Você está na página 1de 4

MATERIAL COMPLEMENTAR DE REDAÇÃO

Professor(a): Élery Turma: 3º/ext

DE REDAÇÃO Professor(a): Élery Turma: 3º/ext 05° Material desta professora para esta atividade 08°

05° Material desta professora para esta atividade 08° Material para esta turma

Identificação: 05

ALUNO(A):

SÉRIE/ TURMA:

PROPOSTA 1 CARTA RECLAMAÇAO

Nº SÉRIE/ TURMA: PROPOSTA 1 – CARTA RECLAMAÇAO Um fotógrafo brasileiro sentiu-se lesado pela propaganda do

Um fotógrafo brasileiro sentiu-se lesado pela propaganda do sanduíche big tasty de uma conhecida empresa de fast food e como forma de protesto fotografou a propaganda e a imagem real, colocando-as à disposição de qualquer consumidor na Internet. Imagine-se na posição do fotógrafo brasileiro sentindo-se lesado pela propaganda. A partir daí, escreva uma carta ao gerente nacional da empresa de fast food reclamando do fato de que o produto vendido não é o mesmo que o prometido, e exigindo que a empresa tome medidas diante da situação. Ao fazê-lo, você pode propor sugestões de como se resolver a questão. Construa o seu texto entre 12 e 15 linhas, respeitando a estrutura do gênero solicitado.

GÊNERO 2 - RESUMO

Quando o assunto é gêneros discursivos no vestibular, a preocupação ainda é bastante comum. Primeiramente, é importante que fique claro que não existe uma teoria absoluta, autores podem abordar o tema de formas diferentes, de acordo com sua formação ou sua experiência linguística. Em se tratando de vestibular, a situação se complica ainda mais, porque cada centro universitário costuma fazer uma leitura, estabelecer estratégias de correção, artifícios completamente particulares. Cabe a nós, mapear e tentar acompanhar esse processo.

ORIENTAÇOES

1. ler o enunciado, grifando todas as orientações explícitas e sugeridas pelo comando;

2. ler o texto base. Se for um referencial apenas, mapear o assunto por parágrafos. Caso seja coletânea, mapear cada texto, estabelecer as ideias que se assemelham e principalmente as que se opõem. Nesse caso, grifá-las em cores diferentes;

3. identifique as opiniões do(s) autor(es);

4. não faça cópia;

5. evite citações;

6. não use 1ª. Pessoa, seja do singular ou do plural;

7. não opine;

8. procure manter a progressão textual, principalmente se o resumo partir de um referencial apenas;

9. sempre cite a fonte. Caso seja de um referencial apenas, cite o título do texto, desde que apareça, e o autor;

10. caso seja resumo de coletânea, cite primeiro a coletânea e, depois, retome mais 2 ou 3 vezes um ou outro autor, de acordo com a necessidade;

11. procure citar a fonte especialmente quando a ideia é divergente das demais;

12. construa-o em quantos parágrafos achar apropriado, desde que não fragmente ideias. Não existe nenhuma necessidade de equivalência entre o numero de parágrafos do texto base e seu texto;

13. em resumo de entrevista não é necessário citar todas as perguntas, pode-se juntá-las por assunto;

14. se o texto que se tem de resumir possuir citações, não as reproduza como se fossem suas, deixe claro que o autor do texto é que as utiliza.

1

ValérioAtividade de Redação 3º/ Ext. 01/04/10

deixe claro que o autor do texto é que as utiliza. 1 Valério – Atividade de

PROPOSTA 2 RESUMO (UFPR 2010)

A Rede Idiota Segundo leio no Google, num site aberto ao acaso, a internet surgiu com objetivos militares, ainda em plena Guerra Fria, como uma forma de as Forças Armadas americanas manterem o controle, caso ataques russos destruíssem seus meios de comunicação ou se infiltrassem nestes e trouxessem a público informações sigilosas. Outro site diz: “Eram apenas quatro computadores ligados em dezembro de 1969, quando a internet começou a existir, ainda com o nome de Arpanet e com o objetivo de garantir que a troca de informações prosseguisse, mesmo que um dos pontos da rede fosse atingido por um bombardeio inimigo”. Entre as décadas de 70 e 80, estudantes e professores universitários já trocavam informações e descobertas por meio da rede. Mas foi a partir de 1990 que a internet passou a servir aos simples mortais. Hoje há um bilhão de usuários no mundo todo, afirma outro site. Outro informa que o Brasil é o quinto no ranking dos países com mais usuários na internet, tem hoje cerca de 50 milhões de internautas ativos, atrás apenas da Índia, Japão, Estados Unidos e China, estes últimos com 234 e 285 milhões de usuários, respectivamente, informa ainda outro site. Ilustro com essas informações (suspeitas, como todas que vagam no espaço virtual) a abrangência que tem hoje a Internet em todo o mundo, em especial no Brasil. Quase nada acontece hoje sem que passe pela grande rede. Coisas importantes e coisas nem tão importantes assim, como este texto, que não chegaria tão ágil à redação da ISTOÉ se não fosse enviado de um computador a outro num piscar de olhos. Não pretendo demonizar a internet, até porque sou bastante dependente dela. De todo modo, é histórico o mau uso que os humanos fazem de meios fantásticos de comunicação, e o rádio e a tevê estão aí e não me deixam mentir. De todas as ilusões que a internet alimenta, a que julgo mais grave é a terrível onipotência que seu uso desperta. Todos se acham capazes de tudo, com direito a tudo, opinar, julgar, sugerir, depreciar, mas sempre à sombra da marquise, no confortável “anonimato público” que o mundo paralelo da rede propicia. Consultam o Google como se consulta um oráculo, como se lá repousasse toda a sabedoria do mundo. Pra que livros, enciclopédias, se há Google? perguntam- se.

No livro “A Marca Humana”, de Philip Roth, um personagem fala: “As pessoas estão cada vez mais idiotas, mas cheias de opinião”. Não sei o que vem por aí, é cedo para vaticínios sombrios, mas posso antever um mundo povoado por covardes anônimos e cheios de opiniões. O sujeito se sente participando da “vida coletiva”, integrado ao mundo, quando dá sua opinião sobre o que quer que seja: a cantora que errou o “Hino Nacional”, o discurso do presidente, a contratação milionária do clube, o novo disco do velho artista, etc. Julga-se um homem de atitude se protesta contra tudo e todos em posts no blog de economia e comentários abaixo do vídeo no You Tube. Faz tudo isso no escuro, protegido por um nickname, um endereço de e-mail, uma máscara. Raivosa, mas covarde.

(Zeca Baleiro. ISTOÉ, 16 set. 2009.)

Resuma esse texto, utilizando até 10 linhas.

.

2

Valério Atividade de Redação 3º/EXT. 25.03.10

Resuma esse texto, utilizando até 10 linhas. . 2 Valério – Atividade de Redação – 3º/EXT.

PROPOSTA:

PROPOSTA: IDENTIFICAÇÃO:   T E X T O D E F I N I T I

IDENTIFICAÇÃO:

IDENTIFICAÇÃO:
 

T E X T O

D E F I N I T I V O

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

TEMA:

COERÊNCIA:

PONTUAÇÃO PARA O CONTEÚDO:

TIPOLOGIA:

MOD. GRAMATICAL:

PONTUAÇÃO PARA A FORMA:

3

COESÃO:

PONTUAÇÃO FINAL:

Valério Atividade de Redação 3º/EXT. 25.03.10

PARA A FORMA: 3 COESÃO: PONTUAÇÃO FINAL: Valério – Atividade de Redação – 3º/EXT. – 25.03.10

PROPOSTA:

PROPOSTA: IDENTIFICAÇÃO:   T E X T O D E F I N I T I

IDENTIFICAÇÃO:

IDENTIFICAÇÃO:
 

T E X T O

D E F I N I T I V O

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

TEMA:

COERÊNCIA:

PONTUAÇÃO PARA O CONTEÚDO:

TIPOLOGIA:

MOD. GRAMATICAL:

PONTUAÇÃO PARA A FORMA:

4

COESÃO:

PONTUAÇÃO FINAL:

Valério Atividade de Redação 3º/EXT. 25.03.10

PARA A FORMA: 4 COESÃO: PONTUAÇÃO FINAL: Valério – Atividade de Redação – 3º/EXT. – 25.03.10