são os responsáveis pelo correto gerenciamento de todos os RSS por eles gerados. O Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde deverá ser elaborado de acordo com as exigências técnicas estabelecidas na Resolução RDC n° 306 de 07 de Dezembro de 2004 e Resolução CONAMA 358 de 29 de Abril de 2005. mesmo que se tratem de estabelecimentos com as mesmas atividades. pois aborda as condições de implementação e acompanhamento. dentro de suas competências. cabendo aos órgãos públicos. pois merecem atenção especial em todas as suas fases de manejo (segregação. È aí que reside o valor do plano. das análises da situação existente obtidas no diagnóstico. mas.INTRODUÇÃO Os resíduos do serviço de saúde ocupam um lugar de destaque.

dos recursos materiais e da capacitação dos recursos humanos envolvidos no manejo de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS). dos recursos naturais e do meio ambiente.OBJETIVO O Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) deve apontar e descrever as ações relativas ao manejo de resíduos sólidos. um encaminhamento seguro. Deve abranger todas as etapas de planejamento dos recursos físicos. aos resíduos gerados. visando a proteção dos trabalhadores. . normativas e legais. com o objetivo de minimizar a produção de resíduos e proporcionar. de forma eficiente. a preservação da saúde. implementado a partir de bases científicas e técnicas.

l Compor uma equipe de trabalho. l Designar profissional para elaboração e implementação do PGRSS. ou documento similar quando couber. de acordo com a tipificação dos resíduos gerados.1 . ou Certificado de Responsabilidade Técnica. que deverá: ter registro junto ao seu conselho de classe e apresentar a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART. COMPONENTES DA EQUIPE DE TRABALHO Responsável pelo PGRSS Número do Conselho de Classe (CRO) Nome dos técnicos/cargos .EQUIPE DE TRABALHO l Abrange a definição de quem faz o quê e como.

2 .DADOS GERAIS DO ESTABELECIMENTO DADOS GERAIS DO ESTABELECIMENTO Razão Social Nome Fantasia Tipo de Estabelecimento Propriedade CNPJ/CPF Endereço Bairro Município Estado Fone(s) Fax Site E-mail Horário de Funcionamento Responsável Legal Data de Fundação ( )Pública ( )Filantrópica ( )Privada ( )Outro___________ ( ) 24h ( ) Diurno ( ) Noturno ( ) Emergência .

3 – CARACTERIZAÇÃO DO ESTABELECIMENTO CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES E SERVIÇOS DO ESTABELECIMENTO Tipos de especialidades Odontológicas Numero de atendimentos/dia Número de profissionais CARACTERIZAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Número total de funcionários Existentes: _______________________ A serem contratados: _______________ Total: _________ Em atividade ( ) Em implantação ( ) Em expansão/modernização ( Em relocalização ( ) Condição de funcionamento do estabelecimento ) Tipo de serviços terceirizados Manutenção ( ) Limpeza ( ) Serviços clínicos ( ) Lab. De Prótese ( ) Outros ( ) ____________________ Área total construída Área total do terreno Alvará Sanitário Licença Ambiental (quando exigido) Horário de funcionamento N° _________ Data de Validade: __________ N° _________ Data Validade: ____________ .

Estrutura física Abastecimento de água Condições urbanas do entorno Coleta de esgoto sanitário Tipo de construção: ____________________ Número de pavimentos: _________________ Tipo: ( )Concessionária ( )Captação própria Consumo interno (quantidade): ___________ Número de reservatórios: _______________ Condições de acesso: _________________ Risco de enchentes: __________________ Risco de deslizamento: ________________ Coleta e tratamento público: _____________ Só coleta: ____________________________ Sem coleta: ___________________________ Tratamento próprio: ____________________ .

etc.. Ex: gases. etc. algodão.). móveis. eletroeletrônicos. outros) ES = Resíduos específicos (entulho. etc. plástico. etc. agulhas. C = Rejeitos do grupo C (radioativos). bisturi. fixadores. Ex: medicamentos. B = Resíduos do grupo B (químicos).. lâmpadas fluorescentes. D = Resíduos do grupo D (comum).4 – TIPOS E QUANTIDADES DE RESÍDUOS GERADOS Legenda: A = Resíduos do grupo A (infectantes). peças anatômicas. amálgama. vidro. película de chumbo. QUANTIDADE DE RESÍDUOS COLETADOS POR GRUPO DE RESÍDUOS Grupos A B C D E RE ES Total de Resíduos (Kg/mês) . ampola. metais. Ex: seringa. Ex: papel. etc. E = Resíduos perfurocortantes. RE = Resíduos Recicláveis (papelão.

5 – SEGREGAÇÃO.Descrever as formas de embalagens dos resíduos segregados.Descrever formas de reconhecimento. E. C. . .Informar quais os EPI’s e EPC’s a serem utilizados.Informar as cores e símbolos padronizados para cada tipo de resíduos.Informar as formas de segregação que serão adotadas para cada grupo de resíduos gerados (A. • • IDENTIFICAÇÃO . B. suas quantidades diárias e mensais.Informar quais os EPI’s (equipamentos de proteção individual) e EPC’s (equipamentos de proteção coletiva) a serem utilizados.Consiste na forma de separação dos resíduos de acordo com seu risco. ACONDICIONAMENTO E IDENTIFICAÇÃO Essas ações devem ser realizadas no local de geração dos resíduos. . ACONDICIONAMENTO . .Descrever os tipos de acondicionamento que serão adotados em função dos grupos de resíduos. D. incluindo recicláveis). de acordo com o grupo de resíduos como consta na Resolução RDC n° 306 de 07/12/2004. . .Identificar a forma de acondicionamento que será adotada para a segregação proposta. • SEGREGAÇÃO . (Conforme anexo1) . para identificar a separação dos resíduos.

capacidade dos carros. . etc.Informar se a coleta adotará o armazenamento temporário.Descrever as formas de coleta em função dos grupos de resíduos.Informar como serão os transportes internos de resíduos.Definir os tipos e quantidades de carros coletores que serão utilizados para o transporte de cada grupo de resíduos. freqüência e roteiros adotados. .Informar o método de coleta e transporte que será adotado. identificação. carros de coleta. .6 – COLETA E TRANSPORTE INTERNO . tipos de recipientes. . .Quando necessário. cores. . se separadamente em carros ou recipientes coletores específicos a cada grupo de resíduos.Determinar a rotina e freqüência de coleta para cada unidade ou setor do estabelecimento. . equipe.Informar quais os EPI’s e EPC’s a serem utilizados. .

os contenedores e com que freqüência. capacidade de cada um e disposição na área. . • . contendo os resíduos já acondicionados. . identificar a localização.Informar a rotina do armazenamento externo do estabelecimento de saúde .Informar como são higienizados o abrigo. tipo de resíduos a serem armazenados. freqüência de coleta. . -Guarda temporária dos recipientes.Informar como serão higienizados esses espaços e freqüência de limpeza.Caso seja adotado. .Informar os EPI’s e EPC’s a serem utilizados. .Informar os tipos e quantidades de coletores para a guarda temporária de resíduos e as sinalizações para identificação dessas áreas.Informar a quantidade de contenedores a ser utilizada para cada grupo de RSS.7 – ARMAZENAMENTO ARMAZENAMENTO TEMPORÁRIO . • ARMAZENAMENTO EXTERNO .O armazenamento temporário poderá ser dispensado nos casos em que a distância entre o ponto de geração e o armazenamento externo justifiquem.

alvarás e outros) das empresas coletoras. para obter informações abaixo. tratamento e disposição final dos resíduos. EVOLUSERVIC: 3623 – 8651. quando houver.Entrar em contato com a empresa responsável pela coleta externa. INFORMAÇÕES SOBRE COLETA E TRANSPORTE EXTERNO Informações sobre Coleta e Transporte Externo Nome das Empresas CNPJ/CPF Tipo de Resíduos Documentos Legais Freqüência de Coleta Tipo de Diariamente Resíduo Dias Alternados Semanal 2 vezes ao dia Outra Freqüência Tipos de Veículos Utilizados na Coleta Tipo de Veículos Tipo de Resíduos Saveiro Basculante Baú Compactador Outros. dos transbordos. Especificar . Obs.8 – COLETA E TRANSPORTE EXTERNO Anexar os documentos comprobatórios (licenças.

Descrever o tratamento interno para os resíduos. • • TIPOS DE TRATAMENTO INTERNO E EXTERNO DOS RESÍDUOS Tipos de Tratamento Grupo de Resíduos A B C D E Interno Externo . • Descrever os tipos de tratamento externo adotados para cada grupo de resíduos e quais os equipamentos e instalações de apoio. nome. documentos de monitoramento definidos pelo órgão ambiental) dos sistemas e tecnologias adotados. especificados por tipo de resíduo. nome da empresa responsável pela operação do sistema. endereço e telefone. responsável técnico pelo sistema de tratamento. alvarás. localização das unidades de tratamento. incluindo os seguintes aspectos: tecnologias de tratamento adotadas. RG. profissão e registro profissional. • Descrever o sistema de decaimento de rejeitos radioativos (quando existir). • Anexar documentos comprobatórios (licenças.9 – TRATAMENTO Quando necessário. • Informar os EPI’s e EPC’s necessários.

documentos de monitoramento. • Informar quais as empresas que executam a disposição final dos RSS. empresa ou instituição responsável e telefone). profissão. RG. • Anexar os documentos comprobatórios (licença ambiental.10 – DISPOSIÇÃO FINAL DOS RSS • Informar as formas de disposição final dos RSS e especificar por tipo de resíduos. • Indicar a localização das unidades de disposição final adotadas para cada grupo de resíduos e seus respectivos responsáveis técnicos (nome. INFORMAÇÕES SOBRE A DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS Tipo de Disposição Final Empresa/ Endereço Grupo de Resíduos A B D E . registro profissional. definidos pelo órgão ambiental) de que a empresa está apta a realizar o serviço.

11 – INFORMAÇÕES ADICIONAIS • RECICLAGEM Caso seja realizada no estabelecimento. • • • ROTINAS E PROCESSOS DE HIGIENIZAÇÃO E LIMPEZA AÇÕES EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIAS E ACIDENTES AÇÕES DE PREVENÇÃO DE SAÚDE DO TRABALHADOR .

sua identificação deve ser feita nos recipientes e nos abrigos de guarda de recipientes. Os resíduos do grupo B são identificados através do símbolo de risco associado e com discriminação de substância química e frase de risco. Quando adotada a reciclagem. não há exigência para a padronização de cor destes recipientes. com rótulos de fundo branco. e símbolos de tipo de material reciclável.ANEXO 1 SÍMBOLOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS GRUPOS DE RESÍDUOS Os resíduos do grupo A são identificados pelo símbolo de substância infectante. baseadas na Resolução CONAMA n° 275/01. indicando o risco que apresenta o resíduo. com rótulos de fundo branco. Vidro – Verde ou o símbolo Plástico – Vermelho ou o símbolo Papel – Azul ou o símbolo Metal – Amarelo ou o símbolo Orgânico – Marrom Os produtos do grupo E são identificados pelo símbolo de substância infectante. RESÍDUO PERFUROCORTANTE . Para os demais resíduos do grupo D deve ser utilizada a cor cinza ou preta nos recipientes. desenho e contornos pretos. acrescidos da inscrição de RESÍDUO PERFUROCORTANTE. Pode ser seguida de cor determinada pela Prefeitura. acrescidos da expressão MATERIAL RADIOATIVO. Caso não exista processo de segregação para reciclagem. Os resíduos do grupo D podem ser destinados à reciclagem ou à reutilização. desenho e contornos pretos. Os rejeitos do grupo C são representados pelo símbolo internacional de presença de radiação ionizante (trifólio de cor magenta) em rótulos de fundo amarelo e contornos pretos. usando código de cores e suas correspondentes nomeações.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->