Você está na página 1de 2

A GINÁSTICA NO BRASIL: MEIO DE QUALIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA

NO PROJETO INDUSTRIAL CAPITALISTA.

INÍCIO DO SÉCULO
A ginástica no sistema escolar brasileiro foi implementada a partir das
políticas educacionais para atender o modelo produtivo industrializado, o qual
exige novos padrões sociais, econômicos e culturais.
No final do século XlX e início do século XX, a educação física entra na
escola com a importação dos sistemas e métodos ginásticos alemão, sueco e
francês e com o método esportivo generalizado. Esse modelo foi predominante
até a década de 60.
Esse novo modelo de educação física foi inserido no Brasil para uma
adequação da população ao novo modelo industrial que tomava conta do país,
que até então era agrícola. Essa adequação do trabalhador ficou também a
encargo das escolas.

DÉCADA DE 70
Com o país politicamente sob a ditadura militar, a educação física é
“chamada” para contribuir na construção de um novo país, o esporte é o novo
modelo adotado. O esporte é utilizado como meio para afastar os jovens das
forças perigosas ao progresso e o desenvolvimento social. O modelo esportivo
e o desenvolvimento da aptidão física é o modelo predominante das práticas
pedagógicas da disciplina educação física na escola.

DÉCADA DE 80 E COMEÇO DOS ANOS 90.


Com a chegada do modelo político neoliberal os estudos na área ganham
novas prioridades como o estudo das teorias da educação do movimento,
Psicomotricidade e Ciência da Motricidade Humana na busca pela superação
da dicotomia corpo e mente presentes nas teorias da educação física até
então..

DÉCADA DE 90 EM DIANTE.
Surgem posições críticas as concepções esportivizadas e pautadas pelo
paradigma da aptidão física, o que era predominante na área. Nessa época a
esportivização da ginástica imprimiu um caráter individualista as atividades
regulando-as pelas leis biológicas e excluindo um grande número de jovens da
prática da ginástica esportiva.

Em outra página, tu coloca essa parte, que vai ser a que tu vai explanar:

O conhecimento é reproduzido, adotando técnicas e tecnologias importadas e


outros contextos sócio-culturais, a exemplo do fitness de origem americana e o
conteúdo da ginástica vai sofrendo mutações a medida que vai se adequando
cada vez mais aos padrões estéticos e culturais universalizados e as mutações
deformadoras determinadas pela lógica do consumo e pelo valor de troca,
embutido nas atividades físicas, nesse contexto o trabalho pedagógico do
professor e o conhecimento por ele ensinado são alienados e fragmentados.
Nesse contexto de consumo o professor é obrigado a investir financeiramente
em works shoppings de métodos, técnicas e materiais que circulam no
mercado de consumo.

Chegada dos métodos de ginástica no Brasil.


Foram importados os métodos que se desenvolveram na Europa, num
processo de aculturamento do povo, em favor dos interesses da elite. Nesse
contexto foram trazidos os métodos alemão, francês e posteriormente o sueco
incentivado pelas idéias do intelectual Rui Barbosa sendo esse considerado
mais adequado a formação das crianças pela sua dimensão pedagógica, no
entanto o mesmo não se popularizou tanto quanto o método francês que teve
todo um aparato de caráter nacionalista e cientificista.