Apostila do Dirigente de Curso de Médiuns

CURSO para FORMAÇÃO de DIRIGENTES de CURSO de MÉDIUNS

Esta apostila contém: 1. Material elaborado pela Regional São Paulo (atualmente Regional Centro/SP) – apostila contendo informações para o Dirigente de Curso de Médiuns;

2. Material complementar: a. Resumo de cada aula teórica, a partir da 7ª aula, como recurso de apoio. b. Sugestão de um diário de classe (programa diário de aula), no intuito de facilitar o direcionamento de cada aula do Curso, contendo nas aulas teóricas, o assunto, como abordá-lo, os objetivos, observações, e nas aulas práticas, os exercícios, como conduzi-los, o que esperar do aluno, como mensurar o resultado, e as observações e orientações complementares a respeito. O material do item 2 é um acrescentamento que acreditamos venha facilitar o trato diário com as aulas e seu desenvolvimento, no entanto, é apenas sugestão de condução do Curso. O Dirigente deve estar sempre atento para o estudo continuado, visando atualizar os conhecimentos enriquecendo as aulas.

RECOMENDAÇÃO IMPORTANTE: O material apostilado (e gravado) de apoio ao Dirigente de Curso de Médiuns, é destinado a você que se dedica a esse mister, e que pela afinidade, familiaridade e empenho no aprendizado e atualização constantes, capacita-se para melhor aproveitar os recursos disponíveis. Por isso a reprodução indiscriminada não deve ser estimulada.

Curso para Formação de Dirigente de Curso de Médiuns-Aliança Espírita Evangélica-Regional Norte /SP

INTRODUÇÃO

Este manual tem por objetivo facilitar o trabalho dos futuros dirigentes de CURSO DE MÉDIUNS, com as orientações básicas e um roteiro de consulta. A elaboração deste trabalho foi baseada dentro dos princípios e programas estabelecidos nos livros Vivência do Espiritismo Religioso, Desenvolvimento Mediúnico e Mediunidade, de Edgard Armond. Tarnbém com a colaboração de dirigentes experientes, que obtiveram bons resultados ao longo de todos estes anos. Os exercícios da parte prática foram redigidos com um roteiro bem detalhado de forma para que venham facilitar o entendimento e a consulta. Uma orientação segura, pois sabemos que o dirigente do CURSO DE MÉDIUNS ao conduzir uma turma, se defronta com situações inesperadas, e com isso pode fazer adaptações que o momento exigir. Lembramos que as alterações mais profundas que vierem a ser realizadas, através de observações minuciosas elaboradas com amostras representativas, devidamente comprovadas, com objetivo de aperfeiçoar a estrutura do programa constante no Vivência do Espiritismo Religioso, deverá ser encaminhado ao Conselho da Aliança Espírita Evangélica, para estudo e aprovação.

2

MENSAGEM AOS DIRIGENTES DE CURSO DE MÉDIUNS COMANDANTE EDGARD ARMOND
Trago uma mensagem para os dirigentes de Curso de Médiuns: "O dirigente antes de quaisquer outros requisitos, deve ser conhecedor do assunto, não só por uma questão de lógica e coerência, como também pela própria transcendência de problema em si mesmo, visto que lhe são entregues para o devido encaminhamento, irmãos nossos comprometidos, desde antes da reencarnação, a colocarem ao serviço de redenção dos semelhantes, as faculdades psico-fisicas que lhe foram concedidas pelo Plano Espiritual. Sendo a mediunidade o canal mais seguro e apropriado de intercâmbio entre os dois planos, instruções e as diretrizes que os colaboradores e representantes do governo espiritual da Terra transmitem para o bem de todos. Por esse canal é que também se exercem o intercâmbio evangélico da caridade espiritual, que descem dos céus como uma bênção, sobre todo sofrimento humano, facultando aos benfeitores acudirem os necessitados encarnados no cumprimento da promessa feita pelo divino Mestre, segundo a qual, depois de se retirar mandaria o consolador através dos quais continuaria assistir a todos, encaminhando-os e auxiliandoos nas suas dificuldades, desvarios, sofrimentos e dores cármicas. A mediunidade é o recurso mais valioso do maior número de seres humanos e para isso, depende grandemente dos médiuns bem preparados e capazes. Tudo isso o dirigente deve ter presente quando se coloca à frente de uma turma de médiuns para o competente desenvolvimento, do qual também vai depender o comportamento, êxito ou fracasso de suas atividades futuras. Para orientar e facilitar o trabalho do dirigente sugerimos o método chamado das 5 fases, se quando aplicado com o devido conhecimento e obediência as regras estabelecidas, garante um desenvolvimento consciente, eficiente, suave, seguro, mesmo porque, nele participam os instrutores espirituais em larga escala como outros interessados nos seus resultados. O problema, portanto, para o dirigente no sentido técnico é enfronhar-se do método e aplicá-lo segundo as regras, para assegurar aos alunos o esperado e necessário êxito nos esforços despendidos com tanta esperança e emoção. Não só no desenvolvimento propriamente dito, como no aprimoramento das faculdades que possuírem, o êxito do aluno, é o êxito do dirigente que assim sendo pode entregar ao Plano Espiritual, sempre presente, trabalhadores devidamente preparados, aptos ao trabalho na Terra e a colaboração dos programas estabelecidos pelo Plano Maior. Pelo que foi exposto, o dirigente pode medir o grau de responsabilidade que pesa sobre ele, nesta tarefa meritória de desenvolver médiuns e prepará-Ios para o serviço do divino Mestre, cuja outorga foi feita por ELE, diretamente, no significativo emocionante fenômeno do Pentecostes.

3

CURSO DE PASSES

Requisitos importantes para o aluno iniciar o Curso de Passes: a) Estar cursando a Escola de Aprendizes no grau de servidor ou já ter terminado esta. Caso o aluno desista da Escola, automaticamente, será desligado desse curso. b) não é permitido fazer o curso o aluno portador de vícios: fumo, drogas, álcool, jogos ou medicamentos que causem dependência. c) aluna grávida poderá fazer este curso normalmente, mas só se integrará ao trabalho de Assistência Espiritual após o Parto. d) idade mínima de 18 anos;

Preparação e disciplina a serem observados pelos alunos: a) preparar-se como se fosse para um trabalho espiritual, procurando ter um dia calmo em atitudes e pensamentos. b) alimentar-se frugalmente, ou seja, de alimentos mais leves; c) chegar ao curso com antecedência mínima de dez minutos; d) vestir-se de modo adequado; e) cuidar da higiene pessoal, sem excesso de perfumes; f) evitar uso de jóias e bijouterias que atrapalhem a concentração; g) evitar ir ao banheiro, beber água durante as aulas; h) todas essas observações são válidas também para o curso de médiuns.

4

"SUGESTÃO PARA O PROGRAMA DO CURSO DE PASSES E RADIAÇÕES"

AULA 01

CAPÍTULO 01 03

TITULO O santuário do espírito encarnado Regras para conservação e pureza do corpo físico A energia cósmica Tonalidade vibratória do corpo físico Medicamentos e processos de cura Moléstias curáveis e não curáveis Água fluidificada Estudos dos fluidos Higiene das transmissões Classificação dos passes Contato com doentes Exercícios práticos de auto passe e passe de limpeza Centros de força e Recapitular o Capítulo 09 Reativação dos centros de força Passe coletivo e sopro Exercícios práticos de P2 e P1; P4A e P4B. CH Passe a distância (Samaritanos) e Radiações Exercícios práticos de CH, P2 e P1; P4A e P4B. Esquema de funcionamento do trabalho de passe. Serviço de plantão e câmara de passe. Esquema de funcionamento do trabalho de passe. (Simulação do trabalho de Assistência Espiritual) Encaminhamento ao trabalho e esquema de funcionamento, Com a presença do dirigente responsável da Assistência Espiritual. Na 1a. Aula falar sobre o programa e forma do curso, visão geral sobre os passes, pré-requisitos, bibliografia, observação quanto ao fumo, encaminhamentos dos alunos para o tratamento espiritual.

02

04 05 06 07 30

03

08 28 09 25 17 e 18 02 19 21 e 22 10, 11, 12, 13,16. 13 20 e 23 10,11,12,13,16

04

05

06-A

26 24 e 27 26

06-B

06-C

LIVRO: PASSES E RADIAÇÕES - EDGARD ARMOND 5

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA- Centro Espírita Jesus de Nazaré

Curso de Passes Ficha de Inscrição
Nome: Endereço: Telefone: Grupo Integrado: Turma: Dirigente:

O que o (a) motivou a fazer o Curso de Passes?

Em que grau da E.A.E encontra-se?

Ainda conserva alguns desses vícios? Preencha o espaço sim ou não Fumo (sim) (não) E outros vícios? Álcool (sim) (não)

Usa algum tipo de remédio controlado? Qual? O receituário é: branco carbonado ( ) azul ( ) amarelo ( )

Realiza algum trabalho na Casa? Qual? Em que dia?

Qual é a sua preferência quanto ao trabalho de Passes na Casa? ( ) Assistência espiritual ( ) Mocidade ( ) Evangelização Infantil

Trabalha com a Caderneta Pessoal? (sim) (não) Tem dificuldades em aceitá-Ia? Explane.

Data_____/_____/________

______________________________________ Assinatura do Aluno

______________________________________ Assinatura do Dirigente ou do Grupo Integrado 6

CURSO DE MÉDIUNS Requisitos importantes para o aluno fazer o Curso de Médiuns: a) cursar a Escola de Aprendizes, no grau de servidor ou já ter terminado esta. Trabalhadores que ainda não fizeram este curso ou queiram refazê-lo. Se o aluno desistir da Escola de Aprendizes, automaticamente será desligado do curso. b) não é pemitido iniciar o curso o aluno fumante, viciado em bebida ou que use medicamentos que causam dependência. c) Ter concluído o Curso de Passes, e estar trabalhando na Assistência Espiritual. Ou concluir antes do início da parte prática. d) aluna grávida poderá fazer somente a parte teórica deste curso. e) idade míninla de 18 anos; f) ser freqüente às aulas, não podendo exceder 20% de faltas. Três faltas seguidas é eliminado. Orientações ao Dirigente: a) dirigente, assistente e monitores devem fazer conjuntamente vibrações, no mínimo de dois meses antes do início do curso, solicitando a sustentação com o dirigente espiritual e os instrutores espirituais do curso; b) disponibilidade do dirigente, o primeiro a chegar e o último a sair, para atender os alunos com dificuldades. c) deve recolher os temas semanalmente e entregá-lo a cada quatro semanas com mensagens escritas. d) orientar os alunos nas responsabilidades de estudo, freqüência às aulas e trabalhos; e) a aprovação do aluno será referendada através de consulta do Grupo Mediúnico ou Colegiado, e em algum caso específico a critério e responsabilidade do dirigente do curso; f) a aprovação do curso deve ser anotada na Cademeta Pessoal do aluno; g) acompanhar o tratamento espiritual dos alunos e buscar conhecê-los nas suas potencialidades, dificuldades, dando confiança e orientando; h) alertar e conscientizar os alunos a não fazerem o curso por curiosidade, pelos 7

fenômenos, pois o propósito maior é desenvolver a sensibilidade e trabalhar a mediunidade; i) antes do encerramento da parte teórica, enviar ao Grupo Mediúnico ou Colegiado a ficha dos alunos para avaliar as condições de frequentar a parte prática (amadurecimento, conscientização, equilibrio espiritual) e saber das tendências mediúnicas para poder acompanhar na parte prática; j) o dirigente e sua equipe deve evitar conversas no ambiente do curso, para contribuir no equilíbrio do mesmo e colocar a disciplina como norma de trabalho. k) deve iniciar e terminar no horário programado. Disciplina para com todos e principalmente com o plano espiritual. l) escolher expositores que dominem o assunto, e trabalhem mediúnicamente, pois a vivência é importante. m) preparação do ambiente nos moldes da Escola de Aprendizes do Evangelho, sem a prece cantada;

Disciplinas a serem observadas pelo aluno;

a) não chegar em cima da hora do inicio da aula; b) ao adentrar no recinto permanecer em silêncio, de preferência que fique lendo ou estudando: c) evitar levantar-se, ir ao banheiro e beber água durante a aula; d) cuidado com a vestimenta, pois a casa espírita. é um ambiente religioso; e) evitar perfumes em exagero. Higiene pessoal, normal.

Livros básicos do curso de médiuns: • • • • MEDIUNIDADE - EDGARD ARMOND MÉTODOS ESPÍRITAS DE CURA (Psiquismo e Cromoterapia)- EDGARD ARMOND DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO - EDGARD ARMOND SEARA DOS MÉDIUNS - EMMANUEL (Sugestão para leitura de preparação) 8

CURSO DE MÉDIUNS

TEORIA E PRÁTICA

A parte teórica tem um total de 23 aulas de informações sobre a mediunidade e um preparatório para a parte prática. A parte prática tem um total de 49 aulas e esta divida em três etapas: • 1ª Etapa PRIMÁRI0 / AS CINCO FASES

2ª Etapa

PROGRESSIVO / ADESTRAMENTO

3ª Etapa

COMPLETIVO / APRIMORAMENTO

Aulas teóricas e práticas somam um total de 72 aulas. Programa de aulas, vide o livro Vivência do. Espiritismo Religioso, de Edgar Armond.

9

CURSO DE MÉDIUNS TEMAS 01- O que me leva a impaciência? 02- Quais os caminhos que me levam a atenuar ou eliminar a impaciência? 03- O que me leva a agressividade? 04- Quais os caminhos que me levam a atenuar ou eliminar a agressividade? 05- O que é ser fraterno? 06- O que me leva a intolerância? 07 - Quais os caminhos que tenho para atenuar ou eliminar a intolerância? 08- Como devo manter a alegria? ' 09- O que me leva a criticar o semelhante? 10- Quais os caminhos que me levam para atenuar ou eliminar a crítica aos semelhantes? 11- Por que tenho dificuldades em perdoar? 12- Qllais os caminhos para saber a perdoar? 13- O que me leva a ficar deprimido? 14- Como conquisto a paz? 15- Como tenho enfrentado os meus problemas do dia a dia? 16- Como devemos tratar os irmãos sofredores, revoltados, que virão em nosso pronto socorro espiritual? 17- Como devo desenvolver o amor? 18- O que é indulgência e como posso desenvolvê-Ia em mim? 19- Como devo desenvolver a fé? 20- Tema livre: Orgulho, vaidade, humildade. 21- É fácil viver, mas dificil é conviver. 22- Em que atitude demonstro ser pretensioso? 23- Como devo fortalecer ou desenvolver a resignação? 24- Como dqvo construir um mundo intelior mais positivo? 25- Como devo colocar em prática o preceito: Orai e Vigiai? 26- Como trabalhar para adquirir o meu equilíbrio emocional? 27 - Como devo praticar a calidade através da palavra? 28- Como devo desenvolver a humildade sem tristeza? 29- Como devo combater a angústia sem motivo aparente? 30- Qual o tipo de mediunidade que você tem? Descreva-a e classifique-" 31 - O estudo da mediunidade, a que me leva? 32- Como devo cuidar do meu corpo fisico? 33- Como conciliar meus trabalhos materiais com os trabalhos espirituais? 34- Como intensificar a harmonia do trabalho em grupos? 35- Como devo me preparar fisicamente e espiritualmente nos dias de trabalho? 36- Quais os pontos que devo trabalhar em mim para que me torne espontâneo? 37- Muito se pedirá de quem muito recebeu. 38- Como esperar o pensamento divino, onde o pensamento humano se perde nas mais baixas cogitações da vida? -10-

39- Devo procurar na medi unidade não a chave falsa para certos arranjos inadequados na terra, mas sim o caminho direito de meu ajustamento à vida superior. 40- Como devo combater o orgulho? 41- Como devo transformar o egoísmo em fraternidade? 42- É possível ser feliz no plano que estou atualmente encarnado? 43- Como devo enfrentar o pessimismo dos dias atuais? 44- A cada um segundo suas obras. 45- O que ocorre quando não presto atenção aos ensinamentos transmitidos? 46- Aprender sem desanimar, servir ao bem sem esmorecer. 47- Cada um carrega consigo próprio o seu inferno ou o seu paraíso. 48- O fato de ser médium, de conviver com as entidades desencarnadas, não exclui o imperativo das provações das reencarnações. 49- Como devo desenvolver o respeito? 50- Como devo cultivar a simpatia com os outros? 51- Por que devo me desligar dos casos atendidos? 52- Como devo buscar e doar amor àqueles que me ferem? 53- Auxiliar sem a pretensão de convencer. 54- Qual a real importância da leitura elevada diária? . 55- Como sentimos a afirmação de Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. 56-. Por que é dificil estar sempre de bom humor? 57 - Por que devo ter boa vontade em todos os meus empreendimentos? 58- Por que é preciso ser como criança para entrar no reino do céu? 59- Aquele que se identificar com a vida futura, assemelha-se a um homem rico que perde pequena soma sem se emocionar. Aquele que concentra seus pensamentos na vida terrena é como um homem pobre que perde tudo o que possui e se desespera. 60- O cristo voltará no coração de cada um, na intimidade de cada alma, no silêncio e na angústia de cada sofrimento, após séculos de luta contra nossas próprias imperfeições. 61- O candidato a intérprete dos espíritos implicará na renovação em severos trabalhos de reforma interior.

11

CM - 31 Preparação do Ambiente - Intercâmbio Inicial. Dirigentes e alunos devem permanecer em silêncio na sala para que o padrão vibratório desta, seja conservado. Preparação do ambiente nos moldes da Escola de Aprendizes do Evangelho sem a prece cantada. CM - 32 Considerações sobre o MÉTODO DAS CINCO FASES Passar aos alunos que temos a cobertura espiritual, sentir confiança, pois o mentor nos acompanha desde o início do curso. Durante os exercicios práticos, procuremos desenvolver a mediunidade sem medo e sem bloqueios. Faz-se necessário que antes de se iniciar a parte prática seja relembrado conceitos e definições sobre:- Chacras, Plexos, Passes, Fluidos, Vibrações, Ectoplasma, Aura, Perispirito, Mediunidade, Médium, Mente e Tipos de Mediunidade. Mediunidades que estaremos trabalhando durante esta fase: a) Lucidez - Vidência, Telepatia; Audiência, Psicometria, Intuição. b) Incorporação (Formas consciente, semiconsciente, inconsciente). - Psicografia e Psicofonia c) Efeitos Físicos - Desdobramento. Método das cinco fases: São os exercidos iniciais, trabalhos gradativos fase por fase, para desenvolver a sensibilidade do aluno. Observaremos nestas fases: a) que alguns alunos não têm mediunidade a desenvolver, apurar, podendo eles virem a ser médiuns de doação, evangelização ou de sustentação; b) os exercícios intercalados de vidência, psicometria, desdobramento, telepatia, intuição, verificação à distância nos dará uma idéia da mediunidade que o aluno poderá desenvolver; 12

c) em alguns alunos percebemos e sentimos o envolvimento durante os exercícios, no entanto, pelo seu bloqueio não manifesta; d) outros conseguirão desenvolver bem a partir da aula nº.53 Doutrinação de Espíritos Sofredores, mesmo assim alguns alunos ainda não se desenvolverão adequadamente no curso e terão de refazê-Io; e) dúvidas, incertezas devem ser esclarecidas. Eliminar falhas, corrigir erros e más tendências dos alunos; Impressões do Aluno: Lembrando que as impressões projetadas durante os exercícios das cinco fases iniciais serão sempre agradáveis, pois o plano espiritual é disciplinado; a) não é normal o aluno sentir impressões negativas, caso venha ocorrer, forma-se a corrente, a roda vibra pelo companheiro, o dirigente aplica um passe longitudinal, observando com cuidado para não tornar um hábito. O dirigente deve acompanhar o tratamento espiritual deste aluno: Considerações específicas das cinco fases: 1ª Fase: Percepção de Fluídos. (duas aulas) Neste exercício os alunos terão as mais variadas impressões em pontos sensíveis do corpo, já determinados pelo instrutor espiritual do curso. Projeção de fluídos: leve, sutil, frio, morno, quente, pesado. Local: bulbo, frontal, mãos, pés, braços, antebraços etc. Sensação: adormecimento, repuxo, pontadas, taquicardia. Mediunidade a ser treinada: vidência. Sugestões para o exercício de vidência: Solicitar aos instrutores espirituais projeção de: Formas geométricas, símbolos, ou a critério do próprio dirigente em comum acordo com o plano espiritual. Qualquer impressão negativa sentida será pela própria invigilância do médium.

2ª Fase: Aproximação. (duas aulas) Iniciamos com a percepção dos fluídos em seguida a aproximação que pode ocorrer pelos lados, frente, costas; Mediunidades a serem treinadas: exercício de vidência e telepatia.

3ª Fase: Contato. (duas aulas) Iniciar com percepção de fluídos, aproximação e contato. Pode ser tocado no ombro, mãos, braços, cabeça, os instrutores espirituais farão um leve toque no ponto mais sensível do médium. Mediunidades a serem treinadas: intuição e psicometria 13

4ª Fase: Envolvimento. (três aulas) Iniciar com percepção de fluídos, aproximação, contato e envolvimento. Sensação agradável da entidade espiritual. Caso ocorra o contrário, invigilância mediúnica. Exercícios de verificação à distância, com ênfase em desdobramento. Neste exercício poderão ser trazidos nomes da própria assistência espiritual ou de fora da casa, quando solicitado. Não se trata de incorporação, e nem ocorre envolvimento de entidades sofredoras, se ocorrer alertar ao aluno que foi invigilância. 5ª Fase: Manifestação. (quatro aulas) Iniciar com percepção de fluídos, aproximação, contato, envolvimento e manifestação. Limitar o aluno a exercitar mensagens breves, também formar frases através de palavras. Ex: "Graças a Deus". "Estamos com Jesus". "O estudo é Importante". "Tenhamos fé". "Perseveremos na caminhada" "A fé remove montanha", Sugestões de palavras para o exercício: Disciplina, Amor, Caridade, Fé , Trabalho, também alguns defeitos e virtudes. Neste exercício todos podem se manifestar disciplinadamente, um por vez. Cada aluno poderá expressar 3 frases intercaladamente. Mediunidades a ser treinada: Psicofonia e Verificação à distância. ENTRE UM EXERCÍCIO E OUTRO FAZER UMA PAUSA E ANOTAR AS REAÇÕES DOS ALUNOS, TAMBÉM SOLICITAMOS AO DIRIGENTE ESTUDO CONSTANTE DO LIVRO DESENVOLVIMENTO MEDlÚNICO.

14

DESDOBRAMENTO 1a. Fase - A exteriorização ao lado do corpo. Fase: A partir da aula CM-40

2a. Fase - A exteriorização no ambiente, no local. Fase: A partir da aula CM-43

3a. Fase - A exteriorização ao redor do ambiente, em volta da casa, relatar as impressões colhidas. Fase: A partir da aula CM-53

4a.Fase - A exteriorização, trabalho de socorro à distância, vampirismo, relatar as impressões. Fase: A partir da aula CM-60

5a. Fase - A exteriorização captar as orientações quanto ao trabalho, como verificação. Fase: A partir da aula CM-68

Nota: Todos os exercícios de desdobramento deverão ser feitos com corrente de mãos.

Definir:

O que é desdobramento? Qual a característica real do desdobramento? Cuidados a serem observados com o desdobramento.

15

ROTEIRO PARA DOUTRINACÃO DE ESPÍRITOS SOFREDORES E VAMPIRISMO. P-3 B a) Forma-se a corrente de mãos com alunos de incorporação, doação, vidência e doutrinação. b) os alunos de incorporação ficam a disposição das entidades trazidas pelo plano espiritual. c) o dirigente deve orientar como se processa o trabalho e deverá intercalar os alunos nas manifestações. Orientar em relação à disciplina de palavras, atitudes de bater pés, levantar mãos, falar alto, etc; d) a corrente de mãos somente pode ser desfeita quando tiver encerrado o exercicio, bem como se as condições espirituais dos alunos estiverem em equilíbrio, caso contrário aplicar o longitudinal no aluno e avaliar novamente as condições para poder desfazer a corrente. Não utilizar a aplicação do longitudinal como regra. Para que o aluno e /ou a turma não se acostumem. O desligamento é disciplina do aluno. Nota: A corrente de mãos é importante, pois dá a sustentação ao aluno que incorpora e dá harmonização aos demais participantes do trabalho.

DECÁLOGO PARA A DOUTRINAÇÃO - ANDRÉ LUIZ. 01) Antes de tudo, eleve seu pensamento, buscando amparo dos mentores espirituais da reunião. 02) Ouça o comunicante, procurando sentir-lhe os problemas intimos. 03) Fale com bondade. O conhecimento é necessário, mas só o amor possui vibrações revitalizantes. 04) Seja conciso no esclarecimento. Não é a quantidade de palavras que determina a eficiência do atendimento, e sim a clareza das idéias. 05) Evite qualquer interrogatório ou comentário que possa ferir a susceptibilidade do visitante. Aja com absoluto respeito às dificuldades do interlocutor. 06) Fuja as imagens que venham traumatizar a criatura sedenta de libertação. 16

07) Comporte-se com humjldade e paciência. A arrogância, nesse delicado serviço, pode provocar lamentáveis consequências. 08) O diálogo com espíritos problemáticos deve ser um ato de amor, com moderação e disciplina. 09) Sabendo-se que o recinto mediúnico guarda características hospitalares, cultive a harmonia, compreendendo a ligação natural entre espírito, médium e ambiente. 10) O melhor remédio para consciência atormentada é a prece, com o trabalho de reabilitação do bem.

PSICOFONIA

Exercício (Intercâmbio com Espíritos Superiores) de manifestação verbal mais utilizado em trabalhos mediúnicos. A responsabilidade da ligação será do aluno, elevar o seu padrão vibratório para captar mensagens ou idéias manifestadas pelo plano espiritual superior. Tempo deste exercício no máximo de 3 a 5 minutos; cuidado para que este exercício não se torne muito extenso. Disciplinar também os alunos quanto à objetividade das mensagens. O desenvolvimento deste exercício pode ser processado da seguinte forma: a) o conteúdo da mensagem deixar a critério do plano espiritual superior; b) pode sugerir através de palavras ou frases evangélicas escolhidas pelo dirigente. Neste exercício não há necessidade de formar a corrente de mãos.

17

ROTEIRO DO P- 3A Nota: Destinado às perturbações graves, não eliminadas com o P1. P- 3A - Capitulo 14 - Livro Passes e Radiações. Acomodamos o doente espiritual ao centro da roda. O passista já se posiciona ao lado esquerdo do doente, fecha-se a corrente de mãos. O dirigente pede ao doente que "se tranqüilize e mentalize Jesus", que é o médico do corpo e da alma. Em seguida começa, projetando uma cor azul no alto da cabeça, essa projeção vai descendo pela coluna até a ponta dos pés; neste ponto mudamos para a cor laranja (*) que vem subindo da ponta dos pés até o bulbo. Do bulbo até o plexo solar, para controlar o vegetativo. Acionamos os centros de força com a cor verde, iniciando pelo coronário, frontal, laringeo, cardiaco, gástrico e genésico. Solicitamos ao médium para aplicar o P-1, e damos "Graças a Deus". Obs: Os tratamentos específicos estão contidos no livro Métodos Espíritas de Cura (Psiquismo e Cromoterapia), de Edgard Armond.

ROTEIRO P - 4A COM CORES

a) Azul claro da cabeça aos pés; b) Amarelo, dirigido dos pés até o bulbo; c) P-4A - passes; d) Caso específico (com aplicação de mãos a partir dos sete anos) 1 e) Longitudinal com azul claro. (*) - Alguns grupos substituem o alaranjado pelo rosa brilhante que não apresenta os eventuais efeitos colaterais do alaranjado (em casos de hipertensão arterial, alta ansiedade, hipertiroidismo, etc) A partir dos sete anos não há restrições à aplicação do P-3A, segundo informações do livro Passes e radiações.
1

18

P-3A COM CORES O roteiro do P-3A com Cores é uma seqüência do P-3A. A cor quando projetada no corpo fisico passa para o Perispirito, onde é decantada, volta para os centros de força, plexos do sistema nervoso e células do(s) órgão(s) afetado(s) Após o P-1, da sequência do P-3A, a projeção específica da terapia com cores faz-se ao nível dos chacras correspondentes aos órgãos afetados, de acordo com diagnóstico médico ou exame espiritual. Exemplos práticos de acordo estão contidos no livro Métodos Espíritas de Cura (Psiquismo e Cromoterapia), 3ª parte - capitulo 6° de Edgard Armond. ,

19

BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA

A - Sugestões de leitura e estudo para os Dirigentes e alunos do Curso de Médiuns: Livros dos Médiuns A Gênese A Obsessão Mediunidade Desenvolvimento Mediúnico Passes e Radiações Trabalhos Práticos Espiritismo Métodos Espíritas de Cura - Psiquismo e Cromoterapia Desobsessão Libertação Nos Domínios da Mediunidade Mediunidade sem Lágrimas Mediunidade e Evolução Estudando a Mediunidade Médiuns e Mediunidade Obsessão e Desobsessão Diálogo com as Sombras Allan Kardec Allan Kardec Allan Kardec Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond André Luiz André Luiz André Luiz Eliseu Rigonatti Martins Peralva Martins Peralva Caibar Schutel Sueli Caldas Schubert Hermínio C.Miranda

B - Obras para estudo e pesquisa dos Dirigentes do Curso de Médiuns: Energética do Psiquismo O Além e o Aquém Painéis da Obsessão Intercâmbio Mediúnico Médiuns Segurança Mediúnica Mediunidade e Você Desdobramento Fenômenos de Transporte Devassando o Invisível Relembrando o Passado A Dupla Personalidade (nome das edições anteriores: O Estranho Caso de Rose Ramírez) Jorge Andréa Cristovam M. Pereira Divaldo Pereira Franco Divaldo Pereira Franco João Nunes Mia João Nunes Maia Mário B.Tamassia Ernesto Bozzano Ernesto Bozzano Yvone A. Pereira Edgard Armond Edgard Armond

O bom dirigente procurará sempre desenvolver o estudo sobre a mediunidade.

20

SUGESTÃO DE FICHA DE INSCRIÇÃO DE CURSO DE MÉDIUNS

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA FICHA DE INSCRIÇÃO DE CURSO DE MÉDIUNS
Nome:

Endereço:

Data Nascimento: No. Cidade: Turma: )Ano que terminou: ) ) amarelo ( ) ) Fumo ( azul( ) CEP Dirigente: Não ( Telefone Comercial:

Apto

Bairro/ Vila:
Telefone Residencial: Grupo Integrado: Terminou a EAE? Sim ( Tem algum vício? Alcool (

) Ano que cursa )

Temo Curso de Passes concluído? Sim ( Receituário: branco carbonado( )

Não ( ) Medicamentos (

Qual o objetivo de estar fazendo o Curso de Médiuns? R:

Tem alguma sensibilidade ou percepção mediúnica? Caso afirmativo qual? R:

Quais os livros espíritas que já leu? R:

Data:

/

/

Assinatura do Aluno (a)

Assinatura do Dirigente

21

FICHA DE INSCRIÇÃO - CURSO DE MÉDIUNS

(Sugestão)

Nome: ___________________________________________________Data Nasc:___/_____/___________

Profissão:_____________________________ Estado Civil:_________________________ Endereço:_________________________________________________________________ Bairro: ________________________Cidade:____________________CEP: _____________ Fone Res:___________________ Com.: __________________ Cel: __________________ Grupo integrado:_______________________Turma:______ Dirigente:________________ Terminou a EAE em que ano? ________ Que ano cursa EAE?___°

1- Qual o dia da semana em que trabalha na Assistência Espiritual e nome do dirigente de trabalho? Dia(s) ___________________________________________________________ Dirigente:________________________________________________________ 2- Possui algum vício material? (Fumo, Bebida, Dependência de Medicamentos) __________________________________________________________________________ 3 - Quais as obras que já leu a respeito da mediunidade? ___________________________ ______________________________________________________________________ 4 - Está fazendo algum tratamento médico ou tratamento psicológico, psiquiátrico? __________________________________________________________________________
5 - Tem problema de epilepsia? _______________________________________________

6 - Tem alguma sensibilidade ou percepção mediúnica? __________________________________________________________________________

Assinatura do aluno(a): ______________________________________________________ Assinatura do Dirigente:______________________________________________________

22

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Passes Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

23

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso: ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA Curso de Médiuns Data da Conclusão do Curso: / Aluno: Apto Coordenador do Curso:

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

24

ORIENTAÇÕES PARA OS DIAS DE TRABALHO
Nos dias de Trabalho Espiritual, o trabalhador deve: • • • • • Abster-se de alimentos muito condimentados. Não comer carne Fazer uma alimentação leve, frugal. Manter pensamentos elevados, em estado de prece, pensando e falando com seriedade, evitando conversações não edificantes. Lembrar que os trabalhos deverão sempre começar na hora certa, pois os mentores têm seu tempo distribuído. • Não faltar sem razão sólida, pois atrasos e faltas vão tornando o serviço ineficiente e sem garantias. • Evitar conversações antes dos trabalhos, falando apenas o indispensável relativo ao trabalho a ser empreendido, isto porque, bem antes, os cooperadores do espaço já traçaram fronteiras vibratórias para a defesa do grupo. • Lembrar que "As frivolidades favorecem a penetração de espíritos mal intencionados". • Lembrar também que, antes dos trabalhos iniciarem, as leituras e preces auxiliam-nos a elevar o padrão vibratório. • Evitar comentários, após os trabalhos, sobre ocorrências desagradáveis. • Ter muito cuidado com a vaidade e o orgulho, pois estes são alguns dos maiores obstáculos da elevação espiritual, e motivos de quedas. Sem a humildade, todo o trabalho torna-se nulo!

ORIENTAÇÕES PARA OS DIAS DE TRABALHO
Nos dias de Trabalho Espiritual, o trabalhador deve: • • • • • Abster-se de alimentos muito condimentados. Não comer carne. Fazer uma alimentação leve, frugal. Manter pensamentos elevados, em estado de prece, pensando e falando com seriedade, evitando conversações não edificantes. Lembrar que os trabalhos deverão sempre começar na hora certa, pois os mentores têm seu tempo distribuído. • Não faltar sem razão sólida, pois atrasos e faltas vão tornando o serviço Ineficiente e sem garantias. • Evitar conversações antes dos trabalhos, falando apenas o indispensável relativo ao trabalho a ser empreendido, isto porque, bem antes, os cooperadores do espaço já traçaram fronteiras vibratórias para' a defesa do grupo. • Lembrar que "As frivolidades favorecem a penetração de espíritos mal intencionados". • Lembrar também que antes dos trabalhos iniciarem, as leituras e preces, auxiliam-nos a elevar o padrão vibratório. • • Evitar comentários, após os trabalhos, sobre ocorrências desagradáveis.

25
Ter muito cuidado com a vaidade e o orgulho, pois estes são alguns dos maiores obstáculos da elevação espiritual, e motivos de quedas. Sem a humildade, todo o trabalho torna-se nulo!

1a. Fase - Percepção de Fluídos - Curso de Médiuns - Regional Capital - SP
Nome do Aluno: Possíveis mediunidades: Anotações das Percepções 1º) Exercício: Local do Corpo Físico 1º) Exercício: Tipo do Fluído Sentido 1º) Exercício: Reação do Médium Obs: 2º) Exercício: Local do Corpo Físico 2º) Exercício: Tipo do Fluído Sentido 2º) Exercício: Reação do Médium Obs: 3º) Exercício: Local do Corpo Físico 3º) Exercício: Tipo do Fluído Sentido 3º) Exercício: Reação do Médium Obs: 3º) Exercício 2º) Exercício 1º) ExercícioData: Anotações

26

2a. Fase - Aproximação - Curso de Médiuns - Regional Capital - SP
Nome do Aluno: Possiveis mediunidades: Local da Projeção, Tipo do Fluido, Reação do Médium. Data:___/____/___

Aproximação Sentiu a Entidade?Sim ( Viu a Entidade? Local/Aonde Sim ( ) ) Não ( Não ( ) )

Exercício de:

Local da Projeção, Tipo do Fluido, Reação do Médium.

Aproximação Sentiu a Entidade?Sim ( Viu a Entidade? Local/Aonde Sim ( ) ) Não ( Não ( ) )

Exercício de:

Local da Projeção, Tipo do Fluido, Reação do Médium.

Aproximação Sentiu a Entidade?Sim ( Viu a Entidade? Local/Aonde Sim ( ) ) Não ( Não ( ) )

Exercício de:

Local da Projeção, Tipo do Fluido, Reação do Médium.

Aproximação Sentiu a Entidade?Sim ( Viu a Entidade? Local/Aonde Sim ( ) ) Não ( Não ( ) )

Exercício de:

27

3a. Fase - Contato - Curso de Médiuns - Regional Capital - SP
Nome do Aluno: Data: / /

Possíveis mediunidades: Projeção de Fluído Aproximação Sentiu a Entidade? Sim ( ) Não ( ). Aonde sentiu: O que Sentiu? (reação do médium) Contato Exercício de:

Viu a Entidade? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde:

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu a Entidade? Sim ( ) Não ( ). Aonde sentiu:

Contato

Exercício de:

Viu a Entidade? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde:

O que Sentiu? (reação do médium)

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu a Entidade? Sim ( ) Não ( ). Aonde sentiu:

Contato

Exercício de:

Viu a Entidade? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde:

O que Sentiu? (reação do médium)

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu a Entidade? Sim ( ) Não ( ). Aonde sentiu:

Contato

Exercício de:

Viu a Entidade? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde:

O que Sentiu? (reação do médium)

28

4a. Fase - Envolvimento - Curso de Médiuns - Regional Capital - SP
Nome do Aluno: Possíveis Mediunidades: Projeção de Fluído Aproximação Sentiu? Sim ( Contato Envolvimento Sentiu? Sim ( ) Não ( ). Exercício de Data: / /

) Não ( ). Aonde sentiu:

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde: O que Sentiu?

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação do Médium

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim (

Contato

Envolvimento Sentiu? Sim ( ) Não ( ).

Exercício de

) Não ( ). Aonde sentiu:

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde: O que Sentiu?

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação do Médium

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim (

Contato

Envolvimento Sentiu? Sim ( ) Não ( ).

Exercício de

) Não ( ). Aonde sentiu:

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde: O que Sentiu?

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação do Médium

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim (

Contato

Envolvimento Sentiu? Sim ( ) Não ( ).

Exercício de

) Não ( ). Aonde sentiu:

29

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Local/Aonde: O que Sentiu?

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação do Médium

5a. Fase - Manifestação - Curso de Médiuns - Reqional Capital - SP
Nome do Aluno: Possíveis Mediunidades: Projeção de Fluído Aproximação Sentiu? Sim ( Viu a? Sim ( Local/Aonde: Data:

Contato ) Não ( ) Aonde sentiu? ) Não ( ) O que Sentiu?

Envolvimento Sentiu? Sim (

) Não ( ).

Manifestação De acordo? Sim ( ) Não ( ) Coerente? Sim ( ) Não ( )

Exercícios de

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim ( Viu a? Sim ( Local/Aonde:

Contato ) Não ( ) Aonde sentiu? ) Não ( ) O que Sentiu?

Envolvimento Sentiu? Sim (

) Não ( ).

Manifestação De acordo? Sim ( ) Não ( ) Coerente? Sim ( ) Não ( )

Exercícios de

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim ( Viu a? Sim ( Local/Aonde:

Contato ) Não ( ) Aonde sentiu? ) Não ( ) O que Sentiu?

Envolvimento Sentiu? Sim (

) Não ( ).

Manifestação De acordo? Sim ( ) Não ( ) Coerente? Sim ( ) Não ( )

Exercícios de

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação

Projeção de Fluído

Aproximação Sentiu? Sim ( Viu a? Sim ( Local/Aonde:

Contato ) Não ( ) Aonde sentiu? ) Não ( ) O que Sentiu?

Envolvimento Sentiu? Sim (

) Não ( ).

Manifestação De acordo? Sim ( ) Não ( ) Coerente? Sim ( ) Não ( )

Exercícios de

Viu a? Sim ( ) Não ( ) Reação

30

AOS DIRIGENTES DE CURSO DE MÉDIUNS

MATERIAL COMPLEMENTAR

1. Sugestão de Programa Diário de aulas do Curso de Passes e do Curso de Médiuns 2. Sugestão de Programa Diário da parte prática do Curso de Médiuns 3. Resumo da 7ª até a 29ª aulas do Curso de Médiuns
AEE/Regional Norte/SP

31

1

Sugestão de Programa Diário de aulas do Curso de Passes e do Curso de Médiuns

32

SUGESTÃO para o Curso sobre PASSES e RADIAÇÕES - aulas 1 a 6 - baseado no livro “Passes e Radiações” – Edgard Armond
Aula Capítulo Assunto Metodologia Objetivo

01 01A 02

02A

01 01 01 03 04 05 06 07 30 08 28 09 25 17 e 18 02 e 19 21 e 22 09 10 11 12 13 16 20 e 23

O Santuário do espírito encarnado idem O Santuário do Espírito encarnado=> Sistema Nervoso Regras para conservação do corpo físico A energia cósmica Tonal.vibratório c.físico Medicam.e processos de cura Moléstias curáveis e não curáveis Água Fluidificada Estudo dos Fluidos Higiene das transmissões Classificação dos passes Contato com os doentes Auto Passe e Passe Limpeza Centros Força e Reativação dos C.Força Passe Coletivo e Sopro Recapitular Classificação dos Passes Passe limpeza e autopasse O passe magnético Os trabalhos Pasteur Pasteur 1 e Pasteur 2 O Choque anímico Os trabalhos P.4 A e B Reforço P1-P2-CH- Passe de Limpeza e auto-passe Passe a distância (Samaritanos) e Radiações

expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva expositiva e prática expositiva e prática expositiva expositiva prática expositiva expositiva expositiva e prática expositiva e prática expositiva e prática prática expositiva

03

03A 04

04A

05

Os trabalhos P.3A e P.3B expositiva Diferença entre magnetismo e hipnotismo expositiva Esquema funcionamento trabalho de passe expositiva Serviço de Plantão e Câmara expositiva Reforço passes P.1 – P.2 – CH – P.4A – P.4B prática 06 Simulação do trabalho de Assistência Espiritual prática 33 Encaminhamento fichas dos alunos p/verificação no GM 06A Simulado Assist.Esp. conf. aula 6. Resultado avaliação pelo GM prática O aluno mediante o resultado do GM, já se compromete a iniciar no trabalho de Assist.Espir. OBS: 1. Após cada aula, entregar ao aluno questionário a respeito do assunto, para fixação da matéria. O aluno devolverá o questionário respondido na aula seguinte, quando o gabarito deverá ser discutido rapidamente antes de iniciar o próximo assunto. O aluno, tanto quanto possível, deverá adquirir o livro Passes e Radiações 2. Recursos para aulas expositivas: mapas/transparências do corpo humano, resumo da aula em flip chart, ou na lousa, livros, ilustrações sobre Centros de Força e Duplo Etéreo, et c. 3. O Dirigente do Curso deverá adotar mecanismos de encaminhamento dos alunos ao trabalho. É interessante fazer um relatório com o resultado do GM de cada aluno, encaminhamento para ciência e providências dos Diretores de Assistência Espiritual e Estudos e arquivo.

05A

14 e 15 29 26 24 e 27

Localizar órgãos/sistemas e respectivas funções Localizar e funções – fixação de aprendizagem: perguntar aos alunos o local de cada órgão Localizar o sistema nervoso e especificar as respectivas funções Conscientização da responsabilidade da conservação do corpo físico Conhecimento e responsabilidade na manipulação. Conhecimento visando à manutenção do equilíbrio físico idem ao acima Idem ao acima O poder da água magnetizada. Um dos recursos de ajuda, porém não transferir a ela a responsabilidade de nossa cura interior Conhecimento e responsabilidade na manipulação Conhecimento e responsabilidade a respeito Enfatizar importância da padronização Conhecimento e responsabilidade a respeito Conhecimento do assunto e exercícios práticos Conhecimento e responsabilidade da manipulação.Exercício de Reativação Conhecimento e responsabilidade na tarefa Reforço de fixação do conhecimento Exercícios de Passes limpeza e autopasse Conhecimento e fixação da matéria. A importância do sentimento de amor no passe Idem Conhecimento da matéria e exercícios práticos com todos os alunos Conhecimento do tratam., sua atuação e exercícios práticos com os alunos Conhecimento dos tratamentos e sua atuação e exercícios práticos com os alunos Reforço do aprendizado prático Conhecimento do tratamento e sua atuação. A importância da diferenciação entre radiação mental e fluídica. Conhecimento dos tratamentos. Priorizar o sentimento. Importante a distinção para melhor aplicar o magnetismo nos passes. Conhecer o trabalho como um todo, a importância de cada um. Idem ao acima Reforço do aprendizado teórico. A importância do sentimento em tudo. Reforço do aprendizado teórico

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS do CURSO de MÉDIUNS PARTE TEÓRICA – aulas 7 a 30 Aula 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. Ref. M.
M. PR G.

Capítulo
1a6 7a8 8 e 23 14 9 e 10 11 12 13 13 15 a 18 20 a 21 22 a 24 30,31, 33 1 2 3 4 26 e 27 25 39 e 40 13 1 2e3 4e5 6

Assunto
Teorias s/mediunidade. Resumo Histórico. Evolução Mediunid. Sensibilidade Individual. Divisão e classificação das Faculdades. Estudo dos fluidos Faculdade de Lucidez Incorpor.e s/ Div. e Incorp.parc. Mediunidade de Efeitos Físicos Fenômenos Correlatos Mediunidade de Cura Educ. dos Médiuns. Pré-Mediun. Verif.iniciais. Adaptação Psiqu. Sinais Precursores. Passivid. Mediúnica. Oportun.Desenvolv. As Comunic. O Trab.dos Guias. Aux.Invisíveis. Estudo Psiquismo. O Encéfalo Estudo Psiq. O Sistema Nervoso Estudo Psiq. Reencarnação Est.Psiq. O Encéfalo Espiritual Estados conscienciais Estágios de Desenvolvimento Missão Social dos Médiuns Mediunidade nos animais Cromoterapia – Noções Gerais Cromo.–Cores Básicas e Elementares. Propriedade das Cores Cromo.-As cores na aura humana. Efeito das cores nas curas Cromo. Aplicações práticas

Métodologia
expositiva Expositiva

Pontos de destaque na aula
Levar o aluno a perceber que a mediunidade é dinâmica e evolui. Perceber que cada médium tem sensibilidade própria. Entender que a faculd.mediún. é uma só, mas divide-se para fins didáticos Conceituar bem e dar exemplos de cada modalidade Idem Idem idem. Observar que atualmente o que se pratica é o desdobramento. Fluidos x ectoplasma. A função importante do fluido curador. A postura do médium como intermediário seguro de energias curadoras.Cura da obsessão As perturbações que antecedem a eclosão da mediunidade. A importância de um programa sistemático de educação mediúnica. O momento certo. Como verificar as possibilidades mediúnicas. O período de adaptação. A mediunidade espiritualizada.A passividade cega altamente nociva. Esclarecer p/dar segurança => sinais precursores são temporários. Oportunidade de reconhecer quem se comunica. Enfatizar o papel dos Amigos Espirituais, e a quem recorrer. Conceituação/conhecimento da interrelação encéfalos físico e espiritual. Idem Idem Idem Orientações a serem dadas aos médiuns. O conhecim. dos est. conscienciais como facilitador e disciplinador do trabalho do médium. Como se processa o desenvolvimento passo a passo. Finalidade do médium: estar a serviço dos Espíritos Superiores Os animais como seres sensíveis que observam o mundo hiperfísico. Conhecimento da importância das cores no processo terapêutico Idem 34 Idem As aplicações gerais e para casos específicos. Exercício prático(pelo menos uma roda onde um ou mais alunos, que apresentem disfunções orgânicas, passem pelo tratamento de acordo com os problemas relatados). Esclarecimento de dúvidas remanescentes, ou complementação de assuntos

M. M. M. M. M. M. M. M. M.
MECps MECps MECps MECps

Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva Expositiva prática Expositiva

M.

23. M. 24. M. 25. M. 26. MECcr 27. MECcr 28. MECcr 29. MECcr 30.

REVISÃO

2

Sugestão de Programa Diário da parte prática do Curso de Médiuns

35

SUGESTÃO para Programa diário de aulas- CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases – aulas 31 a 35
Aula Ref. Capítul o
1e2

Assunto
Preliminares.Definições.

Exercício ou a aula em si
Considerações sobre o desenvolvimento mediúnico. O que ocorre com o médium em cada modalidade mediúnica. Exposição sumária sobre método das 5 fases. Definir mediunidade potencial, sensibilidade mediúnica, etc., como está no livro ‘Desenvolvimento Mediúnico.’ Preparação do ambiente deve ser bem orientada, nos moldes da Esco las de Aprendizes do Evangelho (sem a prece cantada – V.E.R. – cap.5 ). Intercâmbio inicial, se houver médium já desenvolvido. Abertu ra dos Trabalhos: ensinar como fazer uma concentração correta. O que é cada fase. Os tipos de mediunidade que serão trabalhadas neste período vidência, psicometria, etc.Fazer considerações sobre cada fase: pontos de eleição, tipos de interferência, etc. Período de trabalho somente com instrutores espirituais: vibrações serão sempre boas. Cada médium está com um instrutor espiritual desde o primeiro dia para medir o grau e os pontos de sensibilidade de cada um 1. antes da preparação: orientações do que acontecerá na aula(5’) 2. Fazer um relaxamento físico, harmonizando sentimentos, emoções tranqüilizando a mente. (sugestão de relaxamento – ver verso). 3. Exercício concentração visando homogeneidade de pensamentos. 4. Pode-se ainda mentalizar uma tela branca, apagando tudo da mente deixando-a limpa, voltando a atenção para si mesmo, verificando tudo o que ocorrer no físico e psíquico, observando a qualidade e local dos fluidos, e quais as reações ao receber esses fluidos. 5. A seguir fazer a corrente de mãos e, após, reativar os cent.de força. 6. Fazer a elevação espiritual, e, ao final, se todos estiverem bem, percebendo o ambiente bem equilibrado, passar ao exercício: 7. –“Agora vamos pedir aos instrutores a projeção de fluidos” 8. Aguardar 5” a 10” para recebimento dos fluidos, a seguir pedir para desconcentrar.Cada monitor colherá as informações individuais. 9. Repetir por 2, 3 vezes, a partir do item 7; em cada uma solicitar que se concentrem novamente. Aguardar, desconcentrar, anotar. Durante os 1°s exercícios o intervalo entre uma fase e outra deverá ser maior, porém, à medida que o dirigente perceba mais segurança nos alunos, ir reduzindo o intervalo para o recomendado (5” a 10”). Idem

Exercícios complementares

Observação

31.

DM

32.

DM

1e2

Preparação do ambiente. Intercâmbio inicial. Abertura dos Trabalhos Considerações sobre o método das 5 fases. Orientar que nas 1ªs aulas das 5 fases, o próprio aluno deve solicitar confirmação do que sente, ao mentor. 1ª FASE Percepção de Fluidos. – 1ª aula.
OBS: daqui até o final do curso seria interessante deixar um es paço de + 10’ ao final da aula, para que os alunos de cada roda troquem impressões sobre os exercícios, como senti- ram, se perceberam algo diferente consigo mesmo ou com um outro companheiro, se perceberam que houve bloqueios, receios, se sentiram-se felizes, ou surpresos pelas sensações percebidas, etc. NOTA: orientar os alunos estudarem sobre os exercícios da aula seguinte; a cada aula dar rápida explicação sobre os exercícios a serem realizados na aula informando o que ocorrerá, para fixação e segurança.

Exercício de concentração. Fechar-se para o mundo externo.

Um exemplo de exercício de concentração: ver verso

33.

DM

25 a 42

Quando pedirmos a projeção de fluidos todos terão que sentir, pois àqueles com sensibilidade precária, os instrutores densificarão os fluidos, para que sintam. VIDÊNCIA: Solicitar aos instrutores a projeção no local de: cores, formas geométricas, luzes, símbolos. Solicitar aos instrutores para projetar de acordo com a condição de cada um. Anotar, após o exercício mediúnico o grau de penetração do aluno no objeto projetado. 1.Método da 5 fases- monitores anotarão em impresso próprio as sensações de cada aluno durante os exercícios. 2.Os instrutores escolhem os objetos de vidência a serem plasmados, porém o dirigente do curso poderá solicitar aos instrutores a projeção de objetos específicos (interessante pedir a outra pessoa escrever o objeto a ser projetado pelos instrutores,fechando em envelope, evitando telepatia; findo o exercício o pedido é aberto, para as verificações)

34.

DM

25 a 28

36
Idem Quando o aluno vir uma forma sim bólica, pedir-lhe explicação sobre seu significado. Se tiver dificuldade deve o aluno solicitar mental mente ao instrutor a explicação.

35.

DM

25 a 28

Primeira Fase: Percepção de Fluidos – 2ª aula

VERSO de SUGESTÃO para Programa diário de aulas- CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases- aulas 31 a 35 1. SUGESTÃO DE EXERCÍCIO DE CONCENTRAÇÃO:
Construção de uma Rosa: Estão todos relaxados, então vamos mentalizando a construção de uma rosa. Iniciamos mentalizando o caule, fino, entre verde e marrom, alguns espinhos ao longo dele, subindo, subindo, vemos o cálice, verde, com pontas para acomodar as pétalas. Mentalizemos cada pétala dessa flor, sua textura, perfume. Passemos para o miolo da flor. Todo amarelo. Sintam seu perfume. Feito isso, desconcentrar. Perguntar aos alunos se conseguiram acompanhar, se observaram ruídos externos. Para quem percebeu os ruídos externos, avisar que precisará treinar mais, para sair da atenção e passar para a concentração.

2. SUGESTÃO DE EXERCÍCIO DE RELAXAMENTO:
O relaxamento vai sendo falado com suavidade, pausadamente, dando tempo a que todos acompanhem. Colocado confortavelmente na cadeira, costas em posição ereta, não cruzar pernas ou braços, mentalizar um gigantesco quadro branco à sua frente, aonde vão sendo depositados em forma de palavras, ou imagens, todas as preocupações, problemas, emoções negativas, etc. à medida que o quadro recebe essas impressões ele vai absorvendo-as, apagando-as, propiciando assim o esvaziamento das mentes. Em seguida, se mantendo na mesma posição, mentalizar como se o corpo fosse uma fábrica onde os operários vão desligando o maquinário, fechando janelas e portas, apagando as luzes para se retirarem. Inicia-se essa mentalização a partir dos dedos dos pés, subindo pelas pernas, coxas, quadris, músculos do abdômen e do tórax, músculos das costas, ombros (deixando-os cair), braços, mãos, pescoço, todo o couro cabeludo, todo o rosto, desfranzindo testa e sobrancelhas, deixando as pálpebras caírem com suavidade, distencionando os músculos da face direita e esquerda, distencionando língua, dentes e lábios. Em seguida, mentalizar uma luz branca, brilhante entrando pelo coronário, inundando todo o encéfalo, medula, todos os pares de nervos que daí partem, espalhando-se por toda corrente nervosa, limpando os plexos, centros de força. Em seguida, uma luz rósea intensa penetra no cardíaco, trabalhando musculatura cardíaca, veias, vasos, de na contra parte espiritual, vai inundando o Centro de Força Cardíaco de vibrações amorosas, modificando sentimentos, emoções negativas, trazendo paz, alegria.

37

SUGESTÃO para Programa diário de aulas – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases- aulas 36 a 39
Aula Ref.

Página
29 e 30

Assunto Segunda Fase Aproximação – 1ª aula.

Exercício ou a aula em si

Exercícios complementares

Observação

36.

DM

37.

DM

29 e 30

Segunda Fase Aproximação – 2ª aula

Mesma preparação da 1ª fase, por Vidência no ambiente exemplo: 1. O mesmo exercício da 1ª fase Pede-se a projeção de fluidos (aguardar alguns instantes); em seguida pede-se a aproximação. Aguardar mais tempo nesta fase(15 a 20”). Desconcentrar. Repetir o exercício 2 a 3 vezes. VIDÊNCIA: Idem 1. À distância (O dirigente dá um alvo seu conhecido e OBS: O tempo sugerido – segundos(“) – entre pede que os médiuns consigam ver o uma fase e outra é apenas para se ter noção do alvo,descrevendo-o).
tempo de espera.

38.

DM

30 a 31

Terceira Fase: Contato -1ª aula.

Repete-se o processo das fases anteriores: projeção de fluidos(5”), aproximação(10”) e contato(15”). Desconcentrar, anotar, e verificar se estão percebendo a distinção entre uma fase e outra. Repetir 2 a 3 vezes.

39.

DM

30 a 31

Terceira Fase: Contato -2ª aula.

idem

1. Fase mais demorada, porque não vai nenhuma ação do espírito ao medium. 2. Aproximação pela frente, costas, lados, sentindo também o afastamento. Tipo do espírito: gordo, magro, alto, baixo, jovem, idoso, etc. 1.Vidência à distância: poderá ser avaliado o grau de aprofundamento nessa faculdade (se apresenta capacidade superior, média, ou inferior de vidência) 2.Vidência no ambiente – poderá 2. No ambiente: pedir aos Instrutores ser verificado o grau de vidência plasmarem um quadro (superior, média, inferior) pelo aprofundamento nos detalhes. 1.Consulta de uma ficha (caso conhecido, 1. Análise de ficha: este exercício porém desconhecido da classe). Não falar poderá ser exaustivamente repetido o nome, somente pedir para se concentra- em várias aulas, com outras fichas, rem ligando-se ao mentor da pessoa. Após criando-se uma planilha para pontuaalguns instantes,desconcentrar, passando cão dos acertos de cada aluno, visan às anotações. do a comprovação das possibilidades 2. TELEPATIA:o dirigente pensará em uma de trabalhar em Grupos Mediúnicos personalidade brasileira no campo da ciên- de Avaliação de Fichas. cia e verificará se recebem esse pensamen 2. Telepatia: será considerado o to. Repetir com 1 personalidade do campo grau de aprofundamento, verificando das letras detalhes das figuras. 1. PSICOMETRIA:.desenho de 1 figura 1. Psicometria -**Para evitar o processo simples, fechado em envelope, feito pelo telepático convém que no 2° exercício de vidência uma outra pessoa faça o de dirigente.** - 2 exercícios na mesma aula. senho e o feche num envelope; devendo 2. Vidência e audição mediúnica: solicitar o Dirigente tomar ciência do conteúdo aos instrutores uma projeção telepática somente no final do exercício. sonora e luminosa, de modo a ser vista 2. A audição pode ser direta ou indireta pelos videntes e ouvida pelos audientes. isto é, mental ou objetiva, transferida ou
não para o plano material.

38

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases- aulas 40 a 42
Aula Ref.

Página Assunto
31 a 24

Exercício ou a aula em si
Repete-se o processo das fases anteriores: projeção de fluidos(5”), aproximação(10”), contato(10”), envolvimento(20”). Pedir para que se deixem envol ver. O aluno terá uma sensação agradável da Entidade Espiritual; se ocorrer o contrário, será invigi lância mediúnica do aluno. Desconcentrar, e anotar o que sentiu e como sentiu, o tipo de espírito, se houve envolvimento total ou só mental. Repetir 2 a 3 vezes.

Exercícios complementares DESDOBRAMENTO: (corrente de mãos) 1. fazer relaxamento total, manter-se sereno,tranqüilo 2. A partir daí, o dirigente dirá: “Estando tranqüilos, serenos e protegidos pelos instrutores, vamos ao desdobramento, saindo do corpo e ficando ao lado dele”. Aguardar poucos minutos e solicitar o retorno sereno/ tranqüilo pelo mesmo lado por onde saiu. Em todo desdobramento solicitar a presença do mentor para acompanhar o médium. Repetir o exercício. Avaliação de ficha: pedir aos alunos para se liga – rem ao mentor da pessoa (que não será identificada), verificando possíveis problemas espirituais e/ou físicos. Após alguns instantes, anotar o que perceberam, e depois conferir com as queixas do avaliado. Repetir o exercício com outra ficha. a. DESDOBRAMENTO: (corrente de mãos) 1. fazer um relaxamento total, manter-se sereno, tranqüilo, muito importante para o êxito do exercício. 2. A partir daí, o dirigente dirá: “Estando tranqui – los, serenos e protegidos pelos instrutores, vamos ao desdobramento, saindo do corpo e ficando ao lado dele”. Aguardar poucos minutos e solicitar o retorno sereno/tranqüilo pelo mesmo lado por onde saiu. b. Avaliação de ficha: pedir aos alunos para se ligarem ao mentor da pessoa (que não será identificada),ve rificando possíveis problemas espirituais e/ou físicos. Após alguns instantes, anotar o que perceberam, e depois conferir com as queixas do avaliado, verificando ainda o tratamento de que necessita. Repetir o exercício com tantas outras fichas quanto o horário permitir. Idem à aula anterior

Observação 1. Envolvimento: avisar previamente os alunos que terão vontade de falar, mas necessitam de auto domínio. 2. Desdobramento: sempre com corrente de mãos. O aluno deverá in formar por onde saiu, qual a sensacão de ver o corpo, se teve vidência, se conseguiria falar exteriorizado. Explicar que no desdobramento o retorno brusco prejudica a lembrança do que viu.Se o aluno se sentiu no local, então se desdobrou.Se apenas se viu no local,não houve desdobra mento, apenas projeção do duplo. O médium deve procurar manter a cons ciência durante todo o processo. Desdobramentos: Os desdobramen tos somente poderão ser iniciados mediante a solicitação da presença do mentor ou instrutor do aluno médium, que deverá acompanhá-lo como guia e protetor. A saída do corpo provoca uma sensação de formigamento e frio; qualquer temor ou dúvida impede a saída, como também, sem a perfeita relaxação muscular não haverá saída. Avaliação de ficha: é interessante montar uma planilha para acompanhamento dos acertos dos alunos. Ver modelo no verso. Este exercício deve ser realizado exaustivamente, registrando o resultado na planilha.

40.

DM

Quarta Fase Envolvimento – 1ª aula.

M

Cap.13

=>Desdobram.

41.

DM

31 a 34

Quarta Fase Envolvimento – 2ª aula

idem

39

42.

DM

31 a 34

Idem - 3ª aula.

Idem à aula anterior

VERSO DA SUGESTÃO para Programa Diário de aulas – Curso de Médiuns – PARTE PRÁTICA – AS 5 FASES –aulas 40 A 42 OBS: A cada acerto colocar um ponto na coluna respectiva. Considerar acerto quando o aluno consegue receber com segurança as informações do plano espiritual com relação aos problemas físicos e/ou espirituais do avaliado confrontando com o histórico da ficha. Recomendar exaustivamente que o médium deverá sintonizar com o Mentor do avaliado ou com o Mentor do Grupo de Trabalho, e nunca com o avaliado, pois poderá acontecer de captar os seus pensamentos-forma, que traduzam seus medos, ideais fixas, anseios, etc., ou ainda entrar em sintonia direta com o avaliado, sentindo momentaneamente em si mesmo os desequilíbrios daquele, invalidando a análise. Recomenda-se que o dirigente ou monitor da roda, tome conhecimento do histórico da ficha somente após a avaliação na roda, evitando processos telepáticos entre encarnados, o que anula o propósito do exercício. A planilha abaixo poderá ser multiplicada quantas forem as fichas a serem avaliadas ao longo do curso. Pode-se iniciar avaliação com fichas de assistidos da Casa Espírita que já tenham sido analisadas pelo Grupo Mediúnico regular do Centro, tendo com isso mais uma referência de resultado. SUGESTÃO DE PLANILHA Fichas avaliadas/pontuação no caso de acerto 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª 11ª 12ª 13ª 14ª 15ª Nome do aluno ANA MARIA DA SILVA * 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 CARLOS ANTONIO DE SOUZA 1 1 ELZA REGINA DE OLIVEIRA * 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 FRANCISCO CARLOS ACEVEZ 1 1 GRACIANA HELENA MOREIRA * 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 HELOISA CRISTINA MOTA CARVALHO 1 1 1 1 1 1 1 1 IRINEU PEREIRA ROCCO 1 1 1 1 1 1 1 1 1 JOSÉ CARLOS PRIMO 1 KATIA NANCY NASCIMENTO * 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1
LAURA BEATRIZ DAS NEVES MARIA APARECIDA SIMONETI OSVALDO NEGRÃO ZILDA APARECIDA COSTA

1 1 40 * 1 1 (*) – alunos com potencial para grupo mediúnico de avaliação de fichas. As avaliações devem prosseguir, e havendo evolução na quantidade de acerto (90% ao menos), poderão ser recomendados para trabalho em GM., devendo também ser confirmados em avaliação do Grupo Mediúnico da Casa.

*

1 1

1 1

1 1

1 1

1 1 1

1 1

1 1

1 1

1 -

1 1

1 1 1

1 1

1 1 1

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases- aulas 43 a 46 Aula Ref. Exercícios complementares Página Assunto Exercício ou a aula em si 43. DM
34 a 35

Observação

Quinta Fase: Manifestação -1ª aula.

Repetir o processo das fases anteriores: projeção de fluidos(5”), aproximação (10”), contato (10”), envolvimento (10”) e manifestação (saudação imediata, logo após envolvimento–feita a saudação, desconcentrar, relaxar e aguardar) Nas aulas iniciais da 5ª fase,o aluno transmitirá mensagens breves (saudações..) mesmo que não sin ta qualquer manifestação espiritual Todos desconcentrados passar às anotações Repetir 2 a 3 vezes.

44.

DM

34 a 35

Quinta Fase Manifestação - 2ª aula

Idem

45.

DM

34 a 35

Quinta Fase Manifestação -3ª aula

Idem

46.

DM

34 a 35

Quinta Fase Manifestação - 4ª aula

Idem OBS: as mensagens já poderão ir além das saudações, com frases maiores, exteriorizando o pensamento do espírito comunicante. – ver verso

a. DESDOBRAMENTO: (corrente de mãos) 1. fazer um relaxamento total, manter-se sereno. 2. A partir daí, o dirigente dirá: “Estando tranqüilos, serenos e protegidos pelos instrutores, vamos ao desdobramento, saindo do corpo e percorrendo a sala onde estamos”. Aguardar poucos minutos e solicitar o retorno sereno e tranqüilo pelo mesmo lado por onde saiu. No desdobramento não deverão sair da sala. Repetir o exercício. b. Verificação de um caso à distância, com ênfase em desdobramento: Mesma preparação anterior, pedindo agora que se desdobrem indo ao local informado, e ao retornar informem o que viram. a. Exercício de psicografia: -Entendendo o animismo: O aluno utilizará prancheta, 2 folhas de papel e lápis. Terá 10’ para descrever no papel 1 local escolhido pelo Dirigente (o C. Espírita em que está, ou a sala em que se encontra,etc.), relatando se quiser, a impressão que possui do local. Percebendo o término da descrição, o Dirigente ou o Monitor, mostrará em silêncio ao aluno em particular, um aviso onde consta: “RESUMA O QUE ESCREVEU” . Cada aluno então terá mais 5’ para resumir a descrição feita. Assim que o aluno termine o resumo outro aviso será mostrado a ele em particular: “RESUMA AINDA MAIS”. Terá mais 5 minutos. No final informar o objetivo. b. Verificação à distância, como na aula 43. Psicografia. (ver sobre início de treinamento no verso) Os alunos receberão folhas em branco, lápis e apoio para as folhas (prancheta, etc.) O Dirigente trará um tema para ser desenvolvido, desconhecido de todos. Os alunos deverão se concentrar, já acomodados de forma adequada para a escrita. Ao final do exercício será verificado o grau de sintonia com o Mentor. Repetir o exercício com outro tema. a. Psicografia: Mesmos preparativos da aula anterior, porém o médium ao se concentrar para a escrita, receberá 1 folha de revista, jornal, ou artigo avulso, para ler ao mesmo tempo em que escreve, o qual não terá qualquer afinidade com o tema escolhido e desenvolvido pelos instrutores espirituais. Objetivo: identificar os médiuns psicógrafos mecânicos (cujo braço é insensibilizado pelo comunicante).

5ª fase: verificar se os alunos percebem a distinção entre uma fase e outra. a. Desdobramento: orientar aos alunos a não saírem da sala. b. Verificação de um caso à distância: Neste exercício poderão ser trazidos nomes da própria assistência espiritual ou de fora da Casa, quando solicitado. Os alunos serão orientados a não se envolverem com as vibrações ambientes, pois não se trata de incorporação,e nem deve ocorrer envolvimento de espíritos sofredo res; se ocorrer será invigilância do aluno. Objetivo do exercício sobre animismo: Orientar que o exercício tem uma interpretação. A 1ª descrição representaria uma mensagem recheada de animismo. A 2ª descrição já resumida, uma mensagem ainda com algum animismo, e a 3ª descrição mais resumida, representaria a essência de 1 mensagem espiritual.O alu no será levado a perceber a responsabilidade em não se desviar da essência da mensagem, comparando as 3 descrições – ver explicação no verso Para evitar que o aluno se equivoque captando o tema da mente do dirigente, seria interessante que uma outra pessoa escolhesse 1 tema, escrevendo em um papel de tal forma que o dirigente somente tomaria conhecimento do tema no final do exercício. Finda a comunicação, o dirigente deverá interrogar o médium sobre o assunto lido para verificar se, de fato, a atenção estava na leitura e não na escrita mediúnica. O médium deverá discorrer sobre o que leu, antes de ler a mensagem do espírito comunicante. A verificação no final é a mesma do exercício anterior.

41

Verso da página sobre PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – as 5 fases- aulas 43 a 46
Objetivo do exercício do animismo: lembrar que o ANIMISMO não é prejudicial quando utilizado como recurso de tradução da idéia do espírito comunicante, não deturpando, nem enfeitando, nem desviando da idéia principal. As manifestações mediúnicas psicofônicas em quase sua totalidade utilizam o animismo(recurso da alma)na transmissão das mensagens. PSICOGRAFIA – Os primeiros exercícios de psicografia podem ser feitos para que o braço e a mão possam se adequar à leveza e fluidez do lápis, treinando riscos, “lacinhos” , letras como “i” ou “u”, etc. A verdadeira psicografia (escrita mecânica) exige treinamento constante e por longo tempo. Método das 5 fases – MANIFESTAÇÃO – fase crítica ao aluno. Aflora o subconsciente, as emoções. Na dúvida da mensagem, pedir confirmação: na psicofonia pedir que o plano espiritual faça uma projeção de fluidos, e na vidência pedir ao mentor para traduzir o quadro. As mensagens irão gradativamente ficando mais longas, iniciando por uma simples saudação, agradecimento, nas primeiras aulas, passando para frases mais elaboradas que exprimam o pensamento do espírito comunicante, no entanto, orientar sempre ao médium que o Plano Espiritual Superior se comunica de forma clara, concisa, objetiva, sem rodeios, de forma agradável, mesmo nas advertências, jamais usando palavreado vulgar, banal, e jamais utilizando tempo desnecessário para a mensagem. Mensagens muito longas revelam ou um médium indisciplinado ou não é o plano espiritual superior. Em casos mais específicos, como a formação de Grupo Mediúnico para intercâmbio com a Espiritualidade Superior, onde haja diálogo entre encarnados e desencarnados, as mensagens poderão ser mais longas pela própria característica da reunião mediúnica, onde haja principalmente diálogo de encarnados com os desencarnados, visando a busca de orientação da espiritualidade maior. ========================================================================================================================== EXERCÍCIO para a aula 48: Análise de um caso de psicofonia (objetivo: através da história sensibilizar o aluno sobre a responsabilidade de estar atento e preparado para o intercâmbio mediúnico)
“O trabalho mediúnico foi iniciado. Um médium vidente nota a aproximação de um mentor pelas suas vestes talares, (talar= Vestido, bata ou batina que desce até os calcanhares), brancas, sorriso no rosto, flores numa das mãos. Este lhe diz para prestar atenção somente às suas palavras, ignorando tudo o mais que possa acontecer, ao nível de telepatia ou vidência. Com delicadeza, diz ao médium que é com orgulho que o apóia numa missão salvadora e que ele tem um grande futuro. Para a desenvoltura dessa missão, assevera, deve aceitar apenas a verdade, que apenas ele lhe proporcionará, devendo abraçá-la sem questionamentos, mas com fé, em nome do Cristo, doa a quem doer. O médium sente uma sensação de mal-estar, porém, embevecido, dá-se de ombros e obedece, aguardando os ensinamentos. Pouco depois a sensação passa. A mensagem vem, enquanto o intermediário confiante rejubila de alegria.”

a) O texto mostra algo que é importantíssimo notar. O que é? Resposta: Não se deve acreditar em tudo que se vê, pois o que se vê/ouve, é diferente do que se sente (emanações do próprio espírito comunicante) b) O que significa a sensação de mal-estar sentida pelo médium? Resposta: captação das emanações do espírito comunicante. Exemplo: alguém vai a casa de um fumante, sente o cheiro e não se sente bem, porém, com o constante contato com o fumante acostuma-se ao cheiro que antes o incomodava, perdendoa sensibilidade 42 c) Passada a sensação,abrindo-se ao espírito com confiança/alegria,o que está ocorrendo com o médium? Resposta:O médium foi seduzido pela vaidade, o que criou uma ligação (afinidade) com o espírito comunicante

42

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – aulas 47 e 48
Aula Ref.

Página
42 a 53

Assunto Quinta Fase Manifestação - 6ª aula

Exercício ou a aula em si
Idem. Além do exercício, será feita classificação das faculdades individuais para Desenvolvimento Específico, conforme os exercícios complementares de vidência e psicografia

Exercícios complementares Vidência: exibição de um objeto a pouca distância para exame da aura. O mesmo com uma pessoa presente. O mesmo para exame direto e interno do organismo humano, servindo-se de alguém presente. Psicografia: dar na hora um tema não doutrinário ou trivial, aos espíritos comunicantes, enquanto o aluno faz uma leitura derivativa (um texto, uma página de revista, ou uma página de livro, com assunto diferente do tema dado aos espíritos comunicantes). Ao final do exercício solicitar ao aluno que relate o que registrou da leitura derivativa, visando constatar se a atenção estava voltada para a psicografia ou para a leitura indicada. Psicofonia: Realizar provas que permitam classificar os alunos como inconsciente: pela integração no transe maior ou menor; pela possibilidade de identificar o comu nicante e autenticar a transmissão. Como semiconsciente:O desembaraço maior ou menor na dissertação sobre o tema, mostrará o grau de profundidade da semiconsciência. Como consciente: aqueles que discorrerem sobre o tema proposto com mais desembaraço e propriedade, com mais inspiração, serão os mais bem dotados. Psicometria (vidência em local): Levar 1 objeto de uso pessoal à roda. Cada aluno terá contato rápido com o objeto, passando para o companheiro do lado em seguida. Cada qual em contato com o objeto procurará verificar a quem pertence e tudo que refere a ele. Repetir o exercício com outro objeto.

Observação Para a psicografia será verificado: 1.desenvoltura na escrita; 2. sua rapidez; 3. clareza e legibilidade; 4. profundidade mental na interpretaed do tema; 5. o aspecto rigorosamente mecânico Não havendo médiuns psicógrafos fornecer temas adequados e globais e verificar os resultados individuais, mais ou menos de acordo com as exi gências acima, exceto a do n° 5. Na classificação para médiuns inconsciente e semiconsciente: podera buscar auxílio de videntes, porque há sempre espíritos presentes.
Para a Psicofonia: escolher um tema. O melhor é pedir a uma outra pessoa que escreva o tema em um papel, sendo leva do à aula e revelado a todos,inclusive aos Dirigentes, somente no final do exercício. -----------------------------------------------------Psicometria: Neste exercício o aluno deverá ser alertado a não querer adivinhar a quem pertence e sim perceber os sentimentos impregnados no objeto, e “ver” cenas e situações ligadas a ele, que identifiquem a personalidade de seu proprietário. Seria interessante que os dirigentes não conheçam o dono do 43 objeto, evitando interferências telepáticas

47.

DM

48. E

DM

42 a 53

Quinta Fase Manifestação - 7ª aula

Idem, porém os exercícios para classificação das faculdades individuais nesta aula serão de Psicofonia e Psicometria OBS: se houver tempo, passar o exercício detalhado no verso da folha anterior, sobre analise de um caso de psicofonia, para que os alunos dêem a resposta em conjunto ou individualmente. Se nesta aula não houver possibilidade, encaixar o exercício em próxima aula.

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS–CURSO de MÉDIUNS–PARTE PRÁTICA – DESENVOLVIMENTO PROGRESSIVO–aulas 49 a 52
Aula Ref.

Página Assunto
62 a 64

Exercício ou a aula em si
Início atendimento a espíritos sofredores. ( + 40 min. de exercício) 1°. antes da preparação, explicar aos alunos o que vai acontecer– v.verso 2°. Preparação. Iniciar o exercício somente se todos sentirem o ambi ente harmonioso, tranqüilo, e todos estando bem. Corrente de mãos enquanto houver as manifestações. Dar alguns intervalos para descanso dos alunos, e reiniciar. (2 a 3 vezes). Ver verso - como atender espíritos sofredores.

Exercícios complementares
Vidência no espaço (por desdobramento): Solicitar aos alunos para desdobrarem, exteriorizando-se, sendo levados ao local da cena a ser observada, escolhida pelos instrutores. Vidência no espaço (através de uma linha de partículas fluídicas estabelecida na matéria astral, formando um fio transmissor de vibrações de extremo a extremo, por meio do qual a vidência se exerce): Mesma solicitação do exercício anterior

Observação
Atendimento a espíritos sofredores: As manifestações acontecem pelas afinidades psiqui cas, quando os agentes invisíveis conduzem os espíritos para junto dos médiuns que edsam então a ser influenciados nos limites de suas próprias capacidades e condições de resistências fluídicas,o que é previamente determinado. Essa capacidade ou resistência fluídi ca depende da força vital, equilíbrio psíquico, grau de desenvolvimento ediúnico, flexibilidade mediúnica e adiantamento moral. Vidência no espaço – por desdobramento: .Observação direta no local da cena - visão é muita mais nítida e completa. .Quando o médium ainda não desenvolveu a capacidade de desdobramento, os próprios instrutores o mergulham em sono sonambúlico, e assim, o transportam aos lugares deseja dos, e aí, o aluno ou narra a cena vista após o regresso, ou vai narrando durante este sono. À medida que se avança no processo de adestramento, as faculdades até então treina das em exercícios complementares (vidência, audição, desdobramento, verificação a distância) serão utilizadas naturalmente no momento de atendimento aos espíritos sofredores. Durante a manifestação, poderão ser utilizados os videntes, audientes, os que se desdobram com facilidade, etc., devendo o dirigente ou monitor da roda, ficar atento para essas co laborações também importantes para o atendi mento eficaz dos sofredores. Com isso os alunos irão adquirindo mais confiança e aprofundamento nos exercícios mediúnicos. Os avaliados poderão comparecer às aulas cu jos exercícios se refiram ao tratamento orienta do (desobsessão ou P3A), com isso os alunos exercitarão com os assistidos em presença. mente de atendimento a sofredores para delimitação rígida entre ambas.

49

DM

Estágio em suportes e correntes de cura.
OBS: a partir desta aula se ria interessante reservar + 10’ ao final da aula, para os alunos de cada roda trocarem impressões sobre os exercícios, como sentiram, se perceberam algo diferente consigo mesmo ou com 1 outro companheiro, se perceberam que houve bloqueios, receios, se sentiram felizes, ou surpresos pelas sensações percebidas, se viram/perceberam o espírito que incorporou no outro,etc

50

DM

62 a 64

Estágio em suportes e correntes de cura.

Atendimento a espíritos sofredores. Idem à aula anterior. OBS: Os cooperadores espirituais preparam os médiuns previamente para o trabalho.

b. Avaliação de ficha: pedir aos alunos para se ligarem ao mentor da pessoa (que não será identificada) verificando possíveis problemas espirituais e/ou físicos. Após alguns instantes, anotar o que perceberam, e depois conferir com as queixas do avaliado. Verificar que tratamento necessita. Repetir o exercício com tantas outras fichas quanto o horário permitir. Idemavaliação de fichas de trabalhadores da casa, ou solicitantes.
Idem. As aulas caminharão natural obsessores, não se observando uma

44

51

DM

62 a 64

Estágio em suportes e correntes de cura. Idem.

Atendimento a espíritos sofredores. Idem à aula anterior. Idem à aula anterior.

52

DM

62 a 64

VERSO da parte pratica – aulas 49 a 52 O que é a corrente de cura?
A partir dessa fase, recomenda-se trabalhos de conjunto, os médiuns se agrupando em correntes de cura e suportes magnéticos, para curas materiais e espirituais. As correntes de cura quando organizadas com finalidades específicas, são mais eficientes, mas na impossibilidade disso, poderão atender aos dois fins já citados. Correntes de cura: conjuntos sólidos, contendo em si mesmos, todos os recursos para ação num sentido ou noutro. Devem conter médiuns aptos a exames e diagnósticos espirituais, doações de fluidos e ectoplasma, tratamento de perturbações físicas e operações, ambas de fundo mediúnico (ação nas matrizes do perispírito). As de curas espirituais devem possuir médiuns aptos para exames, tratamentos de perturbações psíquicas, ação contra obsessores e espíritos malignos, desligamentos ou neutralização de suas atividades. Os dirigentes deverão ser competentes para que alcancem amplo campo de ação, produzindo trabalhos altamente meritórios. O que são os suportes magnéticos? Se as correntes de cura são estáveis, constituindo-se com elementos selecionados e exercendo atividade permanente e específica, os suportes magnéticos são formados tendo em vista, uma atividade momentânea, para atender necessidades imprevistas, tanto do campo material como do espiritual. Neste período de quatro aulas: Já podemos iniciar a etapa de adestramento – atendimento a espíritos sofredores 1. Explicar aos alunos antes da preparação o que irá ocorrer durante a aula. 2. Dispor os alunos intercalando os psicofônicos com os esclarecedores. 3. A importância da preparação do ambiente para o êxito do desenvolvimento. 4. Os instrutores espirituais ficam na retaguarda amparando os médiuns que começam a receber espíritos sofredores, mentores individuais e familiares. 5. Inicialmente os médiuns recebem entidades que morreram em acidentes, no lar, hospitais. Depois passam a receber espíritos errantes, mendigos desencarnados nessa circunstância. Em seguida passam a receber espíritos com mágoas profundas, revoltados. Os Médiuns de incorporação: 1. Auto controle para receber no momento certo. 2. Maior cuidado com a postura. 3. Filtragem no momento de transmitir verbalmente os sentimento destas entidades. 4. Não passar de forma agressiva ou vocabulário impróprio. 5. A importância do controle, pelo médium, do volume de voz. O doutrinador: Como receber as entidades; como conduzir o diálogo; o tempo do diálogo; a maneira como despede a entidade entregando-a ao Plano Espiritual. 1. Doutrinações devem ser feitas em sentido geral e não particular de forma a beneficiarem a todos os presentes dos dois planos – verdadeira pregação evangélica e revelação de verdades. 3. Mais influem sobre os espíritos a doutrinar os fluidos purificados da corrente e as vibrações amoráveis dos cooperadores que as palavras do doutrinador, salva raras exceções. 4. Como tratar os espíritos: por muito atrasados que sejam não estão debaixo de nossa autoridade. É preciso urbanidade, paciência e respeito, tolerância e bondade, porque na maioria dos casos necessitam de compreensão, estímulos e de benevolência para despertarem do seu letargo e vislumbrarem um pouco de luz. Raramente temos de usar expressões enérgicas quando o trabalho se realiza em ambiente suficientemente espiritualizado, que inibem qualquer atitude desrespeitosa e imoderada. 5. Há perseguidores que procuram hipnotizar suas vítimas para que não ouçam as palavras esclarecedoras do doutrinador. Não devemos contradizê-los pessoalmente, irritá-los, discutir, para não ferir e pôr em liberdade paixões e forças de maldade e ignorância que estão momentaneamente contidas graças à presença e interferência dos Espíritos Bons, interessados no caso. Outras faculdades a serem treinadas neste período: Vidência – com psicometria, vidência no espaço (utilização do tubo astral ou fio transmissor-livro Mediunidade - cap.9-Vidência) Desdobramento – é um período de avançamento do processo. Doutrinação de sofredores: vibrações prévias da corrente, utilizando-se mesmo as cores adequadas: estimulantes para as depressões e calmantes para as agitações Penetrar a fundo nos motivos e explicar o porque do sofrimento deles, depois esclarecer e apontar rumos. Doutrinação de obsessores: vibrações prévias mais vigorosas, fluidos da corrente, devendo se saber com certa segurança os casos em si mesmos: se interferências deliberadas, resgates cármicos, retorno momentâneo de malefícios feitos, cobrança de dívida. Não discutir com o obsessor: conter, ensinar, esclarecer e despedir.

45

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – DESENVOLVIMENTO PROGRESSIVO – aulas 53 a 58
Aula Ref.

Página
Cap.29 e 30

Assunto
Doutrinação de Sofredores e de Obsessores

Exercício ou a aula em si
Antes do início da preparação, orien tar os alunos quanto a esta fase. Todos devem colaborar com suas faculdades mediúnicas para que cada atendimento seja produtivo (videntes, os que desdobram, os audientes, colaborando e acompanhando cada incorporação, informando aos responsáveis, de forma discreta,o que perce bem dentro de suas capacidades). idem idem idem idem Idem

Exercícios complementares
Desdobramento: exteriorização em volta da Casa Espírita, acompanhados dos instrutores. Ao retorno, conforme aulas anteriores, deverão relatar tudo que viram. Repetir o exercício.

Observação
Para atender os espíritos obsessores, deve se observar também as orientações contidas no verso do programa de aulas práticas de n°s. 49 a 52.

53

M

54 55 56 57 58

M M M M M

Cap.29 e 30 Cap.29 e 30 Cap.29 e 30 Cap.29 e 30 Cap.30,31 ,33 e 34

Doutrinação de Sofredores e de Obsessores Doutrinação de Sofredores e de Obsessores Doutrinação de Sofredores e de Obsessores Doutrinação de Sofredores e Obsessores Doutrinação de Sofredores e Obsessores

idem Idem idem idem idem

Os capítulos abaixo, do livro “Mediunidade”, não constam da parte teórica do Curso de Médiuns cap.28= Modalidades de Trabalhos cap.29= A Doutrinação cap.34= Ambientes Bons e Maus, abordam assuntos importantes para o desenvolvimento do médium, visando reforçar a segurança, a postura adequada, e a vigilância necessária. Portanto, nas aulas de Desenvolvimento Progressivo (Adestramento), é interessante repassar as informações constantes nesses capítulos aos alunos, destinando para isso alguns minutos antes do início da aula. O Dirigente deve estar sempre atento, esclarecendo, corrigindo, sempre que necessário, com serenidade, bom senso, respeito, consideração e carinho pelo aluno, sem desconsiderar a firmeza, lembrando-nos que o desenvolvimento mediúnico também é um processo educativo.

46

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS–CURSO de MÉDIUNS–PARTE PRÁTICA–DESENVOLVIMENTO COMPLETIVO–aulas 59 a 63
Aula Ref.
M DM

Página
Cap.34, 35 e 36 61 a 69

Assunto
Aprimoramento das Faculdades

Exercício ou a aula em si
Antes do início da preparação,orientar os alunos quanto a esta fase. Aproveitar para comentar sobre as esferas do astral (pesquisar no livro Desenvolvimento Mediúnico)

Exercícios complementares
Vidência com desdobramento: Deixar um livro em um outro cômodo do Centro, fazendo o desdobramento conforme orientação em aulas anteriores. Repetir o exercício com outro objeto. Desdobramento: sair do corpo e acompanhar o instrutor a lugares distantes.. Ao retorno, conforme aulas anteriores, deverão relatar tudo que viram e sentiram. Repetir o exercício. idem

Observação
Vidência com desdobramento: O aluno ao retornar ao corpo, deverá dar detalhes sobre o livro (título, figuras na capa, cores, tamanho, espessura, etc). Desdobramento: Nesta fase aprofundam-se os desdobramentos, indo o médium realizar trabalho de socorro a distância, nos trabalhos de vampirismo, relatando as impressões. Há médiuns que conseguem relatar durante o desdobramento

59

60

DM

61 a 69

Vampirismo e Trabalhos Inferiores

Idem

61 62

DM DM

61 a 69 61 a 69

Vampirismo e Trabalhos Inferiores Vampirismo e Trabalhos Inferiores

Idem Idem

Avaliação de ficha: pedir aos alunos Continuar a registrar na planilha, os acertos para se ligarem ao mentor da pessoa dos alunos. (que não será identificada),verificando possíveis problemas espirituais e/ou físicos. Após alguns instantes, anotar o que perceberam, e depois conferir com as queixas do avaliado, verificando ainda o tratamento de que necessita.
Repetir o exercício com tantas outras fichas quanto o horário permitir. Desdobramento: sair do corpo e acompanhar o instrutor a lugares distantes.. Ao retorno, conforme aulas anteriores, deverão relatar tudo que viram e sentiram. Repetir o exercício. Desdobramento: Nesta fase aprofundam-se os desdobramentos, indo o médium realizar trabalho de socorro a distância, nos trabalhos de vampirismo, relatando as impressões. Há médiuns que conseguem relatar durante o desdobramento

63

DM

61 a 69

Vampirismo e Trabalhos Inferiores

Idem

47

SUGESTÃO para PROGRAMA de AULAS – CURSO de MÉDIUNS – PARTE PRÁTICA – DESENVOLVIMENTO COMPLETIVO – aulas 64 a 67
Aula Ref.
M DM P.R. MEC

Página
Cap.13 65 a 66 Cap. 14 Pág.116/126

Assunto
Desdobramentos Conscientes e Inconscientes e PRATICA DO P.3A

Exercício ou a aula em si
Exercício de P.3A – inicialmente utilizar somente o roteiro de P.3A (sem aplicação direta de cores nas regiões afetadas). Fazer quantos tratamentos o horário da aula permitir. Para este exercício, serão encaminhados os próprios alunos do curso, e também aqueles outros indicados para o P.3A, nos exercícios de avaliação de fichas.

Exercícios complementares
Com a prática do P.3A, várias outras modalidades mediúnicas poderão ser utilizadas durante o tratamento: vidência, desdobramento (inclusive os casos raros de miniaturização do perispírito para investigação do problema de saúde do atendido).

Observação
Nos trabalhos de P.3A, além dos demais trabalhos em que se necessite de sustentação, o médium de doação de fluídos magnéticos e ectoplasma, tem um papel significativo. Embora muitos destes possam reclamar que não se percebem produzindo fenômenos mediúnicos, são eles que fazem a diferença no trabalho. Os fenômenos mediúnicos outros, neste caso, serão coadjuvantes, e a doação dos participantes será fundamental. Lembrar que na doação de fluidos ou ectoplasma não há necessidade de esforço físico ou mental, bastando equilíbrio mental, relaxamento muscular e sintonia com a corrente de base e com o Plano Espiritual Superior. Deve-se, neste estágio, progredir para o desdobramento consciente

64.

65.

M DM P.R. MEC

Cap.13 65 a 66 Cap. 14 Pág.116/126 Cap.13 67 a 69 Cap. 14 Pág.116/126 Cap.13 67 a 69 Cap. 14 Pág.116/126

idem

Exercício de P.3A com aplicação direta de cores nas regiões afetadas.

66.

M DM P.R. MEC M DM P.R. MEC

idem

Idem

Desdobramento: sair do corpo e acompanhar o instrutor a lugares distantes.. Ao retorno, conforme aulas anteriores, deverão relatar tudo que viram e sentiram. Repetir o exercício. idem

67.

idem

Idem

Idem

48

SUGESTÃO PROGRAMA de AULAS–CURSO de MÉDIUNS–PARTE PRÁTICA–DESENVOLVIMENTO COMPLETIVO–aulas 68 a 72
Aula Ref.
M

Página
Cap.35

Assunto
Intercâmbio com Espíritos Superiores

Exercício ou a aula em si
Exercícios: Psicofonia: Após a preparação da aula, pedir aos alunos manter a ligação com o Alto para receber as mensagens (características: objetividade, clareza, elevação de propósito, palavras construtivas, e sem delongas). As mensagens virão naturalmente e em seqüência. Psicografia: mesmas orientações Vidência: mesmo objetivo através de quadros, que deverão ser traduzidos ao final (pelo próprio aluno, ou com auxílio dos instrutores). Vidência em desdobramento: captação visual no próprio plano espiritual. Psicopictografia: com os mesmos objetivos acima. Os exercícios poderão ocorrer de forma simultânea. A vidência será relatada ao final. Idem Idem

Exercícios complementares
Na fase da manifestação – método das 5 fases, iniciou-se o treino da psicografia. Agora no intercâmbio com a espiritualidade superior, a psicografia deve ser intensificada.

Observação
Os médiuns terão ao seu dispor, instrumentos para o exercício de sua mediunidade: papel, lápis, prancheta, lápis colorido, lápis cera, etc.. Neste momento os alunos já devem ter ciência de que necessitam se voltar para os aspectos superiores da vida espiritual, oferecendo campo para o intercâmbio com a Espiritualidade Superior. Deve o Dirigente observar a essência da mensagem, corrigindo os eventuais e desnecessários acrescentamentos do próprio aluno. Deve ficar claro que a educação mediúnica se destina ao alargamento das possibilidades de manutenção dessa ponte de ligação com o mundo espiritual superior, visando a realização da obra comum da redenção.

68.

69. 70.

M M

Cap.35 Cap.35

idem idem

71.

M

Cap.35

idem

Idem

72.

M

Cap.35

idem

Idem

Solicitar ao plano espiritual superior que, dentro das possibilidades de cada um, destine uma mensagem ao próprio aluno, através da psicografia, ou vidência, ou vidência com desdobramento.

Encaminhar as fichas dos alunos para avaliação do grupo mediúnico visando confirmar as mediunidades já prontas para atividade, em que trabalhos poderão atuar, orientações complementares e, se necessário, tratamento. O resultado da avaliação da ficha dos alunos deve ser anotado na caderneta pessoal. O dirigente do Curso de Médiuns em parceria com o Diretor de Assistência Espiritual e Diretor de Estudos, já encaminhará cada aluno aos trabalhos correspondentes, priorizando se for o caso, os dias em que haja deficiência de trabalhadores. (P.3A, P.3B, Grupos Mediúnicos e outros), e de acordo com a disponibilidade do aluno. Agradecer a participação de todos. O encerramento do curso, deverá ser feito num clima de harmonia, amor, fraternidade, e muita motivação para iniciarem os alunos uma nova etapa em suas vidas. Etapa de redenção pela mediunidade libertadora !!!!

49

Convenções:

Sigla M DM PR G MEC

Nome da Obra Mediunidade Desenvolvimento Mediúnico

Autor Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond Allan Kardec Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond Edgard Armond

Editora Aliança Aliança Aliança FEESP,FEB... Aliança Aliança Aliança Aliança

Observações
Os números das paginas alteram de acordo com a edição

Passes e Radiações Gênese Métodos Espíritas de Cura - Psiquismo e Cromoterapía MECps Métodos Espíritas de Cura – Psiquismo e Cromoterap.-parte Psiquismo MECcr Métodos Espíritas de Cura – Psiquismo e Cromoterapia - parte Cromoterapia V.E.R. Vivência do Espiritismo Religioso

2ª parte que trata do PSIQUISMO 3ª parte que trata de CROMOTERAPIA

Caro Dirigente de Curso de Médiuns:

Para assumir esta maravilhosa tarefa torna-se necessário: Estudar previamente as obras acima, além de “O Livro dos Médiuns” de Allan Kardec, que se constituem na base de todo esse trabalho. Ter afinidade com o assunto, ser interessado, motivado, e motivador. Ter sempre em mente que o assunto mediunidade não é algo estanque, por isso a pesquisa constante, a busca de novas informações principalmente no campo das descobertas científicas. 50

3
Resumo das aulas teóricas do Curso de Médiuns da 7ª até a 29ª aulas

51

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful