Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE PAULISTA - JUNDIAÍ - ENGENHARIA BÁSICA

EXERCÍCIOS (PARA NOTA) DE HOMEM E SOCIEDADE - 2 PONTOS

Turma

1) "Aquilo que, de fato, caracteriza a unidade do homem é a sua aptidão praticamente

infinita para inventar modos de vida e formas de organização social extremamente diversos.

Essas formas de comportamento e de vida em sociedade que tomávamos todos espontaneamente por inatas (nossas maneiras de andar, dormir, nos encontrar, nos

emocionar, comemorar os eventos da nossa existência

são, na realidade, o produto de

escolhas culturais. Ou seja, aquilo que os seres humanos têm em comum é a sua capacidade para se diferenciar uns dos outros, para elaborar costumes, línguas, modos de

conhecimento, instituições, jogos profundamente diversos; pois se há algo natural nessa espécie particular que é a espécie humana, é a sua aptidão à variação cultural'.

)

Assinale abaixo a alternativa que interpreta corretamente o texto acima:

a) O texto permite afirmar que os modos de comportar do ser humano são determinados por

características biológicas inatas e comuns a todos os indivíduos e culturas;

b) O texto afirma que o comportamento humano é variável de grupo para grupo e de época

para época, mas que ainda assim é possível encontrar comportamentos comuns a todos os seres humanos e que são inatos, isto é, comportamentos da espécie humana;

c) O texto afirma que o comportamento humano em variável de grupo para grupo e de

época para época e que não há nada natural e comum entre os seres humanos, isto é, que

os seres humanos não estão unidos numa mesma espécie;

d) O texto afirma que o comportamento humano é variável, que é produto de escolhas

culturais e que a aptidão para se diferenciar uns dos outros é aquilo que os seres humanos têm em comum.

2) Assinale entre as alternativas

correta do objeto da Antropologia:

abaixo

aquela

que

pode

ser

aceita

como

a

definição

a) A Antropologia é a ciência das sociedades primitivas, descrevendo os costumes, crenças

e modos de vida dos selvagens;

b) Trata-se da ciência que estuda as civilizações humanas desaparecidas, a partir de

vestígios materiais que foram preservados, a fim de compreender suas crenças, costumes e

modos de vida;

c) É a ciência que estuda a evolução humana e as de outras espécies com o objetivo de

produzir uma classificação hierárquica dos seres vivos;

d) Trata-se de uma ciência dedicada ao estudo da diversidade cultural humana, a fim de

compreender os diferentes costumes, crenças, instituições e modos de manifestação de ser humano; nesse sentido, ela dedica-se ao estudo de todos os tipos de sociedades e grupos existentes.

3) As origens da Antropologia estão relacionadas à expansão colonial que levou o mundo

europeu a se defrontar e confrontar com outros povos e culturas. Nesse processo de expansão, no século dezenove, formula-se uma teoria legitimadora das formas de dominação dos europeus sobre os povos colonizados. Tal teoria recebeu o nome de evolucionismo social. Leia com atenção as afirmações abaixo e assinale aquela que pode ser considerada incorreta:

a) O evolucionismo social era uma forma de produção científica de base discriminatória e

racista, entendendo que o homem branco europeu possuía uma humanidade superior à dos

demais povos do mundo;

b) O evolucionismo social era uma teoria de base relativista e afirmava que cada cultura

devia ser interpretada nos seus próprios termos, não existindo cultura superior ou inferior;

c) O evolucionismo social era uma teoria racista e etnocêntrica, entendendo os povos não-

europeus como representantes do atraso e de uma condição humana inferior;

d) O evolucionismo social estabelecia uma escala hierárquica na evolução, classificando os

seres humanos a partir do conceito de raça os brancos europeus como superiores e os outros povos em escalas inferiores.

4) "A Antropologia sempre se colocou a questão do porque e como nos diferenciamos dos

demais animais. Além disso, ao reconhecer todos os seres humanos como membros de uma mesma humanidade, a ciência do humano se perguntava por que há diferenças de comportamento entre os próprios grupos humanos. A resposta a ambas as perguntas foi colocada de forma muito clara: a responsável pelas diferenças é a cultura".

Assinale, de acordo com o texto acima, a alternativa correta:

a) O conceito de cultura é utilizado pela Antropologia para diferenciar os homens dos

animais e para explicar as diferenças de comportamento entre os próprios seres humanos;

b) O conceito de cultura é utilizado pela Antropologia apenas para diferenciar os homens

dos outros animais;

c) O conceito de cultura é utilizado pela Antropologia apenas para tentar explicar as

diferenças de comportamento entre os homens;

d) O conceito de cultura é utilizado pela Antropologia para referir-se ao refinamento

intelectual ou artístico que coloca uns homens acima dos demais;

5) "O homem não tem substância alguma e a chamada 'natureza humana' é uma invenção

cultural. O homem é um ser do contexto: sou brasileiro no Brasil, mas na China serei inevitavelmente chinês e, na França, francês".

Assinale a alternativa que melhor corresponde ao texto acima:

a) O homem é o mesmo em todos os lugares, não podendo jamais fugir à sua essência

biológica;

b) As sociedades humanas são relativas, mas a humanidade está dividida apenas em

brasileiros, chineses e franceses;

c) As sociedades humanas se diferenciam conforme a época, o lugar e as condições sociais

nos quais produzem a sua vida;

d)

A substância humana é a mesma em todas as épocas e lugares.

6)

Leia com atenção o texto a seguir:

Há alguns anos, conheci

que estava evidentemente perplexo

em Nova

outro,

York um jovem

com

pois

que não falava

americanos.

nascido

uma palavra

Pelo

em inglês

era

e

tão

ido

família

os costumes

pais

'sangue',

americano

para a China como missionários.

como

qualquer

seus

haviam

em Indiana

e tinham

Órfão desde

a infância,

o rapaz fora criado por uma

chinesa,

numa

aldeia

perdida.

Todos

os que

o conheceram

o acharam

mais

chinês

que

americano.

O fato de ter olhos

azuis

e cabelos

claros

impressionava

menos

que o andar,

os

movimentos

dos

braços

e

das

mãos,

a

expressão

facial

e

os

modos

de

pensar

que

caracterizam

os chineses.

A herança

biológica

era americana,

mas a formação

cultural

fora

chinesa.

Ele acabou

retornando

à China, seu verdadeiro

lar.

 

Clyde KLUCKHOHN. Antropologia:

um espelho

para o homem,

pág. 30.

Sobre o texto acima, assinale abaixo a alternativa correta:

a) O comportamento do indivíduo é determinado tanto pela cultura como pela genética, pois

mesmo tendo adotado costumes e modos de pensar chineses, o rapaz loiro jamais deixará de ser culturalmente americano: está no seu sangue;

b) O comportamento do indivíduo é determinado pela genética, como bem o demonstra a

frase "pelo 'sangue' era tão americano como qualquer outro";

c) O comportamento do indivíduo é determinado na sua maior parte pela genética, mas não

podemos negar que a formação cultural também tem um peso no comportamento, ainda que num grau menor;

d) O comportamento do indivíduo é determinado pela formação cultural, isto é, pela cultura

da comunidade na qual o indivíduo é socializado.

7) A respeito do conhecimento científico, é correio, do ponto de vista antropológico, afirmar

que:

a) Trata-se do único conhecimento verdadeiro, já que é dotado de um método racional e

sistemático e suas afirmações são sustentadas por verificações empíricas;

b) Trata-se, ao lado da Filosofia, da melhor forma de conhecimento alcançado pelo ser

humano, possibilitando a superação de preconceitos e do misticismo religioso;

c) Trata-se de uma forma de conhecimento prejudicial ao ser humano, sendo responsável

pela poluição do planeta, pela destruição da camada de ozônio e pela construção de artefatos nucleares que podem destruir definitivamente o planeta terra;

d) Trata-se de uma forma de conhecimento historicamente produzida, alimentando-se dos

conhecimentos anteriormente produzidos e fornecendo alimento aos conhecimentos que lhe sucedem, não sendo, portanto, definitivo e absoluto.

8) Referindo-se ao antropólogo Malinowski, François Laplantine afirma: "Compreendendo que o único modo de conhecimento em profundidade dos outros é a participação na sua existência, ele inventa literalmente e é o primeiro a pôr em prática a observação participante, dando-nos o exemplo do que deve ser o estudo intensivo de uma sociedade que nos é estranha".

Assinale abaixo a alternativa mais adequada à ideia de observação

participante:

a) É o mesmo que pesquisa de campo e é realizada pelo estudioso a partir de questionários

fechados, permitindo que as respostas sejam traduzidas em termos estatísticos;

b) É o mesmo que pesquisa participante e se caracteriza pelo fato do pesquisador conviver

cotidianamente com o grupo estudado durante certo tempo, aprendendo os seus hábitos e as suas maneiras e aproximando-se da sua maneira de pensar para melhor compreendê-lo;

c) É a pesquisa realizada à distância, permitindo que o pesquisador não se misture com o

grupo estudado e não se confunda nos seus objetivos científicos; d) E a pesquisa realizada por integrantes do próprio grupo que está sendo estudado, de forma que o conhecimento se toma mais profundo e mais objetivo.

Leia o texto abaixo e responda às questões 9 e 10:

Que

faz um

antropólogo

quando

se encontra

pela

primeira

vez no meio

uma

da África Central,

de

cultura que não lhe é familiar? Quer se encontre numa tribo nas florestas

numa minúscula ilha do Pacífico, ou numa comunidade camponesa da Europa Ocidental, aquilo que vê no início são pessoas que estão a fazer coisas, a conversar, provavelmente

numa língua estranha, a ir e vir. No início tudo parece confusão. O antropólogo recém- chegado poderá distinguir os jovens dos velhos, os homens das mulheres, e poderá -

identificar algumas atividades

quando

as observar. Poderá, também, reconhecer que este homem, ou grupo de homens está, ou

parece estar, alegre, aquele zangado,

como

as de comer,

beber,

cavar, cozinhar,

brigar -

outro a se lamentar.

Mas não saberá quem é quem,

porque

razão

estes

estão a ajudar

um ao outro, aqueles

dois

a brigar, sobre

o que estão

a

falar. Nessa

fase preliminar,

o antropólogo

sentir-se-á

completamente

confuso

e perplexo.

É

uma

conhece

experiência

assustadora

de

e pode

e

a sensação

frustração

durar

muito

depressão

-

tempo.

A

às

vezes

maioria

até

de

dos

desespero

antropólogos

que

-

acompanha

as fases

iniciais do trabalho

de campo numa cultura

desconhecida.

 

Mas

aos poucos,

e por vezes

imperceptivelmente,

essa

fase

vai passando.

Vivendo

numa choça ou tenda da aldeia,

o antropólogo

começa

lentamente

a compreender

o que

se

passa

a

sua

volta.

À

medida

que

progridem

o

seu

conhecimento

da

língua

e

a

sua

aproximação

da comunidade,

as coisas

começam

a adquirir

sentido.

Uma

conversa

que

ouve

é compreendida;

certo

modo

de comportamento

é relacionado

com

um outro

tipo de

relação

social.

Com um pouco

de sorte,

o antropólogo

já terá alguns

amigos na

comunidade,

pessoas

dispostas

a

dar

parte

do

seu

tempo

para

lhe

explicarem

coisas,

para

o

acompanharem

pela

vizinhança

e o apresentarem

a outros.

A partir

de então

o ritmo

se

acelera.

O antropólogo

vem a conhecer

a maior

parte

dos membros

da comunidade

com

indivíduos, diferentes no seu temperamento,

no seu estatuto

social

e no seu interesse

pela

própria

investigação

do

antropólogo.

Passa

a

conhecer,

por

vezes,

os

seus

complicadíssimos

laços matrimoniais

e de parentesco;

passa

a compreender

o que

pensam

um

do

outro,

do

mundo

em

que

vivem,

e dele

próprio.

Aprende

não

quais

são

as

perguntas

apropriadas

como

também

a quem

dirigi-las.

Começa

a se sentir

familiarizado

com

a

comunidade.

Conseguiu

penetrar

numa

outra

cultura:

conseguiu

tornar-se

antropólogo.

9) O texto acima pretende demonstrar:

a) A facilidade com que qualquer pessoa pode vir a se tornar antropóloga, tratando-se de

um ofício que não requer maiores conhecimentos e nem sacrifícios pessoais;

b) As dificuldades de iniciação no ofício de antropólogo, as dificuldades iniciais do trabalho

de campo e a necessidade de familiarização com a comunidade estudada para desenvolver com sucesso o trabalho antropológico;

c) A necessidade do antropólogo em manter-se afastado o máximo possível da comunidade

estudada para desenvolver com objetividade científica o seu ofício;

d) Que a pesquisa de campo é uma experiência assustadora, gerando confusão e

perplexidade e que pouco acrescenta ao conhecimento produzido pela Antropologia.

10) Da leitura do texto podemos concluir que, na pesquisa antropológica, o pesquisador:

a) Tem o controle total sobre as condições nas quais se desenvolve a pesquisa e também

sobre os seus resultados;

b) Já sabe da antemão quais são as perguntas apropriadas e a quem dirigi-las na

comunidade pesquisada;

c) Consegue tornar-se antropólogo quando finalmente alcança um conhecimento objetivo,

neutro e desinteressado;

d) Começa a compreender a cultura e as relações da comunidade na medida em que se

aproxima e se familiariza com ela.

11)

A

noção

de

experimentaçã o

presente

na

metodologia

cia pesquisa

de

campo

da

Antropologia pode ser apresentada como (assinale a alternativa correta):

a) Uma vivência longa e profunda com outros modos de vida, com outros valores e com

outros sistemas de relações sociais e culturais;

b) Uma permanência longa na cultura a qual o antropólogo pertence e está familiarizado;

c) A aplicação de questionários fechados para uma coleta de informações precisas e

objetivas sobre a comunidade estudada pelo antropólogo;

d) Uma visita rápida do antropólogo à cultura que ele estuda e a anotação de tudo o que ele

é capaz de observar.

12)

A pesquisa de campo, base da produção do conhecimento antropológico, é também

conhecida como:

a) Observação distanciada;

b) Observação participante;

c) Observação objetiva;

d) Observação subjetiva.

13) Sabemos que a cultura é dinâmica, se transformando de acordo com inúmeros fatores. Assim, a cultura que recebemos de nossos pais não será a mesma que nossos netos conhecerão. Essas transformações podem ser explicadas como se segue:

I. A capacidade de aprendizado faz com que a cultura tenha a característica de ser acumulativa; a cada geração selecionamos, descartamos ou aperfeiçoamos a herança cultural recebida.

II. O contato com outras culturas agiliza as mudanças; muitas vezes esse contato pode

influenciar algumas características, transformando-as.

III. As transformações podem ser o resultado do impacto de alguns fatos históricos como

guerras e revoluções, por isso culturas semelhantes em um momento histórico podem ser diferentes um pouco depois.

IV. As transformações culturais são o resultado da capacidade que cada cultura tem para se

adaptar a uma nova situação histórica, funcionando como uma espécie de "seleção natural". As mudanças culturais podem determinar quais sociedades serão dominantes e quais serão

dominadas.

a) Estão correias as afirmações II e III;

b) Apenas a afirmação I está correta;

c) Todas as afirmações estão corretas;

d) Estão corretas as afirmações I, II e III.

14) "

humano ou de uma sociedade dada, sendo essas atividades adquiridas através de um processo de aprendizagem e transmitidas ao conjunto de seus membros." (LAPLANTINE, 1995, p. 120).

é o conjunto dos comportamentos, saberes e saber fazer característicos de um grupo

Escolha entre as alternativas a seguir aquela que corresponde ao conceito acima:

a) Cultura;

b) Antropologia;

c) Sociologia;

d) Sociedade;

e) Vida.

15) "Os dados científicos de que dispomos atualmente não confirmam a teoria segundo a qual as diferenças genéticas hereditárias constituiriam um fator de importância primordial entre as causas das diferenças que se manifestam entre as culturas e as obras das civilizações dos diversos povos ou grupes étnicos. Eles nos informam, peio contrário, que essas diferenças se explicam antes de tudo pela história cultural de cada grupo. Os fatores que tiveram um papel preponderante na evolução do homem são a sua faculdade de aprender e a sua plasticidade. Esta dupla aptidão é o apanágio de todos os seres humanos. Ela constitui, de fato, uma das características específicas do Homo Sapiens". (Declaração redigida por vários cientistas em 1950, no pós-nazismo, no encontro da UNESCO em Paris)

\

V

"Nada, no estado atual da ciência, permite afirmar a superioridade ou a inferioridade intelectual de uma raça em relação a outra". (Claude Lévi-Strauss, "Raça e Cultura")

Os dois pensamentos citados acima Têm como objetivo:

a) Confirmar as teses que atribuem ao homem comportamento e aptidões inatas;

b) Afirmar que as diferenças do ambiente físico condicionam a diversidade cultural;

c) Negar a grande diversidade cultural da espécie humana;

d) Negar as teses deterministas biológicas, lutando contra o preconceito racista e todas as

tentativas de discriminação e de exploração;

e) Legitimar a hierarquia das raças.

16) Leia as frase a seguir:

"Os operários alemães são muito cultos"/"Aquela menina não tem cultura nenhuma".

As frases acima expressam que tipo de pensamento ou explicação sobre a cultura:

a) Senso Crítico;

b) Senso Comum;

c) Explicação Científica;

d) Explicação Crítica;

e) Bom Senso.

17) A definição do conceito de cultura por Edward TYLOR é a que segue: "um conjunto complexo que inclui os conhecimentos, as crenças, a arte, a moral, os costumes e todas as outras capacidades e hábitos adquiridos pelo homem enquanto membro de uma sociedade".

Nesse autor, o que está enfatizado sobre o conceito de cultura é que:

a) A cultura é algo complexo que não pode ser explicado completamente;

de

cada um;

c) Que a cultura é definida como resultado de uma aquisição, portanto, não é inata;

d) Como membros de uma sociedade, adquirimos outros hábitos e capacidades;

e) Ao incluir os conhecimentos, as artes, as crenças e a moral podemos explicar nossas

capacidades conforme o conjunto da sociedade.

b) Que as crenças e o conhecimento de uma sociedade dependem das capacidades

18) O uso cultural dos símbolos como forma de comunicação depende da rotinização dos significados atribuídos a cada um deles. Esta afirmação está:

a) Correta, pois apenas utilizamos símbolos em hábitos rotineiros como os rituais através dos

quais expressamos as nossas crenças;

b) Errada, urna vez que os símbolos não dependem da rotinização, e sim das tradições de um

povo;

c) Correta, pois os símbolos são uma construção cultural e não um conteúdo inato; por isso

dependem do aprendizado e do uso rotineiro para serem compreendidos;

d) Dependendo do contexto a afirmação pode estar correta ou errada; está correta apenas quando

nos referimos aos símbolos como forma de comunicação e está errada quando nos referimos aos símbolos como recursos para os indivíduos poderem se relacionar uns com os outros;

e) Errada, os símbolos dependem apenas de sua coerência uns com os outros e seus significados

são sempre óbvios, evidentes.