Você está na página 1de 7

Avaliação de leitura do livro “O mistério da casa

verde”- autor: Moacyr Scliar-

Texto 01

1 Quando esta história começa, Arturzinho estava às voltas com um outro projeto,
não tão arrojado, mas ainda assim complicado. Esse projeto nascera de um problema.
Arturzinho, cara popular, tinha uma turma, razoavelmente grande, de rapazes e moças
que gostavam de ouvir rock a todo o volume, gostavam de dançar, gostavam de tocar
instrumentos musicais. Nada de especial, nada diferente de outros jovens — mas, onde
ouvir e fazer música, onde dançar? O pai de Arturzinho, um médico que trabalhava
muito e prezava o seu descanso, proibira qualquer tipo de zoeira em casa. Os pais dos
seus amigos e amigas haviam adotado a mesma atitude: barulho, não, era a palavra de
ordem. Nos bares, a consumação era um obstáculo. No clube da cidade não podiam
entrar: tinham batido boca com o gerente. Enfim: sentiam-se como refugiados que país
nenhum quer aceitar. E era esse o problema que vinha incomodando o Arturzinho, e que
chegava até a lhe tirar o sono: onde se reunir com a turma? Onde encontrar um local
adequado para uma diversão que, se não fosse barulhenta, nã o teria graça? Até q ue um
dia, caminhando pela rua, teve uma i nspiração, uma idéia dessas que fazem a pessoa
ficar de respiração suspensa, pensando: que coisa genial!
2 Correu para casa, telefonou para os amigos mais chegados dizendo que tinha algo
muito importante a comunicar. E marcou, para aquela mesma noite, uma reunião na
pizzaria do Marcolino, cujo dono, um calabrês de pitoresco sotaque, era conhecido por
sua tolerância em relação à zoeira dos jovens frequentadores que às vezes até ganhavam
desconto especial.
3 Quando Arturzinho chegou, os outros já estavam lá: o Pedro, conhecido como Pedro
Bola, um gordinho risonho quase tão agitado quanto Artur; André Catavento, alto, boa-
pinta, igualmente safado; e Leo, o intelectual da turma, rapaz de óculos, ar melancólico,
que andava sempre com um livro sob o braço. Os quatro estavam sempre juntos — sob
a chefia de Arturzinho, líder nato. Uma liderança não muito pacífica: André não
escondia a inveja que sentia de Arturzinho, cujo sucesso com garotas era um fato bem
conhecido. E foi justamente André que interpelou o recém-chegado:
4 — Então? O que é que você está inventando agora? Fale logo, porque tenho um
grande programa para esta noite e não posso perder tempo.
5 — Já conto — Arturzinho gostava de um suspense, e gostava ainda mais de
incomodar o rival. — Mas primeiro vamos comer, porque estou morrendo de fome.
6 E, apesar dos resmungos de André, pediu aquilo que Marcolino chamava de
megapizza — oitenta centímetros de diâmetro. Devoraram-na até a última migalha —
Pedro Bola, que fazia jus ao apelido, comendo boa parte da quota do Leo. Quando
terminaram, André voltou à carga:
7 — Então, Xereta, o que é que você está aprontando? Em outras circunstâncias
Arturzinho teria se irritado: detestava o apelido, como André sabia muito bem. Naquele
momento, contudo, optou por fingir que não tinha ouvido e foi direto ao assunto:
8 — Como vocês estão carecas de saber, precisamos de um lugar para nossas reuniões
— proclamou, em tom veemente.
9 — Um lugar em que a gente possa ouvir música sem que ninguém nos incomode, um
lugar para dançar, para bater papo. Enfim, o nosso próprio clube.
10 Fez uma pausa dramática e concluiu:
11 — E eu tenho esse lugar.
12 — É? — André Catavento, mal contendo o despeito. E que lugar é esse, pode-se
saber?
13 Nova pausa. Arturzinho sorriu, misterioso e superior:
14 — A Casa Verde.

(...)
31 — Mesmo que a gente consiga entrar — André ainda não estava convencido —,
como fica com o resto? Como a luz, por exemplo?
32 — Para que luz? Usamos velas ou lampiões. É muito mais bonito. De mais a mais,
temos em casa um gerador pequeno, que posso usar quando quiser.
33 — Não sei — André estava mesmo a fim de contrariar.
34 — Acho que isso tem tudo para dar errado. Porque se a gente...
35 — Sabe de uma coisa? — interrompeu Arturzinho. — Vamos votar. A maioria
decide. Cada um escreve num pedaço de papel “sim” ou “não”. E pronto: a questão
estará resolvida.
36 Uma jogada muito hábil. Arturzinho sabia que podia contar com o voto do silencioso
Leo, que sempre o apoiava. Quanto a Pedro Bola, no fundo tímido e assustadiço,
respeitava os corajosos, os destemidos. Falando grosso, Arturzinho conquistava o seu
respeito. De fato, quando abriram os votos, constataram: três “sim”, um “não”.
37 — Está decidido — proclamou Arturzinho, triunfante.
38 — Amanhã vamos até lá, tomar conta do nosso clube.

(SCLIAR, Moacyr. O mistério da Casa Verde. São Paulo: Ática, 2005. p. 14-17)

1. Considere as proposições seguintes sobre a obra e, a seguir, marque a alternativa


CORRETA. (3 escores)

I. A cidade de Itaguaí é o espaço onde se desenrola a história de Arturzinho e a de


Simão Bacamarte, cidade que se assemelha a várias outras pequenas cidades brasileiras,
mas ao mesmo tempo difere delas.
II. Com o objetivo de ter um lugar para se reunirem, Arturzinho e seus amigos resolvem
ocupar a Casa Verde; a partir desse momento, eles vão se deparar com um grande
mistério.
III. Ao explorarem a Casa Verde pela primeira vez e se depararem com um velho
pálido, Arturzinho e seus amigos expulsam-no da Casa, alegando que ali, a partir
daquele momento, não seria mais um lugar para indigentes.

a) Somente a proposição I está correta.


b) Somente a proposição II está correta.
c) Somente as proposições II e III estão corretas.
d) Somente as proposições I e II estão corretas.X
e) Somente as proposições I e III estão corretas.
EO:______

2. Releia o primeiro parágrafo. Nele podemos observar que os garotos estabelecem um


conflito de interesse com os pais, com o gerente do clube e com os donos de bar.

a) Qual é o interesse dos garotos que entra em conflito com os adultos? (2 escores) Os
meninos queriam um lugar para se reunir, fundar um clube
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______

b) Que interesse dos pais vai de encontro ao interesse dos meninos? (2 escores) Os pais
queriam descanso, sossego para repousar após um dia de trabalho

______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______

A narrativa apresenta outro conflito interno ao grupo...

c) Quais eram os personagens conflitantes? O que eles disputavam dentro do grupo? (3


escores)
Artuzinho e André. O relacionamento dos dois é marcado pela inveja de André em
relação à Artuzinho, pois disputavam a liderança do grupo.

______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

EO:______

d) As discussões entre Artuzinho e André são constantes. Entretanto o conflito na


pizzaria do Marcolino acaba tendo conseqüências para o desenvolvimento da trama.
Explique por quê. (2 escores) A discussão é ouvida por Idelfonso, o locutor de rádio,
que começa a investigar a Casa verde e resolve se aproveitar da história de seu único
morador de modo sensacionalista. Resultado aglomeração diante do velho hospício.

______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

EO:______

3. No livro de Moacir Scliar há vários personagens. A partir de cada uma das expressões
abaixo identifique a que personagem se refere: (6 escores) Pai de Artuzinho, Marcolino,
Artuzinho, Lúcia, Pedro-bola, André.

1. Prezava seu descanso: _____________________________________________


2. Calabrês de pitoresco sotaque:_______________________________________
3. Boa-pinta:_______________________________________________________
4. Ar melancólico:___________________________________________________
5. Fazia jus ao apelido de Bola:_____________________________________________
6. Mal continha seu despeito:_______________________________________________

EO:______
3.1. A opção que MELHOR JUSTIFICA a invasão da Casa Verde por Arturzinho,
Pedro Bola, André e Leo é: (1 escore)
a) o espírito de aventura e a curiosidade. X
b) a necessidade de um local para a reunião da turma.
c) a procura de uma pessoa desaparecida.
d) a vontade de terem um espaço para namorar.
e) o desejo de ajudar uma filha desesperada.
EO:______

3.2. Sobre a linguagem utilizada pelo autor da obra podemos afirmar que a opção que
exemplifica corretamente essa linguagem (culta e formal) é: (1 escore)

a) Será que ela quer manter o cara na sua ilusão?


b) Cheguei aqui, não encontrei você, me apavorei…
c) A cantada era tão velha, que ela teve que rir – e ele também.
d) Naquela noite, fomos até lá, abrimos a portinhola. x
EO:______

4. Considerando a obra O Mistério da Casa Verde, de Moacyr Scliar, marque para as


alternativas a seguir (V) verdadeira, (F) falsa. (4 escores)

(F ) Cada louco da cidade de Itaguaí era trancado na casa verde, por Arturzinho e seus
amigos, até que a morte o vinha desfraldar do benefício da vida.
(V ) A obra é construída numa relação intertextual com a narrativa O Alienista, de
Machado de Assis, cuja trama contribuiu para elucidar os estranhos episódios que
assustavam os habitantes da pequena cidade de Itaguaí.
(F ) O fragmento “Ali estava, aquela estranha figura, na sua casaca e sua gravata de fita:
o recluso da Casa Verde”, que se encontra no final do oitavo capítulo, refere-se ao
personagem Arturzinho.
(F ) O mistério que envolvia “a casa verde” foi descoberto por Arturzinho e sua turma,
devido à presença do fantasma da personagem machadiana Simão Bacamarte.
EO:______

• Escolha um item considerado falso e reescreva-o de modo que o torne


verdadeiro. (2 escores) Pessoal
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
EO:______

Texto 02
- Espere um pouco – interrompeu Arturzinho. – Que história é essa, “remédio
universal!”?Quer dizer que o doutor Bacamarte queria um remédio que curasse todos os
tipos de doenças mentais? Será que o cara não estava exagerando? - Estava. Agora: ele
acreditava no que fazia. Machado conta que o homem se dedicava mesmo: “…
analisava os hábitos de cada louco, as horas de acesso, as aversões, as simpatias, as
palavras, os gestos, as tendências”. Trabalhava tanto, que a mulher, a dona Evarista, se
chateou. Diz o Machado: “A ilustre dama, no fim de dois meses, achou-se a mais
desgraçada das mulheres: caiu em profunda melancolia, ficou amarela, magra, comia
pouco, e suspirava a cada canto. Não ousava fazer-lhe nenhuma queixa ou reproche,
porque respeitava nele o seu marido e senhor, mas padecia calada, e definhava a olhos,
vistos”. O doutor Bacamarte simplesmente mandou que ela fosse passar uns tempos no
Rio de Janeiro. Podia fazer isso, porque estava ganhando muito dinheiro.
- O homem era fogo, então – disse André.
- Era mesmo. Muito pior foi quando ele começou a achar que em Itaguaí havia muito
mais loucos que parecia no início. Como disse ao farmacêutico Crispim Soares: “A
loucura, objeto dos meus estudos, era até agora uma ilha perdida no oceano da razão;
começo a suspeitar que é um continente”. Ele queria “ampliar o território da loucura”.
Para isso, era preciso separar a razão da maluquice: “A razão é o perfeito equilíbrio de
todas as faculdades; fora daí insânia, insânia e só insânia”. E a partir daí foi recolhendo
as pessoas à Casa Verde.
(SCLIAR, Moacyr. O mistério da Casa Verde)

5. Os itens a seguir referem-se ao texto 02: (1 escore)


“A loucura, objeto dos meus estudos, era até agora uma ilha perdida no oceano da
razão; começo a suspeitar que é um continente”.
• A alternativa acima está corretamente interpretada em:
a) Felizmente a maioria das pessoas tem equilíbrio mental e a razão ainda não se
encontra perdida em um oceano.
b) Deve-se colocar o louco em uma ilha perdida no oceano para que fique em paz.
c) A loucura é mais ampla do que se imagina. X
d) Como o mundo é muito amplo, a loucura não é totalmente percebida pelos médicos.
EO:______

• A correspondência entre as palavras destacadas e sua significação no texto está


INCORRETA em (1 escore)
a) “… fora daí insânia, insânia,e só INSÂNIA.” (loucura)
b) “Não ousava fazer-lhe nenhuma queixa ou REPROCHE.” (elogio) X
c) “A razão é o perfeito equilíbrio de todas as FACULDADES;” (capacidades)
d) “… mas padecia calada, e DEFINHAVA a olhos vistos.” (enfraquecia)
EO:______

• De acordo dom o texto explique o significado das expressões destacadas: (2


escores)
“ Diz o Machado: “A ilustre dama, no fim de dois meses, achou-se a mais desgraçada
das mulheres: caiu em profunda melancolia(...)” Distinta, nobre, Profunda tristeza
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______

• Substitua as palavras ou expressões destacadas por outras de mesmo sentido. ( 6


escores)
I. Que história é essa, “remédio universal”? Remédio que trata todas as
doenças
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______
II. Ele queria “ampliar o território da loucura”. ampliar o que pode e que não pode ser
considerado doença mental
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______

III. mas padecia calada, e definhava a olhos, vistos”. Sofria calada sem reclamar
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
EO:______

6. Pelas explicações do doutor Eduardo, é correto afirmar que: (4 escores)

a) Antigamente, na Idade Média, os loucos não podiam viver com suas famílias.
b) Os doentes mentais de Itaguaí ficavam nas ruas porque não davam mau exemplo.
c) No tempo de Machado de Assis, o alienista era a figura mais importante de um
hospício. X
d) Antigamente, um médico, de nome Pinel, foi acorrentado porque era louco. X
EO:______

7. A oração grifada expressa a idéia entre parênteses, EXCETO: (1 escore)

a) Trabalhava tanto, que a mulher, a dona Evarista, se chateou. (causa)


b) Não ousava fazer-lhe nenhuma queixa, (…) mas ficava calada e emburrada.
(contradição)
c) As mulheres, quando os maridos saíam, mandavam acender uma lamparina à Nossa
Senhora. (tempo) X
d) Se quereis emendar a administração da Casa Verde, estou pronto a ouvir-vos.
(condição)
EO:______

8. A respeito do homem que habitava a Casa Verde, pode-se afirmar que ele: ( 5
escores)

a) era um alienista.
b) estava se escondendo da família. X
c) misturava o passado e o presente. X
d) era um personagem de Machado de Assis.
e) estudava a loucura da humanidade.
EO:______

9. Ao final do oitavo capítulo, intitulado “No qual as coisas se precipitam e tomam


rumo imprevisto”, lemos as seguintes palavras: ( 1 escore)

“Ali estava, aquela estranha figura, na sua casaca e sua gravata de fita: o recluso da
Casa Verde”.

Com base na leitura do fragmento acima, assinale a alternativa que explicita quem era o
“recluso da Casa Verde”:
a) Machado de Assis, representando os escritores loucos do Realismo brasileiro.
b) Dr. Simão Bacamarte, personagem da obra O Alienista, de Machado de Assis.
c) Jorge, pai da personagem Lúcia, que se dizia bisneto do Dr. Simão Bacamarte. X
d) O alienista, médico psiquiatra da antiga cidade de Itaguaí, defensor da ciência.
e) Ildefonso, locutor de Itaguaí, que gostava de inventar histórias para aumentar a
audiência de seu programa no Rádio.
EO:______

10. Numere de acordo com a seqüência em que são apresentados os principais fatos que
compõe a trama de “O mistério da casa verde” (5 escores)
□ Artuzinho e Leo retornam à casa verde e tentam conversar com seu misterioso
habitante. Este, porém, recebe os jovens de maneira agressiva, afirma ser um
Alienista e acaba por expulsá-los dali 3
□ A população de Itaguaí tomou conta da Casa verde. Uma parte da casa foi
transformada em clube e outra em sede do Centro Cultural Machado de Assis. 5
□ Depois de entrarem na casa, os jovens a exploram até chegar a uma sala com a
porta fechada, onde há um letreiro “director”. Nela vêem um homem
estranhíssimo, de cabeleira desgrenhada e barba imensa. 2
□ Artuzinho propõe a André, Pedro e Leo que ocupem a Casa Verde. Para isso a
turma decide abrir uma porta nos fundos do casarão. 1
□ Após acharem um alçapão secreto, os jovens resolvem vigiá-lo, para descobrir
quem cuida do Alienista. Em seu turno de vigia Artuzinho vê uma linda garota
entrando e saindo da casa. Decide segui-la. 4
EO:______