Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL

FEDERAL CÍVEL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO.

NOME: _____________________________________________________________
NACIONALIDADE: _____________ , ESTADO CIVIL: _________
RG Nº ________________, CPF Nº ____________________
ENDEREÇO: __________________________________________________.
BAIRRO: ____________________, CIDADE: _______________.
TELEFONE: (65) ___________________ , vem á douta presença de Vossa Excelência,
propor: AÇÃO REVISIONAL PREVIDENCIÁRIA Nos termos da Lei 10.259/2001, contra
o INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS, agência Cuiabá, com
endereço à Avenida Getúlio Vargas, nº 533, 9º Andar, Centro, nesta Capital, pelas
razões de fato e de direito que passa a expor:

O Requerente é beneficiário da Previdência Social sob o numero de


beneficio nº _________________ com data de inicio do beneficio no ano de _______.

Ocorre que, na atualização dos salários de contribuição do de cujus que


integram o Período Básico de Cálculo – PBC, objetivando calcular a renda mensal inicial
do seu beneficio, o Requerido desconsiderou o percentual da inflação correspondente
ao mês de fevereiro de 1994.

O Requerido deixou de atualizar os salários de contribuição pelo índice


de variação do IRSM (Índice de reajuste do salário mínimo) em fevereiro de 1994, antes
da conversão em URV, conforme a medida provisória nº 434/94, causando prejuízo a
Requerente.

O período da base de cálculo devem ser corrigidos monetariamente, no


que se refere todos os salários de contribuição, conforme dispõe o Art. 201, § 3º e 202
da Constituição Federal. Contudo o Art. 21, § 1º da Lei nº 8.880/94, estabelece:

“ Art. 21 – Nos benefícios concedidos com base da Lei nº 8.213, de 1991, com data de inicio a
partir de 01 de março de 1994, o salário-de-benefício será calculado nos termos do artigo 29 da
referida Lei, tomando-se os salários-de-contribuição expressos em URV.

§ 1º - Para os fins do disposto nestes artigo, os salários de contribuição referente às


competências anteriores a março de 1994 serão corrigidos, monetariamente, até o mês de
fevereiro de 1994, pelos índices previstos no art. 31 da Lei nº 8,213, de 1991, com as alterações
da Lei nº 8.542, de 1992, e convertidos em URV, pelo valor em cruzeiros reais do equivalente
em URV no dia 28 de fevereiro de 1994”.

Ora Excelência, o direito da Requerente está claramente resguardado na


Lei supra mencionada, onde os salários de benefícios, integrantes do Período Básico de
Cálculo - PBC, expressos em URV, deveriam ser corrigidos monetariamente, pelo valor
em cruzeiros reais (moeda da época da concessão) pela equivalência em URV. Assim
sendo faz jus o Requerente a atualização da variação do IRSM, do mês de Fevereiro de
1994, que foi de 39,67%, NÃO ATUALIZADOS PELO REQUERIDO.

A matéria encontra-se pacificada no STJ, senão vejamos:

“PREVIDENCIÁRIO – RECURSO ESPECIAl – SALÁRIO DE CONTRICUIÇÃO – ATUALIZAÇÃO


MONETÁRIO – IRSM DE FEVEREIRO (39,67) – Na atualização monetária dos salários de
contribuição, para fins de cálculo da renda mensal inicial, deve –se computar os índices mês a

1
mês, com inclusão do IRSM de fevereiro /94 (39,67%). Precedentes. Recurso conhecido e
provido. (STJ m- Resp 226531 – SC – T., Rel Min. Jorge Scartezzini, dju 28.08.200, p. 00103)”.

Não há portanto, qualquer controvérsia quanto a aplicação do índice


referente á variação do IRSM no mês de fevereiro de 1994. Entendimento contrário
significaria expurgar recomposição devida, pois efetivamente houve variação do IRSM
no mês de fevereiro de 1994, no percentual de 39,67%.

Ocorre que, na atualização dos salários de contribuição que integram o


Período Básico de Cálculo – PBC, objetivando calcular a renda mensal inicial do seu
beneficio, o Requerido desconsiderou o percentual da inflação correspondente a ORTN
aplicada as verbas previdenciárias de 1977 a 1988, quando da promulgação da
Constituição da Republica/1988.

O Requerido deixou de atualizar os salários de contribuição pelo índice


de variação do IRSM (Índice de reajuste do salário mínimo) pela ORTN, assim o período
da base de cálculo devem ser corrigidos monetariamente pelo referido índice, conforme
já vem decidindo a jurisprudência pátria:

“PREVIDÊNCIA SOCIAL. REVISÃO DE BENEFÍCIO. 1. O reajuste dos primeiros 24


salários do PBC, no regime precedente à LEI-8213/91, deve observar a variação
nominal da ORTN / OTN ( SUM-2 / TRF-4R). 2. Quando houver recomposição da RMI,
através da correção dos salários-de-contribuição integrantes do PBC, serão devidas
diferenças correspondentes ao cumprimento do ART-58 / ADCT-88. 3. Após a edição
do Enunciado ( SUM-24 ) da Súmula deste Tribunal, incontroverso o direito do segurado
à percepção da gratificação natalina com base nos proventos do mês de dezembro do
ano respectivo. 4. O salário mínimo referente ao mês de junho / 89, para fins de
reajuste de benefício, deve ser de Ncz$ 120,00, de acordo com o Enunciado 26 ( SUM-
26 ) da Súmula desta Corte. 5. A correção monetária em ações de natureza
previdenciária, face ao caráter alimentar dos proventos, deve retroagir à data em que
devidos. 6. Apelo improvido. Decisão. unânime ( TRF 4ª R. - AC - Proc. 95.04.57034-8 -
RS - TERCEIRA TURMA - Rel. JUIZA VIRGÍNIA SCHEIBE - DJ DATA: 24.04.1996
PÁGINA: 26639 )”

PREVIDENCIÁRIO. REVISÃO DE BENEFÍCIO. 1. Afastada a alegação de falta de


interesse de agir. 2. O prazo previsto no art-103 da Lei-8213/91, na redação da MPR-
1523-9/97, de 27 de junho de 1997, convertida na Lei-9528/97, alterada pela MPR-
1663-15, de 22.10.98, por sua vez convertida na Lei-9711/98, de 20.11.98, é de
prescrição e não de decadência, pois refere a extinção do direito de ação pela inércia
de seu titular, começando a fluir somente a partir da data da edição da MPR-1523-9,
primeira a dispor sobre a alteração do dispositivo da Lei de Benefícios em comento. 3.
O reajuste dos primeiros 24 salários do PBC, no regime precedente à Lei-8213/91, deve
observar a variação nominal da ORTN / OTN ( Súm-2 / TRF - 4ª Região ). 4. A correção
monetária em ações de natureza previdenciária, face ao caráter alimentar dos
proventos, deve retroagir à data em que devidos. 5. Em havendo sucumbência
recíproca, mas não equivalente, devem as custas processuais e os honorários
advocatícios ser suportados por ambas as partes, na proporção de sua sucumbência.
Decisão. Unânime ( TRF 4ª R. - AC - Proc. 1998.04.01.092413-1 - PR - QUINTA
TURMA - Rel. JUIZA VIRGÍNIA SCHEIBE - DJ DATA: 12.05.1999 PÁGINA: 12 ).

Ora Excelência, o direito da Requerente está claramente resguardado na


Lei, onde os salários de benefícios, integrantes do Período Básico de Cálculo-PBC,
expressos em URV, deveriam ser corrigidos monetariamente, pelo valor em cruzeiros
reais (moeda da época da concessão) pela equivalência em URV. Assim sendo faz jus
o Reclamante a atualização da variação do IRSM, do mês de Fevereiro de 1994 que foi
de 39,67%, e também, dos integrantes do Período Básico de Cálculo - PBC, deveriam

2
ser corrigidos monetariamente pela ORTN fazendo jus o Requerente a atualização da
variação do IRSM, referente ao período de 1977 a 1988, NÃO ATUALIZADOS PELO
REQUERIDO.

Não há portanto, qualquer controvérsia quanto a aplicação do índice


referente á variação do IRSM nos anos de 1977 a 1988.

Diante do exposto, vem à honrosa presença de Vossa Excelência,


requerer:

a) Julgamento TOTALMENTE PROCEDENTE o pedido, com a condenação do


Requerido, determinando a elaboração de novo cálculo do salário de benefício
previdenciário, incluindo na atualização do salário de fevereiro de 1994, o índice do
IRSM no percentual de 39.67%, e também a atualização pela ORTN, ambos pedidos
com reflexo nos índices de contribuição anteriores que integraram o Período Básico de
Cálculo, condenando ainda o INSS no pagamento de todas as diferenças decorrentes
do novo cálculo, desde a data de inicio do beneficio, incluindo a revisão para o
pagamento das prestações vincendas, mais os juros de mora de 12% (doze por cento)
ao ano, e correção monetário de acordo com as súmulas 43 e 148 do STJ, inclusive
sobre as parcelas em atraso anteriores ao ajuizamento.

b) Citação do Reclamado no endereço já indicado, na pessoa do seu representante


legal, bem como sua intimação para que até a audiência de tentativa de conciliação,
ofereça sua resposta;

c) Requer ainda que a Requerida seja compelida a trazer aos autos os comprovantes
de pagamento de beneficio do período a ser reajustado, visto que o requerente não tem
consigo este comprovantes a serem utilizado pela perícia contábil.

d) Realização de perícia para verificação dos reajustes, aplicando os índices de reajuste


correto, com juros e correção legal.

e) Deferimento dos benefícios da assistência judiciária gratuita, nos termos das Lei8s
1.060/50 e 5.584/70.

Protesta provar o alegado por todos os meios de provas em direitos


admitidos, especialmente pela juntada de documentos, julgados necessários por este
juízo.

Dá –se á presente o valor de R$ 260,00 para efeitos legais.

Nestes Termos, pede deferimento.

Cuiabá-MT, ____________ de _____________________ de 2005.

___________________________
Nome:
Requerente