P. 1
Livro Os Fuzileiros Navais Na Historia Do Brasil

Livro Os Fuzileiros Navais Na Historia Do Brasil

|Views: 2.536|Likes:

More info:

Published by: Gilberto Rodrigues Pimentel Junior on Apr 01, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/12/2013

pdf

text

original

Os conflitos na Banda Oriental se sucederam até o ano de 1816, quando Portugal teve que atuar novamente na região do Rio da
Prata, pois Artigas tornara-se detentor de um poder incomparável na região, e as lutas fomentadas por ele levaram à intervenção
portuguesa na Banda Oriental a fim de afastar as fronteiras brasileiras desses efeitos.
Tropas luso-brasileiras foram enviadas para a ocupação de Montevidéu. No dia 15 de abril de 1816, um destacamento de Fuzileiros-
Marinheiros embarcou na esquadra comandada pelo Conde de Viana com destino ao Rio Grande do Sul e à Banda Oriental, onde
Artigas, com suas incursões e atos de hostilidade, obrigava o Brasil a manter forças consideráveis de terra e mar. As forças brasileiras
combateram em São Borja, São Gabriel, Colônia do Sacramento, Cerro Largo e no bloqueio de Montevidéu em janeiro de 1817, quando
as tropas luso-brasileiras entraram vitoriosas no porto, bloqueado pelas forças navais. A bandeira portuguesa passou a dominar e,
por pouco tempo, sucedeu-se um período de paz e tranqüilidade.
A política de D. João VI provocou outras duas reações. A primeira foi a Revolução de 1817, no Nordeste, e a segunda, em Portugal
– a chamada Revolução do Porto, de 1820, que era contra a continuidade de D. João VI no Brasil, a política liberal em relação ao
comércio do país, que estava prejudicando a economia portuguesa, e, além disso, preconizava a volta do Brasil à situação de
colônia.

Com a chegada a Montevidéu da notícia do movimento liberal do Porto, os soldados, à revelia, levantaram-se em 20 de março de
1821, proclamando a Constituição das cortes de Lisboa e exigindo serem considerados pertencentes ao Reino Português.
Em abril de 1821, o governo da Banda Oriental enviou um relatório da situação ao titular da pasta da Marinha. Diante das
informações e a fim de aplainar contratempos que pudessem suceder ao governo do Príncipe Regente na Cisplatina, D. João VI, antes
de partir para Europa, enviou instruções ao comandante-chefe do exército de ocupação para convocar, em Montevidéu, um congresso
de representantes daquela província para que decidissem se queriam um governo autônomo ou se continuariam unidos ao Brasil.
Realizaram-se as eleições, em cumprimento às ordens régias, e, em 18 de julho de 1821, reuniu-se o Congresso Cisplatino. A
decisão tomada em 31 de julho foi favorável à incorporação da Banda Oriental ao Reino Unido de Portugal, Brasil e Algaves, com
denominação de Estado Cisplatino a Portugal.

26

Os Fuzileiros Navais na História do Brasil

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->